Skip to main content

Full text of "Diccionario español-portugués, el primero que se ha publicado con las voces, frases, refranes y lucuciones [!] usadas en España y Americas españolas, en el lenguaje comun antiguo y moderno; las ciencias y artes de medicina, veterinaria, quimica, mineralojia, historia natural y botanica, comercio y nautica, con algunos nombres propios, y asi las voces particulares de las provincias españolas y americanas, etc.; compuesto sobre los mejores diccionarios de las dos naciones"

See other formats


^•; 






'S, 













'S.-' 

..%. 






IP 



.1» 



'^^*^ 



f^^w^f» 






:^ ^|ÍÍÍ«Í^' 



«' 



1. 



i V lí 



'^^ 



•':-rr 







university of 
connecticut 

libraries 






■7^ 



'■"i 



7-:/^ 



•<^- 



XI 






W -,-Hsk' \ 




DICCIONARIO 



ESPAÑOL-PORTUGUÉS 



# 



.<? 






" ;*c 






ESPAÑOL-PORTUGUÉ 



EL PRIMERO QUE SE HA PUBLICADO 

Cou las voces, fiases, refranes y locuciones usadas en España y Américas Españolas, 
en el lenguaje común antiguo y moderno 

LAS CIENCIAS Y ARTES 

DE MEDICINA, VETERINARIA, QUÍMICA, ¡WINERALOJIA, HISTORIA NATURAL Y BOTÁNICA 
COMERCIO Y NÁUTICA 

Con algunos nombres propios, y asi las voces particulares dclas Provincias Españolas y Americanas, elr 

COMPUESTO SOBRE LOS MEJORES DICCIONARIOS OE LAS DOS NACIONES 



MANUEL DO ("INIO E CASTRO MASi^ARENHAS VALDEZ 

1/ 
Oidaljo CabaliiTO de ia Casa Real 



TOMO TERCERO 



LISBOA 

EN LA IMPRENTA NACIONAL 

^866 



ES5:RVED 
FOR 

NCE 

NG 

NOT T^~^ TAKÈÍT 
FROM THE LI8HARY 




pe 

V.3 





u 



]\IAC 

j\I. f. M; decimii quinta letra 
do alphabeto hespaiihol. É 
lima das consoantes mais la- 
biaes. Em hespanhol ne- 
nhum vocábulo termina em 
m, mas sim em n. Antes de 
h Q p deve sempre escrever- 
se m, seguindo n'este caso 
a lingua latina: — M; usa- 
se como abreviatura de ma- 
gestade, muito, e outras vo- 
zes, segundo os difterentes 
casos: — (archeol.) ]\[; nas 
inscripçoes latinas, substi- 
tue os nomes de Marco, Man- 
lio, Mucio, e o titulo de ma- 
gister: — (astr.) M; abre- 
viatura de meio dia, nas tá- 
buas astronómicas: — (niath.) 
M ; como letra numeral, vale 
mil, e com um traço liori- 
sontal por cima, um milhão: 

— (med.) ]\I-, abreviatura de 
misture, manipule, nas re- 
ceitas; — (num.) IM; nas 
moedas francezas indica 
que foram cunliadas era 
Tolosa. 

Maiía. /. (¡)ot.) Maba; genero 
de plantas da familia das 
ebenáceas. 

Mabea. /. (bot.) Mabea; gene- 
ro de plantas da familia das 
euphorbiaceas. 

IMabke. /. (art.) Alisador; la- 
mina de ferro, que na fabri- 
cação do crystal serve para 
alisar a materia, antes de lhe 
dar a forma. 

Maca./. Pisadura, macula, na 
fructa. Lcesio, anis: — nó- 
doa, mancha, defeito nos te- 
cido?, etc. Macula, ce: — 
(fig.) manha, defeito, dissi- 
mulo, fraude. Dolus, frmis: 

— (zool.) maca; ave do- 
mestica, mais pequena do 
que o gallo e de vistosas co- 
res, originaria do Perú. 

1 



Macauko.s. m. pL (liU. c rrl.) 
I\Iacabeus; nome dos últi- 
mos livros do Antigo Testa- 
mento, contendo a historia 
judaica na epocha dos pri- 
meiros principes da raça dos 
asmoneus. 

Macaco, ca. adj. (fam.) Maca- 
co, feio, desproporcionado: 
— m. (p. Mcx.) o papão 
com que se intimidam as 
creanças: — (zool.) macaco; 
genero de mammiferos qua- 
drumanos, da tribu dos mo- 
nos, que comprehcnde as es- 
pecies intermedias, por suas 
fóniias e costumes, entre os 
micos e os cynocephalos. 

Macagua. /. (zool.) Macagua; 
genero de aves de rapina. 

Macaira./ (zool.) Macaira; ge- 
nero de peixes acanthopte- 
rygios, da familia dos scom- 
beroideos. 

Macaisa. /. (hot.) ]\íacaisa; ar- 
vore dasPhilippinas, de ma- 
deira mui leve. 

IMacan. m. (p. M. B.) Especie 
de panarício. 

Macana. /. (p. Ám.) Macana; 
arma oífensiva que usavam 
03 indios do Perú: — pau 
para fazer recuar os bois 
batendo-lhes nos cornos. 

Macandon. m. (ant.)Y. Caman- 
didero. 

Macanea. /. (Jjot.) Macanea; 
genero de plantas da fami- 
lia das gutiferas, e da po- 
lyandria monogynia de Lin- 
neu. 

IMacaonia. /. (hnt.) Machaonia; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 

Macak. a. (ant.) Macular, man- 
char, avariar. V. Dañar. 

Macaranga. /. (bot.) Macaran- 
ga ; genero de plantas da fa- 
milia das euphorbiaceas. 



MAC 

]\ÍACARENo, NA. s. (fam.) Boni- 
frate, paralvilho : — ferra- 
braz, fanfarrão. Fortitudi- 
nis et strennitatis ostentator. 

Macaroso. m. (süoZ.J Macaroso; 
genero de aves palmipedes, 
da familia das alcideas. 

]\Iacahkon. m. Macarrão; mas- 
sa de farinha, em figura de 
tubos compridos e encurva- 
dos, üsa-se em hespanhol, 
commummente noplural.r»- 
hulus edilis ex farina: — 
pastel de amêndoa. 

Macarronea. /, Macarronea, 
macarronada ; composição 
burlesca, na qual entram 
palavras de ditferentes lin- 
guas, alterando-lhes, a ge- 
nuína significação. E tam- 
bém adjectivo substantira- 
ão. Lucubrationis fesiivce ge- 
ñus. 

Macarrónico, ca. adj. Macar- 
rónico; relativo á macarro- 
nea. Impolitus, rudis. 

Macarse, r. Sorvar-se ; princi- 
piar a apodrecer. Corrum- 
jpi, Icedi. 

Macbridea. /. (bot.) Macbri- 
dea; genero de plantas da 
familia das labiadas. 

Macdonaldia. /. (bot.) Macdo- 
naldia; genero de plantas 
da familia das orchideas. 

Maceador. m. Maçador; o que 
maça linho. Contzmdcn.s: 

Macear, a. Maçar, pisar; dar 
jiancadas com maço ou ma- 
ça. Mallc.o, jJsrcidere, con- 
tundere: — n. (fig.) malhar, 
repisar, fatigar, insistir na 
repetição de uma cousa. Te- 
naciter insistere. 

Macedón, na, Macedónico, ca, 
Macedónio, nía. adj. Mace- 
dónio; da Macedónia. 

Macelario. m. (ant.) V. Car- 
nicero. 



2 MAC 

Macella. f. (ant.) V. Desgra- 
cia. 
Macellar. a. Manchai-, sujar. 
Macello. m. (ant.) V. Presa, 

pedaço de carne. 
Macemutino. m. (num.) Mace- 
mutiao; moeda áurea que 
passou dos árabes aos hes- 
panhoes. 
Maceracion. /. Maceração-, ac- 
ção e etfeito de macerar. Ma- 
ceratio, onis: — (chim.) ma- 
ceração; operação que con- 
siste em submetter qualquer 
corpo solido á acção de um 
liquido de temperatura não 
mais elevada que a da at- 
mosphera, até se lhe dissol- 
verem certos principios con- 
stituitivos. 
Maceramiento, m. (chim.) Ma- 
ceração. 
Macerar, a. Macerar ; amolle- 
cer alguma cousa pela ac- 
ção de algum liquido ou de 
pancadas. Macerare: — (fig-) 
macerar; mortificar, afiiigir 
a carne com penitencias e 
trabalhos. Macerare, casti- 
gare: — fallando das aves 
de rapina, avesa-las e en- 
fraquece-las para a caça. 
Macerina. /. Prato ou pires 
com um concavo no centro, 
. onde se põe a chicara ou ti- 
gela para servir o chocola- 
te. Patina cavo instructa. 
Macero, to. Maceiro; o que le- 
va a maça em certas cere- 
monias religiosas ou civis. 
Claviger, ciavam ferens. 
Maceta. /. Vaso para flores 
ou outros vegetaes. Texta 
floribus excolenclis: — jar- 
ra ou vaso artificial, ou pé 
de metal ou madeira, em que 
se pregam flores artificiaes 
para adorno dos altares. Vas 
florum artificidlium: — (art.) 
cabo de alguns instrumen- 
tos de ferro ou aço. Manu- 
hrium, i: — dim. de Mazo. 
Macinha. 
Macetica, lla, ta. /. dim. de 

Maceta. 
Maceton. m. aug. de Maceta. 
Mácias. /. pl. (pharm.) V. Ma- 
cis. 
Maciega. /. (p. A.) Porção de 
herva brava e damninlia que 
nasce nas terras semeadas. 
Maciegal. m. (p. A.) Matagal ; 
terreno coberto de hervas 
bravas e damninhas. 



MAC 

Maciella. /. (ant.) V. Carne: 

— (ant.) mazella angustia. 
Macilencia. /. (ant.) Macilen- 

cia; aspecto macilento. 
Macilento, ta. adj. Macilento, 
pallido, descorado, extenua- 
do. Macilentas^ exteuuatus. 
Macina./. (chim.) Macina; prin- 
cipio particular que se ex- 
trahe do macis, e tem jjro- 
priedades de gomma. 
Macintosh, m. Macintosh ; pan- 
no coberto de gomma elás- 
tica. Tomou o nome do fa- 
bricante americano que ap- 
jdIícou esta gomma ao fabri- 
co de objectos de toda a 
classe. 
Mácis. m. (pharm.) Macis ; cas- 
ca subtil e cheirosa que se 
tira da uoz moscada. 
Macla. /. Espadella para o 
cânhamo; — (zool.) maclila; 
genero de insectos coleópte- 
ros heteiomeros, da tribu 
dos asiditos. 
Macle. m. (br.) Labéu, macu- 
la de bastardia; peça do es- 
cudo feita em losango fura- 
do no centro. 
Macleania. /. (boi.) Maclea- 
nia; genero de ¡Dlantas da 
familia das ericáceas. 
Maclura. /. (bot.) Madura ; ge- 
nero de plantas- da familia 
das moreas. 
Macno. m. V. Cochinilla. 
Maco. adj. (germ.) V. Bellaco. 
Macoca, m. (p. Mure.) Especie 

de figo temporão e grande. 
Macolla. /. Grupo de pés ou 
caules nascidos da mesma 
semente. Scaporum ex eo- 
dem grano nascentium fas- 
ciculus, manipuliis. 
Macona. /. Cesta, cesto sem 

azas. Corbis, is. 
IVIaconera. /. (ant. ar eh.) V. 

Recuadro. 
Macradenia. /. (bot.) Macra- 
denia (glândula comprida); 
genero de plantas da fami- 
lia das orchideas. 
Macranto. m. (bot.) Macran- 
tho (Jlor comprida); genero 
de ¡Dlantas da familia das 
leguminosas papilionaceas. 
Macráspide. /. (zool.) Macras- 
pide (escudo grande); gene- 
ro de insectos da familia 
dos lamellicornes. 
Macrobiano, na. adj. Macro- 
bio; que viveu mais do ter- 
mo ordinario. 



MAC 

Macrobiótica. /. (ined.) Ma- 
crobiótica; parte da hygie- 
ne, que trata dos meios de 
prolongar a vida. 
Macrobioto. m. (zool.) Macro- 
bioto (longa vida); genero 
de auimaes microscópicos, 
que vivem nos musgos, nas 
areias, e na terra dos te- 
lhados. Têem a particula- 
ridade de resistir ás gran- 
des seccas, revivendo na 
epocha das chuvas. 
Macrocarpo, PA. adj. (bot.) Ma- 
crocarpo; diz-se do vegetal 
que tem fructos grandes. 
Macrocefalia. /. ^anat.) Ma- 
crocephalia ; genero de ano- 
malias ou monstruosidades, 
que comprehende as cara- 
cterisadas pov um excessi- 
vo desenvolvimento da ca- 
beça. 
Macrocéfalo, la. adj. (anat.) 
Macrocephalo; diz-se das 
creanças de excessivo volu- 
me de cabeça, desproporcio- 
nal com as demais regiões 
do corpo : — m. (zool.) ma- 
crocephalo; genero de inse- 
ctos hemipteros da familia 
dos aradidos. 
Macroceuco, ca. adj. (zool.) 
Macrocerco ; que tem cauda 
comprida. 
Macrocístide. m. (bot.) Ma- 
crocystide ou macrocj'stis 
(grande bexiga); genero de 
algas da familia das phy- 
ceas. 
Macrocloa. /. (bot.) Macro- 
chloa (herva comprida) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das gramineas. 
Macrocomo, ma. adj. Macroco- 
mo; de cabellos compridos. 
Macrocosmolojía. /. Macrocos- 
mologia; sciencia que trata 
do universo em geral,' e da 
terra em particular. 
Macrocosmos, m. Macrocosmo; 
nome que alguns philoso- 
phos deram ao universo, em 
opposição a microcosmos. 
Macrodactilia. /. (anat.) Ma- 
crodactylia; desvios orgâ- 
nicos, (}ue comprelieudem os 
caracterisados pelo excessi- 
vo desenvolvimento dos de- 
dos. 
MacrodÁctilo, la. adj. (zool.) 
Macrodaerylo ; diz-se do ani- 
mal de dedos compridos 
ou com grandes prolonga- 



MAC 

mentos em forma de dedos : 
— m. macrodactylo; genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros da familia dos la- 
mellicornes : — /. j)l- niacro- 
dactylas; familia de aves da 
ordem das alcoridas que 
têem os dedos inteiramente 
separados e muito extensos. 

Macrodo. m. (zool.J Macrodo 
(grande); g'cnero de insectos 
coleópteros pentameros da 
familia dos sternoxos. 

Macrodonte. aâj. (zool.) Ma- 
crodonte; diz-se do animal 
que tem dentes grandes. 

Macrofillo,. m. (zool.) Macro- 
phyllo (folha extensa); ge- 
nero de mammiferos cheiro- 
pteros. 

Macrofisocéfalo. m. (meã.) 
Macrophysoceplialo; incha- 
ção edematosa da cabeça do 
feto. 

Macroftalmo. m. (sool.) Ma- 
crophtalmo (olho grande); 
genero, de crustáceos deca- 
podas bracliynros, da fami- 
lia dos catometopos. 

Machogloso, sa. arij. (med.) Ma- 
croglosso; qualificação d'a- 
quellea individuos cuja lin- 
gua tem um desenvolsimen- 
to desmarcado: — m. (zool.) 
macroglosso ; genero de in- 
sectos lepidópteros crepus- 
culares, da tiibu dos sphin- 
gidos: — macroglosso; ge- 
nero de mammiferos cheiro- 
pteros: — m. pi. macrogl os- 
sos; familia de aves estabe- 
lecida por alguns natura- 
listas na ordem dos pássa- 
ros trepadores. 

Macrolépide. m. (bot.) Macro- 
lepide ou macrolepis (escama 
comprida); genero de plan- 
tas da familia das orchi- 
deas. 

Macrolobio. m. (bot.) Macrolo- 
bio (vagem comprida) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das leguminosas papiliona- 
ceas. 

Macrolofo, fa. adj. (zool.) Ma- 
crolupho; que tem um pen- 
nacho na cabeça. 

Mackolojia. /. (rket.) Macro- 
logia ; excessiva prolixida- 
de, diffusào n'um discurso, 
capitulo, etc. 

Macroma. /. (zool.) Macroma 
(grande espádua) ; genero 
de insectos coleópteros pen- 



MAC 

tameros, da família dos la- 
mellicornes. 

Macrowelia. /. (med.) Macro- 
melia; grandeza de qual- 
quer membro. 

Macroméride. m. (zool.) Macro- 
meride ou macromeris (coxa 
comprida); genero de inse- 
ctos hymenop teros. 

Macromitrio. VI. (Iiot.) Macro- 
mitrio (cabelleira grande); 
genero de musgos briaceos, 
originarios das regiões tro- 
pieces ou sub-tropicaes. 

Macronkma. /. (zool.) Macro- 
nema (fio comprido) ; genero 
do insectos nevropteros, da 
tribu dos phryganios. 

Macroneura. /. (zool.) Macro- 
nevra (nervosidade compri- 
da) ; genero de insectos dí- 
pteros, da familia dos ti- 
pulicios: — macronevra; ge- 
nero de insectos hymeno- 
pteros, da familia dos clial- 
cideos. 

Macrónice. m. (zool.) Macro- 
nyce ou macronyx (unha 
comprida) ; genero de aves 
da ordem dos pássaros. 

Macronico. m. (zool.) Machro- 
nyclio (unha grande) ; ge- 
nero de insectos coleoptei'os 
pentameros da familia dos 
macrodactylos; — m. pi. ma- 
crouyclias ; familia de aves 
da ordem das alcoridas. 

Macropnea. /. (med.) Macro- 
pnea ; respiração extensa ou 
lenta. 

Macropo. m. (zool.) Macropo 
(pé cominido); genero de 
insectos coleópteros subpen- 
tameros, da familia dos lon- 
gicornes. 

Macropodia . /. fanaí.J Macro- 
podia; genero de desvios or- 
gânicos, caracterisados pelo 
excessivo desenvolvimento 
dos pés. 

Macrópodo. m. (zool.) Macro- 
poda (pé comprido) ; genero 
de peixes acanthopterygeos. 

Macroprio. to. (zool.) Macro- 
prio (serra comprida) ; ge- 
nero de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
clavicornes. 

Macroprosopia. /. (anat.) Ma- 
croprosopia; genero de des- 
,vios ou monstruosidades, ca- 
racterisadas pelo excessivo 
desenvolvimento da cara. 

Macróptebo. m. (zool.) Macro- 



MAC 



3 



ptero (aza comprida); ge- 
nero de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
curculiónidos. 

Macrorinco, ca. adj. (zool.) 
Macrorhynchp ; que tem o 
bico comprido. 

Macrorizo, za. adj. (bot.) Ma- 
crorhizo; que tem grandes 
raizes. 

Macrortorincos. m. pl. (zool.) 
Macrorthorynchos; familia 
de aves da ordem das sil- 
vanas. 

Macroscelia./. (anat.) Macros- 
celia; genero de monstruo- 
sidades, caracterisadas pelo 
demasiado desenvolvimento 
das pernas. 

Macroscélide. 771. (zool.) Ma- 
croscélide (grande coxa); ge- 
nero de mammiferos insecti- 
voros. 

Macroscépide. m. (bot.) Ma- 
croscepide ou macrocespis; 
genero de plantas da fami- 
lia das asclepiadas. 

Macrosoma. /. (zool.) Maci'oso- 
ma (corpo comprido); gene- 
ro de insectos coleópteros 
da familia dos lamellicornes. 

Macrosqüelia./. (anat.)Y. Ma- 
croscelia. 

Macrosteno. m. (zool.) Macros- 
teno (comprido e estreito); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros da familia 
dos brachelytros. 

Macróstico, ca. adj. Macrosti- 
co; escripto em linhas com- 
pridas. Assim se denomina 
também a quinta profissão 
de fé composta pelos Euse- 
bianos. 

Macrostílide. m. ffioí.J Macros- 
tylide ou macrostylis (gran- 
de estylete); genero de plan- 
tas da familia das diosmeas. 

Macróstilo. m. (zool.) Macros- 
tylo; genero de insectos co- 
leópteros tetrámeros, da fa- 
milia dos curculiónidos. 

Macrostomio. m. (bot.) Macros- 
tomio (abertura grande); ge- 
nero de plantas da familia 
dos orchideas. 

Macróstomos. m.pl. fzooZ.JMa- 
crostomos; familia de mol- 
luscos -caracterisados prin- 
cipalmente pela sua concha 
auriforme, desprovida de 
opérenlo e com bordas des- 
unidas. 

Macrótide. m. (zool.) Macroti- 



4 MAC 

de ou macrotis (orelha com- 
prida); genero de insectos 
cole()])teros heteromeros da 
familia dos melasomos. 

Macrotope. m. (zool.) Jíacro- 
tope ou macrotops (olho com- 
prido); genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos lamellicornes. 

Mackoxricio. m. (zool.) Macro- 
thricio ou macrothrix (pello 
comprido); genero de crus- 
táceos da familia das da- 
phnideas. 

]\lACROTÓriDE. m. (bot.) Macro- 
tropide ou macrotopis (gran- 
de navio); genero de plantas 
da familia das legumino- 
sas. 

Maceoxeiria. /. (anat.)\. Ma- 
croxeria. 

Macroxeiro. m. (zool.) Macro- 
cheiro (pé anterior); genero 
de insectos coleópteros te- 
trámeros da familia dos cur- 
culiónidos. 

Macroxenia. /. (zool.) Macro- 
chenia (pescoro comprido); 
genero de mammiferos fos- 
seis, da ordem dos pachider- 
mes. 

Macroxera./. (ant.) Túnica de 
mangas compridas que usa- 
vam os antigos. 

Macroxeria. /. (anat.) Macro- 
cheria; genero de anomalias 
orgánicas, caracterisadas pe- 
lo excessivo desenvolvimen- 
to das màos. 

Macrüros. m. pl. (zool.) Ma- 
crouros; nome que designa, 
nadasse dos crustáceos, urna 
grande divisão da ordem dos 
decapodas, que tem por ty- 
po o genero caranguejo. 

Mactra. m, (zool.) Mactra (jar- 
ra, vaso); genero de moilus- 
C03 da familia, dos mactra- 
oeos, que vivem occultos nas 
areias a pouca distancia das 
praia;-. 

Mactráceos. Til. pl. ^zooL) Ma- 
ctraccos; familia de mollus- 
cos caracterisada pela sua 
concha equivalvc, geralmen- 
te entre aberta pelas extre- 
midades latcraes. 

Mactrismo. m. (hist. ant.) Ma- 
ctrismo; dansa antiga e có- 
mica dos gregos. 

Macuacue. m. )(p. Mex.) Ma- 
cuache; indio bocal. 

Macuba./. Macuba; tabaco que 
vegeta ao N. da Martinica, 



MAC 

a que se dá o nome do paiz 
em que se cultiva. 

Macuca. /. Especie de pereira 
silvestre, cujo fructo é mui 
l^equeno, corado, insípido c 
de substancia moUe. 

Macuenco, ca. adj. (p. Ouh.) 
Fraco, débil, frouxo. 

MÁCULA./. Macula. V. Mancha. 
Também se usa na accepçào 
de desdouro, infamia ou vi- 
leza: — (fam.) macula, ma- 
nha, malicia, dissimulação, 
artificio: — (astr.) manchas 
ou pontos escuros no disco 
da lua ou do sol : — (med.) 
macula, mancha; nome que 
os antigos davam a uma ma- 
lha de sangue que algumas 
creaneas trazem ao nascer, 
e que se attribuiam á força 
da imaginação da mne. 

Macular, a. foííí.jV.il/anc/í ar.- 
— borrar, sujar as obras 
impressas ou estampadas 
quando ainda não estão bem 
seccas. 

Maculatura. /. (imp.) Macu- 
latura; folhas mascarradas 
e mal impressas, tiradas com 
pouco aceio: — maculatura; 
folha de papel que os estam- 
padores põem entre a estam- 
pa e o panno grosseiro da 
prensa: — maculatura; pa- 
pel de embrulhar que se faz 
com os restos do trapo. 

Maculca. / (p. A. Mer.) V. 
Agyjetas, como gratificação 
de algum trabalho extraor- 
dinario. 

Maculiforjie. adj. Maculifor- 
nic; com a fórma^de uma pe- 
quena mancha. 

Maculipénneo, kea. adj. (zool.) 
Maculipenneo; diz-se das 
aves que tcem as azas ma- 
lhadas. 

jMaculirostro, tka. adj. (zool.) 
IMaculiroiílro; diz-sc da avo 
que tem o bico malhado. 

Maculoso, sa. adj. (ant.) Ma- 
lhado ; salpicado de manchas. 
Macnlosus, a, um. 

Macun. m. (p. Chili.) Especie 
de camisola. 

Macuquino, na. adj. Diz-se da 
moeda cortada sem sarrilha. 
Moneta non orhiculata. 

Macuta, Macute. /. Macuta; 
moeda de G-uiné. 

JiIacuteno. m. (p. Mex. ) Homem 
mau e paciente, não por bon- 
dado, mns por degradação. 



MAC 

Macuto, m. (p. Cnb.J Cestinho 
de yagua, contendo cera, 
carne, tabaco, ou outro ge- 
nero similhante. 

Machaca./. V. Machacadera: 

— adj. (fam.) repizador, ma- 
çador; fastidioso na sua con- 
versação. Alolesius, impor- 
íuniís homo. Machaca que 
machaca (loe. adv.); pesada- 
mente, rudemente; com mui- 
to peso. 

Machacadera. /. Pilão, maça. 
Jiistrumentum conter endo 
aptum. 

Machacador, ra. s. Machuca- 
dor; o que machuca. Con- 
terens, contnndens. 

Machacar, a. Machucar, esma- 
gar, pisar, maçar. Contunde- 
re, conterere: — n. (fig.)ma- 
Ihar, repisar; insistir perti- 
nazmente. Pertinaciter con- 
tendere. 

Machacón, na. adj. Repizador, 
maçador; diz-se da pessoa 
enfadonha, fastidiosa na 
couAersação. Gravis, im- 
por tunus. 

Machada. / Fato ou rebanho 
de bodes. Hircorum grex: 

— (fam.) V. Necedad. 
Machado, m. M achado. V. Ha- 
cha, para cortar madeira. 

Machaquería. /. (fam.) Caus- 
ticidade, importunidade. 

Machaquero, ea. adj. V. Ma- 
chacón. 

Machar, a. V. Machacar. 

Machasor. m. Machasor; pala- 
vra hebraica que signifi- 
ca céu: — machasor; nome 
de um livro de orações mui- 
to usado entre os judeus nas 
grandes festas. 

Machca./. (p. A. il/.jMachca; 
farinha de cevada, alimento 
ordinario dos indios. 

Machear, n. Engendrar, os 
animacs, maior numero dft 
machos que de fêmeas. A:ii- 
malia másculos edere. 

Macheta. /. (p. Gal.) Macha- 
diuha; pequeno machado. 

Machetazo, m. Machetada; 
golpe de machete. Ictus cul- 
tro, machcerâ impactus. 

Machete, m. Machete; sabre 
de dois gumes, recto e cur- 
to, que usam os artilheiros. 
Culter grandior, machcera; 
gen us : — (p. A.) machete ; 
íaca de mato usada pelos 
pretOR. 



MAC 

Machetero, m. Desbravador; 
o que abate as arvores e to- 
jo que impede a marcha. 
Viam sternens in silvis. 

Machial. m. Monte abundante 
em arbustos e arvores silves- 
tres, aproveitáveis j^ara ¡Das- 
to dos animaes cai3rinos. 

Machicülis. m. (mil.) V. Ma- 
tacanes. 

Machihembrar, a. (art.) Embe- 
ber; unir duas peças de ma- 
deira pelas juntas de femea 
e macho. Cardinare. 

Machina. /. (art.) Compasso; 
instrumento de que usam os 
chapellciros para cortar as 
abas dos chapéus : — (naut.) 
cabrea; machina para em- 
mastrear ou desmastrear as 
embarcações. Macli ina in. na- 
valibus ad malos navibus 
aptandos. 

Machinete, m. (p. Mure.) V. 
Machete. 

Macho, m. Macho; animal do 
sexo masculino. Mas, mas- 
cidus: — macho, mulo; ani- 
mal filho de cavallo e ju- 
menta ou de burro e egua. 
Mulus, i: — adj. macho, 
varonil, forte, robusto : — 
de litera; macho de liteira, 
egua de leziria. Applica-se 
á pessoa rude e estupida; 

— macho; parte do colclie- 
te que se eiJgata na femea 
respectiva. Uncimis mascu- 
lits: — (art.) macho; peça 
que, entrando em outra, for- 
ma ou constitue algum in- 
strumento. Instrumenti pars 
másenla: — macho; mar- 
tello de bancada no cilicio 
de serralheiro. Ingens mal- 
leus: — cepo em que os fer- 
reiros têem a bigorna ]íq- 
qnenn. Seamnum ferrariam: 

— macho; molde de areia 
ou barro em que so fundem 
os .sinos: — macho, broca; 
parte da fechadura que en- 
tra no buraco da chave : — 
macho; martello de estacar 
urna peça metallica : — ma- 
cho; a haste maior nos moi- 
nhos de vento: — V. Ee- 
manadera, nas alcaçarias 
ou fabricas de couros: — 
(bot.) masculina; na planta 
é a flor que fecunda a ou- 
tra de sua e.'pecie com o 
pollen dos seus estames: — 
(naut.) pl. machos; ferra- 



MAD 

geni cujas abas embebidas 
na madre do leme, e ali pre- 
gadas, giram dentro dos tu- 
bos: — macho; dente ou sa- 
liência que se deixa na pe- 
ça, pelas faces que hão de 
encaixar em outras: — (arcli.) 
V. Filar: — cabrio ó de 
cabrío. V. Cabrón: — de 
2)arada; bode ensinado e 
acostumado a estar quieto 
em um ponto, para o gado 
se não dividir ou extraviar. 
Cieurafiis caper : — romo; 
mulo asneiro; o que nasce 
de cavallo e burra. Mas 
ex equo et asina natus. 

Machón, m. (arcli.) Contrafor- 
te, esporão, gigante; obra 
que reforça a parede por 
alguma parte principal. Pi- 
la, a^dificii fulcriim ex opere 
lateritio seu cosmentitio. 

Machorra./, (vidg.) Machorra ; 
ovelha estéril. Por extensão 
também se diz das outras 
fêmeas. Femina sterilis. 

Machota. /. V. Machote. 

Machote, m. Mascoto, malho; 
martello grande com que 
nas casas de moeda se pi- 
sam as jjequenas raspas ou 
fragmentos de oiro ou pra- 
ta, reduzinrlo-os a pó para 
os lavar. A machota ó ma- 
chote (loe. adv.); a golpe de 
malho, á martellada. Con- 
tundenter. 

Machucadura. /. Machucadu- 
ra, pisadura, trilhadura; ac- 
ção e effeito de machucar. 
Contusio, onis. 

Machucamiento, m. Y. 3Iachi- 
cadura. 

Machucar, a. Machucar, es- 
magar, Irisar, trilhar. Con- 
tandere, comminuere. 

Machucho, cha. adj. Machu- 
cho, judicioso, prudente, sen- 
sato. Sapienter agcns: — 
maduro; entrado cm idade. 

Machuelo, m. dim. de Macho. 
Machinho: — o coração do 
alho. Alia par s interior. 

Machlimacept. m. Machuma- 
cept; preparação de ojdío. 
de que os xnouros usam pa- 
ra excitar o appetite. 

MadagaÍva. /. (ant.) Phautas- 
ma, espantalho. 

Madama. /. Madama; termo 
appropriado do francez, pa- 
ra designar senhora. Domi- 
na, ce. 



MAD 5 

Madaiueo. m. (p. Lima.) Ma- 
damismo; reunião de mui- 
tas senhoras. 

Madamisela. /. Rapariga ain- 
da muito nova, e que se in- 
culca já por senhora. Juve- 
nis femina munditiei affecta- 
trix. 

Madan. m. (hist.) Madau; pe- 
queno edificio nas princi- 
paes estradas do Indostão, 
para descanso dos viajantes. 

Madapolam. m. (com.) Mada- 
polam; tela de algodão que 
se fabrica na cidade d'este 
nome. 

Madaeia. /. (bot.) Madaria (seni 
jícllos); genero de plantas 
da familia das compostas. 

Madaeo. m. (zool.) jNIadaro (li- 
so, nú); genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos curculiónidos. 

Madaroglosa. /. (bot.) Madra- 
glossa (língua sem pellos); 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas senecioni- 
deas. 

jNIadarosis. /. (physiol.) Mada- 
rosis; queda do pello ou ca- 
bello, particularmente das 
pestanas. E urna especie de 
alopecia local. 

Madefaccion. /. (pharm.) Ma- 
defacção; operação que con- 
siste em humedecer certas 
substancias para a prepara- 
ção de medicamentos. 

Madeficar. a. (pharm.) Madc- 
ficar; humedecer uma sub- 
stancia. 

Madeja. /. Madeixa, negalho; 
porção de linha, lã, algodão 
ou seda, presa a uma aspa 
ou roda de tal maneira, que 
passada á dobadoira so pos- 
sa reduzir a novellos. Fila 
in longum convolnta: — ■ ma- 
deixa; porção de cabellos: 

— (fid-) riiadeixa; homem 
afeminado, frouxo, deslei- 
xado. Homo segnis, piger: 

— sin cuenda (fr.); nega- 
Ihos torcidos; qualquer cou- 
sa muito enredada ou em- 
baraçada. Bes implexa, im- 
plicata: — pessoa sem tom 
nem som nas suas cousas, 
palavras ou acções. Homo 
non sibi constans. Hacer ma- 
deja ó hacer hebra (fr.); fiar, 
correr lentamente; a^íplica- 
se aos licores ou xaropes 
espessos, quando escorrem. 



6 



MAD 



Beber la madeja (fr.) V. De- 
vanarla. Saber vender sns 
madejas; saber vender o scu 
peixe ; ter sagacidade, astu- 
cia e esperteza : — entrope- 
zada. ¿Quién te aspó, por 
qne vo te devanaba? (rif.); 
Madeixa embaraçada ¿Quem 
te fiou porque te não dobou? 
Applica-se áquelles que co- 
meçando alguma cousa a 
embaraçam, deixaudo-a pa- 
ra que outro tenha o traba- 
lho de a pôr em ordem. 

Madejeiros. m. pi. (art. p. 
Gal.) V. Cazoeira, Cazonal. 

Madejeta. /. dim. de Madeja. 

Madkra./. Madeira; todo o cor- 
po ligneo, paus e tabuado. 
Ligmim, i: — casco; unha de 
cavallo. TJngula, ce : — dei 
aire; pau do ar; pontas, cor- 
nos, chifres do animal: — 
en blanco ; madeira em bran- 
co; a que está trabalhada, 
mas sem pintura ou verni;í. 
Sangrar la madera; sangrar 
a arvoí-e; praticar- lhe umas 
incisões profundas , como 
succede com os pinheiros e 
mais arvores resinosas. Ar- 
borem incidere : — trompeta 
(bot.) V. Cecropia: — m. 
madeira; vinho da ilha da 
Madeira. 

Maderada./. Madeirada; reu- 
nião de muitos madeiros. 
Lignorum copia. 

Maderaje, m. Madeiramento; 
a madeira empregada n'um 
edificio, ou destinada para 
qualquer outro uso. Ligno- 
rum, trabium copia, conti- 
gvatio. 

Maderamen, m. V. Maderaje. 

Maderamiento. m. (ant.) V. 
Enmaderamiento. 

Maderar. a. (ant.) V. Enma- 
derar. 

Maderería./. Estancia de ma- 
deira. Talierna lignaria. 

Maderero, m. Estanceiro ; ho- 
mem que vende ou nego- 
ceia em madeira: — janga- 
deiro; o que se encarrega 
de conduzir as jangadas ou 
balsas pelos rios. lÀgnorvm. 
vector, asportator: — V. 
Carpintero. 

Maderico, llo, to. m. dim. de 
Madero. Pequeno madeiro. 

Maderista, m. (p. Ar.) "V. Ma- 
derero. 

Madero, m. Madeiro, tronco, 



MAD 

viga, lento, trave. Tignum, 
i: — de cuenta (natit.); pe- 
ças principaes, que consti- 
tuem a ossada de um na- 
vio. Primarice trabes in na- 
vi. Ser ?m madero (fr.); ser 
um madeiro, uma pedra; 
ser insensível a tudo quan- 
to ouve e vê. 

Maderüelo. m. dim. de Made- 
ro. Madeiro pequeno. 

Madgiar. adj. V. Magjiar. 

Madianita. adj. Madianita; 
diz-se do que é relativo ou 
pertencente á Madian: — 
s. madianita; o natural de 
Maclian. Os madianitas fo- 
ram pela maior parte ex- 
terminados por Moysés e 
Gedeáo. 

Madio. m. (arif.) Maio; o quin- 
to mez do anno. 

Madiós. (expr. ant.) V. Par 
Dios ó por Dios. 

Madona. /. Termo tirado do 
italiano que significa ima- 
gem da Virgem Mae. Em- 
prega-se algumas vezes, ca- 
pricliosamente, por senhora 
ou minha senhora. 

Mador, s. m. (med.) Especie 
de transpiração cutânea. 

Madoroso, adj. (med.) Húmi- 
do, humedecido. 

Madovino. m. Madovino; moe- 
da de oiro piemonteza. 

Madras, m. (com.) Madras; 
certo tecido de algodão e 
seda fabricado na índia. 

Madrastra. /. Madrasta; mu- 
lher casada com viiivo que 
tenha filhos do primeiro ma- 
trimonio. Noverca, (b: — 
(germ.) prisão, cárcere, ca- 
deia. Carcer, eris: — (fig.) 
madrasta; mãe que maltra- 
ta os filhos: — (fiff-) nfia- 
drasta; applica-se também 
á terra árida e ingrata, e 
em geral a. tudo que preju- 
dica ou incommoda. No- 
verca. 

MadrÁtidas. m. pi. (Jiist.) Ma- 
dratidas; individuos de uma 
dynnstia arfibe que reinou 
na Mauritania pelo espaço 
de 130 annos, e que foi des- 
truida nos principios do sé- 
culo X pelos fatimitas. 

Madraza. /. (fam.) Mãe mui- 
to condescendente, que dá 
excessivo mimo aos filhos. 
Mater filiis nimium indvl- 
gens. 



MAD 

Madre. /. Mãe; a mulher ou 
fêmea do animal, a respei- 
to do filho que pariu. JSla- 
ter. genetrix: — madre; ti- 
tulo que se dá ás religiosas 
professas. Mater: — regen- 
te, governante, directora; 
mulher que nos hospitaes e 
casas de Iiosjdícío ou reco- 
lhimento tem a seu cargo, 
em parte ou na totalidade, 
o go^■erno de taes habita- 
ções. Giibernafrix, icis: — 
(fig.) mãe; causa, origem de 
que alguma cousa procede, 
como: la ociosidad es madre 
de todos los vicio s ; a ocio- 
sidade é mãe de todos os ví- 
cios: — madre, útero, ma- 
triz; parte cm que as fêmeas 
concebem e alim.entam o fe- 
to. Matrix, icis: — madre; 
o leito do rio, dentro das 
margens. Alvevs, ei: — se- 
dimento, lia, pé, borra; a 
parte mais grossa e espessa 
do vinho ou do vinagre que 
assenta no fundo da cuba 
ou vasilha. Vini avt aceti 
sedimenivm: — mãe d'agua; 
a fonte d'onde ella nasce, 
ou o reservatório d'onde 
parte e se deriva pelos en- 
canamentos, canos meno- 
res ou secundarios. Incile, 
aqncedvctns primarias: — 
de leche. V. Nodriza: — pa- 
tria; mãe patria; o estado, 
em referencia á sua depen- 
dencia ou colonias: — políti- 
ca. V. Suegra, e alguns tam- 
bém assim chamam ámadras- 
ta:— señora. V. Abítela. Len- 
gua madre; linaua mãe; 
lingua d'onde outra se de- 
riva. Esa es, ó no es la ma- 
dre del cordero (fr. jam.) ; 
não vae por ahi o gato ás 
filhoses. Sacar de madre a 
alguno (fr. fg.); pôr em 
apuro, inquietar o animo de 
algnem, faze-lo perder a 
paciencia . Pamas madres 
(agr.); ríimos mestres; os 
ramos mais grossos de uma 
arvore: — (anat.) V. Ma- 
triz. Dura madre y piama- 
ter (anat.); duramater e 
piamater; duas das mem- 
branas que cobrem o ce- 
rebro: — (naut.) madre; 
principal madeiro sobre que 
se fundam e apoiam as de- 
mais partes de certas peças: 



MAD 

— de niños (med.); espe- 
cie de epilepsia; enfermi- 
dade parecida com a gotta 
coral. Ayaa madre (chim.); 
agua mile; agua salina e 
espessa que já nao pode 
crystallisar. 

Madkkar. n, (fctm.) Eepetir a 
voz de màe. as creancas. 

Madrecica, lla, ta. /. dim. de 
Madre. Máesiaha: — ovario 
das aves. Aviam m,atrix. 

Madkeclavo. m. Cravo da In- 
dia que fica dois annos so- 
bre a arvore. Caryopkili 
aromatici fructus. 

Madrenaga. /. (comm.) Madre- 
naga; especie de panno de 
algodào tecido com tio de 
palmeira, que se fabrica nas 
Philippinas. 

I\1adrexa. /. V. Almadreña. 

Madruperla. _/. (zool.J Madre- 
pei'ola; concha quasi redon- 
da, de quatro a seis polle- 
gadas de diámetro, escura e 
áspera pela parte externa, 
e nacarada pelo interior. 
Pertence a urna especie de 
molluscos do genero avicula. 

Madrépora. /. (zool.) Madré- 
pora; genero de jDolypeirus 
pedregosos e porosos, da di- 
visão dos lamelliformes ou 
subdendroides ramosoS; pró- 
prios das regiões intertropi- 
caes. 

Madrepórico, ca. adj. (mia.) 
Madrepórico; que contém 
madreporas. 

Madreporífero, ua. adj. (zool.J 
Madreporifero; que é abun- 
dante de madreporas. 

Madreporita. /. (mili.) Mad re- 
ponta; variedade de carbo- 
nato de cal de cor pardo es- 
cura, similhante ao coral, e 
que é resultado da crystal- 
lisaçào. 

Madrero, ra. adj. (fam.) Ma- 
dreiro, philomater; diz-se da 
creanca que anda sempre 
agarrado ou cosido á màe, 
e que muito a estima. j 

Madreselva. /. (hot.) Madre- | 
silva; genero de plantas da ¡ 
familia das caprifoliáceas, | 
apreciadas pela sua bonita ; 
folhagem e exeellente aroma i 
das flores. ! 

Madrigada. /. (ant.) Mulher j 
que pela segunda vez con- : 
trahiu matrimonio. Mulier \ 
bis nupta. \ 



MAD 

Madrigado, da. adj. Castiço; 
diz-se do touro e de outros 
aniniaes que já castiçaram. 
Taurusadriiitisarias : — (fig.) 
pratico e experimentado na 
copula. Callidas, versutas. 

Madrigal, m. (poet.) Madrigal ; 
composição poética em ver- 
sos endecasylabos entresa- 
chados com alguns heptisy- 
labüs. Ordinariamente é de 
pouca extensão, nao tanto 
como o epigramma, ao qual 
genero também pertence. 
Foematii genus: — madri- 
gal; peça composta para 
vozes sem acompanhamento, 
que esteve muito em voga 
desde o principio do xvi sé- 
culo até principios do sécu- 
lo xvii. 

Madrigalejo. m. dim. de Ma- 
drigal. Pequeno madrigal. 

Madrigalesco, ca. adj. Madri- 
galesco; applica-se ao es- 
tylo da musica dos madri- 
gaes. 

Madriguera. /. Madrigueira; 
toca, lapa, cova, onde se re- 
colhem os coelhos e alguns 
outros animaes. Cunicalus, 
i : — (fig.) toca, latibulo, es- 
conderijo; logar retirado e 
escondido, residencia degen- 
te de maus costumes e má 
vida. Latibulum, recessus. 

MadrileSo, KA. adj. Mudrilen- 
se; natural de Madrid: — 
Matritensis. 

Madrilla. /. (p. Ar.) V. Boga, 
peixe de rio. 

Madrillera. /. (p. Ar.) Appa- 
relho para pescar o peixe 
miúdo. Instrumentwm pisca- 
torium. 

Madrina. /. Madrinha; a mu- 
lher que leva uma creança 
á fonte baptismal. Lustralis 
mater: — madrinha; mulher 
que acompanha outra que 
vae tomar estado. Prónuba, 
ce: — madrinha, protectora; 
mulher que protege a al- 
guém em algum negocio ou 
pretensão. Fatrona, ce .• — 
V. Faidal, columna de ma- 
deira : — lançadeira, ou fia- 
dor de subjugar ; correia ou 
corda que une dois cavallos 
ou animaes de tiro para ca- 
minharem com igualdade. 
Lorum bijuges connectens: 
— (ant.) V. Madrastra. Al 
madrina, que eso ya me lo 



MAD 7 

sabia (rif.); isso é mais ve- 
lho que a sé, mais antigo 
que azeite e vinagre nas ten- 
das : — (naut.) V. Escora, na 
sua primeira accepçào : — 
escora, esteio, espeque ; peça 
com que se reforça ou fiima 
outra peça. 

Madriz. /. (ant.) Matriz, útero, 
madre : — (ant.) matriz, igre- 
ja, cidade principal : — logar 
em que a codorniz faz ninho, 
ou o sitio em que se cria o 
ouriço do mar quando está 
em terra. Ortygometra, echi- 
ncemetra: — (proü.) canal 
que conduz a agua para a 
irrigação das terras. 

Madrona. /. (fam.) Màe dema- 
siado carinhosa e condescen- 
dente pai'a os filhos. Indul- 
yeus nioiis mater: — (ant.) 
V. Matrona. 

Madroncillo, m. (iuus.) Moran- 
go. V. Fresa. 

Madroñal, m. Medronhal; lo- 
gar plantado de medronhei- 
ros. Ager arhutis consitas. 

Madroñera. /. V. Madroñal. 

Madronero. m. (Mure.) V. Ma- 
droño, arvore. 

Madroño, to. (bot.) Medronhei- 
ro ; genero de plantas da fa- 
milia das ericáceas, com va- 
rias especies arbóreas e ar- 
bustivas, todas perennaes : 
— medronho; fructo de me- 
dronheiro. Arbutum, i. 

Madronuelo. m. dim. de Ma- 
droño. Medronhosinho. 

Madrugada. /. Madrugada, al- 
va, aurora, diluculo. Dilu- 
culum, prima lux: — madru- 
gada ;~ acçào de madrugar. 
Antelucana de lecto surre- 
ctio. De madrugada (fr.); de 
madrugada, ao amanhecer, 
muito cedo. Frimo mane, 
prima luce. 

Madrugador, ra. s. Madruga- 
dor; o que madruga. Dilu- 
culo eviyilans. 

Madrugar, n. Madrugar, ma- 
tinar; levantar-se cedo, ao 
amanhecer. Primo, miãto 
mane sur gere: — (fig-) ma- 
drugar; antecipar-se para 
qualquer fim. Frceripere, 
anteverterè. No por mucho 
madrugar amanecemasaína, 
o mas temprano (fr.); nem 
por muito madrugar ama- 
nhece mais cedo. 

Madrugón, m. Grande madru- 



8 MAD 

gsida. Evigilatio, antelucana 
siirredio. 

Madruguero, ka. adj. (ant.) 
Madrugador ; que madruga, 
que se antecipa fora do cos- 
tume. Antelucana, pye.cox. 

Maduina. /. Maduina; moeda 
de oiro joiemonteza. 

Maduración, f. Maduração, sa- 
zonamento; acção e effeito 
de amadurecer. Maturatio, 
onis: — (med.) maturação; 
estado de um abcesso (jue 
caminha para sua madurez. 

Maduradero. to. Madureiro; 
logar próprio para amadu- 
recer as fructas. E synony- 
mo de Madurero. 

Madurador, ra. adj. Madura- 
dor; que amadurece ou faz 
amadurecer, v.ff., sol madu- 
rador. Maturans, . antis. 

Maduramente, adv. Madura- 
mente ; com madureza, atten- 
tamente, consideradamente. 
Frudcnter. 

Maduramiento. m. (ant.) V. 
Maduración: — (fig. ant.) 
perfeição, conclusão, bom 
êxito de algum negocio. 

Madurante.^, a. de Madurar. 
Maturans, antis. 

Madurar, o. Madurar, ma- 
turar, sazonar ; fazer ama- 
durecer os fructos. Também 
se usa como neutro. Matn- 
rare, maturescerc — (fig.) fa- 
zer as cousas maduramente, 
estudar um negocio, dirigi-lo 
de maneira que tenha bom 
êxito. Capta maturar e: — 
n. (fig.) amadurecer; crescer 
cm idade, juizo e pruden- 
cia. Ad maturitatem perve- 
nire : — a. (med.) madurar; 
amadurecer ¡Dor meio de 
agentes therapeuticos a for- 
mação do pus n'um abcesso. 
Coqiiere, ad maturitatem 
jjerducere. 

Madurativo, va. adj. Matura- 
tivo, maturante; que tem 
virtude de maturar. Matu- 
rans, antis: — m. (fig. fam.) 
correctivo ; meio que se ap- 
plica para abrandar e mo- 
derar a irritação de uma 
pessoa, dispondo-a a favor 
d'uma outra pessoa ou cou- 
sa. Tjenimentum, i : — adj. 
(pharm.) maturativo; qua- 
lificação dos tópicos que se 
usam para favorecer e ac- 
celerar a elaboração do pus 



MAE 

ou suppuração de um tu- 
mor: — maturativo; diz-se 
do estimulante que obra 
excitando as propriedades 
vitaes c reanimando as par- 
tes que carecem de vigor, 

Madurazox. /. (ant.) V. Ma- 
durez. 

Madurero. m. V. Maduradero, 

Madurez. /. jMadurez, madura- 
ção; estado do fructo maduro 
ou sazonado. Maturitas, atis : 
— (fiff-J circumspecção, siso, 
prudencia.ilfa¿M?-¿/«s,a/;¿s: — 
(fig.) perfeição de uma cousa. 
Maturitas, atis: — (med.) ma- 
durez, maturação; estado 
de um abcesso em que se 
formou completamente o pus. 

Madureza. /. (ant.) V. Ma- 
durez. 

Madurísimo, ma. oxlj. sup. de 
Madtiro. Maduríssimo. Ma- 
turissimíis, a, um. 

jNIadurgada. /. (ant.) V. }Ma- 
drugada. 

^Maduro, ra. adj. Maduro, ma- 
turo, sazonado; que attin- 
giu a madurez. Maturus, a, 
um: — (fig-) maduro, cir- 
cuiBspecto, judicioso, sabio, 
sisudo. MatuTus, a, um : — 
maduro, velho, idoso : — 
(fig.) maduro; diz-se do ne- 
gocio ou pi-etensâo que está 
em estado de dar o resulta- 
do que d'ella se espera. 

MÁes. adv. e conj. (ant.) V. 
Mas. 

Maesa. /. (zool.) V. Abeja 
maesa. 

Maese. m. (ant.) V. Maestro : 
■ — coral.Y. Juego de manos, 
por agilidade, etc. 

IMaesil. m. V. Maestril. 

Maeso. m. (ant.) V. Mc.ese. 

Maestat. /. (ant.) V. Majes- 
tad. 

Maestoso. adj. (mus.) Maes- 
toso ; termo italiano que si- 
gnifica magestoso, o qual 
junto a outro que marque o 
movimento, lhe dá um certo 
grau de lentidão mais pro- 
nunciado, e indica uma exe- 
cução grave, e assim se diz: 
andante maestoso; andante 
magestoso. 

Maestra. /. Mestra; mulher 
que ensmíi. Alagistr a, prae- 
ceptrix: — mestra; mulher 
de qualquer mestre. Magis- 
tri, opi fieis uxor : — (zool.) 
V. Abeja maestra : — mestra; 



MAE 

tudo que instrue ou ensina, 
como: la historia es maes- 
tra de la vida ; a historia é 
a mestra da vida. Magistra, 
ce: — i^l. (naut. ant.) mes- 
tras; as velas maiores. 

Mães IRADAMENTE, adv. m. 
(ant.) Destramente, ames- 
tradamente, engenhosamen- 
te. Dextere, affabre. 

Maestkadgo. m. (ant.)Y. Maes- 
trazgo. 

íMaestrado, da. adj. (ant.) 
Amestrado, dextro, ensina- 
do, artificioso. Dester, calli- 
dus. 

Maestraje, m. (ant.)Y. Maes- 
tria, na accepção de mestre 
de navio. 

Maestral, m. V. Maestril : — 
adj. magistral; de mestre ou 
magisterio. Ad equestris or- 
ãinis prKfectwn seu prce- 
fecturam pertinens : — (aiif.) 
V. j\[aji.'¡tral : — (mar.) V. 
Noroeste no Mediterrâneo. 
Corus, i. 

jMaestralizar. n.(iHar.) V. No- 
roestear no Mediterrâneo. 
In corum declinare. 

Maestramente, adv. (ant.) Ma- 
gistralmente ; como mestre. 
IDextere. 

Maestrante. m. Cavalleiro que 
pertence a alguma das so- 
ciedades reaes de cavallaria 
ou de equitação. Cvjnsdam 
ordinis equestris sodalis. 

Maestranza./. Mestrança; reu- 
nião de operários destinados 
nos arsenaes á construcção 
e reparo das embarcações 
ou de seus apetrechos. Na- 
valium opificum socictas : — 
sociedade real de cavalleiros, 
cujo instituto é exercitarem- 
se no manejo e destreza dos 
cavallos. Equestris ordo qui- 
dam : — (ant.) armazém ; lo- 
gar de um arsenal em que es- 
tão as madeiras, cabos, lo- 
nas e mais objectos Nava- 
lium armamentorum offi- 
cina : — (mil.) officina ; casa 
onde se fazem ou concertam 
armas e objectos correspon- 
dentes ao material de guer- 
ra : — local ou edificio que 
occupam estas officinas. 

Maestrar. a. (ant.) V. Amaes- 
trar. 

Maestrazgo. ?n. Mestrado ; di- 
gnidade de mestre em qual- 
quer das ordeug militares. 



MAE 

Equestris ordinis prcefe- 
ctura: — commcndas rnafyís- 
traes; territorio da jurisdic- 
çào do mestre. Equestris or- 
dinis prcpfedi ditio : — (ant.) 
qualidade, exercício de mos- 
tre, especialmente em arte. 
Fabrile magisferium. 
Maestrk. m. Mestre ; o supe- 
rior de qualquer ordem mi- 
litar. ^gMCs/j-i-s ordinis prce- 
fectus: — (ant.) mestre, pre- 
ceptor : — coral. V. Jaego de 
manos, por agilidade, etc. : 

— data (ant.); notario, es- 
crivão : — ó maestro de hos- 
tal (hist.); vedor; na casa 
real de Aragão era o indi- 
viduo que cuidava do go- 
verno ecoi\oxmQ.o.CEconomus: 

— de campo (mil.); mestre 
de campo, hoje coronel ; — 
de campo general; mestre 
de campo general ; official 
superior da milicia a quem 
se confiava o commando dos 
exércitos. Legatns, i : — de 
jarcia (nant.); mestre: o 
que tem á sua conta o appa- 
relho e velame dos navios. 
Navis armamentorum prce- 
fectus : — de raciones ó de 
viveres; despenseiro do na- 
vio. Gran mestre ; grâo- 
mestre ; chefe ou cabeça de 
differentes corpos ou ordens. 
Magister. 

Maestrear, a. (ant.) Assistir, 
ou entender, com outros, em 
alguma cousa como mestre. 
Rei tanquam magistmm 
adesse: — 71. (fam.) dogma- 
tisar ; fazer de mestre. Ma- 
gistmm sese jactare, magis- 
tri instar agere : — (agr.) 
descarregar; alliviar a vi- 
nha, deixando ao sarmento 
um palmo de comprido, para 
o preservar das geadas até 
que chegue o tempo de se 
podar. Vites, pahnipedati 
palmite relicto, putar e : — 
(arf.) nivelar alguma pare- 
de ou tabique. Parietem ad 
lihellam diicere, erigere : — 
(nant.) V. Maestralizar. 

AÍaestreciomar. VI. (ant.) V. 
Jvego de manos, por agili- 
dade, etc. 

Maestreescuela, m. V. Maes- 
trescuela,. 

Maestrepasquix. m. (ant.) V. 
Pasquin. 

Maestresai-a. m. (ant.) Mes- 



MAE 

tre-sala, trinchante ; domes- 
tico que assistia á mesa 
de um fidalgo, trinchava as 
iguarias, e as servia aos 
commensaes. tJsava para 
com o amo a cerimonia de 
prova-las primeiro á mesa 
para o certificar de que nâo 
estavam envenenadas. Mejí- 
Srt? straetor, p)rcegi(stator. 

Maestrescolía. /. Mestre-esco- 
lado ; dignidade de mestre- 
escola. Gyrnnasiarchce mti- 
nus. 

Maestrescuela, m. Mestre-es- 
cola ; dignidade de algumas 
igrejas cathedraes, que anti- 
gamente ensinavam as scien- 
cias ecclesiasticas. Scholce 
prcefeetus : — V. Cancelario 
em algumas universidades. 

Maestria. /. Mestria, habili- 
dade, saber. Ars, industria, 
peritia: — magisterio; en- 
tre os regulares a quali- 
dade de mestre. Magiste- 
rium, ii : — ofíicio de mes- 
tre nas embarcações. Ques- 
tura , annonce prcefectura 
in navihus : — (ant.) engano, 
estratagema. Dolus, falla- 
da : — (ant.) remedio, me- 
dicina : — (ant.) machina, 
engenho bellico : — de la 
cámara (ant.); emprego e 
officio no palacio real. Offi- 
cium quoddam domas an- 
gu stoi. 

Maestril. m. (agr.) Cellula de 
favo de mel, no interior da 
qual se transforma em inse- 
cto a larva da abelha. Al- 
vearii cellula, qua apis fe- 
mina; larva metamorphosin 
subit. 

Maestrillo. m. dim. de Maes- 
tro. Mestresinho. Cada maes- 
trillo tiene su librillo (rif); 
cada qual tem seu pensp.r. 

Maestro, m. Mestre, professor;' 
o que ensina alguma arte 
ou sciencia. Magister, tri: 
mestre; o individuo que em 
algum officio mechanico era 
approvado, e o exercia pu- 
blicnmcnte. Fabriles operes 
rite exercens : — mestre; ar- 
tista que emprega alguns 
oíEciaes por sua contíi, ou 
trabalha sobre si. Fabriles 
operes rite exercens: — mes- 
tre; pratico e versado em 
qualquer materia. Exper- 
tas, peritus : — doutor ; in- 



MAE 9 

dividuo que tem o grau su- 
perior em philosophia, con- 
ferido por alguma universi- 
dade. Magister, tri: — maes- 
tro; musico compositor; co-* 
mo: Rossini es un maestro ; 
liossini é um maestro : — 
mestre; titulo com que nas 
oídeiis religiosas se galar- 
doavam os religiosos bene- 
méritos, ou quando se llies 
concedia o cargo de ensi- 
nar, chamando-se-lhes pa- 
dres mestres. Magister, tri : 

— (ant.) V. Cirujano: — 
mestre; ajDplica-se particu- 
larmente aos grandes pin- 
tores que têem illustrado 
as escolas. Magister, tri: — 

— adj. mestre, mestra; tem 
applicação a certas obras ou 
artefactos, que jior serem 
principaes, ou acabados com 
perfeição e artificio, se re- 
putam notáveis em seu ge- 
nero: — (fig-) mestre; ap- 
plica-se ao irracional ades- 
trado, como perro maestro, 
halcón maestro; cão mestre, 
falcão mestre, etc. Edoctus, 
mansuefactus , domini nufi- 
bus parens : — m. (ant.) mes- 
tre, gran-mestre de alguma 
ordem militar: — aguañón; 
official encarregado das 
aguas e fontes, que sabe a 
hydraulica. Hydraulicce ar- 
tis p>eritus: — ai cémbalo; 
ensaiador; o que dirige os 
actores ou a orchestra nos 
ensaios : — de altas obras. 
V. Verdugo: — de armas; 
mestre de esgrima. Lanista, 
Cd: — de capilla; mestre de 
capella; professor de musi- 
ca, compositor d'esta para 
os templos, e o que nas func- 
ções da igreja dirige os mú- 
sicos e cantores batendo o 
compasso. Chori magister: 

— de ceremonias ; mestre de 
ceremonias; individuo que 
nos templos regula as cere- 
monias segundo o ritual. Ri- 
tuiim magister: — de cocina; 
mestre de cozinha, ou mostre 
cozinheiro. Coquorum ma- 
gister, pro'fectus : — de es- 
cuela; mestre de escola, 
mestre de meninos, a que 
hoje se chama mestre ou 
professor de instrucção pri- 
maria. Imdimagister , tri : 

— de hacha; carpinteiro de 



10 



MAa 



macliado : — ãe. liomias y 
roturas. V. Ilernista: — ãel 
sacro palacio ; mestre do sa- 
cro palacio; empregado do 
Ijalacio pontificio, que tem 
a seu cargo o exame dos li- 
vros que hão de ser publi- 
cados. Magister sacri pala- 
tii: — de la nave. V. Pilo- 
to : — de llagas. V. Ciru- 
jano : — de novicios ; mes- 
tre de noviços; religioso que 
nas communidades dirigia e 
ensinava os noviços. Novi- 
tiorum majister aptid cceno- 
hitas : — de obras ; mestre 
de obras; o que cuida da parte 
material da construcção 
de um edificio sob o plano 
de um arcliitecto : — en ar- 
tes ; mestre em artes; titulo 
que se dá ao que obtem o 
grau maior de philosophia. 
Philosophice doctor : — üs- 
iñritual. V. Director espiri- 
tual : — mayor; piúmeiro ar- 
chitecto. Architectus publi- 
cus : — racional (ant.p. Ar.J 
ministro das finanças cu da 
fazenda. Al maestro cu- 
chillada (fam.); mestre das 
catanadas ; usa-sc esta ex- 
pressão quando se emenda 
cu corrige alguém que pre- 
sume saber ou entender 
de uma cousa. El ejercicio 
hace maestro (jr.); usa e se- 
rás mestre/ — mestre ; em 
geral é todo o chefe de iim 
estabelecimento artístico. 
Magister, tri : — (naiit.) 
mastro mestre de uma em- 
barcação : — mayor de la 
fábrica de navios ; enge- 
nheiro naval, ou director das 
construcções marítimas : — 
de vela ; mestre de velas ; 
aquelle que as corta e sabe 
mandar fazer. 

Maforte. m. (ant.) Toucado 
proi)rio das mulheres casa- 
das e das viuvas religiosas: 
— especie de capa ou chla- 
myde que usavam os mon- 
jes egypcios, que lhes cobria 
o collo e as costas. 

Magacen. m. (ant.) V. Alma- 
cén. 

Magada. /. (mus.) V. Maga- 
dis. 

Magadaña./, (ant.) Phaiitasma, 
espantalho. 

Magadis. /. (mus. ant.) Maga- 
dis; lyra de vinte cordas 



MAG 

afinadas em oitava de duas 
cm duas, usada entre os 
gregos. 
Magallana. /. (bot.) Magal- 
lana ; genero de plantas da 
familia das tropeoleas. 
Maganel. m. (ant.) Maganello; 
machina de guerra própria 
para bater muralhas. Belli- 
ciim quoddam tormentum op- 
pugnando aptiim. 
Maganto, ta. adj. (ant.) Me- 
lancólico, doente. Moestus, 
a, um. 
BIagaña./. (ant.) Escaravalho; 
falta de continuidade que 
fica no interior da peça 
de artilheria por ter sido 
mal fundida. JEnei tormenti 
bellici prava conflati sca- 
bredo interior: — (ant.) as- 
tucia, dolo, ardil. Insidice, 
dolus. 
Magae. (conj. ant.) V. Aunque: 
— m. magar ; nome dado a 
certos mágicos de Mingrelia. 
Magarzuela. /. (bot.) V. Man- 
zanilla hedionda. 
IMagdalena. /. Bolo composto 
de assucar, summo de li- 
mão, farinha, ovos, e mais 
substancias. 
Magdalenitas. /. ^jZ. (rel.)M.ai- 
gdalenitas; religiosas que se 
dedicavam á conversão das 
pessoas de sexo feminino, 
que já tinham perdido o 
pudor. 
Magdaleon. m. (pharm.) Ma- 
gdaleào; nome dos medica- 
mentos que se conservam 
enrolados á maneira de cy- 
lindros, e particularmente 
dos emplastros e das mas- 
sas pilulares. Magdalides, 
magdalia. 
Magee. (conj. ant.)V. Aunque. 
Magha.to. (chron.) Magha; no- 
me do primeiro mez dos ín- 
dios. 
IMagia, Mágica. /. Magia, ma- 
gica ; sciencia ou arte Hup- 
posta que ensina a obrar 
cousas prodigiosas: — (fig-) 
magia, fascinação, presti- 
gios, encanto de alguma pes- 
soa ou cousa : — blanca ó na- 
tural ; magica branca ou 
natural ; a que com o auxi- 
lio de causas naturaes obra 
offeitos extraordinarios e 
surprehendentcs, que á pri- 
meira vista parecem sobre- 
naturaes. Natíiralis magia : 



MAa 

— negra ; magica negra ou 
diabólica; arte supersticio- 
sa e abominável que pre- 
tende illudir o vulgo, fa- 
zendo-o crer que com o au- 
xilio ou intervenção dos es- 
píritos infernaes se pode go- 
sar tudo, por mais dífficil e 
extraordinario que seja. Su- 
perstitiosa magia. 
MÁGICA. /. V. Magia. 
Mágico, ca. adj. Magico ; per- 
tencente á magia. Magicus, 
a, um: — (jig.) magico, ma- 
ravilhoso, extraordinario, so- 
brenatural : — m. magico, 
encantador, mago. Magus, 
incantator. Linterna mági- 
ca. V. Linterna. 
Magidáride. m. (bot.) Magída- 
ride ; genero de plantas da 
família das umbellíferas. 
Magiella. /. (arit.) V. Mejilla. 
Magilo. m. (zool.) Magilo ; ge- 
nero de moUuscos gasteropo- 
das. 
Magilla. /. (ant.) V. Mejilla. 
Magín, m. (fam.) V. Imagina- 
ción : — entendimento, juizo. 
Magines, m. pi. (ant.) V. Lná- 

genes. 
Magismo, m. (philos.) Magis- 
mo ; doutrina dos sacerdo- 
tes da antiga Pérsia. 
Magisterial, adj. Magistral ; 
que pertence ao magisterio. 
Ad magistcrium j)ertinens. 
Magisterio, m. Magisterio ; 
exercício, sciencia de mes- 
tre em relação aos seus dis- 
cípulos. Magislerium, ii: — 
magisterio ; qualidade ou 
grau de professor que se 
confere em alguma faculda- 
ãe.Magisterium,magisfridi- 
gnitas, gradus: — magiste- 
rio ; corpo collectivo dos mes- 
ti-es ou professores : — (fiff-) 
gravidade aííectada e pre- 
sumpçosa no que se faz ou 
aconselha. Affcctata gravi- 
tas: — (pharm. e chim.) ma- 
gisterio; nome com que an- 
tigamente se designavam 
os compostos, ]3rincipalmen- 
te mineraes, a que se attri- 
buiam virtudes superiores, 
e cuja preparação era feita 
secretamente nas boticas : — 
V. Precipitado: — de azu- 
fre; enxofre obtido pela pre- 
cipitação de um sulphureto: 
— de bismuto; magisterio de 
bismutho, sub-nitrato de bis- 



MAG 

inutho: — de jalapa; ma- 
gisterio de jalapa; resina de 
jalapa. 

Magistrado, m. Magistrado; 
toda a pessoa revestida da 
auctoridade publica com po- 
der e jurisdiceão. Magistra- 
tus, us: — (a7if.) magistra- 
tura; dignidade ou emjare- 
go de magistado. Magistra- 
tus, lis: — magistratura: cor- 
leo, assembléa, conselho dos 
magistrados. Magistratus : 
— qualquer tribunal. Sena- 
tus, US. Magistrados extraor- 
dinarios {hist.); magistra- 
dos extraordinarios; os que 
se creavam em Roma em 
circumstancias anormaes, 
como os dictadoi'es: — mayo- 
res; magistrados maiores; 
os nomeados nos comicios 
por centurias, como os cón- 
sules e os ¡pretores : — me- 
nores; magistrados meno- 
res; os de auctoridade limi- 
tada, e nomeados nos comi- 
cios por tribus, como os tri- 
bunos: — ordinarios; ma- 
gistrados ordinarios; os que 
persistem era todo o tempo 
para a policia e administra- 
ção das cidades, como os pre- 
tores e tribunos. 

Magistral, adj. Magistral; de 
mestre. Magistralis, le: — 
magistral, decisivo, fallando 
do tom ou maneira de deci- 
dir: — magistral; appli- 
ca-se a um dos quatro ca- 
nonicatos de officio, cujo em- 
prego é pregar. JSlagistra- 
lis: — m. individuo que ob- 
tém o canonicato chamado 
magistral: — (pJiarm.) ma- 
gistral; bebida auti-vene- 
rea. Composiciones magis- 
trales; composições magis- 
traes; as preparações que o 
boticario deve preparar na 
própria occasião, á vista da 
receita. 

I^Iagistralmente. adv. m. Ma- 
gistralmente; com mestria, 
como mestre. Ut magistrum 
decet : — magistralmente ; 
em tom imperioso. 

Magistratura. /. Magistratu- 
ra; cargo, dignidade de ma- 
gistrado. Magistratus na- 
mus, di guitas: — magistra- 
tura; o tempo que dura o 
cargo de magistrado : — ma- 
gistratura; corpo, classe de 



MAG 

magistrados: — magistra- 
tura; a carreira da toga. 

jMagma./. (chim.) Magma ; mas- 
sa espessa e gelatinosa: — 
magma; linimento espesso, 
que apenas contém liquido 
para evitar d'esta maneira 
que se estenda e que escor- 
ra quando se applica: — 
magma; sedimento ou ma- 
teria espessa que fica de- 
pois de espremidas as par- 
tes mais fluidas de alguma 
substancia. 

Magna, m. (ant.) V. Maná. 

Magnala. /. (xihys.) Magnala; 
o supposto espirito da agua. 

Magnánimamente, adv. m. Ma- 
gnánimamente; de um modo 
magnánimo. Magno animo. 

Magnanimidad./. Magnanimi- 
dade, grandeza de animo. 
Magnanimitas , atis. 

Magnánimo, ma. adj. Magná- 
nimo, generoso, liberal, de 
alma grande. Magnanimus, 
a, um. 

Magnate, m. ]\Iagnate, gran- 
de, potentado; pessoa illus- 
tre, principal ou influente 
de alguma cidade, provin- 
cia ou reino. Usa-se com- 
mummente no plural. Pro- 
cer, óptimas. 

Magnesia. /, (chim.) Magne- 
sia; especie de terra bran- 
ca, alcalina e pulverulenta, 
leve, insípida, insolúvel na 
agua, solúvel nos ácidos, 
que se usa na medicina. Ma- 
gnesia, lactenm: — (ant.) 
magnesia; entre os alchi- 
inistas se chamava assim ;l 
pedra dos sabios ou ao mer- 
curio philosophal: — magne- 
sia; uma das oito terras 
cruas por largo tempo pri- 
mitivas, que boje se conhece 
ser o oxydo de magnesio. 

Magnésico, ca. adj. (chim.) Ma- 
gnesiano, magnésico; deno- 
minação das preparações 
que têem por base a ma- 
gnesia: — magnesiano; da 
magnesia. 

IMagnesio. m. (chim.) Magne- 
sio; metal sollido, branco, 
parecido com a prata, duro, 
brilhante, que entre outras 
pi'opriedaees tem a virtude 
de decompor a agua á tem- 
peratura ordinaria, e pro- 
duz a magnesia, combinan- 
do-se com o oxygenio. 



MAG 



11 



Magnesita. /. (min.) Magnesi- 
ta; tri-silicato de magnesia 
hydratado, que vulgarmen- 
te se conhece pelo nome de 
esjjuma do mar. 

Magneta. /. (ant. phys.) Ma- 
gneto, pedra imán, bússola. 

Magnéticamente, adv. m. Ma- 
gneticamente; de uma ma- 
neira magnética. 

Magnético, ca. adj. (phys.) Ma- 
gnético ; relativo ou perten- 
cente á pedra imán ou ao 
magnetismo. Magneticus, a, 
um. Acimuth magnético; azi- 
niuth magnético ; medida da 
declinação magnética. Agu- 
ja magnética; agulha ma- 
gnética; barrinha de aço to- 
cada pelo imán, por meio 
do qual adquiriu proprie- 
dades magnéticas. Atracción 
magnética; attracção ma- 
gnética ; propriedade que 
possue o imán de attrahir o 
ferro e o aço. Corriente ma- 
gnética:, corrente magnéti- 
ca. V. Corriente. Emplasto 
magnético ; emplastro ma- 
gnético; emplastro que usa- 
vam os antigos, que tinha 
por base um mixto de iguaes 
partes de enxofre, antimo- 
nio e arsénico. Ecuador ma- 
gnético. V. Ecuador. Flui- 
do magnético. V. Fluido. 
Maridiano magnético; me- 
ridiano magnético ; plano 
perpendicular á direcção da 
agulha magnética. Sueño 
magnético; somno magnéti- 
co; estado de um individuo 
que se adormece pela in- 
fluencia do magnetisador. 
Torbellino magnético; tur- 
bilhão magnético; materia 
magnética que se despren- 
de dos polos do ¡man, e em 
virtude da qual um corpo é 
impellido a unir-se com ou- 
tro que tem menos facili- 
dade para mover-se : — (fiff-) 
magnético, sympathico. 

Magnetismo, m. (phys.) Magne- 
tismo; propriedade que o 
imán possue de attrahir o 
aço e o ferro. Magnética vis, 
virius: — magnetismo; gru- 
po de phenomenos resultan- 
tes da propriedade magné- 
tica do imán; — animal; 
magnetismo animal; influen- 
cia reciproca que se exerce 
entre alguns individuos, em 



12 



MAO 



virtude da liarLoouia de re- 
lações que se estabelece, já 
pela sensibilidade physica, 
já pela vontade ou pela ima- 
ginação, em que os priuci- 
paes phenomenos sào a so- 
nolência, o somnambulismo 
e ura estado convulsivo: — 
terrestre; magnetismo ter- 
restre; acção que parece 
exercer a terra sobre a agu- 
lha magnética, consideran- 
do o nosso globo como um 
grande iman de polus op- 
postos. 

Magnetización. /, (phys.) Ma- 
gnetisaçào; acçào de ma- 
gnetisar ou dar a virtude 
magnética ao ferro, friccio- 
nando-o contra o iman: — 
raagnetisação; acç^lo de ma- 
gnetisar uma pessoa ou um 
animal: — maguetisaçào ; es- 
tado de uma pessoa ou cousa 
magnetisada: — magnetisa- 
ção; influencia exercida vo- 
luntaria ou involuntaria- 
mente por um individuo em 
outro. 

Magnetizado, da. adj. Magne- 
tisado; que soffreu a magne- 
tisação. 

Magnetizador, ra. s. Magne- 
tisador; o que maguetisa. 

Magnetizar, a (phys.) Magne- 
tisar; communicar, pôr em 
acção o fluido magnético, 
fazendo com que se desen- 
volva n'algum corpo, como 
succede com o ferro. Ferro 
magneticam vim infundere: 
— V. Imantar. 

Magnetofenia. /. (phys.) Ma- 
gnetophenia; parte da pby- 
sica que trata dos phenome- 
nos ou efíeitos magnéticos. 

Magnetofónico, ca. adj. (phys.) 
Magnetopheuico ; pertencen- 
te ou relativo á magneto- 
phenia. 

Magnetóideo, dea. adj. (phys.) 
Magnetoideo ; relativo ou 
pertencente á magneitoides. 

Magnbtoides./. (phys.) Magne- 
toides; divisão da magneto- 
logia, que comprehende iu- 
dos os factos que apresentam 
grande analogia com os phe- 
nomenos magnéticos, mas 
sem identidade com estes. 

Magnetojenia. /. (phys.) Ma- 
gnetogenia; parte da phy.si- 
ca que trata da producçào 
dos efifeitos magnéticos. 



MAG 

Magnetojénico, ca. adj. (phys.) 
Magnetogenico; relativo ou 
Ijertencenteámagnetogenia. 

Magnetólogo. m. (phys.) Ma- 
gnetologo; pessoa que se de- 
dica á magnetologia, ou que 
é versado n'este ramo de 
sciencia. 

Magnetolojia. /. (phys.) Ma- 
gnetologia; tratado acerca 
do iman e do magnetismo: 
— magnetologia; nome ge- 
nérico que comprehende a 
sciencia do magnetismo ani- 
mal, seus meios, resultados, 
causas e effeitos. 

MagnetolÓjico, ca. adj. (phys.) 
Magnetologico; relativo ou 
pertencente á magnetologia. 

Magnetómetro. m. (phys.) Ma- 
gnetometro; apparelho para 
dar a conhecer e comparar 
as forças attractivas das di- 
versas classes de imans ou 
magnetes. 

Magnetoteckia. /. (phys.) Ma- 
guetotechnia; parte daphy- 
sica que trata das operações 
e instrumentos usados para 
artificialmente produzir o 
estado magnético. 

Mágnetotècisico, CÁ.adj.(2)hys.) 
Magnetotechnico; jDerteu- 
cente ou relativo á magne- 
totechnia. 

Magníficamente, adv. m. Ma- 
gnificamente, cora magnifi- 
cencia, sumptuosa, esplen- 
didamente. Maynifice. 

Magnificar, a. Magnificar, en- 
grandecer, exaltar. Magaiji- 
care, laudibus extollere: — 
(phys.) magnificar; em ópti- 
ca significa o mesmo que 
augmentar, exagerar. 

Magníficat, m.. (rei.) Magnífi- 
cat; cântico da Virgem, as- 
sim chamado por começar 
por este termo latino. Ma- 
gníficat. 

Magnificencia. /. Magnificen- 
cia, generosidade, munificen- 
cia. Magnificenfia , ce : — ma- 
gnificencia, pompa, sumptuo- 
sidade. Magnificentia, ce. 

Magnífico, ca. adj. Magnifico, 
esplendido, pomposo, llhis- 
tris: — magnifico, escellen- 
te; a proposito para o fim 
que se deseja: — magnifico; 
perfeito, de mérito extraor- 
dinario. Magníficos señores 
(hist.); magníficos senhores; 
titulo de honra e de digni- 



MAG 

dade que no século v foi 
outorgado exclusivamente 
aos patricios. Magnificus : — 
magnifico; titulo conferido ao 
soberano conselho de algu- 
mas republicas suistas. Au- 
toridad magnífica; auctori- 
dade magnifica; titulo ho- 
norifico que os imperadores 
romanos concediam a seus 
fuuccionarios. Magnificus. 

Magnílocuo, cua. adj. (ant.) V. 
Grandílocuo : — magniloco, 
grandisono, sublime. 

Magnitud./. Magnitude; gran- 
deza, volume de algum cor- 
po. Magnitudo, inis: — ma- 
gnitude; grandeza respecti- 
va das estrellas. Magnitu- 
do, inis: — (fig.) magnitude, 
grandeza, diguidade.ilia^'íií- 
tudo, inis:— de un eclipse; 
magnitude de um eclipse, 
grandeza de um eclipse; par- 
te eclipsada de um astro, do 
sol ou da lua. Magnitudes 
comcnsarables ; magnitudes 
commensuraveis; grandezas 
em que se podem calcular 
suas relações ou proporções: 
— incomensurahles ó irra- 
cionales; magnitudes incom- 
mensuraveis ou irracionaes; 
aquellas c]ue se não podem 
medir ou calcular. 

Magno, na. adj. Magno, ma- 
nho, grande. Usa-se como 
epitheto applicado a algu- 
mas pessoas illustres; como: 
Alejandro Magno; Alexan- 
dre Magno.V. Grande: — m. 
(p. Perú.) especie de concha 
de cochonilha silvestre, que 
se emprega na tinturaria. 

Magnolia. /. (hot.) Magnolia ; 
genero de plantas da fami- 
lia das magnoliáceas, com 
varias especies arbóreas no- 
táveis pela belleza de suas 
folhas e flores. 

Magnoliáceas./, pl. (bot.) Ma- 
gnoliáceas; familia de plan- 
tas dicotyledoueas polijae- 
talas. 

Mago, ca. adj., s. Mago, ma- 
gico, feiticeiro. Magus, in- 
cantator: — mago, sabio; 
applica-se aos antigos sa- 
bios e philosophos do Orien- 
te: — magos; commummen- 
te serve para designar os 
tres reis, que foram adorar 
Jesus Christo recemnascido. 
Magus, i. 



MAG 

Magofonia./. (hisí. ant.J Mago- 
pliouia; festa celebrada pe- 
los persas em memoria da 
matança dos magos e do fal- 
so Esmerdis por sete senho- 
res persas, 521 annos antes 
de Jesus Christo. 

Magonia. /. (bot.) Magonia; 
genero de plantas da fami- 
lia das sapiudaceas. 

Magostar, a. fp. Gal. e Leão.) 
Fazer um magusto. 

Magosto, m. (j). Gal. e Leão.J 
Magusto; merenda de cas- 
tanhas assadas na fogueira. 

IMagra./. Fatia, posta de pre- 
sunto. Pernve porcince frus- 
tum. 

Magkafe. m. (mus. ant.) Ma- 
grafe; instrumento de vento 
dos hebreus, 

Magrecer. a. (ant.J V. Enma- 
grecer. Também se usa co- 
mo reciproco e neutro. 

Magkedina. /. (comm.) Magre- 
dina; tela de algodão que se 
fabrica no Oriente. 

Magrez./. (ant.J Magreza, em- 
magrecimento. Macies, ei. 

Magreza. /. (ant.J V. Magrez. 

Magkica, lla, ta. /. dim. de 
Magra. Fatiasinba de pre- 
sunto. 

Magriço, ca, llo, lla, to, ta. 
adj. dim. de Magro. Magri- 
nho, magrosinho. 

Magro, gra. adj. Magro, des- 
carnado, secco. Macer, era, 
crum. 

Magrujo, ja. adj. (ant.J V. Ma- 
gro. 

Magrura./. V. Magrez. 

Magua./, (p. Cub.J V. Chasco. 

Maguab. (covj. ant.J V. Aun- 
que. 

Maguarse, r. (p. Ciib. e Cana- 
rias.J Enfadar-se ¡jor algum 
chasco. 

Maguer, Mahüera. (conj. ant.J 
V. Aunque: — que(conj. ant.J 
Y. Aunque. 

Maguera, (conj. ant.J V. Ma- 
guer. 

Magüeto, ta. adj. (prov.J V. 
Novillo. 

Maguey, m. (hot.J V. Abrica. 

Maguillo, m. (bot.) Macieira 
silvestre que em Murcia e 
Granada costumam enxer- 
tar. 

Magujo. m. (art.J Magujo; in- 
strumento de ferro para ti- 
rar a estopa velha e antiga 
das juntas do casco e cober- 



MAH 

tas da embarcação. Uncus 
ferreus nauticus. 

Maguladura. /. (a7it.J V. Ma- 
gulladura. 

Magular. a.(ant.JY. Magullar. 

Magulla. /. (ant.J V. Magu- 
lladura. 

Magulladura. /. Magoadura, 
pisadura, contusão, nódoa 
negra. Suggillatio, anis. 

Magullamiento, m. Magomen- 
to ; acção e efíeito de magoar, 
de pisar. Suggillatio, contii- 
sio. 

Magullar, a. Magoar, pisar; 
bater ou comprimir violen- 
tamente um corpo, fazendo- 
Ihe contusão sem solução de 
continuidade. Suggillare, 
contundere. 

Maguyar. (conj. ant.J V. Aun- 
que. 

Mahabarata. m. (litt.) Maha- 
barata; grande epopéa san- 
scripta, que tem por assum- 
to as guerras dos koros e 
dos bandos, descendentes de 
Bharata, principe da dynas- 
tia lunar. 

Mahabub. m. Mahabub; moeda 
de oiro de Tripoli e de Tu- 
nes : — d zequi mahabub; ma- 
habub ou zequi mahabub; 
moeda de prata do Egypto. 

Maha-Omarat. m. (hist.J Ma- 
ha-Omarat; titulo do minis- 
tro.encarregado de represen- 
tar o rei de Siam durante 
a sua ausencia. 

Maharactri. m. Maharactri; 
nome de um dialecto espe- 
cial de que se servem os 
poetas indios modernos. 

Maharam. ?h. (chroa.) Maha- 
ram ; primeiro dos mezes per- 
sas: — niez dos árabes cor- 
respondente ao nosso setem- 
bro. 

Maiiaratas. m. p)l. (hist.J V. 
Mahratas. 

Maharon, na. adj. (ant.J Infe- 
liz, desditoso, miserável. In- 
felix, miser. 

Maherimiento. m. (ant.J Pre- 
paração, preparamento; ac- 
ção e effeito de preparar ou 
previnir alguma cousa. Ap- 
paratus, commeatvs. 

Maherir. a. (ant.J Prevenir, 
antecipar alguma cousa. Pa- 
ratum hahere. 

Mahernia. /. (bot.J Mahernia; 
genero de plantas da fami- 
lia das byttneriaceas. 



MAI 



13 



Mahesvabi. m. (hist.J Mahes- 
vari; individuo de uma seita 
religiosa no Indostão, ramo 
da seita dos tíivaitas. 

Mahmudl m. Mahmudi; moe- 
da de prata e de oiro na 
Turquia. 

Mahometano, m. Mahometano; 
sectario da seita de Mafo- 
ma. Mahometanus: — adj. 
mahometano; pertencente a 
Mafoma ou á sua seita. 
Mahometanus, a, um. Año 
mahometano (chron.J; anno 
mahometano; anno lunar, 
que principia no anniversa- 
rio da Hégira, e que é al- 
ternativamente de 354: ou 
355 dias. 

Mahomético, ca. adj. (ant.J V. 
Mahometano. 

Mahometismo, m. (rel.J Maho- 
metismo; religião que ad- 
mitte um só Deus e a mis- 
são de um propheta chama- 
do Mahomet. 

Mahometista. m. (ant.J Maho- 
metano; sectario da lei de 
Mafoma ou Mahomet. 

Mahometizar, n. Professar a 
lei de Mafoma. Mahometa- 
nam projiteri sectam. 

Mahon. to. (com.J Nankim; 
tecido- de algodão de côr 
amarello deslavado, chama- 
do Mahon, em Hespanha, o 
qual é um objecto especial 
do commercio de imjjorta- 
ção de Mahon, nas ilhas 
Baleares. Gosypinai telas, ge- 
mís. 

Mahona. /. (naut.J Mahonna; 
embarcação turca de trans- 
porte: — (ant.J V. Galeaza. 

Mahonés, sa. adj. Mahonez; 
natural de Mahon, capital 
da ilha de Minorca. 

Mahozmedin. m. (ant.J Mahoz- 
medin; moeda antiga. V. 

• Maravedí de oro. 

Mahurea. /. (bot.J Mahurea; 
genero de plantas da fami- 
lia das ternstremiaceas. 

Maído, m. V. Maulido. 

Maiella, /. (ant.J V. Presa, 
bocado de carne. 

Maíllechort, m. (art.J V. Al- 
p>aca. 

Maimón, m. V. Bollo: — pi. 
(p. And.J assorda; sopa fer- 
vida com azeite, sal e agua, 
que se usa muito nos povos 
do littoral : — (zool.J mai- 
mão; especie de mammife- 



14 



MAJ 



ros do genero macaco, cara- 
ctei-isados por urna cauda 
mais curta que o corpo, e 
ás vezes muito pequena. 

Maimonete. m. (ant. naut.) V. 
Maimoton. 

Maimonideo, dea. adj. Maimo- 
nideo ; diz-se da doutrina e 
dos discipulos do philosopho 
judeu Maimonides, que ex- 
plicou e propagou, no sécu- 
lo xri, as ideas peripatéti- 
cas de Averroes. 

Mainada. /. (ant.) V. Mesnada. 

Mainadorio. m. (ant.) Nome 
que antigamente se dava em 
Hespanha, e particularmen- 
te no reino de Aragão, á 
pessoa que pelo menos por 
parte do pac, pertencesse a 
uma familia de rico homem, 
o que lhe dava entrada no 
palacio para servir o rei. 

IVIainato. m. (zool.) INIainato; 
genero de aves da familia 
dos esturnideos, da ordem 
dos pássaros. 

Mainel, m. (prov.) Y. Clara- 
hoya. 

Maipurí. m. (zool.) ]\Iaipuri; 
nome do tapu em Cayenna. 

Mairia. /. (hnt.) Mairia; g:e- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Mais. adv. (ant.) V. Mas, Sino. 

Maison. /. (ant.) V. Casa. 

Maitinada. /. (fam.) Madruga- 
da inopportuna. 

Maitinante. m. Matinante; o 
que costuma ir a matinas. 
Quiantelucanisprecibiiscan- 
tandis: — ecclesiastico que 
em certas cathedraes é obri- 
gado a assistir ás matinas. 

Maitinario. m. (ant.) Matuti- 
iiario; livro que contém as 
matinas. 

Maitinero. m. V. Maitinante. 

Maitines, m.pl. (reZ.J Matinas; 
a primeira das horas canó- 
nicas que antigamente se 
rezava, e que ainda hoje se 
reza em algumas igrejas an- 
tes de amanhecer. Anteluca- 
nce nocturna preces. 

Maíz. m. (hot.) Maiz oii milho 
grosso; genero de plantas 
monocotyledoneas, da fami- 
lia das gramíneas, que con- 
tém varias especies oriun- 
das da America. 

Maizal, m. Maizal ; campo se- 
meado de maiz. 
Majada./. Malhada, redil; lo- 



MAJ 

gar onde estaciona de noite 
o gado. Magalia, avile : — 
(ant.) V. Posada: — (p. A.) 
rebanho de ovelhas. 

Majadal, m. Malhadeiro; cam- 
po que serviu de malhada, 
e que está beneficiado com 
o esterco do gado. Stercora- 
tus ager. 

Majadear. ii. Pernoitar o ga- 
do em alguma malhada. In 
ovilla pecus se recipere: — 
a. fazer que o gado pernoi- 
te em uma herdade ou cam- 
po, e assim se diz: maja- 
dear un campo. 

Majaderamente, adv. Rústi- 
camente , estupidamente. 
Stulth. 

Majadería. /. Tolice, babosei- 
ra, fatuidade ; dito ou feito 
néscio ou imprudente. Stid- 
titia, ce. 

Majaderico, m. (ant.) Especie 
de guarnição na fimbria do 
vestido. Fimbrice species. 

Majaderillo, lla, to, ta. adj. 
dim. de Majadero. Tolinho: 
— TO. agulha de fazer ren- 
das. Paxillus reticuUatis 
jimhriis conficiendis. 

Majadero, ra. adj. (fig.) Ma- 
lhadeiro, tolo, curto de en- 
genho. Stolidus, stultus: — 
m. (a7it.) malhadeiro; mão 
do gral, do almofariz. Pis- 
tillum, i: — (ant.) cada lun 
dos fusos de fazer rendas 
ou outros lavores idênticos. 
Paxillus reliculatis fimbriis 
conficiendis. Anda el maja- 
dero de otero en otero, y 
viene a quebrar en el hom- 
bro bueno (rif.); quasi sem- 
pre paga o justo pelo pec- 
cador. 

Majaderon, na. adj. aug. de 
Majadero. 

Majador, ra. s. Pisador; o que 
pisa. Qai pinsit. 

Majadura. /. (ant.) Pisadura; 
acção e effeito de pisar. Pi- 
satio, onis: — (fig. ant.) 
açoute , azorrague . Fla- 
grum, i. 

JMajagranzas. m. (fam.) Mal- 
si sudo, boto, inei^to, gros- 
seiro; ap25lica-se ao homem 
néscio e enfadonho. Slupi- 
dus, a, um. 

Majagua, m. (bot.) V. Belocia. 

Majal, m. (art.) V. Cardume ó 

Cardumen. 
Majamento, Majamiento, m. 



MAJ 

(fig, ant.) Afflicção, pena. 
FLagellum, po'.na. 

Majano, m. Balisa, monte de 
pedras soltas nas terras de 
lavor, nas encruzilhadas ou 
divisões de caminhos, para 
servir de limites. Lapidum, 
tumulus. 

Majar, a. Maçar, pisar. Pin- 
sere: — (fiff-) moer, moles- 
tar, enfadar. Molestum, gra- 
vem esse alicui. 

Majarete, to. (x>. Clã).) Manjar 
doce, que se faz com o sum- 
mo de maiz tenro, ralado e 
misturado com leite e as- 
sucar, fazendo-o adquirir 
punto ao lume. 

Majari. to. Ladrilho que se 
emprega no pavimento das 
habitações. 

Majarkana. /. (p. And.) V. To- 
cino fresco. 

Majata. /. (aut.) V. Majada, 
de gado. 

Majenca. /. (agr. p. Mure.) 
Cava das vinhas. 

Majencar, a. (agr. p. Mure.) 
Cavar as vinhas. 

Majencia, Majería. /. (fam.) 
Charlatanería, fanfarrice. 

Majestad. /. Magestade, ex- 
cellencia, sublimidade, ma- 
gnificencia. Dignitas, ina- 
gestas: — magestade; gra- 
vidade que alguma pessoa 
apresenta no semblante ou 
acções. Gravitas, dignitas: 
— magestade; tratamento 
honorifico que se dá aos mo- 
narchas europeus. Magestas, 
atis. Crimen de lesa majes- 
tad; crime de lesa mages- 
tade; delicto commettido 
contra o soberano ou con- 
tra o estado. 

Majestoso, sa. adj. V. Majes- 
tuoso. 

Majestuosamente, adv. to. Ma- 
gestosamente, decorosamen- 
te ; com dignidade. Decore, 
grauiter. 

Majestuosidad. /. Magestade, 
excellencia , sublimidade . 
Magestas, atis. 

Majestuoso, sa. adj. Magesto- 
so, augusto, sublime. Deco- 
rus, gravis. 

Ma jeta. /. (bot.) Mageta; ge- 
nero de plantas da familia 
das melastomaceas, indíge- 
nas da America tropical. 

Majeza. /. (fam.) V. Majencia. 

Majia. /. V. Magia. 



MAL 

MÁJico, CA. adj. e s. V. Mágico. 

Majines. m. 1)1. (ant.) V. Ima- 
gines. 

Majisterial. adj. V. Magiste- 
rial. 

Majistekio. m. Magisterio. V. 
Magisterio. 

Majistrado. m. V. Magistrado. 

Majistral. adj. V. Magistral. 

Majistratüra. /. V. Magistra- 
tura. 

Majiella. /. (ant.) V. Mejilla. 

Majo, ja. í. Petimetre, peral- 
ta; pessoa que no porte, 
traje e acções aíFecta uma 
tal cu qual liberdade e aíFe- 
ctação. Blatero, onis : — adj. 
vistoso, adornado: — fanfar- 
rão. 

Majocas. /. pZ. (prov.) ísome 
que em algumas partes dão 
ás judias. 

Majolar, m. (ant. agr.) Vinha 
nova. Vinetum novum: — a. 
(ant.) atacar os sapatos com 
fitas ou com atacadores de 
couro. Corrigiis calceos 
optare. 

Majorana. /. (ant.) V. Mejo- 
rana. 

Majorca. /. V. Mazorca. 

Majuela. /. Fructo do es]3Í- 
nheiro alvar: — correia ou 
atacador de couro com que 
se atam os sapatos. Corri- 
gia, ce. 

Majuela, m. (agr.) Vinha no- 
va. Nova vinca : — (jj. Rioj.) 
bacello ou cepa nova. Vitis 
nova: — (hot.) espinheiro 
alvar, cardo branco. V. Es- 
pino alhar. 

!Makemba. freZ.j Makemba ; Ído- 
lo dos negros do Congo, que 
preside á saude do rei. 

Mal. m. Mal; o contrario ao 
bem, o que tem imperfeição 
positiva, pelo que se afasta 
do que é licito e honesto. 
Malum, i: — mal; damno, 
prejuizo recebido na pessoa 
ou fazenda. Detrimentum, 
incommodum : — mal, acha- 
que, enfermidade. Morhus, 
i: — mal, calamidade, infor- 
tunio : — adj. V. Malo, man ; 
usa-se somente anteposto 
ao substantivo masculino; 
e assim se diz : Mal humor, 
mal dia, etc.; mau humor, 
mau dia, etc. : — adv. V. 
Malamente /maliciosamente, 
com malevolencia, irregu- 
larmente. Pravh, neqniter : 



MAL 

— mámente; com imperfei- 
ção, inadvertidamente. Per- 
2)eram: — mal, apenas, com 
diíEculdade, pouco; e assim 
se diz: anda mal, come mal; 
anda mal, come mal, come 
l^ouco. Fariim. Mal de mi 
grado, mal de tu grado, mal 
de su grado (fr.); mau gra- 
do meu, mau grado teu, mau 
grado seu; a meu, a teu, a 
seu pesar, como quem não 
quer. Me, te, se illo invito. 
Mal ajeno de pelo cuelga 
(rif.); mal alheio pesa como 
um cabello. JSIal de ojo; 
olhado, quebranto, fascina- 
ção. Fascinatio, onis. Mal 
haya; mal haja; especie de 
interjeição imprecatoria, co- 
mo quando se diz: Mal haya 
el diablo; mal haja o diabo. 
Díi te, illum perdant. Mal 
que bien; expressão que si- 
gnifica de boa ou má von- 
tade, bem ou mal feito. 
jEquo, sive iniquo animo. 
Mal que le pese. V. Mal de 
su grado. Allti vaya cl mal 
do comen el huevo sin sal 
(rif.); ninguém faça mal á 
conta de lhe vir bem. A mal 
de sti grado (fr.) V. 3Ial de 
su grado. Bien bengas, mal, 
si vienes solo (rif); uma des- 
graça nunca vem só. Del 
mal el menos (loe. fam.); do 
mal o menos, o menor. Mí- 
nima de malis. De mal en 
peor (loe. fam.); de mal a 
peior. In pejus. Echar á mal 
(fr.); deitar para mal; des- 
apreciar alguma cousa, te-la 
em pouco. Contemnere, p)ro- 
jicere. Echar á mal ó á mala 
parte; deitar para mal, dei- 
tar á má parte, para mau 
sentido. Tambera significa 
desperdiçar e empregar mal 
uma cousa. Disperdere. El 
mal del milano las alas 
quebradas y el pico sano 
(rif); muita parra pouca 
uva. El mal entra á braza- 
das, y sale áp)ulgadas (rif.); 
o mal entra ás braçadas, e 
sáe ás pollegadas; as doen- 
ças vem a galope e vão-se 
a pé. En mcd de muerte no 
hay médico que acierte (rif.); 
quando é de morte o mal, não 
ha medico j^ara curar tal, 
ou do céu lhe venha o reme- 
dio. Morti frustra remedinm 



MAL 



15 



quadras. Hacer mal ci alguno 
(fr.); fazer mal a alguém ; 
persegui-lo, desfavorece-lo. 
l'erseqni, malo afficere. Ha- 
cer mal alguna cosa (fr.); 
fazer mal alguma cousa; 
prejudicar, ser nociva. No- 
cere. Hacer mal á un caba- 
llo (fr.); conduzir á risca um 
cavallo; governa-lo com de.x- 
treza para obedecer ao freio 
e á espora. Equum regere, 
domare, freno docilem red- 
dere. Hacérsela de mal (fr.); 
custar os dentes da boca; 
JEgre ferre. Mas mcd hay 
en la aldehuela del que se 
suena (rif.); mal usa quem 
não cuida. Meter enmal (fr.); 
intrigar, metter zizauias. 
Discordias serere. No hace 
poco, o es un loco, quien su 
mal echa á otro; aquelle nao 
faz pouco, que seu mal deita 
a outro. Callidus suam in 
alium culpam conferí. No 
hacer mal a um gato (fr.); 
nao fazer mal a um passari- 
nho. Faga lo que debes, sa- 
narás del mcd (pie tienes 
(rif.); paga o que deves, sa- 
narás o ten mal. Fara el 
mal que hoy acaba no es re- 
medio el de maiiana; para 
mal que hoje acaba nao ha 
remedio, o de amanhã não 
basta. Serb sapiunt Fhriges. 
Foner en mal {fr.); ¡DÒr a cal- 
va á mostra; descompor al- 
guém. Aliquem in invidiam 
adducere, odia in illum con- 
fiare. Quien canta, sus ma- 
les espanta (rif.); quem can- 
ta seus males espanta. Quien 
escucha, su mal oye (rif.); 
quem escuta de si ouve. De 
mal cuervo, mal huevo; de 
mau corvo mau ovo, quem 
sáe aos seus não degenera: 

— (med.) mal; tudo que é 
contrario ao estado de sau- 
de: — ardiente; mal arden- 
te, erysipela, anthrás epidé- 
mico, ou qualquer outra en- 
fermidade inflammatoria, 
principalmente caracterisa- 
da jwr uma sensação de ca- 
lor ardente: — cctrf?/co; mal 
caduco. V. Epilejjsia: — de 
Asturias.Y . Mal de la rosa: 

— de aventura; especie de 
panarício que ordinariamen- 
te se forma em consequên- 
cia de uma picada junto áa 



16 



MAL 



unhas dos dedos das mãos: 

— de corazón. V. Epilepsia, 
Gota coral: — V. Náusea: 

— de Crimea; mal da Cri- 
mea; enfermidade frequen- 
te entre os habitantes da Cri- 
mea, e bastante análoga á 
lepra: — de estómago; mal 
de estomago: nome vnlgar 
de todas as sensações peno- 
sas que se experimentam na 
regiào epigástrica, aindaque 
não tenham logar no próprio 
estomago: — de garganta; 
mal de garganta. V. Anjina : 

— de la rosa; variedade de 
lepra que se observa em va- 
rias provincias daHespanha, 
especialmente nas Asturias: 

— del Canadá; mal do Ca- 
nadá; erupção de pústulas 
pequenas nos labios, lingua 
ou no interior da boca, cujo 
caracter corrosivo é causa 
algumas vezes de se destruí- 
rem as linguas completamen- 
te. Ataca particularmente as 
creanças, e parece que é en- 
démica n'aquelle paiz: — de 
valle ó de valles (p. Perú); 
certa enfermidade endémica 
da America meridional: — 
de madre. V. Histérico : — 
de mandibidas. V. Trismo: 

— de mar. V. Mareo: — de 
piedra; mal da pedra; en- 
fermidade que resulta do des- 
envolvimento de areias ou 
calcules nos rins ou na be- 
xiga: — de Pott; mal de 
Pott; caria de urna ou mais 
vertebras, assim chamada da 
excellente descri pçào que 
d'ella fez o cirurgião inglez 
Pott : — de San Antón. V. 
Fuego de San Antón: — de 
San Juan. V. Epilepsia: — 
de San Lázaro. V. Elefan- 
tiasis : — de Santa María. 
V. Lepra, Sífilis: — de 
Siam; mal de Sião; nome 
applicado á febre amarella, 
por se crer que ella passou 
de Sião á America no xvii 
século: — divino. V. Mal 
sagrado : — francés; mal 
francez; nome que os napo- 
litanos dão ao gallico ou 
mal venéreo, suppondo que 
os fi*ancezes o levaram a Ña- 
póles, no tempo da conquis- 
ta d'este paiz em 1494 : — 
muerto; especie de lepra 
crustácea, com mortificação 



MAL 

completa das partes que in- 
vade, as quaes logo de prin- 
cipio estão lívidas: — rojo 
de Cayena; especie de ele- 
phautiase, lepra tuberculo- 
sa : — sagrado ; mal sagrado ; 
nome que antigamente se 
dava á epilepsia : — venéreo; 
mal venéreo. V. Sífilis: — 
de bestia (veter.J; mal de 
besta; especie de fenda que 
se observa frequentemente 
em torno da regiào da coroa 
do cavallo e seus congene- 
res, quando padecem a en- 
fermidade chamada arestins: 
— de ciervo; mal de cervo; 
tétano do cavallo: — de Es- 
paña ó de fuego; mal de 
fogo; enfermidade do caval- 
lo, caracterisada por uma 
inflammação do cerebro ou 
de suas membranas. 

Mala./. Mala do correio. Bul- 
ga tabellaría: — V. Malilla, 
na primeira accepção. 

Malabaila./. (bot.) Malabaila; 
genero de plantas da fami- 
lia das umbelliferas. 

Malabar, adj. Malabar; o na- 
tural do paiz d'este nome 
ou o que lhe pertence. Ma- 
labaricus, a, um. 

MalabÁrico, ca. adj. de Mala- 
bar; pertencente á costa do 
Malabar. 

Malabatro. m. (pharm..) Mala- 
bathro; folhas de urna espe- 
cie de loureiro, oblongas, 
ponteagudas e brilhantes, 
de cheiro aromático agra- 
dável, similhante ao do 
cravo. 

Malacadenia. /. (bot.) Malaca- 
denia; genero de plantas da 
familia das orchideas. 

Malacanto. m. (zool.) Mala- 
cantho; genero de peixes 
acanthopterygios, da fami- 
lia dos labroideos. 

Malacate, m. (p. Mex.) Fuso 
para fiar. 

Malacaza. m. Frente aberta; 
diz-se do cavallo de pello 
escuro com urna malha cla- 
ra na parte anterior da ca- 
beça, e que se prolonga até 
baixo. 

Malacentomozoario, ría. adj. 
(zool.) Malacentomozoario; 
dizse do animal que occupa 
o termo medio entre os mol- 
luscos e os animaes articu- 
lados. 



MAL 

Malacia. /. (med.J V. Allotrio- 
fajia. 

Malacobdela. /. (zool.) Mala- 
cobdtíUa (sanguesuga molle); 
genero de annelidos da fa- 
milia das hirudineas. 

Malacodendro. m. (bot.) Mala- 
codendro; genero de plan- 
tas dicotyledoneas, da fami- 
lia das nialvaceas. 

Malacodermos. m. pl. (zool.) 
Malacodermes (pelle bran- 
da); tribu de insectos co- 
leópteros peutameros, cara- 
cterisados principalmente 
por terem o corpo de con- 
sistencia molle. 

Malacolita. /. (min.) Malaco- 
litha. V. Diópsida. 

Malacolojia. /. (zool.) Mala- 
cologia; sciencia que trata 
da organisaçào, costumes e 
classificação dos molluscos, 
e da sua distribuição pelo 
globo. 

Malacolójico, ca. adj. (zool.) 
Malacologico; diz-se do que 
é relativo á malacologia. 

Malacómidos. m. pl. (zool.) Ma- 
lacomidos; tribu da familia 
dos myodarios malacosomos. 

Malacondicionado, da. adj. Ma- 
lacondicionado; de má con- 
dição, de mau caracter. 

Malacópodos. m.pl. (zool.) Ma- 
lacopodas (pés hí-andos); 
classe de eutomozoarios ou 
animaes articulados, que tem 
uma certa analogia com os 
myriapodas. 

Malacopterijios. m. pl. (zool.) 
Malacopterygios (barbatana 
molle); grupo de peixes de 
esqueleto osseo, que compre- 
hende tres oi-dens; os abdo- 
minaces, os apodas, e os sub- 
brachianos. 

Malacóptero. m. (zool.) Mala- 
coptero (aza branda); gene- 
ro de insectos coleópteros 
sub-jDentameros, da familia 
dos longicornes. 

Malacorinco, ca. adj. (zool.) 
Malacorhynco; diz-se das 
aves que têem o bico brando 
e membranoso. 

Malacosarcosis. /. (med.) Ma- 
lacosarcosis; estado de mol- 
leza, especie de relaxamen- 
to dos músculos. 

Malacosteosis. /. (med.) Mala- 
costeosis; amollecimento dos 
ossos. 

MalacostríÍceo, G^K.adj.(zool.) 



MAL 

Malacostraceo; diz se dos 
crustáceos cuja concha é 
pouco consistente. 

Malacostumbrado, da. adj. 
Mal acostumado; que tem 
maus hábitos, maus costu- 
mes. Male assuetus. 

Malacotuice. /. (bat.) Malaco- 
thrice ou malacotbrix; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Malacozoario, ría. adj. (zool.J 
Malacozoario; diz se do ani- 
mal cujo corpo não apresen- 
ta signal algum de mem- 
bros, e que é coberto por 
uma pelle branca e contrá- 
ctil em todos os seus pon- 
tos. 

Malacra. /. (bot.) Malachra; 
genero de plattas da famí- 
lia das malvaceas-sideas. 

Maláctico, ca. adj. (pharm.) 
V. Emoliente, 

Malacuenda. /. (com). Grossa- 
ria; tecido muito basto e 
grosseiro, que se faz da fi- 
laça das estopas mais or- 
dinarias, do cânhamo ou al- 
godão. 

Malacuuo, RA. adj. (zool.) Ma- 
lacuro; epitheto do papa- 
moscas, por causa das pen- 
nas compridas que tem no 
rabo. 

Maladito, TA, adj. (ant.) V. 
Maldito. 

Malaestanza. /. (ant.) V. In- 
disposición. 

Malaestrugo, GA. adj. (ant) 
Malvado: — malaventurado. 

Malagana./, (p. .ár.J Desmaio, 
agonia, aíflieção. 

Malagana./, (p. Ar.) Proces- 
so que usara os colmeeiros 
em algumas partes para fi- 
xar 03 enxames que saem 
das colmeias. Consiste em 
uns paus tincados em terra, 
e cruzados ao alto nos ân- 
gulos com juncos seceos. 

Malagata / (pharm.) Mala- 
gala; droga que vem da ín- 
dia. 

Malagma,Malagmo. wi.fpÃarm.j 
Malagma; medicamento tó- 
pico que tem a virtude de 
amollecer, tornar branda 
uma parte. 

Malagueño, ña .adj. Malaguez, 
malaguense ou malacitano; 
diz se do que é natural de 
Malaga, ou pertencente a 
este paiz. Malacitamis, a,um. 



MAL 

Malagués, sa. adj. (ant.) V. 

Malagueño. 
Malagueta,/ (bot). Malague- 
ta, pimenta de Guiné; fru- 
cto parecido com o do myr- 
to, de côr loura, que vem 
da America, de Chiapa e 
de Tabaeco, com o nome 
também de pimenta d'esta 
provincia, e que ás vezes 
serve de especie pela suavi- 
dade do seu sabor. A plan- 
ta que a produz couhece-se 
em botânica pelo nome Myr- 
tus pimenta. V. Pimenta de 
Tabasco. 
Malaltía. / (ant.) V. Enfer- 
medad. 
Malamente, adj. m. Mámente, 
maliciosamente. Male: — 
mámente, desfavoravelmen- 
te, irregularmente: — infe- 
lizmente, desgraçadamente. 
Malancolía, Malanconía, /. 

(ant.) V. Melancolia. 
Malandancia. /. (ant.) Malda- 
de, perversidade, acção má. 
Malandante, adj (ant.) Mal- 
andante, infeliz desgraça 
do, malaventurado. Infortu 
natus, a, um. 
Malandanza./ Desgraça, des- 
dita, desventura. Calamitas^ 
injnrtunium. 
Malandar. m. (prov.) Dá se es- 
te nome em algumas locali 
dades de Hespanha ao por- 
co que não é destinado a 
engordar, e por isso se não 
faz entrar em ceva. Errans 
porcus. 
Malândria. / (med. ant.) Ma- 

landria; especie de lepra. 
Malandrín, na. adj. Malan- 
drim, vadio, maligno. Ma- 
leficiis, a, um: — (hist.) ma- 
laudrim; nome que no tem- 
po dos cruzados se dava a 
certos ladroes bohemios ou 
árabes. 
MalÁnea. f. (bot.) Malanea; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 
Malantia. /. (ant) V. Enfer- 
medad. 
Malápias. adj. (p. And.) Día- 
se de uma especie de ma- 
çãs pequenas. 
Maláptero. m. (zool) Mala- 
ptero (barbatana branda); 
genero de peixes acantho- 
pterygíos, da familia dos 
labroideos. 
Malapteruro. m. (zool.) Mala- 



MAL 



17 



pteruro (barbatana e cauda 
branda); genero de peixes 
malacopterygios abdomí- 
naes, com uma uníca espe- 
cie chamada malapteruro 
eléctrico. 
Malaquino. m. Malaquino; no- 
me com que os árabes desi- 
gnaram o real de vellón. 
Malaquio. m. (bot.) Malachío; 
genero de plantas da famí- 
lia das cariofíladas: — (zool ) 
malachio; genero de inse- 
ctos coleópteros pentame- 
ros, da familia dos malaco- 
dermes. 
Malaquita. / (min) Malachi- 
ta; carbonato verde, de co- 
bre hydrarado, que erystal- 
lisa em prismas rectos rhom- 
boidaes, e que se decoaipõp 
pelo calor e pelos ácidos. 
Falsa malaquita; jaspe 
verde. 
Malar. adj. (anat.) Malar; re- 
lativo ou pertence ao osso 
da face, á maçã do rosto. 
Hueso malar, V. Pómulo. 
Malastrugado, Malastrugo. 
GA. adj. (ant.) V. Desventu- 
rado. 
Malatía. /. (ant.) V. Enfer- 
medad. 
Malaxo, ta. adj. (ant.) Mala- 
to. V. Enfermo. Também se 
usa como substantivo: — 
(chim.) raalato; nome gene- 
rico dos saes neutros, for- 
mados pela combinação do 
acido malico com as basea 
salifieaveis: — de hierro; 
roalato de ferro; extracto 
de maçãs cora ferro, que se 
prepara por digestão de cer- 
ta quantidade de limalha de 
ferro porphyrisada e sumo 
de maçãs azedas. 

Malavenido, da. adj. Malavín- 
do, desavindo, di8C0^de.£)^/- 

• ficilis, le. 

Malaventura. /. Malaventu- 
ra, desgraça, infortunio, de- 
sastre. Calamitas, injortu- 
nium. 

Malaventurado, da. adj. Mal- 
aventurado, infeliz, desdito- 
so. Infelix, infortunatus. 

Malaventuranza. / (ant) Des- 
aventura, adversidade, des- 
graça. Infelicitas, infortu- 
nium, 

MalÁvez, Malavez, Malavés. 
adv, (ant) V. Apenas, 

Malayo, ya. adj. Malaio; per- 



18 MAL 

ten cente á provincia de Ma- 
laca e aos seus habitantes: 
— malaio; a lingua mais 
pura da India oriental, usa- 
da pelos sabios, e que Hctual- 
mente é a que se falla no 
commercio. 
Malbaratador, ka. adj. Mal- 
baratador, desbaratador, 
prodigo. Patrimonn, bono- 
rum dissipator. 
Malbaratar, a. Malbaratar, 
desbaratar , desperdiçar , 
vender mal, dissipar os seus 
bens. Vili venderé, dissipa- 
re: — desbaratar, arruinar. 
Malbaratillo, m. V. Barati- 
llo, casa onde se vendem 
objectos de baixo preço. 
Malcaido, da. adj. (ant.J Ar- 
ruinado, desgraçado, des- 
amparado. 
Malcalzado, da. adj. (ant.) 
Maltrapilho; voz de des- 
prezo applicada como syno- 
nymo de desprezível, mal- 
vestido, etc. 
Malcasado, da. adj. Malca- 
sado. Conjugii pertesus. 
Malcasar, a. Casar mal. Male 
nuptui locare: — r. casar- 
se mal, não casar a seu gos- 
to ou inclinação. Male nu- 
ptui locare. 
Malcaso- m. Traição, perfidia, 
deslealdade, crime. Crimen 
iurpe. Caer en malcaso. V. 
Caso. 
Malcocinado, m. Malcozinha- 
do; comidas grosseiras, o in- 
terior das rezes, e o local 
cu bodega em que estas se 
vendem. Viscera intestina 
pecudum. 
Malcoha. /. (zool.) Malcoha; 
genero de aves trepadoras 
da familia das cuculideas. 
Malcomido, da. adj. Malcomi- 
do, mal alimentado. Parvo 
cibo nutritus. 
Malcondicionado, da. adj. V. 

Malacondicionado. 
Malcontentadizo, za. adj. V. 

Desconten tadizo . 
Malcontento, ta. adj. Malcon- 
tenta, desagradado. MaVe 
contentus: — m. certo jogo 
de cartas. Ludus quidam 
chartarum pictarum: — des- 
coutente8,sedieiosos,pertur- 
badores da ordem publica. 
JSeditiosua, a, um: — (ant.) 
descontentamento,desgosto, 
pena. 



MAL 

Malcorte. m. (jur.) Infracção 
dos estatutos e disposições 
das matas e florestas, cor- 
tando lenha, fazendo carvão 
ou cortando determinados 
ramos para peças de machi- 
nas, contra as leis respecti- 
vas. Sylvarum adversus le- 
ges ccesio. 

Malcraca. /. fant.J Cavallo de 
pernas fortes e robustas. 

Malcreer. a. (ant.) Acreditar 
pouco, não crer completa- 
mente. Justo citius temeré 
credere. 

Malcriado, da. adj. Malcrea- 
do, mal educado. Prave edu- 
catus: — malereado, inci- 
vil, descortez. Malh mora- 
tus. 

Maldad. /. Maldade, malicia, 
iniquidade, nequicia. Pravi- 
tas, atis: — maldade; ac- 
ção má e injusta. Improbi 
tas, scelus: — maldade; in- 
tenção má e perversa: — 
(ant.). defeito, mancha. 

Maldade. /. (ant.) V. Mal- 
dad. 

Maldadosamente, adv. m.(ant) 
Malignamente , perversa- 
mente, impiamente; com ma- 
levolencia ou malicia. Ma- 
ligne, improbe. 

Maldadoso, sa. adj (ant.) Ma- 
licioso, maligno, iniquo.Ma- 
lignus, improbus. 

Maldecidor, ha. s. Maldize- 
dor, diffamador, maldizente. 
Detractor, mordax, 

Maldecimiento. m. (ant.) Ma- 
ledicencia, murmuração; ac- 
ção de fallar mal de al- 
guém. Obtrectatio, onis. 

Maldecr. a. Maldizer, mur- 
murar. Maledicere, detrahe- 
re; — maldizer, amaldi- 
çoar, praguejar. Imprecari: 
— m. {ant.) V. Maledicion. 

Maldiciek. a. (ant.) V. Malde- 
cir. 
Maldiciente, adj. s. Maldi- 
zente. V. Murmurador. Ma- 
ledicens, obtrectator. 
Maldicientemente, adv. m. 
(ant ) Maldizentemente; com 
maledicencia. Maledicc. 
Maldición./. Maldição, impre- 
cação, praga. Imprecatio, 
onis: — (ant.) V. Murmu- 
ración. Caer la maldición 
a alguno (fr.); cair a mal- 
dição, a praga, o anatbema 
em alguém; fazer crer a al- 



MAL 

guem nas pragas que se ro- 
gam, quando succedem con- 
tratempos ou desgraças; e 
assim se diz: parece que le 
ha caido la maldición; pa- 
rece que lhe rogaram algu- 
ma praga. Maio imprécate 
affiei. 

Maldicho, cha. adj. (ant.) V. 
Maldito. 

Maldicto, cta. adj. (ant.) V. 
Maldito. 

Maldigno, gna, adj. (ant.) V. 
Indigno, Maligno. 

Maldispuesto, ta. adj. V. In- 
dispuesto, na accepção de 
sentirse encommodado. 

Maldita./*, (fam. e vulg.) Lín- 
gua. Soltar la maldita (fr, 
fam.); soltar a lingua, des- 
enfrea la; dizer ou exprimir 
com liberdade e sem consi- 
deração o que se sente. Âu- 
dacter, impudenter loqui. 

Malditamente, adv. m. (fam.) 
Pessimamente, exasperada- 
mente: — de má vontade, á 
força. 

Maldito, ta. adj. Maldicto, 
maldito, detestável, execra- 
vel, perverso; de má condi- 
ção, ou índole. Improbus ne- 
quam: — maldito; amaldi- 
çoado, damnado, condemna- 
do pela justiça divina. Ma- 
ledictus, a, um: — (fam) V. 
Ninguno. 

Maleabilidad. /. Malleabíli- 
dade; qualidade do que é 
malleavel. 

Maleable, adj. Malleavel; ap- 
plica se aos metaes que po- 
dem forjar-se a golpe de 
martello. Quod molleo pro- 
Gudi potest. 

Maleador, ra. adj. V. Ma- 
leante. 

Maleante, adj., m. V. Burla- 
dor, Maligno. 

Malear, a. Corromper, depra- 
var, falsificar; deitar a per- 
der. Perderé, corrumpere. 
Também se usa como reci- 
proco: — (fiff) corromper, 
preverter, induzir, subornar. 
Também se usa como reci- 
proco. Corrumpere: — n, 
(fig.) portar-se mal com al- 
guém. 

Malecillo. m. dim. de Mal. 

Malecina./. (ant.jV .Medicina. 

Malecón, m. Dique, represa, 
vallado, reparo para vedar 
as cheias. Âgger, vallum. 



MAL 

Maledicencia. /. Maledicen- 
cia, murmuração. Obtrecta- 
dio, onis. 

Maléficamente, adv. m. (fig-) 
Maleficamente , maligna 
mente, perversamente. Ma- 
lefice. 

Maleficencia. /. Maleficencia, 
malquerença ; disposição 
malfazeja. Maleficentia, ce. 

Maleficador, ka. 8. Malfei- 
tor, perverso, scelerado. 

Maleficiar, a. Malfazer, da- 
mnar, damnificar. Damnum 
inferre : — V. Hechizar : — 
depravar, perverter. Perver- 
ter e, depravare. 

Maleficio, m. fant.) Maleficio; 
damno ou prejuizo causado 
a outrem. Maleficium, ii: — 
maleficio, sortilegio; meio 
que se emprega, segundo 
acreditam os supersticiosos, 
para causar o mal do feiti- 
ço. Veneficium, ii. Desligar 
el maleficio (fr.); desenfei- 
tiçar, desinguiçar. Venefi- 
cium dissolvere. 

Maléfico, ca. adj. Maléfico, 
malfazejo, nocivo. MaZe/icMS, 
a, um : — feiticeiro, bruxo, 
nigromántico. Veneficus, a, 
um : — maléfico, malvado, 
malévolo. Maleficus, a, um. 

Maleito, ta. adj. (ant.J V. 
Maldito. 

Malencolía. /. (ant.) V. Me- 
lancolia. 

Malencólico, ca. adj. (ant.) V. 
Melancólico. 

Malenconi'a. /. (ant.) V. Me- 
lancolía. 

Malencónico, ca. adj. (ant.) Y. 
Melancólico. 

Malenconioso, sa. adj. (ant.J 
V. Malhzimorado. 

Malentrada. /. Malentrada; 
direito que pagava um pre- 
so ao entrar na prisão. Car- 
cerária pensio. Em Portu- 
gal também havia a malen- 
trada, que era certa somma 
que o preso entregava, além 
da carceragem, para varias 
despezas. 

Maleolar, adj. (anat.) Malleo- 
lar; relativo ou pertencente 
aos malleolos ou artelhos. 
Arterias maleolares ; arte- 
rias malleolares; nome de 
duas ramificações que sub- 
ministra a arteria tibial an- 
terior prozimo á entrada do 
pé. 



MAL 

Maleolario, üiá.. adj, (anat. JV. 
Maleolar. 

Maléolo, m. (anat.) Maleólo, 
tornozelo, artelho. 

Maleona. adj. Nome que n'al- 
gumas partes de Hespanha 
se dá á egua estéril, ou ma- 
ninha. 

MALEE.à. y. (ant) Y. Maldad. 

Maleserbia. /. (bot) Maleser- 
bia; genero de plantas da 
familia das maleserbiaceas. 

Malestanza. /. V. Estarna: — 
(ant.) má reputação: — V. 
Menoscabo. 

Malestar, m. Indisposição, in- 
commodidade indefinível: 
— (med.) languidez, des- 
fallecimento vago; estado 
inexplicável de incommodi- 
dade,que não constitue ver- 
dadeira doença, mas causa 
urna alteração geral. 

Maleta. /. Maleta; saco de 
coiro ou de panno, para jor 
nada ou viagetn.Hippopera, 
ce. Hacer la maleta (fr.); fa- 
zer a mala; arrumar os ob- 
jectos que se pretendem le- 
var para viagem. Viaticum 
parare. 

Maletero, m. Correeiro, oífi- 
cial que faz malas, e o que 
as vende. Hippoperarum ar- 
ti/ex, venditor. 

Maletía./. (ant.) Insalubrida- 
de; qualidade pouco sadia 
ou nociva á saúde. Insalu- 
britas, atis: — (ant.) Y. En- 
fermedad. 

Maletica, lla, ta. /. dim. de 
Maleta. Malasinha; pequena 
mala. 

Maletón, m. augm. de Male- 
ta. Malotão. 

Malevolencia. /. Malevolen- 
cia, desamor, malquerença, 
aversão, antipathia. Male- 
volentia, ce. 

Malévolo, la. adj. Malévolo, 
maléfico, mal intencionado. 
Malevolus., a, um. 

Maleza. /. (ant.) Maleza, mal- 
dade: — abundancia de her- 
vas ruins que prejudicam as 
sementeiras úteis: — selva, 
tojal, espinhal, mata brava. 
Dumetum, i. 

Malfacer. a. (ant.) Malfazer, 
damnar, damnificar. Male- 
faceré. 

Malfaciente. adj. (ant) Mal- 
íazente, malfazejo. Malefa- 
cietie, entis. 



MAL 19 

Malfadado, da. adj. Malfada- 
do. V. Malhadado. 

Malfecha. /. (ant) Malfeito- 
ria, crime, delicto. 

Malfecho. m. (ant.) V. Malhe- 
cho. 

Malfechob. s. (ant.) V. Mal- 
hechor. 

Malfeita. /. (ant) Malfeitoria, 
damno, delicto. Damnum, 
noxa. 

Malfeitor, m. (ant.) Y. Mal- 
hechor. 

Malfeitría. /. (ant.) V. Mal- 
fetría. 

Malketría. /. (ant) Malfetría, 
malfeitoria, maldade. Scelus, 
eris. 

A^alfice. m. (ant.) Y. Maldad. 

Malgacho, adj., s. Malgacho; 
nome que mutuamente se 
dão aos habitantes de Mada- 
gáscar : — adj. pertencente 
ao Madagáscar. 

Malgama. /. (chim.) Y. Amal- 
gama. 

Malgastador, adj., s. Desba- 
ratador, estragador, dissipa- 
dor. Prodigus, a, um. 

Malgastar, a. Malgastar, dis- 
sipar, estragar os bens, gas- 
tar mal. Bona dissipare, de- 
lapidare. 

Malgranada. /. (ant.) Y. Gra- 
nada, fructa. 

Malhablado, da. adj. Mal fal- 
lado, malfaílante, maldizen- 
te, maledico. Peíulans, pro' 
cax, 

Malhadado, oK.adj.(ant.) Mal- 
fadado, desditoso, infeliz./n- 
ftlix, infortunatus . 

Malhecho, m. Malfeitoria, mal- 
dade, acção má, criminosa. 
/Scelus , flagitium : — adj. 
malfeito, imperfeito, defor- 
me, corcovado. Gibbosus, a, 
um. 

Malhechor, ra. s. Malfeitor, 
perver8o,scelerado, crimino- 
so, facínora. Maleficus, sons. 

Malherir, a. Malferir; ferir 
gravemente. Graviter sau- 
ciare. 

Malhetría. y. (ant.) V. Malfe- 
tria. 

Malhojo, m. (ant.) Restos, so- 
bejos, cascas, aparas, lixo, 
refugo, rebotalho. Purga- 
menta, quisquilice. 

Mal^lmorado, da. adj. Mal- 
humorado, doente, de hu- 
mores mórbidos. Pravo eor- 
poris habitu affectus: — maU 



20 MAL 

humorado, de mau humor, 
intractavel, desabrido. Dif- 
ficilis asper moribus. 
Malicia. /. Malicia, perversi- 
dade; uiá iuclinação ou ac- 
ção. Pravitas, a/!is.*— mali- 
cia; tendencia para o mau, 
e assim se diz; tiene mucha 
malicia; tem muita mali- 
cia. Malignitas, nialitia: — 
malicia, maldade, nequi- 
cia, perversidade de quem 
pecca por pura malignida- 
de: — malicia, dolo, astu- 
cia, ardil; certo maehiave- 
lismo 6 dissimulação com 
que se faz alguma cousa. 
Versutia, ce; — ffam.) sus 
peita, desconfiança, receio. 
Suspicio, onis : — malicia; 
má interpretação, sentido 
malicioso de alguém relati 
vãmente a qualquer cousa. 
Maligna interpretatio : — 
malignidade; qualidade que 
torna urna cousa desfavo- 
rável, prejudicial e de mau 
caracter; e assim se diz: es 
ta calentura tiene mucha ma- 
licia; esta febre tem cara- 
cter de malignidade, aspe 
cto maligno: — (ant.) dito 
mordaz, satjrico, picante. 
Mordax, aculeatum verbum, 
dictum: — malicia, astucia 
nas creanças. Aunque malí 
da escurezca verdad, no la 
puede apagar; aindaque a 
malicia escurece a verdade, 
não a pode apagar. 
Maliciar, a. Corromper, vi- 
ciar. Vitiare, corrumpere: 
— suspeitar, desconfiar. 
Suspicari. 
Maliciosamente, adv. m. Ma- 
liciosamente, astutamente, 
ardilosamente, eom malicia. 
Malitiosh, vafre. 
Maliciosico, ca, llo, lla, to, 
TA. adj. dim. de Malicioso. 
Maliciososinho. 
Malicioso, sa. adj. Malicioso, 
mau, maligno. Maliiiosus, 
a, um : — malicioso, tra- 
vesso: — malicioso; que tem 
malicia. Malitiosus, a, um. 
Málico. adj. (chim.) Malico; 
relativo ou pertencente á 
maçã. Diz-se de um acido 
branco, inodoro, que existe 
em quasi todos os fructos 
ácidos. 
Málico, ca, llo, lla,to,ta. adj. 
dim. de Malo. Mausinho. 



MAL 

Malignamente, adv. m. Mali- 
gnamente, maliciosamente, 
astutamente. Maligne. 
Malignante. afíj. Maligno, cor- 
ruptor, prevaricador, vicia- 
dor. Vitians, corrumpens. 
Malignar, a. Malignar, cor- 
romper, viciar. Corrumpere, 
vitiare : — (fig-) malignar; 
fazer maligna e má uma 
cousa. Depravare: — (ant.) 
malquistar; desacreditar a 
alguém com intrigas ou ca- 
lumnias. Discordias serere, 
invidiam alioui conciliare: 
—r. corromper-se, viciar- 
se, depravar se, deitar-se a 
perder. Corrumpi, deterio- 
rem, fieri. 
Malignidad. /. Malignidade, 
perversidade; propensão do 
animo a obrar vasA. Mali- 
gnitas, atis: — malignida- 
de; qualidade que constitue 
nocivas ou com mau aspecto 
algumas cousas. Malitia, ce: 
— fmed.) malignidade; cara- 
cter grave de urna qualquer 
enfermidade. Malitia, ce. 
Maligno,na. ad/. Maligno, mau, 
malicioso; propenso a pen- 
sar e a obrar mal. Magnus, 
a, um: — (fig) maligno, no- 
civo,damnoso, deletério; que 
tem qualidade má ou preju 
dicial. Nocens, noxius. El 
maligno; o espirito maligno; 
o demonio : — (med) mali- 
gnas; qualificação das en- 
fermidades que apresentam 
caracter pernicioso, como 
pústula maligna, etc. 
Maliki. m. (zool.) Maliki; um 
dos quatro logares orthodo- 
xos do islamismo. 
Malilla. /. Manilha; em al- 
guns jogos de cartas é dois 
de paus e de espadas, ou 
sete de oiros e sete de co- 
pas, sendo trufos. Lusoria 
charta, sic dieta: — mani- 
lha; jogo de cartas. Char- 
tarum ludus sic dictus. 
Maullo, lla. adj. dim. de Ma- 
io, Mausinho. 
Malina. /. Malina; aguas vi- 
vas nas marés. 
Malintencionadamente . adv. 
m. Malintencionadamente ; 
com má intenção, de propo- 
sito. 
Malintencionado, da. adj. Mal- 
intencionado, malvado, mal 
inclinado. 



MAL 

Maléolo, m. (ant.) V. Majuelo 
na aceepçào de bacello. 

Malísimo, ma. adj. sup. de Ma- 
lo. Malissimo, péssimo. Pes- 
simus, a, um. 

Malmandado, da. adj. (Jam.) 
Mal -mandado; que faz qual- 
quer serviço de má vontade. 
Jussa negligens, cegrè apa- 
rens. 

Malmensil. m. V. Menstruo. 

Malmeter, a. (ant.) Enredar 
ou induzir ao mal. Mala 
suadere: — desbaratar, dis- 
sipar: — (ant.) V. Malquis- 
tar: — Malbaratar. 

Malmirado, da. adj. (fam.) 
Descortez, inurbano, desat- 
tencioso. Inurbanus, a, um: 
— descortez, villão. 

Malo, la. adj. Mau, defeituo- 
so; que carece dos requisi- 
tos ou propriedades que de- 
ve ter, segundo sua nature- 
za ou destino. Malus, a, um: 

— mau, prejudicial, nocivo 
á eaude. Noxius, valetudi- 
ni adversas : — mal, mal 
feito, mal composto, irregu- 
lar. Pravus. a, um : — mau, 
injusto. Tmprobus, pravus: 

— mau, perverso, de má vi- 
da e costumes. Pravus, im- 
probas : — V. Enfermo: — 
mau, trabalhoso, difficil; e 
assim se diz: fulano es malo 
de servir, este verso es malo 
de entender: fulano é mau 
ou difficil de servir, este 
verso é mau ou trabiilhoso 
de entender: — mau, astuto, 
pérfido, perverso, Pravus, a, 
um : — maa, travesso, tra- 
quinas, desinquieto. Inquies, 
inquietus: — mau! usado co- 
mo interjeição, serve para 
demonstrar o descontenta- 
mento com alguma cousa 
que reprovamos. Malum! 
El maio; o espirito mau, o 
demonio. Usa-se ordinaria- 
mente no plural. Mala (loc. 
adv. ant.); em má hora. An- 
dar a malas (fr. fam.); es- 
tar mal, estar indiliVrente. 
Discorditer agere. De ma- 
la; com más intençõe?, com 
maus designios. Estar de 
malas; correr mal, desandar 
a roda da fortuna: (p. Mex) 
ser desgraçado. íTaòerZa ma- 
la; sair mal de uma acção 
ou empreza. Lo maio es; 
mau é; expressão que ás ve- 



MAL 

zes precede a circumstancia 
má ou difficil que existe ou 
pode acompanhar alenm fa 
cto ou assumpto. El malo 
siempre pensa engaño (rif.); 
o mau sempre sonha enga 
nos. Ex suo quisque ingenio 
alias judicat. Malo vendrá 
que bueno me hará (rif.); 
mau virá que bom te fará. 

Maloca. /. (p. Am.) Maloca; 
correria hostil e roubadora 
dos indios: — negocio que 
faziam os hespanhoes com 
08 indios, permutando os 
objectos que estes rouba- 
vam e os captivos que fa 
zíam a outros indios, por 
vidrilhos para collares, e 
outros objectos de pouco va- 
lor. 

Malócera. /. (znol.) Maloeera 
(antenna em forma de tosão); 
genero de insectos coleópte- 
ros subpentameros, da fa- 
milia dos longieornes. 

Malodonte m. (zool) Malo- 
donte (dente lanoso); gene- 
ro de insectos coleópteros 
subpentameros, da familia 
dos longieornes. 

Malogramiento, m. V. Malo- 
gro. 

Malograr, a, Mallograr, bíil- 
dar, falsar, perder, não ap- 
proveitar, Disperdere, amit- 
tere: — r. mallograr se; 
frustrar-se; gorar o que se 
pretendia ou desejava. Spe 
frustrari: — mallograr-se, 
perderse na flor da idade, 
por qualquer incidente, urna 
pessoa de esperanças. Im 
matura morte proeripi. 

Malogro, m. Mallogro, frus- 
tração, damno, prejuizo.Ja 
dura, amissio. 

Maloja./! (p. Cuh.) Forragem 
de maíz verde que se dá ás 
bestas. 

Malón, m. (p. Am.) V. Malo- 
ca, na primeira accepção. 

Malopa. /. (bot.) Malopa; ge- 
nero de plantas da familia 
das malvaceas, com varias 
especies herbáceas. 

Maloquear, n. (p. Am.) Malo- 
quear; fazerem os indios as 
suas correrias roubadoras: 
— negociar com os indios, 
comprando lhes ou permu- 
tando os objectos roubados 
nas malocas. 

Maloquero, adj. (p. Am.) la- 



MAL 

dio ladrão: — que faz com- 
mercio com os indios lndrões. 

Malosoma./. (zool.) Malosoma 
(corpo lanoso); genero de 
insectos coleópteros, da fa- 
milia dos longieornes. 

Malparado, da. adj. Malpara- 
do, em posição desfavorável. 

Malparanza. /. (ant.) Mau es- 
tado, detrimento, cnenosca 
bo de uma cousa, Detrimen- 
tum, damnum. 

Malparar, a. Maltratar, mo- 
lestar, deixar em mau esta- 
do. Lcedere, damno afficere. 

Malparida. /. Malparida; mu- 
lher que abortou ou malpa- 
riu recentemente. Abortum 
passa. 

Malparir, a. (med.)Y . Abortar . 

Malparto m. (med) V. Abor- 
to: — falso parto. 

Malpuia. /, (bot.) Malpigia; 
genero de plantas da fami- 
lia das malpigiaceas. 

MalpijiÁceas. adj. f. pl. (bot.) 
Malpigiaceas; familia de 
plantas dieotyledoneas po- 
lypetalas, com especies ar- 
bóreas e arbustivas, de in- 
florescencia indefinida, cu- 
jas flores são desprovidas de 
estames e de estipulas. 

Malquerencia. /. Malqueren- 
ça, aversão, odio, malevo- 
lencia. 

Malquerenza./, (ant.) V, Mal- 
querencia. 

Malquerer, a. (ant.) Malque- 
rer, aborrecer, detestar, de- 
sejar mal. Odisse, odio ha- 
bere. 

Malqueriente, p. a. (ant.) de 
Malquerer; — adj. alque- 
rente, malévolo, maléfico, 
inimigo. Malevolus, a, um. 

Malquistar, a. Malquistar, 
AUe.rius odium alicut con 
ciliare. Também se usa como 
reciproco. 

Malquisto, ta. adj. Malquisto, 
inimisado, odiado; que se 
indispoz com alguém. Odio- 
sus, odio habitus. 

Malrotador, ra. adj., s. Des- 
perdiçador, estragador, pro- 
digo. 

Malrotar, a. Desperdiçar, des- 
baratar, estragar, dissipar, 
prodigar, dilapidar. Dissi 
pare, dilapidare. 

Malsano, na. adj. Malsão, in- 
salubre, doentio. Insalubris, 
bre: — achacoso^ doentio, 



MAL 21 

valetudinario. Valetudina- 
rius, languidus. 

Malsín, adj. (ant) Maledico, 
cal umniador,maldizente, de- 
tractor. Maledicus, a, um. 

Malsinar, a. (ant.) Maldizer, 
murmurar.desaereditar Ma- 
ledicere, obtrectare. 

Malsindad. /. (ant.) Maledi- 
cencia, murmuração. Male- 
dictio, obtrectatio. 

Malsinería, j. (ant.) Y. Mal- 
sindad. 

Malsonante, adj. Mal soante, 
dissono; que soa mal. Abso- 
nus, a, um. 

Malsonar, n.,(ant.) Soar mal, 
produzir som e effeito des- 
agradável. Sonum aspsrum, 
insuavem edere, 

Malsufrido, da. adj. Malsof- 
frido, impaciente, insotí^rido; 
que não sabe soffrer. 

Malta (Cruz de) f (med.) Cruz 
de Malta; instrumento que 
tem a figura de uma cruz de 
Malta, que se usa no3 cura 
tivos depois da amputação 
das phalangea: — cruz de 
Malta; especie de bandagem 
com esta mesma figura: — • 
(min.) maltha; betume gela- 
tinoso, que se endurece com 
o frio, e se funde com o ca- 
lor, e é solúvel no alcool, na 
naphta e no oleo de tere- 
binthina. 

Maltaco. m. (zool.) Malthaco 
(brando, delicado); genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros da familia dos ma- 
lacodermes. 

Maltea./. (zool.) Malthea (cera 
branda); genero de peixes 
acanthopterygios caracteri- 
sados por suas barbatanas 
peitoraes pediculadas. 

Maltês, sa. adj. Mahe?; de 
Malta, relativo a seus habi- 
tantes. Melitensis. 

Malthdsino, na. adj. Malthu- 
sino; sectario da doutrina 
de Malthus. 

Maltino. m. (zool.) Maltino 
(brando, delicado); genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros da familia dos ma- 
laeodermes. 

Maltrabaja, m. (fam.) Quebra 
calçadas, quebra esquinas, 
calaceiro, mandrião, vadio. 

Maltraedor, RA. s. (ant.) Re- 
prehensor, reprehendedor. 
Objurgator, repreheneor. 



22 MAL 

Maltraer, a. (ant.) Maltratar, 
injuriar: — reprehender com 
severidade. Objurgare. 

Maltrapillo, adj. s. Maltra- 
pilho, farrapão, mal vestido. 

Maltratamiento, m. V. Mal- 
trato. 

Maltratar, a. Maltratar, in- 
Bultar, ultrajar, vexar. Ve- 
xare, exagitare: — corrom- 
per, estragar, viciar. Com- 
minuere, corrumpere: — mal- 
tratar, estropiar, mutilar al- 
guém. 

Maltrato, m. Maltrato, vexa- 
me, cppreasão ultrage. Ve- 
xatio, oiiis. 

Maltrecho, cha. adj. Maltrito, 
maltratado, avexado,atrope- 
lado, oppri mido. Fea;aí MS,o/- 
flictus: — (ant ) N .Enfermo. 

Maluco, ca. s. Maluco; o na- 
tural das ilhaa Malucas, cu 
relativo a estas. 

Malumijis. m. pl. (hist.) Malu- 
migis; hereges mahometa- 
nos que sustentam que a 
creatura pode n'este mun- 
do chegar ao perfeito conhe- 
cimento do Creador, 

Malva. /. (bot.) Malva; nume- 
roso genero de plantas dico- 

11, tyledoneas da familia das 
• malvaceas, sendo muitas das 
suas especies apreciadas pe- 
los seus usos medicinaes: 
— (fi9-) banana; pessoa de 
genio pacifico. Haber naci- 
do en las malvas (fr.) ser 
filho das hcrvas: provir de 
humilde nascimento. Obscu- 
ro, humiii loco ortum esse. 
Ni de malva buen vencejo, 
ni de estiércol buen olor, ni 
de mozo buen consejo, ni de 
puta buen amor (rif.J; nem 
da aialva bomvencelho,nem 
do esterco bom olor, nem do 
moço bom conselho, nem da 
puta bom amor. Ensina que 
de más causas se nào devem 
esperar bons effeitos, 

Malváceas. adj. f. pl. (bot). 
Malvaceas; familia de plan- 
tas dicotyledoneas polype- 
talas. que têem por typo o 
genero malva, composta de 
plantas herbáceas ou arbus- 
tivas, 8 que são algumas 
bastante empregadasem me- 
dicina como emolientes, pela 
materia mucilaginosa de que 
são impregnadas. 

Malyarisco. m. (bot.) Malvaia- 



MAL 

co; genero de plantas da 
familia dasmalvaeeas. Com- 
prehende diversas especies 
conhecidas pelas proprieda- 
des emoUientes de suas fo- 
lhas e raiz, que muito se 
aproveita em medicina: — 
de las índias. V. Abulillon. 

Malvadamente, adv. m. Mal- 
vadamente, perversamente, 
malignamente,! niquamente. 
Iniquh, scelerath 

Malvadísimo, ma. adj. sup, de 
Malvado. Malvadíssimo ; 
muito malvado, ou perverso. 
Sceleratissimus, a, um. 

Malvado, da. adj. Malvado, 
mau, perverso, iníquo, sce- 
lerado, infame. Sceleratus, 
nefarius. 

Malvar, a. (ant.) Corromper, 
depravar, viciar. Vitiare,de- 
pravare: —m. malvar; terra 
de malvas. Locus malvis 
abundans, malvarum ferax. 

Malvasía. /. Malvasia; certa 
casta de uva muito doce e 
odorífera. Uva crética: — 
malvasia; vinho fabricado 
com a uva d'estemesmonome. 
Vinum creticum, vinum ar- 
visium. 

Malvazo, za. adj, (ant.) Mal- 
vado, mau, ímpio, maligno, 
scelerado. 

Malvecedad. /. (ant.) Malda- 
de, malignidade, perversi- 
dade. 

Malvender, a. Malbaratar ; 
vender mal, por baixo preço. 

Malversación. /. Malversação, 
má administração, Malape- 
cuniarum administratio. 

Malversador, ra. s. Mau ad- 
ministrador, mau gerente; 
o que dirige mal os fundos 
ou as rendas. Malus pecu- 
niarum administrator. 

Malversar, a. Administrar 
mal, prevaricar, dilapidar. 
Pecunias non ex fide versa- 
re, administrare. 

Malvestad./. (ant.jY .Maldad. 

Malvezar, a. (ant.) V. Mala 
costumbrar. Também se usa- 
va como reciproco, 

Malvezdad, Malveztat. /. 
(ant.) Maldade, perversida- 
de, malignidade, 

Malvís, m. Especie de tordo, 
mais pequena do que ordi- 
nariamente sao as suas con- 
géneres, distinguindo sepe- 
la cor alaranjada dos lados 



MAL 

do corpo e da parte inferior 
das azas, o que também lhe 
faz dar em Hespanha o no- 
me de tordo alirojo. Turdua 
iliacus. 

Malviviente, adj. (ant.) Mal- 
vivente; de má vida, de 
costumes depravados e re- 
prehensiveis, Improbus, cor- 
ruplis moribus homo. 

Malla. /. Malha ; abertura 
em tecido de rede. Betis an- 
nulus: — malha, certa espe- 
cie de tecido de anneis de 
fio de ferro ou de outro me- 
tal, com que se fabricavam 
as cotas e outras armaduras 
para defeza. Lorica hamis, 
annulis conserta. Cota de 
malla. V. Cota: — (br.) ma- 
lha; annel redondo, como fi- 
vela sem fusilhão : — (naut.) 
malha; dobra do chicote de 
qualquer cabo, a fim de se 
nao despassar ou det-gornir: 

. — escurridiza / malha de 
correr; é a que se pode alar- 
gar ou apertar para fazer 
presa em qualquer cousa. 

MALLADA.y. (ant.) V. Majada: 
— malhada,erro,falta, culpa. 

Malladar. n. (ant ) Procurar 
malhada o gado, Pecus no- 
ctem alicubi peragere. 

Mallar. a. Fazer malhas. Ha- 
mis contexere : — (ant.) ar- 
mar com cota de malha. Ha- 
mata lorica induere : — V. 
Matar ; — (naut.) dar um 
nó de amarração. 

Mallero. m. Malheiro; o que 
faz malhas. Loricarum ha- 
matarum artifex : — agu- 
lha ou molde com que se 
fazem as malhas das redes. 

Malleta. /. (art.) Corda de 
puxar e dirigir redes. 

Mallete. m. (naut.) Linguete 
do cabrestante 

Mallo m. Jogo da malha ou 
da choca: — maça; instru- 
mento com que se impelle a 
bola no jogo da choca. Tu- 
des : — (ant.) malho. V. 
Mazo: — (naut) maço com 
que os calafates batera so- 
bre 03 ferros de metter e 
cortar estopa nas costuras. 

Mallorqués, sa. adj. (ant.) V, 
Mallorquin. 

Mallorquín, na. adj., s. Maior- 
quino; natural ou concer- 
nente á ilha Maiorca. Ma- 
joricensis. 



MAM 

Mallugab. a. (p. Mex.) V. ilia- 
giiUar. Diz-ae particular- 
mente da frueta. 

Mama /. (anat.) Mamma, pei- 
to, teta. Mamma, ce. 

Mamá. /. Mamãe; termo usado 
pelos meninos. Mamma, (b. 

Mamacallos, m. (fam.) Papal- 
vo, papa-moscas, simplório. 
Stultus, stolidus. 

Mamada, /, (fam.) Mamma, 
mammadura; os primeiros 
annos da ammamentaçào de 
uma creança. Lactatüs tem- 
pus: — mammadura; acçào 
de mammar: — (p. Am. Mer.J 
mamma; cousa inesperada 
e de grande valor, vanta 
gem conseguida por pouco 
preço ou trabalho. 

Mamadera. /. Mammadeira; 
bomba de vidro que se usa 
para alliviar do leito os pei- 
tos das mulheres. Tabula- 
tum vas jemineis mammis 
lacte levandis. 

Mamador, ba. s. Mammador; 
o que mamma. Lactens, qiii 
femíneas mammas lacte le- 
vat: — fp. Am.) bêbado, 
borrachào. 

Mamalojia. /, fzool.) Mamma 
logia; nome da parte da 
historia natural, que tem 
por objecto o estudo dos 
mammiferos. 

Mamalón, na, adj. ¡p. Cuh.) 
Ocioso, folgasílo, que gosta 
de viver do alheio como pa- 
rasita. 

Mamaluco, ca, adj. (fam.) Y. 
Mameluco. 

Mamanpian. m. (med.) Mamau- 
pian; ulcera pela qual co- 
meça o mal pian. 

Mamantar. a. (ant.) V. Ama- 
mentar. 

Mamante, p. a. de Mamar. 
Lactens, entis. 

Mamantón, na. adj. Mammao, 
mammote; diz-se do animal 
que ainda mamma. Lactens. 

Mamar, a. Mammar; chupar 
leite da mamma, Lactere, 
ubera sugere: — (fig-J mam- 
mar, beber, aprender, afia- 
zer se a alguma cousa na in- 
fancia; e assim se diz: ma- 
mó de su madre los sentí- 
mientas de piedad; bebeu 
com o leite os sentimentos 
piedosos : — (fam.) mam- 
mar, comer, engulir. Deglu- 
tiré: — apanhar, obter; e 



MAM 

assim se diz: fulano se ha 
mamado por fim la preben 
da; fulano sempre a final 
apanhou a prebenda: — y 
gruñir (fr. fam); mammar 
e grunhir, Liíquovultuetiam 
beneficia recípere. 

Mamario, ría. adj .(anat.)Mam- 
mario; pertencente ás mam- 
mas ou aos uberes. Glándula 
mamaria; glándula mam 
maria; corpo glanduloso que 
constitue a parte principal 
e posterior de cada mamma 
ou peito. 

Mamarrachada./. Pachonche- 
ta, parvoice, palavra louca. 

Mamarracho, m. (fam) Gebo; 
figura grutesca ou ridicula: 
— ornato ou figura mal aca- 
bada ou ridicula, á qual 
geralmente em portuguez 
se chama um mono. Figura 
incocinna, inelegans. 

Mamarracho, Mamarrachista, 
adj, m. (fam.) V, Pintamo- 
nas. 

Mamaru. m. (p. Am) V, Em- 
briaguez. 

Mambla. /. (prov.) Mamma de 
terra, collina, outeiro. 

Mambrino, (litt.) Mambrino; 
rei mouro, cujo elmo torna- 
va invulnerável a quem se 
cobria com elle. 

Mambrú. m. (naut.) V. Cape- 
ruza. 

Mamea, /. (bot.) Mammea; ge- 
nero de plantas da familia 
das cluseaceas. 

Mamelón, m. (anat.) V. Pe- 
zón: — pi. mamillo ou ma- 
milho. 

Mamelonado, da. adj. (anat.) 
Mamillonado; com pequenos 
tubérculos ou excrescencias 
em forma de mamillos. Sus- 
tancia mamelonada. V. Mi- 
ñón. 

Mameluco, m. (hist.) Mamelu- 
co; milícia de que se ser- 
viam 08 sultões do Egypto, 
e extincta por Mehemet-Ali 
com a morte de grande nu- 
mero d'elles. Miles quidam 
aput cegyptios: — m. (fam.) 
maluco, tolo. Stultus, stoli- 
dus: — no Brazil se dá es- 
te nome á creança que pro- 
cede de um branco e de uma 
creoula, ou de um creoulo e 
de um branco, 

Mamella, /, V. Marmella: — 
mamillo; excrescencia de 



MAM 



23 



pelle que á feição de teta 
appareceemalgunsanimaes. 

Mamellado, da. adj. V, Mar- 
mellado. 

Mamey, m. Mamey; genero de 
plantas dicotyledoneas da 
familia das gutiferas. 

Mamíferos, adj. m. pl, (zool.) 
Mammiferos; primeira clas- 
se de animaes do grande ty- 
po dos vertebrados, que oc- 
cupam também o principal 
grau na escala zoológica, a 
cuja frente se acha o homem. 

Mamiforme. adj. (anat.) Mam- 
miforme; em forma de mam- 
ma; — V. Mastoideo. 

Mamila. /. (anat.) V. Pezón. 

Mamilar, adj. (anat.) Mamul- 
lar; das mammas. Ad mci- 
millas periinens. Eminen- 
cias mamilares; eminencias 
mamillares; proeminencias 
maiores ou menores na face 
interna dos ossos do cráneo, 
correspondendo ás anfra- 
ctuosidades do cerebro. Tu- 
bérculos mamilares; tubér- 
culos mamillares; tubércu- 
los esbranquiçados, situados 
entre os prolongamentos da 
meduUa oblongada, corres- 
pondentes á parte anterior 
e inferior do terceiro ventrí- 
culo. 

Mamilaria. /. (ant.) Mammil- 
laria; armadura ou peça de 
armadura antiga, que pro- 
vavelmente defendia o pei- 
to: — (bot.) mammillaria; ge- 
nero de plantas da familia 
das cácteas, e da ieosaodria 
monogynia de Linneo. 

Mammüth. m. (zool.) Mammuth; 
elephante fóssil da Sibéria, 
chamado pelos naturalistas 
elephante primordial. 

Mamodis. m. (ant. comm.) Cer- 
ta especie de fazenda. 

Mamola. /. Meiguice, festa oa 
afago passando a mão de 
certa maneira por debaixo 
da barba de alguém, ás ve- 
zes em ar de zombaria. Or- 
dinariamente pratica aecom 
rapazes. Menti perjocum at- 
irectatio: — como interjeição 
equivale a: tolice, simplici- 
dade; v.g.: cuenta usted con 
él? mamola; conta v. m.<=® 
cora elle? Que simplicida- 
de! Está servido. Hacer á 
uno la mamola (fr.fam); 
contar historias; adular a 



24 



MAN 



alguém para o enganar, tra- 
tando-o como parvo. Stul- 
tum hlanditüs decipere. 

Mamón, na. ac// Mammão,mam- 
inote-, queainda mamma.La- 
ctens: — que mamma muito 
ou uiais tempo que o regu- 
lar, Piu muliumque lacteiis; 
— m. (agr.) rebento ou pim- 
polho que rouba o sueco ali- 
menticio á haste ou pé do 
vegetal. Germen, inis. 

Mamcna. /. (ant.). V. Mamola. 
Hacer la mamona (fr.); fa- 
zer festinhas na cara de al- 
guém em signal de zomba- 
ria e de chacota. Menta ali 
cvjus tacto cum irridere, il 
ludere. 

Mamoncillo, lla, to, ta. adj- 
dim, de Mamón. Mammao- 
sinho. 

Mamoso, SA.arf/.Amigo de mam- 
mar, que mamma com von- 
tade e appetite. Lac cupi- 
do, studiose sugens: — es- 
pecie de milho painço. Pa- 
nicum, i. 

Mamotreto, m. Borrador, bor- 
rão, livro de apontamentos. 
Adversaria, commenf.arium: 
(fam) empecilho; todo o 
objecto ou pessoa inútil, que 
80 serve de estorvo. 

Mampara. /. Alpendre, Pro- 
thyrum, i: — biombo. Oppo- 
siium vento septum. 

Mamparae. a. (ant.) Mampa- 
rar, amparar, defender, pro- 
teger. Também se usava co- 
mo reciproco: — r. escapar- 
se, evadir-se. 

Mamparo, to. (naut.) Antepa- 
ra; divisão que se faz de tá- 
buas nas cobertas dos na- 
vios e no porão para formar 
03 seus payoes. Navalis cii- 
biculi tabulatum: — (ani.JY. 
Amparo. 

Mampastou. m. (ant.) V. Mam- 
pastero , Recandador : — 
maioral. V. Mayoral. 

Mampesada, Mampesadilla. /. 
(ant) V. Pesadilla. 

Mampirlan. m. (p. Murc.)De- 
grau de madeira. Ltgneus 
scalce gradus. 

Mamporro, to. (fam.) Golpe ou 
gilvaz ligeiro que não causa 
grande damno. 

Mampostear, a. (arch.) Traba- 
lhar de pedreiro, em alve- 
naria. Camenticium opus ex ■ 
traeré. 



MAN 

Mampostería. /. Obra de alve- 
naria, obra de pedra e cal. 
Ccementicium opus: — officio 
de pedreiro. 

Mampostero, to. Pedreiro; offi- 
cial que trabalha em obra 
de alvenaria. Ccementicii 
operis exstructor: — colle- 
ctor de dizimos, impostos e 
outras rendas. Vectigalium, 
eleemosinarum exactor, pu- 
blicanus. 

Mam POSTOR, to. (ant.) V. Mam- 
postero, na segunda acce- 
pção. 

Mampostoría./. (ant.)Y. Mam- 
postería, na segunda acce- 
pçào. 

Mampresar, a. (prov.) Come- 
çar a domar os cavallos in- 
dóceis e nao ensinados. Do- 
mare incipere. 

Mampuesta, f. V. Hilada. 

Mampuesto, to. (ant.) Achega; 
materiaes para as obras de 
alvenaria. Ccementum, i; — 
miúdos; pedra miúda, boca 
dos de tijolo, lascas de pe- 
dra, com que se enchem os 
vacuos das pedras grandes. 
Assula, ce. De mampuesto 
(loe. adv ); de mamposta, de 
proposito, de prevenção. £/'x- 
prceparato. 

Mamudi. to. Mammude; moeda 
de prata que corre na Pér- 
sia e Indias Orientaes. 

Mamujar, a. Mammar sem ap- 
petite, ora tomando a mam 
ma ora deixando-a. JEgre 
sugere. 

Mamullar, a. Comer ou mas- 
tigar com os mesmos gestos 
e ademanes que faz o que 
mamma. Mammam sugen- 
tis gestus mandere: — ga- 
guejar, balbuciar, tartamu- 
dear. Balbutire. 

Man. /. (ant.) V. Mano: — 
manhã: — a mano, man y 
mano (fr.); logo, no mesmo 
instante: — a maxiella; en- 
costar a mão ao rosto, em 
attitude de pensar. A man 
(loe. adv. ant.); logo, sem 
demora, em continente Sta 
tim, illicò. A man salva. V 
A mano salva. A man te 
niente. V. Manteniente. Bue 
na man derecha (fam. ant.); 
boa mão direita, excellente 
braço direito; felicidade, 
fortuna, bom êxito no que 
ae emprehende. Felicitas, 



MAN 

atis: — TO. peso em uso nas 
índias Orientaes. 

Maná. to. (hist. rei.) Maná, 
manná; orvalho que Deua 
enviou em chuvaaos hebreus 
para os sustentarno deserto. 
Manna, ce: — (p. Estr.) man- 
ná; torrão muito brando e 
saboroso que se faz com as- 
sucar, cravo e outros ingre- 
dientes: — (ant.) manná; in- 
censo partido e reduzido 
quasi a pó. Tkuris manna, 
thus comminutum : — (bot.) 
manná ; materia concreta 
e assucarada , que corre 
em abundancia espontanea- 
mente ou por incidão de uma 
especie de freixo da Sicília 
e da Calabria, e se emprega 
em medicinacomoexcellente 
purgante. Manna., oe: — (fig.) 
manná, alimento celeste, 
sustento do espirito; o que 
deleita a alma. 

Manada. /. Manada, rebanho. 
Grex^gregis: — de cerdos; va- 
ra de porcos: — manipulo; 
molho de herva, espigas ou 
qualquer cousa, que se pode 
abranger com a mão. Ma- 
nipulus, i: — (ant.) reba- 
nho, turba; reunião de mui- 
tas pessoas. Hoje só se usa 
em estylo familiar. Agmen, 
turba. A manadas (loc. adv.) 
V. Eu cuadrillas. 

Manadero, ra. adj. Manadeiro; 
o que mana. Manans, antis: 
— TO. zagal, pegureiro, pas- 
tor. Pecuarius, pastor: — V. 
Manancial : — (ant.) coador, 
passador. 

Manadilla, ta. /. dim. deilfa- 
nada. Manadasinha. 

Manalgia. /. (med.) Maualgia; 
entorpecimento geral do cor- 
po e do espirito. 

Manamano. adv. (ant.) V. Man. 

Manancial, to. (ant.) V. Ma- 
nantial. 

Manante, p. a. de Manar. Ma- 
nante. Manans, antis. 

Manantial, to. Manancial, fon- 
te : — manancial; olho de 
agua nascente. Fons, origo: 
— (fig.) manancial, origem, 
principio, causa de um facto 
ou de um conhecimento. Ori- 
go, inis. 

Manantío, tia. adj. (ant.) Ma- 
nante; que mana. Manans. 
antis: — m. (p. Estr.) V. 
Manantial, das aguas. 



MAN 

Manaquin. m. (zool.) Mauakin 
ou inauaquira; genero de aves 
da familia dos pipradcos, do- 
tadas de cauto melodioso e 
de plumajíem brilhante. 

Ma NAU. n. Manar, correr, de- 
rivar-se; saíi-, brotar algum 
lirjuido de urna parte. Ma- 
nare, scatarire. Também se 
usa como activo : — (fig-) 
emanar, origiuar-se, proce- 
der. Emanare: — (fig.) abun- 
dar, superabundar. Affluere, 
abundare. Usa-se tarabem 
como activo n'esta accepção. 

Manares, m. pl. Manares ; pe- 
neires primorosos de fio de 
palmeira, que fazem os in- 
dios de Casanare, na pro- 
vincia de Nova Granada. 

Manas, m. (pililos, indica) Ma- 
nas; alma sensivel, instru- 
mento da intelligencia, que 
se distingue da alma, que 
pensa e quer. Usa-se no sys- 
tema de Niaya. 

Manatí. ¿?i. V. Lamantiu: — 
(p. Cub.) açoute flexível e 
delgado, que se faz do cou- 
ro do animal do mesmo no- 
me. 

Manatiazo. m. (p. Cub.) Gol- 
pe dado com o açoute, que 
na ilha de Cuba se chama 
Manatí. 

Manato, m. V. Manatí. 

Manaza. /. aug. de Mano. Ma- 
napola; grande mao. 

Mancamiento, m. (ant.) Falta, 
privação, perda de alguma 
cousa. Defedus. 

Mancar, a. Mancar, aleijar, es- 
tropiar-, impossibilitar o li- 
vre jogo de um membro ou 
parte do corpo. Também se 
usa como reciproco. Lcede- 
re: — n. (ant.) mancar, fal- 
tar, deixar de fazer-se algu- 
ma cousa por falta de al- 
guém. Deficere : — (germ.) 
faltar. 

Mancarrón. «í. (p. A. M.) Ro- 
cim, sendeiro, cavallo estro- 
peado. 

Mancarronada. /. (p. A.) Re- 
cua de sendeiros. 

Manceba. /. Manceba, amiga, 
concubina, amasia; mulher 
com quem se têem relações 
illicitas continuadas. Pel- 
lex, concubina: — (ant.) V. 
Doncella. Manceba en cabe- 
llo. V. Doncella ó soltera, 
de pouca idade. 



MAN 

Mancbuete. m. dim. de Man- 
cebo. Maucebinho, mocinho, 
rapasinho. 

Mancebez. /. (ant.) V. Juven- 
tud. 

Mancebía. /. (ant.) Mancebia, 
adolescencia, juventude, mo- 
cidade, j.nvenilidade; idade 
de mancebo: — (ant.) man- 
cebia, aleouce, bordel, lupa- 
nar; casa de prostituição. 
Lupanar, aris. 

Mancebico, llo, to. m. dim. de 
Mancebo. Mancebinho, mo- 
cinho. 

Mancebo, m. Mancebo, jo- 
ven, moço na idade. Adoles- 
cens, entis: — mancebo; offi- 
cial ou artista assalariado. 
Artífex sub magistro opus 
faciens, mercede conducta: 

— (ant.) V. Soltero. Mancebo 
me fui y envejecí, mas nun- 
ca al justo desamparado 
vi (rif.); fui rapaz e enve- 
lheci, mas nunca eni des- 
amparo ao justo vi. Júnior 
fui, etenim seniii, et non vidi 
justum derelictum. 

Mancelladero, ra. adj. (ant.) 
V. Mancilladero. 

Mancellar. a. (ant.) V. Aman- 
cillar. 

Mancelloso, sa. adj. (ant.) Ma- 
licioso, maligno. Improbus, 
malignus : — manchado, su- 
jo, maculado. 

Mancer. adj. (ant.) Espurio ; fi- 
llio de mulher publica. No- 
thus, a, um. 

Mancera. /. Rábica do arado. 

Mancerina. /. (ant.) V. Mace- 
rina. 

JVIancia. /. (philol.) Mancia; 
nome ou suffixo de origem 
grega e latina, que entra na 
composição de muitas pala- 
vras castelhanas e portugue- 
zas, e que pode traduzir-se 
por adivinhação, prognos- 
tico ou arte de adivinhar. 

Mancil. m. (germ.) V. Mandil. 

Mancilla. /. V. Mancha : — 
(ant.) mazella; grande feri- 
da ou chaga que move a 
compaixão. Fcedum, vulmts: 

— (ant.) mazella, afílicção, 
lastima. Miseratio, onis. 

Mancilladero, ra. adj. (ant.) 
Infamante, deshonroso, des- 
lustrador. Maculans, fce- 
dans. 

Mancillaiiiento. m. (ant.) Man- 
cha, deshonra, desdouro, des- 



MAN 



2è: 



lustxe, infamia. Maculatio, 
onis: — V. Daño. 

Mancillar, a. Manchar, sujar. 
V . Am an ciliar. Mac ulare: — 
lastimar, oft'euder, magoar, 
afBigir: — (fig-) manchar, 
de;-doarar, macular, deslus- 
trar, difiamar. Maculare: — 
manchar, afeiar, destruir; 
fazer feio e disforme: — ■ 
manchar, deshonrar, desflo- 
rar. 

Mancilloso, sa. adj. (ant.) Las- 
timoso, deplorável, misero, 
carregado de miserias. Mi- 
ser abilis, le. 

Mancinita. /. (min.) Mancini- 
ta; silicato de zinco, que se 
encontra perto de Liorna. 

Mancipación. /. (ant.) Manci- 
paçâo. V. Emancipación. 

Mancipas, a. Sujeitar, submet- 
ter, fazer escravo. Também 
se usa como reciproco. Man- 
cipare. 

Manco, ca. adj. Manco, aleija- 
do; diz-se da pessoa ou do 
animal falto de algum mem- 
bro ou que se não pode ser- 
vir d'elle. Mancus, a, um: 

— (fig-) manco, defeituoso, 
imperfeito; falto de alguma, 
parte necessária; diz-se de 
uma obra, de um verso, etc. 
Ma7icus, mutilus. No ser co- 
jo ni manco (fr.); não ser 
coxo nem aleijado, V. Cojo: 

— m. (zool.) manco; genero 
de aves palmipedes, da fa- 
milia das impennadas : — 
pl. mancos; familia de aves 
da ordem das palmipedes, 
cujas azas são improprias 
para o vôo. 

Mancomún (de), (loe. adv.) V. 
Mancomunadamente. 

Mancomunadamente . adv. in. 
De mão commum, de com- 
muin accordo, de sociedade. 

. Communi consensu. 

Mancomunar, a. Mancommu- 
uar, ajustar, contratar, con- 
vencionar. Também se usa 
como reciproco. In commu- 
ne conferre: — (for.) man- 
communar; obrigar a duas 
ou mais pessoas mancom- 
muuadas á paga ou execu- 
ção de alguma cousa. Ad so- 
lutionem communiter con- 
stringere. 

Mancomunidad. /. União, as- 
sociação em commum, de 
duas ou mais pessoas, para 



26 



MAN 



negocio de utilidade mutua, 
contrato solidario. Commu- 
nio, conspiratio : — (fo^'-J 
sociedade; contrato pelo qual 
duas ou mais pessoas se obri- 
gam como principaes a pa- 
gar pro rata, ou cada uma 
in solidum, a divida que 
contrahem. 
Mancornar, a. Abater um gar- 
raio ou novilho, fazendo-o 
assentar os cornos em terra 
e impossibilitando-lhe assim 
o movimento: — (p. Cub.) 
ajoujar, ou juntar duas cou- 
sas da mesma especie; de 
ordinario diz-se dos ani- 
maes cornígeros, das res- 
teas de alhos, de cebolas, 
etc. 
Mancuadra. /. (ant, for.) Ju- 
ramento de calumnia; jura- 
mento mutuo que faziam os 
delinquentes de não faltar 
á verdade relativamente ao 
pleito. Mutuum litigatorum 
jusjurandum. 
Mancuerda. /. (ant.) Volta da 
roda, n'este genero de sup- 
plicio. Questionis contortio 
sic dieta. 
Mancuerna. /. (p. Cub.) Ajun- 
tamento; acção de ajuntar 
duas cousas da mesma es- 
pecie. 
Mancumun (de), (loc. adv.) 

(ant.) V. De mancomún. 
Mancuso. m. Mancusso; moe- 
da de oiro mourisca, que 
coi-ria em Hespanha pelos 
séculos XI e xii. 
Mancha. /. Mancha, laivo, nó- 
doa, macula; signal que se 
imprime em algum corpo, 
quando sobre elle cáe algu- 
ma cousa que lhe muda a 
côr. Macula, os: — man- 
cha, malha; parte de um 
corpo ou superficie de côr 
difterente do resto, como as 
manchas do pello dos cavai- 
los e outros animaes, etc. 
Macula, ce: — malha; bo- 
cado de terreno que se des- 
tingue dos immediatos por 
alguma qualidade ou cir- 
cumstancia particular. Fars 
agri ab aliis eircnmstanti- 
bus diversa: — (fig-) man- 
cha, labéu, descrédito, des- 
douro, deslustre, nódoa; des- 
honra por nascimento ou 
por infamia. Macula, labes : 
— mancha; parte escura so- 



MAN 

bre um astro. Macula, ce. 
No es mancha de judio (loc. 
fam.); não é mancha de ju- 
deu, não é mal sem reme- 
dio; não ser muito impor- 
tante a nota má que se im- 
põe ou imputa a alguém. 
Haud máxima labes. Salir 
la mancha; sair a mancha, 
sair a nódoa da roupa. Di- 
lui , disparere : — (med.) 
mancha, malha ; alteração na 
côr da pelle, mais ou menos 
circumscripta, e sem eleva- 
ção nem depressão alguma: 

— de escarlatina. V. Eféli- 
des. 

Manchado, da. adj. Mancha- 
do; que tem nódoa ou man- 
cha. Maculis distinctus: — 
malhado; que tem malhas, 
manchas, pintado de varias 
cores, como a pelle do ti- 
gre. Maculatus, a, um. 

Manch AMIENTO. 771. (ant.) Ac- 
ção e effeito de manchar. 

Manchar, a. Manchar; sujar 
uma cousa pondo-lhe nódoa 
ou mancha. Também se usa 
como reciproco. Maculare: 

— (fiy-) manchar, macular, 
deslustrar, desdoirar, enxo- 
valhar; denegrir a fama, a 
reputação, o credito. Fceda- 
re: — (pint.) manchar; ir 
mettendo as massas de cla- 
ro e escuro antes de as unir 
e empastar. Coloribus dis- 
tinguere. 

Manchega. /. Fita de cores de 
que ordinariamente se fazem 
ligas. Chama-se fita man- 
chega, em castelhano, por se 
fabricar na Mancha. Lanece 
versicoloris fasciola, ligula. 

Manchego, GA. s. o natural da 
Mancha: — adj. pertencen- 
te á província da Mancha. 
Contestanus, a, um. 

Manchica, lla, TA. /. diM. dc 
Mancha. Manchinha, malhi- 
nha, manchasinha. 

Manchón, m. aug. de Mancha. 
Mancha grande. 

Manchuela. /. dim. de Man- 
cha. Manchinha, malhinha. 

Manda. /. Offerta ou promes- 
sa que se faz de alguma 
cousa. Promissum, pollici- 
tatio : — legado, deixa, dis- 
posição testamentaria. P^m 
portuguez antiquado tam- 
bém se dizia manda. Lega- 
tnm, i: — promessa; a cou- 



MAN 

sa promettida: — (ant.) V. 
Testamiento. La manda dei 
bueno no es de perder (rif); 
o prometido é devido. Pro- 
missa repetuntur. 
Mandacion. /. (ant.) V. Juris- 
dicción, Facultad. 
Mandadeiro. m. (ant.) V. Man- 
dadero, nas duas ultimas ac- 
cepções. 
Mandadera. /. V. Demanda- 
dera. 
Mandadería. /. (ant.) Embai- 
xada, mensagem: — (ant.) 
oflicio ou cargo de manda- 
tario. 
Mandadero, ra. s. Mensagei- 
ro; o que executa manda- 
do de outro. Em portuguez 
também se dizia mandadei- 
ro. Famulus a mandatis : — 
m. V. Demandadero: — 
(ant.) V. Procurador: — 
encarregado ou commissio- 
nado de algum negocio ou 
contrato. Legatus, i. 
Mandado, m. Mandado, reca- 
do, mensagem. Mandatum, 
i: — (ant.) mandado; or- 
dem de um superior a um 
inferior. Mandatum, prcece- 
ptum, jussum: — V. Obe- 
diencia : — mensagem, com- 
missão : — satisfação, rasão, 
resposta. 
Mandador, ra. s. (ant.) Man- 
dador ; o que manda. Jubens, 
imperans: — mandador ; que 
manda muito, que abusa da 
auctoridade : — (ant.) embai- 
xador, legado, enviado ; pes- 
soa que levava alguma em- 
baixada. Legatus, i. No te 
hagas mandador donde no 
futres señor (rif); não te fa- 
ças mandador onde não fo- 
res senhor. 
Mandamiento, m. Mandamento, 
mandado, pi-eceito ; ordem de 
um superior a um inferior. 
Mandatum, prceceptnm, jus- 
sum: — mandamento; cada 
um dos preceitos do decá- 
logo c da Igreja. Prcecepitum, 
i: — (for.) mandado; ordem, 
despacho do juiz por escri- 
pto mandando executar al- 
guma cousa. Decretum, jus- 
sum : — pi. (fam.) os cinco 
mandamentos; os dedos da 
mão quando se usa d'elles 
em logar de colher, ou para 
dar em alguém, e assim se 
diz: come con los cinco man- 



MAN 

damientos, le puse en la ca- 
ra los cinco mandamientos ; 
come com os dedos, assentei- 
Ihe 03 cinco mandamentos 
na cara. Digiti, orum. 

Mandante, adj. Mandante ; que 
manda. Juhens, entis. 

Mandar, a. Mandar, ordenar 
como senhor ou superior. Ju- 
bere: — mandar, encarregar, 
recommendar; como quando 
entre pessoas absolutamente 
iguaes pergunta uma á ou- 
tra: ¿qué me manda? Que 
manda, que me quer? Man- 
dar em testamento, legar, 
dispor. Testamento legare: 
— mandar, enviar, oíFerecer, 
prometter. Promittere, pol- 
licitari : — ffam.) V. Enviar : 
— (ant.JmandaLY, querer: — n. 
mandar, dominar, governar, 
reger, ter o mando. Impera- 
re. Usa-se também como ac- 
tivo : — sobresaír, ser mais 
elevado que outra cousa: — 
r. mover- se alguém por si 
mesmo e sem ajuda extra- 
nha; diz-se principalmente 
dos doentes. Memhris facile, 
expedite uti : — communicar- 
se uma casa, uma peça com 
outra, nos edificios. Peruium 
usum cedes intus habere: — 
6ervir-se de alguma porta, 
escada ou outra communi- 
cação. Pervio cedium usu 
frui. Manda potros y da po- 
cos (rif.J; quem muito pro- 
mette pouco dá. Multa fideni 
promissa levant. Manda y 
descuida, no se hará cosa 
ninguna (rif.); manda e des- 
cuida, nao se fará cousa ne- 
nhuma. Prceceptum, ni ope- 
ri instes, inutiVe est. El man- 
dar no quier par (rif.); man- 
dar não quer par. Omnispo- 
testas impatiens consortis 
erit: — (equit.) mandar, do- 
minar o cavallo, maneja-lo 
bem: — (naut.) V. Calar: — 
(mil.) mandar, commandar; 
dar as vozes de commando. 

Mandarín, m. Mandarim; pa- 
lavra inventada pelos por- 
tuguezes, e adoptada por to- 
dos os europeus, para desi- 
gnar os empregados da Chi- 
na, e principalmente os ma- 
gistrados de justiça. Com- 
preheude todos os letrados 
divididos em dezoito classes. 
Prcefectus urbis, prcetor : — 



MAN 

(fig.) bachá, rei pequeno; o 
que exerce absoluta influen- 
cia nos negocios públicos de 
um paiz ou districto. 

Mandakinato, m. Mandarina- 
do; dignidade, funcções do 
mandarim, territorio da sua 
jurisdicção. 

Mandarinismo. m. (neol.) Man- 
darinismo; systema de pro- 
vas e de concurso por que se 
faz passar na China aos que 
aspiram ao grau de letrados, 
e por conseguinte aos cargos 
públicos : — em sentido mais 
lato diz-se de qualquer sys- 
tema que tende a classificar 
os cidadãos segundo a sua 
instrucção. 

Mandarino, na. adj. Mandari- 
no, mandarineo; diz-se do 
que pertence aos mandarins. 
Lengua mandarina; lingua 
mandarina; a lingua sabia 
da China, que é usada pelos 
mandarins nos actos officiaes. 

Mandarria. /. (ant.) Martello 
de que usam os calafates 
para metter ou tirar as ca- 
vilhas nos costados dos na- 
vios, e para outros usos. Mal- 
leus ferreus. 

Mandatario, m. Mandatario, 
procurador; individuo que 
faz as vezes por alguém me- 
diante procuração ou man- 
dato. Mandatarius, ii: — 
mandatario; aquelle em fa- 
vor de quem o papa expediu 
um mandato. Mandatarius, i. 

Mandato, m. Mandado, man- 
damento, ordem, determina- 
ção ; preceito imposto por um 
superior aos seus inferiores. 
Jussum, i: — lava-pés; cere- 
monia religiosa que se cele- 
bra na quinta feira de en- 
doenças lavando os pés a 
doze pobres. Religiosa coe- 
remonia ita dieta : — manda-, 
to ; sermão que se prega em 
quinta feira santa sobre os 
actos dos magistrados de Je- 
rusalém contra Jesus Chris- 
to : — (foi'-) mandato, procu- 
ração; acto pelo qual se en- 
carrega alguém de fazer al- 
guma cousa em logar de ou- 
tra pessoa, e se lhe chama 
procurador ou mandatario. 
Mandatum: — (polit.) man- 
dato; linha de conducta ou 
obrigações que os eleitores 
impõem ou traçam aos seus 



MAN 



27 



procuradores ou deputados. 
Mandato apostólico ; man- 
dato apostólico ; rescripto do 
papa que tem p.or objecto 
uma prescripção ou uma 
prohibição. Também ás ve- 
zes se dá este nome aos res- 
criptos pontificios que con- 
feriam missão ou emprego 
particular a certos indiví- 
duos. 

Manderecha. /. (ant. fig.) V. 
Mano derecha, boa sorte ou 
fortuna. 

Mandíbula. /. (anat.) Mandí- 
bula, queixada, maxilla; ca- 
da um dos dois ossos em 
cuja borda livre estão im- 
plantados os dentes.Tambem 
se lhe chama queixos. 

Mandibular, adj. Mandibular, 
maxillar ; relativo ou perten- 
cente á mandíbula, á ma- 
xilla. 

Mandicho, cha. s. (ant.) Pi- 
caro, alcoviteiro, rufião. 

Mandil, m. Mandil; trapo ou 
panno grosseiro para lim- 
par alguma cousa: — man- 
dil ; avental grosseiro de ho- 
mem ou mulher, para se não 
sujarem nos seus mesteres. 
Ventrale, is : — mandil ; pan- 
no de anediar as bestas de- 
pois de escovadas: — (germ.) 
V. Mandilandin. 

Mandilada. /. (germ.) Mandi- 
lada; reunião de creados de 
alcoviteiros. 

Mandilandin. to. (germ.) Man- 
dil; creado, mensageiro de 
alcoviteiros ou de mulheres 
publicas. 

Mandilandinga. /. V. Picares- 
ca. 

Mandilar, a. Anediar ; acabar 
a limpeza do cavallo, esfre- 
gando-o com o mandil, para 
lhe assentar e lustrar o pel- 
lo. Equos linteo crassiore ab- 
stergeré. 

Mandilejo. to. dim. de Mandil. 
Mandilzinho; mandil peque- 
no : — mandilzinho; mocinho 
de alcoviteiro ou de mere- 
triz. 

Mandílete, to. (mil.) Porti- 
nhola da peça de artílbe- 
ria. Pluteus bellicis tor men- 
tis tuendis. 

Mandilón, to. (fam.) augm. de 
Mandil. Mandilâo; mandil 
grande : — (fam.) papa-as- 
sorda, cobarde, poltrão; ho- 



28 



MAN 



mcm igiiavu, fraco de espi- 
rito. 

Mandioca. /. (p. Am.) V. Yuca. 

Manioc, m. Mando, nuetorida- 
do, poder de mandar. Im¡}e- 
rium, pot estas : — (ant.) V. 
Mandato:— (germ.J Y. Des- 
tierro. Tener el mando y el 
palo (fr.); ser senhor de ba- 
raço e cutello. Omnímoda 
aitctoritate pollere. 

Mandoble, m. Mandobre; gol- 
pe, cutilada mxu forte, dada 
com as duas mãos. Grave 
vulnus, gravis ictiis: — (fiff-) 
reprebensão áspera e severa. 
Vehemens castigatio. 

Mandolina. /. (mvs.) Mando- 
lim ou bandolim ; instrumen- 
to pouco maior que a ban- 
durra, e meuor que a gui- 
tarra, cortí quati'o cordas e 
o fundo convexo. 

Mandón, na. adj. Mandão; diz- 
se do homem muito imperio- 
so e que de ordinario abusa 
da auctoridade. Também se 
usa substantivado. Imperio- 
sus, a, um. 

Mandora. /. (mus.) Bandurra; 
instrumento antigo, ¡"«areci- 
do com o alaúde. 

Mandra./. (ant.) Cabana, cho- 
ça de pastor. Mandra, ce. 

Mandrachero, m. Taful ; jo- 
gador por officio e que tem 
casa de jogo. Aleator, oris. 

Mandracho, m. (prov.) Casa de 
jogo publico. Aleatorice mdes. 

Mandragora. /. (hot.) Mandra- 
gora (prejudicial aos gados); 
genero de plantas da fami- 
lia das solaneas, cuja espe- 
cie commum é dotada de pro- 
priedades narcóticas. 

MandrÁgula. /. (a7it.) Mendrá- 
cula. V. Áíandrúgora : — 
(ant.) phantasma, visão má, 
especti'o, avejáo, larva. 

Mandria, m. (fam.) Homern co- 
barde, apoucado, sem prés- 
timo. Homo igna.vus, meti- 
cidosus : — mandri ao, pregui- 
çoso : — (germ.J siivipleirao, 
bolonio, ignorante. 

Mandriez. m. (ant.) Negligen- 
cia, pusillanimidade, fra- 
queza, falta de animo. Igna- 
via, debilitas. 

Mandril, m. (zool.J Mandril ; 
especio de mammiferos cy- 
nocephalos. 

Mandron. m. (aiit.J Mandrào; 
machina para atirar pedras, 



MAN 

de que usaAam os antigos 
na guei-ra. BalUsta, machina 
bellica. ad saxa jacienda : — 
(aiit.) bola, grande de pau 
ou de pedra que se arrojava 
com n mão : — (ant.) pri- 
meiro golpe que dava a bola 
ou pedra quando se despe- 
dia da mão. Frimus lapidis 
icfus. 

Manducable, adj. (fam.) Man- 
ducavel, comivel, comestí- 
vel ; que se pode manducar 
ou comer. 

Manducación. /. (fam.) Man- 
ducação; acção de mandu- 
car, de comer. Manducaiio, 
onis. 

Manducar, a. (fam.) Mandu- 
car, comer, codear. 

Manducatoria. /. (fam.) Pa- 
pazana, comezana, colnida. 

Mandürria. /. (ant.) V. Ba?i- 
durria. 

Manea. /. V. Maniota. 

Maneador. m. (p. A.) Tira de 
coiro ou especie de laço que 
os camponezes levam enro- 
lado ao pescoço do cavallo 
para pear os potros, pren- 
der os cavallos e outros usos. 

Manear, a. Pear ; prender a 
besta com pea ou maniota. 
Jumenti manus vincire : — 
(ant.) manear. V. Manejar : 
— fp. Mex) embaraçar, fa- 
zer tropeçar alguém atraves- 
sando uma corda por onde 
ha de passar : — (ant.) ma- 
near. V. Manosear : — ?•. (p. 
Mex.); enredar- se ou tro- 
peçar quando se vae an- 
dando. 

Manecica, lla, ta. /. dim. de 
j>/ano.Mãosinha,manita,ma- 
neta; mão pequena: — /. fe- 
cho ; peça ordinariamente de 
metal com que se apertam e 
fecham alguns livros e ou- 
tras cousas. Fíbula, ai : — 
mão, manda ; signal com 
a figura de mãosinha que 
se põe ás vezes nos escriptos 
ou impressos para exprimir 
nota ou chamada : -•- mão ; 
ponteiro ou pequena flecha 
que nos relógios indica as 
horas ou minutos. Index, 
gnomon: — especie de aba 
de chapéu para esfregar o 
que se imprime ou estampa 
em tela. Manecilla dela este- 
va del arado ; a parte exca- 
vada por onde se pega para 



MAN 

manejar o arado ou a char- 
rua. 

Manefestar. a. (ant.) V. Ma- 
nifestar. 

Manejable, adj. Manejavel, 
maneavel ; diz-se do que é 
fácil de manusear ou mane- 
jar. Tractahílis, mitis,docílis: 
— (naut.) maneavel, brando; 
diz-se do vento e do mar 
quando não são muito for- 
tes e permittem manobrar 
com facilidade. 

Manejado, da. adj. Manejado, 
executado; com os adverbios 
bien ou mcd e outros sirni- 
Ihantes, significa obra bem 
ou mal acabada ou executa- 
da. Usa-se particularmente 
fallando de pintura?. 

Manejar, a. jNIauejar ; traba- 
lhar fazendo alguma cousa 
com as mãos. Manu tracta- 
re, versare : — (fig-) mane- 
jar, dirigir, conduzir, reger, 
governar. Dirigere, ducere: 

— r. mover-se; adquirir agi- 
lidade depois de ter estado 
impedido : — governar-se , 
dirigir-se; conduzir-se bem, 
com prudencia, saber viver: 

— (equit.) manejar ; gover- 
nar, dirigir o cavallo, exer- 
cita-lo, faze-lo andar com 
arte. Equo dextere uti : — 
n. (naut.) V. Barajar. 

Manejo, m. Manejo; o traba- 
lho de manejar e o seu cf- 
feito. Tractatio, iisus : — 
(fig.) manejo, gerencia, ad- 
ministração; direcção de al- 
gum negocio. Admínistra- 
ctio, onis: — manejo, pica- 
ria, equitação; arte de exer- 
citar o cavallo. Equos re- 
gendi ars: — manejo, pica- 
deiro : — pi. manejos, mano- 
bras, artimanhas, artificios, 
trama astuciosa. Manejo de 
armas (mil.) manejo, exercí- 
cio das armas, manobras, 
evoluções militares. 

Manenfestar. a. (ant.) V. Ma- 
nifestar. 

Maneota. /. V. Maniota. 

Manequí. m. V. Maniquí. 

Manera. /. Maneira, modo, es- 
tylo. Modus, ratio : — ma- 
neira, sorte, feição; quali- 
dade ou classe das pessoas : 

— (ant.) V. Figura : — (atit.) 
V. Faltriquera: — (ant.) V. 
Maña: — (ant.) V. Costum- 
bre: — maneira; abertura 



MAN 

nos capotes e saias das mu- 
lheres, para se metíer a mão 
na algibeira, feita de um 
lado. N'este sentido é anti- 
quado eni portuguez. Vcsfis 
foramen mütendis manihus: 
— abertura anterior dos cal- 
ções : — (a'Ht.) V. Especie, 
Género: — pl. maneiras, 
modo; porte das pessoas: — 
(cuif.) maneiras, costumes. 
V. Costumbres: — (pini.)mn- 
neira, cstylo; modo e cara- 
cter que um pintor ou es- 
culptor imprime a todas as 
suas obras. Modus, siüus. 
De manera (loe. adv.J; de 
maneira, de forma, de sor- 
te, de modo. Ita adeo, iisqtíe 
aden. En gran manera; so- 
bre maneira, muito, em alto 
grau. En manera. V. De 
manera. Por manera (loe, 
adv.J; por maneira. V. De 
manera. Sobre manera. V. 
En gran manera. 

Mañero, ra. adj. (cae.) manei- 
ro, creado á mào; diz- se do 
açor e do falcào ensinado a 
vir á mào. Mansuetus, a, 
um: — adj. (ant.) dizia-se 
do devedor que se substi- 
tuía para pagar as dividas 
de outro. Subroqalus dehi- 
tor: — rn. (ant.) proroga- 
çào de praso. 

Maneruelo. adj. (ant.) Macea- 
vel, manejavel, tratavel. 

Máxks. m. pL Manes, almas 
dos mortos. Na mythologia 
dos etruscos e romanos, os 
manes eram as almas dos 
mortos, consideradas como 
divindades infernaos. 

Manetia. /. (bot.) Manettia; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 

Manetrar. a. (ant.) V. Mania- 
tar. 

Manezüela. /. V, Manecilla, 
Abrazadera. 

Manferir. a. (ant.) Alistar, de- 
signar: — (naut.) averiguar 
a carga que pode levar uma 
lancha ou embarcação idén- 
tica, no arsenal de Cádiz, 
pondo-lhe successivamente 
pesos de ferro até não po- 
der resistir. 

Maxfestau. a. (ant.) V. Mani- 
festar. 

Manfla. /. (fam.) Concubina, 
manceba, amiga. Scortum, 
i: — (p. Mane.) porca ve- 



MAN 

lha que pariu recentemente. 
Sus enixa, effaita: — (germ.) 
mangalaca, bordel, alcouce. 

Manflota. /. (germ.) Alcouce, 
bordel. 

Manflotesco, ca. adj. (germ.) 
Próprio do bordel ou lupa- 
nar: — m. putanheiro; o 
que frequenta os alcouces. 

Manga. /. Manga; parte do 
vestido que cobre o braço. 
Manicm, arum: — pedaço de 
panno que em alguns ga- 
bões cae dos hombros ■ até 
aos pés. Manicoi pendentes: 

— maleta portátil, que se 
abre pelas duas extremida- 
des, as quaes se fecham com 
uns cordões. Bidga, ce: — 
saia da cruz. Parochialis 
crucis indiimentum: — (p. 
Mex.) manta grande de lu- 
xo usada pelos lavradores : 

— pl. luvas, gratificação. 
Utilifates, commoda: — (art.) 
mangote; couro da carrua- 
gem, em forma de bainha, 
por onde passam os tiran- 
tes: — manga, filtro ou sac- 
co de baeta ou lençaria, á 
maneira de funil, para fil- 
trar os licores. Cucidlus li- 
quoribns colandis: — tarra- 
fa; rede de pescar. Beteja- 
ctdum, i : — camaroeiro; re- 
de com que se pescam ca- 
marões, e que ás vezes se 
substitue por um saco alon- 
gado, cuja boca é guarne- 
cida por um arco de pipa : 

— (hot.) V. Mangle: — (^ihys.) 
manga, tromba; columna de 
agua que se eleva do mar 
por efieito de uma attrac- 
çâo atmospherica, e que de- 
pois se derrama em chuvei- 
ros. Aquce m.arince turbo: — 
(mil.) manga, plotão, troço, 
¡jartida pouco numerosa de 
tropa escolhida: — manga; 
na antiga milicia era a tro- 
pa de arcabuzeiros ou mos- 
queteiros com que se guar- 
neciam os lados. Manus, ma- 
nipiãus: — (naid.) a maior 
largura do navio. Media na- 
vis latitudo : — também se 
diz da parte mais lai'ga de 
um dique e de qualquer das 
divisões de bordo: — man- 
ga; mangueira, a parte de 
uma bomba por onde sobe 
a agua attrahida pelos êm- 
bolos: — de viento (naut.); 



MAN 29 

furacão; vento repentino e 
impetuoso: — arrocada(ant.); 
e-pecie de manga do vesti- 
do, assim chamada porque 
tinha mais ou menos a for- 
ma da parte superior de 
uma roca de fiar. Manicce 
scisnris distincta;. : — de án- 
jel; manga larga e guarne- 
cida dos roupões feminis. 
Manicarum muliebrium ge- 
nus: — perdida; manga 
¡perdida; a pendente por de- 
trás das jaquetas dos ar- 
veeiros, homens do camjDo e 
outros. Manicce ab Immeris 
pendidce: — boba; manga lar- 
ga, que não tem punho nem se 
ajusta ao braço. Andar man- 
ga por hombro (fr.); andar 
;)o Deus dará; haver nnúto 
descuido e abandono no go- 
verno domestico. Omnia ra- 
ptim afque túrbate agi. Echar 
de manga (fr.); servir-se de 
alguém com dissimulo e as- 
tucia, para assim conseguir 
os seus intentos. Hacerse de 
manga ó ir de manga (fr.); 
mancommunar-se; associar- 
se com outrem para algum 
fim. Pegar mangas (fr. fig-); 
ingerir-se , entremetter-se ; 
introduzir-se a participar de 
alguma cousa. Ultrò sese in- 
gerere, immiscere. Ser de 
mangct ancha ó tener manga 
ancha (fr.fam.); ser de man- 
ga larga ou ter manga lar- 
ga; diz-se ordinariamente 
do confessor muito prompto 
em absolver. Nimis facilem, 
blandum esse. Traer en la 
manga (fr. fam.); trazer na 
manga; ter inna cousa á 
mão, perto, a fácil disposi- 
ção. Ad manum habere. Hi- 
jo ajeno, mételo por la man- 
ga y saldrá al seno (rif); 

• filho alheio, metteo pela 
manga e saír-te-ha ao seio. 
Mangas postizas; mangas 
postiças, mangas falsas ou 
manguinhas; mangas que 
se cozem ou põem por cima 
das outras: — de Hipócra- 
tes (pharm.); manga deHip- 
pocrates; especie de sacco 
ou filtroccoio. 

Mangabéy. m. (zool.) Y. Mico. 

Mangado, da. adj. (ant.) Di- 
zia-se do que tinha mangas 
largas. Manicatus, a, um. 

Mangajarro, m. (fam.) Manga 



30 



MAN 



mal feita e que cobre a mão. 
Tnconcinnce et longiores jus- 
to manicce. 
Mangalis. m. Mangal is; peso 
das Indias orientaes, equi- 
valente a 5 graos, e só em 
uso para pesar pedi-as pre- 
ciosas. 
Manganato. m. (chim.) Man- 
ganato; genero de saes pro- 
duzidos pela combinação do 
acido manganico com as ba- 
ses sali ficáveis. 

Manganear, a. (p. Mex.) Dei- 
tar um laço ao pé ou mão de 
um cavallo, touro ou outro 
animal, quando vae de car- 
reira. 

Manganesa , Manganesia . /. 
(diivi.) Manganesio; oxydo 
de manganez, que se encon- 
tra abundantemente na na- 
tureza. 

Manganesiato. m. (chim.) Man- 
ganesiato; nome dado ás ve- 
zes como synonymo de man- 
ganato. 

Manganésico, ca. adj. (chim.) 
V. Mangánico. 

Manganesífero, ra. adj, (chim.) 
Manganesífero; diz-se dos 
corpos ou substancias que 
accidentalmente contêem 
manganez. 

Manganesio, Manganeso, m. 
(chim.) Manganez; corpo 
simples, comprehendido na 
terceira secção dos metaes, 
dotado de grande aíEnidade 
para o oxygenio. 

ManganqX. m. (zool. p. Amer.) 
V. Abejón. 

Mangánico, ca. aá/.fc/i¿m.jMan- 
ganico; relativo ou perten- 
cente ao manganez. 

Mangánidos, adj. m. ]d. (min.) 
Mangánidos; familia de mi- 
neraes, que comprehende o 
manganez e as suas combi- 
nações. 

Manganilla. /. Manganilha; 
subtileza de mãos. Prcesti- 
gia, orum :—(p. Extr.) vara 
de varejar as azinheiras: — 
(ant.) certa machina de guer- 
ra para bater as muralhas. 

Mangano. m. (ant.) Especie de 
mandrão ou catapulta, usa- 
da antigamente para atirar 
pedras de grande calibre. 

Mangla./. Ládano; nome que 
na Serra Morena dão á gom- 
ma adocicada que a herva 
xará costuma distillar. La- 



MAN 

danum, i: — (ant.) V. Ti- 
zón: — mangra; doença do 
trigo e outros grãos, proce- 
dida do nevoeiro ou nebri- 
nas, que lhes faz crear al- 
forra. 

Manglar, m. Mangueiral; bos- 
que de mangueiras, arvores 
das índias orientaes. Locus 
mangle indica arbore con- 
situs. 

Mangle, m. (bot.) Mangueira; 
genero de plantas dicotylc- 
doneas, da familia das tere- 
binthaceas, cujos fructos se 
chamam mangas. 

Manglesia. /. (bot.) Mangle- 
sia ; genero de plantas da 
familia das eleagneas. 

Manglieta. /. (bot.) Manglie- 
tia ; genero de plantas da 
familia das magnoliáceas. 

Mango. m. Mango; cabo do 
mangual: — cabo, manu- 
brio; parte de qualquer in- 
strumento pela qual se lhe 
pega. Manubrium, ii: — 
nome vulgar que nas Anti- 
lhas se dá á mangaba ou 
fructo da mangabeira: — 
ó mástil de guitarra; braço 
da guitai-ra : — (artÚh.) ca- 
bo da lanada: — (zool.) 
mango; genero de mammi- 
feros mui parecidos com as 
mangostas. 

Mangón, m. (ant.) Kevendão. 
V. Revendedor: — adj. (p. 
Murç.) V. Erandillon. 

Mangonada. /. Cotovelada ou 
pancada com o braço ves- 
tido, Ictus impactus brachio 
manica induto. 

Mangonear, n. (fam.) Mango- 
near ou mangonar, vadiar, 
preguiçar. Vagari : — (fam.) 
metter a sua colherada, en- 
tremetter-se; metter- se on- 
de o não chamam, dar sen- 
tenças. In aliena se inferre. 

Mangonero, ra. adj. (ant.) De 
muitos feriados; dizia-se do 
mez em que havia muitos 
dias festivos, nos quaes se 
não trabalhava. Feriatus 
mensis est, suspende fuma- 
rio colum: — mangaz, iner- 
te, mandrião. 

Mangonizacion. /. (med.) Ter- 
mo usado por alguns médi- 
cos para designar a altera- 
ção dos medicamentos. 

Mangorrero, ba. adj. (fam.) 
Diz-se do que anda com- 



MAN 

mummente entre as mãos, 
que se maneja a miúdo, que 
é muito commum, de pouca 
importancia: — encavado; 
diz-se da faca ou outro in- 
strumento que tem cabo met- 
tido em ovado ou olho. Ma- 
nubria/us culter: — (fam.) 
mandrião, tunante, vadio, 
ocioso; o que não tem offi- 
cio nem beneficio : — diz-se 
também da faca ou cutelo 
tosco, mal trabalhado. En 
casa de herrero cochillo man- 
gorrero (rif); em casa de 
ferreiro espeto de pau. 

Mangosta./, (zool.) Mangosta; 
rato da índia, genero de 
mammiferos carniceiros di- 
gitigrados. 

Mangostan. /. (bot.) Mangos- 
tan; genero de plantas da 
familia das clusiaceas. 

Mangote, m. (fam.) Grande 
manga. Amplior manica: — 
pi. mangotes ou manguitos; 
mangas postiças usadas por 
alguns individuos em certos 
empregos ou trabalhos para 
se não roçarem as mangas 
do fato. 

Mangual, m. Cesto, manopla 
de correoes crus de couro 
de boi; instrumento d'onde 
pendiam umas pequenas ca- 
deias de ferro, armadas nos 
extremos por umas balas, 
com o qual se combatia. 
Ccestus, us. 

Manguardia. /. (mil. ant.) V. 
Vangiiardia. 

Manguera./, (nauf.) Manguei- 
ra; manga de couro ou de 
lona alcatroada, por onde 
escorre para o mar a agua 
das embarcações. Stupia 
manicapicata : — manguei- 
ra; tubo ou manga compri- 
da de couro ou lona alca- 
troada, que serve para en- 
cher de agua as pipas: — de 
ventilación; mangueira de 
ventilação ou ventilador; 
manga de lona não alcatroa- 
da, que serve para renovar 
o ar nas cobertas. 

Manguero, m. O que maneja 
as mangueiras das bombas: 
— (caç.) monteiro que nas 
batidas matava a caça que 
caía nas redes, levada a es- 
tas pela gente que a obri- 
gava a levantar-se. Venator, 
oris. 



MAN 

Manguerote. m. (naut.) Man- 
gueii'a*, paus alcatroados, pe- 
gados nos embornaes, por 
onde corre a agua para o 
mar. 

Mangueta. /. (med.) Borracha; 
saquinho de couro ou de 
gomma elástica, com garga- 
lo estreito, a que se adapta 
um pequeno tubo de marfim 
ou osso, para deitar clyste- 
res. Clysterium, ii: — (mech.J 
V. Palanca: — couceira; 
peça de pau sobre que a 
porta se volve em seus gon- 
zos . Lignia fasciola . Ho- 
landa de mangueta (com.); 
teia de Hollanda finíssima. 

Manguilla, ta. /. dim. de 
Manga. Manguito, mangui- 
nha. 

Manguilla. /. fart.J V. Salo- 
bre. 

Manguispanado, Manguispena- 
DO, DA. adj. (ant.) O que tem 
as mangas muito acanhadas 
ou rotas. 

Manguita. /. V. F%mda. 

Manguitero, m. Pelleiro; o 
que fabrica e vende obras 
de pelles. Pellicarum mani- 
carum artifex: — pelleiro; 
o que prepara as pelles fi- 
nas. 

Manguito, m. Manguito; re- 
galo de pelles, em que as 
senhoras mettem as mãos, 
para as ter quentes de in- 
verno. Pellica maniea : — 
manguito; meia manga que 
as mulheres usam justa ao 
braço, desde o cotovelo até 
ao pulso. Maniea hrevis re- 
ticulata: — biscoito gran- 
de em figura de rosca: — 
V. Mangote : — de Neptuno 
(zool.) V. Milépora. 

Maní. m. (p. Am. bot.J V. Ca- 
cahuate. 

Manía. /. Mania, extravagan- 
cia, teima, capricho de ge- 
nio no modo de pensar. Li- 
bido, inis: — (ram.) mania, 
pai.xão; aferro habitual, de- 
sejo immodcrado de alguma 
Cuusa. Libido, inis: — (med.) 
inania; especie de aliena- 
ção mental, loucura, demen- 
cia, lesão do entendimento, 
caracterisada pela alteração 
de uma ou mais funcções in- 
tellectuaes, tendencia ao fu- 
ror, ou repetição dos mes- 
mos actos ou idéae. Insania, 



MAN 

amentia: — lupina. V. Li- 
cantropía. 
Mania. /. (zool.) Mania; gene- 
ro de insectos lejjidopteros, 
da tribu dos amphipyridos. 
Maníaco, ca. adj. V. Maniá- 
tico. 
Maniabo, BA. adj. (veter.) Ma- 
nalvo; diz-se do cavallo cal- 
çado de branco. 
Maniatar, a. Maniatar; atar 
as mãos. Manus ligare, vin- 
cire. 

Maniático, ca. adj. Maniaco; 
diz-se do que é doente de 
mania. Insanus, a, um: — 
(fam.) maniaco, extravagan- 
te, apaixonado; aferrado a 
uma cousa, que gosta com 
excesso d'eíla. 

Maniblaj. m. (germ.J V. Man- 
dilandin. 

Manicaria. /. (bot.J Manicai-ia 
(manga); generoíde plantas 
da familia das palmeiras. 

Manicario. m. (hist. ant.) V. 
Retiario. 

Manicordio. m. V. Monacor- 
dio. 

Manicorto, ta. adj. (fig.) Mes- 
quinho, que é cicata, unhas 
de fome. Parcus, illibera- 
lis : — manicurto; curto de 
mãos. 

Manicu. m. (zool.) Manicu; 
mammifero do genero di- 
delpho. 

Manida. /. Manida; logar on- 
de se está, retiro. Mansio, 
cubile : — (germ.) casa, toca. 

Manido, da. adj. V. Escondido. 
Abditus, a, um. 

Manifacero, ra. adj. (p. Mure.) 
Mexeriqueiro; diz-se da pes- 
soa enredadora e que se 
mette em tudo. Ardelio, in- 
quietus. 

Manifactura. /. (ant.) V. Ma- 
nufactura: — forma, figu- 
ra das cousas. Forma, w. 

Manifatura. /. (ant.) \. 'Mani- 
factura, na segunda acce- 
pçâo. 

Manifestación. /. Manifesta- 
ção; acção e effeito de mani- 
festar. Manifestatio , onis: — 
acto de tirar por justiça e 
depositar voluntariamente 
urna filha familia, com au- 
ctoridade do juiz, para con- 
sultar a sua vontade em as- 
sumpto de casamento: — 
manifestação; acção exhibi- 
toria para que uma cousa 



MAN 



31 



se manifeste perante o juiz, 
a fim de poder ser vista pe- 
los interessados : — (for. p. 
Ar.) despacho expedido pe- 
la repartição da justiça de 
Aragão ás pessoas que o 
requeriam para se proceder 
nas causas segundo o direi- 
to, hl Aragonice rcgno litte- 
ros supremi judieis, quibus 
alterius judieis vis arcetur: 
— (polit.) manifestação; ex- 
pressão publica de um sen- 
timento, de uma opinião 
qualquer. 
Manifestador, ra. s. Manifes- 
tador; o que manifesta. Ma- 
nifestator, oris. 
Manifestamiento. m. (ant.) V. 

Manifestación. 
Manifestar. a. Manifestar; pa- 
tentear, divulgar, publicar, 
declarar alguma cousa. Ma- 
nifestare: — manifestar, pa- 
tentear; apresentar ou otite- 
recer á vista: — (p. Ar. for.) 
subtrahir uma pessoa ou os 
seus bens á jurisdicção de 
juizes suspeitos de malver- 
sação, declarar que será jul- 
gada pela corte ou reparti- 
ção de justiça de Aragão, ou 
na audiencia real. Legibus 
locum dare, vim arcere. 
Manifestarios . m. pi. (rei.) 
Manifestarlos; nome de cer- 
tos anabaptistas da Prússia. 
Manifestion. /. (ant.) V. Con- 
fesión. 
Manifestamente, adv. m. Ma- 
nifestamente; de modo ma- 
nifesto, patente. 
Manifiesto, ta. adj. Manifesto, 
patente, claro. Manifestus, 
a, um : — m. manifesto, apo- 
logia; escripto em que se 
justifica ou manifesta algu- 
ma cousa. Apologia, ce: — 
(rei.) exposição do Sautissi- 
. mo Sacramento á veneração 
dos fieis: — (com.) mani- 
festo; declaração feita na 
alfandega, dos artigos de 
uma carga de navio mer- 
cante, etc.: — manifesto; 
declaração de um facto que 
o cai3Ítào de um navio mer- 
cante faz perante o juiz 
competente, quando lhe é 
requerido, ou quando volun- 
tariamente se quer livrar 
de alguma responsabilida- 
de: — (ant.) livro do ma- 
nifesto; o que serve para 



32 MAN 

registrar as fazendas que 
carregam e clescarreccam os 
uavios morcantes. Mejorar 
el manifisto; renovar o ma- 
nifesto; exhibir de novo na 
alfandega, dentro de certo 
praso, a relação das merca- 
dorias que tra/^ a bordo um 
capitão de navio mercante, 
reformando-a segundo as cir- 
cumstancias. Poner de ma- 
nifisto (fr.); fazer manifes- 
to; manifestar alguma cou- 
sa, patentea-la, expo-la ao 
publico. Exponere. 
1\Ianigrafía./. (meã.) Manigra- 
phia; tratado sobre a alie- 
nação mental. 
ManigrÁfico, ca. adj. (meã.) 
Manigraphico; relativo ou 
pertencente á manigraphia. 
M ANÍGRAFO. TO. Mauigraplio ; 
auctor que escreve acerca 
da alienação mental. 
Manigua. /. (p. Cuh.) V. Ma- 
leza: — jogo do monte, fei- 
to por mero divertimento. 
Maniguazo. to. (p. Cuh.) Ma- 
tagal, brenha mui extensa. 
Manigueta. /. (naut.) Mala- 
gueta; cavilha de pau, que 
serve para dar volta aos ca- 
bos de laborar: — punho do 
remo, no arsenal de Cartha- 
gena. 
Manija. /. V. Maniota: — 
(ant.) V. Manilla: — cabo, 
manubrio de alguns instru- 
mentos; parte por onde se 
. lhes pega. Manuhrium, ü: 
— manivella: — annel de 
ferro, virola. Annulus me- 
tallicus. 
Manijero, m. (prov.) Capataz; 
o que dirige no campo um 
rancho de trabalhadores. 
Operariorum rector, dux. 
Manilargo, ga. adj. Diz-se do 
que tem as mãos compridas. 
Manu promptus: — (fig-) 
mãos largas, franco, liberal, 
dadivoso : — (p. Mex.) , V. 
Pendenciero. 
Manilio. m. (astr.) Manilio; 
vigésima quarta mancha da 
lua. 
Maniluvio, to. (med.) Manilu- 
vio; banho ás mãos, de or- 
dinario em agua quente, 
para produzir uma deriva- 
ção. 
Manilla. /. Manilha, bracele- 
te, pulseira; adorno que as 
mulheres usam nos pulsos, 



MAN 

e que de ordinario é de oi- 
ro, de pérolas, com pedraria 
ou singela. Armilla, ce. V. 
Pulsera, brazalete: — al- 
gemas; argola ou annel de 
ferro com que se prendem as 
mãos ou os pulsos a alguns 
delinquentes. Annuhis fer- 
reiís mautbus vinciendis , ma- 
iiicce : — (naut.) qualquer das 
duas peças de cinta, que ter- 
minam na roda de proa nas 
embarcações menores. 

Manina. /. (bot.) Manina; no- 
me genérico que alguns na- 
turalistas dão aos cogume- 
los que crescem na escuri- 
dade. 

Maniobra. /. Obra manual. 
Opus manufactum: — (fig-) 
manobra, artificio, trama as- 
tuciosa. Artificium, indus- 
tria : — (naut.) manobreiro ; 
arte que ensina a dirigir as 
manobras. Ars navigia re- 
gendi: — cordoalha; cabos e 
apparelhos do uma embar- 
cação. Armamenta navium: 
— manobra, faina; trabalhos 
de navegação. Opera regen- 
dce navi nautis prmstita : — 
manobra; evolução execu- 
tada por esquadra ou divi- 
são : — (cir.) operação ovi en- 
saios cirúrgicos que os fa- 
cultativos fazem n'um cada- 
ver ou n'um manequim, para 
exercitar-se : — (mil.) mano- 
bra; movimento táctico re- 
gular, exercícios militares. 

Maniobrar, a. Manobrar; tra- 
balhar com as mãos, fazer 
obras manuaes. Operari ma- 
nu,, manu faceré : — (fig.) 
manobrar; usar de todos os 
meios para levar avante al- 
gum negocio, usar de as- 
tucia, de destreza. Machi- 
nari, moliri : — (naut.) ma- 
nobrar; executar manobras, 
evoluções . náuticas. Navem 
apCe regere: — un buque; ma- 
nobrar um navio; dirigi-lo 
com destreza, faze-lo mover 
com arte: — (mil.) mano- 
brar; executar a tropa as 
evoluções militares. Militum 
copias apte et ordinate mo- 
veré. 
Maniobrero, to. (mil.) IMano- 
breiro, que manobra bem; 
diz-se dos corpos bem exer- 
citados nas evoluções mili- 
tares. 



MAN 

Maniobrista. to. (naut.) Mano- 
brista, manobreiro; mari- 
nheiro intelligente, que en- 
tende bem da manobra dos 
navios. Navium furmarum- 
que regendarum peritas. 

Manioc, m. (bot.) Mandioca; 
c-pecie de plantas da fami- 
lia das urticáceas, interes- 
sante pela fécula alimentar 
que produz. 

Maniota. /. Maniota ; peia com 
que se prendera as mãos das 
bestas. Vinculum jumento- 
riím manibus vinciendis : — 
adj. maniota; diz-se do que 
pertence a Maina, paiz da 
Grécia :^ — s. maniota; o na- 
tural de Maina. 

IManipodio. to. (fam.) V. Alca- 
hueteria. 

Manipulación. /. (pharm. e 
cliim.) Manipulação; modo 
de operar em chimica, phar- 
macia e em outras artes: — 
(fig.) manejo, manobra; ac- 
ção e effeito de manobrar, 
de manejar os negocios, de 
se ingerir n'elles. 

Manipulador, to. Manipulador; 
o que manipula. 

Manipulante, to. (fam.) Mane- 
jador, director de algum ne- 
gocio, que o trata, dirige ou 
maneja. Tractator, adminis- 
trator. 

Manipular, a. (fam.) Manejar; 
tratar os negocios a seu mo- 
do ou envolver-se em todos. 
Negotia tractare, eis immis- 
ceri: — (art.) manipular; 
preparar, executar com as 
mãos alguma operação. 

Manipulario. 7n. Manipularlo; 
chefe que mandava um ma- 
nipulo, na milicia romana. 

Manipuleo, to. (fam.) V. Ma- 
nipulación: — manejo de ca- 
pitães ou fundos alheios com 
fraude e dilapidação. 

^Manípulo, to. Manipulo; peça 
dos ornatos do sacerdote, 
quando diz missa, e que se 
enfia no braço esquerdo. 
Manipulus, i: — (mil. ant.) 
manipulo; cada um dos vin- 
te e cinco troços ou compa- 
nhias em que se dividiu a 
cohorte. Manipidus, i: — ma- 
nipulo ; primeira insignia mi- 
litar de que usaram os roma- 
nos, assim chamada porque 
atavam um molho de feno a 
uma vara comprida, que lhes 



MAN 

servia de bandeira : — piro- 
técnico fant.); manipulo py- 
rotechnico, granada de mão. 
Maniqueismo. m. freí.) Mani- 
cheismo; seita dos mani- 
cheus. Maíiichceismus, i. 
Maniqueos. m. pl. (reí.) Mani- 
cheus; sectarios do mani- 
cheismo, discipulos de Ma- 
nicheu. Manichceus. 
Maniquí, m. (fig.) Autómato; 
pessoa inerte, incapaz de 
acção própria, que se dei- 
xa dominar pela opiniões 
alheias: — (med.) manequim 
boneco; figura humana de 
madeira ou cartão, para os 
alumnos se exercitarem na 
applicação de certos appa- 
relhos cirúrgicos e em ope- 
rações de obstetricia : — 
(pint.) manequim ; figura mo- 
vei de homem ou mulher, de 
ordinario feita de pau, que 
se pode collocar em varias 
posições, e serve especial- 
mente para o estudo de rou- 
pas. Lignea hominis effigies 
versatilis. 
Manir, a. Macerar, amoUecer, 
abrandar; fazer com que a 
carne se faça mais tenra e 
mais branda, guardando-a 
de um para outro dia ou o 
tempo conveniente. Também 
se usa como reciproco. Mol- 
lire, mollescere. 
Maniroto, ta. adj. Manirroto, 
dadivoso; largo em dar e 
dispender. Profasus, prodi- 
gus. 
Manikotüra. /. (ant.) Prodiga- 
lidade, profusão vã, libera- 
lidade excessiva. Profusio, 
prodigentia. 
Manisúride. /. (bot.) Manisu- 
ride ou manisuris (tronco 
delgado); genero de plantas 
da familia das gramineas. 
Manito. m. (chim.) Manito ou 
mannito; principio assuca- 
rado, crystallisavel, que 
existe no manná. 
Manivacío, cía. adj. (fam.J Ma- 
ni vazio ; diz-se da pessoa que 
vem ou vae de mãos Afasias, 
sem levar objecto algum co- 
mo dadiva, ofFerta, etc. Ina- 
7iis, j.e. 
Manja. m. Manja; peso de 12 
libras que se usa em algu- 
mas partes do Oriente. 
Manjar, m. Manjar, comida; 
toda a substancia que pode 



MAN 

servir de alimento ao ho- 
mem. Cibusy i: — (fig-) man- 
jar, alimento da alma, do es- 
pirito; recreio, deleite que 
fortalece, vigora o espirito. 
Re.feclio, onis: — fan^.} cada 
um dos quatro naipes do ba- 
ralho de cartas. Foliorum, 
chartarum familia: — blan- 
co; manjar branco; manjar 
delicado feito da carne do 
peito das gallinhas cozidas, 
desfeito e misturado com as- 
sucar, leite e farinha de ar- 
roz. Letícophagtim, i: — de 
ánjeles; manjar composto 
de ovos, leite e assucar. Ci- 
bus lacte et saccharo con- 
ditas: — imperial; manjar 
imperial; o que é de leite, 
farinha de arroz e gemma de 
ovos. Cibus lacte, vitellis, et 
orizae farina condittis: — 
lento ó suave; sorte de man- 
jar composto de gemmas de 
ovos batidas, leite e assu- 
car. Cibus lacte, vitellis di- 
Intis, et saccharo conditus : 
— principal; manjar que se 
faz de queijo, leite coalhado, 
gemmas de ovos batidas e 
pão rallado. Cibus caseo, la- 
cte, dilutis vitellis, et friato 
pane conditus : — • real; espe- 
cie de manjar branco, que 
se faz com carneiro, e que 
tem a côr amarella. Maza 
regia, leucophagi species: 
— (p. Am.) V. Guanábana. 
No hay manjar que no em- 
p)alague, ni vicio que no en- 
fade (rif); não ha manjar 
que não enfastie, nem vicio 
que não enfade. Satietasfas- 
tidium parit. 
Manjarda. /. (art.) V. Trabu- 
quete. 
Manjarejo. m. (ant.) Es- 
pecie de manjar branco: — 
faíi^.^ comida ordinaria, gros- 
seira, pouco nutriente. Vile 
opsonium. 
Manjarria. /. (j). Cub.) Gran- 
de alavanca do engenho do 
assucar, que serve para mo- 
ver a machina. 
Manjelin. m. Manjelim ; peso 
correspondente ao quilate 
usado nas índias para as pe- 
dras preciosas. Centesima 
quadragésima pars uncice. 
Manjolar. a. (caç.) Levar o 
falcão engaiolado ounamão. 
Mamtducere. 



MAN 



33 



Manjorrada. /. (fam.) Come- 
zana ; comida excessiva. Ni- 
mium cibi. 
Manjitnje. m. (fam. ant.) Re- 
toques, correcção, emendas 
em alguma obra. 
Manlevar. a. (ant.)Y. Con- 
traer. 
Manlieva. /. (ant.) Imposto ou 
tributo que se cobrava effe- 
ctiva e peremptoriamente de 
casa em casa. Tributum in 
singulas domus distributum: 
— gasto ou despezas: — 
abundancia , copia de fructos 
para consumo. 
Manlievar. a. (ant.) Contrahir 
dividas, sobrecarregar-se de 
dividas. In ces alienum inci- 
dere. 
Manlieve. m. (ant'.)Do\o, frau- 
de para haver dinheiro de 
alguém, deixando-lhe como 
penhor um cofre ou caixa fe- 
chada cheia de bagatellas, 
fazendo crer que encerra 
objectos preciosos e de va- 
lor. Fraus, doloso pignore 
tecta. 
Manna. /. (ant.) V. Maña : — 

V. Manera. 
Manno, nna. adj. (ant.) Magno, 

grande. 
Mano. /. Mão ; parte do braço 
humano desde o punho até 
á extremidade dos dedos. 
Manus, us : — mão ; qual- 
quer das duas extremidades 
dos membros anteriores dos 
quadrúpedes. Anticus pes: 
— mão ; qualquer das qua- 
tro extremidades das rezes 
de talho, depois de cortadas. 
Pes, pedis: — tromba de ele- 
phante. Proboscis, dis : — 
mão ; lado esquerdo ou di- 
reito em que fica ou succede 
alguma cousa, em respeito 
á situação local de outra, 
como : el rio pasa a mano 
derecha de la ciudad; o rio 
passa á mão direita da ci- 
dade. Manus dextra, sinis- 
tra : — mão, pilão ; peça ou 
instrumento com que se pisa 
ou machuca alguma substan- 
cia no gral. Pisíillum, i: — 
mão; vigésima parte da res- 
ma do papel, ou cinco ca- 
dernos. Papyraceus scapus : 
— poder, imperio, mando, 
exercício de auctoridade. 
Usa-se de ordinario com os 
verbos tener, dar. Potestas, 



34 



MAN 



atis: — mào; patrocinio, fa- 
vor. Palrocinium, ii: — mào; 
auxilio, soccorro. Auxilium, 
i: — mào ; iatiuencia, vali- 
mento: — mào; lance intei- 
ro que se joga sera dar ou- 
tra vez as cartas. Maniis, 
jactus in ludo: — máo; o pri- 
meiro a jogar. Usa-se como 
masculino. Colhisonim pri- 
mus: — repreheusào. Objur- 
(jatio, castigatio : — (ant.) 
mão; garra do falcão, da 
ave de rapina. Unguis, is: 
— (ant.) V. Palmo : — mào, 
companhia, reunião de gen- 
te de trabalho, para execu- 
tar alguma cousa: — repe- 
tição de alguma cousa; ca- 
da uma das vezes que ella 
se repete ou executa: — pe- 
nhor, fiança : — (ant.) mào. 
V. Manojo: — adj. (ant.) 
magno, grande. Mano á ma- 
no (fr.); com familiaridade, 
em companhia, juntamente 
com outra pessoa. Familia- 
riter: — mão por mào, de só 
a só, sem companhia, sem 
partido igual, sem vanta- 
gem de um a outro, no jo- 
go. ^Jqua sorte. Mano cer- 
tera o segara; mào certeira 
ou certa; a que habitual- 
mente não erra o golpe. Ma- 
no de azotes, de cozes. V. 
Vuelta de azotes, de cozes. 
Mano de cazo; canhoto; 
diz-se do que usa da mào 
esquerda em vez da direita. 
Sinister, Icevus : — de gato; 
arrebique; côr postiça ou 
artiíicial com que as mulhe- 
res pintam o rosto. lucus, 
i: — mào de mestre; correc- 
ção, aperfeiçoamento de al- 
guma obra, feita por pessoa 
mais hábil e instruida que 
o auctor : — de Judas ; mào 
de Judas; apagador que tem 
a íorma de mào, em cuja 
palma se põe uma esponja 
molhada. Kxtinclorhim, ii : 
— ■ de lanza ó de la lanza; 
mão direita do cavallo quan- 
do tem algum signal branco. 
Ânticus dexler pes, alba ma- 
cula distinctus : — de rienda 
ó de la rienda; mão esquer- 
da do cavallo cjuando tem 
malha branca. Anticus sinis- 
ter pes, alba macul i distin- 
ctus : — sobre mano, como 
mi'jer de ebcnlan.) (rif.J; j 



MAN 

mão sobre mào, como mu- 
lher de escrivão : — limpias 
(fig); mãos limpas, integri- 
dade e desinteresse com que 
se exerce ou administra al- 
gum cargo. Inuocentia, ia- 
tegritas: — (fig-) propinas; 
certos emolumentos que ren- 
de algum officio. Utilitates, 
comvioda. A lamano (loc. adv. 
fig.) ; á mào; fácil de enten- 
der, de conseguir. Ad ma- 
num, in promtu. A la mano 
de Dios (loc.) ; com o auxi- 
lio de Deus. Manus operi 
admoveamus, nihil cunctan- 
dum. A mano (loc. adv.); á 
mào, perto. V. Cerca: V. 
Artificialmente. A mano sal- 
va (loc. adv.); ás màos la- 
vadas; facilmente, sem con- 
tradieçào. Facile, nullo ne- 
gotio : — (fig-) ás mãos lava- 
das sem risco, com toda a 
segurança. A manos lava- 
das. V. A mano salva. To- 
mar la mano (fig); tomar a 
iniciativa; começar a dis- 
correr sobre algum assum- 
pto ou a emprehender al- 
gum negocio. Initium dicen- 
di faceré, príeocupare. Tro- 
car las manos (fr. fig.); tro- 
car as màos ; mudar as sor- 
tes. Sortes multare, seu cx 
uno in alium vicissim trans- 
ferre. TJna mano lava la 
otra, y ambas la cara (rif.); 
uma mão lava a outra, e 
ambas o rosto. Mamis ma- 
num fricat. Untar las manos 
á alguno (fig-); untar as 
màos a alguém; suborna-lo, 
corrompe-lo com dinheiro. 
Pecunia corrumpere. Venir 
algunos à las ma7ios ó venir 
uno con otro a las manos 
(fr.); vir ás mãos; pelejar, 
brigar. Conserere manus, 
conserere prcelium. Venirle 
á alguno á las muno ó ã las 
manos alguna cosa (fr. fig.); 
vir á mão de alguém alguma 
cousa; chegar-lhe ao poder 
sem a ter pedido. Mem sponte 
sua alicui ex animi senten- 
tia succedere. Tomar el cielo 
con las manos. V. Cielo. Vi- 
vir por sus manos (fr.fam.); 
viver de suas màos; susten- 
tar-se com o seu trabalho. 
Opera et industria vidum 
comparare. Mano de la brida 
(art.); mao da brida; mào 



MAN 

da redea, qiie é a esquerda, 
segundo as regras d'arte. 
Abrir mano al caballo (art.); 
abrir mão ao cavallo; alar- 
gar-lhe a redea. Hacer la 
mano (fr. art.); fazer o cas- 
co ; desbastar e limpftr a 
parte do cnsco da besta so- 
bre que ha de assentar a 
ferradura. Equi unguem 
enundare. Mano' de justicia 
(astr.) V. Cetro : — (br.) 
mão; symbolo de liberalida- 
de e alegria, se está aberta, 
de força quando fechada, e 
de amisade quando se repre- 
senta enlaçada com outra : 
— mão ; symbolo da aucto- 
ridade suprema : — (ant.) 
mào ; entre os Egypcios, 
symbolo de forca, e entre os 
romanos da fé. Mano de mar 
(bot.); mão de mar; planta 
marinha e medicinal, que 
tem a forma de mào : — 
(art.) na fabricação dos pan- 
nos significa as cardas uni- 
das e apparelhadas para os 
cardar. Dipsacorum ordo 
pannis 2}^ctendis: — (zool.J 
mào; genero de polypos es- 
ponjiarios. 

Manobra. /. (p. Mur.) Mate- 
rial para alguma obra. Ma- 
teria, 01. 

Manobre, m. (p. (Mure.) Ser- 
vente de pedreiro ; o que 
amassa a cal e a areia ou o 
gesso e a conduz em seguida 
ao pedreiro. Gipsum snhi- 
gens et porrigens. 

Manobrero, m. Encarregado 
da limpeza dos canaes, ou 
aqueductos. Aqnceductutnn 
munditiei prcepositus. 

Manojar. a. (ant.) V. Mano- 
sear. 

Mano JICO, llo, to. m. dim. de 
Manojo. Manojosinho, mó- 
Ihinho. 

Manojo, m. jMauojo, molho, 
rolo pequeno. Fasciculus, i. 
A manojos (loc. adv.); aos 
punhados; abundantemente. 
Abunde, affluenter. 

Manojuelo. m. dim. de Ma- 
nojo. Manosojinho. 

Manolico, llo, IO. m.fam. dim. 
de Manolo. Manuelzinho. 

Manolo, m. (fam.) Manuel : — 
nome dado em Madrid á mo- 
cidade do povo mais baixo. 
Também se lhe chama Ma- 
nolas : — (fig. fam.) pessoa 



MAN 

grosseira, de costumes pouco 
decentes. 

Manometría. /. (phijs.) Mano- 
metria ; arte de manejar o 
uiauometro. 

Manomktrico, ca. adj. (phys.) 
JMauunietrico; relativo á ina- 
uoinetria. 

JManómetro. m. (phys.) Mano- 
iiietro; iustrumento para in- 
dicar o grau de rarefaçào do 
ar debaixo do recipiente. 

Manopla. /. Manopla; luva de 
ferro da antiga armadura. 
Chiroteca férrea : — mano- 
pla; açoute longo, de co- 
cheiro e de picaria. Auriyce 
fagellum : — (nant.) V. Co- 
llar, Gaza, Maniela:^ (cir.J 
manopla; especie de mão, 
de madeira ou de cartão, 
usada para certas opera- 
ções cirúrgicas. 

Makópodo. m. (zool.J Manopo- 
da; genero de insectos co- 
leópteros pentameros, da fa- 
milia dos lamellicornes. 

Mangrina./, fzool.) Manorhina 
{nariz ptqueno); genero de 
aves da ordem dos pássaros. 

Manóscopo, m. (phys.) Manos- 
copo; instrumento que ser- 
ve para marcar as variações 
que experimenta a densida- 
de do ar. 

Manosear, a. Manusear, apal- 
par; tocar com as mãos, pe- 
gar com as mãos. Manibus 
attrectare: — manusear, en- 
xovalhar, amarrotar. 

Manoseo, vi. Maneio, manejo; 
acção e effeito de manear, 
manusear. Attrectatio, oi/is. 

Manotada. /. Palmada, bofe- 
tada; pancada com a mão. 
Idus manu impactus, alapa: 
— (art.) bote ou estocada 
que consta de tres movimen- 
tos do braço e dois da espa- 
da. Ensis ichts quidam. 

Manotazo, m. V. Manotada. 

Manoteado, m. Y. Manoteo. 

Manotear, a. Dar palmadas, 
bater, dar golpes com as 
mãos. Manibus percutere: — 
n. gesticular, accionar. Ala- 
nuiím mota significare: — 
patear; dar patadas o ca- 
vallo. 

jManoteo. 771. Gesticulação, ac- 
cionado; gestos do orador, 
pregador, etc., acção e efiei- 
to de gesticular. Manuum 
motus. 



MAN 

Manotón, vi. V. Manotada. 

Manquear, n. Manquejar, co- 
xear; fazer de coxo, estar 
manco. Mancam manum os- 
tendere, siimdare. 

Manquedad. /. Aleijão de bra- 
ço ou mão; falta ou lesão de 
alguma d'estas partes. 2da- 
nus loisio, mniUaiio: — (fig.) 
manqueira, desar, falta. Ino- 
pia, d.cfectus. 

Manquera. /. V. Manquedad. 

MaNQüILLO, I.LA, TO, TA. «2. dim. 

de Manco. Manquinbo, co- 
xinho. 

Mansamente, adi: m. Mansa- 
mente; com mansidão, com 
brandura. Mansuete,, leni- 
ter: — mansamente. V. Len- 
tamente : — mansamente, de 
mansinho, devagarinho, sem 
fazer bulha. Sensim: — man- 
samente, socegadamente, do- 
cemente. 

Mansedad. /. (atd.) Manseda- 
de ou mansidade. V. Man- 
sedumbre. 

Mansedumbre./. Mansidão, be- 
nignidade; suavidade de con- 
dição, brandura de genio. 
Ingenii lenifas : — {fig. ant. ) 
mansidão. V. Apazibilidad. 
Dizia-se dos irracionaes e 
das cousas insensíveis. J/a»- 
suetudo, inis. 

Mansedusixe. /. (anf.) V. ]\Ian- 
sedumbre. 

Mansejón, na. adj. Mansarrâo; 
diz-se dos animaes muito 
mansos. Valde mansuetus, ci- 
curatus. 

Mansella. /. (ant.) Lastima, 
dôr, tristeza. 

M ansellero, ra. adj. (ant.) Mui- 
to triste, cheio de tristeza. 

Mansera. /. (p. Cub.) Gamei- 
la que se colloca debai:so 
doS pequenos engenhos de 
assucar, e recebe o summo 
da canna. 

Mansesor. m. (ant.) V. Testa- 
mentario. 

Manseza. /. (ant.) V. Manse 
dumbre. 

Maksico, ca, llo, lla, to, ta. 
adj. elim. de Manso. Mansi- 
nho. 

Mansidupne. /. (a7it.) V. Man- 
sedumbre. 

IMansillero, ra. adj. (ant.) V. 
Carnicero, com.edor de car- 
nes. 

Mansión. /. Mansão, aposento, 
morada. Habitacidum, culi- 



MAN 3ò 

culam : — mansão, estancia, 
parada em alguMia parte. 
Mansio, anis. Hacer man- 
sión (fr.); fazer mansão, fa- 
zer estancia, estanciar, pa- 
rar em alguma parte. Alicu- 
bi morari, manere: ■ — (astr.) 
V. Casa. 

Mansionakio, eia. adj. (ant.) 
Enclaustrado, clausurado; 
dizia-se dos ecclesiasticos 
que viviam em clausura. In 
sacris cedibus degens: -^ m. 
(hist.) mansionario; official 
ecclesiastico que vivia ao 
pé das igrejas: — aposen- 
tador, em algumas cortes. V. 
Aposentador. 

Mansísimo, ma. adj. sup). de 
Manso. Mansíssimo, muito 
manso. 

Mansito, adv. m. V. Quedito. 

Manso, sa. adj. í.Ianso, placi- 
do, brando de genio, dotado 
de mansidão. Placidus, be- 
nignus, suavis: — manso, 
amansado, aíieito ao mando 
do homem, não bravo; diz- 
se do animal. Mansuetus, a, 
um: — (fig-) manso, placi- 
do, brando, socegado, tran- 
quillo; diz-se do ar, da cor- 
rente, e outras cousas in- 
anima,das. Placidus, quietas: 
— (ant.) manso, leve, sua- 
ve. Suavis, is: — m. guia; 
animal que nos diversos ga- 
dos guia os demais do re- 
banho ou manada. Dux gre- 
gis : — p>^- (P- ^4sí.j terras 
ou bens primordiaes dos cu- 
ratos e de alguns mostei- 
ros, que estavam isentos de 
llagar dizimos. Patrimonia 
parochis adsignata: — m. 
(agr.) terreno em continua 
cultura. 

Mansuefacto, ta. adj. (aid.) 
Domado, amansado; dizia-se 
do animal feito manso, sen- 
do antes bravo. Hoje tem 
uso no foro. Mansnefactus, 
cicuratus. 

Mansuetísijio, ma. adj. (ant.) 
sup. de Mansueto. Mansue- 
tissiü}o; muito manso. 

Mansueto, ta. adj. (ant.) Man- 
sueto. V. Manso: — (ant.) 
mansueto, dócil; dizia-se dos 
animaes naturalmente man- 
sos. Mansuetus, a, um. 

Mansuetud, Mansuetumbre. / 
(ant.) Mansuetude, V. Ma7i- 
sedumbre. 



36 



MAN 



Manswehk. m. Manswerk ; me- 
dida de superficie para os 
prados, usada era Zurich. 

Manta. /. Manta; cobertor de 
cama. Ladix, stragulum : — 
manta; cobertura que serve 
para abrigo das bestas. Dor- 
suale stragulum: — m. espe- 
cie de jogo de cartas : — de 
pared (ant.) V. Tapiz: — (fig.) 
tunda, sova; pancadas que 
alguém leva ou dá: — (p. 
Cub.) lenço de abafar, que 
as mulheres põem sobre os 
hombros: — tirillana; man- 
ta de retalhos de diíFerentes 
tecidos, para abrigo dos po- 
bres e outros usos. A manta 
ó a manta de Dios (loe. adv) ; 
copiosamente, em grande co- 
pia, a rodo. Abunde. Dar una 
manta (fr.fam. ) V. Mantear. 
Poner a manta [fr. agr.) V. 
Poner a almanta . Echar 
mantas (fr.) V. Echar pes- 
tes. Ser una manta mojada 
(fr.); ser um cesto roto; 
ser inútil, nao prestar para 
nada. Tomar la manta (fr. 
fam); passar á estufa; estar 
em uso do tratamento mer- 
curial contra o venéreo: — 
(mil.) manta; machina bel- 
lica antiga: — (min.) saco 
de pita para transportar o 
metal e o que fica dos des- 
montes: — (zool.) manta; 
peixe do genero esqualo, 
que se encontra no mar do 
sul, redondo como a raia. 

Mantalona. /. Mantalona; te- 
cido de algodão com que se 
fazem as velas das embar- 
cações nas Philippinas e em 
toda a India. 

Mantaterilla. /. (comm.) Pan- 
no grosseiro que de ordina- 
rio serve para fazer mantas 
para as bestas. Tela; vilioris 
gemís. 

Manteador, ka. s. Mantea- 
dor; o que manteia. Qui si- 
mul cicm aliis sagulo disien- 
to in altum aliquem jactat. 

Manteamiento, m. Manteação; 
o acto de mantear, ou de ser 
manteado. 

Mantear, a. Mantear; pôr al- 
guém ou algum animal em 
manta tesa, segura pelas 
quatro pontas por quatro 
homens e, por travessura, 
faze-lo saltar ao ar, sacu- 
dindo-o fortemente. In altum 



MAN 

sagulo disiento aliquem ja- 
ctare: — n. (p. Mure.) ande- 
jar; andar sempre na rua, 
sair muito de casa, as mu- 
lheres. Midieres e domo cre- 
bra 7iimis exire. 

Manteca. /. Manteiga; sub- 
stancia pingue do leite, que 
se separa batendo a nata. 
Butyrum, i: — manteiga de 
porco; banha, gordura d'es- 
te animal. Pinguedo, inis: 
— banha; a gordura dos 
animaes. Pinguedo, inis : — 
banha, manteiguilha ou ba- 
nha de cheiro; pomada chei- 
rosa preparada com essên- 
cias de flores. Unguentiim, 
i: — manteiga; substancia 
crassa e oleosa de alguns 
fructos, como a do cacau, 
etc. Pinguitvdo, inis : — 
(chim.) manteiga; nome de 
certos chloruretos metalli- 
cos, como os de antimonio, 
zinco, etc. 

Mantecada. /. Fatia de pão 
com manteig&.Paiiis segmen- 
tum pinguedine delibutum. 

Mantecadillo, to. m. dim. de 
3Ia7itecado. 

Mantecado, da. adj. (ant.) V. 
Mantecoso : — m. especie de 
bolo amassado com mantei- 
ga. Libum, i. 

Mantecón, m. Homem delica- 
do, mimoso. Blandus, deli- 
catus. 

Mantecoso, sa. adj. Manteigo- 
so, butyroso ou manteiguen- 
to; diz-se do que tem muita 
manteiga: — manteiguento, 
butyroso, crasso, similhante 
á manteiga. Pinguis, e. 

Manteista, m. Estudante que 
assistia aos estudos vestido 
de capa e batina, quando 
usavam este traje em Hes- 
panha. Lycei alumnus tala- 
ri veste indutus. 

Mantel, m. Toalha de mesa. 
Mantile, mappa : — toalha de 
altar. Mantile, is: — (ant.) 
lambrequim curto e largo 
que usavam os cavalleiros 
para cobrir os elmos e escu- 
dos. Alzar o levantar los 
manteles (fr.); levantar a 
mesa, acabar de comer. A 
manteles echados (fr.) V. De- 
nodadamente. Levantarse de 
los manteles (fr. ant.); le- 
vantar-se da mesa, acabar 
de comer. Convivio finem 



MAN 

imponere. En mantel (fr.)> 
dividido em tres partes; diz- 
se do escudo. 

Mantelado, da. adj. (br.) Man- 
telado; diz-se do escudo ou 
dos animaes cobertos com 
um mantelete ou capa. 

Mantelería. /. Grande nume- 
ro de toalhas, guardanapos, 
e roupas de mesa. Manti- 
lium mapparumque copia. 

Manteleta./. Mantelete, man- 
tilha; capinha curta, de que 
usam as mulheres, á manei- 
ra de chaile. 

Mantelete, m. Mantelete; ves- 
tidura que os bispos e outros 
prelados trazem por cima do 
róchete. Túnica ad genua 
demissa: — mantelete; ves- 
tidura de monsenhor em Ro- 
ma. Túnica, vestis ad genua 
demissa: — (br.) mantelete; 
capa curta, com que os ca- 
valleiros cobriam os escudos 
e capacetes. Linteum cassidi 
superimpositum : — (mil.) 
mantelete, manta de guerra. 
Pluteus, i. 

Mantelia. /. (bot.) Mantellia; 
genero de plantas da fami- 
lia das cycadeas. 

Mantellina. /. V. Mantilla. 

Mantenedor, m. Mantenedor; 
o principal cavalleiro das 
justas e torneios. Primus in 
ludo equestri propugnator : 
— s. (ant.) mantenedor ; o 
que mantém, sustenta a ou- 
ti'cm. Sustentator, sustenta- 
frix: — (ant.) mantenedor, 
defensor. V. ÍDefensor. 

Mantenemiento. m. (ant.) V. 
Mantenimiento. 

Mantenencia. /. (ant.) Man ten- 
ça, manutenção, mantimen- 
to, sustento, alimento. Ali- 
mentum, i: — (fig. ant.) ma- 
nutenção; conservação de 
alguma cousa. Conservatio, 
onis: — (ant.) mantença, ali- 
mento, sustento, viveres. Ci- 
baria, annona. 

Mantener, a. Manter, susten- 
tar; prover do alimento ne- 
cessário. Também é recipro- 
co. Alere : — manter ; conser- 
var no mesmo estado. Con- 
servare: — manter, ter mão, 
suster alguma cousa. Susti- 
nere: — manter; defender ou 
sustentar alguma opinião ou 
systema. Tueri, adserere: — 
manter, sustentar, proseguir 



MAN 

voluntariamente no que se 
está executando. Sustinere: 

— ser o mantenedor no tor- 
neio ou qualquer outro jogo 
publico. Primas in ludo 
equestri partes agere : — r. 
manter-se; perseverar em 
alguma cousa. Perseverare: 

— r. (fig-) manter-se, sus- 
tentar-se, alimentar-se. Ali: 

— (for.) manter; sustentar 
alguém na posse ou goso de 
alguma cousa. Possessionem 
tueri, tutam prcestare: — 
r. (naut.) V. Aguantarse. 

Manteniente, Mantinienti. 
adv. (ant.) Em continente, no 
mesmo instante. A mante- 
niente (loe. adv.); com am- 
bas as mãos, com toda a 
força. Totis viribus, utraqiie 
manu. 

Mantenimiento, m. Mantimen- 
to, subsistencia; eíFeito de 
alimentar-se: — mantimen- 
to. V. Manjar, alimento: — 
mantimento, manutenção; 
conservação de alguma cou- 
sa: — mantença; quantia as- 
signalada aos cavalleiros 
professos para o pão e a agua 
que haviam de gastar em 
cada aimo. Stips annua, sin- 
gulis militarium ordinum 
equitibus erogari sólita. 

Manteo, m. Mantéu; saia sem 
pregas, de baeta ou panno, 
usada por mulheres rusticas. 
Femínea túnica: — mantéu; 
capa comprida de religioso, 
com collarinho estreito.N'ou- 
tro tempo também a usavam 
certos estudantes. Pallium, 
ii. 

Mantequera. /. Barata; vasi- 
lha em que se faz a mantei- 
ga. Vas butyro conficiendo : 

— manteigueira ; vaso que 
serve para trazer manteiga 
á mesa. Fas butyro ad cibum 
assumendo. 

Mantequero, ba. s. Mantei- 
gueiro; o que faz ou vende 
manteiga. Butyri venditor: 

— adj. (naut.) diz-se de um 
navio mercante de pouca 
importancia e mal appare 
Ihado. 

Mantequilla. /. dim. de Man- 
teca. Manteiguilha: — mis- 
tura agradável de manteiga 
de vacca e assucar. Butyri 
pastilus saccharo conditus. 

Mantequillera. /. (p. Cub.) V. 



MAN 

Mantequera, na segunda ac- 
cepçâo. 

Mantera. /. Manteira; mulher 
que faz mantos feminis. Pal- 
larum sutrix. 

Mantero. m. Manteiro; o que 
faz ou vende mantas. Lodi- 
cu7n opifex, venditor. 

Mantico, llo, to. m. dim. de 
Manto. Mantinho, mantosi- 
nho. 

Mantícoea./. (zool.) Manticho- 
ra; genero de insectos coleó- 
pteros peutameros, da fami- 
lia dos carabicos. 

Manticorídeos , Manticorios. 
m. pi. Manticoridos; familia 
de insectos coleópteros pen- 
tameros. 

Mantidos, m. pi. (zool.) Man- 
tidos ou antios ; tribu de in- 
sectos orthopteros. 

Mantilla. /. Mantilha ; manto 
curto e flexível, usado em 
Hespanha pelas mulheres, e 
n'outro tem230 nas províncias 
em Portugal, particularmen- 
te emCoimbra, com aqual co- 
briam a cabeça e parte do 
corpo. Muliebre velum, ami- 
culum : — mantilha, cueiro ; 
panno ou baeta para enfaixar 
as creanças. Usa-se mais no 
plural. Panni panniculi in- 
fantiles : — xairel ; adorno 
que cobre a parte superior 
das ancas ao cavallo. Pha- 
Irce, arum : — (art.) ban- 
queta; peça de linho que se 
pue entre o timpanilho e o 
timpano, para fazer branda 
a pressão : — pi. presente 
que um principe faz a ou- 
tro quando lhe nasce um 
filho. Pro infantis fasciis 
múnus. Estar eu mantillas 
(fr. fam.); estar para deva- 
gar, estar um negocio ain- 
da no principio. Diz-se tam- 
bém da pessoa pouco adian- 
tada, atrazada nos estudos. 
In incunabulis esse. Salir 
de mantillas y pañales (fr. 
fig.); comer já pão com co- 
dea; ter já uso de rasão, ter 
idade para se governar ou 
dirigir. Mamim ferulce sub- 
ducere. 

Mantillado, da. adj. (br.) V. 
Mantelado. 

Mantillega. /. dim. de Man- 
tilla. Mantilhinha, manti- 
lha pequena. 

Mantillo, m. (agr.) Térmico, 



MAN 



37 



terra vegetal; estrume já 
muito cortido e misturado 
com terra. Putre stercus. 
Dar mantillo (fr. art.); cer- 
ta untura que se dá no car- 
naz das pelles, nas fabricas 
de cortumes. 

Mantillón, na. adj. (p. Mure.) 
Desalinhado, sem compostu- 
ra, mal composto, sujo. In- 
comtus, a, tim. 

Mantinent. Mantinente, Man- 
tinenti. adv. (ant.) V. Man- 
tiniente. 

Mantis. m. (zool.) V. Mántide. 

Mantispa. /. (zool.) Mantispa; 
genero único de insectos ne- 
vropteros, da familia dos 
mantidos. 

Mantitos. 7?í. pi. (zool.) Man- 
titos; grupo de insectos or- 
thopteros, da familia dos 
mantidos. 

Manto. m. Manto; vestidura 
talar com que se cobrem as 
mulheres, usada em algu- 
mas provincias de Hespa- 
nha. Também se chamava 
assim á vestidura que co- 
bria a cabeça das mulheres 
e descia até á cintura, na 
qual se cingia. Velum mu- 
liebre: — manto; capa que 
se usa em algumas nações, 
e também a que trazem al- 
guns religiosos. Pallium, ii: 
— manto; capa talar rica e 
de ceremonia, que se ata por 
cima dos hombros, usada 
pelos reis e grandes. Tra- 
bea. O}: — capa; vestidura 
talar, usada em alguns col- 
legios, sobre a qual se traz 
de ordinario a beca. Toga, 
ce: — (fig-) capa, pretexto, 
côr; o que encobre ou oc- 
culta alguma cousa. Velum, 
i: — caballeroso; manto de 
cavalleiro; vestidura talar, 
antigamente própria e pri- 
vativa dos cavalleiros. Pa- 
ludamentum, i: — capitular; 
manto capitular; vestidura 
exterior que hoje usam os 
cavalleiros das ordens mili- 
tares. Equestre pallium : — 
de humo; manto de fumo; 
antigo manto de luto, pró- 
prio das mulheres. Pallce 
sericce genus: — de soplillo; 
manto de tafetá muito claro 
e flexível, que as mulheres 
usavam por gala. Theris- 
trum palia levíssima: — du- 



38 



MAN 



cal (br.); manto ducal; no 
brazão, cota de armas que 
ofi cavalleiros traziam por 
cima das armas defensivas. 
Militare pal Unm: — (min.) 
beta ou veia metal lien que 
se estende horisontalmente 
para os lados na mina, sem 
notável inclinação jiara o 
centro da terra. Vena, ce. 

Mantón, m. aug. de Manto. 
Mantão, grande manto: — 
cada uma das duas listas 
de estofo que se cosiam nos 
vestidos das senhoras em 
forma de ornato. Muliebris 
iJioracis Lractea: — V. Man- 
ta, nas aves: — (ant.) noi- 
vo; o homem recem-casado. 
Hecens maritus: — grande 
lenco de abafar : — (j). Cuh.) 
mantilha de mulher: — (ant.) 
V. Capa, Manteo: — aâj. 
V. Mantudo. 

Mantoncillo. m. dim. Aq Man- 
tón. 

Mantea, m. (j)Jiilol.) Mantra; 
oração dos indios. 

Mantuano, na. adj. e s. Man- 
tuano; o natural ou perten- 
cente a Mantua. Mantua- 
nvs, a, 7/m. ■ 

Mantudo, da. adj. Agachado; 
diz-se da ave quando tem 
as azas caídas parecendo es- 
tar envolta e coberta com 
ellas. Coo23erizis, a, nm. 

Manuable, adj. ]\Ianuavel; fá- 
cil de manusear. Tractahi- 
lis, le. 

Manual, adj. Manual; feito á 
mão. Mami ftictus: — V. 
]\lamiable: — fácil, de sim- 
ples execução. Facilis, le: 
— intelligivel; fácil de en- 
tender. Cajítu Jacilis: — 
maneavel, tratavel, man- 
sueto, manso, dócil. Facilis, 
humanus: — (ant.) manei- 
ro, leve, fácil para alguma 
cousa. Facilis, prompfus: — 
m. manual, compendio; ])q- 
queno livro em que se resu- 
me alguma materia. Ma- 
nualis líber: — manual; li- 
vro que contém os ritos com 
que devem administrar-se 
os sacramentos.í/^icAf r?'(Z¿07i , 
mányale: — diario; livro dos 
negocios, livro de aponta- 
mentos. Memoricdis líber, 
commentarius : — pl. certas 
distribuições de dinheiro, 
que se fazem aos ecclesias- 



MAN 

ticos nos oíticios de coro: — 
(aut.) direitos que sedavam 
aos juizes ordinarios pela 
pua assignatura. Stipendii 
gemís judicibvs jyrcestitum : 
— (naut.) V. Puño, na se- 
gunda accepção. 

Manualmente, adc. m. Ma- 
' nualmente; á mão, com as 
mãos. Manibus. 

Manubrio, m. Manubrio; cabo 
de qualquer instrumento. 
Mannhriuní, ii: — mani- 
vella. 

Manucodiata. /. Manucodiata. 
V. Ave del Paraiso. 

Manucordio. m. (mus.) Manu- 
cordio. V. Monacordio. 

Manuductor. m. (ant.) Mestre 
da capella ou do coro; o que 
o dirige marcando o com- 
passo. 

Manuella. /. (naut.) Ban-a do 
cabrestante. Vedis, is: — 
caima do leme: — Y. Pu- 
ño, na correspondente ac- 
cepção náutica. 

Manufactura. /. Manufactu- 
ra; obra de mãos ou pro- 
ducto da industria. Ojjms 
7nan7ifactvni; — manufa- 
ctura; fabrica. V. Fabrica. 

Manufacturar, a. (neol.) Ma- 
nufacturar, fabricar; fazer 
artefactos, trabalhar em ma- 
nufacturas. 

Manufacturero, ra. adj. Ma- 
nufactureiro ; relativo ou 
pertencente á manufactura. 

Mak^'lea. /. (bot.) Manulea; 
genero de plantas da fami- 
lia das escrofularineas. 

Manumisión. /. (for.) Manu- 
missao, alforria; liberdade 
{|ue o senhor dá ao escravo. 
Manumissio, anis. 

Manumiso, sa. adj. V. Horro. 

Manumisor. ni. (/or.j Forrador; 
senhor que dá liberdade ao 
escravo. Manumissor, ina- 
numittens. 

Manumitir, a. (jnr.) Dar o se- 
nhor liberdade ao escravo. 
Manumitiere. 

Manuscrito, ta. adj. Manu- 
scrito ou mauuscripto; escri- 
pto á mão, de letra de mão. 
tJsa-se também como sub- 
stantivo masculino, Manu 
scriptus, exaratus. 

Manutención. /. Manutenção, 
conservação ; acção e efíeito 
de manter e manter-se ou 
ser mantido. Conservatio, 



MAN 

onis: — conservação, pro- 
tecção, apoio, amparo. Con- 
servatio, protectio, tutela: 

— (for.) manutenção; am- 
paro e protecção concedida 
pelo juiz ao queixoso, que 
diz ser perturbado por ou- 
tro na posse de alguma 
cousa. 

Manutenencia. /. (ant.) Manu- 
tenencia. V. Manuteucion. 

Manutener, a. (ant.) V. Man- 
tener, Amparar. Hoje usa- 
se no foro. 

Manutisa. /.^ (bot.) V. Minu- 
tisa. 

Manvacío, cia. adj. (ant.) V. 
Manivacío. 

Manzana. /. Maçã ou ma- 
can; ¡"¡omo, fructo da ma- 
cieira. Malum, i: ^- de da- 
ma (p. Ar.) V. Acerola: — 
grupo de casas contiguas, 
isolado das mais de uma po- 
voação. Insula, w: — (ant.) 
maçã, cabeça da espada : — 
de la discordia (fig.); pomo 
da discordia; tudo que é 
causa de contrariedades, dis- 
cordias ou divisões. Discor- 
dioe occasio. 

Manzanahigo. to. Especie de 
maçã que apparece sem flor. 

Manzanal, to. V. Manzanar : 

— V. Manzano. 
Manzanar, m. Mazanaria; po- 
mar, logar plantado de ma- 
cieiras. Pomarium, ii. 

Manzaneda. /. (ant.) V. Man- 
zano, arvore. 

Manzanico. to. dim. de Ma7i- 
zano. Macieirinha; pequena 
macieira. 

Manzanil, adj. Similhante á 
maçã; diz-se de algumas 
fructas. Maio similis. 

Maíízakilla, ta./, dim. de Man- 
zana. Maçanilha; maçã pe- 
quena: — a parte inferior 
e saliento que serve de cal- 
canhar nos pés e mãos dos 
cães 6 outros animaes pro- 
vidos de unhas. Calcaneum, 
i: — maçaneta; remate glo- 
bular ou da feição de maçã, 
com que se adornam os va- 
rões dos leitos, grades, etc. 
Pinna, ca: — ponta da bar- 
ba. Mentum, i: — vinho 
branco mui nomeado de San- 
lucar deBarrameda: — (a^T.j 
especie de azeitona peque- 
na. Oliva orbiculata: — (bot.) 
macella, camomilla \ nome 



MAN 

vulgar ãc diversas plantas 
. da familia das compostas : 

— bastarda. V. Ajenjo. 
Manzanillo, to. m. dim. de 

Manzano. Macieirinha: — 
(agr.) oliveira que produz a 
azeitona que em tíespaulia 
se chama manzanilla. Olea 
orhicidatas olivas fere ns: — 
(bot.J mancenilheira; -arvore 
venenosa das Antilhas. 

Manzano, m. Maceira ou ma- 
cieira; genero de plantas 
da familia das rosáceas, cu- 
jas especies produzem ma- 
cas. 

Manzenar. in. (ant.) V. Man- 
zanar. 

Maña. /. Manha, destreza, ar- 
te, habilidade. Sollertia, m: 

— manha, ardil, treta, as- 
tucia dolosa. Caliditas, atis: 

— manha; mau costume, 
mau sestro. Mos, oris: — 
manipulo, manojo pequeuo, 
molhinho, etc. Manipidus, 
i: — (ayd.) maneira, mo- 
do: — pi. (ant.) manhas; 
maneiras, costumes. Darse 
mana (fr.J; industriar-se, 
fazer-se engenhoso, destro, 
dispor os seus negocios com 
habdidade. Callide se gere- 
re. Mas vale maña que fuer- 
za; mais vale a astucia que 
a força. Ingenio magis quam 
viribus opus est. El que ma- 
las 7nanas ha, tarde ó nun- 
ca las perderá (rif.); quem 
más manhas ha, tarde ou 
nunca as perderá. 

Mañana. /. Manhã; o tempo 
que medeia entre o nascer 
do sol e o meio dia, ou tam- 
bém o espaço decorrido des- 
de a meia noite até ao meio 
dia. Dimidiam, diei ah au- 
rora, vel à media nocte ad 
meridiem (adv.J; amanhã; 
no dia immecliato. Cras, 
dies crastina: — (fig-) ama- 
nhã; tempo futuro. Tempus 
posterum : — em breve, sem 
demora, prestes. Cito: — ■ 
amanhã; expressão negati- 
va, de recusa. Minimè: — 
p>rieta; o amanhecer, o raiar 
do dia: — será otro dia; 
o dia de amanhã ninguém o 
viu; expressão com que se 
recorda a instabilidade das 
cousas do mundo. De gran 
mañana. V. Muy de maña- 
na. Tomar la mañana (fr.); 



MAN 

madrugar. Summo mane, 
dilucido S'urgere. Muy de 
mañana; muito de manhã; 
de madrugada. Primo mane. 
Tomar la mañana; madru- 
gar; matar o bicho; beber 
aguardente logo jjela ma- 
nhã em jejum. Hacer la ma- 
ñana (p. Mex.); matar o bi- 
cho; beber aguardente em 
jejum, como costumam os 
borrachôes de profissão: — 
de la vida (poet.); manhã, 
primavera da vida, juven- 
tude. 

Mañanear, n. (ant.) V. Ma- 
drugar: — (fig. ant.) offe- 
recer para o dia seguinte. 

Mañanica, ta. /. Manhãsinha ; 
o principio da manhã. Dilu- 
cnlum, mane. 

Mañana. /. (ant.) Nome de cer- 
to jogo. 

Mañear, o. Dispor alguma 
cousa com habilidade ou 
manha. Sollerter agere. 

Mañera./, (ant.) V. Machorra. 

Mañería. /. Maninhez; esteri- 
lidade, infecundidade das 
fêmeas ou das terras. Steri- 
litas, atis: — (ant.) mani- 
nhez; direito que tinham os 
reis e senhores aos bens de 
seus vassallos que morriam 
sem herdeiros legítimos. Jus 
iii ejus qai sine liberis de- 
cessit, hoireditatem : — ma- 
nha, astucia, sagacidade, 
fraude. Dolus, astutia. 

Mañero, ra. adj. Manhoso, as- 
tuto, sagaz. Sagax, sollers : 

— (p. A. Mer.) manhoso, 
resabiado, que tem mau ses- 
tro; diz-se das bestas: — 
(ant.) maneiro; dócil, trata- 
vel : — de fácil execução : 

— V. Fiador, no sentido de 
responsável por outrem : — 
maninho, estéril, infecundo. 
V. Estéril: — (ant.) mani- 
nho; o que morria sem legi- 
tima successào. Qui absque 
liberis decessit. 

Mañeruelo, la. adj. dim. de 
Mañero: — V. Acomodadizo. 

Maño, ña. adj. (ant.) V. Grande. 

Mañosamente, adv. m. Manho- 
samente, astutamente, ha- 
bilmente. Dextere, soller- 
ter : — manhosamente. V. 
Maliciosamente. Subdole. 

Mañosísimo, ma. adj. sup. de 
iV/añoso. Manhosíssimo; mui- 
to manhoso. 



MAP 



39 



Mañoso, sa. adj. Manhoso ; que 
tem manha. Sollers, tis : — 
manhoso, ardiloso, astucio- 
so ; diz-se do que se faz com 
manha ou astucia. Artificio- 
sus, a, um : — (p. Mex.) 
manhoso, resabiado, arisco. 

Mañuela. /. Manha, astucia, 
ardil. Fraus, dolus, astu- 
tia: — s. pi. (fam.) pessoa 
astuta, manhosa, fina, des- 
tra no manejo dos negocios. 
Astutus, sxibdolus. 

Mao. m. (ant.) O mez de maio: 
— mao; certo peso oriental 
para os géneros ordinarios. 

Maor. adj. (ant.) V. Mayor. 

MaorÁ. /. (ant.) Contracção 
dos termos me habrá. 

Maoral. to. (ant.) V. Mayoral, 

Maordomo. m. (ant.) Y . Mayor- 
domo. 

Maormiente. adv. m. (ant.)Y. 
Alayormente. 

Mapa. m. Mappa, carta; re- 
presentação de algum paiz 
ou terreno em uma super- 
ficie plana. Tabula gcogra- 
j)hica: — mappa; delinea- 
ção de terras, mares ou das 
regiões celestes sobre pan- 
no, metal, etc. : — militar 
(mil.); mappa militar; o que 
tem especialmente marca- 
das as posições, quartéis, es- 
tabelecimentos militares , 
etc. : — de anela (naut.) V. 
Pestaña: — (fam.) flor; 
cousa rara, excellente no 
seu genero, o que sobresae 
em habilidade ou produc- 
ção. Fios, oris. Llevarse la 
mapa {fr.); levar a palma; 
avantajar-se, exceder, levar 
vantagem, ser superior. Ex- 
cellert. JVo estar en la ma- 
pa (fr:); não estar nos map- 
pas, não ser dos livros; ser 
cousa desusada e extraordi- 
naria. Bem esse iiovampror- 
sus et inauditam. 

Mapalia. /. (ant.) Choça, ca- 
bana. 

Mapamundi, m. Mappamundi 
ou mappamundo ; mappa que 
comprehende todo o globo 
terráqueo. Totius orbis hi- 
X)artita descriptio : — celes- 
te; mappamundi celeste; 
mappa em que se vê de um 
lance de vista a posição das 
estrellas que brilham em 
ambos os hemispherios ce- 
lestes. 



40 MAQ 

Maprunea. /. (bot.) Maprou- 
nea; genero de plantas eu- 
phorbiaceas. 
Mapula. /. (min.) Pedia pre- 
ciosa que se encontra junto 
a Nova Granada, 
Mapuuia./. (bot.) Mapuria; ge- 
nero de plantas rubiáceas. 
MAPURrn. m. (zool.) Mapuriti; 
pequeno quadrúpede da 
Guyana. 
Maque, m. (p. Mex.) V. Charol. 
Maquear, a. (p. Mex.) V. Cha- 
rolar. 
Maquerio. m. (bot.) Macherio; 
genero de plantas legumi- 
nosas. 
Maquí. m. (zool.) Maqui; ge- 
nero de quadrumanos no- 
cturnos, da familia dos le- 
mui'ios. 
Maquiavélico, ca. adj. Ma- 
chiavelico; pertencente ao 
machiavelismo. Machiaveli- 
cus, a, um: — (fam.) ma- 
chiavelico; astuto, falso, pér- 
fido. 
Maquiavelismo, m. Machiave- 
lismo; systema de Machia- 
vello. Machiavelisvius, i : — 
(fam.) machiavelismo; pro- 
ceder astucioso, pérfido. 
Maquiavelista. 73?. Machiavc- 
lista; discípulo, sectario das 
doutrinas e systema de Ma- 
chisiveWo.Machiavelismo ad- 
hoerens. 
Maquila. /. Maquia; porção 
que os moleiros e os laga- 
reiros tiram da farinha ou 
azeitona que moem por con- 
ta de outrem. Molentis mer- 
cês : — maquia; medida de 
grãos e farinhas, Medimni 
pars vigésima quarta : — V. 
Maquilandero. De maquila 
(loe. adv.); á custa da barba 
longa, á custa alheia. 
Maquilandero. m. Maquia; me- 
dida para maquiar ou tirar 
a maquia da moenda para o 
moleiro ou lagareiro. Men- 
sura qncedam. 
Maquilar, o. Maquiar; tirar 
a maquia da moenda, que 
pertence ao moleiro ou la- 
gareiro. Ex molentino sti- 
pendium exigere: — (fig-) 
maquiar; desfalcar ou dimi- 
nuir parte de alguma cousa. 
Maquilero. m. Maquiador; o 
que recebe ou cobra as ma- 
quias. Molendinarius exa- 
ctor. 



MAQ 

Maquilo, m. (bot.) Machilo; 
genero de plantas da fami- 
lia das lauríneas: — (zool.) 
machilo; genero de insectos 
tysanuros. 

Maquilon. m. (ant.)Y. Maqui- 
lero. 

Máquina. /. Machina, enge- 
nho; artificio com que se 
executa ou facilita algum 
trabalho ou operação me- 
chanica. Machina, ce: — (fig.) 
machina; reunião de diver- 
sas partes ordenadas entre 
si, e dirigidas á formação 
de um todo. Machina, ce : — 
(fig. fam.) machina, edificio 
grande e sumptuoso. Moles, 
ingens cedificius: — (fig- 
fam.) machina; muita cou- 
sa junta. Multitudo , inis : 
— (fig-J machina, machina- 
ção, tramóia, traça, astucia, 
artificio. Machinatio, otiis: 
— -machina; artificio com- 
posto de varias peças, dis- 
postas para representar al- 
gum facto. Machina, ce: — 
de arbolar (naut.) V. Machi- 
na: — de gtierra (mil.) ; ma- 
china de guerra; instrumen- 
to próprio para arremessar 
pedi-as, flechas, derribar mu- 
ralhas, etc., usado antiga- 
mente, antes da invenção da 
pólvora. 

Maquinación. /. Machinação, 
cilada, projecto artificioso, 
de ordinario para mau fim. 
Machinatio, onis. 

Maquinador, ra. s. Machina- 
dor; o que machina. Ma- 
chinator, oris. 

Maquinal, adj. Machinal; re- 
lativo á machina. Machina- 
rius, a, um: — (fig-) machi- 
nal; diz-se dos actos ou mo- 
vimentos executados sem de- 
liberação própria. 

Maquinalmente, adv. m. Ma- 
chinalmente, indeliberada- 
mente. Machinali more. 

Maquinante, p. a. de Maqui- 
nar. 

Maquinar, a. Machi n ar; pro- 
jectar algum ardil, traçar 
artificiosamente uma cousa. 
Machinari, moliri: — ma- 
chinar, calumniar; ti'amar 
enganos, inventar calum- 
nias. 

Maquinaria./. Mechanica; ar- 
te que ensina a fabricar as 
machinas. Machinaría ars: 



MAR 

— V. Mecánica : — conjun- 
cto de machinas ou de ap- 
parelhos combinados. 

Maquinista, m. Machinista; 
inventor ou constructor de 
machinas. Machinator, oris: 

— machinista; o que dirige 
machinas. 

Mar. m. Mar; grande massa 
de agua salgada, que cinge 
a terra na maior parte da 
sua superficie. Maré, is : — 
V. Marea: — mar; nome 
de alguns grandes lagos, 
como o Caspio, etc. Maré, 
is : — mar ; grande copia de 
algumas cousas fluidas ou 
liquidas. Coptia, ce : — (fig-) 
mar; cousa grande, insondá- 
vel e incomprehensivel : — 
marulhada; grande agitação 
das ondas com os ventos 
fortes e as tempestades. Ma- 
ré oistuans : — alta; mar 
bravo, cavado ou tormento- 
so, mar muito agitado. Tu- 
midum maré : — bonanza. V. 
Mar en calma: — de bata- 
lla; mar ou paragem onde 
combateram alguns navios. 
Maré in quo navali pugna 
confligitur : — de donas 
(ant.); mar de senhoras. V. 
mar en calma: — de fondo 
ó de leva; mar tormentoso, 
que se arremessa contra as 
costas, ^stuans mare: — 
en calma, en leche ó en le- 
cho; mar em calma, mar bo- 
nançoso, de leite. Tranquil- 
lum mare: — larga, mar 
ancha; mar alto ou lar- 
go; grande extensão de mar 
profundíssimo. Pelagus, i. 
Alta mar ; alto mar; o que 
está mui longe da terra. 
Altum mare. Arrojarse a la 
mar (fr. fig.); arrojar-se, 
lançar-se aos mares; aven- 
turar-se com risco. Vela ven- 
tis permitiere, se in discri- 
men objicere. Cruzar en el 
mar (fr.) ; cruzar os mares; 
bordejar, pairar, andar cru- 
zando. Speculatoriis navibus 
maria concursare, frequen- 
tarc. Correr la mar (fr.); 
correr o mar; navegar sem 
destino fixo, como fazem os 
piratas. Correr los mare» 
(fr.); correr os mares; na- 
vegar continuamente. De 
mar a mar (loe. adv.); de 
mar a mar, de fio a pavio; 



MAR 

expressa a abundancia de 
alguma cuusa em uin da- 
do lugar. ~\[ajortm iii mo- 
dum: — de poutu em bran- 
co; com muito luxo e ma- 
gnificencia. 2lajoi-em iii mo- 
dum. Agualdarse con la litar 
ífr.J; agüentar-se com o mar; 
fazer por manejar e equili- 
brar o navio com o mar en- 
capellado. Echar lanzas en 
el mar (fr. fie/.); dar golpes 
no mar, malhar em ferro 
frio; trabalhar em \íio. Frus- 
tra laborare. Hacerse a la 
mar (fr.) ; fazer-se ao mar, 
amarar-se. Vela in allum 
daré. 

Marabá./. Marabá; instrumen- 
to musico de cordas, usado 
pelos árabes. 

Maraiíotin. m. Marabitino ou 
marabimino; moeda antiga 
de Hesjjanha, que era o 
mesmo que o maravedi. 

Marabú, m. Marabú; certo 
adorno de pennas que usam 
as mulheres : — (zool.) ma- 
rabú; especie de aves do 
genero cegonha. 

Marabut. m. V. Morabito. 

Marabüto. m. (ant. naut.) V. 
Foqiie, na segunda accepçâo. 

Maraca. /. Maraca; balsamo 
precioso muito em uso no 
Perú. 

Maragato. m. Certo adorno 
mulheril antigo. Supparus 
eolio appositus. 

Margüto. m. (ant. naut.) V. 
Marabido. 

^Iaralia./. (bot.) Maralia; ge- 
nero de plantas da familia 
das araliaceas. 

Maraxta. /. (bot.) Maranta; 
genero de plantas gramí- 
neas, de cuja especie typica 
se extiahe o arrow-root. 

Maraña. /. Tojal, espinhal ou 
mata espinhosa. Dumetum, 
i: — cadarço, borra da se- 
da. Slupa sérica : — (fiff-) 
maranha; fios ou fibras en- 
redadas. Implicatio, onis : 
— CAç-J maranha; lance, ne- 
gocio, intrincado. Commen- 
tum, i : — (fiffO maranha, 
enredo, intriga: — (germ.) 
marafoua, mulher publica. 

Marañar, a. (ant.) IVlaranhar. 
V. Enmarañar. Também se 
usava como reciproco. 

Marañero, ra. adj. Maranho- 
so, enredador, intrigante, 



MAR 

embusteiro. Commenionan 
arlifex. 

M a RAÍAOS o, SA. adj. V. Mara- 
ñero. 

Marasmo, m. (mcd.) Marasmo; 
estado de extrema exteuua- 
çào, consumpçào da sub- 
stancia do corpo. 

Marasmoda./. (hot.) Marasmo- 
da; genero de plantas da 
familia das compostas. 

Maratia. /. (bot.) Marattia; 
genero de ¡llantas da fami- 
lia dos fetos. 

Maravedí, m. Maravedi ou 
maravidi; palavra árabe, 
que significa moeda: — ma- 
ravedi; moeda antiga hes- 
panhola, de valor variável, 
que era de oiro, prata e de 
cobre. Marabotinns, i: — 
maravedi; tributo' que de 
sete em sete annos paga- 
vam ao rei de Hespauha os 
aragonezes, cuja fazenda va- 
lesse dez maravedis de oiro. 
Septene tributum pro reditu. 
Hasta el ultimo maraxxdi 
(loc. adv.); até ao ultioio 
real; pagar ou gastar al- 
guém totalmente o que tem 
ou deve. Ad idtimum tisque 
teruntium. 

íMaravedinada. /. (ant.) Certa 
medida antiga de seceos. 
Jíensurce aridorum genus. 

^Maravella. /. (ant.) V. Ma- 
ravilla. 

jMaravetino. m. (ant.) V. Ma- 
ravedí. 

IMaraví. m. (ant.) V. Mara- 
vedí. 

Maravijado, da. adj. (ant.) 
Maravilhado. 

Maravijoso, Maraviloso, sa. 
adj. (ant.) V. Maravilloso. 

Maravilla./. Maravilha; suc- 
cesso extraordinario que cau- 
sa admiração. Prodigium,, 
miraculum: — V. Admira- 
ción: — maravilha, porten- 
to, prodigio, milagre; cou- 
sa admirável á vista, ex- 
traordinaria, e ás vezes in- 
comprehensivel. ^4 las mil 
maravillas (loc. adv.); ás 
mil maravilhas; primorosa- 
mente, com a maior perfei- 
ção. Mirum iii modum. A 
maravilla. V. Maravillosa- 
mente. Es una maravilla; 
é uma maravilha; ser admi- 
rável, singular, maravilhosa 
uma cousa. Bes mirabilis, 



MAR 



41 



mirum est. Octava maravi- 
lla; oitava maravilha; diz-se 
de uma cousa su;-prehcnden- 
te e admirável, cons rolaçào 
ás sete maravilhas do mun- 
do. Por maravilla (loc. adv.); 
por maravilha, por milagre, 
raras vezes, mui dificilmen- 
te. Paro: — (Ijot.) maravi- 
lha bastarda. V. Caléndula: 
— maravilha; genero de 
plantas nictagineas, apre- 
ciadas algumas pelas suas 
flores aromáticas e formo- 
sas. Las siete maravillas del 
mundo (hist.); as sete mara- 
vilhas do mundo. Opíis inter 
mirídñlia annumerandum. 

Maravillar, a. Maravilhar. V. 
Admirar . Ordinariamente 
usa-se como reciproco. Mí- 
rari: — n. (ant.) maravi- 
Ihar-se, admirar-se; encher- 
se de admiração. 

Maravillosamente, adv. m. INIa- 
ravilhosamente ; com gran- 
de perfeição. jSlirabiliter : — 
milagrosamente; por mila- 
gre, por casualidade. 

Maravillosísimo, ma. adj. sup, 
de Maravilloso. Maravilho- 
síssimo, estupendo. Valde mi- 
randus. 

Maravilloso, sa. adj. Maravi- 
lhoso, pasmoso, portentoso, 
admirável , extraordinario 
jiela raridade, perfeição. i\[i- 
rabilis, mirus. Lo maravi- 
lloso (litt.); o maravilhoso; 
dá-se este nonie á interven- 
ção dos seres sobrenaturaes 
em um poema épico ou dra- 
mático. 

IMarayolo. m. Marayolo; moe- 
da de pouco valor, que cor- 
re na Bolonha. 

Marbete, m. Etiqueta ou mar- 
ca de papel, que se põe nos 
extremos das peças de pan- 
no, estofos, etc., indicando a 
sua qualidade e medida. No- 
ta p)apyracea jyannis assuta. 

Marca. /. IMarca; acção de 
marcar: — marca; signal 
distinctivo: — marca; in- 
strumento de marcar. Nota, 
Índex: — marca; grandeza 
ordinaria, medida certa do 
tamanho que alguma cousa 
deve ter. Mensura, ce : — 
marca, ferrete; pena que 
em algumas partes se im- 
põe aos réus de certos deli- 
ctos, e se applica com ferro 



42 



MAR 



candente : — (germ.) miclie- 
la, marafona, prostituta. De 
marca (loe. adv.J; de marca ; 
notável no seu genero. Insi- 
gnis, is. De mas de marca, 
ó de mayor marca; alem d.a 
marca, ou de marca maior. 
Sólito major. Papel de mar- 
ca. V. Papel: — (art.) mar- 
ca; em equitação diz-se do 
cavallo que tem a altura 
exigida pela lei: — marca; 
instrumento para medir a 
altura dos cavallos : — (mil.) 
craveira; medida para to- 
mar a altura das recrutas: 

— (naut.) marca; qualquer 
ponto fixo da costa, povoa- 
ção, baixo, etc., que serve 
de signal aos práticos ou 
pilotos, para saber a situa- 
ção do navio e dirigir o seu 
rumo. 

Makcab. rd. (astr.) Marcab ; es- 
trella de segunda grandeza, 
na aza do Pegaso. 

Marcadamente, adv. m. Mar- 
cadamente, distinctamente, 
notavelmente. 

Marcador, ra. s. Marcador; 
o que marca. Signator, oris : 

— mayor; aferidor e ensaia- 
dor ; official publico que tem 
a seu cargo a aferição dos 
pesos e medidas, e a marca 
do oiro e de outros metaes. 
Ponderibus et mensurisprce- 
fectus. 

Marcantia. /. (hot.) Marchan- 
tía; genero de plantas hepá- 
ticas, da tribu das marchan- 
tiaceas. 

Marcar, a. Marcar ; pôr mar- 
ca, signal distinctivo. Notam 
inurere, distinguere: — (fig.) 
observar, apontar em alguém 
alguma qualidade ou falta 
digna de notar-se. Observa- 
re, animadvertere : — (fig-J 
applicar, destinar. Notare, 
designare: — (naut.) mar- 
car; observar a direcção ou 
rumo a que fica um objecto 
a respeito do navio, etc.: 

— paso; marcar passo. 
Marcasita. /. (min.) Marcasi- 
ta; nome dado antigamente 
á pyrites ou sulphurcto de 
ferro. 

Marcear, a. V. Marzear. 
Marcelino, na. adj. (ant.) V. 

Marzal. 
Marceo, m. V. Marzeo. 
Marcetia. /. (bot.) Marcetia; 



MAR 

genero de plantas da fami- 
lia das melastomaceas. 
Marcial, m. Marcial; pó aro- 
mático com que antigamen- 
te se perfumavam as luvas. 
Pidvis aromaticus chirothe- 
cis concinnandis : — adj. 
marcial , mareio , bellico , 
guerreiro. Bellicus, martius: 
— franco, desabusado, sem 
ceremonia: — (chim.) mar- 
cial, chalybeado; diz-se dos 
preparados em que entra o 
ferro. Juegos marciales (hist. 
ant.); jogos marciaes, insti- 
tuidos em honra de Marte. 
Marcialidad./. Familiaridade, 

franqueza. 
]Marcido, da. adj. (ant.) Mur- 
cho, secco, languido. 
Márcio, cia. adj. (avt.) Mar- 
eio. V. Marcial : — relativo 
ou pertencente ao mez de 
março: — m. (ant.) V. 
Marzo. 
Marckea./. (bot.) Markea; ge- 
nero de plantas da familia 
das solaneas. 
Marco. m. Marco; peso de oito 
onças. Selibra, bes : — qua- 
dro, moldura de painel, guar- 
nição de porta, janella, etc. 
Ora, margo: — padrão; mo- 
delo de pesos e medidas. Ar- 
chetypum mensorium : — 
(agr.) espaço ou extensão de 
terra que deve ter cada fan- 
ga, cuja medida não é igual 
para todas as partes. Medim- 
nus : — (art.) craveira ; in- 
strumento com que o sapa- 
teiro toma medida ao pé. 
Calceorum quadrum: — in- 
strumento para medir as 
aguas. Quadrum, arca aqua- 
rum fontanarum, mensoria : 
— medida de comprimento, 
largura da espessura que de- 
vem ter as madeiras para se- 
rem consideradas de lei. Li- 
gnarium quadrum: — mar- 
co; moeda de Hamburgo: 
— marco; moeda da Suécia. 
MARCÓLA. /. (agr.) Cerróte, 
usado na Baixa Andaluzia 
para limpar as oliveiras. Ar- 
boraria falx. 
Marcha. /. Marclia; acção de 
marchar. Iter, itineris : — 
marcha, andamento; curso 
regular e ordinario de uma 
cousa, negocio ou dependen- 
cia: — (p. Mioja) fogueira j 
de lenha & porta das habi- | 



MAR 

tacões em signal de regosijo. 
Ignis, rogus. A largas mar- 
chas ó jornadas (loc. adv.); 
a marchas forçadas; com 
muita pressa e velocidade. 
Longis itineribus. Sobre la 
marcha (loc. adv.); depres- 
sa, logo, immediataraente. 
Statim, propere, confestim : 
— (art.) movimento do reló- 
gio: — (mil.) marcha; peça 
de musica para certas func- 
çoes militares e para regu- 
lar o movimento da tropa: 
• — marcha; ordem methodi- 
ca com que um corpo de tro- 
pas caminha. Longis, maxi- 
mis itineribus. Batir mar- 
cha ó batir la marcha (fr. 
mil.); bater, tocar a mar- 
cha. 
Marchamador. m. (ant.) V. 

Marchamero. 
Marchamar, a. Alfandegar ; 
despachar pela alfandega, 
marcando os géneros ou far- 
dos, para poderem livremen- 
te extrahir-se ou consumir- 
se. Signare, notam impri- 
mere mercibus. 
Marchamo, m. Marca, signal 
que se pòe nos fardos ou gé- 
neros na alfandega. Nota, (e. 
Marchante, adj. V. Mercantil, 
Mercante: — V. Bueno, de 
boa qualidade. Usa-se tam- 
bém este adjectivo para de- 
signar a especie de abadejo, 
que pela sua mediana qua- 
lidade se chama pescado 
marchante : — (p. Cub.) arti- 
ficioso, dissimulado: — m.Y. 
Traficante: — (p. And. e 
Ctib.) parochiano. 
M.KRciiK¥ii..m.(naut.)Y . Guar- 
da-mancebo. 
Marchar, n. Marchar, cami- 
nhar, seguir caminho, fazer 
jornada. Proficisci, iter in- 
gredi: — andar; executar a 
machina ou outro objecto 
análogo os movimentos que 
lhe sào próprios, como: el re- 
loj mai'cha bien; o relógio 
anda bem: — marchar; se- 
guir um negocio ou outra 
cousa os seus tramites ordi- 
narios:— (^mjY.^ marchar; se- 
guir caminho a tropa. Agmen 
certis ordinihus proficisci. 
Marchazo. m. (prov.) V. Es- 

marchazo. 
¿Marchitable, adj. Murchesci- 
vel ; que murcha c dura pou- 



MAR 

CO, que pôde murchar. Quod 
marcidum reddi potest. 

Marchitamiento, m, (ant.) Mur- 
chidào; estado de flor ou de 
cousa murcha. iMnguedo, 
marcor. 

Marchitar, a. Murchar, miu- 
checer; fazer perder o ver- 
dor, o viço das plantas ou 
de outras cousas. Marcidum 
reddere. Também se usa co- 
mo reciproco: — (fig-) mur- 
char; enfraquecer, tirar a 
louçania, o vigor, o alento, 
fazer esmorecer. Frangere, 
debilitare. Também é reci- 
proco. 

Marciiitez. /. Murchidão, des- 
botamento; perda da côr, 
falta de vigor, de viço. Lan- 
guedo, marcor. 

Marchito, ta. adj. Murcho, 
flaccido; sem verdor, sem 
frescura, sem viço. Langui- 
dus, marcidvs. 

Marchitura. /. (ant.) V. Mar- 
chitez. 

Marcho, m. (ant.) V. Marco, 
pezo de oiro e prata. 

Maré. /. (ant.) V. Madre. 

Marea. /. Maré; fluxo e reflu- 
xo, a enchente e vazante do 
mar. .^stus, us : — praia ; 
porção de terra, plana e nua 
que o mar cobre na enchen- 
te da maré. Litus, oris: — 
vento suave que sopra do 
mar. Placidus ventus e ma- 
ri: — immundicias que se 
varrem das ruas, facilitando 
esta limpeza com agua. Pro- 
luvies, ei: — (fig. fam.) on- 
da ; movimento irregular de 
oscillação que se observa 
n'um tropel de gente. 

Mareador. m. (germ.) Ladrão 
que troca o dinheiro mau 
pelo bom. 

Mareaje, mi. (nau^.j Mareagem, 
marcação; acção e effeito de 
marear as velas: — marea- 
gem, mareação, navegação, 
náutica; arte de navegar ou 
marear. Navigatio, onis: — 
rumo ou derrota que um na- 
vio segue na sua navegação: 
— (ant.) mareagem ; appare- 
Ihos que distinguem um na- 
vio. 

Mareamiento. m. V. Mareo. 

Mareante, m. Mareante, ma- 
rujo, homem do mar. Nau- 
ta, artis nanticce peritus : 
: — (ant.) negociante mari- 



MAR 

timo. Navigans mercaturce 
causa. 
Marear, a. (naut.) Marear; go- 
vernar, dirigir o navio. Na- 
vem regere, agitare: — ma- 
rear as velas; dispo-las con- 
venientemente para a nave- 
gação : — vender em publi- 
co. Mercês venderé: — (fam. 
fig.) enjoar, enfadar, enfas- 
tiar; causar tedio, aborreci- 
mento. Fastidire, fastidio 
afficere,fastidiumparere : — 
(p. And.) V. Rehogar : — n. 
(ant.) V. Navegar: — r. ma- 
rear, enjoar; ter, padecer 
enjoo ou nausea. Nauseare: 

— marear-se, avariar-se, 
corromper-se no mar. Aler- 
ces mari corrumpi; detri- 
mento, damno affici. 

Marejada. /. Marejada, maru- 
lhada; agitação das ondas, 
movimento das maretas sem 
borrasca. Magnus undarum 
motus, cestus. 

Mare-magnum. m. Mare-ma- 
gnum ; palavras latinas ado- 
ptadas para significar a 
grandeza, abundancia ou 
confusão de alguma cousa. 

Marengo, GA. adj.Y. Marino: 

— m. V. Marisco. 
Mahenteria. /. (bot.) Marente- 

ria; genero de plantas co- 
tyledoneas, da familia das 
anoneas. 

Mareo, m. Enjoo, nausea; re- 
volvimento do estomago com 
perturbação da cabeça e von- 
tade de vomitar, por efí'eito 
do movimento de embarca- 
ção, de carruagem, etc. Nau- 
sea, 03: — (fig. fam.) enjoo, 
tedio, enfado, aborrecimen- 
to. Toedium, ii: — (naut.) 
V. Mareaje, na primeira ac- 
cepção. 

Mareógrafo, m. (naut.) ]\Ia- 
reographo ; instrumento para 
notar os accidentes do mo- 
vimento do mar. 

Marero, ra. adj. Mareiro; que 
vem ou sopra do mar: diz- 
se do vento. Marinus, a, um,. 

Mareta./. Mareta; onda alta 
no mar agitado. Undarum 
motus, flíictus: — ressaca ; o 
recúo da vaga. Undarum 
motus lenis. 

Maretazo. m.Y. Golpe de mar. 

Márfaga. /. (p. Rioj.) Cober- 
tor de cama. Stragulum, i. 

Márfega. /. (p. Ar.) Enxerga 



MAR 



43 



feita da tela grosseira dita 
serapilheira. Culsita stra- 
minea. 

Marfil, m. Marfim; dente de 
elephante. Ehur, oris. Ne- 
gro de marfim; marfim quei- 
mado, que se reduz a carvão. 

Marfileño, Sa. adj. Ebúrneo; 
feito de marfim ou perten- 
cente a esta substancia. Usa- 
se em poesia. Eburneus, a, 
um. 

Marfus, Marfuz, adj. (ant.) 
Marfuz, astuto, falso, mau, 
pérfido. 

Marga. /. Serapilheira; teia 
grosseira que antigamente 
se usou em signal de des- 
honra, e também para o lu- 
to até fins do século xv. Hoje 
tem uso para sacos, embru- 
lhar fardos, etc. Tela levi- 
densis: — (min.) marga; mi- 
neral geralmente composto 
de carbonato calcáreo, sili- 
ca e argilla, em quantidades 
variáveis, que dá origem a 
tres especies distinctas, se- 
gundo a preponderancia d'a- 
quellas substancias. Mar- 
ga, ce. 

Margajita. /. (min.) V. Mar- 
casita. 

Margal, m. V. Marguera. 

Margallon. m. (prov.) V. Pal- 
mito. 

Margar, a. Margar; adubar as 
terras com marga. Agrum 
marga Icetificare. 

Margaranto. m. (bot.) Marga- 
rantho (flor de pérola); ge- 
nero de plantas da familia 
das solaneas. 

Margarato. m. (chim.) Marga- 
rato; sal resultante da com- 
binação do acido margarico 
com uma base. 

MargÁrico. adj. (chim.) Mar- 
garico; diz-se do acido pro- 
duzido pela saponificação do 
oleo ou azeite. 

MargÁride. to. (bot.) Margari- 
de ou margaris (pérola); ge- 
nero de plantas da familia 
das rubiáceas. 

Margarina. /. (chim.) Marga- 
rina; nome de uma substan- 
cia que se conhece hoje pelo 
nome de margarato de po- 
tassa e de soda. 

Margarita. /. Margarita, pé- 
rola. V. Perla. Echar mar- 
garitas a puercos (fr.); dei- 
tar pérolas a porcos ; tratar 



44 



MAR 



com delicadeza ou generosi- 
dade quem o nâo sabe apre- 
ciar nem agradecer. Proji- 
ccre margaritas ante x>orcos: 
— /. (hot.) margarida; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas, tribu das as- 
toroideas : — (min.) marga- 
rida; silicato de alumina e 
cal, de cor nacarado, ou 
branco argentino : — (zool.) 
margarida, genero de mol- 
luscos da familia dos mar- 
garidaceos, que produzem 
muito nácar para o com- 
mercio. 

MakgaritÁceos. 77?. ^jZ. (zool.) 
Margari taceos; familia de 
molluscos bivalves. 

MargariteSo. a. I^Iargaritense; 
o j)íitural das ilhas de San- 
ta iAIargarida : — adj. mar- 
garitense ; relativo a estas 
ilhas. Margaritenais, e. 

AIakgarítico, ca. adj. (chim.) 
^largaritico ; diz-se do aci- 
do que se obtém peila disíil- 
laçào do oleo de ricino. 

JIargaritita. /. (min.) ^darga- 
ritita; nome dado ^ov al- 
guns naturalistas ás estala- 
ctites globulosas. 

^ÍÁrgen. /. V. Márjcn. 

Margenar, a. V. Mnrjiiiar. 

Marginal, adj. V. Marjinal. 

Marginar, o. V. Marjinar. 

Margomar. a. (ant.) V. Bor- 
dar. 

Margoso, sa. adj. ]\Iargoso; 
que contém marga ou se pa- 
rece com esta substancia. 

Margrave. VI. Margrave; ti- 
tulo, dignidade de alguns 
principes de Allemanha. 

íMargraviáceas. /. pi. (bot.) 
Margraviaceas; familia de 
plantas dicotyledoueas po- 
lypetalas. 

Margravial. adj. ^largravial ; 
correspondente ao margrave. 

^Fargraviato. ;». ^fargravia- 
to; estado, dignidade de 
margrave. 

Margravina. /. ^íargravina ; 
mulher ou viuva de mar- 
grave. 

Margüera./. Margueira; mina 
d'ondc se tira a marga ou 
marne. Lociis, sitvs nhi mar- 
ga reponitnr, asservafur. 

Marguero. ??í. Margueiro; tra- 
balhador que tira a marga 
das minas. 

Marhojo. m. V. Malhojo. 



MAR 

Maria./. Maria; nome da San- 
tissima Virgem. Maria, ce ; 

— maria ; moeda de prata 
que mandou cunhar a rai- 
nha Marianna de Austria. 
21 aria, nummus argentais : 

— maria; vela muito bran- 
ca que se põe na parte mais 
elevada do gallo nos oíficios 
de semana santa. Maria, 
ce: — (germ.) arca. Arhol 
de. Maria. V. Calambuco. 

Marjal, adj. Marial; diz-se de 
alguns livros em louvor da 
Santa Virgem. Liber de lau- 
dibvs B. M. Virginis. 

Mariano, na. adj. Marianno; 
pertencente á Virgem Maria. 

Marica, m. IMaricola, maricas; 
homem mulherengo, molle. 
Effeminatvs, viollis, igna- 
vas homo : — (zool.) V. Ur- 
raca: — nome vulgar da 
pega : ■ — espargo. 

Maricón, m. ^Laricão; homem 
fraco, eííemiuado, timorato, 
mulherengo. Homo eff'emi- 
nafus, ignavus: — maricas, 
mulherengo ; o que se occu- 
pa ou ingere nos trabalhos 
próprios de mulher : — ho- 
mem mulher; nome que em 
Lima se dá a certos homens 
que aliectam imitar as mu- 
lheres, substituindo-as até 
em actos obscenos e impu- 
dicos. 

Maridable, adj. Marital, con- 
jugal, matrimonial; decon- 
juges, próprio de marido e 
mulher. Maritalis, conjitga- 
lis. 

^Maridablemente, adv. m. Ma- 
ritalmente, conjugalmente ; 
com vida, união ou aftecto 
conjugal. Covjvgaliter, con- 
jugnm more. 

Maridaje, vi. Maridança, ca- 
samento, uniào matrimo- 
nial; enlace dos cônjuges. 
Conjvgium, comuibium : — 
(jig.) casamento; ne.xo, con- 
formidade, uniào ou corres- 
pondencia entre duas ou 
mais cousas. Nexus, confor- 
vTa/io. 

Maridal. adj. (ant.) Y. Mari- 
dable. 

Maridalmente. adv. V. j\íari- 
dablementc. 

Maridanza. /. (p. Extr.) Mari- 
dança; vida de casados. Fa- 
)i}iliaris inter conjnges con- 
suetudo. 



MAR 

Maridar, a. (jig.) Casar, unir, 
juntar, enlaçar. Unire, nc- 
ctere: — ri. maridar-se, ca- 
sar-se. 

Maridazo, m. Y. Gurrumino. 

Maridillo, m. Mau marido. 
Maritns dcspicabilis , con- 
temptibilis: — esquentador 
dos pés, coberto por uma 
gradesinha, de que usam as 
mulheres. Foculus, i. 

Marido, m. Marido; o homem 
casado, relativamente a sua 
mulher. Maritus, i. 

I\lARinuELA. /. (fam.) dim. de 
Maria. Mariquinhas. 

Marija. /. (ant.) Empate; es- 
tado de indecisão ou de an- 
damento longo e indetermi- 
nado de um negocio. Facer- 
lo marija (fr.); empatar o 
jogo; nem ganhar, nem per- 
der. 

Marimacho, vi. Machoa, vira- 
go; mulher com estatura e 
forças de homem. Virago, 
inis. 

Marimanta./. Papão; phantas- 
ma com que se infunde me- 
do ás crcanças. Sx>ectrum, i. 

^Marimarica, m. (jam.) Mari- 
cas, homem mulherengo. 
Llamarse marimarica (fr.); 
cantar a ¡jalinodia, confessar 
sua fraqueza, retractar-se. 

Marimba, m. Marimba; especie 
de tambor dos negros do 
Congo: — (p. Aíex.) marim- 
ba; instrumento composto 
de umas quatorze tiras de 
vidro, suspensas em uma 
caixa, e que se tangem com 
umas bolas de cortiça: — 
(j). Cub.) Y. Marhnbula. 

Marímbula. /. Marimbula; in- 
strumento musico dos ne- 
gros boçaes. 

Marimorena. /. (fam.) Bara- 
lha, contenda, rixa, penden- 
cia. i?^J;a, CP. 

-Marina. /. Marinha, costa, 
praia, borda do mar. Littus, 
ora maritima: — marinha; 
sciencia, arte da navegação. 
Ars naíitica: — marinha; 
corpo dos empregados de 
marinha: — marinha; os 
A'asos de guerra e mercan- 
tes: — p¿. marinhas, sali- 
nas: — (pint.) marinha; vis- 
ta de mar, painel que repre- 
senta o mar. Maris ac litto- 
rum pictura. 

Marinada, f. Provimento de 



MAR 

viveres para um navio e 
que iiodem conscrvar-se por 
muito tempo: — salmoíra 
com que se preparam os 
viveres destinados para bor- 
do : — (ialdeirada ao uso dos 
maritimos. 

Marinaje, m. Marinhagem, ma- 
rinharia; arte náutica. Ars 
náutica: — marinhagem, ma- 
rinharia: gente da marea- 
çào. Nautar2tm. turba. 

Marinar, a. (nant.) Tripular 
de marinheiros um navio 
apresado, para substituirem 
o logar dos prisioneiros: — 
pôr, deitar o peixe de esca- 
beche para o conservar. Pis- 
ces eondire: — n. V. Mari- 
near. 

Mariiíeae. a. Tripular; esqui- 
par, prover de maruja um 
navio: — n. marinhar; sa- 
ber a arte de marinheiro na 
navegação. Navigare. 

Marinerado, da. adj. Tripula- 
do, esquipado, o navio. 

Aíarineuksco, ca. adj. ]\íari- 
nharesco, marinhatico; de 
marinheiro, da marinharia. 

^ÍARiNERÍA. /. Marinharia; ar- 
te náutica, conhecimentos 
náuticos. Naidica, naida- 
ruTTi exercitium : — mari- 
nharia, marinhagem; gente 
da marcação. Nautarum tur- 
ba. Buena marinería; ex- 
pressão irónica com que a 
bordo se critica uma mano- 
bra mal executada. 

^Marinero, m. Marinheiro, ma- 
rujo; o homem da mai'ea- 
çào. Naida, ce: — {ant.) do- 
no de navio e o que cuida 
da embarcação : — adj. 
(naid.) marinheiro; diz-se 
de tudo que pertence á ma- 
rinharia, e mais particu- 
larmente do navio conve- 
nientemente disposto para 
navegar. A la marinera (loe. 
adv.J; á moda do mar; ma- 
neira particular de tempe- 
rar certos peixes: — m. ma- 
rinheiro ; o que professa ou 
entende a arte da navega- 
cao: — de agua dulce; ma- 
rinheiro de agua doce ; ma- 
rinheiro inexperiente : — de 
trinquete a trinquete; mari- 
nheiro pouco aíFeiçoado a 
seu officio: — hecho; mari- 
nheiro consummado na sua 
profissão: — matalote; ma- 



MAR 

talóte, manijo : — (zool.J V. 
Argonauta. 

Marinesco, ca. adj. Marinhes- 
co, marinharesco; de mari- 
nheiro. Najdic7is, a, um. 
A la marinesca (loe. adv.); 
ii moda do mar. Na.vf.arum 
more, 

Marino, xa. adj. Marinho; do 
mar. Marinus, a, um : — m. 
marinheiro, mariante, ho- 
mem de mar. Usa-se mais 
no sentido de ofiicial de ma- 
rinha, e também de nauta 
hábil e perito. Ncmticce ar- 
tis peritus : — (^''-J mari- 
nho; diz-se dos animaes que 
terminam em cauda de pei- 
xe, nos escudos. 

Marión, m. (ant.) V. Marieom: 

— (zool.J V. Esturión. 
Mariposa./, (zool.) Mariposa; 

nome vulgar de todos os in- 
sectos lepidópteros, princi- 
palmente dos da primeira 
tribu ou diurnos : — mari- 
posa, borboleta; genero de 
insectos lepidópteros da tri- 
bu dos papilonios .• — lam- 
parina para alumiar. Pap¡/- 
raceum lampadeon. 

1\Iariposii.la. f. dim, de Mari- 
posa. Mariposinha. 

Mariquetas. /. pl. Fitas com 
que as senhoras seguravam 
os mitenes á parte superior 
do braço. 

Mariquina. /. (zool.) V. Tama- 
i'ino. 

Mariquita. /. (zool.) V. Cocci- 
nela. 

^Iarisabidilla. /. (fam.) Babi- 
chona, letrada, doutora; mu- 
lher que aíi'ecta erudição, 
que presume de sabia e lit- 
terata. 

jNIariscal. m. (mil.) Marechal ; 
ofticial superior da milicia 
antiga, inferior a condesta- 
vel, e era juiz do exercito. 
Duxprcefectus, marescallus: 

— marechal ; o que antiga- 
mente tinha a seu cargo apo- 
sentar a cavallaria. Castro- 
rum pro'fectus : — de campo ; 
marechal de camj^o: — de 
logis; quartel mestre gene- 
ral da cavallaria; o que pre- 
parava o alojamento para 
esta. Magister, proifecttis 
equifum : — ferrador ; o que 
ferra bestas. 

Mariscalato, m. V. Marisca- 
lía. 



MAR 



45 



Mariscalía. /. Marechalato; 
dignidade do marechal. Ma. 
rescalis digniias, munus. 

Mariscar, a. Mariscar; colher, 
apanhar mariscos. Conchas 
legere:—(germ.) V. Hurtar. 

Marisco, m. (zool.) Marisco; 
nome genérico de todo o 
peixe de concha, casca, crus- 
ta: — (germ.) cousa furta- 
da : — adj. pertencente ou 
relativo á maresia ou mau 
cheiro do mar, na vasante 
da maré. 

Marisma. /. Esteiro; terreno 
baixo e alagadiço occupado 
pelas aguas excedentes das 
marés nos encontros d'estas 
com as aguas doces dos rios, 
perto da sua embocadura. 
^stuarium, ii; — marnota. 
V. Salina. 

Marismo. to. (bot.) V. Orzaga. 

Marital, adj. Marital; de ma- 
rido. Maritalis, le. 

Marítimo, ma. adj. Marítimo; 
do mar, da marinha, vizi- 
nho do mar. Maritimus, a, 
um: — TO. marítimo; homem 
do mar. 

M arito, to. (ant.) V. Marido. 

Marivino. m. (fam.) V. Mosqui- 
to, homem muito bebedor. 

MarizÁpalos. to. (vulg.) Bara- 
las, bulha, altercações. 

Marjal, in. Marnota; terreno 
marnento, alagadiço. Cceno- 
sus locus : — (prov.) certa 
porção de terra da medida 
de cem varas pouco maia 
ou menos. 

MÁRjEN. /. Margem, borda; 
extremidade de uma cousa, 
o que a cerca. Margo, inis : 
— margem, espaço, porção 
lateral, em branco, no livro 
ou manuscripto. Margo, 
inis: — nota marginal; a que 
se põe na margem do livro, 
escriptura. Nota marginalis. 
A media m¿irjen (loe. adv.); 
dobrando por metade a fo- 
lha em que se escreve ou 
imprime. Andarse p)or las 
márjenes (fig.); fazer ro- 
deios; não ir em direitura 
ao fim ou principal intento. 
Per vias obliquas incede.re. 
Dar márjenes (fr. fig.); dar 
margem, dar occasião. An- 
sam prcebere. 

Marjenar. a. V. Marjinar: — 
deixar margens no papel, 
escripto ou impresso. 



46 



MAR 



Marjinado, da. adj. Margina- 
do; Dotado, apontado á mar- 
gem do livro ou escriptura: 
— que forma ou tcm mar- 
gem. 

Marjinal. adj. Marginal; da 
margem ou á margem. Mar- 
ginalis, le. 

Marjinar. a. Marginar; notar, 
apontar na margem de livro 
ou escriptura. Notas margi- 
nales apponerc. 

Marjolkta. /. (p. And.) V. 
Majuela. 

Marjoleto. m. (p. And.) V. 
Majuelo, Espino majuelo. 

Marlierea. /. (bot.) Marlierea; 
genero de plaotas da fami- 
lia das myrtaceas. 

Marlota. /. Marlota; vestidu- 
ra mourisca, que se cinge e 
ajusta ao corpo. Exterior 
maurorum vestis ita dicta. 

Marlotar. a. (ant.) V. Malro- 
tar. 

Marmella. /. Mamillo; cada 
uma das duas verrugas com- 
pridas que pendem aos la- 
dos da parte inferior do pes- 
coço de algumas cabras, o 
que é indicio de boa casta. 
Verruxiula e caprce eolio pen- 
dens. 

Marmellado, da. adj. Mamil- 
lado; diz-se das cabras ou 
rebanho d'ellas que tem 
mamillos. Caprce verrucula 
e eolio pendente prcedita. 

Marmello. m. (prov.) V. Mem- 
brillo. 

Marmesor. m. (ant.) V. Alba- 
cea. 

Marmita. /. Marmita. Cacabus 
lebes cereus. 

Marmitón, m. Moço ou rapaz 
da cozinha. Coquinarius ca- 
lo, lixa. 

MÁRMOL, m. (wiírt.J Mármore; pe- 
dra calcárea, durissima, sus- 
ceptível de receber um bello 
polimento, usada em edifi- 
cios, estatuas, etc. Marmor, 
cris : — ffig.) mármore ; ima- 
gem da indiíFerença, da in- 
sensibilidade : — (fig.) V. Co- 
lumna. 

Marmolejo. m. Pequena co- 
lumna de mármore. Colu- 
mella, ce. 

Marmoleño, ña. adj. Marmó- 
reo; de mármore, similhan- 
te ao mármore. Marmoreus, 
a, um. 

Marmolería. /. Obra de mar- 



MAR 

more: — (ant.) o conjuncto 
de mármores de algum edi- 
fício. Marmoratio, marmo- 
reum operum copia. 

Marmolista, m. Talhador e 
pulidor de mármores. 

Marmolita. /. (min.) Marmoli- 
tha; variedade de talco, de 
aspecto pardacento. 

MÁHMOR. m. (ant.) Y. Mármol. 

Marmoración. /. V. Estuco. 

Marmóreo, rea. adj. Marmó- 
reo; diz-se do que é de mar- 
more ou tem alguma das 
qualidades do mármore. E 
exclusivamente usado na 
poesia. Marmoreus, a, um. 
Pintura marmórea. V. Pin- 
tura embutida. 

Marmoritide. m. (bot.) Marmo- 
ritide ou marmoritis; gene- 
ro de plantas da familia das 
labiadas. 

Marmorizacion./. (min.) Trans- 
formação de uma pedra em 
mármore. 

Marmoroso, sa. adj. V. Mar- 
móreo. 

Marmoseto, 771. (art. ti/p.) Vi- 
nheta; enfeite que se im- 
prime no fim de um livro 
ou capitulo para encher o 
papel. 

Marmota. /. (zool.) Marmota ; 
genero de mammiferos roe- 
dores, que passam o inver- 
no occultos debaixo da terra. 
Chamam-se vulgarmente ra- 
tos de montanha. 

Marmotear, n. Algaraviar, fal- 
lar algaravia, linguagem in- 
intelligivel, corrupta, fallar 
por geringonça. 

Maro. m. (bot.) Maro; especie 
do genero teucrio, muito 
aromática e medicinal. 

Marojo, m. (p. And.) V. Muér- 
dago, planta. 

Maroma. /. Maroma; corda 
grossa. Funis, is: — de Ar- 
quimedes; machina hydrau- 
lica. Archimedeus funis, an- 
tlice species. Andar en la ma- 
roma (fr. jig.); andar na 
maroma; estar encarregado 
de empreza diíBcil. Ad ali- 
quid, apud aliquem gratia 
valere.. Andar en la maro- 
ma (fr.); dansar na corda. 

Maromaque. 771. (com.) Maro- 
maque; especie de tecido de 
oiro. 

Maromero. 77i. (p. Cub.) V. Vo- 
latin. 



MAR 

Maromilla. /. dim. de Maro' 
ma. Maromasinha. 

Marón. 77i. (zool.) V. Esturión. 

Maronita. 771. Maronita; chris- 
tào ou catholico do monte 
Líbano. Maronita, ce. 

Makot. 771. (reí.) V. Aróte Ma- 
rot. 

Marota. /. (p. Mex.) Y. Ma- 
rimacho. 

Marqüear. a. (agr.) Semear 
ou plantar a cordel. 

Marqués. 77t. Marquez; pro- 
priamente era o governa- 
dor das fronteiras, confins 
ou limites de demarcação; 
hoje é titulo de nobreza. 
Mar chio, onis : — (fam.) 
torto. 

Marquesa. /. Marquesa; mu- 
lher ou viuva do marquez. 
Marchionissa, ce : — mar- 
queza; fidalga que tem este 
titulo, senhora de marque- 
zado. Marchionissa, ce: — 
(fam.) torta, vesga dos olhos : 
— /. V. Marquesina: — 
adorno de gaza que as se- 
nhoras usaram para o eolio 
e hombros. 

Marquesado. 77i. Marquezado; 
titulo e dignidade de mar- 
quez. Marchionatus, i: — 
marquezado; terras de mar- 
quez. Marchionatus, i. 

Marquesina. /. (mil.) Pavilhão 
ou barraca de campanha ex- 
terior, para cobrir e resguar- 
dar a tenda dos officiaes. 
Tentorii operculum. 

Marquesita. /. (min.) Marque- 
zita. V. Marcasita. 

Marquesita, lla. /. dim. de 
Marquesa. Marquezinha; 
diz-se da marqueza moça. 

Marquesito, llo. 771. cUm. de 
Marqués. Marquezinho; mar- 
quez ainda moço. 

Marquesota. /. Marquezota; 
volta do pescoço ou mantéu 
usado antigamente em Hes- 
panha e Portugal. 

Marqítesote. m. aug. de Mar- 
qués. Marquezote; marquez 
feito á pressa; diz-se por 
zombaria: — (p. Mex.) Y. 
Azúcar rosado. 

Marqueta. /. Pao de cera bel- 
la ou virgem. Cerce frus- 
tum rude. 

Marquetería. /. Arte ou ofi- 
cio de embutidor, arte que 
ensina a fazer obras mar- 
chetadas, de tauxia. Tesse- 



MAK 

latum opificium : — marche- 
taria, tauxia, embutido; o 
lavor, a obra marchetada. 
Vermiculatum , tesselatum 
opus. 

MÁRQUEZ, m. IVÍarques; filho de 
Marcos; nome patronymico, 
que se usa hoje como appel- 
lido de familia. 

Marquiartifk. m. (germ.) Pào. 

Marquida. /. (germ.) Rameira, 
marafona, mulher publica. 

Marquilla. /. V. Papel de 
marquilla. Teja de marqui- 
lla; telha meã. 

Marquisa. /. (germ.) V. Mar- 
quida. 

Marra. Marra ou marrão ; mar- 
tello para quebrar pedras, 
derribar paredes, etc. : — 
(ant.) V. Almadona: — 
marra; sacho da monda: — 
falta, claro; nas vinhas e 
olivaes. Vacuuni. 

Márraga. /. (ant.) V. Marga, 
panno. 

Marrajo, ja. adj. Marraxo, 
matreiro, velhaco; diz-se do 
touro ou boi manhoso: — 
(fig.) marraxo, matreiro, 
marralheiro; diz-se do ho- 
mem manhoso, astuto, de 
Índole dañinada . Aslutus , 
versipellis: — m. (zool.) 
marracho; tubarão grande. 
V. Tiburón. 

Marramas. m. (ant.) Certo te- 
cido de oiro que se usou an- 
tigamente. 

Marranaya. /. V. Canalla. 

Marrancho, m. (p. Nav.) V. 
Marrano. 

Marranchoíí, na. adj. V. Mar- 
rano, Lechon. 

Marraneta. /. Marra; porqui- 
nha nova, que deixa de ser 
mammote. 

Marrano, na. s. Marrão, por- 
co. Sus, is: — adj. porco, 
sujo, enxovalhado, asquero- 
so : — (ant.) marrano, mal- 
dito, excommungado ; epi- 
theto injurioso que se dava 
antigamente em Hespanha 
e Portugal aos mouros ou 
judeus, por ellcs se abste- 
rem de comer carne de por- 
co. Também se dizia em Hes- 
panha do convertido á fé 
catholica. Diris devotus, sa- 
cris interdictus. 

Marrar, n. Tropeçar, faltar, 
errar: — (fig-) aberrar, des- 
encaminhar-se; desviar-se 



MAR 

do verdadeiro caminho . 
Aberrare. 

MARRAS, adv. (fam.) Então, 
outr'ora; tempo passado, ou 
em que teve logar algum 
successo particular, como: 
la noche de marras; aquella 
noite de então, de outr'ora. 
Tune, olim. 

Marrasquino, m. Marasquino; 
licor alcoólico , preparado 
com uma especie de cereja 
chamada em italiano ma- 
rasca. 

Marrazo, m. (mil. ant.) Ma- 
chado. Securis, is. 

Márrega. /. (p. Ar.) V. Mar- 
ga, enxerga. 

Marregon. m. (p. Rioj.) V. Jer- 
gón. 

Marrido, da. adj. (fam.) V. 
Amarrido. 

Marrillo, m. (prov.) Pau cur- 
to e grosso. 

Marro. m. Jogo da malha. 
Disci ludos: — volta ou 
movimento para furtar ou 
esquivar o corpo. Diz-se fre- 
quentemente dos animaes 
perseguidos. Parva declina- 
tio : — falta, ausencia ; fal- 
ta de assistência a algum 
logar, etc. Error, vitium, 
absentia: — marra; certo 
jogo: — pau com que se 
joga a bilharda. Fustis, is: 
— V. Marra. 

Marrojamiento. m. (prov.) Ac- 
ção de chapotar as arvores. 

Marrojar. a. (prov.) Chapo- 
tar; cortar os ramos inúteis 
ou nocivos das arvores. 

Marrojo. m. (ant.) V. Malhojo. 

Marrón, m. Malha; chapa de 
ferro ou pedra com que se 
joga o jogo da mesma de- 
nominação. Discus, lis: — 
adj. (p. Am.) calhambola; 
diz-se nas colonias, do es- 
cravo ou escrava que fugiu 
de casa do seu amo ou se- 
nhor, e também dos animaes 
domésticos que se escapam 
de casa. 

Marronaje. m. (p. A.) Estado 
do calhambola ou escravo 
fugitivo; e n'estc sentido 
diz-se nas colonias: repri- 
mir el marronaje. 

Marroquí, Marroquin, na. s. 
Marroquino; o natural de 
Marrocos. Marochius, maro- 
canns: — adj. marroquino; 
pertencente a Marrocos. Ma- 



MAR 



47 



rochius, marocanus: — mar- 
roquin; pelle de cabra, tin- 
ta de varias cores. V, Tafi- 
lete. Dobla marroquí. V. Do- 
bla. 

Marrotar. a. (ant.) Malbara- 
tar. 

Marrubio. m. (liot.) Marroyo ou 
marroio; genero de plantas 
da familia das labiadas. 

Marrullería. /. Arteirice, sa- 
gacidade, astucia. Callidi- 
tas, atis. 

Marrullero, ra. adj. Marra- 
lheiro, arteiro, astuto. Cal- 
lidus, astutus. 

Marscalia. /. (bot.) Marschal- 
lia; genero de plantas da fa- 
milia das compostas. 

Marsdenia. /. {bot.) Marsde- 
nia; genero de plantas da 
familia das asclepiadeas. 

Marsellés, sa. s. Marselhez, 
mai'selhano; o natural de 
Marselha. Massiliensis, is: 
— adj. marselhez, marse- 
Ihano; pertencente a Mar- 
selha. Massiliensis, se: — 
m. casacão com capuz de 
panno felpudo pela parte de 
dentro, á maneira de sa- 
marra, usado pelos mari- 
nheiros, arreeiros, etc. Pa- 
nvla brevior, spissa et villo- 
$a: — (p. And.) jaqueta 
curta com vivos e alama- 
res. La marsellesa (mus.); 
a raarselheza; certo hymno 
patriótico e guerreiro. 

MARsiLEÁcEAs./.^Z.fT^oí.jMar- 
sileaceas; familia de plan- 
tas cryptogamas. 

Marsilia. /. Nome que os tur- 
cos dão ao peso duro de 
Hespanha. 

Marsiliana. /. (naut.) Marsi- 
liana; navio de popa chata, 
que navega no golfo de Ve- 
neza e nas costas da Dal- 
mácia. 

Marsuino. m. (zool.) Marsuino ; 
especie de mammiferos ce- 
taceos do genero delphim. 

Marta. /. (zool.) Marta; qua- 
drúpede carnívoro, maior 
que a fuinha, cuja pclle é 
mui estimada: — marta; 
pelle de marta. Martis pel- 
lis. 

Martagón, m. (bot.) Martagão; 
especie de açucena ou li- 
rio silvestre, de cheiro pou- 
co agradável: — s. (fam.) 
espertalhão; pessoa matrei- 



48 



MAR 



ra, astuta e sagaz, difficil de 
enganar. Versutus. 
Martano. m. (ant.) Valentão, 

mata sete, biavateiro. 
Marte, m. fas¿?-.jMarte; o quin- 
to planeta, que tem o seu lo- 
gar entre o sol c Júpiter. 
Mars, tis: — (chim.) marte; 
o ferro. Mars, ferrum. V. 
Hierro. Propio marte (mod. 
aclv.); só por si, de sua ca- 
sa, de seu engenho, sem aju- 
da alheia. E empregado em 
castelhano no mesmo senti- 
do figurado, que no latim. 
Campos de Marte (poet.); 
campos de Marte, de IMa- 
Torte, campo da batalha, lo- 
gar em que se dá alguma 
batalha. Carrera de Marte; 
carreira de Marte, das ar- 
mas. Juegos de Marte; jo- 
gos de Marte; os combates. 
Trabajos de Marte; traba- 
lhos de Mavorte, trabalhos 
da guerra. 
Martelo, m. (ant.) IMartello; 
suspeita, zelo, ciúme desas- 
socego que causa alguma 
cousa que inquieta o cora- 
ção. Zelotypia, 02 : — (ant.) 
namoro, galanteio. 
Martellina. /. (art.) Escoda; 
especie de martello usado 
pelos canteiros. 
Martes, m. Terça feira; o ter- 
ceiro dia da semana. Mar- 
iis dies, feria tertia. Dar 
con la dei martes (fr. fam.) ; 
sacar uma balda a alguém ; 
imputar-lhe ou divulgar-lhe 
defeito habitual. Alicui ex- 
probare. 
Martiello. m. (ant.) V. Mar- 
tillo. 
Martillada . /. Martellada ; 
golpe com martello. Malei 
ictus. 
Martillado, m. (germ.) Cami- 
nho. 
Martillador, ra. s. Martella- 
dor; o que bate com mar- 
tello. Malleator, oris. 
Martillar, a. Martellar; ba- 
ter com martello . Malleo 
tundere: — martellar; traba- 
lhar com martello: — n. 
(germ.) caminhar. 
Martillazo, m. Martellada 

grande. 
Martille jo. n\. dim. de Mar- 
tillo. Martellinho; pequeno 
martello : — (ant.) martelli- 
nho afinador. V. Afinador. 



MAR 

Martilleo, on. (fam.) Bulha, 
ruido de martelladas repe- 
tidas. 

Martillo, m. Martello; instru- 
mento de ferro encavado, 
com que se bate, pregos, etc., 
e para outros usos. Mallcus, 
ei: — chave de afinar. V.^yí- 
■nador: — martello do reló- 
gio; peça que dá as horas, 
quartos, etc. : — (germ.) 
caminho: — (fig-) martello; 
cruz da religião de S. Joào, 
sem o braço direito. Mal- 
leus, ei: — (fi[)-) martello, 
perseguidor ; pessoa que per- 
segue os vicios, que procu- 
ra extermina-los, ou a algu- 
ma outra cousa. Malleus, ei: 

— martello; tudo o que imi- 
ta a figura do martello. A 
martillo (loe. adc); ás mar- 
telladas, a golpes de mar- 
tello. Mallei ictibus. A ma- 
cha martillo (loe. adv.); so- 
lido mas sem primor, feio e 
forte. Firmiter. Creer a ma- 
cha martillo (jr.); crer ce- 
gamente em uma cousa sem 
averiguar nem esquadri- 
nhar. De martillo; traba- 
lhado, batido com martello; 
diz- se dos metaes. Mallea- 
tus, a, um. Estar entre el 
yunque y el martillo (fr.); 
estar entre a bigorna e o 
martello; estar em situação 
de encontrar embaraços: — 
(anat.) martello; um dos 
quatro ossinhos do ouvido: 

— cão; peça dos fechos das 
armas de fogo: — (ant.) 
guarda avançada que se col- 
locava a distancia do corpo 
principal: — (zool.) martello; 
genero de peixes chondro- 
pterygios, da familia dos se- 
laceos: — martello; genero 
de molluscos acephalos bi- 
valves. 

Martin, m. pi. (zool.) Martine- 
te, gaivão; familia de aves 
da ordem dos pássaros: — 
dei rio.Y. Martinete: — pes- 
cador; pica-peixe, guarda- 
rios, tordo marinho, genero 
de aves da ordem dos pás- 
saros. San Martin; S. Mar- 
tinho; tempo em que se faz 
a matança dos porcos, que 
épelo fim de novembro. Dies 
sancli Martini festivifati 
proxime antecedentes et subse- 
quentes. Venirle á uno ó lle- 



MAR 

garle su San Martin (fr. 
fam.); vir ou chegar a al- 
guém o seu S. ]\íartinho : 
chegar o dia ou occasiào em 
que alguém ha de padecer 
ou soíirer. 
Martineta. /. (p. A.) Perdiz 

grande. 
Martinete, m. (zool.) Martine- 
te. V. 2>Iartin: — martinete; 
pennacho da ave do mesmo 
nome ou de qualquer outro 
pássaro. Fennata crista ex 
ordece plumis: — maço ro- 
deiro. Tistuca, ce: — marti- 
nete; soalha mais pequena 
da balestilha, que corre pelo 
virote: — (mus.) martinete; 
peça de pau, coberta de ca- 
murça, usada nos cravos e 
pianos fortes para abafar o 
som da corda vibrada. Fin- 
nula, (e: — Ficar de marti- 
nete (fr.); ferir de martel- 
lete, picar de esporas, dar 
de esporas, metter esporas 
ao cavallo. Calcaria equo 
adde.re. 
Martínez, m. Martins ; filho de 
Martinho ; nome patronymi- 
co usado hoje como appelli- 
uo de familia. Martínez, 
martinezius. 
Martinezia. /. (bot.) Mar tine - 
zia; genero de plantas da fa- 
milia das palmeiras. 
Martingala. /. V. Quijote, ar- 
madura: — combinação que 
os jogadores fazem no jogo 
do monte para salvar o seu 
dinheiro. 
Martiniega. /. IMartiniega; tri- 
buto ou foro que se pagava 
¡Delo S. Martinho. Vectigal 
ad Sancti Martini diem ex- 
solvendum. 
Martinismo. m. (rei.) Martinis- 
mo; doutrina mystica dos 
martinistas. 
Martinistas. m. pi. (rei.) Mar- 
tinistas; seita de illumina- 
dos, que teve por chefe Mar- 
tínez 1'asqualis. 
Mártir, s. Martyr; o que pa- 
dece trabalhos e morte pela 
fé, que a proclama publica- 
mente. Martyr: — (fig-) mar- 
tyr; o que sofí're, padece 
grandes trabalhos e tormen- 
to. Cruciatns angore et mo- 
lestus : — (fig-) martyr ; o que 
é tyrannisado pelas suas 
paixões : — consumado (rei-); 
martyr consummado ; o que 



MAR 

morreu pela fé: — designa- 
do ; martyr designado ; o que 
devia soffrer o mar tyrio. Era 
de los mártyres (chron.); era 
dos mártyres; era que os 
egypcios e abyssinios segui- 
ram e ainda seguem, e que 
os mesmos mahometanos 
usam desde que possuem o 
Egypto. 
Martirial, adj. (inus.) Perten- 
cente ao martyrio, 
Martiriab. a. (ant.) V. Mar- 
tirizar. 

Martiriario. m. (ant.) Official 
da igreja que cuidava d'esta, 
e especialmente das reliquias 
dos santos. 

Martirio, m. Martyrio ; tormen- 
to e morte soífrida pela ad- 
liesao á fé, á crença religio- 
sa. Martyrium, ii: — (fig-) 
martyrio; tormento, afflic- 
ção, trabalho longo e penoso. 
^gritudo, airumna: — (reí.) 
mártyres; igreja que tem por 
orago um martyr ou todos 
os mártyres: — capella que 
contém o sepulchro de al- 
gum martyr. 

Martirizador, ra. s. Martyri- 
sador ; o que martyrisa. Cru- 
ciator, cruciatrix. 

Martirizar, a. Martyrisar; dar 
tratos, atormentar, fazer pa- 
decer martyrio. Cruciare, 
tormentis dedere: — (fiff-) 
martyrisar, affligir, atormen- 
tar. Cruciare, angere. 

Martirolojio. m. Martyrolo- 
gia; catalogo dos mártyres, 
historia dos mártyres chris- 
tãos, e dos tormentos que 
padeceram. Martyrologíum, 
sanctorum catalogus. Poner 
en el martirologio (fr.); pôr 
no martyrologio, canonisar, 
beatificar. 

Martjrolojista. m. Martyrolo- 
gista; auctor de um marty- 
rologio. 

Maruja. /. n. p. (fam.) Mari- 
quinhas. V. Maria. 

Marujilla. /. (fam.) dim. de 
Maruja. V. María. 

Marullear. n. (naut.) Maru- 
lhar; agitar-se com violen- 
cia o mar em marulhos. 

Marullo. m. (naut.) Marulho 
ou marulhada; grande agi- 
tação das ondas. 

Marumia. /. (hot.) Marumia; 
genero de plantas da fami- 
lia das melastomaceas. 



MAR 

Marzadera, Marzadga./. Mar- 
ceiras; tributo que se paga- 
va no mez de março. Mar- 
tium vectigal. 
Marzal, adj. Pertencente ao 
mez de março. Martius, a, 
um.. 
Marzapan. m. (ant.) V. Maza- 
pan. 
Marzear. a. Tosquiar o gado 
no mez de março. Tondere. 
Marzelino, na. aílj. (ant.) V. 

Marzal. 
Marzeo. 9». (prov.) Limpeza 
que se faz nas colmeias ao 
começar a primavera. 
Marzo, m. Março; terceiro mez 
do nosso anno. Martius, ii: 
— adj. (ant.) próprio do mez 
de março. 
Mas. adv. Mais; adverbio com- 
IJarativo com que se designa 
o excesso que vae de uma 
cousa ou quantidade a ou- 
tra. Magis, plus: — mais; 
denota uma quantidade in- 
determinada, alem da que 
se determina. Plus: — conj. 
mas. V. Pero, Sino. Sed : — 
mas; usa-se como interjei- 
ção com a partícula que, e 
denota a indifferença com 
que se olha alguma cousa, 
quer succeda ou não, quer 
se faça on não se faça. Vel, 
etiam, si: — mas; com a par- 
ticula si, usa-se como inter- 
jeição de duvida ou de sus- 
peita, V. g. : mas si piensa 
engañarme; mas se pen- 
sa enganar-me. Forsan, si 
forte: — mais; precedendo o 
verbo haber e seguindo-se 
interrogação, usa-se para 
affirmar o modo com que se 
discorre ou delibera em al- 
guma cousa. Quid nisi res- 
tai?: — mais; equivale tam- 
bém ao adverbio muy, v. g. : 
estoy mas que contento, es» 
tou mais que contente, etc. : 
— m. (prov.) herdade com 
todas as suas pertenças, 
como gados, instrumentos 
aratorios, etc. Villa, ce: — 
contracção antiquada de me 
as.Y. Me has: — y mas (loe. 
adv.); mais e mais, cada 
vez mais, gradualmente, em 
augmento progressivo. Ma- 
gis, magisque. A lo mas o a 
lo mas mas (loe. adv.); ao 
mais, em summa, qujando 
muito. Ád summum. A mas 



MAS 



49 



(loe); a mais, alem; expres- 
sa o que se junta a alguma 
cousa. Procter : — de mais, 
afora d'isso, alem do que: 
precedendo os infinitos dá 
uma força superlativa á si- 
gnificação d'estes, como: a 
mas correr, a mas tardar; 
a bom correr, o mais tardar, 
isto é, a todo o correr, o mais 
que pode tardar. A 7nas y 
mejor (loe. adv.); grande- 
mente, com excellencia e pri- 
mor. De mas amas(loc. adv.); 
de mais a mais ; significa o 
augmento de alguma cousa, 
como: es pobre, y de mas a 
mas está enfermo; é pobre e 
de mais a mais está doente. 
Proiterea, insuper. Ni mas 
ni menos; nem mais nem me- 
nos, igualmente, cabalmen- 
te, exactamente. No hay 
mas; não ha mais; expres- 
são que junta com alguns 
verbos designa o summo 
grau da significação do ver- 
bo, como: no hay mas que 
ver, no hay mas que decir; 
não ha mais que ver, não ha 
mais que dizer. Nihil supra. 
Sin mas acá ni mas allá 
(loe. fam.); sem mais cá nem 
mais lá, abertamente, clara- 
mente, sem disfarce, sem ro- 
deios. Aperte, sine ambagi- 
bus: — sem mais nem mais; 
sem rasão nem motivo. Illo- 
tis m.anibus, hospite insalu- 
tato. Sin mas ni mas (loc. 
adv.); sem mais nem mais, 
sem reparo, sem reflexão, 
precipitadamente. Temei-h : 
— sem mais nem mais; sem 
motivo, sem rasão, sem cau- 
sa. Cosa de poco mas o me- 
nos; cousa de pouco mais ou 
menos, cousa de pouca im- 
portancia, sem nenhum va- 
lor: — (num.) mas; moeda 
do reino de Achem. 
Masa./. Massa; farinha amas- 
sada com agua ou outro li- 
quido. Massa farinácea : — 
massa; toda a substancia si- 
milhante á farinha, pulve- 
risada ou fácil de dissolver 
amassada. Massce ccementa- 
ria, ccementum: — massa; 
um todo ou porção de cousas 
unidas, pegadas. Congeries, 
copia : — (fig-) massa, tota- 
lidade, somma total. Sum- 
ma, w: — (fig.) massa] por- 



50 



MAS 



çâo de oiro, prata ou qual- 
quer outro metal depois de 
derretido. Massa, a; : — (fig-J 
natural dócil ou geuio bran- 
do de alguém. Tngenium, Ín- 
doles: — (neol.) massa; o po- 
vo : — (p. Ar.) herdade com 
todos os seus instrumentos 
rústicos e gados. Villa rus- 
tica, prcedium rusticum : — 
de la sangre; massa do san- 
gue; a sua totalidade con- 
tida nos vasos. Sanguinaria 
massa, sangras. En masa 
(loe. adv.); em massa; todos 
reunidos ou em tropel : — 
(phys.) massa; quantidade 
de materia que contém um 
corpo: — (mil.) massa ; toda a 
força de qualquer arma for- 
mada e concentrada de ma- 
neira que apresenta á vista 
urna massa compacta: — mas- 
sa; desconto que se faz do 
pret do soldado para o seu 
vestuario e outras despezas. 

Masada./, (prov.) Quinta, pre- 
dio rustico, casa de campo, 
fazenda, herdaãe.Villa, prce- 
dium rusticum. 

Masadero, m. (prov.) Quintei- 
ro. F^YZ^c^^s, i. 

Masaldeménas. (loe. adv. ant.) 
Mais ou menos. 

Masaliota. s. Marselhez; o na- 
tural de Marselha: — af?/. 
marselhez; pertencente a 
Marselha. 

Masamorra. /. (p. Cub.) Doen- 
ça dos cavallos na parte pos- 
terior do casco, occasionada 
pela humidade ou por con- 
tusão: — V. Majarete. 

Masar, a. V. Amasar. 

Masato. on. Masato; bebida 
que os peruvianos preparam 
com a raiz pisada e fermen- 
tada de urna especie de ba- 
tata da America. 

Masaupada. /. (reí.) Masaupa- 
da; especie de quaresma que 
observam os indios desde 31 
de setembro até 10 de de- 
zembro. 

Mascarado, adj. Mascavado, 
não purificado; diz-se do as- 
sucar da peior sorte. Infi- 
mus, a, um. 

Mascada. /. (p. Mex.) Lenço 
de seda ou de pita : — (ant.) 
V. Mascadura. 

Mascador, ra. s. Mascador ; o 
que masca. Mandens, entis : 
— (ant.) comilão, glotão. 



MAS 

Mascadura. /. Mascadura ; ac- 
ção de mascar. Cibi dentibus 
attritio. 

Mascalanto. m. (bol.) Mascha- 
lantho (flor na axila); ge- 
nero de musgos bryaceos. 

Mascar, a. Mascar, mastigar, 
trincar. Mandere, cibum den- 
tibus conterere: — V. Mas- 
cidlar : — á dos corrillos (fr. 
fam.) V. Comer á dos car- 
rillos. Dar á alguno masca- 
da alguna cosa (fr. fig.); dar 
o bocado mastigado a al- 
guém ; dar-lhe alguma cousa 
explicada, preparada ou qua- 
si concluida, em estado de 
pode-la fazer ou entender 
fdicWmQníQ.Prcemansnmquid 
alicui in os inferre, prcepa- 
ratum exhibere : — refama 
(fr. fig-J; agastar-se, enfa- 
dar- se, affligir-se.i?s¿ar???as- 
cando (ierra o barro (fr.fig.); 
estar debaixo da terra, estar 
morto. 

MiscARA. /. Mascara; o trajo 
de pessoa mascarada ou dis- 
farçada. Fersonatu^, larva- 
tvs : — mascara ; peça da fei- 
ção da cara, feita de papel 
velludo, setim, cera, etc., 
que se põe sobre o rosto, 
para disfarçar a pessoa. Per- 
sona, larva : — mascara, ca- 
raça, careta : — V. Mascara- 
da: — mascara de coimeei- 
ro: — (fig-) mascara, disfar- 
ce, véu, pretexto, apparen- 
cia enganosa. Species, no- 
men : — s. mascara ; pessoa 
que traz mascara. Larva, 
ce. Quitarse la máscara (fr. 
fig.); tirar, largar a masca- 
ra; nao dissimular cousa al- 
guma. Perfricare frontem. 

Mascarada. /. Mascarada ; 
funcção em que apparecera 
muitas pessoas mascaradas. 
Personatus ludus: — masca- 
rada; rancho de pessoas 
mascaradas. 

Mascarana./. (art.)Y. Anfifola. 

Mascarado, da. adj. (br.) Mas- 
carado; diz-se do leão que 
teni mascara. 

Mascarar, a. (ant.) Mascarar. 
V. Enmascarar. 

Mascarero, ra. s. Vendedor ou 
alugador de fatos de masca- 
ras. Personarum, larvarum 
conductor, venditor. 

Mascareta. /. dim. de Másca- 
ra. Mascareta. 



MAS 

Mascarilla. /, dim. de Másca- 
ra. Mascarasinha: — meia 
mascara; mascara para co- 
brir só a testa e os olhos: — 
forma ou molde tirado do 
rosto de uma pessoa, parti- 
cularmente dos cadáveres. 
Persones forma. Quitársela, 
mascarilla (fr, fig.) V. Qui- 
tarse la máscara. 

Mascaron, m. augm. de Más- 
cara. Mascarão, mascara 
grande: — carranca ou mas- 
cara grande e disforme, de 
papelão. Deformis larva: — 
carranca; cara feia lavrada, 
de pedra ou bronze, que se 
põe nos tanques, chafarizes, 
etc. Larva, ce: — de proa 
(naut.); carranca de navio; 
figura tosca na proa dos na- 
vios. 

Mascaroncillo. m.dim. áe Mas- 
caron. Carranquinha. 

Mascujar, a. (fam.) Mastigar 
com custo, rumiar, remoer. 
^gre mandere: — (fig-) V. 
Mascullar. 

Mascülífloro, ra. adj. (bot.) 
Masculifloro; que tem flores 
masculinas. 

Masculillo, m. (fam.) Certo 
jogo de rapazes. 

Masculinidad. /. (for.) Mascu- 
linidade ; qualidade varo- 
nil. Maris conditio. 

Masculino, na. aãj. Masculi- 
no; do sexo, da natureza 
viril, ou dos animaes ma- 
chos. Masculus, a, um : — 
(fig.) masculino, varonil, 
activo, enérgico; diz-se do 
estylo e eloquência. Mascu- 
lus, a, um: — (gram.) mas- 
culino; nome que significa 
varão ou macho de qual- 
quer especie de animal, e 
também o que, sem o ser, se 
reduz a este genero pela sua 
terminação ou significado. 
Masculinus, a, um. 

Másculo, m. (ant.) V. Varon: 
— c(dj. (ant.) V. Masculino. 

Mascullar, a. Mastigar; não 
explicar bem, pronunciar 
mal as palavras. 

Masecoral, m. V. Juego de 
manos. 

Masejicomar. m. V. Maseco- 
ral. 

Maselucas, m. pi. (germ.J Car- 
tas de jogar. 

Masera. /. JMasseira, amassa- 
deira; arteza ou vaso gran- 



MAS 

de para amassar. Mactra, ce: 

— pelle de carneiro, ou pan- 
no em que se amassa a 
torta. 

Masería. /. V. Masada. 

Maseta. /. (bot.J Massetta: 
genero de plantas da fami- 
lia das typhaceas: — (zool.) 
genero de helminthidos en- 
tosoarios. 

Masetero. m. (anat.) Masse- 
ter; nome de um musculo 
situado na parte posterior 
da face sobre o ramo do os- 
so maxillar inferior. 

Masía. /. (p. Ar.) V. Masada: 

— (reí.) masia-, nome dado 
no Japão a certas capellas 
consagradas ás divindades 
subalternas. 

Masicot. m. (min.) Mas&icote 
ou maciote; oxydo de chum- 
bo amarello. 

Masiliekse. adj. V. Marsellés. 

Masilla, ta. /. dim. de Masa. 
Massinha: — f7ni7.^ massa ; 
pequena quantia que se tira 
do pret do soldado para o 
seu fardamento e calçado. 
Militaris stipendü pars mó- 
dica: — (art.) massa de vi- 
draceiro: — (natd.) massa 
ou composição de cal e azei- 
te com que se cobrem as cos- 
turas do costado, e as cabe- 
ças dos pregos quando se 
não alcatroam. 

Masillero, RA. adj. (ant.) V. 
Carnicero, comedor de car- 
ne. 

Masita. /. (mil.) V. Masilla. 
na segunda accepção. 

Masling. m. Masling; medida 
de capacidade, para seceos, 
usada em Zurich. 

Maslo. adj. (ant.) Macho, va- 
ronil, masculino: — m. tron- 
co da cauda dos quadrúpe- 
des. Caudce caulis: — (ant.) 
talo, haste, grelo de uma 
planta. Truncus caulis. 

Masmar. a. (ant.) V. Mano- 
sear. 

Masón, m. ang. de Massa. Mas- 
sa grossa: — bolo de fari- 
nha e agua sem levedar, 
para cevar as aves. Glohus 
farinaceus: — macón. V. 
Francmasón. 

Masonería. /. Maçoneria. V. 
Francmasonería. 

Masónico, ca. adj. Maçónico; 
pertencente á maçoneria. 

Masora. /. (philol.) Massora; 



MAS 

exame critico do texto da 
Escriptura Sagrada, feito 
pelos doutores hebreus. 

MisQüE. adv. (fam. p. Mex.) 
É equivalente ás ¡^hrases 
nao importa, aindaque as- 
sim fosse, e em castelhano: 
no importa , aunque eso 
fuese. 

Mass. m. (metrol.) Mass; me- 
dida de capacidade para os 
liquidos, usada em Alleina- 
nha. 

Mastacantu. m. (bot.) Masta- 
cantho; genero de plantas 
da famih'a das verbenáceas. 

Maste. m, (ant.) V. Mástil. 

Mastear. a. (ant. naut.) Mas- 
trear. V. Arbolar. 

Mastel. m. (ant.) V. Maslo: 
— (naut. ant.) V. Mastele- 
ro: — (fam.) espeque; pau 
direito ou vertical para sus- 
ter alguma cousa. Fulcrum, 
fidcimentum, 

Mastelar. a. (ant. natit.) Mas- 
trear. V. Arbolar. 

Masteleo. m. (ant. naut.) Y. 
Mastelero. 

Mastelero, m. (natd.) Masta- 
réu; supplemento ao mas- 
tro, e que espigando suc- 
cessivamente um sobre ou- 
tro, forma a altura do mas- 
tro. Malus parvus maiori 
maio impositus. 

Mastello. m. Mastello; medi- 
da para os liquidos usada 
na Italia. 

Masticación. /. Mastigação': 
acção e effeito de mastigar. 
Actus mandendi. 

Masticador. m. Mastigador; 
especie de bocado que se 
põe aos cavallos para lhes 
facilitar a mastigação, e ex- 
citar-lhes a escuma ou sali- 
vação. 

Masticar, a. V. Mascar: — 
(fig.) V. Eumiar, Meditar. 

Masticatorio, ria. adj. (med.) 
Masticatorio; diz-se dos me- 
dicamentos que se masti- 
gam para promover a se- 
creção da saliva. Manden- 
do aptíts. 

Masticina. /. (chim.) Mastici- 
na; nome dado á porção de 
almecega que é pouco solú- 
vel no álcool. 

Masticino, na. adj. (ant.) Per- 
tencente á almecega. Ad 
mastichen pertinens^ masti- 
chinus. 



MAS 



51 



MÁsticis. m. (ant.) V. Almás- 
tiga. 

íSIasticonema. /. (bot.) Masti- 
chonema (filamento em for- 
ma de chicote); genero de 
plantas da tribu das scyto- 
nemeas. 

Mastigador. »;. Mastigadouro ; 
instrumento á maneira de 
freio ou mordaça, que se 
põe na boca do cavallo pa- 
ra que não morda nem pos- 
sa comer. Frenum equo ad- 
hibitnm, ne mandai. 

Mastigar, a. (naut.) V. Masti- 
car. 

Mástil, m. (naut.) V. Mastele- 
ro: — espeque ou pau di- 
reito para suster alguma 
cousa. Lignum, fulcrum : — 
tronco; pé ou talo de plan- 
ta quando se faz grosso c 
lenhoso. Ti'uncus, i: — fai- 
xa larga de que usam os 
indios em logar de calções. 

Mastín, na. s. (zool.) Mastim; 
cão de pastor ou cão de ga- 
do, raça de animaes domes- 
ticos do grande genero cão: 
— adj. (fig.) brutal, grossei- 
ro: — m, (germ.) agente de 
policia, de justiça. 

IMastinano, na. s. aug. de Mas- 
tín. Mastim grande. 

Mastinillo, lla. s. dim. de 
Mastín. Mastimzinho; mas- 
tim pequeno. 

Mastita. /. (min.) Mastite; pe- 
dra que tem a forma de um 
bico de peito. 

Mastitis. /. (med.) Mastitis ou 
mastite; inflammação das 
mammas. 

Mastix. m. V. Másticis. 

Masto. m. (p. Ar.) Cavallo; o 
tronco da arvore em que se 
enxerta o garfo. Arhor cui 
altera inseritur. 

Mastodinia./. (med.) Mastody- 
nia ; dor nas mammas, especie 
de nevralgia n'estes órgãos. 

Mastodolojía. /. (zool.) Mas- 
todologia; nome proposto 
por alguns naturalistas pa- 
ra substituir o de mamm^a- 
logia ou parte da historia 
natural que trata dos mam- 
miferos. 

Mastodonte, m. (zool.)^ Masto- 
donte (dente em forma de 
mamma); genero de mam- 
mi feros pa chi dermes, acha- 
do em estado fóssil, e muito 
parecido com o elephante. 



52 



MAT 



Mastoideo, dea. aãj. (anat.) 
Mastoideo ; que tem a forma 
de um bico de peito. 

Mastoidiano, na. aãj. (anat.) 
Mastoidiano: relativo áapo- 
physe mastoidea. 

Mastoititis. /. (meã.) V. Mas- 
titis. 

Mastomaxiliano, na. adj.(anat.) 
Mastomaxilliano; que per- 
tence á apophyse mastoi- 
dea ou ao osso maxillar. 

Mastorrajía. /. (med.) Mas- 
torrhagia; fluxo de sangue 
pelos mamillos ou bicos dos 
peitos. 

MastoiírÁjico, ca. adj. (med.) 
Mastorrhagico; relativo á 
mastorrhagia. 

Mastoteca. /. (zool.) i\Iastotlie- 
ca ; dobra ou prega cutânea 
ventral, que rodeia e cobre 
as mammas dos mammife- 
ros marsupiaes. 

Mastozoario, ria. adj. (h. vat.) 
Mastozoario. V. Mamífero. 

Mastozoolojía. /. (zool.) ]Mas- 
tozoologia. V. Mamalojía. 

Mastozoótico, ca. adj. (geol.) 
Mastozootico; diz-se dos ter- 
renos diluvianos e tercia- 
rios, nos quaes se encontra- 
ram fragmentos de grandes 
mammiferos. 

Mastranto,Mastranzo. nz.fèoí.J 
Mentrasto, hortelã brava ou 
silvestre; especie do genero 
hortelã, cujo oleo é medici- 
nal. 

Mastuerzo, m, (bot.) Mastruço 
ou mastrucio ; especie de 
plantas hortenses de folhas 
miúdas: — adj. (jig. prov.) 
mato, bronco, estupido, en- 
fadonho, massador. 

Masturbación./. Masturbação. 
V. Onanismo. 

IMasulipatam. m. (com.) Masu- 
lipatam ou masulipatâo; 
panno primorosamente pin- 
tado que se fabrica na ín- 
dia. 

Mata. /. liaminho ou pé de 
alguma planta herbácea, co- 
mo da parietaria, etc. Plan- 
ta, ramns: — viveiro; por- 
ção de terreno povoado de 
arvores de uma mesma es- 
pecie. Plantarium, ii: — 
V. Matarrata: — certo jo- 
go: — sete de espadas e de 
oiros no dito jogo : — (fig-) 
mata; cabello ou parte d.'el- 
le. Manijmlusj ccesaries: — 



MAT 

(fig.) matança, mortandade, 
destroço. Ccedes, is: — par- 
da; mata brava, brenha; 
mato cheio de espinhos e 
pouco alto. A salto de mata 
(loc. adv.); diz-se do que 
anda perseguido e occulto. 
Saltar de la mata (fr. jig.); 
mostrar-se, apparecer, fa- 
zer-se ver; apresentar-se o 
que estava escondido. Ex 
occulto egredi, prodire, lar- 
vam deponere. Seguir algu- 
no hasta la mata (fr.fig.J; 
perseguir sem piedade, com 
rigor , encarniçadamente . 
Vehemenfer insequi. Ser to- 
do matas y por rozar (jr. 
fig.); ser muito espinhoso, 
estar muito emmaranhado 
um negocio, ser difficil de 
desenredar ou esclarecer. 
In magna difficidtate versa- 
ri: — (bot.) nome genérico 
de toda a planta vivaz ou 
que dura mais de dois an- 
nos, e cujo caule é lenhoso, 
mas sem gomos. Suffrutex, 
icis. 
Matacán. ?n. V. Ntiez vómica: 

— lebre velha, que já tem 
sido muito corrida dos cães: 

— composição venenosa pa- 
ra matar os cães. Offa vené- 
fica: — matacão; seixo que 
se pode tomar facilmente 
com a mão. Lápis, idis: — 
dois de paus no jogo de car- 
tas chamado cuca e mata- 
cán. Lusorium folium duo- 
hus hacíais signatum : — (p. 
Mure.) azinheira ou carva- 
lho novo. Novus fagus: — 
pi. (mil.) V. Ladroneras. 

Matacandelas./. Apagador ou 
mão de Judas; instrumento 
com que se apagam as lu- 
zes. Extinctorium, ii. Esco- 
munion á matacandelas ; ex- 
commuuhão que se publica 
na igreja com varias so- 
lemnidades, e entre ellas a 
de apagar velas mettendo-as 
em agua. 

Matacandil. m. (zool. p.Murc.) 
V. iMngosta: — (p. Mure.) 
especie de caranguejo. 

Matacía. /. (j). Ar.) Mortan- 
dade, matança. Cwdes, is. 

Matachín, m. Matachim ou ma- 
chatim; deu-se o nome de 
matachins aos bailarinos que 
no XVI século executavam a 
dansa pyrrhica ou guerrei- 



MAT 

ra dos gregos, que ás vezes 
se tornava burlesca. Tam- 
bém se dava este nome á 
dita dansa. Personatus mi- 
mus, ludio: — matachinada; 
certo jogo dos matachins. 
Personatorum mimorum lu- 
dus, ludricum: — magarefe; 
o que mata as rezes no ma- 
tadouro. Dejar a alguno he- 
cho un matachin (fr. jam.); 
deixar alguém corrido; en- 
vergonha-lo.Pwrfore aliquem 
stiffundere. 

Matachinada. /. Matachinada. 
V. Matachin, na segunda 
accepçào: — matachinada, 
bufonería, chocarrice; acção 
ou gesto disparatado e ri- 
diculo, próprio dos mata- 
chins. 

Matadero, m. Matadeiro ou 
matadouro; logar, edificio 
onde se mata e esfola o ga- 
do destinado para consumo 
publico. Laniena, ce: — (fig-) 
canseira, trabalho, incom- 
modo excessivo e penoso. 
Labor improbus, gravis mo- 
lestia. Ir, venir o llevar al 
matadero (fr. fig.); ir, vir ou 
levar ao matadouro; expor- 
se alguém ou expor a outrem 
a perigo eminente de perder 
a vida. 

Matador, ra. adj. Mortal, le- 
thal; que causa a morte. Le- 
ihalis, le: — s. matador; o 
que matou ou intenta ma- 
tar. Homicida, interfector : 
— (ant.) matadores, as tres 
cartas superiores no jogo 
da arrenegada e voltarete, 
chamadas chalupa. Superius 
folium in chürtaritm ludo. 

Matadura. /. Matadura; feri- 
da leve, feita na pelle da 
besta pela albarda ou sella. 
Ulcus injumentis. Dar en la 
matadura o en lo vivo (fr. 
fam.); dar na matadura; to- 
car e mencionar cousa que 
doe, causa magua, vexa al- 
guém. Alicujus animum ve- 
hementcr percellere. 

Matafiol. m. (naut.) V. Bata- 
fiol. 

Matafuego, m. Bomba para 
apagar incendios : — pl. bom- 
beiro; o que serve bombas 
de apagar in(;endios. Incen- 
diis restinguendis minister. 

Matahambre. m. (p. C.J Maça- 
pâo feito de farinha de yuca, 



MAT 

assucar e outros ingredien- 
tes. 

Matahormigas, m. (fam.) V. 
Peai, Pelagatos, que lhe são 
equivalentes como termo de 
desprezo. 

Matahumos. m. (ant.) V. Des- 
pabiladeras. 

Mataiba. /. (bot.) Matayba; 
genero de plantas da fami- 
lia das sapindaceas. 

Matajudío. m. (zool.) V. Mú- 
jol, peixe. 

Matalahúga ou Matalahúva. 
/.V. Anis, planta e semente. 

Mítalascalando. s. (fam.) Mi- 
ja mansinho, sonso; diz-se 
da pessoa que pela calada e 
com dissimulação procura 
conseguir os seus intentos. 
Bem suam caute gerens, re- 
bus suis ciam prospiciens. 

Matalobos, m. (bot.) Matalo- 
bos, napello. V. Acónito. 

Matalón, adj. Sendeiro; diz- 
se do cavallo fraco, ruim e 
estropiado, que tem má an- 
dadura. Succussator, oris. 

Matalotaje, m. (naut.) Mata- 
lotagem; provisão de manti- 
mentos que se leva a bordo. 
Nauticiis commeatus: — (fig. 
fam.) montão de cousas di- 
versas e em confusão. Indi- 
gesta rerum congeries. 

Matalote, adj. V. Matalón: 
— m, fVia?íí.J matalote; navio 
que antecede e o que segue 
immediatamente a outro em 
uma linha ou columna. Bar- 
co matalote: — navio mer- 
cante de má construcção e 
mal apparelhado. 

Matamata, m. (zool.) V. Qué- 
lido. 

Matamiento. m. (ant.) Matan- 
ça; acção de matar. Ccedes, 
is. 

Matamoros, m. (fam.) Matamo- 
ros, fanfarrão, valentão, bra- 
vateador. 

Matancia./. (ant.) V. Matanza. 

Matante, adj. (ant.) Matante ; 
que mata. Usa-se também 
como substantivo. 

Matanza. /. Matança; acção 
de matar, e por antonomasia 
diz-se do gado suíno quando 
se mata principalmente pelo 
S. Martinho. Ccedes, is: — 
quantidade de porcos des- 
tinados para a matança. Suí- 
na ccedes : — matança, mor- 
tandade; grande numero de 



MAT 

pessoas mortas em batalha, 
ou em outro logar. Ccedes 
strages: — partes do porco 
morto, esquartejado e adu- 
bado para consumo domes- 
tico: — (fig. fam.) matança; 
instancia e porfia em algu- 
ma cousa. Contentio, soli- 
citudo. 

Mataperico. m. (p. C.) V. Pa- 
pirote, 

Matar. a. Matar; tirar a vida 
ou dar a morte a algum ser 
vivo. Usa-se também como 
reciproco. Necare, interfice- 
re: — matar, apagar, extin- 
guir. Extingnere: — ferir; 
fazer matadura na pelle das 
bestas a albarda, a sella, 
etc. Lccdere, exulcerare : — 
apagar, extinguir, tirar a 
força á cal ou ao gesso dei- 
tando-lhes agua. Extingne- 
re: — matar; deitar uma car- 
ta superior á que jogou o 
contrario: — (fig) fatigar o 
gado, cansa-lo muito: — (fig-) 
matar; enfadar, importunar, 
incommodar alguém com 
perguntas, etc. Enecare: — 
(fig.) matar, enforcar, vio- 
lentar. Usa-se mais como 
reciproco. Premere, urgere, 
instare: — (fig-) matar, apa- 
gar, extinguir, aniquilar. 
Extinguere, delere: — r. 
matar-se, afadigar-se, es- 
forçar-se, affligir-se muito 
por não poder conseguir o 
que desejava. Summopere 
laborare, angi, cruciari. Ma- 
tarse con alguno (fr.); ba- 
ter-se, batalhar, combater 
com alguém. Matarse por 
alguna cosa (fr. fig-)''; ma- 
tar-se por ou sobre alguma 
cousa; trabalhar com gran- 
de anciã, fazer viva dili- 
gencia para a conseguir. 
Summa ope niti, contendere. 
Estar a matar con alguno 
(fr. fig.); estar a ferro e a 
fogo com alguém ; estar mui 
irritado contra elle. / Que 
me maten! ¡eu mori-a! ex- 
pressão familiar que ás ve- 
zes se usa para assegurar a 
verdade de alguma cousa. 
Peream nisi. Todos la ana- 
tamos; todos assim somos; 
expressão familiar com que 
se responde ao que nota al- 
gum defeito de que elle mes- 
mo partilha. Omnes pecca- 



MAT 



53 



mus in hoc. A mata caballo 
(loe. adv.); a mata cavallo, 
a toda a pressa. 

Matara. /. (metrol.) Matara; 
medida para líquidos, usa- 
da em algumas partes da 
Barbaria. 

Matarife, m. Magarefe; ho- 
mem que mata, esfola e es- 
quarteja as rezes no mata- 
douro. 

Matarrata. /. Certo jogo de 
cartas. Foliorum ludus ita 
dictus. 

Matasanos, m, (fam.) Matasa- 
nos ; medico ou cirurgião 
imperito, charlatão, curan- 
deiro. Ignarus medicus. 

Matasarna. /. (bot.) Matasar- 
na; grande arvore de Guaia- 
quil e Quito, cuja madeira 
é muito estimada para con- 
strucções navaes, e o seu de- 
cocto remedio eíÉcaz para a 
sarna. 

Matasiete, m. Mátasete, es- 
padachim, fanfarrão, bra- 
vateador. Thraso, balatro. 

Matatan. m. Matatam; espe- 
cie de tambor dos indios. 

Matatena. /. (p. M.) Seixo, 
pedrinha redonda. V. Pela- 
dilla. 

Matavane. m. Vaso ou vasi- 
lha de barro que se fabrica 
no Pegu, e que tem a pro- 
priedade de purificar a agua. 

Mate. adj. Mate, tosco, não 
polido, sem brilho; diz-se do 
oiro, prata e outros metaes, 
e ás vezes também das co- 
res ou tintas que não têem 
brilho: — m. mate; ultimo 
lance do jogo do xadrez, em 
que o rei morre ou é toma- 
do. Usa-se também como 
adjectivo , dizendo : jaque 
mate; xaque mate. Begis ad 
incitas redactio in latruncu- 
lorum ludo: — V. Matador, 
no jogo do voltarete ou da 
arrenegada: — mate; espe- 
cie de tisana ou decocto de 
plantas cephalicas, estoma- 
caes ou estimulantes, que se 
usa na America, com assu- 
car, como entre nós o chá 
da índia. Herbarum deco- 
ctura americanis usitata : — 
taça ou chicara, de ordina- 
rio feita do coco ou de al- 
gum outro fructo, em que 
na America se toma a be- 
bida chamada mate. Vax ex 



54 



MAT 



fructus cortice. Yeso mate 
(p. Cub.); carapeta com 
que brincam os rapazes : — 
cimarrón (p. A. M.); mate 
que se toma sem assucar. 
Dar mate (fr.); chalacear 
com alguém, mofar, zombar 
d'elle. Scommatibus, jocis 
aliquem petere. Dar mate 
ahogado (fr.); dar mate afo- 
gado; no jogo do xadrez é 
quando o rei está cercado 
sem poder ser soccorrido. Li 
latruncidorum ludo regem 
ita arelare, ut de fuga mo- 
neri non possit : — (fr. fig.) 
querer as cousas de assalto, 
logo, de repente, ditas e 
feitas, sem dilação. Aliqvem 
in angustias ducere, impel- 
iere: — (bot.) mate; arbusto 
do Paraguay, de cujas folhas 
seccas se faz a infusão thei- 
forme que bebem os habi- 
tantes da America central. 

Matear, n. (p. A.) Tomar a be- 
bida chamada mate: — (p. 
Mure.) gradar; tornar-se 
grosso, basto, o trigo na 
terra. Usa- se também como 
reciproco. Crescere herbas 
cereales. 

Matelina. /. (com.) Matelina; 
certa la do Levante. 

Matemática, Matemáticas. /. 
Mathematica; sciencia que 
tem por objecto o conheci- 
mento das dimensões, das 
quantidades, dos números e 
proporções. Mathesis, is. 

Matemáticamente, adv. m. Ma- 
thematicamente. Matliema- 
tice. 

Matesiático, ca. adj. Mathe- 
matico; que pertence á ma- 
thematica. Mathematicus, a, 
um: — m. mathematico; 
homem versado na mathe- 
matica. Mathematicus, i. 

Mateolojía./. Mateologia; tra- 
balho, investigação vã e in- 
útil d'aquelles que querem 
profundar materias abstra- 
ctas, explicar o que está fo- 
ra do alcance do entendi- 
mento humano. 

Mateolójico, ca. adj. Mateo- 
logico; que pertence á ma- 
teologia. 

Mateólogo, Mateolojista. m. 
Mateologo ou mateologista; 
o_ que professa a mateolo- 
gia, ou o que discorre em 
vào, inutilmente. 



MAT 

Mateotecnia./. Mateotechnia; 
sciencia vã, phantastica. 

Mateotécnico, ca. adj. Mateo- 
technico ; pertencente ou re- 
lativo á mateotechnia. 

Mater. /. (anat^) V. Dura, 
Fia. 

Matera. /. (ant.) V. Madera. 

Matercaria. /. (ant. bot.) V. 
Matricaria. 

Materia. /. (phil.J Materia; 
substancia extensa e impe- 
netrável, capaz de receber 
todas as formas. Materia, 
ce: — materia; a substan- 
cia das cousas consideradas 
em respeito a algum agente 
determinado, como: la leña 
es materia del fuego ; a le- 
nha é materia do fogo. Ma- 
teria, ce: — materia; sub- 
stancia solida, de que se faz 
qualquer obra. Materia, ce: 

— materia, pus; producto 
de sangue, de ordinario de 
cor branca, que se forma 
nas feridas, chagas ou focos 
purulentos. Sanies, pus: — 
materia; cousa ou acção phy- 
sica ou moralmente sensí- 
vel que é applicada pelas 
palavras nos sacramentos, 
como no baptismo a agua 
natural, etc. Materia, ce: — 
(fig.) materia; assumpto, su- 
jeito do discurso, ponto ou 
negocio de que se trata. 
Materia, argnmentiim : — 
(fig.) materia, motivo, causa, 
occasião. Materies, causa: 

— (ant.) materia, traslado, 
exemplar de escripta nas 
escolas de ler e escrever. 
Exemplar, aris: — (phys.) 
materia; tudo o que produz 
ou é capaz de produzir em 
nossos órgãos um certo nu- 
mero de sensações determi- 
nadas, ilfaíentt, ce: — (phys.) 
materia; tudo o que não é 
espirito, e em sentido mais 
lato, toda a substancia que 
entraña composição dos cor- 
pos. Materia, ce: — (meã.) 
materia; substancias que se 
evacuam pela boca ou pelo 
anus: — fecal; materias fe- 
caes. V. Escremento: — ci- 
vil ó criminal (for.); mate- 
ria civil ou criminal; a que 
dá acção no eivei ou no cri- 
minal: — (for.) materia; o 
que constitue um delicto, um 
crime: — de estado; mate- 



MAT 

ria, questão de estado, ne- 
gocio politico; tudo o que 
pertence ao governo, au- 
gmento e reputação do rei- 
no e do rei. Mes politica, ne- 
gotium politicum : — parva; 
pequena quantidade de al- 
guma cousa. Commummen- 
te significa a pequena refei- 
ção que se permitte tomar 
pela manhã nos dias de je- 
jum. Materia parva: — ver- 
de (bot.); limo; substancia 
vegetal que se desenvolve 
na agua distillada, exposta 
ao ar e á luz, e também na 
agua dos poços, das fontes, 
dos rios, e até na do mar. 
Cocer ó cocerse las materias 
en las heridas, llagas ó apos- 
temas (fr.); cüzer-se a mate- 
ria nas feridas ou abcessos; 
chegar á maturação, á sup- 
puração. Suppurare, in pus 
converti. Entrar en materia; 
entrar em materia; começar 
um discurso, uma explica- 
ção, etc. Primera materia 
(art.); materia primeira ou 
prima; a destinada a arte- 
factos, a manufacturas, que 
está ainda em bruto, que 
ainda se não fez em obra. 
Usa-se muito no plural, em 
portuguez e castelhano. Ma- 
teria, ce. 

Material, adj. Material; diz- 
se do que pertence á mate- 
ria, que é opposto ao for- 
mal. Materiarius, a, um: — 
material, grosseiro, bronco, 
rude de entendimento. JRu- 
dis, stolidus: — material; 
diz-se do trabalho em que 
pouco influe a intelligencia: 
— material; diz-se das cou- 
sas toscas, pesadas, macis- 
sas, que têem muita mate- 
ria: — m. material. V. In- 
grediente : — material ; ma- 
terias brutas para fabricas, 
manufacturas, ou outras 
obras, e tambeip collecção 
de factos, citações, etc., pa- 
ra compor obra litteraria. 
Usa-se mais no plural. Ma- 
teria, ce ; — (mil.) material ; 
nome genérico que se dá a 
todos os effeitos militares 
que constituem o armamen- 
to de uma tropa, os elemen- 
tos de defeza de uma praça 
ou exercito, etc. 

Materialidad, /. (philos.) Ma- 



MAT 

terialidade ; o ser corpóreo, 
material, não espiritual. Ma- 
terice Índoles, conditio: — 
materialidade; superficiali- 
dade ou appareucia das cou- 
sas, sentido material das pa- 
lavras, lierum fácies exti- 
ma: — materialidade; ru- 
deza do entendimento, es- 
tupidez: — (rei.) materiali- 
dade; segundo os theologos, 
é o peccado ou falta pura- 
mente material, commettida 
por ignorancia. Maleriali- 
tas, atis. 

Materialismo, m. Materialis- 
mo; doutrina dos materialis- 
tas. Diz-se commummente 
dos que sustentam a mate- 
rialidade da alma. Animi 
immortalitatem inficiantium 
error. 

Materialista, m. Materialista ; 
sectario do materialismo, que 
nào admitte no universo se- 
não o material. Animi im- 
mortalitatem inficians. 

Materializar, a. Materialisar; 
attribuir as qualidades da 
materia ao que é espiritual. 

Materialmente, adv. m. Ma- 
terialmente ; com materiali- 
dade. Crassa minerva: — V. 
Propiamente: — (rei.) ma- 
terialmente; sem o conheci- 
mento e advertencia que 
constitue as boas ou más 
acções. Materialiter. 

Maternal, adj. Maternal, ma- 
terno; de mãe, que é pró- 
prio de mãe. 

Maternalmente, adv. m. Ma- 
ternalmente, maternamente; 
como mãe, de um modo ma- 
ternal. Materno animo. 

Maternidad. /. Maternidade; 
qualidade de mãe, o ser mãe. 
Mutris nomen, dignitas: — 
o que procede da màe: — 
maternidade; tratamento das 
religiosas que têem o titulo 
de madres. 

Materno, na. adj. Materno; 
que é concernente á mãe, 
ou é por parte da mãe na 
linha de parentesco. Mater- 
nus, a, um. 

Matesiolojía. /. (pililos.) Ma- 
tesiologia ; sciencia do ensi- 
no em geral. 

Matesiolójico, ca. adj. Mate- 
siologico ; que pertence á ma- 
tesioTogia. 

MATLà. /. (bot.) Mattia; gene- 



MAT 

ro de plantas da família das 
asperifolias. 

Matiego, ga. adj. (ant.) Mato, 
matuto, rude, grosseiro, 
creado no mato. 

Matiera. /. (ant.) V. Materia. 

Matihuelo. ?n. V. Dominguillo. 

Matinada. / (ant.) Madruga- 
da, maulla. V. Maitines. 

Matinal, adj. (ant.) Matinal, 
matutino; pertencente á ma- 
nhã. Hoje usa-se em poesia. 

Matines, m. pi. (ant.) Y. Mai- 
tines. 

Matino. m. (ant.) V. Madru- 
gada. 

Matiola. /. (bot.) Matthiola; 
genero de plantas da fami- 
lia das cruciferas. 

Matiz. m. Matiz; união de co- 
res diversas misturadas em 
certa proporção nas pintu- 
ras, bordados e outras cou- 
sas. Colorum in picturis va- 
rietas, commixtio : — matiz ; 
gradação das cores : — (fig-) 
matiz, esmalte, colorido, 
erudição, ornatos que real- 
çam o discurso. Usa-se mais 
no plural, nos dois idiomas : 
— matiz, côr politica; opi- 
nião, modo de pensar, senti- 
mentos políticos. 

Matizar, a. Matizar; variar, 
realçar com cores diversas. 
Coloribus variare, distin- 
guere: — (fig-) matizar, es- 
maltar, exornar; ornar, en- 
feitar a oração, o discurso 
com phrases, figuras ele- 
gantes. 

Matlazahua. /. Doença epidé- 
mica, especie de dor de cos- 
tas que faz incrível estrago 
nos indios. 

Mato. m. Mato. V. Matorral. 

Mato JO. m. (p. C.) Renovo das 
arvores depois de cortadas. 

Matón. 7?i. V alentão, ferrabraz, 
esfola-caras, espadachim, 
pendenciador. Thaso, jacta- 
bundus homo: — (ant.J noi- 
vo. V. Reciencasado. 

Matorral, vi. Mato, matagal, 
brenha; campo inculto co- 
berto de plantas agrestes. 
Locus vepribus, dumetis ple- 
nus. 

Matoso, sa. adj. Matoso, bre- 
nhoso; cheio de mato, de bre- 
nhas. Vepribus, virgultis 
ahundans. 

Matraca. /. Matraca; instru- 
mento de pau com tabuinhas 



MAT 



55 



movediças ou com uma es" 
pecie de martello, usado pa* 
ra convocar os frades na Se- 
mana Santa, desde quarta 
feira de trevas até o sabba- 
do de AUeluia. Crepitacu- 
lum ligneum : — (fam.) ma- 
traca, zombaria, chacota. 
Usa-se com o verbo dar, e 
assim dizemos: dar matra- 
ca; dar matraca, dar vaia, 
apupar. Joeus, jocose cavil- 
lari : — (fig. fam.) matador, 
homem impertinente, cabe- 
çudo, obstinado. 

Matraquear, a. Matraquear; 
dar vaia, apupar, escarnecer, 
metter á bulha dizendo chu- 
fas. Ludificari. 

Matraquista, s. Matraqueador, 
raotejador, zombador, cha- 
laçador; o que matraquea. 
Ludificator, oris. 

Matraz, m. (pharm. e chim.) 
Matraz; vaso de vidro com 
gargalo comprido e de bojo 
redondo ou oval, ás vezes 
tubulado. Fas, is. 

Matrería. /. (p. Cub.) Finura, 
astucia, perspicacia ardilosa. 

Matrero, ra. adj. Matreiro, 
astuto, sagaz, ardiloso. Cal- 
lidus, sagax : — (p. Mex.J V. 
Suspicaz. Diz-se mais parti- 
cularmente dos cavallos. 

Matricaria. /. (bot.) Matrica- 
ria; genero de plantas da 
familia das compostas. 

Matricida, s. Matricida; filho 
que matou sua mãe. Matri- 
cida, «!. 

Matricidio. m. Matricidio; cri- 
me commettido pelo que ma- 
tou a própria mãe. Matrici- 
dium, ii. 

Matrícula./. Matricula; lista, 
catalogo de nomes de pessoas 
sujeitas a certos deveres ou 
gosaudo de certos direitos 

■ e privilegios. Census, us: — 
matricula; o acto de matri- 
cular: — matricula; direito 
que paga o que quer ser in- 
scripto como alumno nas uni- 
versidades: — de mar; ma- 
tricula; rol, registo de ma- 
rinheiros e mais gente do 
mar. 

Matriculacion. /. V. Matrícu- 
la, na segunda accepção. 

Matriculador. m. O que ma- 
tricula. Quí censum peragit. 

Matricular, a. Matricular; 
assentar no livro das matri- 



56 



MAT 



cuias. Usa-se também como 
reciproco. In sensum referre. 

Matrimonial, adj. Matrimo- 
uial, conjugal; diz-se do que 
pertence ou respeita ao ma- 
trimonio. Conjugalis, connu- 
hialis. 

Matrimonialmente, adv. m. Ma- 
trimonialmente, conjugal- 
mente ; segundo o uso e cos- 
tume dos casados. Confuga- 
liter, connubialiter. 

Matrimoni^ui. n. (fam.) Matri- 
moniar-se; casar, contrahir 
matrimonio. 

Matrimonio, m. Matrimonio, 
casamento \ consorcio do va- 
rão e da mulher para a pi-o- 
creação da especie humana. 
E sacramento indissolúvel 
entre os catholicos, alem do 
contratocivil.iTíaí rímoíiÍMTO, 
ii : — matrimonio ; contrato 
entre homem e mulher, pelo 
qual um dá ao outro poder 
sobre seu corpo. Mçitrimo- 
nium, ii: — (fam.) os casa- 
dos, o marido e a mulher. 
Cônjuges, is: — (fig.)Y. Con- 
sorte, marido ou mulher: — 
a yuras. V. Barraganía : 
— clandestino; matrimonio 
clandestino; antes do conci- 
lio de Trento era o que se 
contrahia sem testemunhas, 
aindaque se podesse provar, 
e era valido e verdadeiro. 
Mas depois d'aquelle conci- 
lio é nullo e illicito este ma- 
trimonio. Clandestinum ma- 
trimonium: — de conciencia; 
matrimonio de consciência; 
o que se contrahe faltando 
ás solemnidades prescriptas 
pelas leis do paiz, que sub- 
siste valido como sacramen- 
to, mas inhabilita a prole pa- 
ra os effeitos civis. il/a¿n?HO- 
nium conscientice, religione 
tantummodo eontractum : — 
rato ; matrimonio rato ; o so- 
lemne, mas não consumma- 
do. Matrimonium ratum: — 
consumado; matrimonio con- 
summado; matrimonio em 
que houve copula carnal en- 
tre os cônjuges : — 'putativo ; 
matrimonio putativo; o que 
sendo nullo por causa de im- 
pedimento dirimente, é con- 
siderado, não obstante isso, 
por verdadeiro matrimonio, 
em rasâo de haver sido con- 
trahido de boa fé, ignorando 



MAT 

ambos os cônjuges ou algum 
d'elles o impedimento : — ^- 
losofal (philos. ant.); matri- 
monio philosophal ; união 
do sol e da lua no mercurio 
hermético : — morganático ó 
de la mano izquierda (hist.); 
matrimonio ou casamento de 
mão esquerda; especie de 
matrimonio usado na AUe- 
manha, que só os príncipes 
e grandes senhores podem 
contrahir : — espiritual; ma- 
trimonio espiritual ; união 
que existe entre os bispos e 
seus diocesanos, entre os re- 
ligiosos e religiosas e Jesus 
Christo : — por detrás de la 
iglesia (fam.); casamento de 
João das Vinhas; matrimo- 
nio fingido, falso, enganoso. 
Matrimoñar. n. (ant.) V. Ma- 
trimoniar. 
Matritense, adj. Matritense. 

V. Madrileño. 
Matriz. /. (ant.) Matriz, ma- 
dre, útero; viscera destina- 
da a servir de asylo ordina- 
rio ao feto e a fornecer-lhe 
os fluidos necessários á sua 
nutrição até ao termo da 
prenhez. Uterus, i. Cuernos 
de la matriz; cornos do úte- 
ro. V. Adútero: — matriz; 
molde de fundir, vasar os 
typos ou letras de impres- 
são. Prototypus, i : — matriz. 
V. Metrópoli, igreja archi- 
episcopal : — (art.) rosca, 
porca de parafuso de pren- 
sa: — adj. (fig.) matriz; diz- 
se de algumas cousas prin- 
cipaes ou primeiras na sua 
classe, ou que são causa, 
fonte ou origem de outras. 
Caput, fons, origo : — /. 
matir ; minuta, escriptura 
ou instrumento publico que 
fica no cartório do tabellião 
ou escrivão. Scriptum ar- 
chifypum. Lengua matriz; 
lingua matriz, lingua mãe. 
V. Lengua : — padrão ; mo- 
delo dos pesos e medidas. 
Matrona./. Matrona; mãe de 
familia, mulher grave, ho- 
nesta, respeitável. Matrona, 
ce : — comadre, parteira. Oh- 
stetrix, icis : — (fam.) ma- 
trona ; mulher corpulenta. 
Matronal, adj. Matronal ; per- 
tencente á matrona. Mafro- 
nalis, le : — /. pi. (liist.) ma- 
tronaes; festas que as ma- 



MAT 

tronas romanas celebravam 
em honra de Marte. 
Matronaza. /. aug. de Matro- 
na : — matronaça ; mulher 
gorda e circumspecta. Ma- 
trona gravis. 
Matróneo ou Matrónico. 7/1. 
(ant.) Logar na igreja anti- 
ga onde estavam as mulheres 
separadas dos homens. 
Matú. m. (p. A.) Matú ; espe- 
cie de tatú, o maior que se 
conhece. 
Matungo, ga. adj. (p. Cub.) 
Enfezado, debil, fraco, defi- 
nhado. Diz-se particular- 
mente dos animaes. 
Matürinos. m. pi. (rei.) Matu- 

rinos. V. Trinitarios. 
Maturranga. /. (fam.) V. Pen- 
danga : — (p. Cub.) V. Treta. 
Maturrango, ga. adj. (p. A.) 
Mau cavalleiro; nome que 
os americanos dão aos hes- 
panhoes e mais estrangeiros 
por estes serem muito infe- 
riores áquelles na arte de 
montar. 
Matusalén, s. (fam.) Macro- 
bio ; pessoa que chegou a 
grande longevidade. 
Matuta. /. (zool.) Matuta ; ge- 
nero de crustáceos decapo- 
das brachyuros, da familia 
doB oxystomos. 
Matute, m. Contrabando; ac- 
ção e effeito de contraban- 
dear. Portarii fraudatio : — 
contrabando; géneros, mer- 
cadoria furtada aos direi- 
tos, introduzida por con- 
trabando. Mercês vetifce per 
fraudem invectce. 
Matutear, a. Contrabandear; 
metter contrabando em al- 
guma povoação, fazer o com- 
mercio de contrabando. Usa- 
se mais como neutro. Mer- 
cês portarii fraudem inve- 
liere. 
Matutero, m. Contrabandista ; 
pessoa que vive de fazer 
contrabando. Prohibitarum 
mercium inductor. 
Matuti. m. Matuti ; medida de 
líquidos de algumas cidades 
da Barbaria. 
Matutinal, adj. Matutinal, ma- 
tutino; da manhã, da ma- 
drugada. Applica-se ás mis- 
sas que se dizem de madru- 
gada. Matutinus, a, tim. 
Matutino, na. adj. Matutino; 
pertencente ou respectivo á 



MAU 

manhã. Matutimis, a, um. 
Estrella matutina; estrella 
matutina ou estrella d'alva. 
V. Lucero. 

Mau. m. V. Miaxi. 

Maujo. m. (naut.) V. Descal- 
cador. 

Maula./. Minucia, bagatella; 
cousa de ¡louco preço, insi- 
gnifícaute. Bes niliili: — 
cabala, trama, estratagema; 
negociação occulta, artificio 
encoberto para enganar al- 
guém. Fraus, fallada: — 
pequena gratificação que se 
dá a algum creado alheio 
que leva algum presente. 
Munusculum, i: — m. calo- 
teiro, mau pagador, trafi- 
cante. Inficiator, injidus de- 
hitor. Buena maula; boa ro- 
lha, boa peça; expressão iró- 
nica para taxar alguém de 
velhaco ou ardiloso. Âstu- 
tus, versipelUs. 

Maulería. /. Loja de adelo, 
onde se vendem retalhos de 
panno ou telas difí'erentes. 
Mangouica taberna: — (fam.) 
velhacaria, artificio, hypo- 
crisia, dissimulação. 

Maulero. m. Adelo que vende re- 
talhos de diíferentes pannos. 
Mango, onis: — (fig-) Gavil- 
lador, velhaco, embusteiro, 
trapaceiro. Veterafor, oris. 

Maulon. m. augm. de Maula. 

Maullador, ra. adj. Meador ou 
miador; diz-se do gato que 
mia muito. Ciamos us felis. 

Maullar, n. Miar ou mear; 
gritar o gato, fazer meadu- 
ra. Felim clamare. 

Maullido, Maullo, m. Miado, 
miadura; ó miar, voz do 
gato. Filinus clamor. 

Maurandia. /. (hot.) ]Mauran- 
dia; genero de plantas da 
familia das escíofularineas. 

Maure. m. (p. A.) V. Chumbe. 

Mauretano, na. s. (ant.)^io\\YO 
escravo. 

Mauricia. /. (bot.) Mauricia; 
genero de plantas dicotyle- 
doneas, da familia das pal- 
meiras. 

Mauritano, na. adj. Maurita- 
no; pertencente á Maurita- 
nia. Maurifanus, mauru- 
sius : — s. mauritano; o na- 
tural da Mauritania. Mau- 
ritanus, maurusius. 

Mauseolo, Mauseoleo. m. (ani.) 
V. Mausoleo. 
8 



mav 

Mausoleo, m. Mausoléu; mo- 
numento sepulchral magni- 
fico, como o que foi erigi- 
do ao rei Mausolo. Mauso- 
leum, i. 

Mavorte. ???. (ant.) V. Ma- 
forie. 

]Max. adv. e covj. (ant.) V. 
Mas: — m. inax; moeda de 
oiro de Baviera. 

Máxcara. /. (ant.) V. Más- 
cara. 

Maxiella. /. V. Maxilla. 

Maxilar, adj. (anat.) Maxil- 
lar; diz-se do que pertence 
á maxilla, aos queixos. Ma- 
xillaris, rè. 

Maxilifokme. adj. (h. nat.) Ma- 
xilliforme; que tem forma 
de mandíbula. 

Maxilla. /. (ant.) V. Mejilla. 

MÁXIMA. /. Máxima, axioma; 
regra, principio ou proposi- 
ção geralmente admittida 
em qualquer arte, sciencia 
ou faculdade. Effatum, sen- 
tentia, axioma: — máxima, 
axioma, apophteg'ma, sen- 
tença ou boa doutrina j^ara 
a direcção das acções mo- 
raes. Sententia, ce: — má- 
xima; idéa, intenção, desi- 
gnio, principio adoptado pa- 
ra obrar, regra de proceder. 
Consilium, designatio, pro- 
positnnn: — (mus.) maxim.a; 
a primeira nota precede á 
longa. Nota máxima. 

Maximamente, adv. m. Maxi- 
mamente, principalmente. 
Potissimum. 

Máxime, adv. m. (fam.) Máxi- 
me, sobretudo, principal- 
mente. Máxime. 

Maximianistas. m. pi. (rei.) Ma- 
ximianistas ; nome dos dona- 
tistas, sectarios de Maxi- 
miano. 

MaxiMiliana. f..(hot.) Maximi- 
liana ; genero de plantas da 
faiñilia das palmeiras. 

MÁXIMO, ma. aclj. siip. Máximo, 
summo, o maior. Maximus-, 
a, um. Circulo máximo (astr.) 
V. Circulo. 

Maxmordon. adj. (ant.) Bronco, 
boçal, estupido, grosseiro, 
rustico, de genio acanhado 
e curto. 

Maya. /. Margarita; herva pe- 
renne que produz flores bran- 
cas c encarnadas. V. Marga- 
rita. Bellis, is : — maia, rai- 
nha de maio; menina enfei- 



MAY 57 

tada de flores que no mez de 
maio se assenta sobre uma 
especie de throno á porta da 
rua, para a qual andam ou- 
tras raparigas pedindo di- 
nheiro a quem passa. Maja, 
te :— palhaço ; pessoa que se 
mascarava ridiculamente 
jjara divertir o po\o nas 
f micções publicas. Persona- 
ttts, i: — (ant.) maia, dou- 
zella: — /. (astron.) nome 
dado pelos astrónomos ás se- 
te pléyades, que formam 
uma consteUação septentrio- 
nal: — (zoai.) maia; genero 
de crustáceos decapodas, da 
familia dos oxyrhyncos. 

Ma YACA. /. (bot.) Mayaca ; ge- 
nero de plantas da familia 
das xyrideas. 

Mayadeiío. m. (ant.) V. Maja- 
dero. 

Mayador, RA. adj. V. Maulla- 
dor. 

Mayadura. /. (ant.) V. Maja- 
dura. 

Mayal. m. Almanjarra; peça 
de pau nas atafonas e outras 
machinas, á qual se pren- 
dem as bestas que a fazem 
trabalhar. Temo, onis: — 
mangual; pau comprido com 
outro mais curto, pendente 
de uma das extremidades, 
para malhar o centeio. Li- 
gnum duobus contentum bra- 
chiis, quo suale conteritur. 

Mayamiento. m. (ant.) V. Ma- 
jamiento. 

Mayar, n. V. Maullar : — (ant.) 
V. Major. 

Mayer. conj. (ant.) V. Aunque. 

Mayestro. to. (ant.) V. Maes- 
tro. 

Maytdtad. /. (ant.) V. Mitad. 

Mayeto. m. Maço para bater 
o papel nas fabricas. Mal- 
leus, ei. 

Mayo. m. Maio; quinto mez do 
anno. Majus, i: — maio; ar- 
vore, ramo grande ou pau 
elevado, que se põe n'este 
mez em algum logar publi- 
co, aonde concorrem os rapa- 
zes c raparigas a divertir- 
se dansando e folgando. Ma- 
jcdis arbor : — (aiit.) malho, 
maço. 

Mayon. ?n. Mayon ; moeda de 
prata de Sião : — adj. supe- 
rior em qualidade, em quan- 
tidade; diz-se de qualquer 
cousa. 



58 MAY 

Mayor, m. Superior ou chefe 
de umacommunidade ou cor- 
poração. Prcefectus, i : — 
official maior de secretaria 
ou de alguma outra repar- 
tição. Primus, prior: — (ant.) 
caudilho, capitão, chefe, cabo 
de guerra. Dux, eis : — 
maior, mor ; o que excede a 
outra cousa em grandeza, 
qualidade ou quantidade. 
Major, oris : — pi. maiores, 
avós, ascendentes, progeni- 
tores, avoengos. Majores, 
avi, proavi: — pi. maiores, 
antepassados, avós, avoen- 
gos, passados; os predeces- 
sores sejam ou não progeni- 
tores de quem falia. Majo- 
res : — maiores ; as tres or- 
dens sacras, que são o sub- 
diacouado, o diaconado e o 
presbyterado : — o mayor de 
edad; maior ou de maiori- 
dade ; pessoa que tem a idade 
prescripta pelas leis para 
poder usar do seu direito e 
emancipar-se. .^tate major: 
— de la corte (ant.); grande do 
reino : — de la gente goda ; 
principal dos grandes da 
nação. Levantarse o subirse 
a mayores (fr.J ; ensoberbe- 
cer-se alguém, elevar-se 
mais do que lhe compete. 
Superbiiis se efferre. Por 
mayor (loe. adv.); por maior, 
por alto ; summariamente, 
sem especificar as circum- 
stancias. Summatim : — em 
grande, por grosso, por ata- 
cado, em quantidade gran- 
de : — (mil.) major ; official 
com cai-acter de chefe, que 
dirige a administração e con- 
tabilidade de um regimento: 

— general (mil.) ; major ge- 
neral ; official general en- 
carregado do detalhe das 
operações de ura exercito. 
Exercitus instructor. Ferias 
mayores; os dias da semana 
santa. 

Mayora. /. Mulher do major. 

Mayoradgo. m. (ant.) V. Mayo- 
razgo. 

Mayoral, m. (ant.) Maioral ; 
chefe dos pastores ou dos 
zagaes. Pastorum primus : 

— caleceiro; conductor da 
caleça ou sege de estrada. 
JRhedarius, ii : — maioral ; 
capataz de uma companhia 
de segadores, Messorum du- 



MAY 

ctor : — maioral; moço que 
serve de capataz e manda 
os demais creados que con- 
duzem as recuas de caval- 
gaduras no transporte do 
grão. Primus custos, pas- 
tor : — (p. Cub) maioral ; 
homem branco encaiTegado 
do governo e cuidado das 
fazendas do campo: — (germ.) 
alcaide, corregedor: — (ani.) 
maioral ; capitão, general, 
chefe, pessoa de distincção : 

— perfeito, chefe, superior. 
Moderator, prcepositus : — 
mampastor ; administrador 
dos hospitaes de S. Lazaro. 
Prcefectus, i. 

Mayoralía. /. (ant.) Rebanho 
governado, conduzido por 
um maioral. Grex, gis: — 
(ant.) salario do maioral de 
um rebanho. Pastoris mer- 
cês : — reala (ant.); reba- 
nho formado de gado de dif- 
ferentes donos e que o maio- 
ral conduzia em commum. 

Mayorana. /. Maiorana. V. Me- 
jorana. 

Mayor ar. a. (ant.) Melhorar. 
Prceferre, in meliorem sor- 
tem deducere. 

Mayorazga. /. Morgada ; pos- 
suidora ou herdeira de moi'- 
gado : — morgada ; mulher 
do morgado. 

Mayorazgar. a. Vincular bens 
para um morgado. 

Mayorazgo, m. Morgado ; bens 
vinculados. Majoi'atus, i: — 
morgado ; possuidor dos bens 
vinculados : — morgado ; o 
filho primogénito herdeiro 
de morgado. Primogenitus 
majoratum possidentis : — 
(fam.) morgado ; filho pri- 
mogénito. Primogenitus, i: 

— (fig.) morgado, mina ; ne- 
gocio ou cousa lucrativa : 
(for.) morgado ; direito de 
succeder nos bens vincula- 
dos : — de pura masculini- 
dad ; morgado de masculi- 
nidade ou varonia ; aquelle 
em que só succedem varões, 
que exclue as fêmeas perpe- 
tuamente. Majoratíis nudce 
masculínitatis : — de femi- 
neidad ; morgado de femi- 
neidade; em que só succe- 
dem as fêmeas, ou pelo me- 
nos são preferidas aos varões. 

Mayorazguelo. m. dim. de 
Mayorazgo. Morgadinho. 



MAY 

Matobazguista. m. (for.) Au- 
ctor que trata ou escreve 
sobre a materia dos morga- 
dos, Majoratuum scriptor. 

Mayorazguito. m. dim. de 
Mayorazgo. Morgadinho. 

Mayorcico, ca, llo, lla, to, ta, 
adj. dim. de Mayor. Maior- 
zinho, pouco maior. 

Mayordoma. /. Mordoma ; mu- 
lher do mordomo. 

Mayordomadgo, Mayordomaz- 
GO. m. (ant.) V, Mayordo- 
mía. 

Mayordombre, m. (ant. p. Ar.) 
V. Prohombre. 

Mayordombría. /. (ant. p. Ar.) 
Prefeitura de um collegio. 
Collegii prcefectura. 

Mayordomear, a. (ant.) Moi'- 
domar ou mordome ar ; ad- 
ministrar, reger como mor- 
domo. Administrare. 

Mayordomía./. Mordomia, mor- 
domado ; officio de mordomo, 
Administratio, onis : — mor- 
domia; escriptorio do mor- 
domo : — (ant.) V. Préstamo. 

Mayordomo, m. Mordomo ; ad- 
ministrador dos bens de uma 
casa nobre, rica, Minister, 
prcebitor : — mordomo de ir- 
mandade ; o que administra 
as cousas d'ella e os appa- 
ratos das festas, Adminis- 
ter, ceconomus : — (germ.) 
ladrão que cuida das provi- 
sões para a sua quadrilha : 

— de estado ; mordomo da 
casa real, Minister, prcebitor 
regius : — de fábrica ; mor- 
domo da igreja; procurador 
dos negocios temporaes da 
igreja, da sua fabrica e obras, 
Sacrarum cedium cedilis 
earumque redituum exactor : 

— de semana; mordomo de 
semana ; official que na casa 
real serve na semana que 
lhe toca, debaixo das ordens 
do mordomo mor, substituin- 
do-o na sua ausencia. A regii 
palatii magistro secnndus : 

— mayor ; mordomo mór ; 
official superior da casa real, 
que governa todas as pessoas 
do serviço do paço. Regii 
palatii minister, ceconomus : 

— de propios; administra- 
dor da fazenda ou próprios 
de um concelho. Oppidi ho- 
norum administer : — de es- 
trado ; mordomo que no pa- 
lacio real cuidava da mesa 



MAZ 

do gentil-homem que estava 
de semana : — de la artille- 
ría (mil. ant.J ; encarregado 
de todos os petrechos e mu- 
nições da arma de artilheria. 

Mayoría. /. Melhoria|-, superio- 
ridade ou excellencia com- 
parativa de urna cousa. 
Prcestantia, excellentia : — 
maioridade; idade regulada 
e fixada pela lei para uma 
pessoa poder eximir-se da 
sujeição de seu pae ou tu- 
tor. Legitima) potens sui re- 
gendi ac gerendi cetas : — 
maioria; o maior numero de 
cidadãos ou de membrosMe 
urna corporação, etc.: — 
maioria ; pluralidade dos vo- 
tantes e dos sufíragios n'u- 
ma assembléa, n'um corpo 
politico : — maioria ; partido 
que n'uma assembléa poli- 
tica reúne ordinariamente 
maior numero de suffragios: 
— absoluta ; maioria abso- 
luta; a metade e mais um 
do numero de votantes : — 
relativa; maioria relativa; 
a que se forma da superio- 
ridade do numero de votos 
obtidos por um dos concor- 
rentes : — (mil.) majoria ; 
cargo, posto, emprego de 
major. 

Mayoridad. /. V. Mayoría, na 
primeira accepção. 

Mayorino. m. (ant.) V. Merino. 
Judex, prceior. 

Mayorista, m. Estudante de 
primeira classe, no curso da 
grammatica. Suprema gram- 
matices classis scholaris. 

Mayormente, adv. m. Maior- 
mente, mormente, principal- 
mente. Prcesertim. 

Mayormientre. adv. m. (ant.) 
V. Mayormente. Prcecipue, 
prcesertim. 

Mayuelo. m. (ant.) V. Majuelo. 
Plantar mal mayuelo (fr. 
ant.); fazer alguma acção ou 
obra má. 

Mayúscula. /. V. Letra mayús- 
cula. 

Maza. /. (mil.) Maça, clava; 
arma de pau guarnecida de 
ferro ou toda de ferro, mais 
grossa n'uma das extremi- 
dades, usada antigamente. 
Clava, ce: — maça; insignia 
que os maceiros levam adian- 
te dos reis ou governadores; 
e também a que nas univer- 



MAZ 

sidades, cidades e outros cor- 
pos é conduzida pelo bedel, 
em certas funcções acadé- 
micas ou em actos públicos. 
Clava, ce: — maça; instru- 
mento de pau para bater o 
linho. Pistillum, i: — maço 
ou machina com que se cra- 
vam estacas. Festuca, ce: — 
cepo ou tronco a que se pren- 
dem os macacos para não 
fugirem. Truncns, cippus : 

— rabo ou rabo leva; peda- 
ço de papel, trapo ou outra 
cousa que por zombaria se 
prega no fato das pessoas, 
no carnaval. Cauda artificia- 
lis: — maça; extremidade 
mais grossa dos tacos com 
que se joga o bilhar : — (figO 
maçador, matador; homem 
enfadonho e importuno na 
conversação : — (ant.) cubo 
de uma roda. Hotce modiolus: 

— especiaria, droga : — sor- 
da. V. Espadaña: — de fra- 
ga. Y. Martinete, machina 
de cravar estacas. La maza 
y la mona (fr. fam.); a cor- 
da e o caldeirão; diz-se de 
duas pessoas que andam 
sempre juntas. Percasequens 
sepiam. 

Mazacote, m. Sumo da gra- 
mata. Ex Icali succus: — ar^ 
gamassa composta de cal e 
areia, cascalho e agua, para 
os alicerces dos edificios, 
etc. Ccementum, i : — (fig-) 
betume, argamassa; manjar 
ou cousa de massa que está 
secca, dura e pegajosa. Mas- 
sa, offa durior : — homem 
maçador, enfadonho, impor- 
tuno, molesto. Molestus : — 
V. Antimonio; usa-se em 
algumas partes do Perú. 

Mazada. /. Maçada; golpe de 
maça ou maço. Claves, fes- 
tucce ictus. Dar mazada á 
uno (fr.); dar maçada, ma- 
çar alguém; causar-lhe da- 
mno ou prejuizo. Damnum, 
molestiam afferre. 

Mazagatos, m. Usa-se n'esta 
phrase provincial: Anclar o 
haber la de mazagatos ; ha- 
ver muito barulho, ruido, 
motim, desordem. Máxima 
riza, contentio. 

Mazamorra. /. Papas de maíz 
ou comida feita da farinha 
d'este grao com mel e assu- 
car, muito em uso no Perú, 



MAZ 



59 



principalmente para alimen- 
to da gente pobre. Farina 
ex indico frumento saccharo 
aut melle condita : — maça- 
morda; restos, migalhas de 
biscouto ou de bolacha de 
embarque. Ex biscocto ma- 
rino residuum : — sopa dos 
restos de biscoito que se dá 
aos marinheiros. Marinum 
biscoctum tritum : — (fig.) 
cousa esmigalhada ou feita 
em pedaços. Ex quaque re 
trita aut comminuta vile 
opsonium : — (fig-) trapalha- 
da; discurso ou locução de 
idéas incoherentes. 

Mazana. /. (ant.) V. Manzana. 

Mazanar. m. (ant.) Mazanaria. 
V. Manzanar. 

Mazaneda. /. (ant.) V. Man- 
zano. 

Mazaneta. /, Maçaneta, orna- 
to em forma de maçã que 
se punha nas jóias ou ade- 
reços. 

Mazapán, m. Maçapâo; massa 
feita de amêndoas pisadas 
com assucar e outros ingre- 
dientes. Amigdalinos,panis, 
marcipanis. 

Mazar, a. (prov.) Bater, agitar 
.o leite para fazer manteiga: 
— bater, golpear a carne 
para se preparar depois ao 
lume. V. Amasar: — maçar; 
matar com maça. 

Mazarí, m. (ant.) V. iMdrillo. 

Mazarico. m. (prov.) Maçarico. 
V. Alción. 

Mazato. m. (p. A. Mer.) Maiz 
pisado e ensacado para le- 
var ;¡nas jornadas. 

Mazeador, RA. s. Maçador; o 
que bate ou dá golpes com 
maça ou maço. 

Mazear. a. Maçar; dar golpes 
com a maça ou maço : — 
n. (fig.) maçar; porfiar, re- 
petindo uma cousa muitas 
vezes : — (equit.) coxear o 
cavallo de uma maneira 
quasi imperceptível. 

Mazero. m. Maceiro, bedel; 
oíiicial que leva a maça em 
alguns actos públicos ou em 
certas funcções académicas. 

Mazeta. /. Vaso para semear 
ou plantar flores: — pé de 
metal para ramalhetes de 
flores artificiaes, nos altares 
e em outros sitios : — rama- 
lhete ou grupo que formam 
naturalmente as flores de ai- 



60 MAZ 

gumas plantas e o fructo de 
algumas arvores: — fcirt.) 
cabo de alguns instrumentos 
de artes e oíücius : — V. Ma- 
za, nos tacos do bilhar: — 
(vef.J extremo do espinhaço 
do carneiro, que termina na 
cauda. 

Mazetear. a. (art.) Bater^ ma- 
çar as pelles para as estirar, 
nas fabricas de cortumes. 

Mazico, llo, to. m. dirn. de 
Mazo. Macinho, maçosinho. 

Mazizamente. adv. m. Massiça- 
mente; com solidez, de um 
modo mastico. 

Mazizae. a. Tornar ou fazer 
massiço, encher, fechar soli- 
damente algum buraco ou 
espaço : — (fig-) corroborar,*^ 
reforçar; confirmar com ra- 
sões convincentes um dito, 
proposição ou argumento. 

Mazizez. /. Solidez; qualidade 
do que é massiço. 

Mazizo, za. adj. Massiço, soli- 
do, forte, denso, firme, cheio 
por dentro, sem espaços, que 
tem solidez: — (fiff-J corrobo- 
rante, solido, bem fundado: 
— m. (arch.) massiço; parte 
da parede que está entre 
dois vãos. 

Mazmorka. /. Masmorra, er- 
gástulo; prisão escura e sub- 
terrânea. Ergastidum, i : — 
masmorra ou matamorra; 
celleiro subterrâneo. N 'estes 
logares mettiam os mouros 
os ceveaes e encerravam os 
captivos. 

Maznar, a. (ant.) Amassar; 
esmagar, amollecer com as 
mãos. Siihigerc manu : — 
(ant.) malhar, bater o ferro 
ijuando está quente. Ferrum 
cordunãerc. 

Mazo. m. Maço, malho; instru- 
mento de pau com duas ca- 
beças, á maneira demartello 
grande. Ligneus malleus: — 
maço; certa porção de mer- 
cadorias on outras cousas 
juntas c atadas n'uní miilho. 
Mavipvlvs, ?'.• - maço, ma- 
lho para dar na liola no jogo 
(resto nume: — maço; vaza 
no jogo da primeira, cm que 
concorrem o seis, o sete c o 
az do mesmo naipe, que vale 
cincoenta e cinco pontos. 
Chartarvm sors Ha dieta : — 
(fig.) maçador; homem en- 
fadonho, molesto, impor tu- 



no, í&stidiíosso. Molestiis, gr a- 
vis: — (ant.) maça, cacha- 
morra, pau nodoso: — ro- 
dero; maço rodeiro; grande 
malho de pau que se usa 
para as construcções ua- 
vaes, para maçar os cabos, 
e outras fainas de bordo. 
Grandis malleus : — martel- 
lo; instrumento de madeira 
com a cabeça forrada de 
camurça,' a qual é destina- 
da a ferir as cordas dos 
pianos : — maço ; instrumen- 
to com que os livreiros aba- 
tem o papel : — (l>ot.) mazo ; 
genero de plantas da fami- 
lia das escrofularineas. 

Mazokado, da. adj. (hr.) Diz-se 
da figura que representa ou 
mostra no escudo a pedra, 
a cal, as juntas de urna tor- 
re ou castello, etc. Qvadra- 
tis lapidihns distinctus. 

Mazonaduea. /. (ant.) Macadu- 
ra; acção de maçar, de ma- 
lhar. Adadio, onis. 

Mazonar. a. (ant.) V. Mazear. 

Mazonería./. Alvenaria; obra 
de pedreiro, obra de pedra 
e cal. Opvs calce et lapidi- 
hns extruclum: — (ant.) bor- 
dado de oiro e prata em re- 
levo. Phrygium opus aura 
argentoque intertexfum: — 
(ant.) designação collectiva 
das alfaias ou peças diver- 
sas de oiro ou prata para 
serviço das igrejas. Templo- 
rum áurea argenteave su- 
pellex : — obra de relevo, es- 
pecialmente em metal e feita 
a martello. Anaglyphum, i. 

Mazorca./.V. Husada : — (bot.) 
uiacaruca; especie de espiga 
cni quo se oriam alguns l'ru- 
ctüs mui juntos, como suc- 
ccde ao milho. V. Punoja. 
Spica mays et similium. 

Mazoeea. f. Maço grande de 
pau. 

Mazorral, adj. Maçorral, ru- 
de, grosseiro, áspero. Rudis, 
rusficvs: — in. V. Fárrago. 

1\1azohuaimente. adv. m. Ma- 
corralmente, grosseiramen- 
te, rústicamente. Enstice, 

Mazuelo. m. (ant.) Especie de 
mão de gral ou almofariz. 

Mazurca. /. Mazurka; dansa 
-polaca, introduzida em quasi 
todas as nações. 

Me. Me; caso irregular do pro- 
nome yo, que serve para da- 



MEA 

tivo e accusativo, e que se 
usa anteposto e posposto aos 
verbos. 

Mea. /. ijam.) Mija; palavra 
com que a creança explica 
que quer urinar e usa-se 
u'esta locução : ipedir la mea; 
pedir a mija: — cxdpa; mea 
culpa; expressão latina que 
significa por falta ou por 
culpa minha. Decir el mea 
crdpa (fr.fam.); arrepender- 
se, confessar a sua falta. 

Meada. /. Mijada, mija, mija- 
dura, mijadella; porção de 
urina que se expelle de uma 
vez. Urina, mictus: — mija, 
mijadella; signal que fica no 
sitio onde alguém ou algum 
animal mijou. Mictus, i. 

Meadad. /. (ant.) Meadade. V. 
Mitad. 

Meadero, m. Mijadeiro; logar 
destinado para se urinar. 
Urinalis locus. 

Meadia./. (hot.) V. Dodecution. 

Meados, m. pl. V. Orines. 

Meadura. /. V. Chorrito. 

Meaja. /. Mealha ou pogeja; 
moeda de cobre que valia 
meio seitil. Mina, te : — certo 
direito que os juizes exigiam 
das partes nas execuções. 
Judieis ex litigatore mefces 
ita dicta: — migalha, cousa 
pequena: — de huevo; gal- 
ladura do ovo. V. Galla- 
dura. 

Meajal. adj. (ant.) Mealhal; 
pertencente á ,moeda cha- 
mada mealha. 

Meajilla, ta./. dim. Aq Meaja. 

Meajuela. /. dim. de Meaja: 
— peças do bocado do frcio 
(lue fazem salivar o cavailo. 
Infrenis péndula; particulce. 

Meandrina. y. (zool.) Meandri- 
ua; genero de polypos en- 
thozoarios. 

Mear. n. Mijar. V. Ortnar. Usa- 
se também como activo: — 
la pajuela á alguno (fr. 
fam.); levar a palma a al- 
guém; vence-lo, sobrepuja- 
lo em alguma cousa. Mear 
claro y dos hijas para el me- 
dico (rif.); mijar claro, e dar 
urna figa ao medico. 

]\Ieareada./. (fam.) V. Meada. 

Meatad, Meatade, Meatat. /. 
(ant.) V. Mitat. 

Meato, m. (anat.) Meato, con- 
ducto, passagem, canal do 
corpo. 



MEC 

Meaya./. (ant.) V. Migaja : — 
V. Meaja, moeda antiga. 

Mebókea. /. (hot.) Meborea*, 
genero de plantas da fami- 
lia das euphorbiaceas. 

Mecânica. /. Mecânica ou me- 
chauica; parte das mathe- 
maticas que versa sobre as 
leis do movimento, equili- 
brio e forças motrizes ou 
moventcs. Mecânica, machi- 
iiaria ars: — (fam.) minucia, 
ninharia, bagatella; cousa 
ruim e desprezivel. Bespar- 
vi, nihili: — (fam.) mecha- 
nica; acção vil, ignóbil e in- 
decorosa. So reles, is : — (m il.) 
regimen económico da tro- 
pa, detalhe dos interesses 
dus soldados. Militum rei 
familiaris privata adminis- 
trado. 

Mecanicamente, adv. m. Me- 
chanicamente; de um modo 
mechanico. 

Mecánico, m. Mecânico; pro- 
fessor demechanica, homem 
hábil e versado em mecha- 
nica. Machinarice artis pe- 
ritus : — adj. mechanico ; per- 
tencente á mechanica. Ad 
ingenia et machinas perti- 
nens: — mechanico; diz-se 
das artes que dependem prin- 
cipalmente do trabalho ma- 
nual. Mercenarius, illibera- 
lis: — mechanico, ignóbil, 
indecoroso, vil, abjecto. Sór- 
didas, illihcralis. Artes me- 
cánicas; artes mechanicas. 
2Iovimieníos mecánicos ; mo- 
vimentos mechanicos ou ma- 
chinaos; movimentos em que 
não entra a intelligencia. 
Farte mecánica; parte me- 
chanica; parte pratica de 
uma arte liberal. 

Mecakiquez. /. (aui.) Desprezo 
que antigamente se dava ao 
trabalho manual, íis artes 
mechanicas. 

Mecanismo, m. Mechanismo ; 
estructura de um corpo se- 
gundo as leis da mechanica. 
Sírnctura, ce : — mechanis- 
mo ; modo de obrar uma cousa 
mechanica : — (fig-J mecha- 
nismo; estructura material 
da linguagem, do verso, etc. 

Mecapal. m. (p. JMex.) CLam- 
guiço usado pelos moços de 
frete. 

Mecate, m. (p. Mex.) Cordel 
de pita. 



MEC 

Mecedero, m. V. Mecedor. 

Mecedor, ra. s. Mechedor ou 

mexedur ; o que mexe. In- 

cunabula versans, factans: 

. — mexedor ; instrumento 

jjara mexer o vinho na cuba, 

^0 sabão na caldeira e outras 
cousas idênticas. JRutabu- 
lum, i : — V. Columpio. 

Mecedura./. Mexedura; acção 
de mexer alguma cousa. Ja- 
ctatio, versatio. 

Mecenas, m. Mecenas ; prote- 
ctor das artes, lettras e scien- 
cias e dos sabios e eruditos 
que as cultivam. Mcecenas : 

— homem poderoso, servido 
por outro. 

Mecer, a. Mexer ; mover, agi- 
tar compassadamente para 
uma e outra parte sem mu- 
dar de logar, como quando 
se embala uma cr e anca no 
berço. Usa-se também como 
reciproco. Motare, agitare: 

— mexer ; menear, mover 
um liquido deumapartepara 
a outra para se misturar ou 
enQ.oY^ox2iV. Agitare, miscere: 
(p. Ast.)Y. Ordeñar. 

Mecinopo. m. (zoai.) Meciuopo 
(pé comprido); genero de in- 
sectos coleópteros sub-pen- 
tameros, da familia dos lon- 
gicornes. 

Meco. m. (Mex.) índio selva- 
gem. 

Mecocero. jn. (zool.) Mecocero; 
(antenna comjirida) ; genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros, da familia dos cur- 
culiónidos. 

Mecómetro. m. (cir.) Mecome- 
tro ; instrumento que serve 
especialmente para medir o 
comprimento .do feto. 

Mecon. in. (hot.) V. Adormidera. 

Meconaio. m. (chim.) Meco- 
nato; sal que resulta da 
combinação do acido meco- 
nico com as bases salifica- 
veis. 

Meconela. /. (hot.) Meconella ; 
genero de plantas da familia 
das papaveráceas. 

Mecónico. adj. (chim.) Meco- 
uico; diz-se de um acido 
muito solúvel, que se des- 
cobriu no opio. 

Meconina./. (chim.) Meconina; 
substancia crystallina par- 
ticular que se extrahe do 
ópio. 

Meconio. m, Meconio.V. Alhor- 



MEC 



61 



re: — (pharm.) meconio; sue- 
co que se extrahe da dormi- 
deira. Meconiam, ii. 

Meconitas. /. pi. (zool.) Meco- 
nitas; animaes fosseis, de 
forma globulosa, e do tama- 
nho de um grão de dormi- 
deira. 

Mecopoda. /. (zool.) Mecopoda 
(imta comprida); genero de 
insectos orthopteros, da fa- 
milia dos locustios. 

Mecua. /. Mecha ; torcida, pa- 
vio de candieiro, de vela : 
mecha, isca; materia prepa- 
rada cm que pega o fogo fa- 
cilmente, etc. Ellychnium, 
ii: — mecha; fios torcidos 
que se mettem nas feridas 
ou chagas para suppurar e 
não se fecharem tão facil- 
mente. Linamentum, i: — 
mecha, murrão; pedaço de 
corda desfiado na ponta e 
molhado em breu ou outra 
materia inflammavel com 
que se dá fogo ás peças, 
aos arcabuzes de mecha e 
outras armas. Ignarins res- 
tis : — mecha, lardo ; tirinha 
de toucinho para lardear. 
SvÂllus peniculus : — mecha, 
floco; porção de cabellos, de 
fibras ou de fios separados 
dos outros. Floccus penicu- 
lus : — mecha ; espiga de 
uma tábua para encaixar 
n'outra ; — (ant.) mecha ; 
talo de herva purgante : — 
(naut.) mecha ; peça princi- 
pal sobre que se formam os 
mastros, que depois se for- 
tifica com as chumeas. A lar- 
gar la mecha (fr. fam.); au- 
guieutar a paga. Mercedem 
adaugere : — retardar, delon- 
gar, demorar um negocio ou 
dependencia voluntariamen- 
te para algum fim parti- 
cular. Ducere in longum. 
Aguantar la mecha (fr.); 
aguentar a mexa, soffrer 
contrariedade ou trabalho 
penoso. Hablar de mecha; 
cassoar, mangar, fazer man- 
gaçào. 

Mechar, a. Lardear; introdu- 
zir lardos ou tirinhas de tou- 
cinho na carne das aves ou 
em outras viandas. Suillis 
penicidis transfigere. 

Mechera./. Lardeadeira; agu- 
lha de lardear. Veruculum, i: 
— (naid.) V. Guardamecha. 



62 



MED 



Mechero, m. Mecheiro; canudo 
do bico do candieiro, por 
onde se mette a torcida. 
Lyclini rostrum : — tubo dos 
lustres e castiçaes onde se 
mette a vela. Candelabrís 
tuhus: — (naut.)Y. Guarda- 
mecha. 

Mechificar, a. Escarnecer, 
apupar alguém. 

Mechinal, m. Agulheiro; bura- 
co que se deixa nas paredes 
para se metterem os paus 
que sustentam os andaimes. 
Cavus in muro relictua : — 
(fiff. fam.) quarto pequeno. 

Mechita. /. dim. de Mecha. 
Mechasinha. 

Mkchoacan. m. (bot.) Mechoa- 
cão, ruibarbo branco ; espe- 
cie de plantas, cuja raiz 
branca e leitosa é emprega- 
da como purgante. 

Mechón, m. augm. de Mecha: 
— torcida de cabellos. Ca- 
pillorum flocus : — tufo de 
lã. Flocci lanei glomerati. 

Mechoncillo. m. dim,. de Me- 
chón. 

Mechoso, sa. adj. Que forma 
torcida ou que tem muitas 
torcidas. Flaccosus, a, um. 

Mechusa. /. (germ.) Cabeça. 

Mechuza. /. (fam.) Dinheiro. 

Meda. /. (p. Gol.) V. Hacina. 

Medalla. /. (num.) Medalha, 
numisma; peça de metal, de 
ordinario redonda, em que 
se estampa representação de 
pessoa ou de successo. Nu- 
misma, ce. Estudio de las 
medallas; estudo das me- 
dalhas. V. Numismática: — 
(esc.) medalha; peça de mar- 
more, metal ou madeira, re- 
donda ou oval, que tem es- 
culpida alguma figura em 
meio relevo. Numisma, ana- 
glypha: — (fam.)Y. Doblón 
de a ocho. El reverso de la 
medalla (fr. fig.); o reverso 
da medalha, a medalha do 
avesso; pessoa ou negocio 
representado pelo lado des- 
favorável. Medallas consu- 
lares (hist.); medalhas con- 
sulares; medalhas cunhadas 
no tempo de Mario, de Ju- 
lio Cesar, e sobretudo na 
epocha do triumvirato. 
Medallón, m. augm. de Me- 
dalla. Medalhão; medalha 
grande: — medalhão; caixa 
pequena de oiro ou outro 



MED 

metal, para mettev um re- 
trato ou outras cousas, e 
cuja tampa é commummen- 
te de vidro: — (arch.) me- 
dalhão ou medalha; lavor 
ou baixo relevo de figura 
redonda ou oval, que serve 
de ornato a edificios. Majo- 
ris modi numisma. 

Médano, m. V. Mégano. 

Medaño, m. V. Mégano. 

Medar. a. (p. Gal.) V. Haci- 
nar. 

Medda. /. (pliilol.) Medda ; si- 
gnal, parecido com o accen- 
to circumflexo dos gregos, 
que se põe nas palavras ara- 
bes. 

Meddi. m. (metrol.) Meddi; 
medida de capacidade usa- 
da no Alto Egypto, parti- 
cularmente para vender alú- 
men. 

Medea./. (zool.) Medéa; gene- 
ro de acalephos da familia 
dos beroideos. 

Medero. m. (p. Gal.) Meda de 
feixes de vides. Sarmento- 
rum strues, acervus. 

Media./. Meia; parte da ves- 
tidura que cobre o pé e per- 
na, feita de ponto de ma- 
lha, de lã, linho, algodão ou 
seda, mais usado no plural, 
em portuguez : — meia fan- 
ga; medida: — (ant.) meio. 
V. Mitad: — de arrugar; 
meia de enrugar; meia com- 
prida e estreita que se usa- 
va antigamente como luxo 
e se calçava de maneira que 
fizesse rugas. Tibiale in ru- 
gas complicatum: — con lim- 
pio; expressão que se usa- 
va em Madrid, quando al- 
guma pessoa fazia ajuste 
em certas pousadas, para 
que lhe dessem somente 
meia cama, e por compa- 
nheiro alguém que fosse 
limpo e sem molestias. Le- 
dum cum socio mundo: — 
proporcional (math.); me- 
dia proporcional; quantida- 
de que em uma proporção 
continua serve de conse- 
quente ao primeiro termo, 
e de antecedente ao segun- 
do. Media proportionalis. 

Mediacaña. /. (arch.) Meia-ca- 
na; moldura concava, cujo 
perfil é quasi sempre um 
semicírculo ou pouco menos. 
Canaliculus, i: — (art.) meia- 



MED 

cana; moldura, friso conca- 
vo. Lignea toenia canalicu- 
lata: — meia cana, goiva. 
Scalprum canaliculatum : — 
(art.) meia-cana; lima ou 
grosa, liza de um lado e ar- 
redondada do outro. Lima 
canaliculata : — frisador; fer- 
ro de frisar o cabello. Cala- 
mistrum canaliculatum: — ■ 
(ant.) meia cana; peça aca- 
nalada da armadura, desti- 
nada a cobrir a parte ante- 
rior da perna desde a veri- 
Iha até ao joelho. 

Mediación./. Mediação; acção 
e effeito de mediar. Interpo- 
sitio, onis. Acta de media- 
ción (hist.) ; acta de media- 
ção; acta pela qual foi or- 
ganisada a Suissa no dia 20 
de fevereiro de 1803, con- 
stituindo uma confederação 
composta de dezoito cantões, 
6 regida por uma dieta na- 
cional. 

Mediado, da. àdj. (ant.) Diz-se 
do que se acha em metade 
da sua vida : — m. pi. mela- 
do; a metade de um tempo 
determinado, como: a me- 
diados de enero, etc.; no 
meiado, pelo meiado de ja- 
neiro. Mediados gallos (loe. 
adv. ant.); ao cantar dos 
gallos; ao amanhecei', ao 
romper do dia. 

Mediador, ra. s. Mediador, 
medianeiro; pessoa que in- 
terpõe a sua mediação : — 
arbitro: — mediador, media- 
neiro, intercessor : — (hist.) 
mediador; ministro de esta- 
do que, em tempo dos im- 
peradores de Constantino- 
pla, tinha a seu cargo o go- 
verno interior do palacio. 

Median, m. Median; moeda 
áurea da Bei'beria, do valor 
de cincoenta apres. 

Mediana./. Assem; carne da 
espádua que está immediata 
á agulha e pescoço da rez. 
Caro inter costas et collum : 
— meiado ; diz-se do pão de 
qualidade intermedia entre 
o pão fino e o de rala. Cha- 
ma-se pan de mediana, em 
castelhano. Secundiis, secun- 
darius panis : — (agr.)Y. 
Barzón. 

Medianamente, adv. m. Media- 
namente, mediocremente ; 
Mediocriter: — medíocre- 



MED 

mente; ast^im, assim, não 
muito bem. 

Medianedo. m. (ant.) Linha em 
que se põe a linda ou mar- 
co divisorio de algum terre- 
no ou campo. 

Medianería. /. Divisoria, pa- 
rede meia; a parede que é 
commum a duas casas con- 
tiguas : — (ant.j V. Media- 
nia. Por medianería (loe. adv. 
ant.); por meio, pelo meio. 
Per, propter. Pozo de me- 
dianería; poço de meias, que 
pertence a dois senhores. 

Medianebo, BA. adj. Medianei- 
ro ; que interpõe a sua me- 
diação, que intercede por 
alguém. Deprecator, depre- 
catorix: — (ant.) mediano; 
dizia se da pessoa de medio- 
cre posição e fortuna. Me- 
diocris, mediocri fortuna 
fruens: — medio, interme- 
dio ; diz-se da cousa que me- 
deia entre duas outras. Me- 
dius, intermedius : — (ant.) 
V. Media: — (ant.) y . Me- 
diano : — m. o dono de uma 
casa contigua a outra. Mu- 
ri cum aliis communis do- 
minus. Pared medianera. V. 
Pared. 

Medianeza./. (ant.) V. Media- 
nia. Mediocritas, atis. 

Medianía. /. Mediania, medio- 
cridade; estado medio de 
grandeza, bondade, etc. de 
uma cousa. Mediocrífas, mo- 
deratio: — mediania, medio- 
cridade ; estado medio entre 
a abundancia e a pobreza: 

— mediania, moderação ; 
temperança, comedimento 
na execução de alguma cou- 
sa, evitando os extremos: — 
meio; ponto medio de uma 
cousa. 

Medianidad. /. V. Mediania. 

Medianil, m. (agr.) Parte de 
um terreno arável que está 
entre a baixa ou sulco e o 
camalhão ou leiva. 

Medianista. m. Estudante da 
quarta classe da grammati- 
ca. Quartce classis scholaris 
grammaticus. 

Mediano, na. adj. Mediano, 
mediocre, meão; entre o 
grande e o pequeno, entre o 
bom e o mau. Mediocris, e : 

— m. pi. quarta classe da 
grammatica. Grammaticx 
quarta classis. 



MED 

Mediante, adj. Mediante; que 
medeia. Medius interveniens: 

— adv. m. mediante; por 
meio de, em attenção, por 
via de. Grafia, opera: — 
adv. m. mediante, com a 
ajuda de, v. g.: mediante 
Dios ; mediante, com a aju- 
da de Deus, se Deus qui- 
zer. Mediante usted, lo con- 
seguiremos ; mediante vós, 
por meio de vós, consegui- 
lo-hemos. 

Mediab. n. Mediar ; ser media- 
neiro ou mediador. Interce- 
deré, interloqui : — mediar, 
intervir, metter-se de per- 
meio, entre dois ou mais pen- 
denciadores para os apar- 
tar e reconciliar. Intercede- 
ré : — mediar ; estar no meio 
de duas cousas. In medio 
esse vel situm esse: — a. 
(ant.) tomar um termo me- 
dio entre dois extremos ; — 
tomar a metade ou fazer a 
metade de alguma cousa : — 
chegar a metade de alguma 
cousa, real ou figuradamen- 
te. Médium attingere. 

Mediastinitis. /. (med.) Me- 
diastinitis ou mediastinite ; 
inflammação do mediastino. 

Mediastino, m. (anat.) Medias- 
tino ; septo ou tabique mem- 
branoso formado pela união 
das duas pleuras, que divide 
o peito em duas partes : — 
dei escroto; mediastino do 
escroto ; membrana formada 
pela união de ambos os dar- 
tos : — adj. (anat.) medias- 
tino ; diz-se do que pertence 
ao órgão do mesmo nome : 

— (bot.) mediastino; divisão 
transversal muito delgada, 
que nas plantas cruciferas 
separa o fructo em duas 
partes. 

Mediatamente, adv. l. e t. Me- 
diatamente ; por meio de ou- 
tra pessoa ou cousa inter- 
mediaria. Medíate. 

Mediato, ta. adj. Mediato ; diz- 
se do que medeia, que tem 
relação com outra cousa por 
um intermediario. Media- 
tus, a, um. 

Mediatob. m. Arrenegada; jo- 
go de cartas. 

Mediatorista. s. o que sabe 
jogar bem a arrenegada. 

Medicable, adj. Medicavel , 
curavel; diz-se do que é 



MED 



63 



susceptível de cura por 
meio da medicina. Medica- 
bilis, le. 

Médicamente, adv. m. Medica- 
mente; segundo os precei- 
tos da medicina. 

Medicamento, m. Medicamen- 
to ; qualquer remedio inter- 
no ou externo que se appli- 
ca ao doente para lhe res- 
tabelecer a saúde. Medica- 
mentum, i. 

Medicamentoso, sa. adj. Medi- 
camentoso; diz-se do que 
tem propriedades curativas. 

Medicab. a. (ant.) Medicar. V. 
Medicinar. 

Medicastro, m. Curandeiro, 
mezinheiro, charlatão ; o que 
se inculca por medico ou 
entendido em medicina sem 
ter sciencia alguma. Medi- 
caster: — matasanos ; medi- 
co ignorante e sem expe- 
riencia. Medicaster. 

Mediceo, cea. adj. Mediceo; 
diz-se do que se refere aos 
Medicis, á sua influencia, 
ao seu tempo. Biblioteca me- 
diceo-laur entina ; bibliothe- 
ca mediceo-laurentina ; cele- 
bre bibliotheca fundada em 
Florença por Lourenço de 
Medicis. Planetas mediceos 
(astron.); planetas medi- 
ceos; nome dado aos satel- 
lites de Júpiter por Galileo, 
cujo protector era um dos 
Medicis. 

Medicina. /. Medicina; scien- 
cia que tem por fira preve- 
nir e curar as doenças, es- 
pecialmente as internas. Me- 
dicina, ce: — medicina. V. 
Medicamento : — medicina. 
V. Terapéutica. 

Medicinable, adj. V. Medica- 
ble. 

Medicinal, adj. Medicinal; 
diz-se propriamente do que 
tem virtude curativa. Me- 
dicinalis, le : — medicinal ; 
pertencente á medicina. Me- 
dicinalis, le : — m. (bot.) me- 
dicinal; genero de plantas 
da familia das euphorbia- 
ceas. 

Medicinante, adj. Estudante 
de medicina, o que curea 
esta faculdade. 

Medicinae. a. Medicinar, me- 
dicar; applicar medicamen- 
tos, tratar doentes, dirigir 
o curativo. Medicari, medi- 



64 



MED 



cinain adhibere. Usa-se tam- 
bém como reciproco. 

Medición. /. Medição; acçào 
de medir. 

Mkdico, ca. adj. Medico •, diz-se 
do que respeita á medicina. 
Medicus, a, um: — m. medi- 
co; homem versado na me- 
dicina, que a pratica. Medi- 
cus, i:—de apelación; me- 
dico chamado para as con- 
sultas e casos graves. Medi- 
cus in gravi jjericulo consul- 
tus: — d.e cabecera; medico 
assistente; o que visita re- 
gularmente o enfermo: — 
espiritual ; medico espiri- 
tual ; director, confessor, sa- 
cerdote que dirige a con- 
sciência de alguém. Spiri- 
tiialis medicAis. Médicos de 
]'alencia haldas largas y 
2ioca ciencia (rif.J; médicos 
de Valencia, grandes fral- 
das, pouca sciencia; não é o 
habito que faz o monge :^- 
adj. (hist. aut.) diz-se do que 
pertence á Media ou aos me- 
das e também aos persas, 
ás vezes chamados medas. 
Guerras médicas; guerras 
medicas; as que os persas 
fizeram aos gregos no sécu- 
lo V antes de Jesus Christo. 

Medida. /. Medida; grandeza 
determinada e conhecida de 
que nos servimos para me- 
dir outras grandezas : — me- 
dição; acçào de medir. Men- 
sura, mensio: — medida; 
fita da altura da imagem de 
algum santo, que trazem os 
devotos à'ç\\Q. Mensura, vit- 
ta mensuralis : — medida; 
proporção ou corresponden- 
cia de uma cousa com outra, 
e assim se diz que se paga 
el jornal a medida dei tra- 
bajo; paga-se o jornal á me- 
dida do trabalho: — medida, 
disposição, prevenção. Mo- 
dus,proportio, ratio :—(fig.) 
medida, juizo, cordura, pru- 
dencia, e assim se diz : lia- 
bló con medida; fali ou com 
medida, com acerto. Modus, 
ratio. A medida dei deseo 
(loe. adv.J; á medida do de- 
sejo; conforme o que so de- 
sejava. Ex senfentia, éx vo- 
to. A medida 6 a sabor de su 
paladar (loc. adv.); á medi- 
da do seu gosto. Ad gratiam 
vel voluntatem alicicjus quce 



MED 

ad ejus palatum faciunt, 
svggerere, eveúire. Descon- 
certársele a uno las medidas 
(fr.J; transtornar-se as me- 
didas, os planos. Viam proi- 
cluãi, speni amitti. Llenar o 
encMr las medidas (fr. fig.); 
encher as medidas; desem- 
penhar, corresponder satis- 
factoriamente aos desejos de 
alguém: dizer a alguém li- 
vre 6 francamente a sua 
opinião ou sentiñientos, sem 
refolho nem adulação. Em 
sentido contrario toma-se 
por adular em excesso. Par 
pari referve; ad summum 
extolere. Tomar a alguno las 
medidas (fr. fig.); fazer in- 
teiro juizo de alguém. Alte 
caliere aliquem vel mctiri. 
Tomar la medida (fr.); to- 
mar medida; medir a exten- 
são e largura de uma cousa 
para o acerto de alguma 
obra, como fazem os alfaia- 
tes, sapateiros, pedreiros, 
etc. Mensuras notare. Tornar 
sus medidas (fr. fig.); tomar 
as medidas ou as suas me- 
didas; examinar, calcularos 
meios antes de obrar. Ba- 
tionem sibi prefigere res me- 
ditari: — (art.) medida; re- 
guametallica graduada, com 
que os chapelleiros tomam 
medidas : - medidas ; tira de 
carneira ou de pellica divi- 
dida e numerada convenien- 
temente, com que os alfaia- 
tes e modistas tomam as me- 
didas dos vestidos: — (math.) 
medida, parte aliquota; cer- 
ta quantidade ou numero que 
sendo repetido muitas vezes 
iguala outra grandeza, a que 
se refere; y. g., quatro é a 
medida de vinte repetindo- 
se cinco vezes. Dimensio, 
mensura: — medida; quan- 
tidade geométrica que cabe 
em outra certo numero de 
vezes, sobretudo quando nâo 
ha restos ou fracções : — de 
un ángulo; medida de um an- 
gulo; grandeza do arco que 
lhe corresponde : — (metrol.) 
medida; quantidade tomada 
por termo de comparação e 
que serve para avaliar a 
grandeza de outras quanti- 
dades do mesmo genero. Di- 
videm-se em medidas de ex- 
tensão, de capacidade, de 



MED 

superficie e de peso: — (mus.) 
medida, compasso, cadencia, 
tempo: ■ — (poet.) medida; 
cadencia dos versos; o nu- 
mero dos i^és dos versos gre- 
gos e latinos, e das syllabas 
dos hespanhoes e portugue- 
zes. 

Mkdidamexte. adv. m. Medida- 
mente; com medida, mode- 
ração ou de um modo pro- 
porcionado. Ad mensuram, 
modérate. 

Medidor, ra. s. Medidor; o 
que mede alguma cousa. 
Mensor, metitor: — de tier- 
ras; medidor de terras, agri- 
mensor. V. Agrimensor. Fiel 
medidor; medidor; o que em 
cada povo tem a seu cargo 
assistir á medição das cou- 
sas que pagam direito de 
exjíortação. JEquitatis in 
mensuris consercator: — /. 
2}l. (zool.) medidoras; nome 
dado a certas lagartas que 
em vez de andarem de ras- 
tos e fazendo ondulações, 
avançam salvando distan- 
cias cie igual comprimento. 

Mediero, ra. adj. Meeiro, meiei- 
ro; fabricante, concertador 
ou vendedor de meias. Ca- 
ligidariíis, ii: — (p. Ar.) 
meeiro, meieiro; o que vae 
de meias com outro na ad- 
ministração de terras ou na 
creação de gados. Dimidii 
sortis socius, consors: — 
meeiro, meieiro ; o que cul- 
tiva uma fazenda ou herda- 
de utilisando-se da metade 
dos productos e dando a ou- 
tra metade ao dono. 

Medin. m. Medin; moeda de 
Turquia. 

Medio, dia. adj. Meio; que 
contém metade de alguma 
cousa, como: medio duro; 
meio duro ou meia piastra. 
Medias, dimiãius : — meio ; 
que não está perfeitamen- 
te concluido, como: medio 
asado; meio assado. Semi: 
— medio; que está entre 
dois ou mais extremos, e é 
termo divisorio entre o gran- 
de e o pequeno, o bom e o 
mau, o passado e o futuro, 
etc., como: la clase media 
de la sociedad, la edad me- 
dia, etc.; a classe media da 
sociedade, a idade media, 
etc: — m. meio; parte, pon- 



MED 

to igualmente distante dos 
s£us extremos. Aíedium, ri: 
— meio, expediente; traça, 
modo ¡lara conseguir o in- 
tento, para caminhar em nm 
i\cgocio.Modus,via : — meio; 
diligencia on acçào conve- 
niente para conseguir algu- 
ma cousa. Médium, ii: — V. 
Mellizo, Gemelo: — meio, 
termo medio; moderação en- 
tre os extremos, tanto no 
pbysico como no moral, il/e- 
dium, ii: — adv. meio, por 
metade, como : medio madu- 
ra; meio madura: — pi. 
meios, teres, capital, renda 
ou fazenda que se possue ou 
gosa. Facidtates, opes. A me- 
dias (loc. adv.); ao meio, por 
metade, tanto a um como a 
outro. Ex íequo vel media 
parte.: — meio, semi; um pou- 
co, não de todo, como: dor- 
mido a medias, abierto a me- 
dias; meio a dormir, meio 
aberto, semi aberto, etc. 
Atrasado de medios (fr.); 
atrazado ou alcançado em 
meios; diz-se de quem está 
pobre, e especialmente de 
quem já teve meios ou bens. 
Egestate laborans. Corto de 
medios (fr.); falto de meios; 
o que carece de meios ou 
pouco temdeseu.J/io^Js, ege- 
niis. De medio a medio (fr.); 
de meio a meio, pelo meio; 
completamente, de alto a 
baixo. Echar por en medio 
(fr. fig.); tomar algum meio, 
partido ou resolução extra- 
ordinaria para sair de algu- 
ma difliculdade. Lubricam 
viam audacter arripere. En 
media (loc. adv.); era meio, 
no meio; em logar igual- 
mente distante dos extremos 
ou entre duas cousas. In me- 
dio: no meio, não obstan- 
te, sem embargo, como: en 
medio de eso; no meio d'is- 
so, não obstante isso. Hoc 
non obstante, verumtamen, 
nihilhominus. Las medias; 
a metade. Meterse en medio 
ó de por medio (fr.); metter- 
se de por meio, interpor-se; 
interceder para conciliar al- 
guma pendencia, para apa- 
ziguar alguma rixa ou dis- 
cordia. Intercederé, sese in- 
ierponere. Parir a medias 
r/»'- fiyOi ajudar alguém 



MED 

n'uma empreza difficil, em 
algum trabalho, suavisan- 
do-o. JEquo nixu laborare. 
Ponerse de por medio o en 
medio (fr.); intervir; mediar 
entre as partes para as con- 
ciliar em alguma questão. 
lnlerccãere,intervenire,com- 
poneré lites. Quitar de en 
medio ó del medio (fr.); dcs- 
embaraçar-sede alguém, ma- 
tando-o ou afastando-o para 
longe. Tolere de medio. To- 
mar el medio ó los medios 
(fr.); tomar os meios, as me- 
didas, as providencias; pôr 
em pratica os meios para 
conseguir algum fim. Modis 
vel viis uti, vel viam aut 
modum cligere: — (philos.) 
meio ; rasâo com que se pro- 
va alguma cousa collocada 
artificiosamente no syllogis- 
mo. Médium logicum. Medio 
jurásico (geol.); meio jurá- 
sico; o que comprehende 
terrenos ooliticos interme- 
dios : — (mus.) meio ; posição 
entre os extremos, na exten- 
são de luna voz ou de um 
instrumento equidistante do 
grave e do agiido : — tono 
(mus.) V. Semitono. Justo 
medio (polit.); justo meio; 
nome dado a um systema de 
governo que participa do 
monarcliico puro e do demo- 
crático. 
Mediocre, adj. Mediocre. V. 

Mediano. 
Mediocridad. /. Mediocridade, 
mediania; qualidade do que 
é mediocre, estado de urna 
cousa entre grande. e peque- 
no, entre bom e mau. Me- 
diocritas, atis. 
Mediodía, m. Meiodia; hora 
em que o sol se acha no pon- 
to mais alto do seu curso 
diurno. Hora meridiana, 
meridies : — (ff^'-og-) meio- 
dia, o sul; parte do mundo 
opposta ao septentrião. Ans- 
trulis regio: — meiodia, 
a hora de jantar: — sul; 
vento do meiodia, opposto 
á tramontana ou Aento nor- 
te. Ausfer, ri. Hacer medio- 
día (fr.); tomar refeição ao 
meio dia, quando se faz jor- 
nada. Ad meridiem in itine- 
re subsisíere. 
Mediopaño, m. Meio panno; 
I tecido de lã. 



MED 



65 



Medir. a. Medir; examinar, 
verificar a grandeza ou ex- 
tensão de alguma cousa, 
usando para isso de medi- 
das appropriadas. Metiri: — 
medir, examinar o numero e 
quantidade das syllabas bre- 
ves ou longas de que deve 
constar o verso. Metiri, scan- 
dcre versus: — (fig.) medir; 
igualar, comparar, propor- 
cionar alguma cousa im- 
material com outras; v. g. : 
medir las fuerzas, etc. ; me- 
dir as forças. Metiri, aliqtdd 
cum aliquo comparare: — 
medir, moderar, v. g. : me- 
dir las acciones, la conducta ; 
medir, moderar as acções, a 
conducta : — r. (fig.) come- 
dir-se, moderar-se; conter- 
se em dizer ou executar al- 
guma cousa. Moderari: — 
r. medir-se com alguém, 
competir, entrar em compe- 
tencia, brigar: — el suelo; 
medir o chão com o corpo; 
estender-se no chão para 
descansar ou por motivo de 
queda. Procumhere , solo 
cequari: — a uno con la vis- 
ta (fr.); medir alguém com 
a vista, com os olhos; olha- 
lo attentamente e com in- 
sistencia: — el cuerpo, las 
costillas ó las espaldas a al- 
guno (fr.) ; medir o corpo, 
as costellas ou o lombo a 
alguém; zurzi-lo, bater-lhe: 
— el tiempo; medir o tem- 
po; aproveita-lo. 
Meditabundo, da. adj. Medita- 
bundo, cogitabundo, pensa- 
tivo; diz-se da pessoa que 
medita, cogita, reflexiona em 
silencio. 
Meditación. /. Meditação; ac- 
ção e efí'eito de meditar. 
Meditatio, onis: — (reí.) 
meditação; oração mental, 
ou consideração dos myste- 
rios e das grandes verdades 
da fé. Sacra meditatio: — 
(litt.) meditação; diz-se de 
alguns escriptos compostos 
sobre assumptos de devoção 
ou de philosophia, como as 
meditações de Descartes, de 
Santa Thereza, etc. 
Meditacioncilla. /. dim. de 
Meditación . Breve , curta 
meditação. 
Meditador, ra. s. Meditador; 
o que medita, que é dado 



66 MED 

á meditação: — id. (phil.) 
meditadores ; philosophos 
práticos do principio do sé- 
culo XIX, que haviam ado- 
ptado o trage oriental, e re- 
duziam a uma percepção 
meditada o prazer do bello, 
tanto na natureza como nas 
artes. 
Meditar, a. Meditar; conside- 
rar com attenção, applicar 
a mente a um objecto ou se- 
rie de idéas. Mente volvere: 

— (rei.) meditar; fazer a 
meditação, considerar e dis- 
correr intellectualmente so- 
bre algum mysterio da fé 
christã ou materia moral, 
para aproveitamento e fru- 
cto espiritual. Meditari, di- 
vina contemplari. 

Mediterráneo, nea. adj. Me- 
diterrâneo; diz-se do que 
está encerrado entre terras, 
no meio de duas terras, co- 
co: mar Mediterrâneo ; mar 
Mediterrâneo . Mediferra- 
neus, a, um. 

Medo, da. adj. Medo; diz-se 
do que é pertencente á Me- 
dia: — s. meda; o natural 
da Media, região da Asia: 

— m. (philol.) meda; um 
dos quatro priucipaes idio- 
mas do antigo imperio dos 
persas. 

Medra. /. Medra; augmento, 
melhora, adiantamento ou 
progresso de alguma cousa. 
Profectus, progressus, in- 
crementum. 

Medranza. /. (ant.) Medrança. 
V. Medra. 

Medrar, n. Medrar, crescer, 
nutrir, ter augmento, os ani- 
maes e plantas. Crescere, 
progressum faceré : — (fig.) 
medrar; melhorar de fortu- 
na, prosperar. 

Medraschim. m. Medraschim; 
nome que os judeus appli- 
cam ás interpretações alle- 
goricas da Sagrada Escri- 
ptura. 

Medros, m. pi. Progressos, me- 
drança, adiantamentos. In- 
crementa, orum. 

Medrosamente, adv. m. Medro- 
samente, temerosamente, ti- 
moratamente; com medo. 
Timidh, meticulosh. 

Medrosía. /. (ant.) Medo con- 
stante. Formido, inis. 

Mbdrosillo, lla. adj, dim. de 



MEE 

Medroso. Medrosinho ; um 
tanto medroso. 
Medroso, sa. alj. Medroso, te- 
meroso, timorato. Timidus, 
pusillanimis : — medonho, 
pavoroso, horrivel. Horrtn- 
dus, formidolosus. 
Medula. /. (anat.) Medulla, 
tutano dos ossos; substan- 
cia oleosa contida dentro 
dos ossos dos animaes. Me- 
dulla, ce : — espinal (anat.); 
medulla espinal ou espinhal; 
os cordoes e polpa nérvea 
que nasce do cerebro e está 
contida no canal vertebral 
do homem e dos animaes. 
Medulla sjñnalis : — (bot.) 
medulla; miolo das plan- 
tas, que se encontra no tron- 
co das dicot} ledoneas, e que 
occupa o centro das inoiío- 
cotyledoneas. Medulla, w : 
— (min.) medulla ; nome da- 
do em geral a muitas sub- 
stancias de consistencia res- 
valadiça e terrosa, e de côr 
branca, que se hão compa- 
rado á medulla dos vege- 
taes: — nó da piçarra: — 
(fig.) medulla; substancia 
principal de alguma cousa 
immaterial. 

Medular, adj. (ant.) Medullar; 
diz-se do que respeita ou 
pertence á medulla. Medul- 
laris, re. Canal medidar: — 
(bot.) canal medullar; cavi- 
dade cyliudrica e cheia de 
medulla, que occupa o cen- 
tro do tronco das plantas 
dicotiledóneas. 

Medulina. /. (chim.) Medulli- 
na; medulla dos vegetaes, 
particularmente a do sabu- 
gueiro e a do heliantho. 

Meduloso, sa. adj. Medulloso; 
que tem medulla. Medidlo- 
sus, a, um. 

Medusa. /. (bot.) Medusa. V. 
Comersonia: — (zool.) me- 
dusa; genero de acalephos, 
typo da familia dos medu- 
sarios. 

Medusarios. m. pi. (zool.) Me- 
dusarios; familia de acale- 
phos. 

Mbedade. /. (ant.) Y. Mitad. 

Meester. m. (ant.) V. Menes- 
ter. 

Meeting. m. (polit.) Meeting; 
palavra ingleza que se em- 
prega para designar uma 
reunião popular, com o ob- 



MEO 

jecto de deliberar e discu- 
tir sobre um assumpto poli- 
tico, ou sobre uma questão 
importante que interessa a 
nação. 
Mefítico, ca. adj. Mephitico, 
infecto, viciado, corrupto, 
não respirável, que mata; 
diz-se particularmente do ar 
n'esías condições. JSIephiti- 
ticus, a, iim, 
Megaderma. /. (zool.) Mega- 
derma (¡ielle grande); gene- 
ro de mammiferos cheiro- 
pteros, da familia dos ves- 
pertilios. 
Mega-electrómetro. m. (phys.) 
Mega-eleetrometro; instru- 
mento próprio para conhe- 
cer e medir quantidades con- 
sideráveis de electricidade. 
Megagnato. m. (zool.) Mega- 
gnatho (mandíbula grande); 
genero de insectos coleópte- 
ros tetrámeros, da familia 
dos xylophagos. 
Megajenio. m. (zool.) Megage- 
nio (face grande); genero 
de insectos coleópteros he- 
teromeros, da familia dos 
melasomos. 
Megalocele. m. (med.) Mega- 
locele ; augmento de volume 
no ventre. 
Megalodero. m. (zool.) Mega- 
lodero (pescoço grande); ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
malacodermes. 
Megalofonia. /. (med.) Mega- 
lophonia; augmento da voz 
nos doentes. 
Megaloftalmo. m. (zool.) Me- 
galophtalmo (olho grande); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos malacodermes. 
Megalografía. /. Megalogra- 
phia; nome dado pelos an- 
tigos á arte de desenhar e 
pintar assumptos grandio- 
sos e elevados, como bata- 
lhas, amores dos deuses, etc. 
MegalogrÁfico, ca. adj. Me- 
galographico; diz-se do que 
se refere á megalographia. 
Megalógrafo. m. Megalogra- 
pho; o que pratica ou exer- 
ce a megalographia. 
Megalónice. m. (zool.) Mega- 
lonyce ou megalonyx (unha 
grande); genero de mammi- 
feros fosseis, da familia dos 
megatheridos. 



MEG 

Megalopo. m. (zool.) Megalopo 
(olho grande); genero de 
crustáceos decapodas : — 
megalopo; genero de peixes 
Bfialacopterygios abdomi- 
naes : — megalopo ; genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros, da familia dos bra- 
chelytros. 

Megapolitano, na. aâj. Mega- 
politano; jiertencente a Me- 
gapolis e a sens habitantes: 
— s. megapolitauo; o natu- 
ral de Megapolis. 

Megalosplancnia./. fmecZ jMe- 
galosplanchnia; nome dado 
aos tumores que se desen- 
volviam nas visceras abdo- 
minae?, e que eram estra- 
nhos á prenhez. f 

Megalosplenia. /. (med.) Me- 
galosplenia; augmento de 
volume do baço, sem dureza. 

Megalostilo. m. (zool.) IMega- 
lostylo (chicote grande); ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
carabicos. 

Megambre. m. (ant.) V. Ver- 
degambre. 

Megámero. m. (zool.) Megame- 
ro (coxa grande); genero de 
insectos coleópteros subpen- 
tameros, da familia dos eu- 
podas : — megámero ; genero 
de arachnidos da ordem dos 
acáridos. 

Megámetro. 77?. Megametro; 
instrumento astronómico pa- 
ra determinar as distancias 
que ha entre os astros, e que 
em náutica se emprega pa- 
ra fixar as longitudes. 

Mégano. m. Porção de areia á 
borda do mar. 

MegÁpoda. /. (zool.) Megapoda 
(pé grande); genero de in- 
sectos dípteros brachoceros. 

Megariano, na. adj. Megaren- 
se; pertencente á cidade de 
Megara, e a seus habitan- 
tes: — s. megarense; o na- 
tural de Megara. 

MegÁrico, ca. adj. Megarico. 
Y. Megariano:— (phil.) me- 
garica; diz-se de uma escola 
de philosophia fundada em 
Megara por Euclides. 

Megarino. m. (zool.) Megarhi- 
no (nariz grande); genero de 
insectos coleópteros tetrá- 
meros, da familia dos curcu- 
liónidos. 

Megascolexo. m. (zool.) Me- 



MEJ 

gascolexo (grande lombri- 
ga); genero de annelidos, 
da familia das lombrigas. 

Megascopo. m. (phys.) Mcgas- 
copo; instrumento que serve 
para ver os objectos em pon- 
to grande e com muita pre- 
cisão. 

Megastaqüia. /. (bot.) Megas- 
tachia; genero de plantas 
grammineas monocotjledo- 
ncas. 

Mege. m. (ant.) V. Médico. 

Mego, ga. adj. Meigo, brando, 
afí'ectuoso, carinhoso, fa- 
gueiro, ti'atavel. Placidns, 
mansutius, 

MEGOPE.7n.f20oZ.jMegopefoZÃo 
grande); genero de insectos 
coleópteros tetrámeros, da 
familia dos curculiónidos. 

Meiatat. /. (ant.) V. Mitad. 

Meibomina. / (a»at.) Meibomi- 
na; secreção das glándulas 
palpebraes. 

Meidía. /. (a7it.) V. Mediodía. 

Meismo. pron. piess. (ant.) V. 
Mismo. 

Meisneria. /. (bot.) Meisneria; 
genero de plantas da fami- 
lia das melastomaceas. 

Meisters^kgers. m. pl. (Utt.) 
Meisterstengers, isto é, mes- 
tres cantores; corporação de 
poetas e músicos allemSes, 
que substituíram os minnes- 
gengers, ou menestréis no fim 
do seciilo XV. 

Meitad. /. (ant.) V. Mitad. 

Mejana. /. (p. Ar.) Ilhota. 

Me je. m. (ant.) V. Médico. 

Mejear. a. (ant.) Curar, medi- 
car. 

Mejicano, na. adj. Mexicano; 
diz-se do que pertence ao 
México : — s. mexicano ; o 
natural do México. 

Mejitio. m. Gemmada; gem- 
ma de ovo batida com agua 
e assucar. Ova saccharo sub- 
acta commistaque. 

Mejilla. /. Face; parte do ros- 
to humano que forma uma 
proeminencia de cada lado, 
por baixo dos olhos. Maxi- 
lia, ce. 

Mejillón, m. (zool.) Mexilhão; 
marisco vulgar, comestível 
mas pouco saudável. 

Mejisquia. m. (zool.) Mejischia 
(coixa grande); genero de 
insectos coleópteros hetero- 
meros, da familia dos xys- 
trópidos. 



MEJ 



67 



Mejor, adj. (comp.) Melhor; 
que é superior em qualida- 
de, natural ou moralmente. 
Melior, ?/s ; — adv. m. me- 
lhor; mais bem, mais justa- 
mente. Melins, commodius: 

— que mejor (fr.); muito 
melhor, xi lo mejor (fr.); no 
melhor da festa, quando me- 
nos se espera. Llevar lo me- 
jor (fr.); levar a melhor; 
avantajar-se, saír vencedor. 

Mejora./. Melhora, medra, me- 
lhoria ; adiantamento, melho- 
ramento, augmento de algu- 
ma cousa. Boni accessio vel 
incrementnm: — V. Puja: — 
(for.) melhoramento, melho- 
ria, bemfeitoria em edificio, 
herdade, fazenda, etc. : — 
(for.) interposição de recur- 
so: — vantagem, commodo; 
o que um pae dá a um ou 
mais filhos em difiPerençados 
outros na partilha: — ampli- 
ficação. 

Mejoramiento, m. Melhora- 
mento; acção de melhorar 
alguma cousa. Incrementum, 
profectus. 

Mejorana./. Mangerona, plan- 
ta. 

Mejorar, a. Melhorar; mudar 
para melhor, pessoa ou cou- 
sa, fazer melhor o estado, a 
condição de alguém. Incre- 
mentum dare, in melius mu- 
lar e:— Y . Pujar: — n. me- 
lhorar; ir cobrando a saúde 
perdida, restabelecer-se da 
doença. Melius se habere. 
Usa-se também como reci- 
proco: — melhorar; ir para 
melhor o tempo, pôr- se mais 
ameno e favorável : — melho- 
rar; mudar para melhor es- 
tado, logar, cargo, condição 
ou posição. Ampliorem gra- 
dum occvpare. Mejorado en 
tercio y quinto (fr. fig); 
melhorado, mui avantajado 
e preferido a outro. Pr(s- 
excellens, entis: — avanta- 
jar, beneficiar por disposi- 
ção tastamentaria a um ou 
inais dos filhos em prejuízo 
dos outros. Filio alicui proi- 
cipue legare vel prcetegare : 

— la apelación (for.); in- 
terpor recurso : — la ejucu- 
cion; amplificar a sentença 
ou execução, a pedido da 
parte, quando esta receia 
de que os bens do devedor 



68 



MEL 



não sejam sufficientes para 
satisfação de toda a sua res- 
ponsabilidade. 

Mejoría. /. Melhoria. V. Me- 
jora, na primeira accepção. 
Bo7ii accessio vel profechis : 
— melhoria, melhora; alli- 
vio no estado do doente, 
progresso para a sua cura. 
Morhi remissio, relaxatio : 
— melhoria; augmento, pro- 
gresso, superioridade de uma 
cousa a respeito de outra. 
Por mejoría mi casa dejaría 
(rif.J; por melhoria minha 
casa deixaria: — (for. ant.) 
V. Mejora. 

Mejunje, m. (fam.J Mistura, 
de diversos ingredientes. 

Mekhitauistas. m. pi. (rei.) 
Mekhitaristas; sabios mon- 
ges armenios, estabelecidos 
na ilhota de S. Lazaro, per- 
to de Veneza. 

Melaconisa. /. (min.) Melaco- 
nisa; nome de um oxydo ne- 
gro de cobre, que parece ser 
o resultado da decomposi- 
ção dos sulphatos e dos car- 
bonatos de cobre. 

Melada. /. Torrada, fatia de 
pão tostada ao lume e em- 
bebida cm mel. Panis se- 
gmentum mellitum: — (prov.) 
ladrilhos de marmellada ou 
pedaços de marmellada. Ma- 
lorum ci/doniorum saccharo 
conditorum frustiim. 

Meladehmia. /. (med.) Mela- 
dermia; côr negra que vem 
á pelle. 

Melado, da. adj. Melado; diz- 
se do que é de côr de mel, 
regularmente dos cavallos 
que têem o i)ello castanho 
claro. Mellimis, mellei colo- 
ris : — (a7it.) melado, doce, 
mellifluo: — m. (p. Cub.) 
melado; o sumo da canna 
de assucar próximo a crys- 
tallisar-se. 

Meladuciia./. (agr. prov.) Ma- 
çã farinheuta das fronteiras 
de Aragão e de Castella. 
Pomi varietas. 

Meladura. /. (p. Cub.) Mela- 
do; sumo da canna doce li- 
quido e purificado. 

Melagastro. adj. (zool.) Mela- 
gastro; diz-se do animal que 
tem o ventre negro. 

Melaina./. Mclaina; materia 
colorante negra da tinta dos 
molluscos cephalopodes ; — 



MEL 

melaina; pigmento da cho- 
roidea e da pelle dos negros. 

Melaleuca. /. (bof.) IMelaleu- 
cha (branco e preto); genero 
de plantas da familia das 
myrtaceas. 

Melanagogo, ga. adj. (med.) 
Melanagogo; diz-se do me- 
dicamento próprio para pur- 
gar a bilis negra. 

Melananto, ta. adj. (bol.) Me- 
lanantho ; que tem flores ne- 
gras. 

Melanclorosis. /. (med.) Me- 
lanchlorosis; ictericia que 
dá á pelle uma côr ama- 
relia denegrida ou esvcrdi- 
nhada. 

Melancolía./. Melancolia; bi- 
lis negra ou atrabilis. Atra- 
bilis, is: — melancolia, hy- 
pocondria; tristeza profun- 
da e permanente produzida 
pela bilis negra, e que faz 
com que o melancólico viva 
n'um desgosto e enfado con- 
tinuo. Melancholia, viceror. 

Melancólicamente, orfy. m. Me- 
lancolicamente, tristemen- 
te; com melancolia, com 
tristeza. 

Melancólico, ca. adj. Melan- 
cólico; diz-sc do que tem re- 
lação com a melancolia. Me- 
lancholicus, mcestus: — me- 
lancólico; diz-se do que sof- 
fre melancolia. Melancholi- 
ciis, a, um: — melancólico, 
triste; que causa tristeza, 
melancolia, como: tiempo 
melancólico; tempo melan- 
cólico. 

Melancolizar, a. Melancoli- 
sar, entristecer; causar me- 
lancolia a alguém. Usa-se 
também como reciproco.il/ce- 
rore vel tristitia afficere, af- 
fligere. 

Melanconio. m. (bof.) Melan- 
conio (pó negro); genero de 
cogumelos da familia dos 
clinosporeos. 

Melancránide. m. (bof.) Me- 
lancranide; genero de ¡llan- 
tas da familia das cypera- 
ceas. 

Melanda./. Suspiro; doce com- 
posto de claras de ovo, as- 
sucar e flor de laranja. 

Melandria. /. (zool.) Melan- 
dria (arvore negra); genero 
de insectos coleópteros he- 
teromeros, da ñ^milia dos 
estenelytros. 



MEL 

Melanemo. m. (med.) Melane- 
mo; materia negra arrojada 
pelo vomito e cámaras na 
febre amarella. 

MelÁnico, ca. adj. (chim.) Me- 
lanico; diz-se de um acido 
da urina. 

Melanios, m. p)l. (zool.) Mela- 
nios; familia de molluscos 
gasteropodas. 

Melanipa./. (zool.) Melanippa; 
genero de insectos lepidópte- 
ros nocturnos, da tribu dos 
phalenitos. 

Melanita. /". (min.) Melauita; 
variedade de granate de cor 
negra, que se acha entre ma- 
terias vulcânicas. 

Melanocarpo, pa. adj. (bot.) 
Melanocarpo; que dá fructos 
negros ou pretos. 

Melanocéfalo, la. adj. (zool.) 
Malanocephalo; que tem ca- 
beça negra. 

Melanoceraso. m. (bot.) Mela- 
noceraso; nome antigo da 
belladona. 

Melanocero, ra. adj. (zool.) 
Melanocero ; que tem cornos 
ou autennas negras. 

Melanocroita. /. (min.) Mela- 
nochroita; mineral de côr 
vermelha violácea que vem 
da Sibéria, e parece ser o 
resultado da decomposição 
do chromato de chumbo. 

Melanognato, ta. adj. (zool.) 
Melanognato; que tem man- 
díbulas negras. 

Melanografita. /. (min.) Me- 
lanographita; pedra que 
apresenta desenhos pretos. 

Melanope. adj. (zool.) Melano- 
pe; que tem olhos negros. 

Melanóptero, ka. adj. (zool.) 
Melanoptero; que tem azas 
ou elytros negros. 

Melanosis./. (med.) Melanose; 
tecido negro, homogéneo, um 
pouco húmido, opaco, que, 
no estado de crueza, tem cer- 
ta consistencia análoga ás 
glándulas lyinphaticas. 

Melanospermo, ma. adj. (bot.) 
Melanospermo; que produz 
fructos negros. 

Melanostola. /. (zool.) Mela- 
nostola (vestido negro); ge- 
nero de insectos coleópteros 
heteromeros, da familia dos 
melasomos. 

Melanostomo, ma. adj. (zool.) 
Melanostomo; que tem boca 
negra. 



MEL 

Melanoxanto. m. (zool.) Mela- 
noxantbo (encarnado e ne- 
gro); genero de insectos co- 
leópteros pentíuneros da fa- 
milia dos esteruoxos. 
Melanoxilo. m. (bot.) Melano- 
xylo (madeira negra); gene- 
ro de plantas da familia das 
leguminosas. 
MelantÁceas. /. pi. (bot.) Me- 
lautliaceas. V. Colchicáceas. 
Melantera./. (bot.) Melanthe- 
ra (anihera negra); genero 
de plantas da familia das 
compostas. 
Melantesa./. (bot.) Melanthe- 
sa (florescencia negra); ge- 
nero de plantas da familia 
das euphorbiaceas. 
Melantia. /H.fsooZ.JMelanthia; 
genero de insectos lepidó- 
pteros nocturnos, da tribu 
dos plialenidos. 
Melantio. í/í. (bot.) Melanthio 
(flor negra); genero de plan- 
tas da familia das melantha- 
ceas. 
Melanto. m. (zool.) Melantho; 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos esternoxos. 
Melanuro, RA. adj. (zool.) Me- 
lanuro; que tem cauda ne- 
gra. 
Melapia. /. (agr.) Melapio; 
nome de um pero serôdio, 
pequeno e mui doce. 
Meláptero, RA. adj. (zool.) Me- 
laptoro; que tem azas ou 
barbatanas negras. 
Melar. 7i. Melar, mellificar; 
fazer mel, as abelhas, e de- 
po-lo nos favos. Usa-se tam- 
bém como activo. Mellifica- 
re: — fazer o melado; dar a 
segunda cozedura ao sumo 
da canna até que tome a con- 
sistencia de mel, nos enge- 
nhos de assucar. Saccliarum 
recoquere: — adj. ribeiro; 
diz- se do trigo, de espiga ra- 
la e grão adocicado. Triti- 
cimi a;stici(>n : — m. figo bran- 
co. Ficus, lis. 
Melas. m. (zool.) Melas; espe- 
cie de mammiferos do gene- 
ro gato, que alguns natura- 
listas consideram como uma 
variedade do leopardo. 
Melasférula. /. Garapa; licor 
que resulta da canna doce 
esprimida e de que se faz o 
assucar. 
Melasictbbia. /. (med.) Mela- 



MEL 

sictericia; especie de icteri- 
cia em que a pelle tem a côr 
negra. 
Meláside. m. (zool.) Melaside 
ou melasis (negro); genero 
de insectos coleópteros pen- 
tameros, da familia dos ster- 
uoxos. 
Melasmo. m. (med.) Melasmo; 
especie de echymosis que 
ataca principalmente as per- 
nas dos velhos. 
MelÁsomos. 711. pi. (zool.) Me- 
lásemos (corpo negro); fa- 
milia de insectos coleojíteros 
heteromei'os. 
MelastomÁceas. /. pi. (bot.) 
Melastomaceas; familia de 
plantas dicotyledoneas po- 
lypctalas. 
Melato. m. (chim.) Melato. V. 

Melitato. 
Melatokianos. m. pi. (rei.) Me- 
latonianos ; membros de uma 
seita fundada por Melaton. 
Melatrofia. /. (med.) Mela- 
trophia; atrophia de um 
membro. 
Melaxanto. m. (h. nat.) Mela- 
xantho; o que é amarello e 
negro. 
Melaza. /. (p. Mure.) Melaço, 
mel do assucar, fezes do mel. 
Mellisfceces: — melado; mel 
de engenho, de furo ou de 
barro : — (fuin.) lambedor ; 
qualquer substancia muito 
doce e consistente. Sacchari 
purgati succus nigricans. 
Melcocha. /. Pao de especie, 
bolo feito de farinha, mel e 
especies. Melcoctum, i. 
Melcocuero. m. Vendedor ou 
fabricante de pão de espe- 
cie. Melliscocti venditor vel 
fabricator. 
Meldar. n. (ant.) Ir ú S3'nago- 
ga, orar segundo o rito ju- 
daico. 
Meleagridos. ¡11.2)1. (zool.) Me- 
leagridos; familia de aves 
da ordem das gallináceas. 
Melecina. /. (ant.) V. Medici- 
na: — (ant.) V. Lavativa. 
Melecinamiento. m. (ant.) V. 

j\[edicamento. 
Melecinar. a. (ant.) V. Medi- 
cinar. 
Melek. 7n. Rei nas linguas se- 
míticas. 
Melena./. Melena, guedelha; 
cabello comprido, especial- 
mente o que cae sobre os 
olhos. Capillitium, ccesaries: 



MEL 69 

— cabello solto, desgrenha- 
do, e assim se diz : estar en 
meleiia; estar desgrenhado. 
Ccesai'ies, ei: — juba; coma 
ou crinas do leão : — pelle 
macia que se poe na cabeça 
ao boi debaixo do jugo para 
se não ferir ou molestar. Peí- 
lis milis fronti bovis J7igo 
supposita. Traer a lamelena 
(fr.); trazer pelos cabellos; 
obrigar, forçar, constranger 
alguém a fazer alguma cou- 
sa contra sua vontade. Co- 
geré, per vim adducere : — 
(cquit.) topete; crina do ca- 
vallo, que lhe cae da sum- 
midade da cabeça sobre a 
fronte: — (med.) melena ; vo- 
mito negro, evacuação pela 
boca de materias inteira- 
mente negras, acompanhada 
ordinariamente de dejecções 
da mesma côr. 
Mklendez. m. (jxttr.) ^Mendes; 
filho de Mendo. Hoje é ap- 
pellido de familia. 
Meleno, m. (fam.) Lanzudo, 

rustico, grosseiro. 
Melenorrajia. /. (med.) Mele- 
norrhagia ; vomito de sangue 
negro. 
Melenudo, da. adj. Pelludo, 
cabelludo; diz-se do que tem 
muitos cabellos conqjridos, 
que tem o pello mui basto. 
Capillatus, comatns. 
Melera./, (agr.) Molestia que 
ataca os melões quando cho- 
ve: — (bot.) V. Èuglosa. 
Melero. 711. Vendedor ou ne- 
gociante de mel. Mellai-ius, 
ii: — sitio ou logar onde se 
guarda o mel. AIellariiu7i, ii. 
Melga. /. (agr.) Camalhão; 
porção de terra que fica en- 
tre dois regos. V. Caballete, 
n'este sentido. 
Melgaciio. 'III. (zool.) V. Lija, 
■ peixe. 

Melgar, 711. Luzerual; campo 

de luzerna, ou terra onde 

expontancamente nasce esta 

planta. 

Melgarejo, m. (ai't.) V. Timo- 

7iera. 
Meliáceas. /. pi. (bot.) Melia- 
ceas; familia de plantas di- 
cotyledoneas polypetalas. 
MeliInteas. /. pi. (bot.) Me- 
liantheas; familia de plantas 
do grande grupo das ruta- 
ceas, cujo typo é o genero 
meliantho. 



70 



MEL 



Melianto. m. (bot.) Meliantho 
(flor de mel); genero de plan- 
tas, typo da familia das me- 
liautheas. 

Mélica. /. (hot.) Mélica; gene- 
ro de plantas da familia das 
gramineas. 

Melicékida. /. (med.) Melice- 
ris; especie de tumor enkys- 
tado, que contém materia da 
consistencia e cor do mel. 

Melicina./. (a7if.) V. Medicina. 

Melicinak. £?. (ant.) V. Medi- 
cinar. 

Melicro. m. (bot.) Melichro 
(doce como o mel); genero de 
plantas da familia das epa- 
crideas, 

Melifajídeas./. pl. (zool.) Me- 
liphagideas; familia de aves 
da ordem dos pássaros. 

Melífero, ra. adj. (poet.) Mel- 
lifero; diz-se do que traz, 
tem ou faz mel. Mellifer, 
era, erum : — (fig-) mellifluo, 
suave, doce, ameno: — m. 
pl. (zool.) melliferos; fami- 
lia de insectos hymenopte- 
ros, entre os quaes figuram 
as abelhas. 

Melificación. /. Mellificaçâo; 
acção e eíFeito de mellificar. 

Melificado, da. adj. (ant.)M.el- 
lificado.V. MeÜfltio. 

Melificar, a. Mellificar-, faze- 
rem mel as abelhas ou tira- 
lo das flores. Usase tam- 
bém como neutro. Mellifi- 
car e. 

Melifico, ca. adj. Mellifico ou 
mellifero; diz-se do que faz 
ou produz mel. 

Melifluamente, adv. m. Melli- 
fluamente, docemente; com 
mellifluidade, com muita 
suavidade e delicadeza Sua- 
vissime, meUiflue. 

Melifluidad. /. Mellifluidade, 
doçura, suavidade. Dulcedo, 
suavita^. 

Melifluo, flua. adj. Mellifluo ; 
diz-se do que mana ou corre 
como mel. Mellifluvs, a, 
U7n : — mellifluo, mellifico; 
que é da natureza do mel. 
Mellifiuus, a, um: — (fig-) 
mellifluo; mui doce, suave 
e terno. Mellifiuus, suavis. 

Melik. adj. V. Melek. 

Melilita. /. (min.) Melilitha; 
especie de argilla compacta, 
branco-amarella, que se em- 
pregava em medicina e era 
considerada como soporífica. 



MEL 

Meliloto, m. (bot.) Meliloto; 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas papilio- 
naceas. V. Trébol: — estupi- 
do, mentecapto. 

Melindre, m. Melicia; certa 
iguaria em que entra mel, 
farinha e canella: — melin- 
dre; doce de farinha, ovos 
e assucar. Tragemafa deli- 
cafula: — V. Bocadillo, si- 
gnificando fita : — melindre; 
afí"ectada delicadeza no tra- 
to, no fallar. Fastidium de- 
licatulnm. 

Melindrear, n. Requebrar-se; 
fazer requebros, melindres, 
aff'ectar excessiva delicadeza 
nas acções e nas palavras. 
Delicatule fastidire. 

Melindrero, ra. adj.Y. Melin- 
droso. 

Melindrillo, m. (p. Mure.) 
Certa fitinha muito estreita. 
Vifla subtilis angustaque. 

Melindrisar. n.Y. Melindrear. 

Melindroso, sa. adj. Melindro- 
so; diz-se do que afí"ecta de- 
masiada delicadeza no trato. 
Delicatus, mollis, fastidio- 
sus. 

Melínide. m. (bot.) Melinide; 
genero de plantas da fami- 
lia das grammineas. 

Meliola. / (bot.) Mellóla; ge- 
nero de cogumelos clinos- 
poreos. 

Meliosma. /. (bot.) Meliosma 
(cheiro de mel); genero de 
plantas da familia das me- 
lioemeas. 

Melisa. /. (bot.) Melissa ; ge- 
nero de plantas da familia 
das labiadas. V. Toronjil. 

Melisodera./. Melisodera (cal- 
lo de texvgo) ; genero de in- 
sectos coleópteros pentame- 
ros, da familia dos carabi- 
cos. 

Melisodo. m. (zool.) Melisso- 
dos ; genero de insectos hy- 
menopteros da tribu dos 
apianes. 

Melisggrafia. /. (h. nat.) Mel- 
lissographia ; descripçào dos 
costumes das abelhas. 

Melítico, ca. adj. (chim.) Me- 
litico; diz-se do r^ue se ex- 
trahiu do mel. Acido melí- 
tico ; acido melitico; certo 
acido orgánico formado de 
oxygenio, de carbone e de 
hydrogenio, em proporções 
ainda não conhecidas. 



MEL 

Melítide. m. (bot.) Melittide 
ou melittis; genero de plan- 
tas da familia das labiadas. 

Melito. m. (pharm.) Melito ; 
xarope preparado com mel, 
agua distillada, diflerentes 
infusões e cozimentos e sue- 
cos de plantas; — fmm.Jmel- 
lito ; melato de alumina hy- 
dratado. 

Melobesia. /. (zool.) Melobe- 
sia ; genero de polypeiros 
flexíveis. 

Melocacto. m. (bot.) Meloca- 
cto; genero de plantas da 
familia das opuntiaceas. 

Melocarpo. m. (bot.) Melocarpo 
(fructo em forma de maçã); 
nome que os antigos davam 
á aristolochia. 

Melocotón, m. Melocotâo ou 
maracotão; pecegueiro en- 
xertado em marmeleiro.il/ni/- 
gdaliis pérsica : — maraco- 
tão; pecego que nasce do 
enxerto durazio em marme- 
leiro. Persicum malum du- 
racinum. 

Melodía /. (mus.) Melodia; 
parte da musica que ensina 
a formar os sons melodiosos: 
— melodia ; sum ou canto 
suave e continuado que agra- 
da ao ouvido, e que é pro- 
duzido por uma só voz ou 
por um só instrumento, que 
não é concordante, como são 
os de vento. Melodia, ce : — 
melodia; modulação suave 
da voz, do canto, suavidade 
de um instrumento que se 
toca: — (fig.) melodia; sua- 
vidade e doçura no fallar. 

Melódica. /. (mus.) Melódica ; 
certo instrumento á maneira 
de clavicordio com um re- 
gisto de flauta, inventado 
nos fins do século xviii. 

Melodicon. m. Melodicon; in- 
strumento musico de tecla- 
do; cujo som se produz pela 
roçadura de umas pontas do 
metal sobre um cylindro de 
aço. 

Melodino. ?r?. (bot.) Melodino; 
genero de plantas da familia 
das apocyneas. 

Melodion. m. Melodion ; in- 
strumento musico parecido 
na forma com o piano, e de 
uns quatro pés de compri- 
mento. Imita perfeitamente 
a maior parte dos instru- 
mentos de vento. 



MEL 

Melodiosamente, adv. m. Me- 
lodiosamente ; com melodia. 

Melodioso, sa. adj. Melodioso, 
suave, grato ao ouvido : — 
melodioso; cheio de melo- 
dia. 

Melodista. s. (mus.) Melodista; 
o musico que possue o dom 
natural de inventar melo- 
dias com facilidade : — o 
que é muito aíFeiçoado á 
musica, apaixonado pela me- 
lodia. 

Melodoro. m. (bof.)Y. Uvaria. 

Melodrama, m. Melodrama ; 
drama recitado entremeiado 
de arias e outras peças can- 
tadas. 

Melodramático, ca. adj. Melo- 
dramático ; diz-se do que é 
próprio do melodrama. 

Meloe. m. (zool.) Meloe (ne- 
gro); genero de insectos co- 
leópteros heteromeros da fa- 
milia dos trachelidos. 

Melófago. m. (zool.) Melopha- 
go; (que come as ovelhas); 
genero de insectos dípteros 
brachoceros da familia dos 
pupiparos. 

Melofaro. m. Lanterna com 
transparente de papel un- 
tado de oleo, onde está mu- 
sica escripia. 

Melogalo. m. CsooZ.JMelogalo; 
genero de mammiferos car- 
nívoros da divisão dos ver- 
miformes. 

Melografía. /. Melographia ; 
arte de escrever a musica. 

MelogrÁí'icamente. adv. m. Me- 
lographicameute ; segundo 
as regras da melographia. 

MelogrÍfico, ca. adj. Melo- 
graphico; diz-se do que res- 
peita á melographia. 

Melógrafo, fa. s. Melographo; 
o que é versado na melogra- 
phia ou que a professa. 

Meloja./. Agua de mel; agua 
em que se lavou o mel. 

Melolanta. /. (zool.) Melolon- 
tha. V. Melolonta. 

Melolonta. /. (zool.) Melolon- 
tha ; genero de insectos co- 
leópteros pentameros, typo 
da familia dos melolonthi- 
ngs. 

Melolontinos. m. pi. (zool.) 
Melolonthinos; familia de in- 
sectos coleópteros pentame- 
ros. 

Melolontitos. m. pi. Melolon- 
thitos; grupo de insectos co- 



MEL 

leopteros pentameros da fa- 
milia dos lamellicornes. 

Melomanía./. Melomanía; pai- 
xão, afíeiçâo desmedida pela 
musica. 

Melómano, na. adj. Melómano ; 
apaixonado pela musica. 

Melomelia. /. Melomelia ; 
monstruosidade ¡^i'oduzida 
pela inserção dos membros 
accessorios nos membros nor- 
maes. 

Melon. m. (boi.) Meloeiro ; 
planta da familia das cucur- 
bitáceas, que dá melões. 
Cucumis melo : — melão ; 
fructo do meloeiro, de que 
ha muitas variedades. Pepo, 
melopepo : — de agua; me- 
lancia. V. Sandia: — badeón, 
V. Badea : — escrito ; me- 
lão de casca de carvalho; o 
que tem a casca cheia de 
signaes ou de riscos capri- 
chosos. Calar el melon ó la 
sandia (fr.); calar o melão 
ou a melancia; encetala, 
cortar-lhes um pedaço para 
prova. Frustrum melo pepo- 
nis discerpere, secare, deli- 
hare. Catar el melon (fr. 
fig.); sondar alguém. Ten- 
tare, pertentare. Decentar 
el melon (fr. fig.); encetar o 
queijo; começar em má hora 
uma cousa. Integritatem 
rumpere. El melon y el ca- 
samiento Ita de ser acerta- 
miento (rif); o melão e a 
mulher maus são de conhe- 
cer; o melão e o casamento 
ha de ser acertamento. 

Melonada. /. (fam.) Feita, oc- 
casião, vez. 

Melonar, m. Meloal ; campo 
semeado de melões. Agerme- 
lopeponibus satus : — (fig-) 
seixal, cascalheira ; logar 
cheio de seixos, de cascalho, 
de pedrinhas movediças. 

Meloncete. m. dim. de Me- 
lon. Melâosinho; melão pe- 
queno. 

Meloncico, llo, to. m. dim,. de 
Melon. Melâosinho. 

Melonkro. m. Cultivador ou 
vendedor de melões. Melo- 
num venditor : — guarda, 
guardador do meloal. Melo- 
num custos. 

Melonífero, ra. adj. (bot.)Me- 
lonifero; que produz melões: 
— melonifero ; diz-se das 
plantas cujos fructos têem 



MEL 



71 



a forma de melão ou de mar- 
mello. 

Míloniforme. adj. (bot.) Me- 
loniforme ; que tem figura 
de melão. 

Melopea. /. (mus.) Melopea; 
entre os antigos era a arte 
ou regras para a composição 
do canto, cuja pratica e ef- 
feito se chamava melodia 
ou recitativo cantado. 

Meloplasto. m. (mus.) Melo- 
plasto ; methodo de musica 
inventado em París em 1817, 
por Pedro Galin, que con- 
siste em um quadro composto 
das cinco linhas do penta- 
grama, com algumas outras 
addicionaes por cima e por 
baixo do mesmo. 

Meloquia. /. (bot.) Melochia ; 
genero de plantas da familia 
das byttneriaceas. 

INIelok. aclj. e adv. (ant.) Me- 
lor. V. Mejor. 

Melosamente, adv. m. Em es- 
tado meloso. 

Melosidad, /. Licor doce que 
distilla o mel, a calda de as- 
sucar, etc. Mellis aliarumve 
rerum dulcedo, suavitas : — 
mellifluidade, doçura, sua- 
vidade.' Z^aZcerfo, suavitas. 

Melosira. /. (bot.) Melosira 
(cadeia membranosa); genero 
de plantas da familia das 
phyceas. 

Melosis. /. (med.) Melóse ; ac- 
ção de sondar uma ferida. 

Meloso, sa. adj. Melloso ; as- 
sucarado ; que tem sueco 
como o mel. Melleus, dulcis: 

— mellifluo, mui doce, suave; 
diz-se ordinariamente do dis- 
curso, raciocinio, etc. Dul- 
cis, mellius, suavis. 

Melote, «i. (p. il/íírc.j Melaço : 

— doce de calda. Salgama 
■ mellea : — restos ou resi- 
duos do assucar mascavado. 

Melotria. /. (bot.) Melothria ; 
genero de plantas da familia 
das cucurbitáceas. 

Melsa. /. (p. Ar.) V, Bazo : — 
(fig.) ' vagar,_ fleugma, pa- 
chorra. Nimia lentitudo. 

Melusa. /. (p. Cub.) Sueco das 
fructas que se pega aos de- 
dos ao toca-las ou, casual- 
mente, ao vestido. 

Mella. /. Boca, falha, mossa 
no fio ou no gume de algum 
instrumento cortante. Acies 
incequalis attrita : — caví- 



72 



MEM 



dade, cova, vasio; o espaço 
ôco que fica em alguma cou- 
sa depois de lhe tirar o con- 
teúdo. Hacer mella (fr. fig.); 
fazer mossa; fazer effeito em 
alguém a reprehensão, o con • 
selho, os rogos, etc. Fran- 
gere, percellere: — mela; 
branco na escriptura. 

Mellado, da. aãj. Desdenta- 
do ; diz-se de quem é falto 
de um ou mais dentes. Par- 
tim eãentatus. 

Mellar, a. Fazer mossas ou 
bocas em uma faca, espada, 
etc., quebrar ou rachar uma 
cousa no todo ou em parte. 
Adem inoiqualem reddere: 
— (fig-) fazer mossa ; menos- 
cabar alguém. Diminuere. 

Melliza. /. Especie de salpi- 
cão feito com mel. Farci- 
men mellitum. 

Mellizo, za. adj. V. Gemelo. 

Mello. m. (ant.)Y. Medio. 

Mellon, m. IManchêas de pa- 
lha accesa á maneira de ar- 
chote. Stramenti merges. 

Mellok. adj. (ant.) V. Mejor. 
Hoje usa- se no dialecto gal- 
lego. 

Mellokar. a. e n. (ant.) V. Me- 
jorar. 

Melloría./. (a)if.)V . Mejoría. 

Mem. m. (philol.) Mem; deci- 
ma terceira letra do alpha- 
beto hebraico, que corres- 
ponde ao m: — mem; signo 
numérico de 40. 

Memacterion. m. (chron.) Me- 
macterion; quarto mez do 
anno atheniense, que cor- 
responde ao nosso mez de 
novembro, e no qual se ce- 
lebravam as festas chama- 
das memacterias. 

MembrÁcidos. m. pi. (zool.) 
Membracidos; familia de in- 
sectos hemipteros da tribu 
dos fulgorinos ou fulgorios. 

Membrado, da. ofZ;.(a?i¿.J Lem- 
brado, nomeado: — (hr.) 
membrado; diz-se das águias 
e de outras aves, que se re- 
presentam nos escudos com 
as peruas de differente es- 
malte. 

Membrana. /. (anat.) Membra- 
na; tecido orgânico, bran- 
do, pelle delgada ou túnica 
a modo Je pergaminho. 
Membrana, ce: — (br.)Y. 
Membrado. Falsa membra- 
na ; falsa membrana ou pseu- 



MEM 

do-membrana; tecido vivo 
que ás vezes se organisa na 
superfieie das membranas 
mucosas em estado mórbi- 
do : — (bot.) membrana, pel- 
licula; dú-se este nome a 
differentes órgãos finos e 
delicados, destinados geral- 
mente a cobrir outros. 

Membrancia. /. (ant.) V. Mem- 
branza. 

Membraniforme. adj. (anat.) 
Membraniforme ; que tem 
forma ou aspecto de mem- 
brana. 

Membranoso, sa. adj. (anat.) 
Membranoso; diz-se do que 
é da natureza das membra- 
nas, ou participa d'ellas. 
Membranaceus, a, um : — 
(bot.) membranoso; diz-se 
do pennacho das plantas 
synanthereas, quando é for- 
mado por uma membrana 
inteira : — (zool.) membra- 
noso; diz-se dos pés das 
aves quando têem a pelle 
fina e delicada : — membra- 
noso; diz-se também das 
azas dos insectos, quando 
são delgadas, flexíveis e si- 
milhantes a uma membra- 
na: — m. pi. membranosos; 
tribu de insectos hemipte- 
ros, que comprehende os 
percevejos. 

Membranza. /. (ant.) V. Me- 
moria., Recuerdo. 

Membrarse. r. (ant.) Lembrar- 
se. V. Acordarse. Usa-se 
também como activo. 

IMembre. m. (ant.) V. Mimbre. 

Membrete, m. Lembrete; pa- 
pel com algum apontamen- 
to breve do negocio que elle 
contém. Memorialescriptum, 
scheda: — lembrete; papel 
que se põe á margem d'a- 
quelle sobre que se hão de 
escrever officios, cartas ou 
outras cousas, no qual se 
indica a repartição, depen- 
dencia ou empreza a que 
corresponde: — lembrete; 
linha na pai'te inferior e ás 
vezes no principio das car- 
tas e dos bilhetes, indicando 
o nome e qualidade da pes- 
soa a quem se dirige. Mis- 
sile scripfnm nomine: — bi- 
lhete de convite. Schedula, 
ce: — memorial; petição pa- 
ra lembrar o que se pede. 

Membribla. /. (p. Mure. e de 



MEM 

Valenc.) Gamboa; especie 
de marmello. V. Zamboa. 

Membrillar, m. Plantação de 
marmellos. Locus cotoneis 
consitus. 

Membrillero, m. (prov.) V. 
Membrillo, na primeira ac- 
cepçâo. 

Membrillo, m. (bot.) Marmel- 
leiro; pequena arvore da fa- 
milia das rosáceas, que pro- 
duz os marmellos. Pyrus 
cydonia: — marmello; o fru- 
cto do marmelleiro. Cydo- 
nium, ii. Crecerci el mem- 
brillo, y mudará el pelillo 
(rif.); usa, serás mestre. 

Membrio. m. (ant.) V. Miem- 
bro. 

Membrudamente, adv. m. Mem- 
brudamente, robustamente, 
vigorosamente; com força, 
vigor e robustez. Torose, 
fortiter, viriliter. 

Membrudo, da. adj. Membru- 
do; diz-se do que é fornido 
e robusto de corpo, que tem 
membros reforçados e gran- 
des. Lacertosus, torosus. 

Memnónidas. /. pi. Memnoni- 
das; aves que segundo a fa- 
bula nasceram das cinzas 
de Memnon. Memnoniceaves. 

Memnonio, nia. adj. Memno- 
nio; diz-se do que é perten- 
cente ou relativo a Memnon, 
como : edificio memnonio; 
edificio memnonio. 

Memo, ma. adj. V. Tonto : — 
parvo, simplório. Hacerse 
memo (fr.); fazer-se tolo. 

Memorable, adj. Memorável, 
memorando; digno de me- 
moria. Memorandus, a, um. 

Memorablemente, adv. m. Me- 
moravelmente; de um modo 
memorável. 

Memorando, da. adj. V. Memo- 
rable. 

Memorándum, m. Memorial, 
livro de apontamentos ou 
de lembranças. 

Memorar, a. (ant.) Memorar, 
lembrar, recordar, fazer me- 
moria. Afemorare. 

íMemoratísimo, ma. adj. sitp, 
jNIemorabilissimo; muito me- 
morável, digno de eterna 
memoria. Valde memoran- 
das. 

Memorativo, va. adj. Memo- 
rativo; diz-se do que recor- 
da, que traz á memoria, á 
lembrança. 



MEM 

Memoria. /. Memoria; poten- 
cia da alina pela qual se 
conserva a lembrança das 
cousas. Memoria, ce: — me- 
moria, fama, reputação, il/e- 
inoria, ce : — memoria; mo- 
numento erigido em com- 
meuioração, lembrança. Mo- 
nuinentum, i: — memoria; 
fundação pia ou anuiversa- 
rio que alguém institue para 
sua memoria. Anniversa- 
rium, ii: — memoria; rol 
de ciespezas. Expensarum 
iiiemoriale : — V. Diserta- 
ción : — memoria; na lin- 
guagem vulgar toma-se no 
sentido de recordação ou 
de reminiscencia: — objecto 
ou cousa de que alguém se 
recorda: — memoria ; pren- 
da ou aunei que se dá para 
recordação de amizade : — 
memoria; reputação, nomea- 
da, boa ou má fama, que 
fica de uma pessoa depois 
da sua morte : — f}j. A. M.) 
pacotilha ou pequena quan- 
tidade de mercadorias, que 
se envia a terras distantes 
para negocio: — pi. memo 
rias, lembranças, saudades 
expressões de cortezia. ^Vt 
h(tis sauãatio: — memoria 
apontamento, minuta, lem- 
brança; livro ou caderno 
em que se assenta alguma 
cousa para que não esque- 
ça. Nota, commentarii : — 
pi. memorias; relações de 
factos particulares, que se 
escrevem para illustrar a 
historia: — de gallo ó de 
grillo; memoria de gallo; 
pouco tenaz, que esquece 
logo. Memoria fragilis : — 
local ó artificial; memoria 
local ou artificial; facilida- 
de artificiosa de recordar-se 
de muitas cousas differen- 
tes, applicando-as ás espe- 
cies ou imagens impressas 
na mente ou representadas 
no papel. Alemoria localis 
seu artificialis. Borrar ó 
borrarse de la memoria (fr.); 
varrer ou riscar-se da me- 
moria; esquecer totalmente 
alguma cousa. Oblieione de- 
lere, è memoria excidere. 
Caerse una cosa de la me- 
moria; escapar-se, passai*, 
fugir uma cousa da memo- 
ria. ilfemor¿¿er. Encomendar 
10 



MEM 

a la, memoria (fr.); entregar 
á memoria. Memorice man- 
dare. Hacer memoria (fr.); 
chamar ou trazer á memo- 
ria. In memoriam revocare, 
recordar i, reminisci: trazer 
á memoria de alguém, re- 
cordar-lhc alguma cousa. 
Memoriam excitare vel siis- 
citare. Raer de la memoria 
(fr. fig.); riscar da memo- 
ria, fugir da idéa; esquecer 
o que se ia a dizer. E me- 
moria decidere. JRecorrer la 
memoria (fr.) ; reflectir, fa- 
zer reflexão para se recor- 
dar do passado. Memoria 
aliquiâ repeleré, in memo- 
riam revocare. Traer á la 
memoria (fr.) V. Hacer me- 
moria: — testamentaria(for.); 
codicillo; apontamento, de- 
claração, escripto simples a 
que se refere o testador co- 
mo parte do seu testamento. 
Testamenti additio simplex. 
Rehabilitar la memoria de 
alguno (fr.for.); rehabilitar 
a memoria de alguém; an- 
nuUar a sentença que o ha- 
via condemnado: — (rei.) 
memoria; templo, altar le- 
vantado em honra de al- 
gum santo : — commemora- 
ção de um santo no oflicio 
do dia. Dejar memoria (fr.); 
deixar memoria; fazer cou- 
sas memoráveis, deixar es- 
criptos memorandos. Usa-se 
á boa e má parte. De me- 
moria (loc. adv.); de memo- 
ria, de cor. 

Memorial, m. Memorial; livro 
de apontamentos. Memoria- 
le : — memorial, joetição. 
Supplex libellus. Perder los 
memoriales (fr.fam.); per- 
der inteiramente a memoria 
de alguma cousa. Memo- 
riam amitfere, vacillare,fal- 
lere : — ajustado (fr.) ; ex- 
tracto de um processo. Litis 
actorum summa vel epitome. 

Memorialista, m. Memorialis- 
ta; auctor de memorias: — 
escrevente, amanuense; o 
que escreve em cartório, 
em escriptorio de advogado, 
etc. 

Memoriativo, va. adj. (ant.) 
Diz-se do que pertence á 
memoria ou concorre para a 
conservar. 

Memorión, m, ougm. de Memo- 



MEM 73 

ria. Memorião; grande me- 
moria. 

Memorioso, sa. adj. Memorio- 
so ; que tem boa memoria. 
Memoria vigens, vel prm- 
stans. 

Memoroso, sa. adj. (ant.) V. 
Memorioso. 

Mena. /. {zool.) V. Mendola. 

Menacanita. /. (min.) Menaka- 
nita; variedade de titanato 
de ferro que se encontra em 
Menakan. 

Menador, ra. s. (p. Mure.) As- 
pador ou dobador de seda. 
Glomerator, oris. 

Menagogo, GA. adj. (med.) V. 
Emenagogo. 

Menaje, m. Moveis, utensílios, 
alfaias de uma casa. Supel- 
lex, ectilis — utensilios, 
ferramenta de ofticio. 

Menandriakismo. m. (rei.) Me- 
naudrianismo ; doutrina dos 
menandrianos. 

Menandriakos. m. pi. Menan- 
drianos ; sectarios religiosos, 
discípulos de Menandro. 

Menar. a. (p. Mure.) Dobar a 
seda. Convolvere, glomera- 
re : — (ant.) V. Tratar : — 
menear, mover, manejar: — 
levantar. 

Menarda. /. (bot.) Menarda ; 
genero de plantas da fami- 
lia das euphorbiaceas. 

Menastasia. /. (physiol.) Me- 
nastasia; dor uterina prove- 
niente da difíicil evacuação 
do menstruo. 

Menaszar. a. (ant.) V. Amena- 
zar. 

Menaza. /. (ant.) V. Amenaza. 

Menazak. a. (ant.)Y. Amenazar. 

Mencal. m. (ant.) V. Medica- 
mento : — V. Mercai. 

Menciox. /. Menção ; lembran- 
ça de cousa ou pessoa, no- 
meaudo-a, no discurso, nar- 
ração, etc. Commemoratio, 
otiis : — honorífica ; menção 
honrosa; distincção conce- 
dida a alguém, a expressão 
do nome de alguma pessoa 
que se distinguiu, feita em 
acto solemne. Hacer men- 
ción (fr.); fazer menção; 
nomear pessoa ou cousa, no 
discurso, narração, etc. Men- 
tionem faceré. 

Mencionar. «. Mencionar ; fa- 
zer menção, commemorar, 
referir. Mentionem faceré, 
commemorare, meminisse. 



74 



MEN 



Mendaz, adj. IMendaz. V. Men- 
tiroso. 
Mendeüia. /. (bot.) Mendezia; 
genero de ¡ilantas da fami- 
lia das compostas. 

Mendicación. /. Mendigação. 

V. Mendicidad. 
Mendicante, adj. Mendicante*, 
que mendiga, que vive de 
esmolas. Mendicans, antis: 
— pi. mendicantes ; diz-se 
das ordens religiosas que 
têem por instituto pedir es- 
mola; ou das que por privi- 
legio gosam das suas immu- 
nidades. 3Iendicaniium reli- 
giosorutn ordo:—m. mendi- 
cante; religioso de algmna 
das ordens mendicantes. 

Mendicativo, VA. adj. De men- 
digo; diz-se do que perten- 
ce aos mendigos ou que lhes 
é próprio. 

Mendicidad. /. Mendicidade, 
mendigaria, mendiguez ; es- 
tado, condição de mendigo. 
Mendicatio, mendicitas. 

Mendigador m. (ant.) V. Men- 
digo. 

Mendiganta. / Mulher mendi- 
cante, pedinte ; que mendiga. 

Mendigante, adj. Mendicante ; 
que mendiga. Mendicans, 
precario victilans. 

Mendigar, ff. Mendigar; jjedir 
esmola de porta em porta. 
Emendicare : — (fig.) men- 
digar, andar mendigando ; 
buscar com summa diligen- 
cia, pedir com muita sub- 
missão. 

Mendigarllote. m. (ant.) Po- 
bretão, farrapão. É termo 
de desprezo. 

Mendigo, m. Mendigo, pedin- 
te; o que pede esmola de 
porta em porta, ou pelas 
ruas. Mendicus, i. 

Mendiguez. /. Mendiguez. V. 
Mendicidad. 

Mendola. /. (zool.) Mendola; 
genero de peixes acautho- 
pterygios, da íamiüa dos 
menidos. 

Mendosamente, adv. m. Men- 
dosamente, defeituosamente, 
erradamente, incorrectamen- 
te. Mendose. 

Mendoso, sa. adj. Mendoso, de- 
feituoso, errado, incorrecto. 
Mendosus, i. 

Mendozia. /. (bot.) Mcndozia; 
genero de plantas da fami- 
lia das acanthaceas. 



MEN 

Menduugo. m. Mendrugo; pe- 
daço de pão que se dá de 
esmola ao mendigo. Panis 
fnistum durius. 

Mendkuguillo. m. dim.de Men- 
drugo. Mendruguinho ; boca- 
dinho de pão que se dá ao 
pedinte. Fanis frusiilum. 

Meneador, RA. s. Meneador, 
manejador; o que meneia 
ou maneja. 

Menear, a. Menear ou me- 
neiar; mover uma cousa de 
uma parte para outra. Usa- 
se também como reciproco. 
Moveré, agitare : — (fiff-) 
menear, manejar ; dirigir 
negocios, etc. Tractare, ver- 
sare : — andar depressa, 
trabalhar com diligencia e 
promptidâo. Properare, age- 
re : — a uno el hidto (fr. 
fig.); dar uma esfrega em 
alguém ; reprehende-lo as- 
peramente, 

!Menejinia. /. (hot.) Meneghi- 
uia; genero de plantas da 
familia das asperifoliadas 
borragineas. 

j\Ieneo. m. Meneo ou meneio; 
movimento do corpo ou de 
alguma das suas partes. 
Diz-se especialmente quando 
ha allectação ou desenvol- 
tura. Motus, agitatio: — 
(fam.) coça, esfrega, casti- 
go, reprehensão : — (ant.) 
meneio, trato, manejo, com- 
mercio, negociação. Com- 
mercium, negotiatio. 

Menester, m. Mister; falta ou 
necessidade de alguma cou- 
sa. Necessitas, necessarium 
opus: — mister, emprego, 
otíicio, ministerio. Em por- 
tuguez antiquado ha tam- 
bém o vocábulo menester. 
Ministeriíim, mumis: — pi. 
misteres; necessidades cor- 
póreas ou naturaes. Corpo- 
ris necessitas: — (jam.) mis- 
teres; instrumentos ou uten- 
silios necessários para os 
officios e outros usos. In- 
strumenta necessária. Ser 
menester (fr.); ser mister; 
ser precisa alguma cousa. 
Necessarium vel opus esse. 
Mknesterio. m. (ant.) V. ilfo- 

7ias'erio. 
jMenesteros ahente. adv. m. Po- 
bremente, indigentemente, 
ncccssi tadamente. 
Menesteroso, sa. adj. Neces- 



MEN 

sitado, pobre, indigente. In- 
digens, egenus. 

Menestoria. /. (bot.) Menesto- 
ria; genero de plantas da 
familia das rubiáceas. 

Menestra./. Menestra; pota- 
gem, comida feita de difíe- 
rentes hervas ou legumes. 
Herbarum et carnium opso- 
iiium: — pi. legumes seceos. 
Leguminum semina sica. 

Menestral, m. Mesteiral; offi- 
cial mechanico. Opifex, icis : 
— (hist. e poet.) menestrel; 
musico, cantor, poeta am- 
bulante, trovador, no tempo 
de Carlos Magno e na epo- 
cha da cavallaria. 

Menestril. m. (ant.) V. Minis- 
tril, tocador do instrumento 
musico do mesmo nomo, 

Menfita. /. (min.) Memphite; 
especie de pedra que se en- 
contra nas immediações de 
jNIemphis, que era conside- 
rada como narcótico; — mem- 
phites; especie de onyx, cu- 
ja capa superior é branca e 
a inferior negra. 

Mengajo, m. (p. Mure.) Pendu- 
ricalho; trapo pendurado, 
pedaço roto do vestido que 
vae arrastando pelo chão. 
Segmentum dilaeeratim pen- 
duhim. 

Mengala./. (comm.) Mengala; 
tecido que se fabrica na 
índia. 

Mengano, m. Beltrano; pala- 
vra com que se suppre o no- 
me de uma pessoa, quando 
se ignora este ou não se 
quer mencionar. Usa-se co- 
mo correlativo de fui ano. Ho- 
mo quidam. Zutano y men- 
gano; cicrano e beltrano. 

Mengar. n. (ant.) Meugoar, 
mingoar. Decrescere. V. Fal- 
tar. 

Mengua. /. Mingua; acção e 
efíeito de minguar. Imminu- 
tio, onis: — falta, defeito; 
o que deprecia e torna im- 
perfeita uma cousa. Defe- 
ctus, detractio: — mingua, 
pobreza, necessidade; falta 
do necessário, escassez. Ino- 
2JÍa, egestas, pe.uí/r/rt: — 
(fig.) deshonra, vergonha, 
descrédito, especiahnente 
quando ijroccde de covardia 
ou baixeza. Dedccus, oris : 
— detrimento, diminuição, 
quebra. 



MEN 

Mengyadamente, adc. m. Des- 
honradamente, vergonhosa- 
mente, ignominiosamente. 
Ignominiose, dedecore. 

Menguado, da. adj. Covarde, 
pussillanime, fraco, poltrão, 
vil: diz-se do que não tem 
valor ou coragem, nem sen- 
timentos de honra. Pusilla- 
nimis, me: — minguado de 
juizo; tolo, estupido: — mi- 
serável, mesquinho, avaro, 
escasso. 2Ç'imis parcus: — 
minguado, fatal, infausto, 
aziago, como: hora mengua- 
da; hora minguada ou in- 
fausta : — (ant.) minguado, 
escasso, falto. V. Falto: — 
mate, malha nas meias. De- 
cremcntum, i. 

Menguante. /. Mingua, escas- 
sez ou decrescimento das 
aguas dos rios ou ribeiros, 
por causa do calor ou da 
seccura: — minguante, va- 
gante da maré; refluxo do 
mar c o tempo que dura. 
Decrescentia, m: — min- 
guante ou quarto minguan- 
te; o ultimo quarto da lua. 
Decrementum, senium limce : 

— (fig.) minguante; deca- 
dencia de alguma cousa. De- 
crementum, i. 

Menguar, n. Minguar; decres- 
cer, diminuir ou ir-se con- 
sumindo uma cousa, physi- 
ca ou moralmente, em rela- 
ção ao estado que antes ti- 
nha. Decrescere, immimii: 

— minguar, faltar. Deesse, 
deficere: — dar mates nas 
meias. Decrescere: — (naut.) 
minguar; vasar a maré: — 
minguar; passar a lua do 
ultimo quarto á coujuncção. 

Meniar. a. (ant.) V. Menear. 

Menical. m. Menical; nome 
que se dá no México a um 
álcool que se obtém pela 
distillaçâo do sueco de uma 
especie de aloes. 

Menidos. m. pi. (zool.) Meni- 
dos; familia de peixes acan- 
thopterygios. 

Menilita. /. (min.) Menilithe; 
variedade de opala com- 
muui que risca o vidro; é 
áspera exteriormente, bri- 
lhante por- dentro. 

Menina. /. Menina; aia das 
infantas, na corte de Ma- 
drid. 

Meninge./, (anat.) V. Meninje. 



MEN 

Meningeta. /. (anat.) V. Me- 
ninjeta. 

Meningina. /. (anat.) V. Me- 
nhijina. 

Mexingocefalitis./. (med.) Me- 
ningocephalitis; inflamma- 
ção das meninges:. 

Meningofilax. m. (cir.) Menin- 
gofilax; instrumento para 
preservar as meninges na 
operação denominada tre- 
panação. 

Meningogastraljia. /. (med.) 
Meningogastralgia ; nevral- 
gia do estomago. 

Meningogástkico, ca. adj. 
(medJMeningogastrica ; diz- 
se de uma febre biliosa que 
tem a sua sede nas menin- 
ges e no estomago. 

Meningojeno, na. adj. (med.) 
Meningogeno ; diz-se do que 
occasiona ou dá logar á for- 
mação de falsas membranas. 

Meningorrea. /. (med.J Menin- 
gorrhea; congestão de um 
íiquido qualquer entre, so- 
bre ou debaixo das menin- 
ges, 

Meningosis. /. (anat.) Menin- 
gose; união de dois ossos 
por meio de ligamentos em 
forma de membranas; tal é 
a articulação dos ossos do 
cráneo no feto. 

Meninje. /. (anat.) Meninge; 
nome das tres membranas 
que envolvem a massa ce- 
rebral. E mais usado no 
plural. 

Meninjeta. /'. (anat.) Menin- 
geta. V. Pia mater. 

Meninjina. ,/". (anal.) Meningi- 
na. V. Aracnóides. 

Meninjitis. /. (med.) Meningi- 
tis ou meningite; inflamma- 
ção das meninges, e espe- 
cialmente da dura mater. 

Menino, m. e adj. Menino; mo- 
ço, creado de familia nobre, 
na corte de Hespanha. Puer 
asceclo honorarius regis vel 
minister : — (p. Mure.) me- 
nino; homem pequeno, me- 
lindroso c requebrado. Cor- 
poris brevis effeminatnsque : 
— (ant.) menino. V. Niño, 

Menioco. m. (bot.) iMeuiocus ; 
genero de plantas da fami- 
lia das cruciferas. 

Menipa. /. (zool.) Menippa; 
genero de crustáceos deca- 
podas brachyuros da fami- 
lia dos cancerios. 



MEN 75 

Menipea. _/'. (zool.) Meuipea; 
genero de i)olypos. 

Menique, m. V. Meñique. 

Meniscio. 772. (bot.) Mcniscio; 
genero de fetos polypodia- 
ceos. 

Menisco, m. (phys.) Menisco; 
vidro concavo i)or uma face 
e convexo da outra. 

Menispermato. m. (chim) Me- 
nispermato ; sal formado 
pela combinação do acido 
menispermico com uma base 
salificavel. 

Menispermina. /. (chim.) Me- 
nispermina; materia pareci- 
da com a cera, descoberta 
na costa de Levante, susce- 
ptível de formar saes. 

Menispora. /. (bot.) Menispora 
(esporulo em forma de Ina); 
genero de cogumelos trichos- 
póreos. 

Menistril. m. V. Ministril. 

Menje. m. (ant.) V. Médico, 
Cirujano. 

íMenjia. /. (ant.) Medicamento 
ou remedio. 

Mexjuí. m. V. Benjui. 

Menjurje, m. (fam.jV.Mejnnje. 

Mennonismo. m. (rei.) Menno- 
nismo; doutrina de uma sei- 
ta de anabaptistas, espalha- 
da em HoUanda e fundada 
no século xvi por Simão 
Menno. 

Mennonita. m. (rei.) Mennoni- 
ta; sectario de Simão Menno. 

Menodora. /. (bot.) Menodora; 
genero de plantas da fami- 
lia das jasmineas. 

Menología./. (physiol.) V. Me- 
nolojia. 

Menologio. m. V. Menolojio. 

Menolojta. /. (physiol.) Meno- 
logia; parte da medicina que 
trata do fluxo menstrual das 
mulheres. 

Menolojio. m. (chron.) Meno- 
logio; martyrologio ou ca- 
lendario da igreja. Menolo- 
gium, ii. 

MÉnon. m. Menon; cabi-a do 
Levante, de cuja pelle se fa- 
zem bons marroquins. 

Menopausia. /. (physiol.) Me- 
nopausia; cessação do fluxo 
menstrual das mulheres. 

Menoplania. /". (physiol.) Me- 
noplania; fluxo de sangue 
que se verifica por um órgão 
distincto da matriz, e que 
substitue a evacuação mens- 
trual. 



76 JVIEN 

Menopoma. /. (zool.) Menopo- 
ma (opérenlo forte); geuero 
de reptis araphibios da fa- 
milia das salamandras. 

Menor. adj. comp. Menor, me- 
nos grande; inferior em di- 
mensões, peso, qualidade (a 
outro). Minor, us: — menor; 
diz-se do filho, varào ou fê- 
mea, que ainda não tem a 
idade que a lei requer para 
se considerar emancipado. 
Minor vigenti quinqué an- 
nis: — menor; na divisão 
vulgar das classes dos estu- 
dos de grammatica, a ter- 
ceira, que é a que ensina 
as orações e construcçòes 
mais fáceis da lingua latina. 
Grammaticce tertia classis. 
Por menor ffr.J; por miúdo, 
a retalho; diz-se das vendas. 
Minutim: — por miúdo, mi- 
nuciosamente, circumstan- 
ciadamente , por partes : 
(philos.) menor; diz-se da 
segunda proposição de um 
syllogismo. Propositio mi- 
nor: — edad (for.); menor- 
idade; idade, estado de um 
menor, j^tas pupilli. Le- 
guas menores (naut.); le- 
guas menores; as que se 
contêem em um pequeno cir- 
culo parallelo ao Equador: 
— (mus.) menor; diz-se do 
tempo em que entram tres 
mínimas em cada compas- 
so: — menor; intervallo que 
tem um semitom menor que 
o maior na sua especie: — 
menor; diz-se da terceira que 
se compõe de um tom e de 
um semiton, como re,fa. Se- 
gunda metior; segunda me- 
nor; a que se compõe de um 
semitom, como de vii a fa. 
Semitono menor; semitom 
menor; o que se encontra en- 
tre uma das notas da gam- 
ma e a nota superior acci- 
dental bemolizada. Sesta me- 
nor; sexta menor; intervallo 
tal como o de mi a do. Séti- 
ma menor; sétima menor ; 
intervallo como o de mi a re. 
Tercera menor: terceira me- 
nor; a composta de um tom 
e um semitom tal como re, 
fa. Tono o modo menor: tom 
menor; aquelle em que a ter- 
ceira e a sexta sobre a tóni- 
ca sâo menores : — m. (rei.) 
menor ; o religioso da ordem 



MEN 

de S. Francisco. Fratres mi- 
nores : — pi. ordens menores. 

Menoracion. /. (ant.) V. Mino- 
ración. 

Menorar. o. (ant.) V. Mino- 
rar. 

Menoreta. /. (ant.) Menoreta; 
religiosa de Santa Clara. 

Menorete, adj. (fam.) ÍSÓ se usa 
nas seguintes locuções adv. 
e fam.: Al menorete o por 
el menorete; ao menos, pelo 
menos. Ad minus. 

Menoría. /. Inferioridade de 
uma pessoa a respeito de 
outra; o mais Ínfimo grau 
em que se acha relativamen- 
te a ella. Minoris vel infe- 
rioris qualitas : — V. Mino- 
ridad. 

Menoridad. /. (ant.) V. Mino- 
ridad. 

Menorista, m. Estudante da 
grammatica que está na ter- 
ceira classe. 

Menorqués, sa. adj. (ant.) V. 
Menorquin. 

Menorquin, na. s. Minor quino 
ou minorquez; o natural da 
ilha Minorca : — adj. miuor- 
quino ou minorquez, perten- 
cente a esta ilha. 

Menorkagía. /. (physiol.) V. 
Menorrajía. 

Menorrajía. /. (physiol.) Me- 
nor rhagi a; fluxo excessivo 
do menstruo nas mulheres. 

Menorrea./. (med.J Menorrhea ; 
hemorrhagia da matriz. 

Menos. adv. m. Menos, exce- 
pto, fora, salvo; expressa a 
falta que alguma cousa tem 
para igualar a outra, e as- 
sim se diz: todo menos eso; 
tudo menos isso. Minús,prcB- 
ter, extra, hoc excepto. A lo 
menos opor lo menos (fr.); ao 
menos ou pelo menos ; no caso 
mais minguado, suppondo a 
maior falta presumível. Sal- 
dem, ad minimum. A menos 
que no (adv. m.); a menos que 
não, a nào ser que. Ser lo 
menos (fr.) ; ser o menos; o 
ultimo em importancia e con- 
sideração, ser o menor preço 
por que se jDÓde vender. Cosa 
de menos; cousa de pouco 
mais ou menos, vil, de bai- 
xo preço, desprezível. 

MeNOSCABADOR, RA. s. Mciios- 

cabadur, detractor. Detra- 
ctor, oris : — estragador, de- 
teriorador^daranificador.Z)e- 



MEN 

tractor, imminue?is, jactw 
ram inferens. 

Menoscabar, a. Diminuir; ti- 
rar parte de alguma cousa. 
Imminuere, detrahere : — 
fyí^i'.J encurtar. Coarctare : — 
(fig.) menoscabar, desdourar, 
desfazer, deslustrar. Jactu- 
ram, detrimentum inferre. 

Menoscabo, m. Menoscabo, de- 
trimento, diminuição. Immi- 
nutio, jactura, detrimentum. 

Menoscéliue. m. (zool.) Menos- 
celide ou menoscelis (perna 
forte); geuero de insectos 
coleópteros subpentameros, 
da familia dos aphidiphagos. 

Menospreciable, adj. Menos- 
prezivel; diz-se do que é di- 
gno de menosprezo. 

Menospreciablemente, adv. m. 
Menosprezivelmente; com 
menosprezo. Contentvn. 

Menospreciador, RA. s. Menos- 
prezador; o que menospreza 
ou despreza alguma cousa. 
Contemptor, oris. 

Menospreciamiento. m. (ant.) 
V. Menosprecio. 

Menospreciante, adj. (ant.) Me- 
nosprezador ; que menos- 
preza. 

Menospreciar, a. Menosprezai* ; 
fazer menos apreço, estimar 
menos do que é devido. Des- 
picere : — menosprezar, des- 
prezar. V. Despreciar. 

Menosprecio, m. Menosprezo 
ou meuospreço ; acção e etíei- 
to de menosprezar: — me- 
nosprezo ; pouco apreço, es- 
timação diminuta. Despi- 
cientia, despicatus: — meuos- 
preço ; desprezo, desestima- 
çào de alguma cousa. Con- 
temptio, despicatio. 

Menostasis. /. (med.) Menosta- 
se; accumulação e retenção 
do sangue menstrual na ma- 
dre. 

Menosteno. m. (zool.) Meuos- 
teno (estreito pelo meio); ge- 
nero de insectos hymeuopte- 
ros da familia dos ichneu- 
monidos. 

Mensa. /. V. Mesa, na segun- 
da accepção de religião. 

Mensaje, m. Mensage ou men- 
sagem ; noticia ou recado 
verbal mandado por alguém. 
Mandatum , nnntius : — 
(neol.) mensagem; commu- 
nicação oíiicial entre o po- 
der legislativo e o executx- 



MEN 

vo, ou entre a camará dos 
deputados e o senado: — 
resposta de uma camará ao 
discurso da coroa : — men- 
sagem; discurso do presi- 
dente de uma republica ao 
parlamento. 
Mensajería. /. (neol.J Recova- 
gem ; o officio de recoveiro : 

— diligencia; carro para 
transportar de um logar pa- 
ra outro em dias marcados, 
e em menos tempo que os 
carros ordinarios: — (anf.) 
V. Mensaje. 

Mensajero, ra. s. Mensagei- 
ro; o que leva recado, men- 
sagem. Nuiitius^ tabellarius: 

— (fig.) mensageiro; signal 
ou annuncio de alguma cou- 
sa futura: — /. carta missi- 
va. El mensajero de los dio- 
ses (poet.); o mensageiro dos 
deuses, Mercurio. La men- 
sajera de Juno; íris: — 
(zool.J mensageiro; genero 
de aves rapaces diurnas. 

Mensal, Mensala./. (mit.jMen- 
sal ; a linha da mão que cor- 
re entre o dedo indice até o 
minimo. 

Mensil. adj. V. Mensual, 

Mensola. /. (archit.) Fecho da 
abobada. 

Menstruación. /. (physiol.) 
Menstruação, menstruo, flu- 
xo mensal das mulheres. 
Purgatio menstrualis. 

Menstrual, adj. (jihysiol.) 
Menstrual ; diz-se do que é 
relativo ou pertencente ao 
menstruo. Me7istrualis,mens- 
truus. 

Menstrualmente, adv. m.'Y. 
Mensualmente. 

Menstruar, n. (pliysiol.) Mens- 
truar-se; ter a evacuação 
mensal ou menstruo. Mens- 
trua pati. 

Menstruo, adj. V. Mensual : 

— m. (pliysiol.) menstruo, 
regra das mulheres; exhala- 
çâo sanguínea que tem lo- 
gar pei'iodicamente todos os 
mezes pelos órgãos genitaes 
da mulher, desde a puber- 
dade até á idade critica. 
Menstrua, orum: — (chim.) 
menstruo ; o dissoh'ente por 
meio do qual se extrahem 
os principios activos dos 
corpos. Mensfruum, i. 

Menstruosa. adj. (med.) Mens- 
truada; diz-se da mulher que 



MEN 

está com o menstruo. Mens- 
truum patiens. 

Mensual, adj. Mensal; diz-se 
do que é de cada mez. Mens- 
triius, a, um. 

Mensualmente. adv. m. Men- 
salmente; todos os mezes, 
por mez, cada mez. Mens- 
trualiter. 

Mensura. /. Mensura. V. Me- 
dida. 

Mensurabilidad. /. (mafliem.) 
Mensurabilidade; aptidão 
de um corpo para ser me- 
dido. 

Mensurable, adj. Mensurável; 
que pôde medir-se. Mensu- 
rahilis, le. 

Mensurador, ra. s. Medidor; 
o que mede. Mensor, oris. 

Mensural, adj. Mensurai; que 
serve para medir. 

Mensurar, a. Mensurar. V. 
Medir : — (jig. ant.) medir, 
examinar, contemplar. 

Menta./, (bot.) Hortelã; gene- 
ro de plantas da familia das 
labiadas, aromáticas. 

Mentado, da. adj. Mentado, 
memorado, lembrado. Nomi- 
nafus, celebratvs. 

Mentagra./. (med.) Mentagra ; 
impigem na barba, que ata- 
ca especialmente as crean- 
ças na primeira dentição. 

Mental, adj. Mental; diz-se do 
que respeita á mente. Men- 
talis, le. Oración mental; 
oração mental; a que se faz 
mentalmente, só, meditando. 
Restricción mental; restric- 
ção mental; reserva tacita 
que se faz de uma parte do 
que se pensa para induzir a 
erro a pessoa com quem se 
falia. Enajenación mental 
(med.); alienação mental, 
loucura, demencia. Em por- 
tuguez antiquado também 
ha a palavra enagenação, 
significando alienação. En- 
fermedades, dolencias men- 
tales (med.); doenças, enfer- 
midades mentaes; as que al- 
teram as faculdades do en- 
tendimento. 

SIentalagra. /. (med.) V. Men- 
tagra. 

Mentalmente, adv. m. Mental- 
mente; com o pensamento, 
na mente, abstrahiudo da 
realidade das cousas. Mente, 
sola mentis cogitatione. 

Mentar, a. Mentar, nomear, 



MEN 



77 



memorar, mencionar; fazer 
lembrar alguma cousa. Men- 
tionem faceré. 

Mentastro, m. (bot.) Meutras- 
to; hortelã silvestre. 

Mente. /. Mente ; entendimen- 
to, o espirito, a faculdade in- 
tellectual. Mens, entis : — 
mente; vontade, disposição 
de alguém expressada por 
palavras ou por algum acto 
exterior. De buena mente 
(loc. adv. ant.); de boa men- 
te, de boa vontade. Libenter. 
Tener en la mente (fr.J; ter 
na mente. Mente tenere. 

Mentecapto, ta. adj. (ant.) 
Mentecapto. V. Mentecato. 

Mentecatería./. Estupidez, to- 
lice, necedade, estulticia. 
Stultitia, vecordia, stolidi- 
tas. 

Mentecatez./ V. Mentecatería. 

Mentecatillo, lla, to, ta. adj. 
dini. de Mentecato. 

Mentecato, ta. adj. Menteca- 
to; falto de entendimento. 
Mentecaptas, a, um. 

Mentecaton, na. adj. augm. de 
Mentecato. Grande mente- 
capto. 

Menterero, ra. adj. (ant.) V. 
Mentiroso. 

Mentidero. m. Logar ou sitio 
onde se ajuntam os ociosos, 
os novellistas, para conver- 
sarem. Locus nebulonibus 
frequens. 

Mentideroso, sa. adj. (ant.) V. 
Mentirozo. 

Mentir, n. Mentir; faltar á 
verdade. Mentiri: — men- 
tir, illudir, enganar. Falle- 
re: — errar, equivocar, fal- 
sificar alguma cousa : — men- 
tir, simular, fingir, disfar- 
çar; mudar a apparencia ex- 
terior a uma cousa, de ma- 

• neira que pareça outra. E 
palavra mais usada na poe- 
sia: — desmentir, desdizer, 
não quadrar; não ser con- 
forme ou análoga uma cou- 
sa com outra: — sÍ7i suelo 
(fr.); mentir descaradamen- 
te. Miente mas que departe 
o miente mas que habla (fr. 
ant.); mente mais do que 
falia; mentir em excesso. El 
mentir pide memoria (rif); 
o mentir pede memoria; mais 
depressa se apanha um men- 
tiroso que um coxo. Quien 
siempre me miente, nunca me 



78 



MEN 



engaña (rif.); quem me men- 
te, não me engana. 

Mentira. /. Mentira; falta de 
vei'dade. Mendacium, ii: — 
errata; erro typographico ou 
daescripta. jlfe/irfM»i, me?i(ía; 
— inocente; mentira inno- 
cente; a que se diz sem in- 
tenção de prejudicar : — jo- 
cosa; mentira jocosa; a que 
se diz pai-a gracejar. Men- 
dacium per jocum, sine frau- 
de. Decir mentira por sacar 
verdad (fr.); dizer mentiras 
para apanhar verdades; fin- 
gir que SC tem noticia de 
uma cousa para que outro 
que a sabe a manifeste ou 
diga sem receio. Mendacio 
veritatem expiscari. 

Mentirero, RA. adj. (ant.) V. 
Mentiroso. 

Mentirica, lla, ta. /. dim. de 
Mentira. Mentirinha. De 
mentirillas (loe. adv.) V. De 
hurlas. 

Mentiron. m. aiigm. de Menti- 
ra. Carapetão ; grande men- 
tira. 

Mentirosamente, adv. m. Men- 
tirosamente, falsamente. 
Mendose, false, mendaciter. 

Mentirosísimo, ma. adj. sup. de 
Mentiroso. Mentirosissimo ; 
muito mentiroso. Valde men- 
dax, mendaciloquvs. 

Mentiroso, sa. adj. Mentiroso; 
diz-se do que mente, ou é 
costumado a mentir. Men- 
daz, acis: — mentiroso, en- 
ganoso, falso. Fallax, va- 
nus: — errado ou equivoca- 
do; diz-se do que encerra 
erro ou errata. Mendosus, 
erróneas. Mas presto se coje 
ai mentiroso que ai cojo 
(rif); mais depressa se apa- 
nha um mentiroso do que 
um coxo. 

Mentis, m. Mentes ; palavra in- 
juriosa com que se diz a al- 
guém que falta á verdade no 
que diz ou aflirma. Mentiris. 

Mentófilo. m. (zool.J Mento- 
philo (amigo da hortelã); ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros da familia dos 
lamellicornes. 

Mentor, m. (fig.) Mentor, guia, 
conselheiro. 

Mentrasmente. adv. m. (p.Gal.) 
Emquauto, entretanto. 

Mkntre. adv. (ant.) Mentres. 
V. Mientras. 



MEN 

Msntulagra./. (physiol.) Men- 
tulagra; estado convulsivo 
ou espasmódico dos múscu- 
los ischio-cavernosos ou ere- 
ctores do penis, que se ob- 
serva ás vezes nos eunuchos. 

Mentzelia./. (bot.) Mentzelia; 
genero de plantas da fami- 
lia das loáceas. 

Menuceles, m. pi. (p. Ar.) V. 
Menudos, dizimo dos fructos 
miúdos. 

Menucia. /. (ant.) V. Menudos, 
por dizimo dos fructos miú- 
dos. 

Menudamente, adv. m. Miuda- 
mente; com summa peque- 
nez: — miudamente, cir- 
cumstanciadaraente. Singu- 
latim, singillatim. 

Menude. adj. (ant.) V. Menudo. 

Menudear, a. Amiudar, reite- 
rar, repetir; executar algu- 
ma cousa muitas vezes. Cre- 
brescere, assiduum esse: — 
circumstanciar; contar, re- 
ferir com todas as particu- 
laridades, narrar minucio- 
samente. Usa-se t?&!^ibem co- 
mo neutro. Minutatim enar- 
rare : — n. contar ou secre- 
ver minudencias, minucias 
ou cousas frivolas, de pou- 
ca monta: — amiudar-se, 
succeder a miúdo, com fre- 
quência alguma cousa. 

Menudencia. /. Exiguidade, 
tenuidade, pequenez de al- 
guma cousa. Exililas, te- 
nuitas: — minudência; at- 
tenção escrupulosa, exacti- 
dão, esmero, exame minu- 
cioso com que se considera 
alguma cousa. Exactio, ac- 
curatio: — minudência, mi- 
nucia, bagatella; cousa di- 
minuta, de pouca entidade, 
de pouca importancia. Mi- 
nutia, tricce: — j)^- miúdos; 
despojos e partes pequenas 
que ficam do porco depois 
de desmanchado. Também 
se chama assim ás lingui- 
ças, chouriços e outras cou- 
sas. Quisquilice, exta, mi- 
nutice: — pi. minudência, 
miudezas; trastes ou cou- 
sas miúdas e de pouca im- 
portancia. 

Menudeo, m. Reiteração, re- 
petição, frequência de uma 
cousa; acção de a reiterar, 
de a fazer ou executar re- 
petidas vezes: — venda por 



MEN 

miúdo, a retalho. Al menu- 
deo (loe. adv.); a miúdo. V. 
Por menor, nas compras e 
vendas. 

Menudero, ra. adj. Ferçurei- 
ro; o que negoceia cm fer- 
çura ou debulho dos ani- 
maes para consumo. 

Menudi. adj. (ant.) V. JSIenudo. 

Menudillo. m. Miúdos, tra- 
vadouro; região dos mem- 
bros immediata á qnartella, 
nos quadrúpedes. Bestiarum 
pars pedum exilior: — (p. 
Ar.) \. Moyuelo: — pi. miú- 
dos; as entranhas das aves. 
Avium exta. 

Menudísimo, ma. adj. snp. de 
Menudo. Miudissimo. Minu- 
tissimus, a, um. 

MiNUDiTo, TA. adj. dim. de Me- 
nudo. Miudinho. Miimtu- 
lus, a, um. 

Menudo, da. adj. Miúdo, del- 
gado, pequeno. Minutits, a, 
?/m;-«èniudo; de pouca con- 
sequência, de nenhuma im- 
portancia. Levis, nullius mo- 
menti: — miúdo; diz-se do 
dinheiro inferior, e especial- 
mente das pequenas moedas 
de prata. Nummuli, orum: 
— miúdo, exacto, minucio- 
so; diz-se do que examina 
minuciosamente, que se oc- 
cupa em minucias. Exactus, 
mimctus: — amiudado, repe- 
tido, frequente: — (inus.) 
miúdo, plebeu. Plebejus, a, 
um: — (ant.) miserável, es- 
casso, apoucado : — m. miu- 
dezas , deventre, debulho, 
mãos e sangue das rezes. 
Intestina animalitim, visce- 
raque: — miúdo ou dizimo 
miúdo; o dizimo dos fructos 
miúdos que se cobrava com 
o nome de renda de miúdos 
ou miunças: — 2^^. miúdos, 
trocos, cobres em dinheiro 
de pouco valor. Minutim, 
a;rei nummi: — miúdos, in- 
testinos, azas e pescoço das 
aves : — adv. (ant.) V. Me- 
nudamente. A la menuda 
(loe. adv.) V. For menor. 
A menudo (loe. adv.); a miú- 
do; muitas vezes, frequen- 
temente. Crebro , frequenter, 
assiduk. En menudo (loe. 
adv.); em miúdos, em di- 
nheiro miúdo, om moedas 
de cobre. Por menudo; por 
miúdo, por partes, circum- 



MEQ 

stanciadamente. Mhmtim, 
singilatim : por miudo, a 
retalho; diz-se nas compras 
e vendas dos géneros em 
pequenas porções. Menudos 
veros (br.); veiros miúdos; 
diz-se do escudo que tem 
seis ordens de veiros. 

Menura./. (zool.) Menura; ge- 
nero de aves da ordem dos 
passai-os. 

Menuza. /. (ant.) Pedaço ou 
pequeno troço de alguma 
cousa que se quebra ou 
rompe. 

Menuzar. a. (ant.) V. Desme- 
nuzar. 

Menuzo. %; (ant.) V. Menuza. 

Meñique, adj. Minimo, meimi- 
nho ou meminho; diz-se do 
dedo mais pequeno da mão 
do homem. Usa-se também 
como substantivo : — (fam.) 
minimo; mui pequeno. 

Meo. m. (ant.) V. Medio, Mi- 
tad : — (bot.) meon ; genero 
de plantas da familia das 
umbelli feras. 

Meogo. adc. (ant.) Mcogo; no 
meio. 

Meollada. /. (p. And.) Miolei- 
ra, miolos; o cerebro de uma 
rez. Cerebrnm frixum: — 
fritada de miolos. 

Meollito. ???. dim. de Meollo. 
Miolinho. 

Meollo, m. j\íiolo. V. Medula: 
— (fiff.) miolo, meduUa; a 
substancia ou o mais prin- 
cipal de uma cousa, o seu 
amago: — miolo, jiiizo, en- 
tendimento. V. Juicio, En- 
tendimiento: — (ant.) ce- 
rebro ou a parte aonde es- 
tão os miolos. No tener meo- 
llo (fr.); não ter miolo; não 
ter juizo alguém, não ter 
substancia alguma cousa. 
Levem, inanem, vel Jutilem 
esse. 

Meon, na. adj. Mijão; que mija 
muito e com frequência. Mi- 
cturiens, entis: — /. (fam.) 
diz-se mais especialmente 
da menina recem-nascida. 

Meonio, nia. adj. Meonio; que 
pertence a Meonio, nome 
com que os poetas distin- 
guiam a Lydia: — meonio; 
habitante da Meonia. 

Meque, m. (p. Ciib.) V. Pes- 
cozón. 

Mequetrefe, m. Mequetrefe; 
homem eutremettido, tur- 



MER 

bulento, inquieto. Ardelio, 
onis. 

Mequídeo. m. (zool.) Mechideo; 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos lamellicornes. 

Mequídio. m. (zool.) Mecliidio 
(adulterino); genero de in- 
sectos coleópteros pentame- 
ros da familia dos lamelli- 
cornes. 

Meramente, adv. m. Meramen- 
te, puramente, simplesmen- 
te, unicamente, il/erè ; — 
meramente; sem mistura. 

Merar. a. Diluir, misturar um 
liquido com outro, para lhe 
augmentar a sua virtude e 
qualidade ou para tempe- 
ra-la. Diz-se particularmen- 
te destemperar ou aguar o 
vinho. Miscere, diluere 
aqua. 

Meratuofia. /. (med.) Mera- 
trophia; atrophia de um 
membro. 

Meravija. m. (ant.) V. Mara- 
villa. 

Merca. /. (fam.) V. Compra. 

Mercachifle, m. V. Buhonero, 

Mercadal. m. (ant.) Trato, ne- 
gocio : — mercado, praça. 

Mercadante. m. (ant.) V. Mer- 
cader. 

Meecadantesco, ca. adj. (ant.) 
V. Mercantil. 

Mercadantia./. (ant.) V. Mer- 
cancia. 

Mercadear, n. Mercadejar ; ne- 
gociar em mercadorias. 3Ier- 
caturam faceré, exercere. 

Mercader, m. Mercador; o que 
compra para vender por 
grosso ou a retalho. Merca- 
tor, propola, nundinator: 

— (germ.) ladrão que anda 
sempre por onde ha nego- 
cios, transacções : — de ge- 
nero; mercador de atacado 
ou de sobrado; o que vende 
por grosso: — por mayor; 
mercador de atacado: — 
por menor; mercador de re- 
talho, que vende por miudo: 

— de calle; barraqueiro, 
mercador ambulante; o que 
arma a sua barraca todos 
os dias em alguma rua ou 
logar publico : — de cajón; 
mercador que compra os gé- 
neros era bruto, os faz pre- 
parar ou trabalhar e os 
vende. 

Mercadeea. /. Mercadora; a 



^lER 



79 



mulher que vende em loja, 
que se occupa no trafico 
mercantil. Também se cha- 
ma assim a mulher do mer- 
cador. Negotiatrix, icis. 

Mercadería. /. Mercadoria ; 
tudo o que se compra e ven- 
de para uso e consumo. Mer- 
cês, mercimonium : — mer- 
cadoria; officio de merca- 
dor. Mercatura, ce: — (gtrm.) 
furto; cousas que os ladrões 
furtam. 

Mercadero. m. (ant.) V. Mer- 
cader. 

Mercado, m. Mercado; concoi-- 
rencia de gente a um sitio 
determinado em dias fixos 
para mercadejar. Mercatus, 
us: — mercado; praça, lo- 
gar publico onde se ven- 
dem viveres e outros gene- 
ros. Forum mercatus: — 
privilegio para ter merca- 
do: — mercado, emporio; 
povo, cidade ou porto de 
muito commercio, e assim 
se diz : que Londres é o pri- 
meiro mercado da Eurojia: 

— (ant.) negocio, contrato, 
obrigação. Poder vender en 
un buen mercado (fr. fig.); 
ser fino como um coral ; ser 
mui esperto, sagaz, astuto. 
Longh aliquem arte prcesta- 
re, vel equis albis praice- 
dere. 

Mercador, m. (ant.) V. Mer- 
cader. 

Mercadura. /. (ant.) V. 3Ier- 
cancía. 

Mercaduría. /, V. Mercadería, 
nas duas primeiras acce- 
pções. 

Mercal, m. Mercal; moeda de 
cobre em uso na Hespanha 
no tempo do rei Fernan- 
do III. 

•Mercancear. a. (ant.) Mercan- 
cear. V. Comerciar. 

Mercancía./. Mercancia; tra- 
to de mercadores, trato de 
mercadejar. Mercatura, ce: 

— mercadoria ; todo o ge- 
nero venal. Merccs: — (ant.) 
V. Mercía. 

Mercanciiiste. s. V. Merca- 
chifle. Buhonero. 

Mercandia. /. (ant.) Y. Mer- 
cancía. 

Mercante, m. Mercante, mer- 
cador. V. Mercader: — adj. 
mercante; diz-se do que per- 
tence ao commercio nas cou- 



80 



MER 



sas do mar, como: huque 
mercante; navio mercante, 
etc.: — mercante, mercantil. 
V. Mercantil, na primeira 
accepçào. 

Mercantesco, ca. aãj. (ant.) 
V. Mercantil. 

Mercantil, adj. Mercantil ; 
diz se do que é pertencente 
a mercadores, mercadorias 
ou ao trato commercial. Ad 
mercaturani pertinens. Mer- 
catorius : — mercantil, mer- 
cante \ diz-se do porto, na- 
ção ou praça de muito com- 
mercio. 

Mercantilismo, m. (neol.) Mer- 
cantilismo ; propensão a re- 
duzir tudo ao commercio. 

Mercantilmente, adv. m. Mer- 
cantilmente, commercial- 
mente. 

Mercantivo, va. adj. (ant.) V. 
Mercantil. 

Mercantivol. adj. (ant.) Nome 
de uma especie de letra que 
antigamente se usava no 
commercio. 

Mercanton. m. Navio mercan- 
te grande e mal appare- 
Ihado. 

Mercaptan. 771. (chim.) Merca- 
ptan; radical particular de 
certa classe de ácidos, que 
é um liquido incolor, de 
cheiro fétido. 

Mercaptido. m. (chim.) Merca- 
ptido; combinação de mer- 
captan com um metal. 

Mercaptidrico, ca. adj. (chim.) 
Mercaptidiico ; epitheto de 
um acido produzido pela 
combinação do mercaptan 
com o bydrogenio. 

Meecaptueo. m. (chim.) V. Mer- 
captido. 

Mercar, a. Mercar. V. Com- 
prar. 

Merced. /. Mercê, paga, sol- 
dada; preço dó trabalho, 
especialmente do jornaleiro. 
Mercês, edis : — mercê ; da- 
diva ou graça de empregos, 
dignidades, rendas, etc., que 
os reis ou senhores fazem 
aos seus subditos. Gratia, 
heneficium: — mercê, graça, 
favor, beneficio gratuito que 
se faz a outrem, aindaque 
seja de igual para igual. 
Beneficiam, mercês: — mer- 
cê, vontade, arbitrio. Vo- 
luntas, arhitrium, officium, 
heneficium : — (ant.) mercê ; 



MER 

tratamento de cortezia que 
se dava a quem não tinha 
senhoria ou tratamento su- 
perior: — (ant.) mercê, gra- 
ça, misericordia, perdão: — 
ó muchas mercedes (fr.); 
graças, mil graças; serve 
para dar os agradecimentos 
por algum beneficio que se 
recebeu. Officiose, gratissi- 
me quidem. Asentar a mer- 
cedes (fr.) V. Estar a mer- 
cedes. Entre merced y seño- 
ría (loe); entre bom e mau; 
usa-se para significar a me- 
diania, o estado de medio- 
cridade. Haber merced (fr.); 
ter piedade ou compaixão. 
Hacer a uno la merced (fr.); 
fazer a alguém a mercê, a 
esmola ; expressa ironica- 
mente que alguém prejudi- 
cou ou maltratou a outro. 
Officere aliqui. Pena de la 
nuestra merced. V. Pena. 
Tomar a merced a alguno 
(fr.); ter compaixão de al- 
guém ; tomar alguém á mer- 
cê; recebe-lo por creado sem 
ajustar o salario: — de agua; 
divisão que se faz da agua 
em alguns povos para o uso 
e consumo de cada vizinho 
ou habitante: — (hist.) mer- 
cês ; ordem religiosa e mili- 
tar instituida pelo rei Jai- 
me, o conquistador, e fun- 
dada por S. Pedro Nolasco, 
para o resgate dos capti- 
vos. Ordo mercedis. 
Mercenariamente, adv. wí. Mer- 
cenariamente, venalmente. 
Mercenario, ría. adj. Merce- 
nario; diz-se da tropa que 
serve na guerra a um prin- 
cipe estrangeiro, por certo 
estipendio: — mercenario, 
venal, interesseiro, disposto 
a deixar-se corromper ou 
subornar: — mercenario; re- 
ligioso ou religiosa da or- 
dem das Mercês. Usa-se tam- 
bém como adjectivo substan- 
tivado: — m. mercenario, 
trabalhador operario. Aler- 
cenarius, operarius : — mer- 
cenario; o que serve por ou- 
trem ou faz o seu trabalho 
mediante um salario ou es- 
tipendio. 
Murcendear. a. (ant.) Benefi- 
ciar; fazer graças ou mer- 
cês. 
Mercendéeo, BA. adj. (ant.) 



MER 

Dizia-se do que fazia mercê 
e também do que a rece- 
bia : — m. V. Mercader. 

Mercería./. Marceria; o trato 
e commercio de cousas miú- 
das e de pouco valor. Mer- 
cimonium, ii : — marceria; 
artigos de marceria, miude- 
zas, objectos miúdos que 
constituem este cummercio: 
— loja de marceria. 

Mercero, m. Marceiro ; merca- 
dor de marceria. Propola, ce. 

Mercurial, adj. Mercurial; 
diz-se do que pertence ao 
deus Mercurio: — (bot.) mer- 
curiaes; genero de plantas 
da familia das euphorbia- 
ceas: — pi. (pharm.) mercu- 
riaes; diz-se dos medica- 
mentos ou iDreparaçoes em 
que entra o mercurio. Fric- 
ciones mercuriales; fricções 
mercuriaes , fricções feitas 
com unguento que contém 
mercurio : — (chim.) mercu- 
rial; diz-se do que contém 
mercurio. 

Mercurificacion. /. (chim.) 
Mercurificação ; operação 
que consiste em extrahir 
dos metaes o mercurio : — 
mercurificação ; nome que 
os alchimistas davam á pre- 
tendida conversão de um 
metal em mercurio, ou á 
extracção d'este, considera- 
do por elles como elemento 
de alguns metaes. 

jVIercurio. m. (fig.) Mercurio; 
nome que ás vezes costuma 
dar-se ao mensageiro ou 
corretor de correspenden- 
cias amorosas: — (astron.) 
mercurio; pequeno planeta 
cujo diâmetro equivale ás 
duas quintas partes da ter- 
ra. Mercurius, ii: — (min. 
e chim ) mercurio; metal li- 
quido, brilhante, de côr 
bi-anca azulada, chamado 
commummentc azougue. 
Mercürioso, sa. adj. Mercu- 
rial; diz-se do que se refere 
ao mercurio. 
Merchan. adj. (ant.) V. Mer- 
chante e Mercante. 
Merchandia. /'. (ant.) Mqx- 

chandia. V. Mercancia. ^ 

Merchaniego, ga. adj. (ant.) 
Dizia-se do gado que se le- 
vava a vender ás feiras ou 
mercados. Venale pecus. 
Merchante, adj. (ant.) Mer- 



MER 

chante. V. Mercante: — bu- 
farinheiro, mercador. Nan- 
dinator, mercator. Alguns 
chamam-lbe Marchante. 

Merchantería. /. (ant.) Mer- 
cancia; emprego ou officio 
do mercador, ou o mesmo 
trato e eommercio. 

Mebdkllox, na. adj. fvidç/.) 
Porcalhão, porco, sujo, en- 
xovalhado; diz-se de um 
creado que serve cora des- 
aceio, etc. Usa-se também 
como substantivo. Spurcus, 
a, um. 

Merdíjero, ua. adj. (zool.) 
Merdigero; diz-se dos inse- 
ctos que se cobrem do seu 
próprio excremento para se 
resguardarem. 

Merdívoro, RA. adj. (zool.) 
Merdivoro; diz-se do ani- 
mal que vive de excremen- 
tos, que come excrementos. 

Merdoso, sa. adj. (vidg.) Em- 
porcalhado, sujo; cheio de 
immundicia. Sordibus iii- 
qiãnatus, spurcus. 

Mere. adv. m. V. Meramente. 

Merecedor, ra. adj. Merece- 
dor; que merece, que é di- 
gno de premio ou de casti- 
go. Merens, entis. 

Merecer, a. Merecer; ser di- 
gno de premio ou castigo. 
Merere, mereri: — mere- 
cer, valer, como: eso no me- 
rece cien reales; isso nào 
merece cem reales. Valere, 
merere: — n. merecer; ad- 
quirir titulo, jus, em rasào 
de actos feitos, fazer-se di- 
gno de premio. Benemcreri. 
Dar en qué merecer (fr.J; 
dar desgostos, fazer soffrer: 

— r. verbo applicado pelos 
pastores ás ovelhas que fa- 
zem creação, e assim dizem 
que: se merece bien, a que 
não fica infecunda. 

Merecidamente, adv. m. Mere- 
cidamente; em rasào do seu 
merecimento, com rasão ou 
justiça. Meritò. 

Merecido, m. Merecido; casti- 
go que alguém mereceu. Em 
portuguez é pouco usado 
n'este sentido. Pcena debi- 
ta vel merita. 

Merendar, n. Merendar; co- 
mer alguma cousa por me- 
renda. Llsa-se também como 
activo. Merendam sumere: 

— (prov.) comer ao meio 

M 



MER 

dia. ¿>ub meridie prandere: 
— observar com curiosida- 
de o que outro faz ou es- 
creve: — ver as cartas de 
outro parceiro com quem se 
joga. Furtim aspicere: — 
a. andar ligeiro, antecipar- 
se a conseguir alguma cou- 
sa. Múnus prceripere. 
Merendera. /. (bot.J Merende- 
ra; genero de plantas da 
familia das colchicaceas. 
Merendereas. /. pi. (bot.) V. 

Colchicciceas. 
Merendero, adj. Diz-se do cor- 
vo que anda regularmente 
pelas terras de semeadura, 
e tira a merenda da algi- 
beira dos trabalhadores. Sa- 
torius corvus. 
Merendita. /. dim. de Meren- 
da. Merendinha, merendasi- 
nha. 
Merendona./. Merendona: me- 
renda abundante e esplen- 
dida. Lauta merenda. 
Merengue. ?«. Especie de mas- 
sapâo, feito de claras de 
ovo e assucar clarificado. 
Meretrício, cia. adj. Meretrí- 
cio; diz-se do que é relativo 
ou pertencente ás meretri- 
zes. Meretricius, a, um: — 
m. (ant.) acto, copula car- 
nal com meretriz. Concuhi- 
tus cum meretrice. 
Meretriz. /. Meretriz. V. Ba- 

mera. 
Merganeta. /. (zool.) Merga- 
netta; genero de aves pal- 
mipedes. 
Meria. /. (zool.) Meria; gene- 
ro de insectos hj-menopte- 
ros, da familia dos escolei- 
dos. 
Meriania. /. (bot.) Meriauia; 
genero de plantas da fami- 
lia das melastomaceas. 
Merice. m. (zool.) Meryce ou 
meryx; genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos xylophagos. 
Meridiana. /. (astr.) Meridia- 
na; linha recta tirada em 
um plano horisontal, na di- 
recção de norte a sul, ou 
que representa a intersecção 
do horisontc com o mcre- 
diano. 
Meridiano, na. adj. Meridiano; 
diz-se do que pertence ao 
meio dia, como: altura me- 
ridiana; altura meridiana. 
Mcridiamts, a, um, A la me- 



MER 81 

ridiana; á hora du meio dia. 
Ad meridiem : — m. (astr.) 
meridiano; circulo máximo 
do globo, que o divide em 
dois hemispherios, passan- 
do pelo zenith e o nadir. 
Circulus meridianus : — adj. 
meridiano; um dos diíferen- 
tes epithetos que os astró- 
logos dilo ao segundo qua- 
drante do thema celeste. 
JMeridianum quadrans: — 
dei globo ó de la esfera; 
meridiano do globo ou da 
esphera; diz-se do circulo 
de metal em que gira e es- 
tá suspensa a esphera: — 
terrestre; meridiano terres- 
tre; circulo terrestre, cor- 
respondente ao meridiano 
celeste, que passa pelos po- 
ios da terra, e se encontra 
no mesmo plano que este 
ultimo. Primer meridiano; 
primeiro meridiano; o que 
cada nação ha adoptado 
para contar os outros, indo 
do oriente para o occiden- 
te. Pelos meridianos se me- 
de a longitude terrestre: — 
m. (hist. ant.) meridiano; gla- 
diador romano que entrava 
na arena ao meio dia. 
Meridio. m. (zool.) Meridio 
(particula); genero de infu- 
sorios da familia dos bacil- 
larios. 
Meridion. m. (ant.) V. Medio- 
día. 
Meridional, adj. Meridional, 
austral; diz-se do que é per- 
tencente ao meio dia ou ao 
sul. Mcridionalis, meridia- 
mis. 
. Merienda. /. Merenda ; comida 
leve entre o jantar e a ceia. 
Em sentido rigoroso, mas 
menos usado, significa a re- 
feição ligeira que se fazia 
ao meio dia, esperando co- 
mer cm abundancia á ceia. 
Merenda, a-: — (prov.) re- 
feição, comida que se toma 
ao meio dia. Prandium sub 
meridiem: — (fig. fam.) me- 
rendeira, corcova. V. Cor- 
eóla: — de negros; confu- 
são, desordem de algum ne- 
gocio ou dependencia, pro- 
curando alguém ficar com o 
proveito á custa dos mais. 
Commune lucrum sibi vindi- 
care vel subripere. Juntar 
meriendas (fr. fam.); ajun- 



82 



MER 



tar ou reunir os interesses. 
Consortium, societatem cura 
cdiquo inire. 
Merimea. /. (bot.) Merimea; 
genero de plantas da fami- 
lia das elatineas. 
Mekindad. in. Meiriíiliado; o 
territorio da jurisdicçào de 
meirinho d'elrei. IMerini di- 
tio, prcffectura exiguce regio- 
nis: — meirinhado; o cargo 
de meirinho. 
Meringal. m. V. Merigal. 
Merino, na. adj. Merino, mei- 
rinho; diz-se do gado lani- 
gero trashumante, que du- 
rante o inverno pasce na 
Extremadura, e no verão 
nos montes, em Hespanha. 
Merinum pecus: — meiri- 
nho; là dos carneiros meri- 
nos: — cabello crespo e 
muito basto: — m. meirinho; 
funccionario publico que o 
rei nomeava antigamente 
para algum territorio, dan- 
do-lhe ampla jurisdicçào. A 
este se Uie chamava tam- 
bém meirinho mór, porque 
podia eleger meirinhos me- 
nores. Exiguce regionis prce- 
fectus: —meirinho; ultima- 
mente chamava-se assim em 
algumas partes a nm official 
inferior de justiça que exe- 
cutava as ordens de algum 
corregedor: — o que cuida 
do gado merino, de seus 
pastos, e divisões d'estes. 
Gregum merinns, vel prce- 
fectus: — merino; tecido de 
lã mufina, que as senhoras 
usam para vestidos: — chi- 
co. V. Alguacil. 

Mekio. to. (zool.) Meryo; gene- 
ro de insectos coleópteros 
subpentaineros, da familia 
dos longicornes. 

Meriolice. m. (bot.) Meriolice 
ou merioljx; genero de plan- 
tas da familia das oenothe- 
raceas. 

Meripo. m. (zool.) IMeripho 
(cabrito); genero de insectos 
coleópteros, da familia dos 
curculiónidos. 

Merisma./. (bot.) Merisma (di- 
visão); genero de plantas da 
familia das teleplioras. 

Merismo. w. (zool.) Merismo; 
genero de insectos liymeno- 
pteros, da tribu dos chalci- 
dios. 

MeRIT AMENTÉ, ttãv. TO. (aut.) 



MER 

Meritamente. V. Merecida- 
mente. 
Meritar. n. (inus.) Merecer; 

fazer acções dignas. 
Meritísiwo, ma. adj. sup. de 
Mérito. M-eritissimOj dignís- 
simo. Mtritissimus, dignis- 
sinws. 
Mérito, m. Mérito, mereci- 
mento; qualidades e acções 
que dão direito á recompen- 
sa ou ao castigo. Meritum, 
i: — fundamento, motivo, 
justiça. E mais usado no 
plural: — mérito, mereci- 
mento, benemerencia: — 
mérito, merecimento; excel- 
lencia e bondade de uma 
obra: — belleza, graça; fal- 
lando das mulheres: — mé- 
rito, merecimento ou mere- 
cimentos; o que torna uma 
l^cssoa digna de estiiaação: 
— mérito, merecimento; o 
que faz alguém digno de re- 
compensa: — ^ mérito; mere- 
cimento; o que ha de bom 
e ajjreciavel, fallando das 
cousas: — militar (hist.); 
mérito militar ou ordem do 
mérito; ordem franceza in- 
stituida por Luiz XV em 
1759, para remunerar os 
serviços dos officiaes es- 
trangeiros empregados no 
exercito francez: — (rei.) 
mérito; bondade moral das 
acções do homem, segundo 
a recompensa que se lhes dá. 
Los méritos de la pasión de 
Jesus Cristo; os mereci- 
mentos da paixão de Jesus 
Christ), ou os merecimentos 
de Christo; na linguagem 
mystica, o que Jesus Chris- 
to soífreu para a redem- 
pçào dos homens. 
Meritoriamente, adv. m. Me- 
ritoriamente, merecidamen- 
te; de uma maneira digna. 
Meritorie. 
Meritório, ria, adj. Meritorio ; 
que ê digno de premio, lou- 
vor, remuneração. Merito- 
rius, a, um: — empregado 
sem vencimento, que está 
servindo ¡Dará adquirir di- 
reito aos logares de menos 
categoria: — (rei.) merito- 
rio; diz-se particularmente 
das boas obras que Deus 
recompensa e premeia no 
céu. 
Merizomiria. /. (bot.) Merizo- 



MER 

myria; genero de plantas 
da familia das phyceas. 
Merla. /. (prov. zool.) Melroa ; 

fêmea do melro. 
Merlán, to. (zool.) Pescada; 
sub-genero de peixes inala- 
cojiterygios, que tem por 
typo a pescada commum. 
Merlin. to. (fig.) Merlim, ma- 
gico, feiticeiro, bruxo, en- 
cantador. Saber mas que 
merlin (fr.); V. Saber mas 
que el diablo : — (naut.) mer- 
lim; cordinhas meio desfia- 
das e alcatroadas ou brea- 
das com que se forram os 
cabos nos navios. 
Merlina./. Merlina; órgão me- 
chanico para ensinar a can- 
tar alguns pássaros, espe- 
cialmente os melros. 
Merlo, to. (mil. ant.) V. Mer- 
lon: — (zool.) Y . Zorzal ma- 
rino: — (prov.) V. Mirlo. 
Merlon.'-)?;. fTOzY.JMerlào; ameia 
alta e larga, ou o esj^aço do 
parapeito entre duas canho- 
neiras. Interjecta inter tor- 
mentorum fenestras lorica: 
— alménico. V. Almena. 
Hueco de los merlones. V. 
Cationera. 
Merluza. /. (zool.) Badejo; 
subgénero de peixes perten- 
centes ao genero gadus, da 
familia dos anchenopteros. 
Merma./. Diminuição, jDerda, 
consumo, quebra; j^orçâo 
que se consome ou gasta de 
alguma»cousa. Bei imminu- 
tio, detrimentiim. 
Mermar, n. Diminuir-se algu- 
ma cousa ou consumir-se 
uma liarte d'ella. Decresce- 
re, imminui. 
Mermelada./. Marmelada; do- 
ce ou conserva de marmelos, 
com mel ou assucar. Mala 
__ cydonia melle vel saccharo 
condita. Brava mermelada; 
boa marmelada; expressão 
que denota o desproposito 
de alguma cousa. Importu- 
na res vel insulsa, imllius 
momenti. 
Mero, ra. adj. Mero, -j^iwo, 
simples, sem mistura. Me- 
rusj a, um: — imperio (for.) 
V. Imperio: — (zool.) melro 
do mar; especie de peixes 
acanthopterygios do genero 
serrato. 
Merocóride. m. (zool.) Mero- 
coride ou mercoris; genero 



MES 

do insectos hemipteros, da 
familia dos coreidos. 

Merode. m. Pilhagem; roubo 
commettido cm campo, em 
marcha pela tropa. 

Merodeador, m. Merodista, 
saqueador; soldado que de- 
banda du seu corpo para ir 
á pilhngem. Miles prrjedalor. 

Merodear, n. Merodear; ir á 
pilhagem, os soldados, es- 
¡jaliiando-se pelos campos e 
povoações para roubar. Mi- 
lites e castris in pireãatio- 
nem excurrere. 

Merodeo, m. Pilhagem; acção 
e effeito de ir5m á pilhagem 
os soldados. 

Merodista, m. V. Merodeador. 

Merodonte. m. (zooZ.JMerodou- 
te (dente va coxa); genero de 
insectos dípteros brachoce- 
ros. 

Merosceliso. m. (zool.) Meros- 
celisu s (coxa e perna ig uaes); 
genero de insectos coleópte- 
ros ííubpentameros, da fami- 
lia dos longicornes. 

MerostÁquide. m. (zool.) Me- 
rostachyde ou merostachys; 
genero de plantas da fami- 
lia das gramíneas. 

Mertensia./. (hot.) Mertensia; 
genero de plantas da fami- 
lia das celtideas: — (zool.) 
mertensia; genero de acale- 
phos beroideos, da tribu do 
cydippos. 

Merulaxe. m. (zool.) Mérula- 
xe; genero de aves da ordem 
dos pássaros, familia dos 
formigueiros. 

Mes. m. Mez; cada uma das 
doze divisões do anno solar. 
Mensis, is: — mez; preço 
ajustado por um mez de alu- 
guer, de lições, de trabalho, 
etc. :'— mez; ás vezes serve 
para determinar a duração 
de um privilegio, de um di- 
reito, etc. : — mez; o numero 
de dias consecutivos desde 
um dia assignalado até ou- 
tro igual no mez seguinte: 
— mez ou mezes das mulhe- 
res; o fluxo menstrual, a 
regra. Fceminarintn mens- 
iruinn : — mez ; ordenado que 
SC pnga jíor mezes aos crea- 
dos. Mercês, menstrua vel 
stipendium: — (adv. e conj. 
ant.) V. Mas: — civil; mez 
civil ou commum; intervallo 
de certo numero de dias iu- 



MES 

toiros, que se approxiraa o 
mais que é possível da du- 
ração de algum mez astro- 
nómico : — dei ohispo.Y. Mes 
ordinario: — mayores; me- 
zes mais próximos ao parto 
na mulher pejada. Mtnses 
partid proximiores : — me- 
zes anteriores, e immediatos 
á colheita, entre lavradores: 

— ordinario ; mez ordinario ; 
aquello a que corresponde 
de ordinario a apresentação 
das prebendas e beneficios 
ecclesiasticos. Caer en el mes 
del obispo (fr.); chegar a 
proposito; chegar a tempo 
para obter o que se deseja. 
Temjyestive vel opportunc 
accederé: — (astr.) mez; pe- 
riodo de tempo igual á duo- 
décima parte do anno, e que 
está indicado pela revolução 
synodica da lua. Mensis, is: 
• — anomalistico ; mez ano- 
malistico; tempo que a lua 
leva desde que está no seu 
apogeu, em voltar outra vez 
a elle. Mensis anomalisticus : 

— astronómico o natural ; 
mez astronómico ou natural ; 
o que é medido por um in- 
tervallo de tempo corres- 
pondente exactamente ao mo- 
vimento do sol ou da lua: 

— lanar periódico ; mez lu- 
nar periódico; tempo que a 
lua gasta em voltar ao mes- 
mo ponto do zodiaco de que 
partiu, na sua revolução á 
roda da terra. Mensis lunce 
jjeriodictis : — lunar sinódi- 
co; mez lunar synodico; es- 
paço que medeia entre duas 
conjuncções da lua com o sol 
ou entre duas luas novas. 
Mensis lunce sinodicns : — 
embolísmico o intercalar; 
mez embolismal ou intercal- 
lar; mez que em cada tres 
annos se junta aos doze me- 
zes lunares. 

Mesa. /. Mesa, banca; movei 
de pau ou pedra, sobre que 
se estende alguma cousa. 
Mensa, ce: — mesa; a pró- 
pria comida que se serve 
sobre a mesa; diz-se figura- 
damente. Mensa, dapes: — 
mesa; superficie horisontal 
de qualquer corpo: — pla- 
nura, planicie sobro monte 
ou elevação. Planities, ei: 

— prancha; parte plana da 



MES 83 

espada ou de outra arma si- 
milhante : — partida de bi- 
lhar o o que se paga por 
ella: — de estado; mesa do 
estado; aquella em que por 
conta do rei se serve a co- 
mida aos cavalleiros e ou- 
tros personagens: — de la 
vaca; segunda mesa de jogo 
para os jogadores de menor 
esphera. Certantinm in ludo 
secundas vel inferior con- 
sessíis: — del sol; a zona 
tórrida: — de trucos; mesa 
de truques; a construida 
para o jogo d'este nome. 
DrucUculorum tábida: — 
franca; mesa franca; aquel- 
la em que se dá de comer a 
todos quantos chegam, sem 
distincção de pessoas: — ga- 
llega ó de gallegos; mesa 
de vilão; mesa em que fal- 
ta o pão: — redonda; mesa 
redonda; em que não ha ce- 
remonia ou preferencia de 
logar; mesa redonda; onde 
se serve comida a horas fi- 
xas por preço determinado. 
Mensa rotunda vel cibilla: 
de vilanos (fam.); me^a de 
vilões; mesa mal servida, 
onde é escassa a comida: — 
traviesa; mesa travesé a; a 
que está no topo do refeitó- 
rio, o salas de juntas do com- 
munidades, onde se sentam 
os superiores. Também se 
dá este nome aos que n'ella 
tomam assento. ilíewsa trans- 
versa vel princeps. A mesa 
puesta (loe. adv.); sem tra- 
balho, gasto nem cuidado. 
Mensoe paratce adstare, alie- 
na non vocalum celebrare 
convivia,. Cubrir la mesa 
(fr.); por, cobrir a mesa; 
guarnece-la, por-lhe por or- 
,dem os pratos, viandas ou 
iguarias que se servem. Men- 
sam epidis successive instrue- 
re. Dar mesa ó la mesa a 
alguno (fr.); assentar á me- 
sa alguém. Estar a mesa y 
mantel de alguno (fr.); es- 
tar de mesa com alguém; 
comer diariamente com elle. 
Frequenter apud aliquem 
cañare. Hacer mesa gallega 
(fr.); ganhar ao jogo todo 
o dinheiro do contrario Me- 
dia mesa; mesa dos creados; 
a segunda mesa que se põe 
mais barata oas hospedarías 



84 MES 

c pousadas para os creados 
comerem. Foner la mesa 
(fr.); pôr a mesa; cobri-la 
com a toalha, ¡rondo-lhe em 
cima os talheres e mais 
aprestos e manjares. Men- 
sam imrare, stcrncrc. Sobre 
mesa (loe. adv.); sobre o 
jantar ou a ceia; depois de 
ter jantado ou ceado. Post 
measam, x^ost j^randitim: — 
jnesa; junta do pessoas á 
roda de uma mesa, em as- 
sembléa, irmandade, etc. 
Injerir ó injertar de mesa 
(agr.); enxertar de mesa; 
introduzir o enxerto na fen- 
da que se faz no tronco ser- 
rado horisontalmcnte: — 
(arcli.) patamar da escada; 
plano cm que remata cada 
um dos láñeos da escada. 
Scalorum areola : — de cam- 
bios (com.) V. Banco de co- 
mercio: — (bot.) mesa; ge- 
nero de plantas da familia 
das mirciaeas: — de guar- 
nición (naut.); mesa da 
guarnição; prancluxo cm for- 
ma de prateleira, .para n'el- 
le se entalharem as chapas 
que aguentam as bigotas 
das enxárcias reaes. Hacer 
la mesa (fr. mil. ant.J; acam- 
par, assentar o campo ou 
arraial um exercito : — írel.J 
Sagrada Mesa, a Santa Eu- 
charistia. Mensa Sacra: — 
total das rendas das igrejas, 
prelados e dignidades, ou 
das ordens militares. L'edi- 
tuum summa: — (zool.) me- 
sa; genero de insectos da 
tribu dos tentredinos. 

Mksada. /. Mesada; dinheiro 
que se dá cada mcz, paga- 
mento, prestação, contribui- 
ção mensal. Menstrua solu- 
tio, moistruum stij)endium. 

Mesauuka. /. (ant.) Arrepella- 
dura; acção de arrepellar. 
Dejyilafio, dccalcatio. 

MKSAjKniA. /. (ant.) V. j\fensa- 
jería. 

Mesajeuo, i!A. adj. (ant.) V. 
Mennajero. 

Mesaka. /. (iHiid.) Mesena; 
mastro de ré das embarca- 
ções de tres mastros: — 
mesena; vela que se enver- 
ga na carangueija do mas- 
tro de ré. Epidromov , epi- 
dromus: — mesena; antiga 
verga ou anteuna, que se 



MES 

collocava no mastro da me- 
sena e a de cruz que ainda 
conserva. 

Mesab. a. Arrepellar, arran- 
car, tirar violentamente os 
cabellos da cabeça ou da 
barba com as mãos. Filos 
evellere, ungídbus meteré. 
Também se usa como reci- 
pruco : — (ant.) colher o fru- 
cto de urna herdade: — n. 
(ant.) V. Felear. 

Mesa YE. m. (ant.) V. Mensaje. 

Mesayeuía. /. (ant.) V. Meti- 
sajeria. 

Mesayero, ra. adj. (ant.) V. 
Mensajero. 

Mescauaií. a. (ant.) Mescabar . 
V. Menoscabar. 

Mescabo. »?!. (ant.) Mescabo. V. 
Menoscabo. 

Mescan. s. (ant.) O que se jun- 
ta carnalmente com outra 
pessoa. 

Mescar. a. (ant.) Moscar. V. 
Mezclar. 

Mescladok, ra. s. (ant.)\. Ca- 
lumniador. 

Mesclamiexto. m. (ant.) V. 
Mezcla. 

Mesclar, a. (ant.) V. Calum- 
niar : — V. Malquistar : — 
r. (ant.) V. Mezclarse, ter 
parte em alguma cousa. 

Mescolanza. /. V. Mezcolanza. 

Mese. /. (ant.) V. Mies. 

Meseguería. /. Guarda dos 
trigos ou das messes; acção 
de as guardar: — (prov.J 
cotisação que os lavradores 
fazem entre si para pagar 
ao guardador das searas, e 
a parte que a cada um cor- 
responde. 

Meseguero, m. Guardador das 
messes ou searas. Messis cus- 
tos: — (2). Ar.) vinheiro; 
guarda das vinhas: — adj. 
concernente ou relativo ás 
messes. 

Meselladok, ra. adj. (ant.) In- 
feliz, miserável. 

Mesenterexfraxis. /. (med.) 
Mesentercnfraxis; obstruc- 
ção do mcsenterio. 

Mesenteresia./. (med.)Y. Me- 
senteritis. 

Mesenteria. /. (med.) Mesen- 
teria; inchação das glándu- 
las mesentericas. 

IMesentérico, ca. adj. (anat.) 
IMcsenterico; diz-se do que 
ó pertencente ao mesente- 
rio. 



MES 

Mesen TER10. m. (anat.) Mesen- 
torio; túnica ou membrana 
dependente do peritoneo , 
que envolve os intestinos. 

Mesenteriporo. m. (zool.) Mc- 
senteriporo (monbro que 
reúne os intestinos) ; genero 
de iwlypeiros, da familia 
dos operculiferos, 

Mesekteritis./. (med.) Mesen- 
teritis ou mesenterite; in- 
flaramação do mcsenterio. 

Meseraica. adj. (anat.) Mcse- 
raica; dizse de cada uma 
das veias que descem do 
figado ao mcsenterio por 
meio da veia porta. 

IMesero. m. Official que aca- 
bou a sua aprendizagem, e 
se ajusta com o mestre para 
trabalhar, dando-lhe este de 
comer e pagando-lhe aos me- 
zes. Mesiruus operarius. 

Meseta, /. V. Mesa, signifi- 
cando planura: — V. Mesa, 
na accepção de architectura. 

Mesías, m. Messias; nome que 
os hebreus davam aos seus 
sacerdotes, prophetas, e aos 
seus reis, e foi especialmen- 
te usado para designar Je- 
sus Christo. Esperar a uno 
como ai Mesías (fr.); espe- 
rar a alguém como ao Mes- 
sias; espera-lo anciosamen-' 
te, com impaciencia. 

Mesiazgo. m. Messiado; a di- 
gnidade do Messias. 

Mesidor. 7??. Messidor; decimo 
mez do calendario republi- 
cano francez. 

Mesiello, lla. adj. (ant.) V. 
Miserable. 

Mesilla, ta. /. dim. de Mesa. 
Mesinha ou mensinha; mesa 
Ijequena: — dinheiro que o 
rei dá aos seus creados dia- 
riamente, quando está de 
jornada, em logar de mesa. 
Diurna mercês p)'>'o cibo : — 
reprehensão dada em ar de 
chacota, em tom de gracejo. 
Usa-se nos collegios e \\n\- 
XQvúáíiáG^.Animadcertioju- 
gis: — V. Mesa, na acce- 
pção de architectura. 

Mesillo. m. Primeiro menstruo 
das mulheres, depois do 
parto. 

Mesion. /. (ant.) Emijenho, co- 
nato. 

Mesitixa. /. (min.) Mesitina; 
carbonato duplo de magne- 
sia e ferro. 



MES 

Mesitinespato. m. (min.) Mesi- 
tinespatho; variedade de fer- 
ro spathico, ein cuja compo- 
sição entram os carbonatos 
de ferro e de magnesia. 

Mesito. 777. (zool.) Mesito oii 
mesites; genero de aves, cuja 
classificação scientifica nao 
está determinada, e que tem 
o bico quasi tão comprido 
como o resto da cabeça : — 
mesites; genero de insectos 
coleópteros tetrámeros, da 
familia dos curculiónidos. 

Meslein. 7/7. Meslein; medida 
de capacidade do ducado de 
Badén, que equivale a litro 
e meio. 

jMesjieriako, na. s. Mesmeria- 
no ou mesmerista; seguidor, 
partidario do mesmerismo : 
— adj. mesmeriano, mesme- 
rista; diz-se do que se refe- 
re a Mesmer ou as suas dou- 
trinas. 

Mesmerismo. m. Mesmerismo; 
doutrina de Mesmer sobre 
o magnetismo animal. 

Mesmerista. adj. e s. V. Mes- 
meriano. 

Mesmo, ma. pron. jfjes. (ant.) V. 
Mismo. Hoje usa-se mais na 
Galliza. Eso mesmo (fr. ant. ); 
isso mesmo, também, igual- 
mente, do mesmo modo. 

Mesnada. /. (ant.) Mesnada; 
gente de guerra assoldadada 
pelos reis antigamente. Ar- 
matornm manus : — (ant.) 
companhia, junta, congre- 
gação. 

Mesnadería./. (ant.) Mesnade- 
ria; soldo do mcsnadeiro. 

Mesnadero. m. (ant.) Mcsna- 
deiro; soldado, homem da 
mesnada. 

Mesocarpo. 771. (bot.) Mesoear- 
po; substancia interposta 
entre a epiderme interna e 
a externa do pericai-jio. 

Mesocefalitis. /. (med.) Meso- 
cephalitis; inílammaçào do 
mesocephalo. 

Mesocéfalo. adj. (anaf.) Meso- 
cephalo; diz-se do que está 
collocado no meio da cabe- 
ça: — 771. mesocephalo; me- 
dulla prolongada, que se 
acha contida na parte infe- 
rior, posterior e media do ce- 
rebro. 

Mesocólon, m. (anal.) Mesoco- 
lon; nome de certas expan- 
sões do peritoneo, em cuja 



MES 

duplicatura estão comijre- 
hendidas as diíFerentes por- 
ções do intestino colon. 
Mesocráneo. 777. (anüt.) Meso- 
craneo; parte media do crá- 
neo. 

MeSOFILLO. 777. fJoí.) McSOplljl- 

lo; plexo de fibras vascula- 
res e de tecido cellular que 
constitue o cor^ío das folhas 
dos vegetaes. 

Mesofito. 777. (bot.) Mcsopliito ; 
nó vital das plantas, isto é, 
a linha de demarcação en- 
tre a parte ascendente e a 
descendente do vegetal. 

Mesofragma. 77?. (zool.) Meso- 
phragma; parte que se diri- 
ge verticalmente no thorax 
dos insectos, e aonde se vão 
inserir alguns músculos das 
azas. 

Mesogástrico. 7?i. (anat.) Me- 
sogastrico; região media do 
abdomen entre o epigastrio 
c o hipogastrio. 

IVÍEsoGÓTico, CA. adj. Mesogo- 
thico; diz-se do que é rela- 
tivo ou concernente aos go- 
dos que se estabeleceram na 
Mesia. 

Mksograma./. (bot.)'Mesogram- 
ma (linha no centro); genero 
de plantas da familia das 
compostas. 

Mesóla. /. (min.) Mesóla; va- 
riedade de mesotypa que se 
apresenta em glóbulos de 
estructura luminosa. 

Mesolabio. 777. (math.) ]\Iesola- 
bio; instrumento antigo pa- 
ra achar uma media propor- 
cional. 

Mesolina. /. (min.) Mesoliua; 
hydro-silicato de alumina, 
cal e soda. 

Mesolita. /. (min.) MesoHta; 
variedade de mesotypa, que 
contém cal e soda. 

Mesolóbulo. 777. (anttt.) Meso- 
lobulo; parte do cerebro col- 
locada entre os dois hemis- 
pherios. 

Mesologaritmo. m. (math.) Me- 
sologarithmo; logarithmo da 
tangente. 

]\Iesomeria. /. (anat.) Mesome- 
ria; jjarte do corpo colloca- 
do entre as coxas. 

Mesón, m. Estalagem; casa 
onde os viajantes são aloja- 
dos por dinheiro. Diverso- 
rium, hospitiiim publicum, 
caupona. Estar como mesón 



MES 85 

(fr.); parecer urna estala- 
gem; diz-se para notar a 
grande concurrencia e mo- 
vimento de uma casa, cujas 
portas estão abertas para 
todos. 

Mesona. /. (bot.) Mesona; ge- 
nero de plantas da familia 
dos labiada*. 

Mesonaje. 777. Sitio ou rua em 
que ha muitas estalagens ou 
albergarias. Victis diverso- 
riis vel hospitiis distinctus : 
— (vvlff.) ofiicio de estalaja- 
deiro. 

Mesonático, ca. adj. (fam.) V. 
Mesonil. 

Mesonema. /. (zool.) Mesone- 
ma (filamento); genero de 
acalephos medusarios da fa- 
milia dos equoridos. 

Mesonero, ra. s. Mesoneiro; 
estalajadeiro; dono de esta- 
]i\gem.Stabidarins,cav23o: — 
adj. diz-se do creado ou crea- 
da da estalagem: — (fam.) 
diz-se do que respeita á es- 
talagem. 

Mesonil. adj. (fam.) Diz-se do 
que pertence ou é relativo 
á estalagem. 

Mesonista. /. (fam.) Moça, 
creada da estalagem. 

Mesonizante. adj. s. f/a???.^ Es- 
talajadeiro; o que tem esta- 
lagem. 

Mesopolóbulo. m. (zool.) Me- 
sopolobulo (lóbulo no meio 
do pé); genero de insectos 
hymenopteros da tribu dos 
calcidios. 

Mesoqueiro./. (zool.) Mesochei- 
ra (mño dividida); genero de 
insectos hymenopteros. 

Mesora. /. Mesora; intervallo 
entre as horas do ofiicio di- 
vino, na igreja grega. 

Mesosa. /. (zool.) Mesosa (que 
está ao meio); genero de in- 
sectos coleópteros subpenta- 
meros, da familia dos longi- 
cornes. 

Mesostena. 777. (zool.) Mcsostc- 
no; genero de insectos hy- 
menopteros, da familia dos 
icbneumonidos. 

Mesotipa./. (min.) Mesotypa; 
variedade de zeolita, cha- 
mada também zeolita radia- 
da, que crystallisa em pris- 
mas rhomboidaes. 

Mesoz. 777. (ant.) V. Salmón. 

Mespilodafne. 777. (bot.) Mes- 
pilodaj)hne; genero de plan- 



86 



MES 



tas da familia das lauriueas. 

Mesopleurio, ría. adj. Meso- 
pleuro •, q ualificação dos mus- 
culus intercostae.?. 

Mesorecto. m. (anat.J Mesore- 
cto; expansão triangular do 
peritoneo, que se estende 
desde a face anterior do sa- 
cro até á posterior do recto. 

Mesóstomos. m. pl. (zool.) Me- 
sóstomos; tribu de echino- 
dermes, que tem a boca no 
eixo do corpo. 

Mesotenak. m. (anat.) Meso- 
tlienar; nome de um dos 
músculos do dedo pollegar 
da mão, que também se cha- 
ma antithenar. 

Mesotórax. m. (anat.) Meso- 
thorax; parte media do pei- 
to : — (zool.) mesothorax ; se- 
gunda parte do coi-solete 
que sustém as azas superio- 
res, e o par de patas inter- 
medias. 

Mesozeugma. m. (rJiet.) Meso- 
zeugma ; figura rhetorica ge- 
ralmente chamada zeugma. 

Mespiliforme. adj. (bot.) Mes- 
piliforme; diz-se do que é 
parecido com a nespereira. 

Mesquindad, Mesquikdade, 
Mesquindat./. (aiit.) V. Mez- 
qriindad. 

Mesquino, na. adj. (ant.) V. 
Mezquino, miserável, ava- 
rento. 

Mesta. /. Mesta; sociedade, 
corporação de pastores e pro- 
prietários de gados trashu- 
mantes, representada por 
uma junta ou concelho que 
se reúne duas vezes por anno 
para tratar dos negocios 
concernentes aos gados e 
seu governo económico. Es- 
ta junta tinha por titulo FÃ 
honrado concejo de la mesta. 
Rei i^ecnarioi consessns : — 
a junta da sociedade de mes- 
ta, celebrada de seis em seis 
ra^zQ&.Ambasmestas.Y. Con- 
fluencia. 

Mestal. m. (ant.) Baldio; terra 
inculta. 

Mestenco, ca. adj. (ant.) V. 
Mostrenco. 

MestbSo, ña. adj. Diz-se do 
que é relativo ou pertence 
á mesta. Pecuarius, a, um : 
— V. Mostrenco. 

Mester, m. (ant.) V. Menester: 
— (ant.) mester, arte, ofiScio. 

Mestizo, za. adj. Mestiço; dia- 



MES 

se da pessoa ou animal fi- 
lho de pae e mãe de diífe- 
rentes raças. Applica-se com 
especialidade ao filho de eu- 
ropeu e ainda ao de branco e 
mulata, ctc. Usa-se também 
como substantivo. Hihris, 
hihridus. 

Mesto. m. (bot.) V. Aladierna. 

Mestoro. m. (zool.) Mestoro; 
genero de insectos coleópte- 
ros tetrámeros, da familia 
dos curculiónidos. 

Mestra. /. (ant.) V. Maestra. 

Mestre, m. (ant.) V. Maestro : 

— V. Artífice. 

Mestria. /. (a7it.) V. Ctira- 
clon. 

Mestko. m. (ant.) V. Maestro. 

Mestura. /. (p. Ar. e Gal.) 
Mistura; trigo misturado 
com centeio. Mistiira pauis: 

— (ant.) mistura. V. Mez- 
cla: — geração, linhagem. 

Mesturador, ra. s. (ant.) V. 
Mesturero. 

Mesturar. a. (ant.) Mesturar. 
V. Misturar: — revelar; 
descobrir ou publicar al- 

• gum segredo: — V. Denun- 
ciar, Delatar. 

Mestükero, ra. s. (ant.) Reve- 
lador, divulgador; o que re- 
vela ou divulga algum se- 
gredo: — enredador, intri- 
gante; pessoa que tece en- 
redos. 

Mesturgar. a. (ant.) V. Apa- 
centar. 

Mesturgo. m. (ant.) V. Pasto. 

Mesua. /. (bot.) Mesua; gene- 
ro de plantas da familia das 
clusiaceas. 

MesuRA. /. Mesura, gravida- 
de, seriedade, modestia. E 
antiquado em portuguez. 
Modestia, gravitas, circnm- 
spectio: — mesura, ,mode- 
ração, comedimento. É tam- 
bém antiquado em portu- 
guez. Modus, moderatio: — 
mesura, reverencia; corte- 
zia feita por acatamento. 
Hoje em portuguez, só se 
diz de cortezia feita por 
mulheres. Submissio, onis: 

— (ant.) sobriedade, virtude 
da temperança: — juízo, 
prudencia: — V. Medida. 

Mesurable, adj. V. Mensura- 
ble. 

Mesuracion. /. (mus.) Medida 
ou mensura; proporção dos 
membros de um compasso. 



MET 

Mesuradamente, adv. Mesura- 
damente, modestamente, cor- 
tezmeute, prudentemente. 

Mesjjrado, ua. adj. Mesurado ; 
comedido, modesto, modera- 
do. Modestus, circumspectus : 
— governado, parco, mode- 
rado. Parcus, a, um: — 1 
(ant.) diz-se do que é bem 
proporcionado, que tem jus- 
ta proporção. 

Mesuramiento. m. (ant.) V. 
Mesura, moderação. 

Mesurante, p. a. (anf.) de 3Ie- 
surar. 

Mesurar, a. Mesurar, mode- 
rar, morigerar; fazer al- 
guém modesto e cortez, in- 
spirando-lhe respeito e aca- 
tamento. E termo antiqua- 
do em portuguez. Gravita- 
tem vel modestiam inferre, 
serie se gerere: — (ant.) V. 
Medir: — (fig. ant.) V. Con- 
siderar: — r. mesurar-se, 
comedir-se, conter-se, mode- 
rar- se, haver-se com mode- 
ração. 

Meta./. V. Blanco: — meta, 
termo, limite: — meta; si- 
gna! que se põe para mar- 
car termo ou limite : — (hist.) 
meta; sigual que se punha 
no fim de uma carreira, até 
onde os cavallos corriam 
desde as balizas, nos jogos 
públicos da Grécia e Roma. 

MetÁbala. /. (rhet.) Metaba- 
la; figura que consiste em 
transtornar a ordem que de- 
vem ter as palavras na ora- 
ção, ou na interposição de 
alguma palavra entre as 
syllabas de outra. 

MetabÁside. /. (bot.) Metaba- 
sis; genero de ^plantas da 
familia das compostas. 

Metabasis. /. (med.) Metaba- 
sis ou metabase; nome que 
dão alguns auctores á mu- 
dança de remedio, segundo 
os symptomas que apresen- 
ta uma enfeimidade. j 

MetÁbola. /. (med.) Metabola; \ 
mudança de uma doença em 
outra: — (rhet.) metabola; 
figura que consiste em ac- 
cumular muitos synonymos 
para exprimir uma mesma 
idéa. 

Metabolo. m. (bot.) Metabolo; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas: — adj. 
(zool.) metabolo; diz-se do 



MET 

animal que experimenta al- 
guma metamorphose: — m. 
pl. metabolos; sub-classe de 
insectos, que comprehende 
todos os que experimentam 
modificações na forma. 

Metabolólogo, ga. s. y. Me- 
tabololojista. 

Metabololojia. /. (meã.) Me- 
tabolologia; discurso, trata- 
do, obra sobre as transíbr- 
mações que sobrevem na 
marcha das doenças: — 
(zool.J metabolologia ; parte 
da entomologia, que trata 
do estudo das metamorpho- 
ses que experimentam al- 
guns insectos. 

Metabololójico, ca. adj. (mecí. 
e zool.) Metabolologico; diz- 
se do que é pertencente ou 
relativo á metabolologia. 

Metacarpiano, na. adj. (anaf.J 
Metacarpiano. 

Metacarpio, pía. adj. (anal.) 
V. Metacarpiano. 

Metacarpo, m. (anod.) Meta- 
carpo; parte da mão entre 
os dedos e o pulso: — fa- 
lanjiano; metacarpo pha- 
langiano; diz-se do que per- 
tence ao metacarpo e ás 2)lia- 
langes: — (zool.) metacar- 
po; especie de estrellas do 
mar, que têem a forma de 
urna mào completa. 

Metacentro, m. (geom.) Meta- 
centro; centro de gravida- 
de, sempre no meio da mas- 
sa, qualquer que seja a po- 
sição do corpo que a forma. 

Metacetona. /. (cliim.) Meta- 
cetona; substancia particu- 
lar, que se approxima da 
acetona. 

Metacismo. m. (gram.) Meta- 
cismo; defeito da pronun- 
ciáção da letra m, quando 
é seguida de urna vogal. 

Metacóndilo. m. (anat.) Me- 
tacondylo; cada uma das 
ultimas phalanges, as mais 
pequenas dos dedos. 

Metacokesis. /. (med.) Meta- 
choresisou metachoresefíWíí- 
danca de logar); passagem 
de uma enfermidade de uma 
parte do organismo para 
outra 

Metacronisjio, m. (chron.) Me- 
tachronismo; anachronismo 
por antecipação de data. E 
o contrario de panachronis- 
mo. 



MET 

Metad. /. (prov.) V. Mitad. 

Metaddpo. m. (zool.) Metadu- 
po (intermedio) ; genero de 
insectos coleópteros tetrá- 
meros, da familia dos cur- 
culiónidos. 

Metafísica. /. (fig.) Metaphy- 
sica; o modo de discorrer 
com demasiada subtileza, em 
qualquer matoria, e as mes- 
mas cousas sobre que se dis- 
corre. Nimia sribtilitas: — 
(pililos.) metaphysica; scien- 
cia dos entes espirituaes ou 
incorpóreos, das cousas ab- 
stractas, intellectuaes. Di- 
vide-se em geral e especial. 
Methaphysica, ce. 

Metafísicamente. adv. m. Me- 
taphysicaraente; de um mo- 
do metaphysico . Metaphy- 
sice. 

Metafísico, ca. adj. Metaphy- 
sico; diz-se do que é perten- 
cente ou relativo á meta- 
physica. Usa-se também co- 
mo substantivo, pelo que a 
professa. Methaphysicus , a, 
um: — metaphysico, obscu- 
ro, intrincado; o que é dif- 
ficil de entender. Metapliy- 
sicus, a, um. 

Metafistego. m. (anat.) Meta- 
fistego; peça do thorax dos 
insectos. 

Metaflogosis. /. (med.) Meta- 
phlogosis ou ^taphlogose; 
o mais alto grau da inflam- 
mação. 

Metáfora. /. (rliet.) Metapho- 
ra, translação; tropo pelo 
qual damos ás palavras ura 
sentido translato ou analó- 
gico. Metaphora, ai. 

Metafóricamente, adv. m. Me- 
taphoricamente; por meta- 
phora, em sentido metapho- 
rico. Metapliorice. 

Metaforicar. n. (ant.) V. Me- 
taforizar. 

Metafórico, ca. adj. MetajDho- 
rico; diz-se do que encerra 
metaphora. Mefajyhoricus, a, 
um: — (philol.) metaphori- 
co; diz-se de uma das seis 
especies de caracteres de 
que se compõe a lingua ideo- 
lógica dos chinezes. 

Metaforistas. m. p)l. (reí.) Me- 
taphoristas; sectarios que 
pretendiam que o dogma da 
presença real fosse uma es- 
pecie de metaphora. 

Metafobizak. 11. Metaphori- 



MET 



87 



sar; usar de metaphoras, 
dar accepção, sentido me- 
taphorico. Metaphoras ad- 
hibere. 

Metafósfato. 7?!. (chim.) Me- 
taphosphato; sal produzido 
pela Combinação do acido 
metaphosphorico com uma 
bnse. 

Metafosfórico, ca. adj. (chim.) 
Metaphosphorico; diz- se de 
um acido de propriedades 
análogas ao phosphorico. 

Metafrasis./. (Hit.) Metaphra- 
se; interpretação litteral de 
uma obra ou de um escri- 
pto qualquer: — metaphra- 
se; traducção litteral. 

Metagallato. m. (chim.) Me- 
tagallato; sal formado pela 
combinação do acido meta- 
gallico com uma base sali- 
ficavel. 

MetagÁllico, ca. adj. (chim.) 
Metagallico; produzido pela 
acção do fogo sobre o acido 
gallico. 

Metagoge. /. (rhet.) V. Meta- 
goje. 

Metagoje. /. (rhet.) Metago- 
ge; figura que consiste em 
dar sentimentos, paixões a 
cousas inanimadas. 

Metal, m. Metal, latão, me- 
tal amarello. Aurichalcum, 
i: — (fig-) metal de voz; 
qualidade mais ou menos 
sonora d'ella. Tonus vel so- 
nus vocis: — metal, laia, 
estofa; qualidade, classe, 
condição de alguma cousa. 
Qualitas, afis: — (ant.) V. 
Mercai : — de campana (art.) 
V. Bronce : — fuerte ; -metal 
forte; nome que dão os fun- 
didores e impressores á com- 
posição de antimonio, chum- 
bo e ferro velho, de que se 

' faz a fundição para a letra 
de imprensa: — (br.) metal; 
o oiro, que se representa 
pela côr amarella, e a pra- 
ta, que se representa pela 
branca, para os distinguir 
das outras cinco cores. Me- 
t aliam, i : — de ayuda, (m in.); 
metal coadjuvante; o que 
ajvida a fundir o principal e 
a tempera-lo: — de cebo; me- 
tal de sebo; metal riquíssi- 
mo, que se derrete era vaso 
de afinação: — machacado; 
o oiro e prata nativa, pura, 
sem mistura alguma: — pC' 



88 



MET 



pena ou rico; metal rico ou 
precioso; o oiro e a prata: 
— metal; em mineralogia é 
um nome commum a uma 
secção de corpos simples, 
solidos á temperatura e pres- 
são ordinarias, á excepção 
do mercurio, que é impossí- 
vel designar por caracteres 
communs a todos elles, sen- 
do o brilho o único que, mais 
ou menos, se nota em todos. 
Metallum, i: — nativo ó 
virjen; metal nativo ou vir- 
gem; o que é tirado puro e 
limpo da mina. 
Metalado, da. adj. (ant.) V. 

Metálico. 
Metalario, m. Metalario: o 
que trabalha em metaes. 
Metalarius, ii. 
Metalasia. /. (bot.) Metalasia 
(velloso por detrás); gene- 
ro de plantas da familia das 
compostas. 
Metalepsis. /. (rhet.) Metale- 
pse; figura da dicção, em 
que os termos antecedentes 
dão a explicação dos sub- 
sequentes . Transpositio , 
onis. 
Metaléütica. /. (zool.) Metal- 
leutica; genero de insectos 
orthopteros, da tribu dos 
mantidos. 
Metalesceste. adj. ^letalles- 
cente; qualificação dos cor- 
pos que apresentam na sua 
superficie um brilho metal- 
lico. 
Metálica./. V. Metalurjia. 
Metálico, ca. adj. Metallico; 
diz-se do que é de metal ou 
pertencente aos metaes. Me- 
talliciis, a, um : — metalli- 
co; que respeita ás meda- 
lhas, e assim se diz: histo- 
ria metálica; historia me- 
tallica. Metailicus, a, uin: 
— m. metallico, metal so- 
nante; o dinheiro ou moeda 
em sua própria especie, pa- 
ra o distinguir do papel 
moeda : — V. Metalario. Pin- 
tura metálica. V. Pintura 
embutida. Brillo metálico; 
brilho metallico; brilho pro- 
duzido por uma reflexão vi- 
va, de que resulta a appa- 
reucia de um metal. Plumas 
metálicas; penas metallicas 
ou de aço, para escrever. 
Caracteres metálicos ; cara- 
cteres metallicos; os traea- 



MET 

dos com tinta de côr e bri- 
lho metallico. Historia me- 
tálica (hist.J; historia nie- 
talliea ou das medalhas; 
aquella cujos acontecimen- 
tos estão acreditados por 
uma serie de medalhas. Cien- 
cia metálica (num.); scien- 
cia metallica ou das meda- 
lhas; a que diz respeito ás 
medalhas: — m. pi. (zool.) 
metallicos; secção de inse- 
ctos da familia dos musci- 
dos. 
Metalífero, ea. adj. (min.) 
Metallifero; diz-se do mine- 
ral que contém alguma por- 
ção ou parcella de metal. 
Metallifer, era, erum: — 
(poet.) metallifero; diz-se do 
que produz metaes. Metalli- 
fer, era, erum. 
Metaliforme. adj. (min.) Me- 
talliforme; diz-se do mine- 
ral que tem a apparencia 
metallica. 
Metalixo, xa. adj. (ant.) Me- 
tallino; diz-se do que é de 
metal. 
Metalista, m. V. Metalario. 
Metalito. m. (zool.) Metalli- 
tes (metallico); genero de 
insectos coleópteros tetrá- 
meros, da familia dos cur- 
culiónidos. 
Metalización. /. Metallisação ; 
acção e ^tfeito de metalli- 
sar: — (zool.) metallisação; 
formação natural dos me- 
taes no seio da terra: — 
(chim.) metallisação; opera- 
ção metallurgica, por meio 
da qual se extrahem os me- 
taes das minas que os con- 
têem. 
Metalizar, a. (fig.) Metalli- 
sar; endurecer, empedernir 
ou fazer insensível o cora- 
ção, a alma a tudo, excepto 
ao oiro, ao dinheiro. Usa-se 
também como reciproco : — 
(chim.) metallisar; reduzir 
um oxydo ao estado metal- 
lico, adquirir uma substan- 
cia propriedades metalli- 
cas. 
Metalófilo. m. (zool.) Metal- 
lophilo (qíie gosta de metal); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos carabicos. 
Metalografía. /. Metallogra- 
phia; parte da mineralogia, 
que trata com especialida- 



MET 

de dos metaes: — metallo- 
graphia; descripção ou tra- 
tado acerca dos metaes. 

MetalogrÁfico, ca. adj. Me- 
tallographico ; diz-se do que 
pertence á metallographia. 

Metaloide, m. (chim ) Metal- 
loide; corpo simples que, 
sem ser metal, tem alguma 
de suas propriedades: — 
adj. V. Metalóideo. 

Metalóideo, dea. adj. (chim.) 
Metalloide; diz-se do que é 
similhante aos metaes. 

Metaloxoto. m. (zool.) Metal- 
lonoto (dorso metallico); ge- 
nero de insectos coleópteros 
heteromeros da familia dos 
melasomos. 

Metaloqcímia, Metaloquími- 
CA. /, (chim.) Metallochimi- 
ca; parte da chimica que 
trata especialmente dos me- 
taes. 

Metalurgia. /. (min.) V. Me- 
talurjia. 

Metalúrgico, ca. adj. V. ilÍ2- 
talurjico. 

Metalurgista, m. V. Melalur- 
jista. 

Metalurjia. /. (min.) Metal- 
lurgia; arte, sciencia de ex- 
trahir, trabalhar e preparar 
os metaes. 

Metalúrjica. /. V. Metalurjia. 

Metalúr.tico, ca. adj. Metal- 
lurgico; diz-se do que per- 
tence á metallurgia. Usa-se 
também substantivado, na 
terminação masculina, pelo 
que trabalha n'esta scien- 
cia. 

Metalurjista. m. Metallurgis- 
ta. V. Metalúrjico. 

Metalla. /. (art.) Ressanes ; 
pequenos pedaços de folha 
de oiro com que os doura- 
dores cobrem as falhas ou 
partes do objecto dourado 
que estão a descoberto. Au- 
rei folii f rustida. 

Metallo. m. (ant.) V. Metal. 

Metamecónico, ca. adj. (chim.) 
Metameconico; diz-se de um 
acido que se obtém do aci- 
do meconico, fazendo-o fer- 
ver na agua. 

Metamórfico, ca. adj. (geol.) 
Metamorphico; diz-se de 
uma serie de rochas estra- 
tificadas, crystallinas, des- 
providas de restos orgâni- 
cos. 
Metamorfopsia. /. (meã.) Me- 



MET 

tamorphopsia; affecçâo da 
vista, que faz coni que os 
objectos se apresentem com 
uma forma diíferente da 
que realmente têem. 
. Metamorfosear, a. Metamor- 
phosear, transformar ; mu- 
dar a forma: — ffiff-J meta- 
morphosear, tran sformar; 
mudar o exterior ou o cara- 
cter de alguém. Usa-se tam- 
bém como reciproco. 
Metamorfóseos. m. (ant.) Me- 
tamorphoseos. V. Metamor- 
fosis. 

METAMORFOSIS) ]\IeTAM0RFOSIS./. 

Metamorphose, tmnsforma- 
çào; mudança de uma for- 
ma ou figura em outra. Me- 
iamorphosis : — (fiff') meta- 
morphose; mudança ou mu- 
tação no estado de uma cou- 
sa ou de um sujeito, de ge- 
nio, de costumes, etc. .- — 
(h. nat.J metamorphose; suc- 
cessào de formas que expe- 
rimenta um ser animado 
até chegar ao seu estado 
adulto. 

MetÁnea. /. (rliet.) V. Correc- 
ción. 

Metaplasmo. m. (gram.) Me- 
taplasmo; figura da dicção, 
pela qual se mudam, se ti- 
ram ou se addicionam le- 
tras a uma palavra. Meta- 
2Jlasmus, i. 

Metaplástico, ca. adj, (grara.) 
Metaplastico; diz-se do que 
se refere ao metaplasmo. 

Metaplexide. m. (bot.) Meta- 
plexis; genero de plantas 
da familia dos asclepiadeas. 

Metaporopoyesis./. (meã.) Me- 
taporopoiese; alteração no 
estado dos poros cutâneos. 

Metaptosis. /. fmed.) Metapto- 
se; mudança ou resolução 
de uma enfermidade em ou- 
tra de distiucta natureza. 

Metasincrisis. /. (iiLed.) Meta- 
syncrise; mudança ou al- 
teração geral com o fim de 
transformar inteiramente o 
corpo. 

Metasixcrítico, ca. adj. fmed.) 
Metasyncritico; diz-se do 
que pertence á raetasyncri- 
sis ou que a produz. Ciclo 
metasincritico ; cyclo meta- 
syncritico; regimen parti- 
cular que empregam os me- 
''hodistas para restabelecer 
Progressivamente o corpo 
12 



MET 

das perdas experimentadas 
durante um tratamento an- 
terior muito enérgico. 

Metasquematismo. m. (med.J 
V. Metahololojia. 

Metástasis. /. (med.J Metásta- 
sis ou metastase; mudança 
de logar ou transporte de 
materia mórbida ou de doen- 
ça de um logar para outro : 
— (rhet.J metastase; figura 
pela qual o orador attribue 
uma proposição ou um fa- 
cto a outrem, desonerando 
d'elle a si ou a pessoa por 
quem ora. 

Metastático, ca. adj. Metas- 
tatico; diz-se do que é pró- 
prio ou dependente da me- 
tastase. Romboedro metas- 
tcitico (min.); rhomboedro 
metastático; nome dado por 
Hauy a um certo dodecae- 
dro triangular. Hoje diz-se 
de todos os dodecaedros 
triangulares escalenos asso- 
ciados ao rhomboedro; os 
mineralogistas allemães cha- 
mam-lhe escalemoedi-o. 

Metastelma. m. (bot.) Metas- 
telma ; genero de plantas da 
familia das asclepiadeas. 

MetatÁrsico, ca. adj. (anat.) 
Metatarsico ou metatarsia- 
no ; diz-se do que pertence 
ao metatarso. 

Metatarso. m. (anat.) Meta- 
tarso; parte do pé situada 
entre o tarso e os dedos. 

Metatesia. /. (phisool.) Meta- 
thesia; monstruosidade ca- 
racterisada pela transposi- 
ção de algum membro. 

Metátesis. /. (philos.) Meta- 
these; na lógica de Kant, 
transposição dos termos de 
um juizo com o fim de des- 
truir outro juizo por meio 
de um raciocinio immediato. 
Mefathesis: — (gram.) me- 
tathese; transposição de 
uma syllaba ou letra na 
mesma dicção. Mefathesis, 
is : — (med.) metathese ; 
transposição ou mudança 
da causa morbifica, que se 
faz fixar em outra parte do 
corpo aonde a sua presença 
é menos nociva. 

Metatórax. m. (zool.) Meta- 
thorax; terceiro segmento 
do thorax dos insectos ala- 
dos, que sustém as duas pa- 
tas e as azas posteriores. 



MET 



89 



Metazanto. m. (bot.) Metazan- 
tho (jlor no intervallo) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Metazicera. /. (zool.) Metazy- 
cera (corno no intervallo); 
genero de insectos coleópte- 
ros subpentameros. 

Metazóico, ca. adj. (geol.) Me- 
tazoico ; diz-se dos mineraes 
posteriores á apparição dos 
animaes no globo. 

Metcal, Metchal. m. (o.nt.) 
V. Mercai. 

Metecal. m. (ant.) V. Mercai. 

Metedor, ra. s. Mettedor, in- 
troductor; o que introduz 
uma cousa em outra. Intro- 
missor, oris: — contraban- 
dista; o que introduz ou faz 
contrabando. Prohibitarum 
mercium introductor : — m. 
fralda ; toalhinha em que se 
envolvem as creanças. por 
baixo do cueiro. Pannicultis 
infantis suppositorit/s. 

Meteduría. /. Contrabando ; 
acção de contrabandear. 
Mercium prohibitarum in- 
troductio. 

Metempsicosis. /. (philos.) Me- 
tempsycose: transmigração 
da alma de um corpo para 
outro, segundo os pythago- 
ricos e outros. Metempsycho- 
sis. 

Metemptosis. /. (astron.) Me- 
temptosis ou metemptose; 
equação solar que se faz 
para que os novilunios não 
suecedam um dia mais tarde. 

Metemuertos, m. Individuo as- 
salariado nos theatros para 
armar e desarmar a scena, 
tirando e pondo os moveis 
e mais objectos que hão de 
servir para a representação. 
Comoedorum minister : — 
■ homem mettediço, entre- 
mettido e digno de desprezo. 

Metexsomatosis. /. (philos.) 
Metensomatose; transmuta- 
ção de um corpo em outro. 

Meteórico, ca. adj. Meteóri- 
co; diz-se do que pertence 
aos meteoros. Meteoricus, a, 
um:- — -(bot.) meteórico; diz- 
se das flores que experi- 
mentam a influencia do es- 
tado atmospherico, nos mo- 
mentos de abrir-se e fe- 
char-se. 
Meteorixa. /. (bot.) V. Calén- 
dula. 



90 



MET 



Meteorismo, m. (meã.) Meteo- 
rismo; distensão do abdo- 
men por um gaz. 
]\ÍETEOEisTA. m. V. Meteorolo- 

jista. 
Meteokita. /. (min.) Meteoro- 
litha; massa pétrea e metal- 
lifera que se precipita das 
regiões atmosphericas sobre 
a terra, acompanhada de 
phenomenos constantes. 
Meteorizar, a. (meã.) Meteo- 
rizar; causar meteorismo: 
— r. meteorisar-se; disteu- 
der-se uma parte em virtude 
de uma accumulação de gaz. 
Meteoro, Metéoro, m. (phys.) 
Meteoro; todo o phenome- 
no atmospherico, como a 
chuva, os trovões, os raios, 
etc. Meteorum, i. Meteoros 
acuosos; meteoros aquosos; 
são o sereno, o rocio, as nu- 
vens, a chuva, a neve, o gra- 
nizo: — aéreos; meteoros aé- 
reos; os ventos, as trombas, 
etc.: — Ígneos; meteoros 
Ígneos; o raio, o fogo de 
San Telmo, os fogos fatuos, 
as exhalaçoes: — luminosos; 
meteoros luminosos; o arco 
íris, as auroras boreaes, a 
luz, zodiacal : — (zool.) me- 
teoro; genero de insectos 
hymenopteros da familia 
dos brachonidos. 
Meteorognosia./. Meteorogno- 

sia. V. Meteorolojia. 
Meteorografía. /. (phys.) Me- 
teorographia; descripçâo 
dos meteoros. 
Meteorógrafo. m. Meteoro- 
grapho ; instrumento usado 
para as observações meteo- 
rológicas: — meteorogra- 
pho; o que se dedica á me- 
teorographia. 
Meteorolito. m. (phys.) Me- 

teorolitho. V. Aerolito. 
Meteorología. /. V. Meteoro- 
lojia. 
VIeteorológico, ca. adj. (phys.) 

V. Meteorolójico. 
ÍÍeteorolojía./. Meteorologia ; 
parte da physica geral que 
trata dos meteoros. Meteo- 
rologia, scientia de meteoris. 
íIeteorolójico, ca. adj. (phys.) 
Meteorológico; diz-se do que 
é relativo ou pertence á me- 
teorologia ou aos meteoros. 
Meteorologicus, a, um. In- 
strumentos meteorológicos; 
instrumentos meteorologi- 



MET 

cos; os que se empregam nas 
observações meteorológicas. 
Observaciones meteorolóji- 
cas; observações meteoroló- 
gicas. 

Meteorolojista. m. Meteorolo- 
gista; o que é versado em 
meteorologia. 

METE0R0MA^x•IA. /. Mctcoro- 
mancia; arte de adivinhar 
pela inspecção ou observa- 
ção dos meteoros, e especial- 
mente dos trovões e relâm- 
pagos : — meteoromancia ; 
adivinhação feita por este 
meio. 

MeteoromÍntico, ca. adj. Me- 
teoromantico]; diz-se do que 
é concernente á meteoro- 
mancia: — m. meteoroman- 
tico ; o que pratica a meteo- 
romancia. 

Meteoronomia. /. (phys.) Me- 
teor onom i a ; i n vestigaçào das 
leis que presidem á manifes- 
tação dos meteoros. 

MeteoronÓmico, ca. adj. (phys.) 
Meteoronomico; diz-se do 
que tem relação com a me- 
teoronomia. 

Meteoroscopia./. (astron.) Me- 
teoroscopia; contemplação 
ou estudo dos meteoros. 

Meteoroscópico, ca. adj. 
(astron.) Meteoroscópico ; 
diz-se do que é relativo á 
meteoroscopia. 

Meteoroscopo. m. (astron.)M^e- 
teoroscopo; nome dado anti- 
gamente ao astrolábio: — 
(phys.) meteoroscopo; nome 
genérico de todo o instru- 
mento empregado para fa- 
zer observações meteoroló- 
gicas. 

Meter. a. Metter, introduzir, 
incluir; fazer entrar uma 
cousa dentro de outra ou em 
alguma parte. Immittere, in- 
tromittere. Usa-se também 
como reciproco: — metter, 
introduzir mercadorias por 
contrabando , contraban- 
dear. Subdolh. introducere: 
— (fiy-) metter, occasionar, 
motivar, causar, como : me- 
ter miedo, meter en escrú- 
pulo, etc.; metter medo, 
metter em escrúpulo, etc. 
Inferre, inducere: — met- 
ter ; pôr, entregar absoluta- 
mente, como: meter la victo- 
ria en las manos; metter a 
victoria nas mãos. Inferre: 



MET 

— metter; induzir ou exci- 
tar alguém a fazer qualquer 
cousa. Inferre, inserere, sua- 
dere: — metter, atravessar 
trumpho n'alguns jogos de 
cartas. Immittere charlam 
superior em: — metter ; pôr, 
em qualquer jogo, o dinhei- 
ro que se ha de jogar. Ludo 
exponer e : — metter, enga- 
nar; fazer com que alguém 
acredite uma cousa falsa. 
Seducere, inducere : — met- 
ter; estreitar ou apertar as 
cousas collocando-as de mo- 
do que n'um dado espaço fi- 
quem mais do que de ordi- 
nario costumam ficar, como: 
meter la letra, los renglones; 
metter, apertar a letra, as 
linhas, etc. Infarcire, pre- 
mer e: — (fam.) V. Comer: 

— (ant.) empregar, destinar, 
dedicar : — fawí.J gastar, des- 
pender. V. Apostar: — r, 
metter-se, entremetter-se, 
ingerir-se; introduzir-se em 
alguma parte ou dependen- 
cia onde o não chamam. Se 
inserere vel immittere : — 
metter-se, entremetter-se, 
ingerir-se; introduzir-se de 
seu motu próprio no trato e 
communicação com alguma 
pessoa, frequentando-lhe a 
casa e tomando parte nas 
suas conversas. Se insinua- 
re, introducere vel intrude- 
re : — metter-se, entregar- 
se; deixar-se levar com pai- 
xão de alguma cousa ou dar- 
se em excesso a ella, como: 
meterse en los vidos, en aven- 
turas; metter-se em aven- 
turas, em vicios, entregar- 
se a estes. Impotenter ferri: 

— metter-se, lançar-se; fal- 
lando de rios e ribeiras, des- 
aguar, desembocar n'outro 
ou n'outra ou no mar. In- 
trare, confluere, subiré: — 
arremetter; lançar-se, arro- 
jar- se ao contrario ou aos 
inimigos com as armas na 
mão. Se injicere in hostes 
vel conferre: — metter-se; 
junto com os nomes que si- 
gnificam profissão, estado ou 
ofiicio, é segui-lo, como: me- 
terse soldado, fraile, etc.; 
metter-se soldado, frade, etc. 
Se inferre, dedere, addicere- 

— metter-se; com a prepo- 
sição a e alguns nome.= q«e 



MET 

signifiquem condição, esta- 
do ou profissão, é o mesmo 
que dar-se por seu membro 
ou quere-la aíFectar, como: 
meterse a caballero, a médi- 
co, etc.; metter-se a caval- 
leiro, a medico, etc. Múnus 
agere, afectare: — Y. Poner- 
se, fallando dos astros. Jie- 
ter a alguno con otro (fr.); 
pôr alguém na companhia de 
outra pessoa para a ajudar 
n'alguma cousa: — en una 
cosa (fr.); metter, por al- 
guém na posse de alguma 
cousa. Meterse con alguno 
(fr.); metter-se com alguém, 
entender, contender, travar 
disputa com alguém. Rem 
habere cum aliquo. Meterse 
en si mismo (fr. fig.); met- 
ter-se comsigo mesmo; pen- 
sar, meditar sósinho, sem 
dar a conhecer os seus sen- 
timentos nem pedir conse- 
lhos. Summe abstrudi. Me- 
terse en todo (fr.); metter- 
se em tudo; ingerir-se im- 
portunamente em negocio, 
conversação, etc., sem ser 
chamado. Sese nulli negotio 
non immiscere. Estar muy 
metido en alguna cosa (fr.); 
estar mettido em alguma 
cousa, estar muito empe- 
nhado ou interessado n'ella. 
No me meto en nada (loe); 
não me metto em nada; ex- 
prime que alguém se justifi- 
ca de que não tem parte em 
alguma cousa nem se im- 
porta com ella. Nihil curo. 
No saber donde meterse (fr.); 
não saber onde metter-se ou 
onde se ha de metter; sen- 
tir-se muito aterrado ou fi- 
car compromettido por effei- 
to de algum successo ou 
acontecimento. Meter sit cu- 
charada (fr.); metter a sua 
colherada; dar também a sua 
rasào, metter-se a fallar on- 
de o não chamam. Meterse 
en dibujos (fr.); metter-se 
em debuxos; metter-se em 
cousas de que não entende : 
— piernas al caballo (fr. 
art.); metter pernas ao ca- 
vallo; incita-lo vigorosamen- 
te com as esporas e os ta- 
lões para correr com mais 
velocidade: — (naut.) met- 
ter; colher a vela, ferra-la: 
— metter-se; entrar, inter- 



MET 

nar-se muito no mar um ca- 
bo, promontorio ou lingua 
de tei'ra. Longius escurrere, 
protendi : — en viento y en 
vela; metter em vento; dis- 
por as velas de modo a to- 
mar o vento pela popa : — 
el timón; metter o leme; gi- 
rar o leme para arribai*. Me- 
terse a la mar; metter-se ao 
mar; engolfar-se, emmarar- 
se, entrar a embarcação no 
alto mar. 

Metesillas, m. V. Metemuer- 
tos. 

Metical, m. (ant.) V. Mercal. 

Metical, m. (ant.) V. Mercal. 

Meticuloso, sa. adj. Meticulo- 
so, timorato. V. Medroso. 

Metida. /. (naut.) Occaso ; ac- 
ção de pôr-se os astros. 

Metido, m. Infundiça, decoa- 
da. Lexivium forte: — adj. 
mettido, introduzido, posto, 
disposto : — m. (vulg.) cho- 
que, ataque, investida. 

Metila. /. (chim.) Methyla; 
radical hypothetico do espi- 
rito da madeira com uma 
mistura de acido sulphurico 
e peroxylo de manganez. 

Metilal. m. (chim.) Methylal; 
corpo que se obtem pela dis- 
tillação do espiíúto de ma- 
deira com uma mistura de 
acido sulphurico e peroxydo 
de manganez. 

Metilena. /. (chim.) Methyle- 
ne; carbureto de hydrogenio 
que existe no espirito|de ma- 
deira. 

Metílico, ca. adj. (chim.) Me- 
thylico; diz-se dos compos- 
tos de methyla. 

Metimiento, m. (ant.) Acção e 
effeito de metter uma cousa 
em outra, introducção. 

Metiomanía. /. (med.) Metio- 
mania; delirio durante o 
qual o doente soíire uma se- 
de continua e devoradora. 

Metlapil. m. (p. Mex.) Pedaço 
de pedra prolongada que 
forma um octógono, e que 
serve para moer o maiz. 

Metódicamente, adv. m. Me- 
thodicamente. Methodice. 

Metódico, ca. adj. Methodico ; 
diz-se do que se faz com me- 
thodo e da pessoa que tem 
o methodo. Methodicus, a, 
um. Medicina metódica. V. 
3Ietodismo. 

Metodismo, m. Methodismo, 



MET 



91 



systema methodico ; modo de 
proceder com ordem, com 
methodo : — methodismo ; 
mania de methodisar : — 
(med.) methodismo ou medi- 
cina methodica; systema de 
certos médicos que attri- 
buiam todas as enfermida- 
des á constricção, ao rela- 
xamento das partes solidas, 
ou a um estado intermedio : 
(rei.) methodismo; seita pro- 
testante, fundada em Ingla- 
terra pelo começo do sécu- 
lo xvni. 

Metodista, adj. Methodista ; 
diz-se do que se refere ao 
methodismo : — s. (fam.) me- 
thodista; pessoa methodica, 
ou que procede com arte e 
methodo: — adj. (med.) me- 
thodista; diz-se dos médicos 
que seguem a doutrina do 
methodismo: — (philos.) me- 
thodista; nome dado aos es- 
criptores catholicos que in- 
ventaram no século xvii um 
novo methodo de dialéctica 
com os protestantes : — m. 
pi. (rei.) methodistas; secta- 
rios do methodismo. 

Metodizar, a. (neol.) Methodi- 
sar; reduzir a ordem metho- 
dica. 

Método, m.. Methodo; modo de 
proceder com ordem ou o 
conjuncto de regras para a 
applicação de um systema. 
Methodus, via et ratio : — 
methodo; ordem que se se- 
gue para dizer, fazer ou en- 
sinar alguma cousa. Metho- 
dus, i: — methodo; modo de 
obrar ou proceder. Mos, vi- 
fce ratio et institutum: — 
(phylos.) methodo; ordem 
que se segue nas sciencias 
para achar a verdade e en- 
sina-la. Methodus, i : — ana- 
lítico; methodo analytico; o 
que procede por meio da 
analyse, isto é, decompondo. 
Methodus analyticus.Y . Aná- 
lisis : — sintético ; methodo 
synthetico; o que jírocede 
por meio da synthese, isto 
é, compondo. Methodus syn- 
theticus. V. Síntesis: — (7i. 
nat.) methodo; distribuição 
dos seres da natureza, se- 
gundo certos e determina- 
dos caracteres: — artificial; 
methodo artificial ; o que se 
funda em alguns caracteres 



92 



MET 



particulares e convencio- 
naes: — natural; methodo 
natural ; o que se funda nas 
relações que os seres têem 
entre si:— (mathem.) metho- 
do ; marcha para resolver um 
problema: — methodo; em 
uma accepção mais usada, 
meio ou caminho para resol- 
ver muitas questões do mes- 
mo genero, correspondentes 
a uma mesma classe :— cura- 
tivo (med.J; methodo curati- 
vo; tratamento de uma doen- 
ça segundo certas regras : 

— (mus.) methodo; modo de 
cantar ou de tocar algum in- 
strumento, segundo deter- 
minados principios: — me- 
thodo; recopilação de pre- 
ceitos e regras próprias pa- 
ra formar bons cantores ou 
instrumentistas : — methodo ; 
ordem que se segue para o 
ensino de alguma materia : 

— methodo; principios par- 
ticulares, por meio dos quaes 
se aprende com facilidade 
alguma sciencia ou arte : — 
methodo; disposição das ma- 
terias e idéas de um livro, 
da maneira mais lógica, a fim 
de facilitar a sua intelligen- 
cia: — methodo; livro ele- 
mentar para o estudo de al- 
guma cousa, e especialmen- 
te para aprender algum idio- 
ma. Methodus, i. 

M-E'£oryoLOjÍÂ.f.(philos.)MethLO- 
dologia; tratado de metho- 
dos, arte de dirigir o enten- 
dimento humano na investi- 
gação da verdade. 

Metomenía. /. (meã.) V. Me- 
tiomanía. 

Metónica. /. (bot.) Methonica ; 
genero de plantas da fami- 
lia das liliáceas. 

Metoniceas. /. pi. (bot.) Me- 
thoniceas; grupo de plan- 
tas da familia das liliá- 
ceas. 

Metonimia. /. (rhet.) Metony- 
mia; figura pela qual se 
põe a causa pelo eífeito, ou 
vice-versa, a parte pelo to- 
do, o continente pelo con- 
teúdo, o auctor pelas suas 
obras, etc. Metonimia, ce. 

Metonímico, ca. adj. Metuny- 
mico; diz-se do que perten- 
ce á metonymia. 

Metonomasia. /. (philol.) Me- 
tonomasia; mudança de um 



MET 

nome próprio pelo mesmo 
nome em outro idioma. 

Metopa. /. (arch.) Mctopa; in- 
tervallo entre us triglyphos 
da ordem dórica. Metopa, cc. 

Metópago. m. (pliysiol.) Meto- 
pago; monstro que resulta 
da reunião de dois corpos 
frente a frente. 

Metopajia. /. (physiol.) Meto- 
pagia; deformidade do me- 
tópago. 

Metopantealjía. /. (med.) Me- 
topantralgia; dor nos seios 
frontaes. 

Mv.TO-PA-íiTRh.3ico,cK.adj.(med.) 
Metopantralgico; diz-se do 
que tem relação com a me- 
topantralgia: — s. meto- 
pantralgico; pessoa que sof- 
fre de metopantralgia. 

Metopantritis. /. (med.) Me- 
topautritis ; inflammação dos 
seios frontaes. 

Metopomancia. /. V. Metopos- 
copia. 

Metoponia. /. (zoai.) Metopo- 
nia (frente); genero de in- 
sectos lepidópteros, da tri- 
bu dos agrophilidos. 

Metoposcopia. /. Metoposco- 
2)ia; arte de adivinhar pela 
inspecção do rosto o que ha 
de acontecer a alguma pes- 
soa. 

Metopóscopo. ??i. Metoposcopo; 
adivinho que pratica a me- 
tojDoscopia. 

Metosis. /. (med.) Metosis ou 
metose; contracção da pu- 
pila. 

Metraljía. /. (med.) Metral- 
gia; dor no útero. 

Metralla. /. (mil.) Metralha; 
pedaços de ferro, balas pe- 
quenas, cabeças de pregos, 
etc., com que se carrega a 
artillieria. Férrea fragmen- 
ta, plumbeaque pilulae, qui- 
bus tormentum bellicum in- 
struitur: — (fig. fam.) me- 
tralha; dinheiro miúdo: — 
(fig. fam.) metralha, chu- 
veiro ; multidão, grande nu- 
mero de dicterios, de insul- 
tos, etc. 

Metrallar, a. Metralhar; fa- 
zer fogo com metralha. 

Metranastrofij\ . /. (med.) Me- 
tranastrophia; inversão da 
madre. 

Metrenfrasis, Metreneraxia. 
/. (med. ) Metrenphraxia ; 
enfarte, induração ou esta- 



MET 

do scirroso do útero, espe- 
cialmente de seu collo, aon- 
de se observa com mais fre- 
quência. 

Metrenqüita./. (med.) Metren- 
cbyta; liquido que se inje- 
cta na matriz: — metren- 
chyta; instrumento por meio 
do qual se faz esta injec- 
ção. 

Metreta. /. (metrol. ant.) Me- 
treta; a medida maior de 
que se serviam os gregos 
para os líquidos, e equiva- 
lia a uns setenta e cinco 
quartilhos. Metreta, m: — 
itálica. V. Avfora. 

Métrica. /. Arte métrica; a 
arte que ensina a medir os 
versos e a compo-los. Ars 
métrica. 

Métricamente, adv. m. (poet.) 
Métricamente; segundo as 
regras da versificação. Me- 
trice. 

Métrico, ca. adj. Métrico; diz- 
se do que se refere ao me- 
tro, como base das medidas 
lineares. Metricus, a, um: 
— (mus. ant.) métrica; di- 
zia-se, segundo Quintiliano, 
d'aquella parte da musica 
que versava sobre a quanti- 
dade das syllabas, das let- 
tras, dos pés, e sobre os ver- 
sos e o poema: — (poet.) 
métrico; diz-se do que per- 
tence ao metro. Metricus, 
poeticus. 

Metrificación. /. (ant.) Metri- 
ficação. V. Versificación. 

Metrificador, ra. s. (ant.) Me- 
trificador. Y .Versificador. 

Metrificar, a. e n. (ant.) Me- 
trificar. V. Versificar. 

Metrificatuea. /. (ant.) V. Me- 
dida, com referencia aos ver- 
sos. 

Meteio. m. (zool.) Métrico 
(modesto); genero de inse- 
ctos coleópteros pentame- 
ros, da familia dos carabi- 
cos. 

Metriorinco. m. (zool.) Me- 
triorhynco (bico mediano); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos malacodermes. 

Metrista. s. (ant.) V. Versifi- 
cador. 

Metritis./, (med.) Metritis ou 
metrite ; inflammação do 
útero. 

Metro, m. V. Medida: — 



MET 

(metrol.) metro ; unidade de 
medida de comprimento do 
novo systema métrico deci- 
mal: — (poet.J metro. V. 
Verso: — metj-o, rhythmo; 
construcçào peculiar de ca- 
da especie de verso. Me- 
trum, i. 
Metkocampsia. /. (med.J Me- 
trocampsia; inflexão da ma- 
triz. 

IMetrocele. /. (meã.) Metro- 
celos; hernia da madre. 

Metrocinia. /. (bot.) Metrocy- 
nia; genero de plantas da 
familia das leguminosas pa- 
pilionaceas. 

IMetrodinia. /. (meã.) Metro- 
dynia; dor do útero. 

Metrodínico, ca. aãj. (meã.) 
Metrodynico; diz-se do que 
tem relação com a metro- 
dynia. 

Metrografía./. Metrographia; 
descripçào ou comparação 
pratica de uma ou mais es- 
pecies de medidas em diíFe- 
rentes tempos ou paizes: — 
(meã.) metrographia-, descri- 
pçào do útero. 

MetrogrÁficamente. aãv. m. 
Metrographicamente ; se- 
gundo as regras da metro- 
graphia. 

MetrogrÁfico, ca. aãj. Metro- 
graphico; que respeita á 
metrographia. 

Metrógrafo. m. Metrographo ; 
o que é versado em metro- 
graphia. 

Metrólogo. m. Metrologo; o 
que sabe metrologia ou 
que escreve sobre esta ma- 
teria. 

Metrolojía. /. Metrologia; co- 
nhecimento dos pesos e me- 
didas de todos os povos, 
tanto antigos como moder- 
nos: — metrologia; tratado 
d'esta sciencia. 

IVIetroló JICAMENTE . uãv . m . 
Metrologic amenté; segundo- 
as regras da metrologia. 

Meteolójico, ca. adj. Metro- 
logico; diz-se do que é con- 
cernente á metrologia. 

Metroloxia. /. (meã.) Metro- 
loxia; obliquidade da ma- 
triz. 

Metromanía. /. Metromania; 
mania de fazer versos. 

Metrómano, na. aãj. Metroma- 
no; diz-se do que padece de 
metromania. 



MET 

Metrómetro, m. (mus.) Metro- 
metro. V. Metrónomo. 

Metrónomo, m. (mns.) Metro- 
nomo; especie de péndulo 
chronometrico, que serve 
para marcar um compasso 
mais ou menos accelerado. 

Metrópoli./. Metrópole; cida- 
de capital. Metrojjolis, is: 
— metrópole; igreja archie- 
piscopal que tem dependen- 
tes outras suíi'raganeas. Ar- 
cliiepiscopalis ecclesia : — 
metrópole; jurisdicçào do 
arcebispo: — metrópole; o 
estado relativamente ás suas 
colonias : — (hist.) metrópo- 
le; capital de cada provin- 
cia do imperio romano, se- 
gundo a divisão feita por 
Constantino. 

Metropólipo. m. (med.) Metro- 
polypo; especie de polypo 
uterino ou da madre. 

Metrópolis. /. (aiif.) V. , Me- 
trópoli. 

Metropolita, m. (hist.) Metro- 
polita; arcebispo da igreja 
russa. 

Metropolitano, na. aãj. Me- 
tropolitano; diz-se do que 
se refere á metrópole ou ao 
arcebispo. Metropolitanus, 
a, um: — m. metropolita- 
no, metrojjolista; o arcebis- 
po, a respeito dos bis2ws seus 
suíFraganeos. Metropolita- 
nus: — (hist.) metrojíolita- 
no; os bispos que residiam 
nas metrópoles ou capitães 
das provindas do imperio 
romano. 

Metropolítico, ca. aãj. V. Me- 
tropolitano. 

Metroptosis. /. (med.) Metro- 
tosis; queda do útero. 

Metrorrajía. /. (meã.) Me- 
trorrhagia; hemorrhagia da 
matriz, ou excreção mórbi- 
da de sangue pelo útero. 

Metrorrájico, ca. adj. (med.) 
Metrorrhagico; relativo á 
metrorrhagia. 

Metrorrea. /. (med.) Metror- 
rhea; evacuação mucosa pe- 
lo utero. 

Metroreeico, ca. adj. (med.) 
Metrorrheico ; concernente á 
metrorrhea. 

Metrorresis, Metrorrexia. /. 
(med.) Metrorrhexia; rotura 
da matriz. 

Metrorroico, ca. adj. (med.) 
V. Metrorreico. 



MEZ 93 

Metroscopia./. (med.) Metros- 
copia; exploi'ação da ma- 
triz. 

Metroscópico, ca. adj, (med.) 
Metroscopico; diz-se do que 
respeita á metroscopia. 

Metroscopio. m. (cir.) Metros- 
copio ou metroscopo; in- 
strumento em forma de tu- 
bo para explorar a matriz. 

Metrosidero. m. (bot.) Metro- 
sidero; genero de plantas da 
familia das myrtaceas. 

Metrosteiío. ttl. (meã.) Metros- 
tei"o; instrumento para fi- 
xar a matriz. 

Metrotomía. /. (cir.) Metroto- 
mia; operação que consiste 
em cortar o utero. 

Metrotómico, ca. adj. fc/r.JMe- 
trotomico; diz-se do que é 
concernente á metrotomia. 

Metrótomo. m. (cir.) Metroto- 
mo; instrumento para fazer 
a metrotomia. 

Mettrié./. V. La-metrie. 

Metudo, da. adj.^(ant.)Y.Me- 
tiâo. 

Meutanga. /. (hot.) Meutan- 
ga; planta da China, cuja 
flor se parece com a rosa. 
Os chins dào-lhe o nome de 
rainha das flores. 

Meya. /. (zool.) Meya; caran- 
gueijo marinho. 

Meye. m. (ant.) V. Médico. 

Meyeria./. (bot.) Meyeria; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Meyonita. /. (min.) Meyonita; 
variedade de wernerita. 

Meyor. aãj. comp. (ant.) V. 
Mejor. 

Meyoramiento. 97?. (ant.) V. 
Mejoramiento. 

Meyorancia , Meyoranza . /. 
(ant.) V. Mejoría. 

Meyorar. a. (ant.) V. Mejorar. 
Usava-se também como re- 
ciproco. 

Meyoría. /. (ant.) V. Mejoría. 

Meyosis. /. (meã.) Meyosis; 
termo empregado para de- 
signar o periodo das enfer- 
midades, em que começa a 
diminuir a intensidade dos 
seus symptomas. 

Mezcla. /. Mescla, mistura, 
mixto; união de cousas mis- 
turadas. Mistio, onis: — 
mescla; variedade de cores 
nos tecidos. Textura versi- 
color: — (jig. ant.) embru- 
lhada, enredo, intriga: — 



94 



MEZ 



(art.) argamassa; mistura 
de cal e areia com agua, 
com que os pedreiros unem 
e fixam as pedras e os la- 
drilhos: — mescla; tecido 
feito com fios de diversas 
cores: — (pint.) mescla; 
reunião de muitas cores de 
que se formam as differen- 
tes tintas para a pintura: 
— (chim.) mistura; reunião 
de varias materias entre si, 
conservando todavia cada 
uma d'ellas as proprieda- 
des que as carecterisam : — 
(mus. ant.) mistura; uma 
das tres partes em que se 
dividia a melopea grega. 

Mezclable. adj. Misturavel; 
diz-se do que se pôde mis- 
turar ou incorporar. 

Mezcladamente. adv. m. Mis- 
turadamente. Mistim, eom- 
mistim. 

Mezcladillos. m. pi. Pasteli- 
nhos doces. 

Mezclado, da. aâj. (ant.) V. 
Epiceno: — mesclado, mis- 
turado; diz-se do que tem 
mistura: — m. (ant.) mes- 
cla; especie de panno. 

Mezclador, ra. s. Misturador; 
o que mistura. Miscens, en- 
tis : — (fig. ant.) enredador, 
machinador, intrigante: — 
(fig. ant.) alvorotador, amo- 
tinador; o que alvorota ou 
e.xcita motim, sedição, al- 
voroço. 

Mezcladura. /. V. Mezcla. 

Mezclamiento. m. V. Mezcla, 
Mistura : — (fig. ant.) V. 
Mezcla, na terceira acce- 
pção. 

Mezclar, a. Mesclar, mistu- 
rar, juntar, unir, incorpo- 
rar. Usa-se também como 
reciproco. Miscere: — (fig. 
ant.) enredar, intrigar; met- 
ter sizanias: — r. misturar- 
se; ingerir-se com outras 
pessoas na companhia ou 
conversação. Aliis immisce- 
re: — misturar-se, ligar-se, 
enlaçar-se, unir-se, as fami- 
lias, as linhagens, por vin- 
culo de parentesco,etc. Stir- 
jjes ac progenies commisceri 
et confundi: — en alguna 
cosa (fr.) ; mettei--se em al- 
guma cousa; ingerir-se, to- 
mar parte n'ella. Eei alicui 
agendai seu dirigendos im- 
misceri. Mezclarse una cosa 



MI 

€71 otra (fr.); misturar-se 
uma cousa cora outra; intro- 
duzir-se, ter parte n'ella. 
In.serere. 

Mezclilla, ta. /. dim. de Aíez- 
cla. Mesclasinha, misturasi- 
nha. 

Mezcolanza. /. (fam.) Miscel- 
lanea; mistura extrava- 
gante. 

Mezio. to. (zool.) Mezio; gene- 
ro de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
malacodermes. 

Meznada. /. (ant.) V. Mes- 
nada. 

Mezquinamente, adv, m. Mes- 
quinhamente, pobremente, 
miseravelmente. Misere, in- 
feliciter: — mesquinhamen- 
te, avaramente. Avare. 

Mezquindad. /. Mesquindade, 
escassez, pobreza, desampa- 
TO.'Mendicitas, miseria, eges- 
tas : — mesquinhez, mesqui- 
nheza, mesquinharia. Parei- 
monia sórdida. 

Mezquinito, ta. adj. dim. de 
Mezquino. Mesquinhosinho. 

Mezquino, na. adj. Mesquinho, 
pobre, misero, necessitado. 
Mendicus, miser: — mes- 
quinho, avarento, miserá- 
vel, sórdidamente parco. íSor- 
didus homo, vel nimis par- 
cus: — mesquinho, peque- 
no, diminuto. Exiguus, a, 
um : — (ant.) mesquinho, 
desditoso, infeliz, desgraça- 
do: — V. Apocado. 

Mezquita. /. Mesquita; tem- 
plo dos mahometanos. Ma- 
hometanorum fanum. 

Mg. adj, (chim.) Mg; abrevia- 
tura da palavra magnesio. 

Mi. s. Mi, mim; caso obliquo 
6 irregular do pronome pes- 
soal yo em castelhano, e eu 
em portuguez. Mei, mihi, 
me: — meu; pronome pos- 
sessivo, anteposto a nomes 
substantivos, em logar de 
mio, mia, de que se usa 
quando se jiospoe: mi pa- 
dre; meu pae. Meus, a, um: 
— (philol.) mi; nome da 
duodécima letra do alpha- 
beto grego: — m, (mus.) 
mi; terceira nota da musi- 
ca, o signo que a represen- 
ta, e em alguns instrumen- 
tos a tecla ou corda que 
produz este som. Tertia he- 
xachordi vox. 



MIC 

Mia. /. (rei.) Mya; nome que 
os japonezes dão a seus tem- 
plos: — (zool.) mya (mola); 
genero de molluscos conchí- 
feros, da familia dos raya- 
nos: — mya; genero de in- 
sectos coleópteros pentame- 
ros, da familia dos carabi- 
cos. 

Miagar, n. (prov.) V. Mau- 
llar. Usa-se nas montanhas 
de Burgos. 

Miagro. to. (hot.) Miagro; ge- 
nero de plantas da familia 
das cruciferas. 

Miaja. /. V. Migaja, na pri- 
meira accepçâo: — miaja; 
, moeda de cobre que valia 
meio dinheiro: — de huevo, 
V. Galladura. 

Miar. n. V. Maullar. 

MiARios. TO. (zool.) Myarios; 
familia de molluscos con- 
chíferos dimyarios. 

MiARjÍRiTA. /. (min.) Miargi- 
rita; sulphato de antimonio 
e de prata. 

MiAsciTA, MiASKiTA. /. (min.) 
Miaskita; variedade de do- 
lomia. 

Miasma, to. Miasma, emana- 
ção; gaz suffocante ou cor- 
púsculos ligeiros: — (med.) 
efíluvios, exhalaçào de cor- 
pos em putref acção, de al- 
guns corpos doentes, ou 
pantanos, etc., nocivos á 
saúde. Miasma, as. 

Miasmático, ca. adj. Miasma- 
tico; diz-se do que resulta 
dos miasmas, como: enfer- 
medades miasmáticas; doen- 
ças miasmáticas. 

MiAsziTA. /. (min.) V. Mias- 
cita. 

Miau. m, Miáo; o som que pro- 
duz o gato quando mia. Vox 
felina. 

Mica. /. (min.) Mica, talco; 
substancia lustrosa, lamel- 
losa, de côr diversa, de bri- 
lho metallico: — mica; no- 
me de varios mineraes que 
nada têem de commum com 
a mica propriamente dita, 
mais do que o aspecto la- 
minoso com que se apresen- 
tam : — de los pintores; mi- 
ca dos pintores; o graphito, 
mais conhecido com o nome 
de lapislasuli: — de talco 
romboédrico ; mica de talco 
romboédrico; a mica pro- 
priamente dita; — esquis- 



MIC 

toidea. V. Micasquisto: — 
ferrujinosa; mica ferrugi- 
nosa \ ferro pliosphatado : — 
hemisférica; micahemisphe- 
rica; variedade de mica que 
se apresenta em forma de 
laminas convexas ou conca- 
vas, de um branco pratea- 
do: — nacarada; mica na- 
carada; nome que antiga- 
mente se dava á margarita: 
— verde; mica verde; nome 
dado ao oxydo de urano, em 
consequência do aspecto la- 
melliforme de seus crys- 
taes. 

Micáceo, cea. adj. (min.) Mi- 
caceo; diz-se do que é simi- 
Ihante á mica: — micáceo; 
que tem a apparencia ou o 
brilho d'este mineral : — 
micáceo; diz-se do que con- 
tém laminas ou crystaes de 
mica. 

MicÁcico, CA. adj. (min.) Mica- 
cico; diz-se do que contém 
mica: ■ — micacico; diz-se de 
um genero de rochas cuja 
base é a mica. 

MicAciTO. m. (min.) V. Micas- 
quisto. 

MicARELA. /. (min.) Micarella; 
nome de uma variedade fol- 
licular de wernerita, de um 
vermelho escuro. 

MicARiDANTO. m. (bot.) Myca- 
ridantho (flor de almendro); 
genero de plantas da fami- 
lia das orchideas. 

MicASQuisTo. m, (min.) Micas- 
chisto; rocha composta de 
mica e de quartzo, e na qual 
predomina geralmente a pri- 
meira substancia. 

MiCENio, NÍA. .s. Micenio; o na- 
tural de Micenas: — adj. 
micenio; o que pertence a 
esta cidade ou reino. 

MicÉB. m. (ant.) Titulo hono- 
rifico da coroa de Aragão. 
Hoje dá-se aos letrados 
ou legistas nas ilhas Ba- 
leares. 

MicETOBiA. /. (zool.) Myceto- 
bia (que vive nos cogumelos); 
genero de insectos dípteros. 

MiCETOGRAFÍA. /. (bot.) MyCB- 

tographia; descripção dos 

cogumelos. 
Micetográfico, ca. adj. Myce- 

tographico; diz-se do que é 

concernente á mycetogra- 

phia. 
MicETÓGRAFO. m. Mycetogra- 



MIC 

pho; o que descreve os co- 
gumelos. 

MiCETÓiDEO, DEA. üdj. (bot.) My- 
cetoideo; diz-se do que se 
parece com um cogumelo. 

MiCETojENESis. /. (bot.) Mycc- 
togenesis; origem ou pri- 
meiro desenvolvimento dos 
cogumelos. 

MicETÓLOGo. m. Mycetologo; 
auctor de um tratado sobre 
os cogumelos. 

MiCETOLojiA. /. (bot.) Myceto- 
logia; tratado sobre os co- 
gumelos. 

MicETOPOBO. m. (zool.) Myce- 
toporo (que fura os cogu- 
melos); genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos brachelytros. 

MiciNA. /. (bot.) Mycina; rece- 
ptáculo pediculado e globu- 
loso de certos lichens: — 
mycina; genero de cogume- 
los, dependente dos agári- 
cos. 

Mico. m. (fig.) Homem lascivo : 

— (fi9-) mono; homem mui- 
to feio ou de figura ridicu- 
la. Dar mico (fr.); pregar 
o mono, o calote; nào pagar 
o que se deve. Dejar a uno 
hecho un mico (fr. fam.); 
deixar alguém corrido, en- 
vergonhado. Quedarse he- 
cho un mico (fr. fam.); fi- 
car corrido, envergonhado : 

— m. (zool.) mico; genero 
de quadrumanos, da familia 
dos gimios cissatlanticos. 

MicocELio. m. (bot.) Mycoce- 
lio; genero de plantas phy- 
ceas. 

MicoDERMo. m. (bot.) Mycoder- 
mo; genero de cogumelos 
que crescem no vinho e ou- 
tras substancias, formando 
uma especie de pellicula. 

MicoLÓGO. m. Mycologo ; o que 
se dedica á mycologia, ou 
que é versado n'esta parte 
da botánica. 

MicoLOjÍA./. (bot.) Mycologia; 
tratado sobre os cogumelos, 
parte da botánica, que tra- 
ta exclusivamente d'esta fa- 
milia de plantas. 

MicoLOjisTA. s. Micologista. V. 
Micólogo. 

MicoNiA. /. (bot.) Miconia; ge- 
nero de plantas da familia 
das melastomaceas. 

MicoNoiDEO, DEA. adj. (med.) 
My conoideo; diz-se das ul- 



MIC 



95 



ceras fistulosas, cujo fluido 
produz uma especie de gor- 
golejo. 

MicosiA. /. (bot.) My cosia; no- 
me usado por alguns botá- 
nicos como synonymo de 
mycologia. 

Micosis./, (med.) Mycosis; ex- 
crescencia fungosa. 

MicRA. /. (zool.) Miera (peque- 
na); genero de insectos le- 
pidópteros, da tribu dos an- 
thophilidos. 

MicRACTiDE. m. (bot.) Micra- 
ctide ou micratis (raio pe- 
queno); genero de plantas 
da familia das compostas. 

MiCRALOA. /. (bot.) Micraloa; 
genero de plantas phyceas. 

MicrÍspide. 771. (zool.) Micras- 
pis (escudo pequeno); genero 
de insectos coleópteros sub- 
pentaraeros, da familia dos 
aphidiphagos. 

MicRASTERiA. /. (tiot.) Mícras- 
teria (astro pequeno); gene- 
ro de algas: — micrasteria; 
genero de phyceas da tribu 
das desmideas. 

MicRASTERO. m. (zool.) Mieras- 
tero; genero de echinoder- 
mes, cujas especies bao sido 
encontradas no estado fós- 
sil nos terrenos cretáceos. 

MicRiLA, /. (zool.) Michryla 
(rã pequena); genero de re- 
ptis batrachios, da familia 
das rãs. 

Micro, cra. adj. Micro; pala- 
vra grega, que significa pe- 
queno e que entra na com- 
posição de muitos vocábulos. 

MicROAcúsTico, CA. ttdj. (jihys.) 
Microacustico; diz-se do que 
serve para fazer os sons mais 
perceptíveis: — m. micro- 
acustico; instrumento acús- 
tico para apreciar os sons 
fracos, fazendo com que fi- 
ram com mais intensidade 
o ouvido. 

MicROBASo. m. (bot.) Microba- 
£o; fructo composto de qua- 
tro divisões, que terminam 
n'uma base mui pequena. 

MiCROBLEFÁRIDE. /. (bot.) Mí- 

croblepharide; divisão de 
plantas estabelecida no ge- 
nero modecea. 

MicRocEBO. 771. (zool.) Microce- 
bo (mono pequeno); genero 
de mammiferos. 

MicRocÉFALO, LA. ttdj. (fig.) De 
pouco talento, de escassa in- 



96 



MIC 



telligencia: — m. (zool.) mi- 
crocephalo (cabeça pequena); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros da familia 
dos carabicos. 

MicrocefalÓfide. m. (zool.) Mi- 
crocephalophide ou inicroce- 
phalophis (seriyente de cabe- 
ça pequena); genero de re- 
ptis opbidius da familia dos 
hydrophideos. 

MicROCELE, adj. Ligeiramente 
inchado: — (bot.) microcele; 
diz-se do que cresce ou se 
desenvolve em pouco tempo. 

MicROCELiA. /. (bot.) Microce- 
lia (cavidade pequena); ge- 
nero de plantas da familia 
das orchideas. 

MicROCELO, LA. adj. (bot.) V. 
Microcele. 

MiCROcísTiDE. m. (bot.) Micro- 
cystide ou microcystis (be- 
xiga pequena); genero de 
plantas phyceas da tribu 
dos nostocineas. 

MicRocLOA. /. (bot.) Micro- 
chloa (herva pequena); ge- 
nero de ¡Dlantas da familia 
das gramineas. 

MicRocoDO. m. (bot.) Microcodo 
(campainha pequena); gene- 
ro de plantas da familia das 
campanuláceas : — (zool.)m\- 
crocodo (campainha peque- 
na); genero de infusorios ro- 
tadores. 

MicROcÓLEA. /. (bot.) Microco- 
lea (pequena bainha); gene- 
ro de plantas phyceas, da 
tribu das oscillarias. 

MicROcoNÓMETRO. m. (phys.) 
Microconómetro; instrumen- 
to para medir as mais pe- 
quenas fracções do tempo. 

MicRocÓRiDE. m. (bot.) Micro- 
coride ou microcorys; gene- 
ro de plantas da familia 
das labiadas. 

MicRocosMÉTOR. m. (med.) Mi- 
crocosmetor; nome que um 
philosopho allemào deu ao 
principio ou causa eficiente 
da vida. 

Microcosmo, Microcosmos, m. 
(phylos.) Microcosmo; mun- 
do pequeno ou abreviado: 
— microcosmo; nome dado 
ao homem por muitos médi- 
cos e philosophos antigos, que 
consideraram a especie hu- 
mana como uma abreviatura 
do universo, como o simula- 
cro da creação : — (zool.) mi- 



MIC 

crocosmo; genero de mollus- 
cos. 

MicRocosMOLOJiA. /. (phHos.) 
Microcosmologia; historia 
ou descripção do corpo hu- 
mano. Alguns auctores têem- 
se servido d'esta palavra na 
mesma accepçào de anthro- 
pologia. 

MiCRODÁcTiLo, LA. adj. (zool.) 
Microdactylo; diz-se do ani- 
mal que tem os dedos curtos. 

MicRODERA. /. (zool.) Microde- 
ra (collo pequeno); genero 
de insectos coleópteros he- 
teromei'os da familia dos me- 
lásemos. 

MiCRODÉRiDE. m. (bot.) Micro- 
deride ou microderis (aber- 
tura pequena); genero de 
plantas da familia das com- 
postas. 

MicrÓdero. m. (zool.) Micro- 
dero (collo pequeno); genero 
de coleópteros pentameros 
da familia dos carabicos. 

MicRODONTE. TO. (bot.) Micro- 
donte (dente pequeno); ge- 
nero de plantas da familia 
dos selagineas : — (zool.) mi- 
crodonte; genero de insectos 
coleópteros subpentameros, 
d.i família dos cyclicos: — 
microdonte; genero de inse- 
ctos lepidópteros da tribu 
dos notodontidos. 

MiCRO-ELECTRÓMETRO. TO. (¡jhpS.) 

Micro-eletrometro; instru- 
mento usado para descobrir 
e apreciar quantidades mui 
pequenas de electricidade. 

MiCROENCÉFALO. TU. Microcuce- 
phalo; cerebro pequeno: — 
adj. microencephalo; diz-se 
do animal que tem o cere- 
bro pequeno. 

MicROFONÍA. /. (med.) Micro- 
phonia; extrema fraqueza ou 
tenuidade da voz. 

Micrófono, na. adj. Micropho- 
no; diz-se do que produz um 
som de pouca intensidade: 
— microphono ; diz-se do que 
diminue a intensidade dos 
sons. 

Micróforo. to. (zool.) Micro- 
phoro; genero de insectos 
dípteros brachoceros. 

MicroftÍlmo, ma. adj. (zool.) 
Microphtalmo; diz-se do ani- 
mal que tem os olhos mui pe- 
quenos. Também se usa, como 
substantivo. 

Micro-galvánico, ca. adj. 



MIC 

(phys.) Micro-galvanico; dí- 
zia-se dos instrumentos, ope- 
rações, etc., por meio das 
quaes se apreciavam as mais 
insignificantes quantidades 
de galvanismo desenvolvido 
nos corpos. 

MxcROGLENA. /. (zool.) Mícro- 
glena (olho peqrieno); gene- 
ro de infusorios da família 
dos monadinos. 

MicROGLOSA. /. (bot.) Micro- 
glossa (língua pequena); ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

MicROGRAFÍA. /. Mícrograpbía ; 
clescripçào dos objectos cuja 
pequenez não permitte ve- 
los senão com o auxilio do 
microscopio. 

Micro jiNA./. (bot.) Microgyna 
(pistillo pequeno); genero de 
plantas da família das com- 
postas. 

MicROLÉPiDE. TO. (bot.) Microlc- 
pide ou microlepis (escama 
pequena); genero de plantas 
da família dos melastoma- 
ceas. 

MicROLEPO, PA. adj. (bot.) Mi- 
crolepo; diz-se do animal, 
que tem escamas pequenas. 

MicROLEPTO. TO. (zool.) Micro- 
lepto (delgado e pequeno); 
genero de insectos hymeno- 
pteros da família dos ich- 
neumonidos. 

Micro LISIA. /. (bot.) Microlicia ; 
genero de plantas da famí- 
lia das melastomaceas. 

MicRÓLOGo. m. (phylol.) Micro- 
logo; o que presta grande 
attenção ás cousas pequenas : 
— mierologo; o que se con- 
sagra a investigações micro- 
logicas: — mierologo; dis- 
curso lacónico. 

MicROLÒjÍA./. Mícrologia; tra- 
tado sobre objectos de sum- 
ma pequenez. 

MiCROLONCO. TO. (bot.) Mícro- 
lonco (lança pequena); ge- 
nero de plantas da família 
das compostas. 

MiCROMATO, TA. adj. (zool.) V. 
Microftalmo : — to. V. Es- 
paraso. 

MicROMEGA. /. (bot.) Microme- 
ga (grande e pequena) ; ge- 
nero de plantas phyceas. 

MicROMEGO. TO. (math.) Micro- 
mego; instrumento geomé- 
trico de quinze graus, para 
medir terra. 



MIC 

MicBOUELiA. /. (physiol.) Mi- 
cromelia ; monstruosidade 
produzida pela excessiva pe- 
quenez de um membro. 

MicEOMERiA. /. (bot.) Microme- 
ria (tronco pequeno) ; gene- 
ro de plantas da familia das 
labiadas. 

MiCRÓMEKO, RA. adj. (zool.) Mi- 
cromero; diz-se do animal 
que tem os membros mui 
delgados ou pequenos. 

Micrómetra. m. Micrometra; 
o que é versado em micro- 
metria, ou que se dedica a 
esta arte. 

MicBOMETRÍA. /. Micrometria *, 
arte de trabalhar com o mi- 
crometro, de fazer observa- 
ções microme tricas. 

MioROMKTRico, CA. üdj. (astr.) 
• Micrometrico; diz-se do que 
pertence ao micrometro: — 
micrometrico; diz-se do que 
88 faz por meio do microme- 
tro. Tornillo micrometrico 
(mech.J; parafuso microme- 
trico. 

Higrómetro, m. (astron.) Mi- 
crometro; apparelho que se 
applica aos instrumentos de 
reflexão, e serve para medir 
no espaço as dimensões li- 
neares mais exíguas, ou as 
mais pequenas mudanças 
que se verificam no diâme- 
tro apparente dos corpos ce- 
lestes : — objectivo. V. He- 
liómetro: — universal; mi- 
crometro universal; o que 
serve para todos os eclipses 
do sol e da lua, e para a 
observação dos ângulos. 

MicRONEMo, MA. adj. V. Micro- 
cero. 

MicROONTE. m. (zool.) Microon- 
te; quadrúpede fóssil, o 
mais pequeno dos rumi- 
nantes. 

MicROPERA. y. (bot.) Micropera 
(extremidade pequena); ge- 
nero de plantas da familia 
das orchideas. 

MicROPEZA. /. (zool.) Micrope- 
za (pé pequeno); genero de 
insectos dipteros, da fami- 
lia dos muscidos. 

Mecropilo. m. (bot.) Micropy- 
lo; pequena abertura situa- 
da junto ao pedúnculo da se- 
mente. 

MicROPÍxiDE. m. (bot.) Micro- 
pyxide ou micropj^is (caixa 
pequena); genero de plan- 
13 



MIC 

tas da familia das primulá- 
ceas. 

MicROPO. m. (bot.) Micropo 
(tronco ou pé pequeno) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

MiCROPOGO. m. (zool.) Micro- 
pogon (barba pequena) ; ge- 
nero de peixes acanthopte- 
rygios. 

MicRÓPsico, CA. adj. Micropsy- 
co; fraco de espirito, pusil- 
lanime. 

Micrópside. m. (zool.) Micro- 
psyde ou micropsys (aspe- 
cto pequeno); genero de 
plantas da familia das com- 
postas. 

MicROPsiQUiA. /. Micropsychia; 
fraqueza de espirito, pusil- 
lanimidade, falta de animo. 

MicROPTERijio, jiA. adj. (zool.) 
Micropterygio ; diz-se do 
peixe que tem as barbata- 
nas curtas. 

MicRÓPTERo. m. (zool.) Micro- 
ptero (pequena barbatana); 
genero de peixes acantho- 
pterygios : — microptero 
(aza pequena); genero de 
aves da familia das palmi- 
pedes: — microptero; ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
malacodermes : — m. pi, 
micropteros ; nome dado por 
alguns naturalistas á fami- 
lia dos brachelytroB. 

MicRORiNco. m. (zool.) Micro- 
rhynco (rosto pequeno); ge- 
nero de crustáceos decapo- 
das. 

MicRORÍPiDE. m. (zool.) Micro- 
rhipide ou microrhipis (le- 
que pequeno) ; genero de in- 
sectos coleópteros pentame- 
ros, da familia dos serricor- 
nes. 

MicRosAco. m. (bot.) Microsa- 
co (saco pequeno); genero 
de plantas da familia das 
orchideas. 

MicKoscATiA. /. (zool.) Micros- 
chatia (cortadura pequena); 
genero de insectos coleópte- 
ros heteromeros, da familia 
dos melásemos. 

Microscópico, ca. adj. Micros- 
cópico; diz-se do que se faz 
com a ajuda do microscopio : 
— microscópico; diz-se do 
que é tão pequeno ou dimi- 
nuto que só se pode ver com 
o auxilio do microscopio : — 



MIC 



97 



microscópico; diz-se do que 
não vê senão com microsco- 
pio : — m. pi. (zool.) micros- 
cópicos; nome dado por al- 
guns naturalistas aos ani- 
maes que se designam ge- 
ralmente por infusorios. 

Microscopio, w. (astron.) Mi- 
croscopio; constellação me- 
ridional, situada debaixo de 
Capricornio: — (phys.) mi- 
croscopio; instrumento dio- 
ptrico que augmenta consi- 
deravelmente as dimensões 
dos objectos miúdos. Mi- 
croscopium, ii: — solar; 
microscopio solar; o que re- 
cebe a luz do sol, ou outra 
mui intensa produzida arti- 
ficialmente: — lucerna; mi- 
croscopio lucerna; especie 
de microscopio, inventado 
em Inglaterra, para ver os 
objectos opacos com a maior 
clareza. 

MicRosEMA. /. (bot.) Microsem- 
ma; genero de plantas da 
familia das ternstremiaceas. 

MicROSFERA. /. (zool.) Micros- 
•ph(iYSi(esphera pequena); ge- 
nero de insectos coleópteros 
heteromeros, da familia dos 
taxicornes. 

MicRosFiCTO, cTA. odj. (mcd.) 
Microsphycto; diz-se de quem 
tem o pulso muito débil. 

MicROSOMATiA./. (pliysiol.) Mi- 
crosomatia; monstruosidade 
que consiste na excessiva 
pequenez do corpo. 

MiCROSOMo. m. (physiol.) Mi- 
crosomo; monstro que tem o 
corpo excessivamente pe- 
queno. 

Mkírospermo. m. (bot.) Micros- 
permo (grão pequeno); ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

MicROSTEFio. m. (bot.) Micros- 
tephio (coroa pequena) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

MicROSTEjiA. /. (bot.) Micros- 
tema (coroa 2iequcna) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das asclepiadeas. 

MiCROSTOMA. /. (zool.) Mlcros- 
toma (boca pequena) ; gene- 
ro de peixes malacoptery- 
gios abdominaes. 

Microstómata. /. (zool.) Mi- 
crostomata; genero de re- 
ptis ophidios. 

MicROTELO. m. (zool.) Microte- 



98 



MID 



lo; genero de insectos co- 
leópteros heteromeros, da 
familia dos melasomos. 
MiCEÓTiBE. m. (hot.J Microti- 
be ou microtis (orelha pe- 
quena); genero de plantas 
da familia das orchideas. 
MicROTÓPiDE. m. íbot.J Micro- 
topide ou microtopis ; gene- 
ro de plantas da familia das 
celastríneas. 

MiCROTKiQüíA. /. (bot.) Micro- 
trichia (pello pequeno) ; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

3I1CEÜXETO. m. (zool.) Micro- 
cheto (cabeüeira pequena) ; 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos clavicornes. 

^IiCEOxiLO. m. (bot.) Microchi- 
lo (labio pequeno); genero 
de plantas da familia das 
orchideas. 

MicROxiLOBio. m. (zool.) Mi- 
croxylobio ; genero de inse- 
ctos coleópteros tetrámeros, 
da familia dos curculióni- 
dos. 

MicROzOAEíos. m. pl. (med.) 
Microzoarios; grupo consi- 
derável de animaes aquáti- 
cos. 

MiCROzoo. m. (zool.) Microzoo 
(animal pequeno) ; genero 
de insectos coleópteros he- 
teromeros, da familia dos 
melasomos. 

MicRüRA. /. (zool.) Micrura 
(cauda pequena); genero de 
helminthos. 

MícTiDE. m. (zool.) Mictide ou 
mictis; genero de insectos 
hemipteros. 

MiCHAuxiA. /. (bot.) Michau- 
xia; genero de plantas da 
familia das campanuláceas. 

Mida. /. (bot.) Mida; genero 
de plantas da familia das 
santaláceas : — (ant. prov.) 
V. Medida. 

MroAiNA. m. (zool.) Mydaina; 
familia de mammiferos car- 
niceiros vermiformes. 

MiDAO. m. (zool.) Mvdao (mau 
cheiro); genero de mammi- 
feros plantigrados carnicei- 
ros. 

Midas, m. (zool.) Mydas; ge- 
nero de insectos dípteros, da 
familia dos notacanthos : — 
mydas; genero de insectos 
dípteros, da familia dos ta- 
nystomos. 



MIE 

Mídaseos, m. pl. (zool.) My- 
daseos; insectos dípteros. 

Miedo, m. Medo, perturbação, 
situação apprehensiva do 
animo preoccupado com a 
idea do perigo real ou ap- 
parente. Metus, us: — me- 
do ; receio ou temor de que 
succeda o contrario do que 
se deseja. Formido, timor: 

— cerval; medo grande, ex- 
cessivo. Metus ffravis, vehe- 
mens. A miedo ó a miedos 
(loe. adv. ant.); a medo, 
com medo, susto, receio, pa- 
vor. Ciscarse de miedo (fr. 
fam.); borrar- se de medo ou 
com medo. Prcs timore con- 
turbari, laxari ventrem. Mo- 
rirse de miedo (fr.) ; morrer 
de medo. Formidare máxi- 
me, terrore concuti. Mucho 
miedo y poca vergüenza; 
muito medo e pouca vergo- 
nha; expressão que se ap- 
plica ao que teme o castigo, 
mas que não se emenda. 
No haya ó no hayas miedo 
(loe.) ; não haja ou não ha- 
jas medo. Minime vel nec 
timendum esse,nemetuas. El 
miedo guarda la viña (rif.); 
o medo guarda a vinha. 
Também se diz: miedo guar- 
da viña, que no viñadero; o 
medo guarda a vinha, que 
não o vinheiro. Al que mal 
vive el miedo le sigue (rif.); 
ao que mal vive o medo o 
persegue. 

Miedoso, sa. adj. (fam.) V. Me- 
droso. 

MiEJE. 771. (ant.) Physico, me- 
dico. 

MrEL. /. Mel; substancia li- 
quida e saccharina que mui- 
tos insectos hymenopteros, 
e especialmente as abelhas 
colhem dos nectarios das flo- 
res, e elaboram no estoma- 
go depositando-a em segui- 
da nos favos. Mel, lis: — 
de cañas; mel, licor espesso 
que distilla do sumo das 
cannas doces, quando se 
deita nas formas: — de gota; 
terceiro e ultimo mel que 
deita de si o assucar fino ao 
branquear-se. Sacchari ter- 
tius succus guttatim defluens : 

— de prima; o primeiro licor 
que distilla do assucar quan- 
do se coalha na forma. Suc- 
cus saccharí purgati pri- 



MIE 

mus: — indica; sal indiano; 
nome dado pelos antigos ao 
assucar : — silvestre; mel 
silvestre; mel muito escuro 
e inferior, que na índia for- 
mam nas arvores umas abe- 
lhas negras do tamanho de 
moscas. Mel silvestre vel 
eriacceum: — sobre hojue- 
las (loe); oiro sobre azul; 
diz-se de uma cousa que 
quadra perfeitamente com 
outra ou lhe dá mais real- 
ce: — vir jen; mel virgem, 
branco, puro; o que se tira 
dos favos sem fogo. Dar una 
dedada de miei (fr.); dar, 
pôr mel pelos beiços, engo- 
dar, fazer a boca doce. De- 
jar a uno con la miei en los 
labios (fr. fam.); deixar ai* 
guem com o mel nos beiços; 
priva-lo do que começava a 
saborear ou disfructar. Sum- 
mis labis degustatum abri- 
pere: — deixar alguém com 
a agua na boca; diz-se tam- 
bém da pessoa que não po- 
de ouvir senão em parte al- 
guma conversa, conto ou 
discurso interessante. Ser 
cosa de mieles (fr.); ser uma 
delicia; ser cousa muito gos- 
tosa, suave, doce e delicio- 
sa. No es ó no se hizo la 
miei para la boca dei asno 
(rif); não é o mel para a 
boca do asno. No hay miel 
sin hiél (rif.); não ha mel 
sem fel, não ha gosto sem 
desgosto . Extrema gaudii 
luctus occupat. Quien anda 
entre la miei algo se le pega 
(rif); quem com mel trata 
sempre se lhe apega. Qui 
picem tetigerit inquinabitur 
ab ea: — rosada (pharm.); 
mel rosado; preparação phar- 
maceutica feita de mel e 
sumo de rosas. 

Mielga. /. (agr.) Ancinho ou 
engaço; instrumento rustico 
de pau ou ferro com dentes 
para ajuntar a palha, o fe- 
no, etc. Falx extramentaria : 
— (agr.) folha ou leira de 
terra: — (7*oí.j luzerna; plan- 
ta da familia das legumi- 
nosas: — f2oo¿.^ meiga; pei- 
xe do genero squalo. 

Mjelgo, ga. adj. (ant.) V. Me- 
llizo. 

Miembrar. a. V. Memhrar. 

Miembro, m. (fig.) Membro; 



MIE 

parte de iam corpo moral, 
politico, de uma sociedade, 
de um estado, etc. Membrum, 
i: — membro, ramo; parte 
de um • todo: — (fig. ant.) 
membro; parte de um todo 
unido com elle: — podrido 
(fig.); membro podre, cor- 
rupto, gangrenado; homem 
que desacredita a sociedade, 
a corporação de que é mem- 
bro. Putridum membrvm : — 
(anat.J membro; appeudice 
ou prolongaçào do corpo dos 
* animaes, que serve ordina- 
riamente para a locomoção: 

— viril; membro viiúl ou 
genital; o penis, o órgão 
masculino que serve á repro- 
ducçào : — fa?-e/«'í.J membro; 
cada uma das partes priuci- 
paes de um edificio ou de 
uma ordem architectonica: 

— (br.) membro; perna ou 
pata de uma ave, separada 
do corpo : — (gram.) mem- 
bro; parte ou divisão de um 
periodo ou de uma phrase : 

— (aaut.) V. Ligazón. Pal- 
mear los miembros.Y . Pal- 
mear. 

MiENKO. pron. (ant.) V. Mio. 

Mienta. /. (Tjot.) V. Yerba bue- 
na. Usa-se nas Asturias e 
nas montanhas de Leão. 

MiEXTE. /. (ant.) Mente. V. 
Pensamiento: — V. Gana, 
Voluntad. Caer en mientes ó 
en las mientes (fr.); vir á 
mente ; imaginar-se alguma 
cousa, apresentar-se ú ima- 
ginação. In mentem alicui 
incidere. Meter mientes (fr.); 
advertir, considerar, pensar. 
Parar mientes (fr.); consi- 
derar, meditar, applicar a 
mente com atteuçâo. Haber 
mientes (fr.); recordar-se, 
lembrar-se, trazer á memo- 
ria. Tener mientes (fr.); re- 
parar, fisar a atteuçâo. 

Mientra, adv. (ant.) V. Mien- 
tra^s. De mientra, en mien- 
tras (loe. adv. ant.).\. Mien- 
tras. 

Mientras, adv. t. Emquanto, 
entretanto, entretanto que. 
Interea, dum, quandiu: — 
cuando; emquanto, no tem- 
po, na occasião ou conjun- 
ctura que : — tanto (loe. adv.) 
V. Mientras. 

MiENTRE. adv. (ant.) V. Mien- 
tras. 



MIG 

Miera. /. Mera; licor oleoso 
extrahido do zimbro, de que 
usam os pastores para cu- 
rar as doenças externas do 
gado. Juniperinum olewn : 
— mera ; substancia resino- 
sa, pesada, crassa e trans- 
parente, que com o calor do 
sol mana dos troncos dos pi- 
nheiros. 

MiERCAB. a. (ant.) V. Mercar. 

Miércoles, m. Quarta feira; 
quarto dia da semana. Dies 
Mercurii, feria quarta : — 
corvillo (fam.); quarta feira 
de cinza. Feria quarta Cine- 
rum: — de ceniza; quarta 
feira de cinza; o primeiro 
dia da quaresma : — santo ; 
quarta feira santa; quarta 
feira da semana santa. Fe- 
ria quarta majoris hebdo- 
madce. 

Mierda. /-Merda; excremento 
humano e de alguns animaes. 
Merda, ce: — (fig.) merda; 
porcaria, sujidade que se pe- 
ga á roupa ou a alguma ou- 
tra cousa. Merda, sordes : — 
merda; interjeição de des- 
prezo. Cuanto más se revuel- 
ve la mierda, mas apesta 
(rif.); quanto mais se meche 
na merda mais ella fede ; 
quanto mais se averigua um 
assumpto torpe ou indigno, 
tanto mais se desacreditam 
os que n'elle figuram. 

MiERDACRDZ. /. (bot.) Espccie 
de trovisco. 

MiERLo. m. (ant. zool.)Y. Mirlo. 

MiERRA. /. V. Narria. 

MiERsiA. /. (bot.) Miersia; ge- 
nero de plantas da familia 
das liliáceas. 

IVIiÊs. /. (fig.) Messe, colheita ; 
quantidade, grande copia de 
pessoas convertidas á santa 
fé ou próximas a isso. Seges, 
copia : — (ag)'-) pl- messes, 
cereaesi, pães, comprehen- 
dendo todas as plantas ou 
sementes d'esta natureza. 
Messes, ium : — messe, co- 
lheita, ceifa; o tempo da co- 
lheita, da ceifa dos cereaes. 
Messes, ium. 

MiETKA. adv. (ant.) V. Mien- 
tras. 

Miga. /. Miolo ou miollo; a 
parte interior e mais molle 
do pão. Panis medulla : — 
migalha ; pequena, tenuepor- 
ção de qualquer cousa. Mi- 



MIG 



99 



ca, ce: — miolo, medulla; 
substancia principal das cou- 
sas physicas : — (ant.) papa 
de leite e farinha que se dá 
ás creanças : — pi. migas de 
alho; especie de açorda. 
Frustida panis f rixa. Hacer 
buenas o malas migas (fr. 
(fam.); fazer boa ou má fari- 
nha; dar-se bem, viver em 
harmonia com alguém ou 
vice-versa. Facile vel diffici- 
le consociari, convenire. 

Migaja. /. Migalha; porção de 
pão que se esmiuça ao par- 
ti-lo. Mica, ce : — (fam.) mi- 
galha; porção tenue de qual- 
quer cousa. Usa-se mais com- 
mummente no jolural pelas 
que ficam na mesa : — mi- 
galha; pequena parte de al- 
guma cousa immaterial. Mi- 
ca, ce: — (fam.) migalha; 
quasi nada. Nihil omnino: 
— pi. migalhas; os desper- 
dicios ou sobras que alguém 
deixa, e de que se utilísam 
outros. Micce, arum: — de 
huevo. V. Galladura. Repa- 
rar en migajas (fr.); reparar 
cm migalhas, em miudezas, 
entreter-se em minucias. 
Quisquilias observare vel 
tricas. 

Migajada./. Migalha; parcel- 
la, pequena porção de algu- 
ma cousa divisível ; v. g. : pa- 
gar una deuda a migajadas ; 
pagar uma divida ás miga- 
lhas, aos poucos. Pars mí- 
nima. 

MiGAJON. m. Miolo; pão sem 
codea. Medulla imnis: — 
miolo, medulla, substancia; 
o que ha de principal e de 
mais essencial em uma cou- 
sa. Medulla. 

Migar. a. Migar; esmiuçar ou 
partir o pão em migalhas ou 
porções mui pequenas. Fria- 
re, panem in micas commi- 
nuere. 

MiGAYA. / (ant.) V. Migaja. 

Migraña./ (ijrov.) V. Jaqueca. 

Migratorio, ria. adj. Emigran- 
te; diz-se do que se muda e 
passa de uma parte para ou- 
tra. Migratorius, migrans. 

MiGUERO, RA. adj. Diz-se do que 
de algum modo tem relação 
com as migas, e n'este sen- 
tido os pastores de Hespa- 
nha chamam á estrella de 
¿ilva el lucero miguero; es- 



100 



MIL 



trella do pastor, porque a 
sua appariçào annuncia a 
hora de ir fazer as migas. 

]\IiHiR. m. (chron.J Mihir ; o mez 
do equinócio entre os persas, 
correspondente ao mez de 
setembro. 

MiHiRGiAN. m. (cliron.) Mihir- 
gian; o equinócio do outom- 
no entre os persas. 

MiiNA. /. (zool.) Myina ; gene- 
ro de insectos hymenopte- 
ros, da familia dos chalci- 
tlios. 

MuoTUBDO. m. (zool.) Myiotur- 
do; genero de aves da or- 
dem dos pássaros dentiros- 
tros. 

Mijar, m. Milharada ou milha- 
ral; campo ou terreno se- 
meado de milho : — (ant.) V. 
Millar, Milla. 

MiJAziA. m. Mijazia; oitavo mez 
dos ethiopes, corresponden- 
te ao mez de abril. 

Muero, m. Columna, pedra de 
milhas; a que se fixa nas es- 
tradas de milha em milha: 
— (aiit.) milha, terça parte 
de uma legua: — distancia 
curta e indeterminada: — 
curto espaço de tempo. 

MijiNDA. /. (bot.) Myginda'; 
genero de plantas da fami- 
lia das celastríneas. 

i\Ijjo. m. (bot.) Milho; genero 
de plantas da familia das 
gramíneas : — milho; o grão 
ou semente da planta do 
mesmo nome: — (prov.) V. 
Maiz: — ceburro. V. Can- 
deal. 

Mil. adj. (num.) Mil; numero 
cardinal que é o producto 
de cem, tomado ou multipli- 
cado dez vezes. Mille: — 
mil ; grande numero, mas 
indeterminado, e assim se 
diz: mil vezes se lo he dicho; 
mil vezes Ih'o tenho dito. 
Mille: — pi. milhares. V. 
Millares: — y mil; aos mi- 
lhares ; diz-se para exagerar 
muito a abundancia de al- 
guma cousa: — y quinientas 
(fam.); as lentilhas; assim 
chamadas ^jelo grande nu- 
mero d'ellas que entram 
n'uma tigela de comida. Cen- 
tic.idarum multitudo. Esas 
son otras mil y quinientas ; 
significam que ainda ha que 
juntar alguma cousa ao ne- 
gocio de que se trata: — en 



MIL 

rama (bot.); mil em rama ou 
mil folhas. V. Milenrama. 
Sala de mil y quinientas 
(fr.) V. Sala. 

MiLACEFALiA. /• (pliysiol.) My- 
lacephalia; monstruosidade 
que consiste na falta da ca- 
beça, com imperfeição do 
corpo. 

IMiLACEFÁLico, CÃ..adj .(physiol.) 
Mylacephalico; diz-se do que 
pertence á mylacephalia. 

MiLAcÉFALO. m. (physiol.j'Mj- 
lacephalo; monstro que apre- 
senta OS caracteres da my- 
lacephalia. 

MiLAco. m. Mylacho (pedra 
redonda); genero de insectos 
coleópteros tetrámeros, da 
familia dos curculiónidos. 

Milagrero, ra. s. Milagreiro; 
o que attiibue todo o succes- 
so a causas sobrenaturaes, 
a influencia milagrosa. Om- 
nia miracido attribuens. 

Milagro, m. Milagre; succes- 
so sobrenatural attribuido 
á operação immediata de 
Deus. Miraculum, i: — mi- 
lagre ; successo maravilhoso 
e raro, extraordinario ou nun- 
ca visto. Usa-se como inter- 
jeição para denotar o espan- 
to que alguma cousa causa. 
Miraculum, mirum : — mi- 
lagre ; acontecimento cuja 
causa é desconhecida e que 
por isso surprehende: — V. 
Presentalla. Hacer milagros 
(fr.); fazer milagres; fazer 
muito mais do que ordina- 
riamente se julga possível 
em qualquer industria ou 
mister. ViiHr de milagro 
(fr.); viver por milagre; ter 
escapado a um perigo emi- 
nente; viver não obstante 
as necessidades e sofírimen- 
tos prolongados. Miraculo- 
se, Dei auxilio vivere: — 
(theatro) milagre ; peça thea- 
tral em que se representa- 
vam alguns episodios da vi- 
da de um santo, na idade 
media, e cujo desfecho era 
ordinariamente um mar tyrio. 

MiLAGROx. m. (fam.) V. Aspa- 
viento, 

Milagrosamente, adv. m. Mi- 
lagrosamente, miraculosa- 
mente. Divinitus, miraculo : 
— milagrosamente, admira- 
velmente, siu-prehendente- 
mente. Mirum in modum. 



MIL 

Milagroso, sa. adj. Milagroso, 
miraculoso; diz-se do que é 
feito, obrado por milagre. 
Prodigiosus naiurce vires ex- 
superans: — milagroso; que 
obra ou faz milagres. Qui 
multa miracula vel signum 
edityfacit; miraculis clarus: 
— maravilhoso, assombroso, 
pasmoso. 

Milán, m. (comm.) Milão; te- 
cido de linho, assim chama- 
do da cidade da mesma de- 
nominação, aonde se fabrica. 

Milandro. m. (zool.) Milandro ; 
genero de peixes chondro- 
pterygios. 

MíLàxo. m. (zool.) Milhano; 
genero de aves rapaces da 
familia das falconideas : — 
negro; milhano, milhafre 
preto: — milhano, milhafre 
ruivo; ave de rapina do mes- 
mo genero que a anterior, 
um pouco mais pequena. 
Tem o lombo annegrado, o 
ventre branco e com raios 
paidos transversaes : — voa- 
dor; peixe do genero trigla, 
de côr vermelha com algu- 
mas malhas verdes e azues 
pelo ventre. 

Mileco. m. (zool.) Mylecho; 
genero de insectos coleópte- 
ros da família dos clavícor- 
nes. 

MiLEMORBiDA. /. (bot.) Mylle- 
morbida; nome que antiga- 
mente se dava a uma espe- 
cie de escrofularinea, por- 
que se empregava no trata- 
mento de muitas doenças. 

Milenario, m. Millenario; es- 
paço de dez séculos ou mil 
annos: — adj. millenario; 
diz-se do que é relativo a 
mil ou ao milhar, ou do que 
contém o numero mil. 3Íil- 
lenarius, a, um: — m. pi. 
(rei.) millenarios; sectarios 
christãos, os quaes acredita- 
vam que Jesus Christo rei- 
naria sobre a terra e mais 
os seus santos n'uma nova 
Jerusalém por espaço de mil 
annos antes do juízo univer- 
sal. 

Milenakismo. m. (rei.) Mille- 
narísmo; doutrina dos mil- 
lenarios. 

MiLENO, NA. adj. Composto de 
mil fios; díz-se dos tecidos. 
Millenarius, a, um. 
MiLEKBAMA./. (bot.) V. Áquilca. 



MIL 

Milenta, adj. (vulg.) V. Mil: 
— m. (vulg.) V. Millar. 

MiLEÑo, ÑA. adj. V. Mileno. 

MiLEsiA. /. (zool.) Milesia; ge- 
nero de insectos dipteros 
brachoceros, da familia dos 
brachystomos. 
]\IiLESiAco, CA. adj. Milesiaco; 
diz-se do que pertence a mi- 
leto cu aos milesios. Fábu- 
las milesiacas (litter.); fabu- 
las milesiacas; contos ob- 
scenos compostos por Aristi- 
des de Mileto. 

Milésimo, ma. adj. Millesimo; 
diz-se de cada uma das mil 
partes iguaes em que pode 
dividir-se uma cousa. Mille- 
simus, a, um: — m. (num.) 
millesimo-, total dos núme- 
ros que marcam o anno nas 
medalhas, moedas e monu- 
mentos, de data posterior ao 
auno mil da era vulgar: — 
millesimo, mais latamente, 
diz-se das medalhas e moe- 
das cunhadas antes do anno 
mil. 

Milesio, sia. adj. Milesio; diz- 
se do que pertence a Mile- 
to. Milesius, a, um : — s. mi- 
lesio; o natural de Mileto. 
Milesius, i: — adj. (litter.) 
milesio; diz-se de certos 
contos ou fabulas dispara- 
tadas que têem por fim di- 
vertir os leitores. Milesius, 
a, um: — V. Milesiaco. 

MiLETiA. /. (bot.) Milletia; ge- 
nero de plantas, da familia 
das leguminosas papiliona- 
ceas. 

MiLFico, CA. adj. (med.) Mil- 
phico; diz-se dos medica- 
mentos que se empregam 
para evitar a queda do pel- 
lo, pestanas, etc. 

MiLFOsis. /. (med.) Milphosis; 
rubicundez das pálpebras 
quando estão desprovidas 
de pestanas. 

Milgrana. /. (ant.) V. Gra- 
nada, fructa. 

Milgrano. 771. (ant.) V. Gra- 
nado, arvore. 

Milia. /. (ant.) V. Milla. 

Miliar, adj. Miliar; diz-se do 
que se assimilha aos grãos 
de milho: — diz-se do que 
pertence á milha: — millia- 
rio; diz-se dos postes que 
nos caminhos marcam as 
distancias. Erupción miliar 
(med.); erupção miliar ; a que 



MIL 

es aprseenta sob a forma 
de pequeníssimos grãos. Fie- 
bre miliar; febre miliar; fe- 
bre acompanhada de uma 
erupção miliar. Febris mi- 
liaris. 

MiLLàRio, ria. aãj. V. Miliar, 
na segunda accepção: — do- 
rado (arch.); milliario dou- 
rado; columna dourada que 
Augusto mandou levantar 
em uma grande praça de 
Roma, onde vinham ter to- 
das as estradas reaes de Ita- 
lia. Cohorte miliaria (mil. 
ant.); cohorte milliaria; a 
que se compunha de 1:005 
infantes e 132 cavalleiros. 

Milicia. /. Milicia; arte mili- 
tar. Res vel ars militaris : 
— milicia; o serviço ou a 
profissão militar, carreira 
das armas : — milicia, solda- 
desca, tropas, exercito, gen- 
te de guerra. Militia, ce: — 
Milicias provinciales (mil.); 
milicias provinciaes ; corpos 
de infantería que constituem 
a reserva do exercito hes- 
panhol. Milicia nacional 
(polit.); milicia nacional, as 
milicias; instituição politi- 
ca, composta de cidadãos 
armados, para a defeza de 
um paiz : — (reí.) milicia ; os 
coros dos anjos, também 
chamada milicia celeste ou 
angélica: — de Cristo; mi- 
licia de Christo, a christan- 
dade. 

MiLicLiNO, NA. adj. Miliciano; 
diz-se do que pertence á mi- 
licia: — m. miliciano; sol- 
dado de milicia. Gregarius 
miles vel urbanus. 

Miligramo, m. (metrol.)'M\\\\.- 
gramma; millesima parte da 
gramma. 

Mililitro, m. (metrol.) Milli- 
litro; millesima parte de 
um litro. 

Milímetro, m. (metrol) Milli- 
metro; millesima parte do 
metro. 

MÍLiMo. m. Millimo; decima 
parte de um céntimo ou mil- 
lesima de um franco. 

Mino. m. (bot.) Milio; genero 
de plantas da familia das 
gramíneas. 

MiLioBATA. m. (zool.) Mylioba- 
ta; genero de peixes chon- 
dropterygios d^ familia dos 
selacios. 



MIL 



101 



Milionésimo, ma. údj. V. Mi- 
llonésimo. 

MXLÍPEDOS. 771. pl. (zool.) MÍ1- 

lipedes. V. Miriapodos. 

Militante, adj. Militante ; diz- 
se do que milita, combate. 
Müitans, antis : — (reí.) mi- 
litante; diz-se dos fieis so- 
bre a terra. Iglesia militan- 
te; igreja militante; congre- 
gação dos fieis christãos, que 
militam sobre a terra. 

]\Iilitar. n. Militar ; servir na 
guerra ou fazer vida de sol- 
dado, de militar. Militare: 
— (fiff') militar, ter força; 
haver ou concorrer em uma 
cousa alguma rasão ou cir- 
cumstancia particular. MUi- 
tare: — adj. militar; diz-se 
do que pertence á milicia, 
á guerra. Militaris, re: — 
771. militar, soldado, homem 
de guerra, homem de armas. 
Militaris, re. Arte militar; 
arte militar, milicia, arte 
de guerra. Academias mili- 
tares; academias militares; 
escolas militares, em que 
só se admittem officiaes. Es- 
tado militar; estado mili- 
tar ; o que é governado mi- 
litarmente; estado militar; 
numeramento, resenha ou 
lista geral e circumstancia- 
da das tropas de um esta- 
do. Gobierno militar; go- 
verno militar; governo em 
que o exercito e os chefes 
militares exercem a auctori- 
dade. Jurisprudencia mili- 
tar; jurisprudencia ou foro 
militar ; tudo o que se refe- 
re á coustituição e ao esta- 
do militar de um paiz. Tes- 
tamento militar; testamento 
militar; testamento do sol- 
dado em campanha, para o 
qual a lei dispensa as for- 
malidades ordinarias d'estes 
actos. Arquitectura militar; 
architectura militar ; a arte 
da fortificação das praças 
de guerra. Columna militar; 
columna militar; columna 
em que se gravava a rese- 
nha das tropas de um exer- 
cito ou legião romana. 

Militarismo. 77i. (neol.) Syste- 
ma militar. 

Militarmente, adv. m. Mili- 
tarmente; conforme o uso, 
a arte militar. MilüaritCTf 
militan modo. 



102 



MIL 



MiLiTABON. m. (fam.) Milita- 
rão; soldado velho, que ser- 
via muito tempo na guerra: 

— homem que pretende ap- 
plicar a tudo o systema ou 
regimen militar. 

Milite, m. fant.J Milite, sol- 
dado. 

MiLiusiA. /. (bot.) Miliusia: 
genero de plantas da fami- 
lia das aunonaceas. 

Mii-NEA. /. (bot.) Milnea; ge- 
nero de plantas da familia 
das meliaceas. 

MiLNESio. m. (zool.) Milnesio; 
genero de systoideos tardí- 
grados. 

MiLocEKO. m. (zool.) Mylloce- 
ro (antenna curva); genero 
de insectos coleópteros, da 
familia dos curculiónidos. 

Milocha. /. (prov.J Papagaio 
de papel. 

MxLOK. m. Y. Milord. 

MiLORD. m. Mylord; tratamen- 
to dos grandes de Inglater- 
ra, quando se lhes dirige a 
palavra, e ás^ vezes citando 
o seu nome. 

MiLORDO. m. (ant.J Galán, ga- 
lanteador, namorado, aman- 
te. 

Milpa. /. (p. M.) V. Maizal. 

Milpiés, m. (zool.) V. Cochini- 
lla: — millipedes, bicho de 
conta ou porquinho de San- 
to Antonio; especie de crus- 
táceos isopodas, que tive- 
ram applicação em medi- 
cina. 

Mtltonia. /. (bot.) Miltonia; 
genero de plantas da fami- 
lia das orchideas. 

Miltoniano, na. adj. (litt.) Mil- 
toniano; diz-se do que é ou 
participa do estylo de Mil- 
ton. 

Milvíneas. /. pl. (zool.) Milvi- 
neas; familia de aves de ra- 
pina, da ordem das diurnas. 

Milla. /. Milha, terça parte 
de legua; medida itineraria, 
cuja extensão é de 1:000 
passos geométricos em al- 
guns paizes. Milliarivvi , lá- 
pis milliarivs. A milha de 
Portugal e Hespanha con- 
sta de 1:000 passos geomé- 
tricos: — quarto de legua: 

— (naut.) milha; terça par- 
te da legua marítima. Lar- 
gar ó tragar millas (fr. 
naut.); deitar muitas mi- 
lhas, andar muito o navio. 



MIL 

Millar, m. Milhar ou milhei- 
ro; o numero de mil, fallan- 
do de cousas. Diz-se ordina- 
riamente dos géneros miú- 
dos que se vendem d'esta 
forma, como: un millar de 
agujas; um milheiro de agu- 
lhas. Mille, milliarium: — 
milhar, milhares, mil; gran- 
de numero e indetermina- 
do. N'esta accepçâo usa-se 
muito no plural. Militaria, 
orum: — milhar; no syste- 
ma de numeração arábico 
ou indico, é a casa que, 
contando da direita para a 
esquerda, se segue á dos con- 
tos. Milliari, numeralis cha- 
racter: — milhar; figura ou 
caracter da forma de um O 
alongado que os contadores 
em Hespanha, para maior 
facilidade de ler os núme- 
ros, coUocam entre as cen- 
tenas e as unidades de mi- 
lhar. Está em pouco uso. 
Nota milliarii: — medida 
ou quantidade de cacau, que 
consta de tres libras e meia 
em urnas ¡martes, e de mais 
em outras. Granorum cacao 
milliarium: — espaço de 
terreno, nas devesas, em que 
se podem apascentar mil 
ovelhas, ou dois fatos de 
gado: — cerrado; cifrão, 
caracter do milhar. Nota 
militaria vacva : — en blan- 
co; cifrão cortado; o mesmo 
caracter, sem letra alguma 
dos lados. Nota milliarii 
nondum distincta. 

Millarada. /. Milhares, mi- 
lhões, muitos milheiros, um 
numero infinito. Usa-se re- 
gularmente por jactancia, 
ou ostentando muitos have- 
res, e assim se diz: Echar 
millaradas ; jactar-se de ser 
rico, opulento, de ter fortu- 
na incalculável. Multo mil- 
liaria. A millaradas (loe. 
adv.) ; aos milhares , em 
quantidades incalculáveis. 
Milites. 

MiLLERO. m. (ant.) V. Mijero. 

Millo, m. (ant.) V. Mijo: — 
milho. V. Maiz. Usa-se nas 
ilhas Canarias e na Gal- 
liza. 

Millón, m. Milhão ; mil vezes 
mil ou dez vezes cem mil. 
Decies centum mille : — mi- 
lhão, numero indetermina- 



MIM 

do e excessivo; diz-se geral- 
mente exagerando alguma 
cousa: — pl. imposto indi- 
recto que os estados do rei- 
no de Hespanha tinham con- 
cedido ao rei sobre o consu- 
mo do vinho, do vinagre, do 
azeite, da carne, do sabão e 
das velas de sebo, e que se 
renovava de seis em seis 
annos. Deu-se-lhe este nome 
por se haver calculado que 
poderia montar a uns tres 
milhões de ducados. Vecti- 
gal ex certis speeiebvs exi- 
gendum. Sala de millones: 
sala do conselho que enten- 
dia no tributo acima dito. 

MiLLorABio, RIA. ttdj. MilHona- 
rio, riquíssimo ; que tem mui- 
tos milhões. Usa-se substan- 
tivado. 

Millonésimo, ma. adj. Millio- 
nesimo; diz-se do que com- 
pleta o numero de um mi- 
lhão: — millionesimo; diz- 
se de cada fracção de um 
todo que se suppõe dividido 
em um milhão de partes 
iguaes. Usa-se também sub- 
stantivado na terminação 
masculina. 

Mim. m. (gram.) Mim ; vigésima 
quarta letra do alphabeto 
árabe, e vigésima nona do 
turco. Corresponde ao M: — 
mim; signo numérico de 40. 

MiMANSA./. (pililos.) Mimansa; 
os dois systemas orthodoxos 
da philosophia indica, con- 
formes ás doutrinas emitti- 
das nos Vedas; são opourva 
e o vedanta. 

Mimar. a. Mimar, amimar, aca- 
i-iciar; fazer mimos, tratar 
com afago, meiguice e con- 
descendencia, especialmente 
as creanças. Blandiri, pal- 
pare, plus cequo indulgere: 
— amimar; fazer caricias e 
afagos, tratar habitualmen- 
te com carinho e meiguice. 
Blandiri: — m. (zool.) mi- 
mar ; genero de insectos hy- 
menopteros, da familia dos 
mimaridos. 

Mimaridos. m. pl. (zool.) My- 
maridos; familia de insectos 
hymenopteros. 

Mimbral, m. V. Mimbreral. 

Mimbre, m. V. Mimbrera, ar- 
busto : — vime ; varinha pro- 
duzida pelo vimeiro ou vi- 
me. 



MIM 

MiMBEEAK. n. V. Cimbrar. Usa- 
se também como reciproco. 

MiMBEEÑo, ÑA. adj. Vimineo; 
da natureza do vime. Vimi- 
neus, a, um. 

MiMBEEKA. /. V. Mimbreral: 
— (bot.) vimeiro, vime ; no- 
me com que se conhecem 
vulgarmente varias especies 
do genero salgueiro, cujos 
ramos delgados e flexíveis 
são também chamados vi- 
mes, de que se fazem ces- 
tos, etc. 

Mimbreral, m. Vimeiro; logar 
plantado de vimes. Vimine- 
tum, i. 

MiMBROso, SA. adj. Vimiueo; 
diz-se do que é feito de vi- 
mes. Vím,ineus, viminalis. 

MiMESA. /. (zool.) Mimesa (imi- 
tação); genero de insectos 
hymenopteros, do grupo dos 
crabronidos. 

Mimesis, m. (litt.) Mimesis ; es- 
pecie de ironia, que consis- 
te em repetir o que outrem 
disse, imitando seus modos 
e gestos para o ridiculari- 
sar. 

Mímete, m. (bot.) Mimete; ge- 
nero de plantas da familia 
das proteaceas. 

MiMETESA. /. (min.) Mimetesa ; 
variedade de arseniato de 
chumbo. 

MiMiAMBO, BA. adj. (litt.) Mi- 
miambo-, diz-se de uma es- 
pecie de verso jámbico mui- 
to livre, que repetiam os mi- 
mos nas suas farças. Tam- 
bém se usa algumas vezes 
como substantivo. 

Mímica. /. Mimica; arte de 
fazer sensíveis pela imita- 
ção, aos olhos dos especta- 
dores, os gestos e as acções 
das pessoas: — mimica; ar- 
te de fallar aos olhos sem o 
auxilio da palavra ou da es- 
cripta, por meio de movi- 
mentos e attitudes do cor- 
po, estabelecidos como si- 
gnaes de convenção. A mi- 
mica é o principal meio de 
transmitir as idéas aos sur- 
dos-mudos. 

Mímico, ca. adj. Mimico; diz- 
se do que pertence ao mimo 
e á sua arte. Mimicus, a, 
um,: — mimico; diz-se do 
que imita ou se expressa 
com o gesto, por meio de 
acenos: — mimico; diz-se do 



MIM 

auctor de mimos ou come- 
dias burlescas. 

Mimo. m. Mimo, carinho, afa- 
go, meiguice, brandura ou 
demonstração expressiva de 
ternura. Palpatio, blandi- 
ties: — (fam.) mimo, deli- 
cadeza, cuidado extremo com 
que se tratam as cousas : — 
(hist. e litt. ant.) mimo, far- 
ça; especie de representa- 
ção burlesca e quasi sem- 
pre obscena, em que se per- 
mittia o arremedo ou a imi- 
tação livre e indecente dos 
discursos e acções de um 
particular conhecido. Mi- 
mus, us: — m. mimo; actor 
que representava na farça 
chamada mimo: — mimo; 
auctor de um mimo. 

Mimodrama. m. (litt.) Mimo- 
drama ; drama executado em 
mimologia. 

Mimogbafía. /. (litt.) Mimogra- 
phia; tratado sobre a mími- 
ca ou sobre os mimos. 

Mimografismo. to. Mimogra- 
phismo; escripta imitativa 
que oíferece á vista a ima- 
gem do objecto expressado 
pela palavra. 

Mimógrafo, fa. adj. (litt.) Mi- 
mographo; diz-se do que 
respeita á mimographia, ou 
á arte mímica. 

MiMÓLOGO. m. Mimologo; arre- 
medad or, imitador do modo 
de fallar de alguém : — mi- 
mologo; o que é pratico ou 
versado em mimologia. 

MiMOLojÍA. /. Mimologia, ar- 
remedo, imitação da voz, da 
pronunciação e do gesto de 
alguém, do seu modo de fal- 
lar: ■ — • mimologia; acção de 
imitar, na creação das pala- 
vras, o som dos objectos que 
designam. 

MiMOLÓJico, CA. adj. Mimologi- 
co; diz-se do que pertence á 
mimologia. Substantivo, ver- 
bo mimólogico (gram.); sub- 
stantivo, verbo mimólogico; 
substantivo ou verbo for- 
mado por imitação do som 
que produz o objecto ou a 
acção designada, ex.: Silbi- 
do, rodar. 

Mimólo jiSMO. m. (gram.) Mi- 
mologismo; palavra forma- 
da por mimologia: — (rhet.) 
mimologismo ; figura pela 
qual se representa um ser 



MIN 



103 



animado, imitando-lhe a phy- 
sionomia, o gesto e a voz. 

IVIíMOPLÁSTico, CA. adj. Mimo- 
plastico; diz-se dos quadros 
vivos, e em particular dos 
que representam scenas da 
Paixão. 

jMimòpórfiro. m. (min.) Mimo- 
porphydo; mineral de rocha 
com apparencia de porphy- 
do. 

Mimosa. /. (bot.) Mimosa; ge- 
nero de plantas legumino- 
sas, da familia das mimo- 
seas: — (min.) mimosa; la- 
va composta de feldspatho 
e de pyroxeno, intimamente 
unidos, de côr parda uni- 
forme. 

Mimoseas. /. pi. (bot.) Mimo- 
seas; familia de plantas le- 
guminosas, em que figura a 
sensitiva ou herva mimosa. 

Mimoso, sa. adj. Mimoso; cos- 
tumado aos mimos, que não 
pode passar sem elles: — 
mimoso, melindroso, delica- 
do; muito cheio de mimos. 
Mollis, delicatus. 

Mina./. Mina; caminho artifi- 
cial subterrâneo para a con- 
ducção das aguas. Cunicu- 
lus, i: — mina; logar sub- 
terrâneo onde se encontram 
em filões, em camadas ou 
em massas os metaes e ou- 
tros mineraes: — mina; o 
mesmo mineral debaixo da 
terra, embora não tenha si- 
do descoberto nem explora- 
do: — mina; excavação mais 
ou menos profunda para ex- 
trahir mineraes da terra ou 
rocha. Fodina, oí: — mina, 
nascente de agua; origem 
das fontes, dos mananciaes. 
Scatebra, scaturigo : — (jigO 
mina, manancial; ofíicio, em- 
prego, negocio que de con- 
tinuo dá muito proveito com 
pouco trabalho. Fodina, cr: 
— (fig-) faina, manancial; 
o que produz alguma cousa 
em abundancia: — ludia 
(germ.) ; cobre: — mayor 
(germ.) ,• oiro : — menor 
(germ.); prata. Beneficiar 
una mina (fr.); beneficiar, 
explorai-jlavrar, laborar uma 
mina; fazer-lhe os trabalhos 
necessários para a extracção 
dos metaes. Emborrascarse 
la mina (fr,); encontrar na 
mina pedras ou calhaus em 



104 



MIN 



logar de metal, e peider-se 
a beta. Encontrar una mi- 
na (fr.fig.); encontrar, achar 
uma mina ; achar meios de 
viver ou de enriquecer-se 
com pouco trabalho. Esplo- 
rar una mina (fr.); explo- 
rar uma mina; tirar provei- 
to de alguma relação ou ne- 
gocio á custa de mui pouco 
trabalho. Volar la mina (fr. 
fig.); descobrir a mina; des- 
cobrir o projecto, a machi- 
naçâo, alguma cousa occul- 
ta, fazer com que não tenha 
enfeito. Occulta patefieri: 
(fig.) rebentar, saltar a mi- 
na; declarar, patentear, dar 
alguém a conhecer os seus 
sentimentos depoia de os ter 
calado por muito tempo: — 
(metrol. ant.) mina; medida 
parisiense para seceos: — 
mina; antiga medida de cen- 
to e vinte pés, em Italia: — 
(mil.) mina; escavação onde 
se mette pólvora, para que, 
lançando-se-lhe fogo, a ex- 
plosão faça saltar e arrui- 
nar parte das fortificações 
da praça sitiada. Cuniculus, 
i: — de voladura; mina 
construida com o fim de fa- 
zer saltar uma fortificação 
ou obra qualquer : — (num.) 
mina; moeda dos antigos 
gregos, que valia cem dra- 
chmas. Também se chama- 
va mina attica. Mina attica 
libra: — de hierro azul (min.) 
V. Croquidolita : — de hier- 
ro granular; mina de ferro 
granular; nome dado a mui- 
tas variedades de ferro de 
origens differentes: — de 
los pantanos. V. Limonita: 

— de plomo. V. Plombaji- 
na, percarbureto de ferro. 

Minador, vi. Minador, mineiro; 
o que abre mina ou excava 
o terreno: — minador, mi- 
neiro; engenheiro ou artífi- 
ce que dirige ou abre mi- 
nas. Cunicularius, fossor : 

— (mil.) mineiro, sapador; 
soldado do corpo de enge- 
nheiros que trabalha as mi- 
nas de guerra. 

MiNAL. adj. Relativo ou per- 
tencente á mina. 

MiNALTON. m. Minaltum; moe- 
da imaginaria da Pérsia, 
que equivale a uns 830 réis 
I ou 19 reales. 



MIN 

Minar, a. Minar; cavar e abrir 
um caminho subterráneo. 
Cuniculos agere, fodere : — 
(fig.) minar, solapar, consu- 
mir, arruinar, destruir pou- 
co a pouco: — (fig-) minar, 
esquadrinhar , investigar , 
sondar; fazer extraordina- 
rias diligencias para conse- 
guir ou averiguar alguma 
cousa. Cuniculos agere, di- 
ligenter explorare, inquire- 
re: — (fig-) minar, solapar; 
intrigar em segredo : — 
(mil.) minar; fazer, abrir 
minas, excavando a terra. 
Cuniculos agere, fodere. 

Minarete, m. (arch.) Minare- 
te; pequena torre redonda, 
em forma de columna, que 
orna as mesquitas, e do ci- 
mo da qual se chamam os 
musulmanos á oração, ou 
se annunciam as horas. 

MiNAz. adj. (ant.) Minaz, amea- 
çador. 

MiNCAii. (ant.) Contracção an- 
tiga de Me cal ó cale, que 
significa importa-me, agra- 
da-lhe. 

MiNCio. m. (ant.) V. Luctuosa. 

MiNcioN. /. (ant.) V. Luctuosa : 

— V. Mención. 
MiNEANOs. m. pl. (reí.) Minea- 
nos; nome dado, depois da 
ruina de Jerusalém, a cer- 
tos christãos que continua- 
ram praticando a circumci- 
sâo e outras prescripções da 
antiga lei. 

Minera. /. (ant.) Mineral ; sub- 
stancia que se extrahe das 
minas. 

Mineraje, m. Mineração; ex- 
ploração, beneficio das mi- 
nas. Metallorum effodiendo- 
rum ae purgandorum labor. 

Mineral, adj. Mineral; diz-se 
do que pertence á mina ou 
mineral, que cresce nas mi- 
nas, que passa por ellas. 
Mineralis, la: -^ m. nascen- 
te de agua. Scaturigo, inis: 

— fonte, principio, origem, 
fundamento de alguma cou- 
sa. Scaturigo, origo, fons:. 

— V. Mina, Minero, de 
metaes ou pedras preciosas: 

— (Jiist. nat.) mineral; cor- 
po inorgânico, terroso, sali- 
troso, combustível ou metal- 
lico, que se acha no inte- 
rior da terra ou á sua su- 
perficie. Mineralis, e: — 



MIN 

adj. (hist. nat.) mineral; 
diz-se do que pertence aos 
mineraes ou tem relação 
com elles, etc. Aguas mine- 
rales; aguas mineraes; aguas 
que brotam do seio da ter- 
ra e que encerram substan- 
cias mineraes em dissolu- 
ção ou gazes. Reino mine- 
ral; reino mineral; o con- 
juncto de substancias inor- 
gânicas que se encontram 
em a uatureza, conhecidas 
pelo nome genérico de mi- 
neraes: — (min.) mineral; 
o metal, segundo se tira da 
mina. Aguas minerales ar- 
tificiales (chim.); aguas mi- 
neraes artificíaes; aguas mi- 
neraes imitadas das natu- 
raes pelos processos chimi- 
cos. 

MiNERAiiísTA. m. V. Mineralo- 
jisía. 

MiNERALizABLE. adj. (miu.) Ml- 
neralisavel; diz-se do que se 
pôde mineralisar. 

MiNERALizAciON. /. (min.) Mi- 
neralisação; mudança dos 
corpos orgânicos no interior 
da terra para passar ao es- 
tado mineral. 

MlNERALIZADOR, RA. adj. (cMm.) 

Mineralisador ou mineralí- 
sante; diz-se da substancia 
que, pela sua combinação 
com as materias metallicas, 
muda muito os seus caracte- 
res exteriores, physicos ou 
chimicos. 

Mineralizar, a. (chim. e min.) 
Mineralisar; communicar a 
um corpo as propriedades 
e aspecto de mineral. Usa- 
se mais como recíproco. 

Mineralogía. /. V. Mineralo- 
jia. 

Mineralógico, ca. adj. V. Mi- 
neralójico. 

Mineralogista, m. V. Minera- 
lojista. 

Mineralo jí A. /. Mineralogia; 
parte da historia natural, 
que trata dos animaes, da 
sua distribuição e combina- 
ções no seio da terra, e de 
suas propriedades physicas 
e chímicas. Mineralogia, <e : 
— tratado de mineralogia. 

Mineralo jicAMENTE.adv. TTJ. Mi- 
neralógicamente; segundo a 
mineralogia: — mineralógi- 
camente; em linguagem mi- 
neralógica. 



MIN 

Mineralógico, ca. adj. Mine- 
ralógico; diz-se do que é 
pertencente ou relativo á 
mineralogia. 

MiNERALOjisTA. m. Mineralo- 
gista", o que é versado na 
mineralogia, que a cultiva. 

Mdjeralókjia. /. Mineralur- 
gia; applicação dos conheci- 
mentos mineralógicos á ave- 
riguação e á distincçào dos 
corpos de que as artes po- 
dem tirar proveito, ou 
d'aquelles cujo emprego po- 
deria ser conveniente. 

Mineralurjico, ca. adj. Mine- 
ralurgico; diz-se do que é 
concernente á mineralurgia. 

Meneraldrjista. m. Mineralui'- 
gista; o que cultiva a mine- 
ralurgia. 

Minería. /. Mineração ; arte de 
minerar, exploração das mi- 
nas : — corpo de minadores, 
de mineiros ou engenheiros 
que dirigem minas. 

Minero, m. Mineiro; mina de 
metaes e de mineraes: — si- 
tio, comarca, districto mi- 
neiro; em que ha minas, que 
é abundante de mineiras : — 
(fig-) fonte, manancial, ori- 
gem, principio, causa, raiz, 
nascimento de alguma cou- 
sa: — m. mineiro; o que 
trabalha em minas ou que 
as explora. Fossor, oris : — 
(naut. p. A.) V. Lancha. 

MiNEROGRAFÍA. /. Miuerogra- 
phia; descripção dos mine- 
raes. 

MinerogrÁfico, ca. adj. Mine- 
rographico; diz-se do que é 
concernente á minerogra- 
phia. 

MiNERÓGRAFo. TTi. Miucrogra- 
pho; o que escreve a histo- 
ria dos mineraes. 

MiNERviNO, NA. adj. Mincrvino; 
diz-se do que é pertencente 
á deusa Minerv^. 

Minga. /. (fam.) V.. Pene: — ■ 
fria; empedernido, insensí- 
vel, frio, indifferente, tétri- 
co, melancholico. 

MiNGLE. m. Mingle; medida 
hollaudeza para líquidos. 

Mingo. m. n. p. (fam.) Domin- 
gos. V. Domingo: — bola 
encarnada do jogo do bilhar : 
— (ant.) V. Semana. Jugar 
sobre el mingo (fr.); jogar 
contra a encarnada, no jogo 
do bilhar. 

14 



MIN 

Mingon. ot. (vulg.) Poltrão, pu- 
sillanime, fraco, cobarde. 

Mingrana. /. (ant.) V. Grana- 
da, fructo. 

IVIíNGRELiAKo, NA. ttdj. Mingre- 
liano; diz-se do que perten- 
ce á Mingrelia, província da 
Asia: — s. mingreliano; o 
natural de Mingrelia. 

Mingua. /. (ant.) Mingua. V. 
Mengua, falta. 

MiNGDADO, DA. adj. (ant.) Min- 
guado. V. Mengoado, neces- 
sitado. 

Minguar, n. (ant.) Minguar. V. 
Menguar. 

MiNGüEz. m. Domingues; filho 
de Domingos. Hoje é appel- 
lido de familia. 

Minia. /. (zool.) Minia (peque- 
na); genero de echinodermes 
apodas. 

Miniar, a. (pint.) Pintar de mi- 
niatura. Ductibus subtilibus 
pingere. 

Miniatura. /. Miniatura; pin- 
tura mui delicada feita aos 
pontinhos com cores des- 
feitas em agua de gomma, 
e em ponto pequeno. Stibti- 
lissima pictura vel delica- 
tissima gummi ope : — (fig-) 
miniatura, objecto de arte 
de mui pequenas dimensões, 
trabalhado com esmero e 
apuro : — (fig.) pintura, es- 
tampa, lindeza; pessoa mui- 
to linda, de feições delicadas. 
En miniatura (loc. adv.); 
em miniatura; em ponto pe- 
queno : — (paleogr.) minia- 
tura; letras encarnadas fei- 
tas com minio ou azarcão, 
que figuram nos capítulos 
dos manuscriptos mais anti- 
gos. 

Miniaturista, m. Miniaturista 
ou miniator; pintor que pin- 
ta de miniatura. 

Mínima./, (mus.) Minima; nota 
de musica que vale metade 
da semi-breve. Nota musica 
vulgo sic dieta. 

MiNiMisTA. m. Estudante dos 
rudimentos de grammatica. 

Mínimo, ma. adj. sup. anómalo 
de Pequeño. Minimo; o mais 
pequeno ou diminuto. Mini- 
mus, a, um: — minimo; reli- 
gioso ou religiosa da ordem 
de S. Francisco de Paula. 
Usa-se também substantiva- 
do e no plural. Ordinis mi- 
nimorum frater: — m. pi. 



MIN 



105 



classe de grammatica, em 
que se ensinam os rudimen- 
tos. Grammaticce secunda 
classis. 

Mínimum, m. Minimo; palavra 
tirada do latim, usada para 
expressar a entidade mais 
pequena e diminuta d'aquel- 
las de que se trata: — (for.) 
a menor das penas que a lei 
impõe ao criminoso ou delin- 
quente : — (math.) minimo; 
o mais pequeno grau a que 
pôde reduzir-se qualquer 
grandeza. 

IVIíNio. m. (min. e chim.) Mi- 
nio, azarcão, vermelhão; 
oxydo vermelho de chumbo, 
empregado na pintura e em 
muitas preparações medici- 
naes. Oxydum plumbi ru- 
brum, minium neotericorum. 

MiNiopE. TO. (zool.) Minyope 
(olho pequeno); genero de 
insectos coleópteros tetrá- 
meros da familia dos curcu- 
liónidos. 

MiNiRO. m. (zool.) Minjro ; ge- 
nero de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
curculiónidos. 

MiNiROTAMNO. m. (bot.) Minyro- 
thamno (arbusto de curta 
duração); genero de plantas 
da familia das compostas. 

Ministerial, adj. Ministerial; 
diz-se do que é pertencente, 
relativo ao ministerio, que 
emana dos ministros d' esta- 
do: — (meol.) ministerial, 
partidario do ministerio ; 
diz-se mais particularmente 
dos pares e deputados que 
apoiam no parlamento os 
actos ou a politica dos mi- 
nistros. Usa-se também sub- 
stantivado. Banco ministe- 
rial ó bancos ministeriales ; 
a parte que occupam nas 

• cámaras os membros que 
apoiam o ministerio. 

Ministerialismo. to. (polit.) Mi- 
nisterialismo; opinião, con- 
ducta ou politica dos que 
apoiam systematicamente 
um ministerio. 

MlNISTERlALMENTE. üdv. TO. 

Ministerialmente, oficial- 
mente. 
Ministerio, m. Ministerio ; 
qualquer officio, emprego, 
cargo, occupação. Munus, 
US : — ministerio, mister, 
exercício, trabalho manual. 



106 



MIN 



Ministerium, labor, opera: — 
ministerio •, edificio em que se 
acham estabelecidas as re- 
partições e secretaria de um 
ministro; — de los altares; 
ministerio dos altares, o sa- 
cerdocio:— (acto. j ministe- 
rio ; cada uma das divisões 
do gabinete ou do governo 
do estado em que manda um 
ministro : — ministerio, mi- 
nisteriado ; emprego de mi- 
nistro e o tempo de sua du- 
ração. Ministerium, ii : — 
ministerio ; termo coUectivo 
que designa os ministros 
d'estado : — publico; minis- 
terio publico; magistratura 
amovível que tem por fim 
pugnar em cada tribunal 
pelo interesse do estado e da 
sociedade, e requerer a exe- 
cução e applicação das leis : 

— ministerio publico; desi- 
gnação collectiva dos fis- 
caes ou magistrados encar- 
regados d'estas funcções. 

Ministra. /. Ministra; a que 
ajuda, auxilia para o conse- 
guimento de alguma cousa : 

— a mulher do ministro. Ad- 
ministra, (v: — prelada, su- 
periora das freiras trinita- 
rias. 

Ministrador, ka. s. Ministra- 
dor; pessoa que serve ou 
exerce algum ministerio: — 
(ant.) V. Ministro. 

Ministrante, p. a. de Minis- 
trar. Ministrans, antis. 

Ministrar, a. Servir, exercer 
algum cargo, officio ou mi- 
nisterio. Usa-se também co- 
mo neutro. Ministrare: — 
ministrar, dar, fornecer, 
prestar. V. Suministrar. Mi- 
nistrare, prcebere : — (ant.) 
V. Administrar. 

Ministril, m. Alcaide. Appa- 
ritor, lictor, ministellus: — 
instrumento musico de so- 
pro. Canorce fistuloe, tibice: 
— ministrei ou menestrel; to- 
cador de instrumentos de 
musica. Tibicen, inis. 

Ministro, m. Ministro; o que 
serve, ajuda, auxilia alguém 
em alguma cousa. Minister, 
ri: — (adm.) ministro d'es- 
tado, secretario d'estado ou 
simplesmente ministro; mem- 
bro de ministerio ou gabine- 
te, com alguma das pastas, 
e nomeado pelo chefe do es- 



MIN 

tado. Minister, ri: — minis- 
tro, enviado. V. Enviado : — 
lÂenipotenciario ; ministro 
plenipotenciario.V. P¿e;i2^^o- 
tenciario: — sin cartera; mi- 
nistro sem pasta; o que só 
é chamado para o conselho. 
Primer ministro; presiden- 
te do conselho de ministros; 
primeiro ministro, valido ou 
ministro privado; principal 
ministro, a quem o rei, n'ou- 
tro tempo, encarregava de 
certos negocios com pleno 
poder de os despachar como 
lhe aprouvesse. Minister se- 
cundus a rege: — d'estado; 
ministro dos negocios estran- 
geiros : — de hacienda; mi- 
nistro da fazenda: — de la 
gobernación; ministro do 
reino ou do interior: — de 
gracia y justicia; ministro 
da justiça: — dei fomento; 
ministro das obras publicas, 
commercio e industria : ■ — 
de la guerra; ministro da 
guerra: — de marina; mi- 
nistro da marinha: — (for.) 
ministro; o que exerce em- 
prego de magistratura. Jus- 
titice minister, magister, ju- 
dex: — alcaide, esbirro, be- 
leguim, quadrilheiro, oflicial 
de justiça. Satelles, appari- 
tor : — (rei.) ministro, supe- 
rior ; em algumas religiões é 
o prelado ordinario de cada 
convento. Minister, is: — se- 
gundo prelado dos conventos 
e collegios, na companhia de 
Jesus, encarregado ordina- 
riamente do governo econó- 
mico. Minister economus: — 
general; geral dos francis- 
canos. Minister generalis : 
— general de la ordem ter- 
cera; ministro; superior da 
ordem terceira, de S. Fran- 
cisco. Minister, ri. Ministros 
de los enfermos; membros 
de uma congregação funda- 
da em 1584 nos Abruzos, 
por S. Gamillo de Lelis, pa- 
ra soccorro dos doentes. 

Minnesinger. m. (lit.) Minne- 
singer; nome usado na Alle- 
manha, durante a idade me- 
dia, para designar os poetas 
chamados trovadores. Os 
minnesingers eram cavallei- 
ros e nobres, que viviam na 
corte dos principes. 

Minoa./. (zool.) Minoa; gene- 



MIN 

ro de insectos lepidópteros 
da tribu dos phalenidos. 

Minor, RA. adj. (ant.) V. Menor. 

Minoración. /. Minoração, di- 
minuição; acção e effeito de 
minorar. 

Minorar, a. Minorar, diminuir, 
reduzir a menos. Minuere. 

Minorativo, va. adj. Minorati- 
vo; diz-se do que minora, 
diminue ou tem a proprie- 
dade de minorar. Minuens, 
entis : — (med.) minorativo, 
laxante, laxativo; diz-se do 
medicamento que purga le- 
vemente. Leve purgans. 

Minoría. /. V. Menor edad : — 
(zool.) minoria; inferiorida- 
de de numero: — minoria; 
jDarte menos numerosa de 
um corpo deliberante, que 
de ordinario está em oppo- 
sição com a maioria. 

Minoridad. /. Minoridade. V. 
Menor edad. 

]\IiNos. adv. (ant.) V. Menos. 

MiNsuRAR. a. (ant.) Mensurar. 
V. Medir. 

MiNTiRERO, RA. adj. (ant.) V. 
Mentiroso. 

MiNTROso, SA. adj. (ant.) V. 
Mentiroso. 

Minucia./. Miunça; dizimo que 
se pagava dos fructos me- 
nores. MinutioR decimales : — 
minucia, minudência, miu- 
deza, bagatella; cousa dimi- 
nuta, de pouca entidade, de 
pouca importancia. Minu- 
tia, ce. 

Minuciosamente, adv. m. Mi- 
nuciosamente ; com minucio- 
sidade. 

Minuciosidad, /. Minuciosida- 
de, escrupulosidade excessi- 
va; grande exactidão no exa- 
me ou na averiguação de 
alguma cousa. 

Minucioso, sa. adj. Minucio- 
so ; diz-se da pessoa em ex- 
tremo prolixa, que se occu- 
pa em minucias: — minu- 
cioso; narrado, tratado, de- 
scripto miudamente, com 
prolixidade. 

MiNUDE. adj. (ant.) V. Menudo. 

Minué, m. (mus.) Minuete; 
dansa daescolafranceza, que 
ao som da musica do mesmo 
nome se executa entre duas 
pessoas : — minuete ; com- 
posição musica que se toca 
para esta dansa. 

MiNUETA. /. (naif,t.) V. Bom- 



MIN 

billo, na segunda aficepçâo. 

Minuete, m, V. Minue. 

MiNURiA. /. (hot.) Minuria; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Minúscula. /. V. Letra minús- 
cula. 

Minuta./. Minuta, borrão, ras- 
cunho; primeiro original de 
um escripto para depois se 
passar a limpo: — minuta; 
apontamento das clausulas 
de escriptura, contrato, etc., 
esboço para depois se lavrar 
nas formas legaes. Invenfa- 
rium, synopsis, syngrapha: 
— minuta, apontamento, 
lembrança; breve escriptura 
para ajudar a memoria. 

Minutar, a. Minutar; fazer a 
minuta de algum escripto. 
S^immam faceré, summatim 
notare : — extractar ; fazer 
extractos de algum contra- 
to ou instrumento publico. 

Minutario, m. Caderno das mi- 
nutas; caderno em que o 
tabellião faz os rascunhos 
ou minutas das escripturas 
que se lavram no seu car- 
torio. 

Minutero, m. Ponteiro dos mi- 
nutos ii'um relógio. Index, 
gnomon : — (naut.J V. Am- 
polleta, na correspondente 
accepção. 

IMiNUTO. m. (asir.) Minuto; a 
sexagésima parte de uma 
hora. Minuta horaria, mo- 
menta temporis: — (naut.) 
minuto, milha; a terça par- 
te da legua marítima: ■ — 
(matli.) minuto; a sexagési- 
ma parte de um grau de cir- 
culo. Minutum, i. En un mi- 
nuto (loc. adv.J; em um mi- 
nuto, em um instante, n'um 
abrir e fechar de olhos: — 
(metrol.) minuto; medida de 
comprimento usada em Ná- 
poles, igual á sexagésima 
parte de um palmo. 

MiNANGO. m. (p. Â.) ^Migalha; 
pedacinho de qualquer cou- 
sa. Hecho miiiagos (fr.); 
feito em migalhas, em pe- 
daços. 

Minarse, r. (germ.) Ir-se, es- 
capar-se de algum logar. 

MiNON. m. Soldado voluntario 
de tropa ligeira, em algu- 
mas províncias de Hespa- 
nha, principalmente em Ara- 
gão e na Catalunha, desti- 



MIO 

nado á perseguição dos con- 
trabandistas, ladroes, etc. 

Miñona. /. Mignon ; antigo ca- 
racter typographico, o mais 
pequeno. 

Miñosa. /. (prov.) V. Lombriz. 

Mio, mia. pron. pos. Meu, mi- 
nha; pronome possessivo da 
primeira pessoa, que signi- 
fica de mim, pertencente a 
mim. Meus, a, tnn. Los mios 
p>l.; os meus; os meus pa- 
rentes, os meus alliados, o 
que de algum modo me per- 
tence: os meus; os do meu 
partido, os que me são ad- 
dictos. Es muy mio (fr.); é 
muito meu, muito intimo; 
mostra a intimidade ou es- 
treita amisade com alguém. 
Mihi conjunctissimus est vel 
addictissimus , intimus: — é 
meu, venci-o; mostra ser al- 
guém vencido pela pessoa 
que falia. No es mio (loc); 
não é para mim. Soy mio 
(loc); sou senhor de mim, 
senhor das minhas acções, 
sou livre, posso obrar como 
quizer. Meus sum, mei júris 
sum. 

MiocERA. /. (zool.) ]\Iyocera 
(antenna em carnosa parte); 
genero de insectos coleópte- 
ros subpentameros, da fami- 
lia dos cyclicos. 

MiocoNCA. /. fsooZ.J Myoconca; 
genero de molluscos creado 
para caracterisar uma con- 
cha bivalve encontrada nos 
terrenos oolithicos. 

^IiocEO. m. (zool.) Myochro (côr 
de rato); genero de insectos 
coleópteros da familia dos 
cyclicos. 

MioDARios. m. pi. (zool.)')hlyo- 
darios; ordem de insectos 
dipteros. 

Mioderma. /. (zool.) Myoderma 
(pclle de rato); genero de in- 
sectos coleópteros peutame- 
ros da familia dos lamelli- 
cormes. 

MioDO. m. (zool.) 3Iyodo (mus- 
culoso); genero de insectos 
coleópteros heteromeros, da 
familia dos trachelidos. 

MiOGALio. VI. (hot.) Myogalo; 
genero de plantas da fami- 
lia das liliac<>as. 

MioLOGo. m. Myologo; auctor 
de uma myologia. 

MioLOjiA. /. Myologia; tratado 
ou descripçào dos músculos. 



MIO 



107 



MiOLÓJico, CA. adj. Myologico; 
diz-se do que é pertencente 
á myologia. 

MioMANciA. /. Myomancia; es- 
pecie de adivinhação por 
meio de ratos. 

MiomÁntico, ca. adj. Myoman- 
tico; diz-se do que se refere 
á myomancia: — m. myo- 
mantico; adivinho que pra- 
tica a myomancia. 

]\IioNiMA. /. {bot.) Myonima; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 

INIiopARios. m. pi. (zool.) Myo- 
parios; tribu de insectos di- 
pteros, da familia dos athe- 
riceros. 

Míope. *•. Myope, curto de vis- 
ta; pessoa que tem a vista 
curta : — (fig) myope ; pes- 
soa de pouca penetração. 

Miopia. /. Myopia; estado do 
myope, confusão da vista 
nos objectos distantes. 

MiopiNA. /. (zool.) Myopina; 
genero de insectos dipteros, 
da familia dos muscidos. 

MiOPORÍNEAS. /. pi. (hot.) Myo- 
rineas; familia de plantas 
dicotyledoneas monopetalas. 

IMiopÓTAMO. m. (zool.) Myopo- 
tamo (rato do rio); genero 
de raammiferos roedores , 
muito parecido na forma ge- 
ral do corpo com os casto- 
res. 

MioPTÉRiPE. m. (zool.) Myopte- 
ride (rato alado); genero de 
mammiferos cheiropteros in- 
sectívoros. 

MiORAMA. m. Myorama; espe- 
cie de vistas pequenas que 
se formam á vontade com 
figuras moveis de cartão 
pintí.do, representando ao 
natural objectos isolados, 
por meio da óptica. 

.MiORiNO. m. (zool.) Myorhino 
(nariz de rato); genero de 
insectos coleópteros tetrá- 
meros, da familia dos cur- 
culiónidos. 

MiosÓTiDE. m. (hot.) Myosoti- 
de ou myosote (orelha de 
rato); genero de plantas da 
familia das borragineas. 

jMiosuro. m. (bot.) Myosuro 
(cauda de rato); genero de 
plantas da familia das rai- 
nunculaceas. 

í^íioxANTO. m. (hot) Myoxan- 
tho; genero de plantas da 
familia das orchideas. 



108 



MIR 



MiQUELETE. m. Miqiielete; sol- 
dado que vae diaute dos ca- 
çadores descobrir o inimigo. 

MiQDELiA. /. (bot.) Michelia; 
genero de plantas da fami- 
lia das magnoliáceas: — ge- 
nero de plantas da familia 
das araliaceas. 

Mira. /. Mira; peça de metal 
das armas de fogo e de ar- 
remesso, que serve de enfiar 
a vista ao alvo. Pinnula, ce: 

— mira; peça igual á pre- 
cedente em outros instru- 
mentos, para um fim análo- 
go: — angulo que o escudo 
forma na parte superior : — 
(fig-) mira, alvo; fim, termo, 
objecto que se procura al- 
cançar ou attingir: — (fig-) 
mira, intenção, advertencia, 
consideração para executar 
alguma cousa. Tntentus, in- 
tentio, scopus. Estar a la mi- 
ra (fr.); estar á mira, á es- 
preita, vigiando; estar ob- 
servando com grande cuida- 
do e attenção alguma cou- 
sa. Spectare, speculari. Po- 
ner la mira (fr.); ter, por a 
mira em alguma cousa. In- 
tendere, intuihi alicujus rei 
operari: — (mil.) mira; peça 
de madeira que serve na 
artilheria para fixar a pon- 
tana. Punto de mira (mil.); 
ponto de mira; sitio em que 
se quer que dê o tiro. 

MiRAB. m. (astron.) Mirab; es- 
trella fixa do eolio do cysne. 

Mirabel, m. (bot.) Mirabella; 
planta do genero chenopo- 
dio: — (prov.) V. Girasol, 
planta. 

Miradle, adj. (ant.) Y. Admi- 
rable. 

Mirac. m. (astr.) Mirac; es- 
trella fixa de Andrómeda. 

Miraclo. m. (ant.) Miraculo. 
V. Milagro. 

Miraculosamente, adv. m.(ant.) 
Miraculosamente. V. Mila- 
grosamente. 

Miraculoso, sa. adj. (ant.) Mi- 
raculoso. V. Milagroso. 

Mirada. /. Olhada; vista fu- 
gitiva lançada de passagem: 

— olhadura; acção de fi- 
xar a vista em alguém jiara 
exprimir algum afFecto. In- 
tuitus, us: — maneira de 
olhar. 

Miradera. /. (ant.) Acção de 
olhar fitamente. 



MIR 

Miradero, m. Miradouro, atra- 
íala. Specula, ce: — mira- 
douro, mirante; sitio de 
larga vista, terraço em lo- 
gar alto d'onde se descobre 
grande extensão de paiz, 
etc. Specula, conspectus. 

Mirado, da. adj. Pi-udente, cor- 
dato, circumspecto; diz-se 
das pessoas. Circumspectus, 
prospiciens , cordatus: — 
m. (ant.) V. Mirada. Bien 
mirado (loc.fam.); bem olha- 
do, se se pensa ou conside- 
ra com attenção, se se exa- 
mina bem. Mal mirado; mal 
olhado, malquisto. V. Mal- 
quisto. 

Mirador, ra. s. Olhador ; o que 
olha. Prosp>iciens, specula- 
tor: — balcão ou janella 
de sacada coberta, cercada 
de vidraças. Specula, ce: — 
mirante; terraço ou galeria 
em logar alto, d'onde se des- 
cobre grande extensão de 
terreno ou mar: — (naut.) 
barco para o serviço das al- 
mádina vas. 

Miradura, f. Olhadura; acção 
de olhar. V. Mirada. Intui- 

tus, US. 

MiRAGLO. m. (ant.) V. 3íila- 
gro. 

MiRAGNAMA. /. bot.) Miragua- 
ma; palmeira da ilha de 
Cuba. 

MiRAMAMOLiN. m. Miramamo- 
lim; corrupção de emir-cd- 
mumenin, chefe dos eren- 
tes. Miramamolinus , i. 

Miramiento, m. Miramento; 
acção de attender ou consi- 
derar alguma cousa. Tntui- 
tus, conspectus: — mira- 
mento ; grande attenção , 
circumspecção. Bespectus, 
observantia : — attenção, 
considerações; demonstra- 
ção de respeito, obsequio 
ou estima. 

Mirante, p. a. de Mirar. 

Mirar, a. Mirar, olhar; lançar 
a vista, fixar os olhares so- 
bre alguma cousa, prestau- 
d 0-1 he attenção. Intueri, as- 
picere : — vigiar, espiar; 
observar as acções de al- 
guém. Speculari, inspicere: 
— respeitar; tratar com res- 
peito e consideração. Âtten- 
dere, in aliquem resjyicere, 
observare : — olhar, ter em 
vista, como: solo mira a s?i 



MIR 

provecho; só olha á sua 
conveniencia. Curare, in- 
tender e : — olhar, apreciar, 
ter em apreço ou cuidado, 
fazer caso de alguma cou- 
sa. Attendere, respicere : — 
olhar, corresponder, estar 
fronteiro, voltado para; diz- 
se dos edificios, logares, etc., 
como: 77ii ventana mira al 
norte; a minha janella olha, 
fica para o norte. Respicere, 
contra esse: — (fig-) olhar, 
considerar, examinar com 
attenção, observar madura- 
mente, reflectir. Speculari, 
intendere animum, meditari: 
— olhar por alguém ou por 
alguma cousa; cuidar d'el- 
la, protege-la. Consulere ali- 
ciii: — olhar, inquerir, re- 
conhecer, iuformar-se. In- 
quirere, speculari: — n. imp. 
olhar, dizer respeito, ter re- 
lação, V. g. : por lo que mi- 
ra a eso ; pelo que respeita 
a isso, etc. Mira; olha; se- 
gunda pessoa do imperativo; 
usa-se como interjeição jDa- 
ra avisar ou ameaçar al- 
guém. Heus, cave! Mira 
quien habla (fr.); olha quem 
falia: — bien ó mal a algu- 
no (fr. fig); olhar bem ou 
mal a alguém; ter-lhe affe- 
cto ou aversão. Amore vel 
odio prosequi: — co7i bue- 
nos ó con malos ojos (fr. fig.); 
olhar com bons ou com maus 
olhos; olhar bem ou mal al- 
guém : — de hito en hito (fr.); 
olhar fixamente, com muita 
attenção, sem pestanejar : — 
ó mirarse en ello (fr.); to- 
mar tempo para considerar 
as circumstancias de algu- 
ma cousa antes de resolve- 
la : — ó ver para lo que al- 
guno ha nacido (fr. fam.); 
ameaçar alguém para que 
faça ou deixe de fazer al- 
guma cousa: — por en ci- 
ma (fr.); olhar por alto; 
olhar, examinar ou estudar 
ligeiramente ou superficial- 
mente alguma cousa. Obiter 
vel incuriosa, aliquid inspi- 
cere: — por en cima dei 
hombro (fr.); olhar por cima 
do hombro; desprezar, fazer 
pouco caso, não dar atten- 
ção. Mirarse a si (fr.); olhar 
para si; attender uma pes- 
soa á sua qualidade, para 



MIR 

nao praticar alguma cousa 
impropria do seu estado. Sei- 
psum attendere, quid sibi re- 
ferat cogitare. Mirarse en 
alguno (fr.); rever-se em al- 
guém; trata-lo com extremo 
carinho. Aliqnem tamquam 
se ipsum officioso amore. 
Mirarse unos a otros (fr.) ; 
olharem-se uns aos outros, 
em alguma concorrencia, pa- 
recendo consultar-se os pen- 
samentos. Se mutuo circum- 
spicere, sese spectare invi- 
cem. Mire como habla, ó lo 
que habla, ó con quien habla 
(fr.); olhe como falla, ou o 
que diz ou com quem falla. 
Bona verba quanto modesth, 
corniter loquaris. Quin ade- 
lante no mira atrás se qtieda 
(rif.); quem ao diante não 
olh», atrás fica. 

Mirasol, m. V. Girasol: — 
(p. Am.) pequena ave, sem 
cauda, de pescoço, bico e 
pés compridos, cuja familia 
é muito variada em cores e 
tamanho. 

MiRATioN. /. (ant.) V. Admira- 
ción. 

MiEAzoN. /. V. Admiración. 

MiRBELiA. /. (bot.) Mirbelia; 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

MiECiA. /. (bot.) Myrcia; gene- 
ro de plantas da familia das 
myrtaceas. 

MiRiA. /. (philol.) Myria; par- 
tícula inicial formada do 
grego, que significa dez mil 
vezes a cousa de que se 
trata. 

MiRiACANTO, TA. adj . (bot.) My- 
riacantho; que tem muitos 
espinhos. 

MiRiÁCTiDE. m. (bot.) Myriacti- 
de ou myriactis (raios innú- 
meros); genero de plantas 
da familia das compostas. 

MiRiADENO. m. (bot.) Myriade- 
no (glándulas innúmeras); 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

MiRiAGRAMO. m. (metrol.) My- 
riagramma; peso de dez mil 
grammas. 

MiRiALiTRO. m. (metrol.) My- 
rialitro; medida de dez mil 
litros. 

MiRiÁMETRo. m. Myriametro ; 
medida itineraria que vale 
dez mil metros. 

MiKiANA. /. (zool.) Myriana; 



MIR 

(innumeraveis); genero de 
annelidos da familia das ne- 
reidas. 

MiRiANTEA./. (bot.) Myrianthea 
(flores innúmeras); genero 
de plantas da familia das 
homalineas. 

MiRiÁpoDos. m. pl. (zool.) My- 
riapodas (dez mil pés); clas- 
se de insectos ápteros que 
comprehende os denomina- 
dos, em outro tempo, milli- 
pedes ou cem pés. 

MiRiAPORA. /. (zool.) Myriapora 
(dez mil buracos); genero de 
polypeiros bryozoarios da 
familia dos operculiferos. 

MiRiARio. m. Myriarea; esten- 
sào de dez mil áreas ou de 
um kilómetro quadrado. 

MiRiASPORA. /. (bot.) Myriaspo- 
ra {legumes innúmeros); ge- 
nero de plantas da familia 
das melastomaceas. 

Mírica. /. (bot.) Myrica; gene- 
ro de plantas da familia das 
myricaceas. 

MiRicÁCEAs. /. pl. (bot.) Myri- 
caceas; familia de plantas 
dicotyledoneas, entre as 
quaes figura o arbusto cha- 
mado cerieiro da Luisiana 
ou arvore da cera. 

MiEicARiA. /. (bot.) Myricaria; 
genero de plantas da fami- 
lia das tamariscineas. 

MiRÍcEAs./. pl. (bot.) Myriceas. 
V. Miricáceas. 

MiRiciNA. /. (chim.) Myricina ; 
nome que se dá á cera que 
produzem varias especies do 
genero myrica. 

Miríficamente, adv. m. (poet.) 
Miríficamente ; de modo mi- 
rifico, admirável. 

Mirífico, ca. adj. (poet.) Miri- 
fico, admirável, maravilho- 
so. Em portuguez acha-se 
usado em estylo mystico. 
Mirificus, a, um. 

MiRiNA. /. (zool.) Myrina; ge- 
nero de insectos lepidópte- 
ros da familia dos papilo- 
nios. 

Miriñaque, m. Bugiaria, baga- 
tella; objecto ou cousa de 
pouco valor. Subtilis supel- 
lex: — saia curta e consis- 
tente que as mulheres usam 
por baixo do vestido, para 
as fazer mais redondas dos 
quadris. 

MiRiocÉFALO. m. (bot.) Myrio- 
cephalo (cabeças innúmeras); 



MIR 



109 



genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

MiRiOFiLLO. m. (bot.) Myrio- 
phylla (dez mil folhaa); ge- 
nero de plantas da familia 
das halorageas. 

MiRiojiNA. /. (bot.) Myriogyna 
(pistillos innúmeros); gene- 
ro de plantas da familia das 
compostas. 

MiRiÓLOGO. m. Myriologo; can- 
to fúnebre que as mulheres 
dos gregos modernos entoam 
em presença dos cadáveres 
dos seus parentes. 

MiRiONEMA. /. (bot.) Myrione- 
ma (innúmeros filamentos); 
genero de plantas phyceas. 

Mirística. /. (Tjot.) Myristica ou 
muscadeira (perfume); ge- 
nero de plantas que forma 
o typo da familia das my- 
risticaceas. 

MlRISTICÁCEAS, MiRISTÍCEAS. /. 

2)1. (bot.) Myristicaceas ou 
miristiceas; familia de plan- 
tas dicotyledoneas. 

MiRiSTiciNA. /. (bot.) Myristici- 
na; substancia crystallina 
que se deposita no oleo de 
cravo. 

MiRiTi. m. (bot.) Myriti; pal- 
meira do Brazil, cujo fructo 
é do tamanho de um ovo. 

Mirla. /. Mélroa; femea do 
merlo : — (germ.) orelha. 

Mirlamiento, m. Ar de im- 
portancia, gravidade afie- 
ctada. Severus aspectus vel 
gravis. 

Mirlar, a. (ant.) V. Embalsa- 
mar : — r. entonar-se, affe- 
ctando gravidade e certo ar 
de importancia. Os vel vul- 
tum ad severitatem vel gra- 
vitatem componere. 

Mirlo, m. Gravidade affectada, 
ar de importancia. Severus 

• vel gravis aspectus : — (zool.) 
melro; genero de aves da 
ordem dos pássaros, cujo 
corpo é preto e o bico ama- 
relio. 

Mirmecita. /. (min.) Myrmeci- 
ta; nome dado pelos antigos 
a uma pedra que tinha im- 
pressa a figura de uma for- 
miga. 

MiRMEcoBio. m. (zool.) Myrme- 
cobio (que vive de formigas); 
genero de mammiferos di- 
delphos. 

MiKMEcoDiA. /. (bot.) Myrme- 
codia (parecido comuma ver- 



lio 



MIR 



ruga); genero de plantas da 
familia das rubiáceas. 

MiRMECÓFAGo. íw. (zool.) Mjr- 
mecophago. V. Hormiguero. 

MiRMECópTERO. lu. (sool.) Mjr- 
mecoptero (aza de formiga); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos cara bicos. 

MiRMEGO, GA. adj. (zool.) Myr- 
mego ; parecido com uma for- 
miga: — m. pi. myrmegos; 
familia de myriapodas, que 
comprehende as formigas e 
outros géneros immediatos. 

MirmeleÓnidos. m. pl. (zool.) 
Myrmeleonidos; familia de 
insectos nevropteros. 

MiRMEMORFA. /. (zool.) Myrmc- 
morpha (forma de formiga); 
genero de insectos diptei'os 
bracboceros. 

MiRMicA. /. (zool.) Myrmica 
(formiga); genero de inse- 
ctos liymenopteros. 

MiRMiciTOs. m. pl. (zool.) Myr- 
micitos; grupo de insectos 
bymenopteros. 

Mirmidón, m. (bot.) M)a"mido- 
ne; genei'o de plantas da 
familia das melastomaceas. 

MiRMiLON. m. (mil. ant.) Myr- 
millào (no pl. myrmillontes) ; 
gladiadores armados á fran- 
ceza, que tinbam a figura 
de um peixe no alto do ca- 
pacete. Combatiam contra 
os retiarios. 

Mirmilónico, ca. adj. (mil. 
ant.) Myrmillonico; perten- 
cente ao myrmillão ou aos 
myrmillontes. Escudo mir- 
milónico; escudo myrmillo- 
nico; escudo próprio para 
pelejar dos muros. 

MiRMOSA. /. (zool.) Myrmosa ; 
genero de insectos bymeno- 
pteros da familia dos mutil- 
lidos. 

Miro. m. Miro; medida vene- 
ziana para os liquidos: — 
(zool.) miro ; especie de pa- 
pa-moscas da Nova Zelan- 
dia. 

IMirobÍlano. m. (bot.) Myroba- 
lano; genero de plantas da 
familia das combretaceas. 

MiRODiA./. (bot.) Myrodia(per- 
fume); genero de plantas da 
familia das esterculiaceas. 

MiROLEO. m. (i)liarm.) Miro- 
leo; oleo volátil que serve 
de excipiente a um medica- 
mento. 



MIR 

MiRON, NA. s. Mirão, especta- 
dor: — mirão; observador 
curioso. Curiosus specula- 
tor : — mirão ; o que se en- 
tretém em ver jogar. 

MiROSMA. /. (bot.) Myrosma 
(perfume); genero de plan- 
tas da familia das cannas. 

MiRospERMO. m. (bot.) Myros- 
permo (grão perfvm.ado); 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

MiRoxiLO. m. (bot.) Myroxylo. 
V. Mirospermo. 

MiRRA./. Myrrba; gomma re- 
sina medicina], que mana 
de uma especie de loureiro: 
— (zool.) myrrba; genero 
de insectos coleópteros sub- 
pentameros, da tribu dos 
securipalpos. 

Mirrado, da. adj. Myrrbado; 
diz-se do que é feito, com- 
posto ou perfumado com 
myrrba. Myrrlwtus, a, tim. 
Vino mirrado (ant.); vinho 
myrrbado; vinho que os an- 
tigos misturavam com myr- 
rba. E também se diz de 
uma especie de vinho mis- 
turado com uma droga amar- 
ga e soporífera, que os ju- 
deus faziam beber aos con- 
demnados á pena ultima. 

MiRKAusTE. m. Mirrastes; pas- 
tel feito de pombos picados, 
amêndoas e assucar. Condi- 
mentum sic dictum. 

MiRRiDE. m. (bot.) Myrrhide ou 
myrrbis (que cheira a myr- 
rlia); genero de plantas da 
familia das umbelliferas. 

MiRRiNO, NA. adj. (ant.) Myrrhi- 
no, myrrbeo; diz-se do que 
que é de myrrha ou tem 
propriedades de myrrba. 
Myrrlieus, a, um : — m. (bot.) 
myrrhinio; genero de plan- 
tas da familia das melasto- 
maceas. 

MiRRiTA. /. (min.)Y. Mirri- 
nita. 

MiRROLOJÍA. /. Myrrhologia; 
tratado sobre a myrrba. 

MiRsiNA./.fòof.j Myrsina (myr- 
to); genero de plantas da 
familia das myrsineas. 

MiRSINACEAS, MlRSlNEAS. m. jjZ. 

(bot.) Myrsinaccas ou myr- 
sineas; familia de pl.intas 
dicotyledoneas monopetalas. 

MiRsiNiTA. rn. (mia.) V. Mir- 
tilita. 

Mirtáceas. /. pl. (bot.) Myrta- 



MIS 

ceas ; familia de ¡jlantas di- 
cotyledoneas polypetalas. 

Mirtídano, m, (bot.) Renovo 
do myrto. 

Mirtiforme. adj. Myrtiforme; 
diz-se do que tem a figura 
de folha de myrto. 

MiRTiLiTA. /. (min.) Myrtilli- 
ta; pedra na qual se vcem 
figuradas folhas de myrto. 

I\IiRTiNo, NA. adj. Mirtino; diz- 
se do que pertence ao myr- 
to. 3Iirtcvs, a, vm. 

Mirto, m. (bot.) Mirto, myrto 
ou murta; genero de plan- 
tas da familia das myrta- 
ceas. 

Mirto IDEO, dea. adj. Myrtoi- 
deo; diz-se do que é pareci- 
do com a murta. 

Misa. /. Missa; sacrificio in- 
cruento do corpo e sangue 
de Jesus Christo SacAmen- 
tado. Sacrum, i: — rezada'., 
missa resada, calada ou 
chan; a que não é cantada. 
Sacrum privatum: — pri- 
vada. V. Misa rezada: — 
cantada; missa cantada; a 
que se celebra com solemni- 
dade e canto. Sacrificium 
cum eantu: — conventual:, 
missa conventual; a missa 
alta ou grande, rezada ou 
cantada para todos. Missa, 
ce: — nueva; missa nova; 
a primeira que o sacerdote 
diz ou canta. Sacrum initia- 
le publicum : — del gallo ; 
missa do gallo; a que se diz 
em a noite de Natal. Sa- 
crum noctxirnum, ante natá- 
lem Christi Domini diem 
celcbrari solitum : — solemne. 
V. Misa cantada: — mayor. 
V. Misa cantada: — votiva; 
missa votiva; a que se diz 
fóra da ordem do calenda- 
rio, não excedendo as limi- 
tações da rubrica. Missa 
votiva: — de réquiem; missa 
de réquiem ; a que se diz pe- 
las almas dos defuntos. Sa- 
crificium piacidare pro mor- 
tuis: — del alba; missa da 
alva. Sacrum mafutinum: — 
de cazador; missa de caça- 
dor; missa breve: — en seco; 
missa secca; a que se diz 
sem consagração e que serve 
para exercicio dos clérigos 
novos. Missa ad instructio- 
nem sine consecratione per- 
acta: — missa; ordem do 



MIS 

presbyterado : — contr. ant. 
de mi señora. Misas de sa- 
lud; diz- se ironicamente das 
imprecações feitas contra 
nós. Hoc milii maledidum 
in longam salutem j^roderit. 
Aydar a misa (fr.) ; ajudar 
á missa. Sacra operanti mi- 
nistrare. Cantar misa (fr.); 
dizer a primeira missa um 
novo sacerdote, aindaque 
seja rezada. Primum vel ini- 
tiale sacrum celebrare. Decir 
misa (fr.); dizer missa; ce- 
lebrar o sacerdote este sa- 
crificio. Bem sacram face- 
re. Decírselo de misas, ó 
allá te lo dirán de misas 
(fr. fam.) ; tu o pagarás •, 
diz-se para mostrar que na 
outra vida se pagará o mal 
que n'esta se fizer, ou que 
de futuro se ha de pagar o 
mal feito no presente. Hoc 
piaculum luet post mortem. 
No saber de la misa la me- 
dia (fr. fam.); não saber 
da missa metade; ignorar 
alguma cousa, não a com- 
prehender. Penitus ignora- 
re. Oír misa; ouvir missa; 
assistir a ella. Por oir misa 
y dar cebada, nunca se per- 
dió jornada (rif.); por ouvir 
missa e dar cevada, nunca 
se estorva a jornada: — 
(mil.) toque chamando a 
tropa que ha de formar-se 
para ir ouvir missa. 

]VIisACANTANo. m. Missado ; o 
que é ordenado presbytero, 
que pode dizer missa. Sa- 
cerdos, presbyter : — sacer- 
dote que diz missa pela pri- 
meira vez. Initiale sacrum 
publice, celebrans, nomys- 
tes : — (germ.) gallo. 

Misal, m. Missal; livro que 
contém as orações e passa- 
gens dos evangelhos que se 
lêem na missa. Missale, li- 
her missalis : — (typ.) mis- 
sal ; certo grau de letra : — 
(mus.) missal ; recopilação 
de cantos introduzidos por 
S. Gregorio, para uso do 
culto catholico. 

MisANDRo. m. (hot.) Misandro; 
genero de plantas da fami- 
lia das urticáceas. 

MisANTKCA. /. (bot.) Misante- 
ca; genero de plantas da 
familia das lauríneas. 

Misantropía. /. Misanthropia ; 



MIS 

aversão á convivencia so- 
cial, esquivança do trato dos 
homens: — misanthropia; 
natureza, qualidades dos 
misanthropos : — (fam.) mi- 
santhropia; usa-se ás vezes 
iio sentido de melancholia. 

íMisantrópico, ca. adj. Misan- 
thropico ; diz-se do que per- 
tence á misanthropia. 

Misántropo, m. Misauthropo; 
o que aborrece o trato, a 
sociedade dos homens, a 
convivencia social. 

Misar, n. (ant.) Missar ; ouvir 
missa. 

Misario, m. Acolito ou acoly- 
tho ; pessoa que ajuda o sa- 
cerdote quando celebra mis- 
sa. Acolythus, i. 

Miscelánea. /. Miscellanea; 
congerie desordenada, cou- 
sas misturadas, sem nexo. 
Miscellanea, ce; — (lit.) mis- 
cellanea; obra ou collecção 
de tratados sobre diversos 
assumptos. Miscellanea, oe. 

Miscelo. m. (zool.J Miscelo 
(perna em forma de pedún- 
culo); genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos carabicos. 

Miscibilidad./. Miscibilidade ; 
qualidade do que pode mis- 
turar-se ou unir se; diz-se 
particularmente dos fluidos. 

MisciBLE. adj. Misturavel ; diz- 
se do que tem a proprieda- 
de de se misturar com al- 
guma cousa. 

MiscoLO. m. (bot.) Myscolo; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

MiscoLOiiio. m. (bot.) Miscolo- 
bio (legume pedunculado); 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

MiscHNA. /. V. Misna. 

Miserabilísimo, ma. adj. sup. 
de Miserable. Miserabilissi- 
mo; muito miserável, des- 
venturado. 

Miserable, adj. Miserável, mi- 
sero, desditoso, infeliz. Mi- 
serabilis, miserandas : — mi- 
serável, abatido, sem força 
nem valor. Miserabilis, lan- 
^líicZws.-— miserável, misero, 
avarento, mesquinho, esca- 
co, avaro. Sórdidas, parcus: 
— miserável ; que padece 
miserias, desgraça. Misera- 
bilis, le: — miserável; usa-se 
como termo desprezive). 



MIS 



111 



Miserablemente, adv. m. Mi- 
seravelmente, desgraçada- 
mente, lastimosamente; com 
infelicidade e desdita. Mise- 
rabiliter, miserh : — misera- 
velmente, escassamente, mes- 
quinhamente, avaramente ; 
com avareza : — miseravel- 
mente; na miseria. 

Miseración. /. Miseração, com- 
paixão. V. Misericordia. 

Miseramente, adv. m. Misera- 
mente. V. Miserablemente. 

Miserear, n. Miserar ; fazer-se 
miserável, obrar, portar-se 
mesquinhamente. Se avare 
ac sordide gerere. 

Miserere, m. Miserere; festa 
que se faz na quaresma a 
alguma imagem de Chris- 
to, cantando-se o miserere: 
— miserere; quinquagesimo 
psalmo de David: — (med.) 
miserere, volvulo ; cólica 
violentíssima que faz lançar 
os excrementos pela boca. 
Volvulus, us : — (mus.) mi- 
serere ; peça de musica com- 
posta sobre as palavras do 
quinquagesimo psalmo de 
David, que são: Miserere 
mei Deus. 

Miseria. /. Miseria, desgraça, 
infortunio, condição de ser 
desgraçado. Miseria, cerum- 
na: — miseria, pobreza, ne- 
cessidade; falta do necessá- 
rio. Misera vel airumnosa 
vita, egestas: — miseria, mes- 
quinhez, avareza, mesqui- 
nharia. Sórdida parcimo- 
nia, avaritia: — miseria, in- 
significancia; pequena quan- 
tidade de uma cousa. Tenui- 
tas; res flocci, nihili: — mi- 
seria, fragilidade, fraqueza, 
imperfeição do homem: — 
miseria, minudência, baga- 
_ tela, cousa de pouca impor- 
tancia: — pi. miserias, fra- 
quezas, faltas. Comerse de 
miseria, piojos, etc. (fr.); 
comer-se de miseria, de pio- 
lhos, etc.; viver miseravel- 
mente, em grande penuria. 
In summa egestate vivere, 
agere vilam miserrimam. 
La miseria del tiempo ó de 
los tiemp>os (fr.); a mise- 
ria, a infelicidade, a des- 
graça do tempo, mau estado 
dos negocios. 

Misericordia. /. Misericordia ; 
virtude que nos moye a con- 



112 



MIS 



solar os infelizes, a compa- 
decer das miserias de al- 
guém. Misericordia, ce : — 
misericordia, graça, indul- 
gencia, perdão : — migalha, 
gota, porção tenue, a mais 
miuima quantidade. Usa-se 
com a negativa : — miseri- 
cordia, soccorro, graça, aju- 
da, favor; exclamações usa- 
das em grandes apertos e 
afflicções: — misericordia; 
adaga ou punhal que os an- 
tigos cavalleiros traziam 
pendente da cintura, e que 
nos combates singulares o 
vencedor cravava no corpo 
do vencido se este não pe- 
dia misericordia: — (rel.J mi- 
sericordia; comida que os 
frades Cartuxos fazem, uma 
vez por semana, cora pão e 
azeite: — misericordia; me- 
dida de vinho maior que a 
ordinaria, que se concede 
aos religiosos em certas so- 
lemnidades: — misericor- 
dia; sala para receber os 
hospedes em algumas com- 
munidades: — misericordia; 
descanso, recreio que se 
concede aos frades em certo 
tempo: — divina; misericor- 
dia divina; infinita bonda- 
de pela qual Deus concede 
o perdão aos peccadores. 
Obras de misericordia; obras 
de misericordia; acções de 
caridade, com que se reme- 
deia ou allivia o mal corpo- 
ral ou espiritual do próxi- 
mo. Pedir misericordia (fr.); 
pedir misericordia ; requerer 
o pi-ior que o aliiviem do 
seu cargo. Usa-se entre os 
Cartuxos. 
Misericordiosamente, adv. m. 
Misericordiosamente, piedo- 
samente, compassivamente. 
Misericorditer , clementer. 
Misericordiosísimo, ma. adj. 
sup. de Misericordioso. Mi- 
sericordiosíssimo ; muito mi- 
sericordioso. 
Misericordioso, sa. adJ. Mise- 
ricordioso, clemente, com- 
passivo, piedoso, pio; que 
usa de misericordia, inclina- 
do á piedade. Misericors, 
miserator. 
Mísero, ka. adj. Misero. V. 

Miserable. 
Misero, ra. adj. Misseiro ; diz- 
se da pessoa que gosta de 



MIS 

ouvir muitas missas: — diz- 
se do padre que diz muitas 
missas. 

Misérrimo, ma. adj. sup. de 
Mísero. Misérrimo. Miserri- 
mus, a, um. 

MisGURNO. m. (zool.) V. Bar- 
bada. 

MisiEGo. TO. (ant.) Trabalho 
das ceifas. 

Misios. TO. pi. (zool.) Mysios; 
tribu de crustáceos estoma- 
podas da familia dos cari- 
dioideos. 

MísiDE. m. (zool.) Mysside; 
genero de crustáceos esto- 
mapodas, da tribu dos my- 
sios. 

Misión, m. Missão'; acção de 
enviar. Missio, onis: — mis- 
são, commissão, poder, or- 
dem para alguém poder fa- 
zer alguma cousa: — mis- 
são; paiz ou territorio onde 
os missionários pregam. 
Apostolici concionatoris ter- 
ritorium vel provinda: — 
paga que se dá aos segado- 
res para o seu sustento, em- 
quanto dura o trabalho. 
Vichis diurnus messorum : 

— (ant.) V. Espedicion : — 
(aat.) cargo, conta, cuidado: 

— (ant.) esforço, empenho : 

— gasto, despezas. Espen- 
sa, ce. Estar de misión (fr. 
p. Mex.); andar de feira em 
feira pondo casas ou ambu- 
lancias de jogo ; — (rei.) mis- 
são; diz-se de uma pessoa 
da Trindade christã a res- 
peito da outra : — missão ; 
poder ou commissão espe- 
cial que alguns receberam 
de Deus, para instruir os 
seus similhantes e annun- 
ciar-lhes as suas leis: — 
missão; jornada de peregri- 
nação que fazem os missio- 
nários de povo em povo, 
pregando o Evangelho : — 
missão; pregação ou sermão 
fervoroso que fazem os mis- 
sionários nas suas perigri- 
naçoes evangélicas : — pi. 
missões; dizia-se das funda- 
ções de varias ordens reli- 
giosas, cujo objecto era a 
conversão dos infiéis na 
America. 

Misionado, da. adj. (ant.) Em- 
penhado, porfiado, obsti- 
nado. 

Misionar. 7i. (ant.) Missionar ; 



MIS 

pregar, ir em missão. Evan- 
gelizare. 
Misionario, to. V. Misionero. 
MisiONARisMO. TO. Missionaris- 
mo ; zelo pelas missões, ar- 
dor pela propagação da fé. 
Misionero, to. Missionário, pa- 
dre, religioso da missão, pre- 
gador evangélico que faz 
missões. Apostolicus concio- 
nator : — (p. A.) missioná- 
rio; ecclesiastico do clero 
secular ou regular, que en- 
sina a religião catholica ás 
tribus selvagens: — (p. 
Mex.) jogador que põe ban- 
ca ou ambulancia de jogo 
nas feiras: — pi. missioná- 
rios; congregantes institui- 
dos por S. Vicente de Pau- 
lo, para fazer missões. 
Misivo, VA. adj. Missivo, man- 
dadeiro; diz-se do papel, bi- 
lhete ou carta que se envia 
a alguém. Usa-se substanti- 
vado na terminação femini- 
na. Letra misiva. V. Carta 
misiva. 
MisMAR. TO. (med.) Mismar; es- 
pecie de nó que se forma 
nos dedos dos pés, por efFei- 
to de contusão ou de inflam- 
mação. 
MisMO, MA. pron. Mesmo ; ser- 
ve este pronome de indivi- 
duar e particularisar as cou- 
sas, as pessoas, as suas dif- 
ferenças, etc. Ipse, idem, 
egomet, ipsemet. 
MiSNA. /. (j)hilos.) Misna ; com- 
pilação de tradições rabíni- 
cas e das leis civis dos he- 
breus desde Moysés, redigi- 
da, segundo os judeus, por 
Judas o Santo, no século n. 
MisNAioTH. TO. V. Misna. 
Miso. m. (ant.) Curso, carreira. 
MisoDENDRO. TO. (bot.) Misodcu- 
dro; genero de plantas da 
familia das loranthaceas. 
MisoGAMiA./. Misogamia; aver- 
são ao matrimonio. 
Misógamo, to. Misógamo; o 
que aborrece o matrimonio. 
MisojiNiA. /. Misogynia ; aver- 
são ás mulheres. 
MisójiNO, NA. adj. Misogyno ; o 
que odeia e aborrece as mu- 
lheres, inimigo das mulheres. 
MisÓLOGO, GA. s. Misologo; o 
que aborrece a lógica, o ra- 
ciocinio : — misologo ; ini- 
migo dos methodos scienti- 
ficos. 



MIS 

MisoLOjÍA. /. Misologia; avcr- 
pào il lógica, ao víiciocinio. 

j\Iisox. m. Certa bebida dos 
chiiiezes. 

MisopoLKMO. m. (1ÀÍ.) Misopo- 
lemo; titulo de um poema 
contra a guerra. 

MisTAciDio. m. (hot.) Mystaci- 
dio (Iñf/ode); genero do plan- 
tas da familia das orchideas. 

MisTACiiE. 771. (mctrol.) Mista- 
che; medida jsara azeite e 
viiiho, usada em alguns por- 
tos do Levante. 

MisTAGUGo. 77?. (II. ttnf .) Slvsta- 
gogo ; mostre dos mysterios, 
que ensina os ritos e cere- 
monias. 

iliSTAGOJÍA. /. (ant.) Mystago- 
gia; iniciação nos mvsterios. 

^IiSTAMEXTE. CLclv. VI. (for.) Mis- 
tamente ; que i^ertence ao 
mesmo tempo ao direito ec- 
clesiastico e ao direito civil; 
diz-se das causas. 

MisTAK. a. Fallar e fazer ao 
mesmo tempo ruido com a 
boca. Usa-se as mais das 
vezes com a negativa. 

MisTKLA. /. Bebida composta 
de aguardente, agua, assu- 
car c cuuella. 

]MiSTKiíiAL. adj. (ant.J V. il//s- 
fcricso. 

Misterial:.ii-::;te. adi: m.faní.} 
V. Mis(criof:amcufe. 

Misterio, m. Slistei'io ou mys- 
tcrio ; o que uma religião 
tem do mais occulto e re- 
servado. Na religião christà 
diz-so das verdades divinas 
reveladas, cifja intelligencia 
a rasào humana nào pode 
jicnetrar. Mysterium, ii: — 
inysterio; segredo, arcano 
em os negocios importantes. 
Arcana, rnystcrium : — mys- 
terio, enigma; cousa mui dif- 
íieil de comprehender. JSíys- 
(erivm, anigma: — j')!. mys- 
terios; movimento.? uccultos 
o inexplicáveis do coração 
humano: — mysterio; usa- 
se ás vezes como synonymo 
de segredo para exprimir os 
meios ou recursos menos 
vulgares empregados nas 
bellas artes: — mysterio, 
aicani) secreto: — mysterio; 
operações secretas da natu- 
reza:— mysterio; certos cui- 
dados e precauções que se 
tomam para nào ser visto, 
ouvido ou observado. Ila- 
15 



MIS 

hlar f/e misterio ó hacer mis- 
terio (fr.J; fazer mysterio; 
fallar ou obrar cautelosa e 
reservadamente, esconder, 
occultar, guardar cm segre- 
do uma cousa ou aíi'ectar 
ignora-la. Mijstcriose loqui. 
mysferia indicare. No ser 
sin misterio ó vo ser 2^or 
falta de misterio (fr.) ; nao 
ser sem mysterio, sem ra- 
sào, sem motivos justos e 
reservados. Non sine corsa 
fit: — 2^^- O'ist.) mysterios; 
ceremonias que precediam 
a admissão dos iniciados em 
certos dogmas do paganis- 
mo, secretos para o vulgo: — 
(Lit.) mysterio ou oratoria; 
peça tlieatral onde se re- 
presentavam assumptos da 
sagrada escriptura. 

Misteriosamente, adv. m. Tslys- 
teriosamente, secretamente, 
escondidamente; com myste- 
rio. Alysteriosh. 

Misterioso, sa. adj. ítíj^sterio- 
so; que tem em si mj'sterio, 
que contém algum segredo. 
Jíysferiosns, a, um: — mys- 
terioso; fallando-se da vida, 
conducta, acções de algumas 
pessoas, toma-se á niá par- 
te: — mysterioso; que faz 
mysterio, segredo de cousas 
de nenhuma importancia, 
que obra mysteriosamente. 

Mística./. Ilíysíica, theologia 
mystica; parte da theolo- 
gia que trata do conheci- 
mento de Deus e das cousas 
divinas. Mystica, a;: — mys- 
tica, devoção, vida espiri- 
tual ou habito de e.xercicios 
de piedade e religião: — 
(vaut.) mystica; velas das 
embarcações chamadas mys- 
ticKs, parecidas com a vela 
latina. Usa-se também ad- 
jectivamente. 

]>Iística5iente. adü. m. ivfysíi- 
camente; segundo a mysti- 
ca. Mystiee : — mystica mon- 
te, espiritualmente; de um 
modo mystico. 

Misticeto. 7/?. (zool.) Mystico- 
to; especie de cetáceos do 
genero baleia. 

Misticismo, m. (píalos.) },íysfi- 
cismo; toda a crença, religio- 
sa ou philosophica que ad- 
mittc communicaçõcs m^-s- 
tcriosas entre os homens c 
a divindade. 



MIS 



113 



Místico, ca. adj. Mystico, mys- 
terioso, contemplativo, íigu- 
rado, allegorico; que incíue 
mysterio ou rasào occulta. 
Diz-se relativamente ás cou- 
sas de religião. Mysticus, a, 
wn : — mystico; que se di- 
rige ao sentimento e o toma 
por principal orgao ou meio. 
Mysticns, a, um : — s. mj&- 
tico, contemplativo; o que 
se dedica á vida espiritual 
ou coutemplaiiva: —mysti- 
co; o (jue professa o mysti- 
cismo :— ?H. auctor, oscriptor 
mystico, que escreve ou tra- 
ta do mystica: — (navt.) 
mystico; embarcação costei- 
ra de dois mastros, muito 
usada no Mediterrâneo: — 
pi. (rei.) mysticos; membros 
de uma seita do século iii. 
Escuela mística; escola mys- 
tica; denominação que com- 
prehende os ditíerentes phi- 
losophoo que hão feito do 
mysticismo a base dos seus 
systemas. 

Misticox. ot. K-antarrão, tar- 
tufo. 

Mistifori. adj. Locução latina 
que se applica aos delictoa 
que podem ser sujeitos ájii- 
risdicçào ecclesiastica e se- 
cular. 

Mistieíneo, X!:a. adj. (f/com.) 
Mistilineo; diz-?e do angulo 
formado por uma linha re- 
cta e outra curva. Mistilí- 
neiís, a, um. 

Mistión. /. Mixfão, mescla, 
mistura. Mistio, oitis: — 
(chim. ant.J V. Combinación. 

Misto, ta. adj. Misto, mistu- 
rado, incorporado com outra 
cousa. Alixttis, a, um: — - 
iniisto, misturado, composto 
de varios simples. Alixtns, 
mixtura: — mistiço; pro- 
crcjulo de duas especies; diz- 
se do animal. Mixtus, a, 
um: — m. mixto; composto 
de substancias inflamma- 
veis de qiuí se usa. na guer- 
ra. Tatiaco ó cigarro misto; 
tabaco misturado. Término 
mi.'^fo ír/ram.J; termo mixto; 
o (Mie pert.<MK"e A sciencia 
e á linguagem commum. Ac- 
ciones mi.stas (for.); acções 
mixtas; as que são ao niQs- 
mo tempo pcssoaes o reaes. 
Cansas mistas ífor.J; casos 
de mixto foro: da competen- 



114 



MIS 



cia do juizo secular e eccle- 
siastico íio inesmo tempo. 
Proporciones mistas (math.); 
proporções mixtas; aquellas 
em que se compara a rasao 
do antecedente e do conse- 
quente com a differença. Ma- 
temciticas mistas ó ciencias 
fisico-matemcdicas: — ina- 
thematicas mixtas ou scien- 
cias phjsico-matbematicas; 
as que sao fundadas em 
um ou muitos principios in- 
contestáveis que dimanam 
da physica. Figura mista 
(mat/i.J; figura mixta*, a que 
se compõe de linhas rectas 
6 curvas. Número misto 
(matli.); numero mixto; o 
que se compõe de números 
inteiros e quebrados. Modo 
fiisio (mvs.); modo mixto. V. 
Mixolidio. Escritura mista 
(paleog.); escripíura mixta; 
a dos manuscriptos anterio- 
res ?io tcculo IX, composta 
de lettras maiúsculas, mi- 
núsculas e cursivas. Pintura 
miskif' pintura mixta; gene- 
ro de pintura em que se usa 
dos toques da nn'niatura e 
da aguarella. Gobierno mis- 
to (polit.); governo mixto; 
o que participa da natureza 
de outros muitos. 

MisTRA. /. (ant.) Mistra; urna 
das medidas de que se ser- 
viam os gregos para os lí- 
quidos. 

Mistral, m. (naul.) V. 3íae6- 
tral. 

MisxnocERO. m. (zool.J Mystro- 
cero (antenna era forma de 
colher); genero de insectos 
coleópteros pentameros da 
familia dos lamellicornes. 

MlSTROPTERO. m. (ZOOI.) Mvg- 

troptcro (aza em forma de 
collitr); genero de insectos 
coleópteros da familia dos 
carabicos, composto de urna 
especie. 

Mistura. /. Mistura; ajunta- 
mento, incorporação de al- 
gumas cousas. Mistura, ce: 
— pao de mistura; pao feito 
de farinha de varios cereaes. 
Pañis misttís. 

Misturar, a. Misturar, incor- 
porar; confundir urna couL^a 
com outra. Miscere. 

Misturera. /. Ramalheteira 
que vende ramalhetes de flo- 
res pelas ruas de Lima. 



MIT 

Misturero, m. (ant.) ]\Iexeri- 
queiro, enredador. 

Misura. /. (ant.) Misura, me- 
sura, modestia. 

Mita./, norteio para emprega- 
dos nas obras publicas dos 
povüS indios: — (ant.) medi- 
da, fita. 

Mitacismo. m. (gram.) Mita- 
cismo ou mutacismo; vicio 
do discurso que resulta da 
repetição da lettra m em 
muitas vozes da mesma plira- 
se, como mammam, ipsam 
amo. 

Mitad. / Metade; uma das 
partes iguaes em que se di- 
vide um todo. Dimidium, ii: 
— metade; parte indetermi- 
nada de um todo que se ap- 
proxima ou mais ou menos 
da metade: — (mil.) meia 
companhia de soldados: — 
(fig.) metade, mulher, espo- 
sa: — y mitad (mod. adv.); 
em partes iguaes. Engañar- 
se en la mitad de su justo 
precio (fr. fig.); enganar-se 
em mais de metade; enga- 
nar-se muito. La mitad del 
año con arte y engano, y la 
otra parte con engaño y ar- 
te (rif.J; a metade do anuo 
com arte e engano, e a ou- 
tra jiarte com engano e arte; 
03 espirites ganham sempre 
ou por manha ou por arte. 
La mitad y otro tanto; pou- 
co mais ou menos. Dimidium 
cum dimidio. A la mitad ; á 
metade, ao meio. Por mitad; 
pela metade, pelo meio; em 
partes iguaes. 

Mitán, m. (ant.) V. Hollan- 
dilla. 

Mitayo, m. (p. A.) Indio que 
sáe sorteado para os traba- 
lhos públicos. 

MiTELiA. /. (hot.) Miteliia; ge- 
nero de plantas da familia 
das saxifragaceas. 

MitelÁpside. m. (bof.) Mitella- 
pside; genero de plantas da 
familia das saxifragaceas. 

Miten. m. Miteu; moeda de 
Bruxellas. 

MiTENA. /. (prov.) V. Mitón, 
na segunda accepção. 

Mítico, ca. adj. (p>hilos.) My- 
thico; que se refere ao niy- 
tho. 

Mitigarle, adj. Mitigavel; sus- 
ceptível de mitigação. 

Mitioacion. /. Mitigação; tno- 



MIT 

deração, allivio da dor, do 
ardor, da sede, pena; dimi- 
nuição do rigor de alguma 
cousa. Mitigai io, onis. 

Mitigador, ra. s. Mitigador; 
o que mitiga. ¿liiigator, 
oris. 

MiTiGAL. m. Mitigai; moeda 
de oiro e prata cunhada em 
Hespanha pelos mouros, c 
que correu muito tempo de- 
pois entre os chriitàos. 

Mitigar, a. Mitigar, suavisar, 
alliviar. Lenirc. 

Mitigativo, SÍitigatorio, ria. 
adj. Mitigativo ou mitigato- 
rio; quo mitiga, que tem a 
virtude de mitigar. Lcniti- 
vus, a, um. 

MitiLíÍceos. m. pi. (zool.) My- 
tilaceos; familia de moUus- 
cos conchiferos dimyario?. 

MiTiSMO. m.. (philol.) Myíhis- 
ino; sciencia dos mythos: — 
abuso das explicações my- 
thicas. 

MiTKUL. m. Mitkul; moeda de 
Marrocos. 

Mito. ??í.Mytho; particularida- 
de da fabula, da historia he- 
roica ou dos tempos fabulo- 
sos: — mytho; diz-se espe- 
cialmente de um facto, ou 
tradição que á primeira 
vista só encerra particuhiri- 
dades mais ou menos fabulo- 
sas, mas que, examinada com 
attençíxo, deixa ver por bai- 
xo do véu allegorico uma 
grande generalidade histó- 
rica, physica ou philoso- 
phica. • 

Mitofilo. m. (zool.) Mitophy- 
io; genero de insectos co- 
leópteros pentameros, da fa- 
milia dos lamellicornes. 

Mitografía. /. Mytographia; 
descripçào ou explicação das 
fabulas. 

MitogrÁeico, ca. adj. Mytho 
graphico; que se refere ú 
mythographia. 

SÍIT0L0GÍA. /. V. Mitolojía. 

Mitológico, ca. adj. V. Mifo- 
lójico. 

Mitologista, m. V. Mitolo- 
ji.-ita. 

Mitólogo, jn. I\Iythologo; au- 
ctor de uma obra mytholu- 
gica ou sujeito versado em 
mythologia. Mythologus, i. 

Mitolojía./. Mythologia; his- 
toria fabulosa dos deuses 
geutilicos. Mythologia, o¡ : 



MIT 

— mythologia; conlieeimon- 
to geral do paganismo, de 
seus inysterios, de suas ce- 
remonias, e do culto com que 
reverenciava os deuses e 
lieroes, assim como também 
das diversas allegorias dos 
artistas, dos poetas e dos 
pliilosophos: — mj'thologia; 
sciencia ou explicaçào dos 
mysterios e das fabulas da 
antiguidade: — cartajinesa; 
mytiiologia cartliagineza; a 
religião de Carthago, que se 
compunha de alguns ele- 
mentos lybicos e especial- 
mente de elementos plieui- 
cios: ■ — celtibérica ; mytho- 
logia celtibérica; os antigos 
hespanhocs adoravam va- 
rias divindades, quasi todas 
guerreiras, cujos nomes pela 
maior parte se perderam: 
presidia á guerra Necys, 
Net ou Netas, a quem fes- 
tejavam nas noites de lua 
cheia, juntando-se a dansar 
diante das portas de suas 
casas todas as familias: — 
de hl Italia; mythologia da 
Italia; a maior parte das 
tradições primitivas da Ita- 
lia, especialmente as da 
Etrtiria, devem referir-se á 
Thracia e á Samothracia, on 
á Thessalia e á Dodonia; 
n'ellas domina o feticliismo: 

— de Ion escandinavos ; my- 
thologia dos escandinavos; 
as crenças religiosas d'es- 
tes povoy trazem provavel- 
mente sua origem das re- 
giões da Asia Superior: — 
de. los Germanos; mytholo- 
gia dos germanos ou alle- 
màcs; a antiga religião ger- 
mânica é muitíssimo obscu- 
ra, porque os escriptos lati- 
nos dào aos deuses da Ger- 
mânia os nomes dos de lio- 
rna, snppondo-os idênticos a 
estes: — de los sal rajes de 
America; mythologia dos 
selvagens da America; a 
maior parte dos selvagens 
da America reconheciam um 
ser supremo a fjueur chama- 
vam Manitu, o qual era fre- 
quentemente confundido com 
o sol, admittindo alem d'is- 
so um grande numero de di- 
vindades, classificadas co- 
mo entre os iroquezes, em 
divindades benignas e ini- 



MIT 

migas: — egípcia; mytho- 
logia egypcia; como todas 
as religiões do Oriente, a 
egypcia apresenta um du- 
plo aspecto, fundando-se ao 
mesmo tempo em um pan- 
theismo physico e intelle- 
ctual, e na personificação 
das forças da natureza, iden- 
tificadas com as forças da 
intelligencia: — fenicia ;niy- 
thologia phenicia; as tradi- 
ções religiosas dos pheni- 
cios apresentam muita ana- 
logia com as dos ogypcios 
e dos chaldeus: — gala; my- 
thologia gallica; as pedras, 
as arvores, os vento?, os la- 
gos, em uma palavra, a ma- 
teria bruta, os phenomenos 
e os agentes da natureza, 
foram os primeiros objectos 
da adoração dos gallos; cul- 
to grosseiro, que depois se 
assimilhou á mythologia gre- 
ga e romana, aindaquc dif- 
ferençando-se d'ellas na no- 
menclatura e cm algumas 
particularidades : — griega; 
mythologia grega; era a per- 
sonificação dos planetas, dos 
ventos, dos phenomenos ce- 
lestes, das revoluções physi- 
cas do globo, dos primeiros 
estabelecimentos da socie- 
dade, dos primeiros ensaios 
da agricultura: — india; 
mythologia indiana; o sys- 
teina religioso dos indios é 
o pantheismo: — mejica; na 
mythologia mexicana; a re- 
ligião dos antigos povos de 
México tinha em seus ritos 
o sêllo da tristeza e da cruel- 
dade: — persa; mythologia 
persa ou persiana; a reli- 
gião primitiva dos persas, 
isto é, dos povos que habi- 
tavam o paiz comprehendi- 
do hoje debaixo dos nomes 
de Farsistan e de Iran, con- 
sistia na adoração dos ele- 
mentos e dos astros, e prin- 
cipalmente do sol e da lua: 
— peruana; mythologia pe- 
ruviana; a reliaiao dos pe- 
ruvianos, simples e beni- 
gna, quasi se limitava ao 
culto dos objectos da natu- 
reza; assim é que adoravam 
o sol, a lua e estrellas, re- 
verenciando comtudo um ser 
supremo, deus desconhecido, 
que designavam com o no- 



MIT 



115 



me do Paehacamac, creador 
do universo. 

MiToi-ójicAMENTE. adv. m. My- 
thologicamente; de uma ma- 
neira mythologica : — my- 
thologicamente; segundo a 
mythologia. 

MiTOLÓjico, CA. adj. Mytholo- 
gico; que pertence á mytho- 
logia. jSIythologicus, a, wn. 

MiTOLOJiSMO. m. ?.Iythologis- 
mo; explicaçào mythologi- 
ca: — mythologismo; sys- 
tema inythologico. 

MiTOLOjisTA. vx. Mythologista, 
mj'thologo. V. Mitólogo. 

Mitón, m. Luva ou manguito 
que cobre o braço: — mito- 
nes; luvas sem dedos. 

MiTOPÉTALO. m. (bot.) Mitope- 
talo (pétala em forma de 
fio); genero de plantas da 
familia das orchideas. 

Mitote, m. Mitote; dansa in- 
diana. Indicnm tripudium 
sic vulgo dicium : — baile 
ou fe.írta caseira: — V. Pen- 
dencia: — bulha, alvoroto. 

Mitotero, ot. (p. Mex.) Amigo 
de diversões e dansas, ou 
barulho : — V. Pendenciero : 
— V. Bullanguero. 

MiTQUEi.iA. /. (bot.) Mitquelia; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas, cujas es- 
pecies sao hervas. 

IMiTRA. /. Mitra; ornato da ca- 
beça dos antigos persas. ín- 
fula, a:: — mitra; ornato 
da cabeça dos bispo?, lufa- 
la sacra : — mitra, episeo- 
¡íado; dignidade dos bispos 
e arcebispos. Dignitas vel 
ditio archiepiscopalis vel 
episcopalis : — mitra; caro- 
cha dos condemnados. In- 
fammis cucullus : — mitra; 
medida de Tunis para os 
líquidos: — (zool.) mitra; 
genero de coleópteros medu- 
sarios, comjjosto de uma t:ó 
especie: — genero de ara- 
chnides, da ordem dos ara- 
neidos, da tribu das ara- 
idias, composto de uma só 
especie: — mitra; genero 
de moUuscos gasteropodas, 
cuja concha é espiral, e seus 
animaos muito apathicos, 
são providos de um peque- 
no pé, e têem a cabeça em 
forma de mitra. 

MiTRACAiiPO. m. (bot.) Mitra- 
carpo (fructo em forma de 



116 MIX 

mitra); genero de plantas 
Jíi íainilia daa rubiáceas. 

]\ítTRADO, DA. adj. Mitrado; 
(|ue tem direito e privilegio 
de trazer mitra. Alitratas, 
mura redim/'/us, donatns. 

MiTRAu. '//. (ftiin.) Obter um 
bispado. 

Mitraría. /. (hot.) Mitraria; 
genero de plantas da fami- 
lia das gesncraccas. 

MiTRAx. m. (min.) Ãlitlirax; 
pedra preciosa dos antigoB, 
assim cliamada por Pünio. 

íNÍitréfora. /. (hot.) Miíreplio- 
ra ((fiíp, tem mitra); genero 
de cogumelos tliecasporeos. 

MiTREFOuo. m. (zool.) JMitre- 
phoro (que tem mitra); ge- 
nero de insectos coleojjte- 
ros tetrámeros, da familia 
dos curculiónidos. 

MiTRÉMicE. m.. (bot.) Síitremi- 
ce (cogumelo em forma de 
mitra); genero de cogume- 
los da familia das lycopcr- 
daceas. 

MiTREOLA. /. (bot.) Mitreola 
(mitra); genero de plantas 
da familia das genciancas. 

MiTRiDATO. í/í.}iíithridato, tria- 
ga; celebre contraveneno, 
cuja invenção é attribuida 
a Andrornaclio, medico de 
Mithridates. Anlídotus mi- 
thridatica. 

?iIitróforo. m. (zool.) Mitro- 
phoro; genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos lamellicorm^s. 

iliTRULA./. (bot.) ]\Iitrula; ge- 
nero de cogumelos tliecas- 
jíoreos. 

MiTuuLÍNEOs. m. pl. (bot.) Mi- 
trulineos; tribu de cogume- 
los tliecasporeos. 

MixE. m. Mixe; especie de ta- 
baco silvestre que se cria 
ein Villalta, provincia do 
México. 

MixiNA. /. (zool.) Myxina; ge- 
nero de peixes chondropte- 
rygios, da familia dos cj- 
clostomos. 

Mixis. m. (mus. ant.) Mixis; 
parte da melopea groga, que 
ensina a arte de combinar os 
intervallos e os modos. 

MixojENO, KA. adj. V. Altící- 
paro. 

Mixo-LiDio. m. (mus. ant.) Mi- 
xo-lydio; sétimo tom da mu- 
sica grega, que tem un"stu- 
ra do Lydio. 



MNI 

iM[xosARCOMA. /• (mcd.) Mixo- 
sarcoma; sarcocele que con- 
tém nuicosidade concreta. 

i\íiYo, -pron. V. Mio. 

Miz. m. Biz; voz com que se 
Cüstiuna cliamar o gato. 
Vox ad felem alliciendam. 

MizAR. m. (astron.) Mizar; no- 
me de urna das estrellas da 
ursa maior. 

Mizcalo, m. (prov.) Cogumelo 
que nasce junto aos pinhei- 
ros. 

Mizo. m. V. Micho: — adj. 
(gtrm.) manco ou canhoto. 

MizoiioRFO. m. (zool.) Myzo- 
inorpho (forma de chupa- 
dor); genero de insectos co- 
leópteros subpentameros, da 
familia dos longicornes. 

MizoxiLO. m. ('^oo¿.^ Myzoxylo; 
genero de insectos himeno- 
pteros, cujas especies têem 
muita analogia com os pul- 
gões. 

MizQüiNDAD. /. (ant.) V. Mez- 
quindad. 

MizTLAi'KjiiE. m. (zool. p. Mex.) 
Peixe muito delicado, do ta- 
manho de um dedo, que 
abunda na lagoa do México. 

xiÍNEMÁTio. m. (zool.) Mnema- 
tio; genero de insectos co- 
leópteros pentameros, da fa- 
milia dos lamellicornes. 

MxEMiA. /. (zool.) Mnemia ; ge- 
neru de acalephos, da fami- 
lia dos mnemideos. 

Mnemídeos. m.pl. [zool.) Mne- 
mideos; familia de a,cale- 
plios, que comprehende va- 
rios géneros. 

i^IxEjioxiA, Mnejióxica./. Miic- 
monica. V. Mnemotecnia. 

MxKiioTECNiA. /. Mnemotech- 
nia; arte de facilitar as ope- 
rações da memoria, metho- 
do pelo qual se forma urna 
especie de memoriaartiñcial. 

Mnkmotécnico, ca. adj. i\íne- 
motechnico; que pertence á 
innemotcehnia. 

MuÉxE. m. Muene; ganga ou 
sacerdote do Congo. 

MxEsiTEA. /. {bot.) Mnesithea; 
genero de ])1 antas da fami- 
lia das gramíneas. 

!Mniaro. í«. (bot.) Mniaro (co- 
bertura de musgo); genero 
de plantas da familia das 
caryophylladas. 

Mniotilto. m. (zool.) Mniotil- 
to; genero de aves tiradas 
do genero motacilla. 



MOC 

i\loA. /. (germ.) Moeda. 

íMorlar. a. (ant.) V. Amue- 
blar. 

Moble, adj. (ant.) Mobil, mo- 
vei, movediço. 

Moca. m. Moneo ou ranho mui- 
to claro e fuiido, que estilla 
gota a gota: — (com.) café 
<le Moca, de óptima quali- 
dade : — infusão do café de 
Moca depois de torrado. 

Mocadero, m. Lenço de as- 
soar. Mucinium, ü. 

Mocador, m. V. Mocadero. 

MüCANERA. /. (bot.) V. Visnea. 

Mocante, m. (germ.) Lenço de 
assoar. 

Mocarro, m. Moneo, ranho que 
por descuido fica pendente 
do nariz. ¿íucus pendens. 
Santo mocarro ; jogo de ra- 
pazes, que consiste em todos 
successi vãmente mascarra- 
rem a cara a um d'elies, fi- 
cando no logar d'este aquel- 
le que primeiro se rir. Jo- 
gar con alguno al santo mo- 
carro (fr. fig. fam.); caçoar 
com alguém, engana-lo, mal- 
trata-lo. 

Mocarse. 7*. (fam.) V. Sonarse. 

MocARsio. m. (art.) Rede de 
esparto, de cujas peças se 
formam as cabeceiras ou li- 
nhas com que se apertam os 
extremos das aimadravas. 

Mocasín, m. Calçado de que 
usam os indios. 

Mocear, a. V. Mozear. Juve- 
nari, lascicire. 

Mocedad. /. V. Mozedad. 

Mocero, ra. adj. V. Mozero. 

IVÍOCETON, NA. S. V. MozetOH. 

Moción./. Moção, movimento; 
acçào ou paixão, em virtu- 
de da qual uma cousa se 
move por si ou é movida 
por outra. Motus, iis: — 
(fig.) inoçáo, determinação 
da vontade; emoçào do es- 
pirito, alteração do animo, 
que se move c inclina para 
alguma cousa a que foi per- 
suadido. Motio , onis: — 
(rei.) moçào; elevação da 
alma a Deus, pela inspira- 
ção da graça divina. Divi- 
nas ajjiatus vel instinctus: 
— (gram.) moçào; signal 
representativo de uma vo- 
gal em muitos idiomas se- 
míticos: — (neol.) moçào; 
proposta, proposição feita 
em uma assembléa delibe- 



MOC 

ríiute, por um de seus mem- 
bro?. 

jMocito, ta. m. dim. de 3fozo. 
Moeiíilio, moçosiuho. Aão- 
lesceiUulus, l. 

Mocii. m. Mock ; especie de 
phreiíeâl que tidijuirein, to- 
mando opio, os malaios que 
habitam nas costas da ilha 
de Ceylào, quando iutentam 
satisfazer uma vinii-auça. 

MocLos. rn. (astroii.) Mochios; 
um dos nomes da constelhi- 
çâo da libra. 

Moco. m. Moneo, ranho; hu- 
mor viscoso, mucoso, espes- 
so do nariz. i\[ncus, tis: — 
}«oíb, bolor; materia pega- 
josa ou glutinosa, que se 
forma nos licores e outras 
substancias, especialmente 
quando começam a corrom- 
Jicr-f-c. JIiiciis, 7ts: — mur- 
r;io: extreuiidade carbonisa- 
da do pavio, que impede n 
claridade da luz. Lucenice 
fungus : — escoria de ferro 
fundido. Scoria, recreinen- 
turn: — porçào derretida 
das velas, que vae escor- 
rendo e soliditicaudo-se, 
Candelce vel cerei recremen- 
iuin: — diz-se das cousas 
que não têem a consistencia 
que lhes é própria: — (zool.) 
moco; especie de mainmife- 
los roedores, oriunda do Bra- 
zil: — de pavo; moneo do 
perú; a crista ou membrana 
carnosa que lhe pende sobre 
o bico. Favonis carúncula 
fvoidalis, fjidarísqiie ¡péndu- 
la : — (bot.) moncos, bredos 
da India; bella flor verme- 
lha, (jue pende em forma de 
müuco de perú. V. Ajnarau- 
io. Mocos de herrero (art.) 
V. ijaga fierro. A moco de 
candil (loe. adv.}; á luz da 
candeia , superficialmente , 
feito no ar, sem reflexão. 
Perfuiictoric . Caérsele el 
moco a alguno (fr.); cnír a 
baba a alguém, ser Ijaboso, 
simplório, toleirào. Escojer 
alguna cosa a moco de can- 
dil (fr. farn.); escolher mi- 
nuciosamente, com muito 
cuidado. Adaraussim, accu- 
rate probare, legere. Es mo- 
co de pavo? E bagatella? 
Será cou.-a de pouca monta ? 
Ecquid nihil cst rei? Haber 
quitado a algtmo los mocos 



MOC 

(fr.); ter tratado ou conhe- 
cido alguém desde os coei- 
ros; tê-lo creado ou trata- 
do desde a infancia, desde 
pequeno. Ao icunabulis ali- 
(juem cruditíse vel curasse. 
No sabe quitarse los mocos 
(fr.); iiao sabe qual é a sua 
mào direita, nao sabe assi- 
gnar o seu nome, nao sabe 
nada. Ncc adhnc cniungere 
■liares scit. Quitar los mocos 
(fr.); quebrar a cara, esbo- 
fetear alguém, ameaça-lo. 
Pvgnis mucos detergeré ali- 
cui. 'Tener mocos (fr.); nao 
ser urna cousa tào má como 
parece; usa-se frequente- 
mente d'esta sorte: Pues el 
■niho tiene mocos? pois a 
cousa ó tào feia? Eqíddem 
mucosi:s cst vel despicabilis. 

MocoA. /. I\Iocoa; resina de 
unía arvore da provincia de 
Moeoa em Quito, com a qual 
fazem os indios um verniz, 
bello e duradouro como o 
char<ào da China. 

Mococo. m. (zool.) ISÍococo; es- 
pecie de mammiferos qua- 
drumanos do genero maki. 

MocosiDAí). /. V. jSíacosidad: 
— V. Viscosidad. 

jNIocoso, sa. adj. Moncoso, ra- 
iihuso; que tem moneo ou 
traz habitualmente o nariz 
sajo ou cheio de ranho. Mu- 
cosus, a, um: — que cheira 
a coeiros; nome injurioso 
que se dá ás creanças e ás 
pessoas de pouca idade, in- 
experientes e pouco adver- 
tidas. Puerulus mucosvs : — 
niúucoso, de-prezivel, pouco 
estimável. 2{ucosus, despi- 
cabili.-y. 

MocoscKLo. m. (farn.) Chochi- 
na ou chochinhas, cafuinho; 
liomem apoucado no corpo e 
no espirito. 

Mocuacuo, cua. s. (ant.J V. 
Muchacho. 

Mochaba./. Marrada; cabeça- 
da ou golpe com a cabeça, 
especialmente dos animaes 
cornigeros. Capitis ictus, 
arictatio. 

MociiAU. a. (ar/f.) Mochar, mu- 
tilar, tronchar. V. Desmo- 
char. 

Mochazo, m. Cronhada; golpe 
de cronha de arma de fogo. 
Rotundi extremi ictus. 

Mocheta. /. Mocheta; o espa- 



MOC 



117 



ço plano da columna enca- 
nada contra as estrias. Sii- 
IJerius extrcninm columna; 
striatnm. 

MocuiGUAU. a. (ant.) V. Amu- 
chiguar. 

Mochil, m. Servente ou moço 
do lavrador: — (prov.) V. 
jSIotril. Operar iu ni fi m ulns. 

Mochila. /. (e.quil.) Mochila; 
eaparazào á gineta : — (mil.) 
mochila; saco de panno ou 
de couro em que 03 solda- 
dos de infantería levam ás 
costas roupa, provisões, etc. 
Mantica, funda: — (fi.Ç-) 
y. Joroba. Hacer mochila 
(fr.); fazer alforge; fazer 
provisão, ))rover-se de al- 
gum alimento para o cami- 
nho o caçador, o viajante. 
Commeatum sibi providere, 
cibos reponere. lÀenar la 
mochila (fr.); encher a mo- 
chila; alem do sentido pró- 
prio, significa também co- 
mer á farta, em abundan- 
cia. 

MociiiLEiío, Mochiller. m. Mo- 
chileiro; servente do exer- 
cito que leva as mochilas. 
Caçula, calo. 

Mochín, vi. (gcrm.) Verdugo. 

Mocho, cha. adj. Mocho; diz- 
se do boi, carneiro ou outro 
animal sem cornos, ou por- 
que Ih'os cortaram, ou por- 
que nasceu sem elles. Miti- 
lus, muticus: — (fam.) pel- 
lado, tosquiado; com o pello 
ou cabello cortado. Mutilus, 
mutilatus: — desmochada, 
decotada, descabeçada; diz- 
se da arvore a que se cor- 
tou os ramos e a copa: — 
mocho, desuiastreado; diz-se 
do navio que ficou desarvo- 
rado, sem mastros. Mutilus, 
a, um: — rasa; diz-se da 
torre fabricada sem adorno 
algum no corpo superior: — 
mocho; diz-se em geral d'a- 
quellas cousas cpie devendo 
terminar em ponta ou pouco 
menos, apparecem rombas 
ou obtusas: — diz-se do re- 
mate grosso, as mais dasA'e- 
zes redondo, de alguma cou- 
sa comprida. Extremum ro- 
tundum: — (br.) desarmado, 
desdentado; que não tem 
dentes, unhas, garras, lín- 
gua, bico; diz-se do loào e 
outros animaes. Vayase mo- 



118 MOD 

cita por cornuda (fr. fig.); 
compensar-se o defeito ou 
imperfeição de uma cousa 
com a bondade ou perfei- 
ção de outra. Hoc luium 
alio compenseÂiir vcl repen- 
duiiir. 

Mochuelo, ra. (zool.) Mocho; 
genero de aves rapaces no- 
cturnas: — (fiíj-) osso; a 
i:>cior parte de qualquer par- 
tiliia ou repartimento; e as- 
sim se diz: Tocar el mo- 
cJiiielo a algii.no: caber a 
alg'uem o peior quinhão. 
Asionem semper sorte obtin- 
gere: — estólido, bolonio. 

Moda./. Moda; maneira cor- 
rente, usual de trajar, de 
se enfeitar, ou de fazer 
qualquer cousa. Ordinaria- 
mente significa uso novo, 
recente. JSíovus modas vel 
rifus. A la moda (loc. adv.J; 
á moda; ao uso novamen- 
te introduzido. Estar en 
las modas (fr.); seguir a 
moda, conformar-se com os 
lisos e costumes do povo ou 
paiz onde está. liecepto mo- 
re vive.re; sceculi consneiíidi- 
ni morem gerere. Salir una 
moda ó alguna cosa por mo- 
da (fr.); vir uma moda ou 
alguma cousa por moda; co- 
meçar a usar-se. Novum ves- 
tis modum incipere, appare- 
re. Estar en moda una per- 
sona ó cosa (fr.); estar em 
moda ou em voga uma pes- 
soa ou cousa; ter credito, 
partido, ser geralmente pro- 
curada, ou solicitada pela 
reputação c estima cm que 
ella se tem. Hacerse moda 
una cosa (fr.) ; ser moda 
uma cousa, pegar a moda 
de uma cousa; generalisar- 
se o seu uso. Sabio a la mo- 
da. V. Sabio. 

Modal. adj. (pldlos.) Modal, 
condicional, restricta; diz- 
se das proposições que con- 
têem alguma condição ou 
restricçào.- — que compre- 
hende ou inclue modo ou 
determinação particular: — 
m. pi. maneiras; modo das 
acções exteriores de cada 
um. Modus, 2iroprietas. 

Modeca. /. (bot.) Modecca; ge- 
nero de plantas da familia 
das passifloreas. 

Modelar, a. Modelar, moldar; 



MOD 

fazer o modelo da obra de 
esculptura em barro, cera, 
chumbo, etc., para ser fun- 
dida, ou para se executar 
em mármore ou outro corpo 
duro: — modelar; reprodu- 
zir exactamente, por meio 
do claro-escuro, o relevo das 
figuras, os contornos do sys- 
tema muscular: — (fig-) mo- 
delar; traçar, delinear anoi'- 
nia: — (fig-) modelar; dar 
a forma exterior. 

Modelo, m. Modelo ; imagem 
debuxada, pintada, feita em 
barro, cera, chumbo, etc., 
para ser fundida ou imita- 
da de qualquer maneira. 
Arclietypus, exemplar, nor- 
ma : — (fig-) modelo, molde, 
exemplar, typo; cousa di- 
gna de ser imitada : — (art.) 
modelo; pessoa que serve 
para o estudo do desenho, 
da esculptura, etc.: — vivo; 
modelo vivo; a pessoa nua 
que serve para o estudo do 
desenho. 

MoDENÉs, SA. s. Modenez; o na- 
tural de Modena: — adj. 
modenez ; pertencente á ci- 
dade c ducado de Modena. 

Moderación./. Moderação; pro- 
cedimento moderado, o ha- 
ver-se de maneira que evi- 
te todo o excesso. Modera- 
tio, onis: — moderação; 
baixa, reducção de preço. 
Pretii diminntio módica. 

Moderadamente, adv. m. Mo- 
deradamente; com modera- 
ção. Modérate, modeste, tem- 
perajiter: — moderadamen- 
te, rasoavclmente, módica- 
mente, medianamente. Mo- 
dice, mediocriter. 

Moderadísimo, ma. adj. síi}). de 
Moderado. Moderadíssimo. 

Moderado, da. adj. Modera- 
do, mediocre; que guarda o 
meio entre os extremos. Me- 
diocris, cre: — moderado; 
não excessivo: — modera- 
do, prudente, comedido: — 
moderado; diz-se do que 
tem opiniões moderadas em 
epochas de revolução. To- 
davia em Hespanha esta 
palavra emprega-se, as mais 
das vezes, em opposiçào á 
de progressista. 

Moderador, ra. s. Moderador; 
o que modera, rege, dirige. 
Usa-se especialmente em es- 



MOD 

tylo elevado. Moderator , 
oris. 

Moderamiento. m. (ant.) V. 
Moderación. 

Moderante, adj. Moderante, 
moderador. Moderans, an- 
tis: — m. director dos es- 
tudos em algumas univer- 
sidades. 

Moderantismo. m. Moderantis- 
mo; systema politico dos 
moderados. 

Moderar, a. Moderar; repri- 
mir todo o movimento ex- 
cessivo, conter nos limites 
convenientes. Usa-se tam- 
bém como reciproco. Mode- 
rari: — reduzir, abaixar, 
diminuir o preço. Ad modi- 
cum redigere, diminnere. 

Moderativo, va. adj. Modera- 
tivo ou moderaíorio; que 
serve para moderar. 

Moderatorio, ria. adj. Mode- 
ratorio, moderativo. Modmn 
statnens, pro-scribens. 

MoDEREA./.fa?í^j Medida agra- 
ria que comprehende o es- 
paço em que pode somear- 
se um moio de grão. 

]\IODERNAMENTB. ttdv. m. VxO- 

dernamente, novamente, de 
pouco tempo a esta parte. 
Niiper, recenter. 

Modernísimo, ma. adj. sup. de 
Moderno. Moderníssimo. 

MoDEiiNO, NA. adj. Moderno, 
recente, novo, da epocha 
chegada a nós. J^eoteri- 
cus , recens: — moderno, 
novo; diz-se da pessoa que 
não é das mais antigas em 
qualquer corpo ou commu- 
nidade. Também se usa 
substantivado : — moderno, 
novo; diz-se do soldado bi- 
sonho. Tyro, onis: — m. pi. 
modernos; escriptores, sa- 
bios ou artistas da epocha 
actual; e em sentido mais 
lato os que viveram nos 
últimos séculos. A la mo- 
derna (loc. adv.); á moder- 
na; segundo a moda, uso ou 
estylo mais recente: — (ardi.) 
moderno*, diz-se do cada um 
dos géneros de architectura 
que se usaram na Europa 
desde a idade media, com- 
prehendendo também o go- 
thico. 

]\Í0DESTAMENTE. üdv. m. 'Mo- 

destamente; com modestia. 
Modeste, m.oderate: — mo- 



MOD 

destameute, decentemente, 
sem luxo. 

Modestia. /. Modestiai come- 
dimento nas acções e pala- 
vras, e principalmente n'a- 
quillo que tende a ostentar 
o merecimento, ou as quali- 
dades do sujeito, fallando 
de si. Modestia: — modes- 
tia, honestidade, decencia. 
Modestia, pudicitia: — (bot.) 
V. Estemodia. 

Modestísimo, ma. adj. sitp. de 
Modesto. Modestíssimo. H/o- 
destissimus, a, inn. 

Modesto, ta. adj. Modesto, co- 
medido, dotado de modes- 
tia. Moderatus, temperatus, 
modesfus, ad modestiam com- 
p)ositus: — modesto; que in- 
dica a modestia da pessoa, 
como trajo, maneiras, olhar 
modesto. Modestas, pudicus. 

MoDiiALLAM. m. (philo¿.) Mod- 
hallam; o oceano atlântico, 
entre os árabes, alem do 
qual crêem que nada pôde 
ser conhecido. 

Módicamente, adv. m. Módica- 
mente, cm grau ou quanti- 
dade módica : — módica- 
mente, escassamente, parca- 
mente. 

Módico, ca. adj. Módico, me- 
diocre, pequeno, de pouco 
A'alor. Modicus, o, um: — 
módico, moderado, escasso. 

Modificación. /. Modificação; 
acçào de modificar. 2fod/fi- 
catio, onis: — (philos.) mo- 
dificação; maneira de ser 
de uma substancia, modo 
por que estào combinadas e 
dispostas as partes de algu- 
ma substancia material: — 
(grara.) modificação; parti- 
cularidade , circumstancia 
junta ao sentido de uma pa- 
lavra. 

Modificador, ka. s. Modifica- 
dor ; o que modifica. Modi- 
ficator, oris. 

Modificar, a. Modificar; limi- 
tar, determinar ou restrin- 
gir as cousas a um certo 
estado ou qualidade em que 
se singularisem ou distin- 
gam umas das outras. Mo- 
dificare: — modificar, mo- 
derar, adoçar, temperar, sua- 
visar; reduzir as cousas aos 
justos termos, moderando ou 
evitando todo o excesso: — 
Modificare, temperare: — 



MOD 

modificar; corrigir, mud;\r, 
alterar uma cousa em algu- 
ma de suas partes: — (pililos.) 
modificar; operar mudança 
no estado de um corijo, sem 
alterar a sua essência: — 
(gram.) modificar; acrescen- 
tar alguma circumstancia a 
uma palavra, restringi-la 
ou particularisar o seu sen- 
tido. 

Modificativo, va. adj. Modifi- 
cativo; que modiKca. 

MoDiLLo, to. 77?. dim. de Modo. 
Modo particular. Singidaris 
modas. 

Modillón, m. (ardi.) Modilhào; 
ornato da forma de um S in- 
vertido, que prende por bai- 
xo da cornija das ordens co- 
rinthia e compósita, e sepa- 
ra as rosetas, que de ordi- 
nario as orHam. Mutiãus, iis. 

MODILLONCILLO. 7?!. dim. dc AIo- 

d ilion. Modilliàosinho. 

MoDio. m. Modio; antiga me- 
dida romana para • seceos. 
Modius, us: — modio; medi- 
da de capacidade usada cm 
Florença para seceos. 

MoDioLA. /. (hot.) Modiola; ge- 
nero de plantas da familia 
das malvaceas. 

MoDiOLO. m. (arch.) Modiolo; 
espaço quadrado que fica 
entre os modilhòes das co- 
lumnas. 

Modismo, m. Idiotismo; modo 
particular de fallar, próprio 
e privativo de uma lingua, 
que nào segue as regras ge- 
racs da grammatica. 

Modista, s. Modista, figurino; 
o que adopta e segue as mo- 
das. E pouco usado, e as 
mais das vezes é cm .sentido 
n-ouico. Novos modos appc- 
tens: — modista; o que in- 
venta modas ou tem loja de 
modas. Hoje usase unica- 
mente esta palavra no ge- 
nero feminino, significando a 
mulher que tem por otlicio 
fazer vestidos e enfeites pa- 
ra senhoras. 

Modo. m. Modo, moderação, 
juítos limites. Modas, vs: 
— bom modo; maneiras afiá- 
veis, urbanidade, decencia 
no porte ou no trato. Urba- 
nifas, comifas: — caracter ou 
qualidade que constituo al- 
guém digno de estima ou res- 
peito. Anctoritas, atis : — mo- 



MOD 119 

do; forma e uso particular 
de fazer alguma cousa. j\lo- 
dus, me.thodus. Almodo (loc. 
adv.) V. A semejanza. A mo- 
do (loc. adv.); ao modo, á 
maneira de, como, similhan- 
temente. Ad modam, velut. 
De modo (loc. adv.); de mo- 
do, de maneira. Sobre modo 
(loc. adv.); sobre modo, em 
extremo, sobre maneira. Ul- 
tra modum : — (pililos.) mo- 
do; maneira de existencia ou 
de acçào : — de los argumen- 
tos; modo dos argumentos; 
ditíerentes maneiras de dis- 
por as proposições de um 
syllogismo, com relação á 
quantidade e á qualidade: 

— (gram.) modo; systema 
de inflexões e desinencias 
dos verbos, que denotam o 
caracter da acçào relativa- 
mente á maneira. Modas, 
us: — (for.) modo; fim para 
que se faz alguma cousa: — • 
(mas.) modo, tono; relação 
das notas formando uma das 
duas escalas tónicas, maior 
ou menor. 2Iodas musicas. 
Obrar a su modo (fr. ); obrar, 
viver ao seu modo; confor- 
me lhe parece, no que lhe 
respeita: — /jZ. maneiras. 
Buenos modos; bom modo, 
maneiras afiáveis. V. il/o- 
dcdes. 

Modorra. /. Modorra; somno- 
lencia quasi lethargica. Fc- 
iernus, vs: — somno da mo- 
dorra; grande somnolencia, 
somno profundo, mas sem 
accidente mórbido. Gravis 
rei pertinax somnus: — ator- 
doamento dos carneiros e 
ovelhas occasionado pela 
superabundancia de sangue. 
Oviam stupor: — quarto da 
. modorra, segunda vigia da 
noite: tempo immediato ao 
amanhecer, em que o somno 
se torna mais profundo. E 
assim chamado frequente- 
mente pelas sentinellas. Vi- 
gilia secunda : — fructa sor- 
vada; excessivamente ma- 
dura que começa a fermen- 
tar. Fructus iiimis maturns: 

— (ant.) V. Jamona; epithe- 
to de desprezo applicado á 
mulher. 

Modorrar, a. Causar atordoa- 
mento ás ovelhas. Usa-se en- 
tre pastores. Ovibus atapo- 



120 



MOE 



rem inducere: — r. sorvar-sc 
a fructa. Nimís inafurescere. 

MoDOKiíiA./. (anf.)Y. Modorra. 

MoDORRiLLA. /. Terceira vigia 
da noite, que se segue ao 
quarto da modorra. Vigilia 
tcrlia. 

MoDoiiRiLLo. m. (anf.) Vasilha 
c|ue servia para medir vinho. 

Modorro, ra. adj. Modorro, 
modorrento, amodorrado •, etn 
estado de modorra, doente 
de modorra. AUonitus, sfn- 
pefadus:— (fuf.) boto, inad- 
vertido, ignorante, sem agu- 
deza, falto de penetração. 
Stolidiís, sliipidus. 

MoDRAR. a. (ant.) \ . Hurtar. 

Modrego, m. (fam.) Homem 
boto, rude, inepto, desmaze- 
lado, falto de liabilidade 
para qualquer cousa. Hebes, 
inhahiiis. Applica-se tam- 
bém aos monges leigos. 

Modulación./, (mus.) Modula- 
ção-, acçào e efl'eito de mo- 
dular: — modulação; tran- 
sição, compasso harm.onico, 
facilidade da voz em variar 
suavemente o canto, cm dar- 
Ihe inflexòes melodiosas. 1\1<>- 
dnlaiiic», iiiis. 

Modulador, ra. s. Modulador; 
o que modula. 

Modulante, adj. Modulante; 
que modula. Modulans, an- 
tis. 

Modular, v. (mus.) Modular; 
passar de um tom a outro: 
— modular; entoar com me- 
lodia, cantar com harmonia, 
dar inflexões melodiosas á 
voz. Modulari. 

MÓDULO, m. (arch.) Módulo; 
medida arbitraria que serve 
de regular as proporções das 
diversas partes de cada or- 
dem de arcliitectura; de or- 
dinario é o semi-diamctro da 
]iarto inferior da columna. 
Aíodulu.i, vs: — mcklulo; diâ- 
metro do uma medalha: — 
(mus.) módulo; requebro de 
voz melodioso, modo de va- 
riar a voz j)iira cantar com 
suavidade e inflexão melo- 
diosa. 

Modurria./ (aut.JY. Bohcrí.a. 

Moeda./. Moeda; antiga moe- 
da de oiro de Portugid, do 
valor de 4,à8()0 réis, tairdjem 
chamada lisbonina ou lisbo- 
nense. 

Moer. m. V. J/'íc. 



MOG 

MoESSLi. rn. Moessli; medida 
de capacidade para seceos, 
usada em algumas partes da 
Suissa. 

Mofa. /. jMofa, zombaria, es- 
carneo, acto de mofar. San- 
va, irrisio. 

Mofador, ra. s. JJofador, es- 
carnecedor; o que mofa ou 
escarnece. Sannio, irrisor, 
cavillator. 

Mofadura. /. Mofadura. V. 
Mofa. 

Mofante. ;?. a. e adj. Mofante; 
que mofa. Sauuavs, autis. 

Mofar, a. I\Iofar, escarnecer, 
zombar; fazer mofa. U?a-se 
mais como reciproco, em cas- 
telhano. Sannare, irride.rc : 
n. (a?tt.) mofar, zombar. 

Mofeta. /. Mopheta, meplntis 
ou mofrte; exlialaçAo perni- 
ciosa que sáe dos subterrá- 
neos e especialmente das mi- 
nas. Diz-se em geral de to- 
das as exhalações perigosas: 
— (chim.) mofeto; dava-?e 
este nome aos gazes nao res- 
piráveis, especialmente o 
azote, ao qual se chamava 
mofete atniospherico e ¡lo 
hydrogenio carbonado mo- 
fete inflammavel: — (zool .) 
mofete; genero de mammi- 
feros carnívoros digitigra- 
dos. 

Moflete, m. (fam.) Bochecha 
gorda e carnuda. Usa -se mais 
no plural. Bucea flucns, tu- 
tiiciis. 

Mofletudo, DA. adj. Bochechu- 
do; que tem grandes boche- 
chas. Vvltuosus, a, vm. 

Moflir, a. (ant.) Comer, mas- 
tigar. 

Mogataces, m. pl. (mil) Mo- 
gataces; comp,anbia íixa de 
cavallaria que ha em alguns 
presidios hespanhoesdn Afri- 
ca, que se compõe de nn!u- 
raes do paiz. 

Mogate, m. Verniz ordinario 
que cobre alguma cousa, 
como o da louça vidrada, 
etc. Yernix, ras. A medio 
mogate ó de medio mor/fifc 
(loe. adv.); com descuido, 
sem perfeição, com jiouco 
cuidado na execução de al- 
guma cousa. Fcrfuiidorie, 
oscitantcr. 

Mogato, n?. V. Mo¡¡igato. 

JMoGGLV. /. Moggia; medida 
agraria de Nápoles. 



MOH 

Mogol, s. Mogol ou Mongol; o 
natural de Mongólia: — adj. 
mongol ; jiertenccnte á Mon- 
gólia : — (philol.) mongol ; 
idioma que se fallava no 
antigo imperio do Grao-Mo- 
gol. 

Mogólico, ca. adj. Mongólico; 
pertencente á Mongólia. 

IMoGOLLON. m. Entrevinda, en- 
tremettimento repentino, 
inopinado de alguém onde 
o não chamam ou não é con- 
vidado: — guilhote, goloso, 
papa-jantares, chapista ; diz- 
se d'aquelles que sem se- 
rem convidados costumam 
comer á custa alheia. Con- 
vivia sine symhola, vcl alie- 
na quadra. Comer de mogo- 
llón, (fr.); comer ú custa da 
barba longa, á custa alheia. 
Sine symhola ca'tHirc, aliena 
vivere quadra. De mogollón 
(fr.); á custa alheia. 

Mogote, m. Montinho isolado 
acabando em bico: — (fig. 
prov.) marco divisorio levan- 
tado de terra: — meda; mon- 
tão de feixes em forma py- 
ramidal: — pi. primeiras 
]-:ontas que lança o veado 
de dois :vnnos. Nasceucia cor- 
tiva: — (naut.) penhasco ou 
montão de terra ;i maneira 
de dunas, que sobresáe em 
alguma praia ou monte pró- 
ximo da costa, e que se des- 
cobre do mar. 

Mogrollo. ??í.V. Gorrista. Fur- 
tivus conviva : — montesino ; 
homem tosco, rustico, rude, 
grosseiro, incivil. Innrba- 
'iius, i: — (mil).) V. Metal 
de Cebo. 

Mohada. /. V. j\Ljitda. 

Mohaunar. m. (ant.) Certo fei- 
tiço. 

MouAX. i7!.V. Jeque, sacerdote 
indio. 

r^íoiiARKM. 5». (chron.) ?.Io!;a- 
rcm ; ])rimciro mez do auno 
turco, c um dos mczes sa- 
grados. 

Moharra. /. Ferro cm fóvma 
de coração em que tcrmiuji 
a haste da bandeira ou es- 
tandarte. Cuspis, idis : — 
ponta, ferro da lança. Cus- 
pi. s-, id/s. 

MoII.VKRACnK, MoiIARnACHO. w?. 

Figura grutesca, homem 
vestido ou mascarado ridi- 
culamente, que provoca o 



MOH 

riso fazendo mogaugas e ges- 
tos extravn gantes. Mormor- 
lychia, persouatus ludio: — 
figura Olí adorno ridiculo; 
mal feito, grutesco. 

MoHAiiRiLLA./. V. Moharrache, 
ua primeira accepçào. 

Mohatra. /. Mofatra; venda 
eífectiva ou simulada, por 
alto preço e a credito, de um 
ubjecto que se faz resgatar 
13or preço vil a dinheiro de 
contado. Versara iii vendi- 
t ione : — mofatra ; con trato 
usurario ou fraudulento. 

Mohatrante, p. a. do JSÍolia- 
trar. 

1VÍ0IÍATRAR. 11. Fazer, praticar 
mofatras. Versaras faceré, 
inire. 

Mohatrero, ka. s. Mofatrao; o 
que pratica n.iofatras. Ver- 
suras iiiiens vc.l faciens. 

MouATRox. m. V. Mohatrero. 

Mohecer, a. Mofar; encher ou 
cobrir de mofo. Mucescere. 
Usa-se mais como reciproco. 

Mohecido, da. adj, Mofoso. 

Moheda. /. Mata de arvores 
copadas. 

Mohedal. m.\ . Moheda. 

Mohel. m. (reí.) Mohcl; saco.r- 
dote judeu que pratica a cir- 
cumeisao. 

Mohiento, ta. adj. V. Mohoso. 

Mohína. ./'. Enojo, enfado, in- 
dignação, agastamcnto con- 
tra algucm. Slomachiis, in- 
dignaiio. 

Mohindad./. (aid.J V. Mohína. 

Mohinísimo, ma. adj. sup. de 
il/o/iírto. Agastadíssimo; mui- 
to indignado. 

Mohíno, na. adj. Zangado, en- 
fadado, agastado, irritado. 
Stomachosns, animi tarhi- 
dus: — asneiro; diz-se do ma- 
cho e mula que procedo de 
cavallo e burra. Hinnus, 
burdas: — cabeça de mouro; 
diz-se das cavalgaduras que 
tcem o focinho ou a cabeça 
de cor preta sendo o resto 
do pello de outra cor: — 
triste, melfincholico : — ad- 
versario ao jogo contra quera 
vâo os demais jogadores. Ad- 
rer.iarias únicas ludentiam. 
Tres al mohino (fr.); tres 
contra um ou uniáo de mui- 
tos contra poucos. Ex cnn- 
ventione adversariam sihi 
assignare. 

Moho. m. Mofo, bolor; efBores- 

10 



MOJ 

cencia vegetal que a humi- 
dade desenvolve em diver- 
sas substancias inettidas em 
caixas, armarios, etc.; v. g., 
na roupa, estofos, queijo, 
papel, etc. Mucor, mucedo: 
— V. Orín: — ffig-) embota- 
dura, ferrugem do espirito, 
desidia, difliculdade de tra- 
balhar occasionada pelo de- 
masiado ocio ou descanso. 
Hebetado, inis: — del cobre; 
verdete, azinhavre do cobre. 
No criar moho alguna cosa 
(fr.fig. fam.); nao crear mo- 
fo alguma cousa; andar em 
continuo movimento, sempre 
em uso. No dejar criar mo- 
ho á alguna cosa (fr. fig. 
fam.); nao deixar crear bo- 
lor a alguma cousa; tê-la 
cm continuo uso ou exercí- 
cio; n.ao conservr.r uma cou- 
f-a, gasta-la depressa. 
Mohoso, sa. adj. j\íofoso; fjue 
tem ou creou moio. Mucidus , 

7IIUC0SUS. 

Mohur. m. Mohur; moeda de 
oiro da índia ingleza. 

Moidora. /. V. Moeda. 

MojÁbana. /. (proc.) V. Almo- 
jábana. 

Mojada. /. Molhadnra; acção 
de molhar ou molhar-se al- 
guma cousa. Tombem ha a 
palavra molhamento, n'cste 
sentido, mas é antiquada 
Madefact.io, pcrfusio: — (p. 
jSInrc.) sopa molhada em 
qualquer liquido. 0_^a ma- 
defacta, vel perfusa jusculo : 
— (fam.) picada; ferida fei- 
ta com arma penetrante. 
Ictus pungeiís vel sanguinera 
fu adens. 

Mojador, ha. s. Molhador; o 
que molha: — (art.) vaso 
ou sitio destinado para mo- 
lhar o papel em que se ha 
de imprimir. 

Mojadura. /. Molhadura; ac- 
ção de molhar. Mador, oris. 

Mojama../. Moxama; atum sec- 
co salgado. Thynnina caro 
salifa. 

MojAR. a. Molhar; humedecer 
com agua ou eom outro li- 
(]UÍdo, metter em agua ou 
outro liquido. U?a-se tam- 
bém como reciproco. Made- 
faceré : — (j^íh) molhar a 
sopa ; ter parte, metter-se 
em algum negocio ou lucro. 
Partem haber e. 



MOJ 121 

MojAKKA. /. (art.) Barco para 
o serviço das almadravas, 
ao qual ee chama commum- 
mente mojarra del capitán. 

Mojarrilla, m. (fam.) Ohala- 
ceador, galhofeiro, folgasão; 
pessoa que está sempre de 
galhofa, amiga de chalaçar 
e divertir- se. Ludia, ce. 

Moje. m. Molho; especie de 
caldo que se faz aos guisa- 
dos e com que se temperam 
as iguarias. Juscalum, i. 

Mojera. /. (bot.) V. Espino 
majuelo. 

Mojete, m. Preguinho de la- 
tão. 

Mojí. m. V. Mojicón. Cazuela 
r.xoji. V. Cazuela. 

Mojicón, m. Mochicão, murro, 
punhada. Fugnus, colaphus: 
— cavaca; bóio secco. Frus- 
tam- pauis saccharati. 

MojiEU. /. (aut.) V. Mujer. 

MujiGAKGA./. Mogiganga; fes- 
ta publica ou dansa de gen- 
te mascarada cm animaes. 
Larvata vel personata pom- 
pa: — mogiganga; cousa ri- 
dicula para zombar de al- 
guém. Ridicula actío. 

Mojigatería. /. Dissimulação, 
hypocrisia, fingimento, dis- 
farce astuto: — jacobice, 
hypucrisia, falsa devoção, 
acção própria de beato falso. 

Mojigatez. /. V. Mojigatería, 
na primeira accepçào. 

Mojigato, ta. adj. Dissimula- 
do, fingido, liypocrita; que 
aft'ecta humildade, que usa 
de dissimulação para con- 
seguir os seus fins: — hy- 
pocrita, jacobeu, beato fal- 
so, que atí'ecta melindre, que 
faz escrúpulo de tudo. Usa- 
se mais substantivado. 

Mojil, m. V. Mojí. 

MojiNA. /. (fam.) Zanga, en- 
fado. 

Mojinete, m. (p. C.) Nádegas 
gordas. 

jVIojislamismo. m. (med.) Mo- 
gislamisuio; diñiculdade de 
proniinciiu' ou articular as 
palavras, e especialmente as 
letras labia es. 

Mojo. vi. (ant.) Y. Remojo: — 
(p. C.) V. liíoje. 

Mojón, to. Mogo; marco divi- 
sorio. E antiquado em por- 
tuguez. Limes, terminas: — 
V. Tángano, jogo: — V. 

1 Montón : — (vulg.) caga- 



122 MOL 

Ihão; materia fecal solida, 
que se expelle de urna vez: 

— m. (ant.) V. Mojonero : 

— provador de vinhos. 
Mojona. /. Marco ; signal que 

se põe nos limites e confins 
das terras para as demar- 
car, e assiin nas estradas. 
Mcnsuratio por términos : — 
arrendamento do imposto so- 
bre o vinho que se vende 
nas tabernas das aldeias e 
pequenas povoações. Vedi- 
gal ex mensuris. 

Mojonación. /. V. Amojona- 
miento. 

Mojonar, a. V. Amojonar. 

Mojonera. /. Extrema, fron- 
teira; logar ou sitio onde se 
põem os marcos divisorios. 
Termini situs. 

Mojonero. m. V. A/orador. 

Mola. /. (physiol.) Mola; feto 
informe que se gera no ven- 
tre da mulher. Chama-se 
commummente mola matriz. 
Mola, (e: — (hist. ant.) mns- 
sa consagrada feita de fari- 
nha de cevada, misturada 
com sal, de que se fazia uso 
nos antigos sacrificios, lan- 
çando-a na fogueira em que 
a victima havia de ser quei- 
mada: — pl. (híst. ant.) mo- 
les; estatuas collossaes que 
os antigos elevavam em hon- 
ra dos seus deuses :^^ — (zool.) 
mola; genero de peixes da 
familia dos gynmodoutes. 

Molada. /. (piíit.) Moedura de 
tinta, quantidade d'esta que 
se moe de cada vez na mo- 
leta. 

Molau. adj. Molar; diz-ác do 
que pertence á mó ou ó pró- 
prio para moer. Molaris, re : 

— (anat.) molar; diz-se dos 
dentes queixaes. Cuarzo ága- 
ta molar (miu.); variedade 
de quartzo de que so fazem 
mós de moinho. 

MoLARiFORMij. adj. ^lolarífor- 
me ; parecido com um dente 
molar : — (hot.) molarifor- 
me; uome que se dá a cer- 
tos cogumelos por terem a 
superficie coberta de uma 
especie de dentes. 

idoLASA. /. (rain.) Molassa. V. 
Maciño, 

MoLAsos. m. 2jI. (zool.) Mollas- 
sos; ordem de vermes in- 
testiuaes, cujo corpo é for- 
mado de urna substancia 



MOL 

gelatinosa, branda e trans- 
parente. 

Molcajete, m. (p. 2Iex.) Gral 
ou almofariz de barro vi- 
drado ou de pedra, que des- 
cansa sobre tres pés curtos, 
e serve para pisar especies, 
sementes, etc. 

Moldado, vi. (arch.) Rebaixo; 
encaixe que se faz nas por- 
tas e janellas: — moldado; 
trabalho de moldura que se 
faz em algumas peças. 

Moldar. a.Moldar. V. /í??íoZfZa j-. 

Moldavo, va. adj. Moldavo; 
que pertence á Moldavia : — 
s. moldavo; o natural da 
Moldavia. 

Molde, m. (fig.) Molde, mode- 
lo, exemplar; diz-.se das pes- 
soas que podem servir de 
typo, de norma em alguma 
cousa. Typus, forma : — de 
tordos; pessoa continuamen- 
te importunada com rogos 
enfadonhos. S'MÜorum ty- 
pus. De molde (loe. adv.) ; 
im^ii'csso, em letra impres- 
sa, estampada, nao manu- 
scripta. Tyjyis impressas: a 
proposito, com opportunida- 
de. Aplissime, perfecte, re- 
de: bem, perfeitamente, ha- 
bilmente: — (art.) forma; 
caracteres disjiostos e orde- 
nados para se imprimir. 
Litterarum tabula : — (art.) 
molde ; caixa cm que se col- 
loca a matriz, na fundicíio 
de typos: — molde; qual- 
quer modelo para vasar obra 
de metal, gesso, enxofre, etc. 
e tomar uma f<)rma determi- 
nada: ■ — molde; qualquer 
instrumento, aindaque nao 
seja ÒCO, que serve para es- 
tampar, ou 2'>í»ra dar forma 
ou corpo a alguma cousa, 
taes sao as letras de impren- 
sa, as agulhas de fazer meia, 
etc. Forma, typus. Contra 
molde; capa ou molde exte- 
rior, ñas fundições de esta- 
tuas. 

Moldeador, ra. s. Moldador; o 
que molda: — ondeado (art.); 
instrumento que usavam os 
entalhadores para fazer mol- 
duras em ma(h?iras rijas. 

Moldear, a. Moldar ; lançar 
no molde, deitar na forma, 
vasar, imprimir em um mol- 
de. Ciclare, fingere: — V. 
Amoldar. 



MOL 

MOLDENHAUERA. /. (bot.) Mol- 

denhauera; genero de plan- 
tas da familia das legumi- 
nosas. 

MoLDERo. m. (ant.) V. Im.pre- 
sor. Estampador. 

Moldura. /. (arch.) Moldura; 
nome genérico das diversas 
partes de uní perfil archite- 
ctonico ou ornatos pequenos, 
mais ou menos salientes. 
Emblema, coiiatura, crusta: 
— moldura, caixilho; guar- 
nição de um painel, de um 
quadro: — faíY.j fieira; pe- 
ca de ferro ou aço com um 
orificio no meio, por onde 
os ourives tiram o metal a 
que luio de dar alguma for- 
ma determinada. 

Moldurar, a. V. jSIoldear, 

Mole. adj. MoUc ; suave, bran- 
do ao tacto. Mollis, le: — 
/. mole; volume considerá- 
vel, corpo mui volumoso; 
ás vezes também significa o 
seu peso. violes : — m. mo- 
liie; molde feito em porto 
de mar ou lanço de muro 
grosso a modo de caes, para 
abrigar os navios: — (p. 
Mex.) guiíado de carne com 
tomates, pimentão e outros 
ingredient(?s. Es sn mole 
(fr. p. Mex.); é a sua pai- 
xão, o seu enlevo; ser uma 
cousa mui predilecta, ou de 
especial gosto de alguém : — 
de Adriano (archeol.); mole 
de Adriano; mausoléu do 
imperador Adriano em lío- 
ma, que hoje forma o cas- 
tcllo de S. Angelo. 

Molécula. /. Molécula; partí- 
cula tennissima,, constituti- 
va dos corpos. E mais usa- 
do no pliu'al. 

Molecular, adj. Molecular; 
que pertence ou se refere 
ás moléculas. Atracción mo- 
Iccidar (chim.) ; attracção 
molecular ou corpuscular ; 
a que existe entre as molé- 
culas dos corpos. 

Moledera. /. (fam.) Moideira, 
moimento, canseira, estado 
de pessoa moida, fatigada. 
V. Cansera. 

Moledero, KA. adj. Diz-se do 
que pode moer-se, ou ha de 
ser moido. Molendus, a, um: 
— (ant.) V. Molendero. 

Moledor, ra. s. Moedor ; pessoa 
que moe. Molitor, oris: — 



MOL 

moedor, causticante, secíin- 
te, importuno; que atoi-men- 
ta, molesta. Molestas, a, uin: 
— (ar¿.) moetloi-; instrumento 
de que se usa na construc- 
ção de fogos artificiaos, pa- 
ra reduzir a. pólvora a pó. 
Moledura./. MoeJara. V. -Mo- 
lienda. 
MoLEjA. /. (ant.) V. Molleja. 
Molejón, m. (p. Cub.) Pedaço 
de pedra de amolar, cpie ain- 
da não está armada i)ara 
servir. 
Molendero, ra. s. Moleiro; 
o que dirige o moinho ou 
azenha. Molitoy, oris: — 
moleiro; o que leva o grao 
aos moinhos ou azenhas. Qui 
molitnram ãefert: — choco- 
colateiro; o que moo e fa- 
brica o chocolate. Chocolati 
molitor. 
Moler, a. Moer; reduzir a pú, 
pizando, trilhando. Moleré, 
puloerare, tereré: — (fiO-) 
moer, seccar, amofinai-, caus- 
ticar, molestar, impacien- 
tar; enfadar alguém cuín im- 
pertinencias, com palavras 
enfadoidias. Molestare, ver- 
bis atferere: — moer, pisar; 
cansar, fatigar muito o cor- 
po com trabalho, etc. Atte- 
rere, fatigare: — moer, 
destruir, e-stragar, maltra- 
tar. Atterere, tundere : — V. 
Mascar: — moer, mascar, 
remoer as tintas na pedra 
com a moleta: — (naii.f.) 
correr, jjassar a areia da 
ampulheta de um para ou- 
tro dos seus vasos de vi- 
dro. 
Molero. 9». O que faz ou ven- 
de mós de moinho, 
Molestadísimo, ma. adj. sup. 
de Molestado. IMolestadissi- 
mo. Gravi molestia ajfectus. 
Molestador, ua. s. Molesta- 
dor; o que molesta. Exacer- 
bator, vexator. 
Moles rAMENTE.^OfZi;. m. jMoles- 
tamente; com molestia, in- 
commodo. Moleste, impor- 
tune. 
Molestar, a. jMolestar, mal- 
tratar, incommodar, inquie- 
tar, causar molestia, grava- 
me. Molestia affícerc, ve- 
xa re. 
Molestia./. Molestia; incom- 
modo physico, estado moles- 
to de pessoa. Molestia, ce: 



MOL 

— molestia, enfado, inquie- 
tação. 
Molestísimo, ma. adj. sup. de 
Molesto. Molestissimo. Val- 
de molestas. 
Molesto, ta. adj. Molesto ; que 
causa molestia: — molesto, 
incommodo, penoso, impor- 
tuno; que causa molestia, 
que incommoda. Jfolestiis, 
grauis. 
Moleta. /. dim. de Muela. Mo- 
zinha, mó pequena : — (art.) 
moleta; pedra com que se 
moem tintas sobre urna pe- 
dra larga e lisa, c com que 
os boticarios moem também 
algumas drogas: — moleta; 
instrumento com que os im- 
pressores moem a tinta. 
Moleton. m. (com.) MoUetao, 
estofo pelludo de la, algo- 
dão ou seda, muito macio e 
flexível, de que se fazem ves- 
timentas, e cobertores ou 
colchas. 
MoLEYA. /. (ant.) Uva molar 

ou branda. 
Molí. m. (bol.) Moli; sub-ge- 
nero de plantas da familia 
das liliáceas. 
MoLiEDATO. m. (chim.) Mol}'b- 
dato; sal produzido pela 
combinação do acido molyb- 
dico com urna base salitica- 
vel : — de plomo; molibda- 
to de chumbo; substancia 
de cor amarelia alaranjada, 
de brilho resinoso, que risca 
o gesso, e é riscada pelo 
carbonato de cal; exposta á 
acção do carbónico, derróte- 
se e dá glóbulos de chum- 
bo ; dissolvida no acido ní- 
trico, deixa um residuo. 
MoLip.DENO. m. (art.) V. Cen- 
dra; entre os fundidores: — 
(mili.) molybdeno; metal 
descoberto em 1778 por 
Sebéele, n'um mineral, em 
que se acha no estado de 
sulphureto, e que, até essa 
cjjocha, se confundia com a 
plombagina. 
MoLÍBDico. adj. (cjiim.) Molyb- 
dico; diz-se de um oxydo do 
molybdeno. 
Molicie./. Molleza, brandura; 
o ser molle : — brandura, 
suavidade. JMollities, ei: — 
molleza, frouxidão; estado 
de languidez dos órgãos: — 
molleza; falta de vigor, de 
constancia, de firmeza, de 



MOL 123 

caracter : — excesso de in- 
dulgencia : — molleza, mol- 
licie; delicadeza de uma vi- 
da eífeminada. Muitas ve- 
zes também significa praze- 
res sensuaes, eíFeminados: — 
mollicie, vicio ila masturba- 
ção: — V. Onanismo. 

Molidísimo, ma. adj. svp. de 
Molido. Moidissimo. 

Molienda./. Moedura; a acção, 
o trabalho de moer. Moli tu- 
ra, ce: — moedura; porção 
ou quantidade que se moe 
de Ulna vez. Molitura, te: 

— moenda, moinho; ii'este 
sentido é antiquado em por- 
tuguez: — moedeira, fadi- 
ga, cansaço ou importuna- 
ção que molesta, e também 
se diz do que causa estes 
efi:eitos. Molestia, defatiga- 
tio. 

Moliente, p. a. de Moler. At- 
terens, molens : — y corrien- 
te. V. Corriente. 

Molificarle, adj. Mollificavel; 
que se pode mollificar, 
abrandar. 

Molificación. / Molliíicação; 
acção e efifcito de mollificar. 

Molificante, adj. Mollificante; 
que mollifica. Moliens, e?i- 
tis. 

Molificar, a. Mollificar, amol- 
lecer, abrandar. Mollire, 
mollificare. 

MoLiFicATivo, VA. odj. Mollifi- 
cativo; que mollifica, que 
tem virtude de mollificar. 

Molimiento, m. JMoedura; ac- 
ção de moer. Molitvra, ce: 

— moimento, moedeira, fa- 
diga, cansaço, estado de pes- 
soa moida, fatigada. Defa- 
tigafio, onis : — moedeira, 
molestia, enfado. 

Molina./, (comm.) Molina, lã 
de Molina de Aragão. 

i\roLiNAR. m. (ant.) Sitio onde 
estão moinho?. 

MoLiNEDiA. /. (bot.) Molline- 
dia; genero de plantas da 
familia das monimiaceas. 

MoLiNEJo. m. dim. de Molino. 
Moinhosinho. 

jMolinera./. Moleira; mulher 
do moleiro. 

I\Í0LiNEKÍA. /. (Irupo, reunião 
de inoinhus. 

Molinero, ra. adj. Do moinho, 
pertencente ao moinho, e 
também se diz de qualquer 
cousa para se moer. Molen- 



124 



MOL 



dinarius, a, tim : — m. mo- 
leiro; o que dirige o moi- 
nho e trabalha n'ellc. Mo- 
letrince institor, molendina- 
rius. 
Molinete, m. cUm. de Molino. 
Moinhozinho, moinho peque- 
no. Exicfuum molendinum : 

— moinlio de papel, brinco 
de rapazes : — ronda ; cir- 
culo que nas dausas cha- 
madas quadrilhas furmam 
os dansadorcp, dando nsmaos 
e girando em differentes di- 
recções: — ventilador mohil, 
redondo, de folha de Flan- 
dres, que se adapta conve- 
nientemente ás vidraças das 
habitações, renovando con- 
stantemente o ar interior 
sem necessidade de as abrir: 

— molinete; peça de pau ou 
ferro em forma de cruz ho- 
risontal, que se põe nas en- 
tradas dos passeios públicos, 
alamedas, etc., para impedir 
que entrem cavalgaduras: 

— sarilho ; exercício gym- 
nastico que consiste cm dar 
voltas sobre o trapézio, col- 
locando se o pau d'este atra- 
vessado entre as costas e os 
braços: — (nav.t.) bolinete; 
especie de cabrestante lio- 
risontal com que se suspen- 
dem as ancoras nos navios 
pequenos, collocando-o á 
proa: — bolinete; machina 
composta de um grande cy- 
lindro horisontal com va- 
rios furos, onde encaixam 
umas barras que servem de 
alavancas para lhe dar mo- 
vimento sobre o seu eixo; 
serve nos navios para o mes- 
mo fim que o cabrestante: 
— (mil.) molinete; movimen- 
to no manejo do sabre ou da 
lança, que consiste em cor- 
tes cruzados e repetidos. 

MoLiNiA./. (Ijot.) Molinia; ge- 
nero do plantas da familia 
das gramíneas. 

Molinillo, m. dim. de Molino. 
Molinilho; moinho pequeno 
de moer café, cacau, etc. 
Mola tmsafilis: — molini- 
lho; pau de bater e diluir o 
chocolate dentro da choco- 
lateira. Crenatus fflobnhis 
gracili hacillo trusatilis: — 
guarnição que se usava an- 
tigamente nos vestidos. i^Lo- 
linillo, casado te veas, que 



MOL 

asi rabeas (rif.); cas«jrás e 
amansarás. 

MoLiNisMO. m. (rei.) Molinismo ; 
opinião de Molina, theolo- 
go hespanhol, sobre a graça. 

MoLiJvisTAS. m. pi. (rei.) Moli- 
nistaa; sectarios do molinis- 
mo. 

MoLiNiTO. m. diin. de Molino. 
Moinhosinho. 

Molino. //;. Moinlio; engenho 
de moer, por força de cor- 
rente ou queda de agua, de 
vento, de auiinaes, etc. Ab- 
solutamente entendfi-se por 
moinho de moer pàes. Mo- 
lendinum, i : — moinho; qual- 
quer machina disposta para 
triturar alguma cousa. Mo- 
lendiauvi, trapetnm, pistri- 
num: — (fig-) azougue; pes- 
soa muito viva, inquieta, 
buliço-a. Vir instar molce 
versatilis : — moedor ; pessoa 
importuna, que atormenta, 
molesta. Molestits, i: — 
(fam.) moinho; a boca, por- 
que n'ella se moe a comida. 
Os pistrinai officio fanrjens: 

— (germ.) tormento, tortu- 
ra, tratos: — arrozero: moi- 
nho para descascar o arroz, 
o qual tem a mó forrada de 
cortiça: — de sangre; moi- 
nho movido a braços ou pe- 
los motores aniniaes. IMola 
qum animalium opere versa- 
tur: — de viento; moinho 
de vento. Mola allata : — 
de café; moinho ou molini- 
lho de café: — de chocolate; 
moinho ou molinilho de cho- 
colate; machina para moer 
o cacau e formar a massa 
do chocolate: — de. papel; 
moinho de pnpol; o que ser- 
ve para reduzir o trapo a 
masía: — harinero; moli- 
nheira; atafona, moinho de 
moer grão. Chama-se-Ihe 
geralmente acena, azenha, 
quando é movido pela agua : 

— de aceite; moinho ou la- 
gar do azeite. Ir ai molino 
(fr.J; convir, ajustar-se duas 
ou mais pessoas para obrar 
contra alguém, especialmen- 
te ao jogo. Enaguarse el mo- 
lino (fr.) V. Enaguarse, lle- 
var el agua á su molino 
(fr.); levar a agua ao seu 
moinho; procurar ou con- 
verter uma cousa em utili- 
dade própria pela sua in- 



MOL 

dustria. Traer ó tener pica- 
do el molino (fr. fig.); ter a 
barriga a dar horas, ter fo- 
me ou rafa. C'o7i agua j>a- 
sada no muele molino (rif.); 
com agua passada nao moe 
o moinho. 
MoLÍPEBo, DA. adj. Mollipede; 
que tem os pés mollas ou 
brandos. 
MoLÍTiDos. m. pl. (::ool.) Moly- 
tidos; secção de insectos co- 
leópteros tetrámeros da fa- 
milia dos curculiónidos. 
jSIolitivo, va. adj. V. Molifi- 

cativo. 
MoLOERo. m. (zool.) Mol obro; 
genero de insectos dípteros 
da tribu dos tipularios: — 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos carabicos. 
MoLoco. írt. (zool.) Molocho; 
genero de reptis saurios da 
familia dos agamios. 
Molondro, Molondrón, m. Mo- 
langueiro , molangueirào , 
n'olle, preguiçoso, inerte. 
Deses, hehes. 
MoLONGA. m.. Molonga; sacer- 
dote do Coniro. 
I\ÍOLOPE, m. (zool.) Molope ; sub- 
género de insectos coleópte- 
ros pentamcros da familia 
dos carabico?. 
MoLOPOSPERMo. m. (hot.) Molo- 
pospermo ; genero de plan- 
tas da familia das umbelli- 
feras. 
MoLÓPSinA. /. (r.ool.) IMoloiisi- 
da; genero de insectos co- 
leópteros pentnmeros da fa- 
milia dos carabicos. 
MoLosiAMBO. m. (poct.) Molos- 
sojambo; pé métrico compos- 
to de um molosso e nm 
jambo. 
MoLÓsico, CA. adj. Molossico; 
pertencente aos molossos : 
— (poei. ant.) molossico; diz- 
se de um verso grego ou 
latino, cujos pés são todos 
molossos. 
MoLOSo, SA. s. (ñ-nt.) Molosso; 
habitante da Molossia: — 
7??. pl. rnolossos; antigo povo 
do Epiro: — m. (poet.) mo- 
losso; pé mctrieo que consta 
de tres syllabas longas. Pes 
molossus: — (Itist. ant.) mo- 
losso; especie de cão que os 
antigos empregavam na ca- 
ça e na guarda dos reba- 
nhos : — (zool.) molosso; ge- 



MOL 

ñero de mammiferos cheiro- 
ptorop, da divisño dos ves- 
pertiliónidos. 

MoLPADiA. /. (zool.) Molpadia; 
frencro deechiuodennes apo- 
das. 

MoLSA. /. fant.) Là ou penua 
para eiiciier colciiues. 

MoLTOLiNA./. (comm.) Pella de 
cordeiro vinda do Levante. 

Moltura. /. (p. Ar.) V. Ma- 
quila. 

MoLUQo. m. (bot.) Sf(.)l 112:0; ge- 
nero de plantas da familia 
das por tu laceas. 

MOLUJINEAS. /. J)l- (bot.) Molu- 

gineas; tribu de ])lantas da 
familia das portulaceas. 

MoLÚRiDE. m. (zool.) Muluride 
(triste); genero de insectos 
coleópteros heteromeros. da 
familia dos melasomos. 

Moluscos, m. pl. (zool.) Mol- 
luicos; grande classe de 
animaes invertebrados de 
corpo moUe, symetrico, sem 
esqueleto interior nem arti- 
culações. 

!MoLVA. /. V. Lota. 

Molla./. Polpa-, parte molle 
das carnes: — (p. Mure.) 
miolo de pao. Pañis me- 
dulla. 

MoLLAii. 7n. Moilali; doutor, 
sacerdote que a certas horas 
faz as preces nas mosqui- 
tas: — raollah; titulo de 
uma alta digniílade eccle- 
siastica entre os turcos. 

Mollar, adj. Molar, fácil de 
partir; dizse ordinariamen- 
te das amêndoas ou caroços, 
cuja casca nao é dura ou 
rija. Mollis, le: — diz-sc 
da, carne magra c sem osso. 
Exos caro: — (fig) mina; 
emprego lucrativo, cousa 
que dá muita utilidade com 
pouco trabaltio. Exo.-!, ofis : 
— simplório, credu.lo; fácil 
de enganar ou de persuadir. 
Mollis, fac.ilis : — carnudo; 
diz-se de toda a fructa gar- 
rafal, especialmente das gin- 
jas: — jil. certa dansa pecu- 
liar da Andaluzia. 

MoLLE. m. (bot.) Molle; arvore 
frondosa^ e corpolenta de 
Quito. É uma Oípocie do 
genero schino. 

MoLLEAit. n. AmoUecer, abran- 
dar, fazcr-se mole, tornar-se 
brando, dobrar-se uma cousa 
por ser branda ou flexível, 



IMOL 

ceder á força, á pressão. 

MoUesceve. 
Molledo, m. Polpa ; parte car- 
nosa e redonda de algum 
membro, espocialmoiite dos 
braços, coxas e barrigas das 
pernas. Pars carnosa mcnt- 
brorum corporis: — miolo 
de pão. 
Molleja. /. Molleja; especie 
de glándula carnosa, que se 
forma em varias parteí do 
corpo do animal. Glans car- 
nea vcl tjlavdula : — moela ; 
terceiro eidomago ou buxo 
das aves, no qual fazem a 
ultima digestão. Avinm ven- 
tricvlus: — nome vulgar de 
uma especie de carnosidade, 
formada as mais das vezes 
pelo infarte de urna glándu- 
la cm difterentes partes do 
corpo do anima! : — glándu- 
la que o gado vaccum tem 
na parte inferior do pesco- 
ço : — (fam.) V. Pestorejo. 
Criar molleja (fr.fi'j.); criar 
gordura ; começar a fazer-se 
ocioso, preguiçoso. Plgrum, 
inerte, n fieri. 
jMoLLEjrcA, LLA, TA. /. dim. dc 

Molleja. 
Mollejón, m. angra, de Ivlnlle- 
ja. Grande molleja. Glans 
grandior: — V. 2tíolledo: — 
(fig.) molangueirào; homem 
mui gordo e molle, ou mui 
l)rando de genio. Crassiis 
homo, mollisqiie: — V. Mol- 
ledo. 
IMoLLEJCELA. /. dim. de Molle- 
ja. Molleja pequena. Graci- 
lior glándula. 
Mollentar, a. (ant.) V. Amo- 
llentar. Usa-se também como 
reciproco. 
MoLLEHA. /. (fam.) Molieira; a 
parte mais alta do casco da 
cabeça, junto á sutura co- 
ronal. Sinciput, capitis vér- 
tex mollior, hrerjma. Cerra- 
do de mrdlera; duro do cas- 
co; licmem rude, de curta 
intelligencia ou cnpacidaue. 
liudis, insipievs. Cerrar la 
mollera, ó tener cerrada la 
mollera, ó cerrarse la mo- 
llera (fr.); fechar ou fechar- 
se a molleira; endurccer-se 
os ossos parietaes, ossiücar- 
sc a sutura coronal, que nas 
creanças é muito branda. 
Sincipitis ossa firmari, ob- 
durescere ; — (fig-) ter caco, 



MOL 125 

cliegar a ter juízo. Pru- 
dentiâ jam prceditum esse. 
Ser duro de mollera (fr.); 
ser duro do caco, cabeçudo; 
ser pertinaz, teimoso, obsti- 
nado. Pertinacem esse vel 
diirurn : ser duro de cabe- 
ça; rude, para aprender, fal- 
to de intelligencia. lindem 
esse. Tener ya dura la mo- 
llera (fr.); ter já dura a ca- 
beça; não estar já em esta- 
do de aprender. Dariorem 
esse ceram si gil lo. 

MoLLERADA. /. GoI])e na mol- 
leira. 

Mollero, m. V. Molledo, do 
braco. 

Mollerón, rn. (¡jerm.) Capace- 
te de í\eo, 

Jíollescer. a. (ant.) V. Ablan- 
dar. 

MolleSciente. adj. (ant.) Mol- 
lificante; que amollece, 
abranda. 

'Mohi.v.TA. f.V.Desjxdjiladeras: 

— torta ou pao de flor de 
farinha, algumas vezes amas- 
sado com leite. Libum molle: 

— (prnv.) pào negro, ordina- 
rio, de inferior qualidade. 

MoLLETu. m. Pào mollete, mol- 
le, miuioso, fino e de peque- 
no volume. Exiguus ¡^(^nis 
mollior:— (prov.)Y. Mo- 
lledo: — bochecha gorda e 
redonda. Bucea, o?. 

]\Í0LLETL-D0, DA. adj. Bochecliu- 
do; que tera grandes boche- 
ch.as. 

:Mollez. /. (a7it.) ]Molleza; o ser 
molle," brando, suave ao ta- 
cto:— f/fy-j molleza, molli- 
cie, effeminaçào, delicadeza, 
faltn de forças, de vigor: — 
fant.) V. Molicie, no senti- 
do de masturbação. 

Molleza./. (ant.) Molleza, mol- 
lidào. V. Blandura. 

ídoLLicio, CL\, adj. (ant.) Mol- 
le, brando, tenro. 

Mollioüra. /. (ant.) Mollídura. 
V. Blandura. 

Mollificar, a. (ant.) V. Moli- 
ficar. 

Mollina. /. Mollinha, chovis- 
co; chuva miuda. Tennis plu- 
via. 

MoLLiNiTA. /. dim. de Molli- 
na. Mollinha ;;_ligeira, muí 
branda. 

Mollir. a. (ant.) V. Amollen- 
tar. 

Mollizna. /. V. Llovizna. 



126 



MOM 



Molliznar, Molliznear, n. 
Mollinhai-jChoviscar; chover 
miudo, Tenuitcr phiere. 

Mollura. /. (ant.) 3Iollura cu 
mollidurii, mulleza.V. Blan- 
dura. 

MoM. m. ]\roin; especie de cor- 
veja muito forte que se fa- 
brica na cidade de Bruns- 
wick e em suas ¡mmedia- 
cues. 

MomentÁneamkxte. adc. m. Mo- 
mentaneamente, passageira- 
mente: — momentaneamente; 
por um momento ou instan- 
te, em um momento: — mo- 
mentaneamente, brevissima- 
mente, sem demora alguma. 
Momentaiit. 

Momentáneo, nea. adj. Momen- 
tâneo, instantâneo; que du- 
ra um momento. 2Iome:üa- 
iieus, a, um: — momentâneo, 
instantâneo; que se executa 
promptamente. Mnmenta- 
neits, a, um: — momentâ- 
neo, ephemero, instantâneo, 
fugaz, breve. 

Momento, m. Momento; míni- 
mo espaço em que se divide 
o tempo. Momeiãum, i: — 
momento, peso, importancia, 
valor, consideração; como: 
cosa de poco momento; cou- 
sa de pouco momento. J/o- 
mentum, i: — momento; bre- 
ve espaço de tempo, tempo 
mui curto relativamente ao 
assumpto de que se trata: 
— (medi.) momento; força 
motriz, potencia de um cor- 
po em movimento, quanti- 
dade do movimento ou pro- 
ducto da massa multiplicada 
pela velocidade: — (mech.) 
momento; quantidade de 
movimento que um corpo 
toma no primeiro instante, 
quando acaba de perder 
o equilibrio: — (mech.) mo- 
mento; em statica, producto 
de uma potencia multipli- 
cada pelo braço da alavanca 
ou fulcro, ou, em outros ter- 
mos, pela distancia da sua 
direcção ao ponto de apoio. 
Momentos de inercia (mech.) 
V. Fuerza de inercia : — 
(math.) momento; quantida- 
de infinitamente pequena. 
Por momentos (loc. adc); 
por momentos, a cada mo- 
mento ou instante, successi- 
va e continuamente, sem in- 



MOM 

termissào. Singulis momen- 
iis, continuo. Al momento 
(loc. adv.); em um momento, 
n'um instante, immediata- 
raente, logo, sem demora. 
Illicò, sfatim, con festim. A 
cada momento (loc. adc); a 
cada momento, por momen- 
tos, a cada instante, conti- 
nuamente, sem cessar. Con- 
tinuo. En el momento (loc. 
adv.); em um momento, em 
um instante, promptamente, 
brevemente, mui depressa. 
Por algunos momentos (loc. 
adv.); por alguns momentos, 
23or um tempo mui curto e 
breve. Ser cosa dei momen- 
to (fr.); ser cousíi de momen- 
to, de fácil execuç.ào; ser 
cousa de momento; de indis- 
pensável execução, o mais de- 
pressa possível. 2'ener mo- 
mentos felizes (fr.); ter mo- 
mentos felizes; fallar ou 
obrar com acerto, sciencia e 
destreza em determinadas 
occasiões. 

Momería. /. Momice, gestos, 
tregeitos, visagens; acções 
brulescas. Scurrilitas, atis. 

Momia. /. Momia ou múmia; 
cadáver embalsamado á ma- 
neira dos egypcios. Cada- 
ver pissasphalto condimen- 
taria servatum: — (fig.) mú- 
mia; pessoa magra e secca, 
e também a indolente, in- 
sensível, sem actividade: — 
(comm.) múmia; especie de 
betume que vem da Pérsia: 
— múmia; droga ou compo- 
sição viscosa, feita do betu- 
me e do pez que se encontra 
nas montanhas da Arabia, 
que os naturaes empregam 
para embalsamar os cada- 
veres. Os naturaes cliamam- 
Ihe cera mineral. 

Momio, mia. adj. Descarnado, 
magro, secco, falto de car- 
nes. Exos caro : — m. (vnlg.) 
mina; cousa útil, proveitosa 
ou rendosa, obtida sem tra- 
balho. 

Momo. m. Momo, momice; ges- 
tos mímicos, visagens, tre- 
geitos ridículos, figuras gru- 
tescas. Momus, mimus. Ha- 
cerse momo (fr.); ter sem- 
pre as cartas ao jogo, ser 
sempre banqueiro, etc. Ha- 
cer momos a una mujer (loc. 
fam.); fazer momos, a corte 



MON 

a uma mulher, arrastar-lhe 
a aza, galantea-la. 

^Iomókdica, ^íomórdig a./, (iof.) 
Momordíca; genero de plan- 
tas da família das cucurbi- 
táceas, a que pertence a bal- 
samina ou melindre. 

MoMOT. m. (zool.) Momot; ge- 
nero de aves syndactylas, da 
ordem dos pássaros. 

Momperada. /. Panno de là fi- 
na. Lanea tela nitidior. 

Mona. /. (zool.) Mona; fêmea 
do mono : — (fam.) mona, ca- 
belleira, bebedice, embria- 
guez, borracheira. Ebrietas, 
atis: — (fam.) borrachica, 
borracho, homem bêbado. 
Ebrius, ii: — mona; especie 
de reforço ou peça defensi- 
av que os picadores de touros 
pòem na perna direita por ser 
a mais exjwsta aos golpes 
do animal: — s. (j). Mex.) V. 
Gallina, significando cobar- 
de: — s. (fam.) macaco; pes- 
soa que faz as cousas só por 
imitação. Simius, ii. Hacer 
monas a alguno (fr.); fazer 
peças a alguém; zombar 
d'elle. Hecho un a mona (loe); 
corrido, envergonhado. Pil- 
lar una mona (fr. fam.); pi- 
lhar uma mona, uma bebe- 
deira, embriagar-se. Ine- 
hriari. Ponerse la mona (fr. 
fam. p. Mex.) Y. Pillar una 
mona. 

Monacal, adj. Monacal; de 
monge, de frade. Monacha- 
lis, le. Escritura monacal; 
escripia gothica moderna, 

Monacalmente. adv. m. iMona- 
cal mente; de um modo mo- 
nacal, como monge. 

I\IoNACATO. m. Monacato; esta- 
do monacal. Monachalus, i. 

Monacillo, m. Menino do coro. 

MoNACouDio. m. Monacordio 
ou monocordío; instrumen- 
to musico de corda de me- 
tal com teclado. Monachor- 
dum, i. 

Monada. /. Monada, monaría, 
macaquice; gesto mímico e 
affectado, visagem de mono 
ou macaco. Mimus, gestus : 
— V. Monería: — bugiaria; 
cousa, objecto de pouco va- 
lor, mas curioso e bem aca- 
bado. 

I^Iónade. /. (philos.) Mónada; 
termo empregado por Leib- 
nitz para exprimir um ente 



MON 

simples e indivizivel: — mó- 
nada; unidade perfeita que, 
segundo os pythagoricos, 
contéui o espirito e a mate- 
ria sem divisão alguma. A 
mónada de Pythagoras é o 
mesmo Deus: — (zool.) mo- 
nada; genero de infusorios 
microscópicos, caracterisa- 
dos por terem o corpo gela- 
tinoso. 

MoNADELFiA. aclj. (hot.) Moua- 
delpbia; decima sexta classe 
do systema sexual de Lin- 
neo. 

MoNADENiA. /. (hot.) Monadc- 
uia (glándula só); genero de 
plantas da familia das or- 
chideas. 

MoNADisMO. m. (philos.) Mona- 
dismo; systema que suppõe 
o universo composto de mó- 
nadas. 

MoNADisTA. m. (pililos.) Mona- 
dista; partidario do mona- 
dismo: — adj. monadista; 
pertencente ao monadismo. 

MoNADOLOJÍA. /. Monadologia; 
doutrina de Leibnitz sobre 
a natureza geral dos seres. 

Monago. in. V. Monagidllo. 

MüNAGON. s. (ant.) V. Muclia- 
cho. 

MoNAGuiLi.0. m. Acolitosinho, 
rapazinho que ajuda á mis- 
sa e faz outros serviços do 
altar nas igrejas e conven- 
tos. Parvus minider, altaris 
cerifer. V. Monacillo. 

MoNANDKiA./. fio^.jMonandria ; 
primeira classe do systema 
sexual de Linneo, caractcri- 
sada por um só órgão ou cs- 
tame. 

MONANDRO, DRA. üdj. (bot.) Mo- 

nandro; diz-se das plantas 
que têetn um só estame. 

MoNAQuisMO. jn. Monacliismo; 
vida monástica, estado mo- 
nástico de monges, frades. 
Monachismus , monachorum 
ordo, vita : — monachismo ; 
diz-se para denotar uma es- 
pecie de desprezo das insti- 
tuições monásticas em geral, 
especialmente quando se tra- 
ta da sua influencia politica 
ou civil. 

Monarca, m. Monarcha; cliefe 
que governa monarchia, úni- 
co imperante, que reina só, 
que concentra em si o poder 
legislativo e executivo. Mo- 
narcha, ce. 



MON 

MONARCOLATRÍA. /. (uCol.) Mo- 

narcholatria; adoração dos 
reis, muito praticada pelos 
antigos povos da Asia: — 
(neol.) monarcholatria; diz- 
se por desprezo da opinião 
dos monarchicos. 

MoNARDA. /. (bot.) Monarda; 
genero de plantas, o mais 
considerável da familia das 
labiadas. 

MoNÁRDEAs. /. pl. (bot.) ]\Ionar- 
deas; tribu de plantas da 
familia das labiadas. 

Monarquía. /. ^lonarchia; es- 
tado ou reino governado por 
um monarcha. Monarchia, 
ce: — monarchia; governo 
monarchico. Monarchia, le: 
— monarchia; diz-se em sen- 
tido mais lato d'aquelles es- 
tados, cujo chefe se chama 
rei ou imperador e tem o po- 
der executivo e parte mais 
ou menos directa nos demais. 

Monárquicamente, adv. m. Mo- 
narchicamente; de um modo 
monarchico: — monarchica- 
mente; segundo a monar- 
chia. 

Monárquico, ca. adj. Monar- 
chico; que respeita oa per- 
tence a monarcha ou á mo- 
narchia. Monarchicos, a, um: 
monarchico; que é governa- 
do por um monarclia: — m. 
monarchico; partidario da 
monarchia, pessoa atl'ecta a 
esta forma de governo: — 
m. pl. (rcl.) monarchicos; 
hereges de uma seita for- 
mada no anuo 19G, que re- 
conheciam uma só pessoa 
da Santíssima Trindade. 

Monarquismo, m. Monarchis- 
mo; S3'stema, opinião dos 
partidarios da monarchia 
pura. 

Monasa. /. (zool.) Monasa. V. 
Barbacú. 

Monasterial, adj. Monástico; 
pertencente ao mosteiro. 

Monasterianos. m. pl. (zool.) 
V. Munsterianos. 

Monasterio, m. Mosteiro, con- 
vento; casa de monges ou 
freiras. Cceitobiuin, monasfc- 
rium : — qualquer casa de 
religiosos ou religiosas; diz- 
sc ás vezes cm sentido mais 
extenso. 

Monásticamente, adv. m. Mo- 
násticamente; segundo a re- 
gra monástica. Monastice. 



MON 127 

Monástico, ca. adj. Monástico; 
que respeita a monges ou a 
mosteiro. Monasticiis, a, um. 

Mónastico-gótico, ca. adj. V. 
Monacal, ua segunda acce- 
pção. 

MoNAzo, SA. s. aug, de Mono e 
Mona. Grande mono ou 
mona. 

MoNATARio. m. (ant.) V. Mone- 
dero. 

MoNCLURA. /. (ant.) Guarnição 
de uma arma defensiva. 

Moncha. /. (ant.) V. Monja. 

MoNcuE. m. (ant.) V. Monje. 

Monda. /. Monda : — limpa, 
limpeza das arvores, cortan- 
do-lhes os ramos seceos ou 
supérfluos. Também se es- 
tende o seu sentido a qual- 
quer outra limpa. Ptirgatio, 
mundatio: — tempo da limpa 
das arvores. V. Monadura. 
Mundationis arborum tcm- 
2)estivitas : — exhumaçào de 
ossos que de tempos a tem- 
pos se fazia nas jjarochias 
de Madrid, quando se en- 
terravam no seu recinto os 
íieis defuntos: — j)l. festas 
em honra da Virgem, cele- 
bradas com muita solemni- 
dade na cidade de Talave- 
ra: — (p. Cnb.) surra, tunda 
de açoutes. Seco de mondas 
(ant.); secco de carnes. 

MONDADIENTE , MONDADIENTES . 

9í?. Palito; alimpador, es- 
gravatador, mondador dos 
dentes; instrumento de pau 
ou metal para limpar ou 
esgravatar os dentes. Deu- 
tis scalprum. 

Mondador, ra. s. i\Iondauor; o 
que monda ou alimpa as 
arvores, arbustos, etc. Man- 
dans, antis. 

Mondadura. /. Mondadura, 
• alimpa ou limpa; acção do 
mondar ou de alimpar as ar- 
vores. Mundatio, onis : — 
restos, despojos, cascas, des- 
perdicios das cousas que se 
mondam on limpam. Usa-sc 
mais no plural. Fufamen, 
mundamen. 

MoNDAOREjAs . VI. Alimpador 
das orelhas, esgravatador, 
mondador dos ouvidos; in- 
strumento para limpar ou 
esgravatar os ouvidos. Au- 
riscalprum, i. 

Mondar, a. IMondar, limpar, 
purificar alguma cousa, ex- 



128 



MON 



purga-la, faze-la limpa. 
Mundare, purgare: — des- 
cascar, escascar a friicta, 
tirar-lhe a ca.-:ca. Decoriica- 
re, imtamim inundare, pnr- 
gamenfa radere: — tosquiar, 
cortar o cabello. Tondcre, 
eradere pilam: — (Jw-) 
alimpar, limpar algucm do 
dinheiro ou de alguma ou- 
tra cousa; roubar- Ih' a. Nuin- 
mos detrahsre: — (p. Cub.J 
V. Azolar. 
Mondejo, m. Kecbeio do bu- 
cho do porco ou do carnei- 
ro. Farciracii majori intes- 
tino. 
MoNDiNA. /. (min.) Moudina; 
substancia pétrea que se en- 
contra nas minas de esta- 
nho. 
Mondo, da, adj. ]Mundo, lim- 
po, acciado, purificado. Mun- 
diis, a, um: — y lirondo 
(loe. fain.J; bem limpo, lim- 
po e relimpo. Furus, pnlus. 
MoNDoxGA. /. (fam.) Mondon- 
gueira; nome que se dá por 
desprezo ás creadas de ser- 
vir. Faiiinla culinaria. 
Mondongo, to. Mondongo; in- 
testinos G miúdos de rcz ou 
de porco, e especialmente de 
carneiro; comida da classe 
pobre. Intcsfinii, oram: — 
carne para ensacar, isto é, 
para encher paios, chouri- 
ços, etc. 
MoNDONGUEiio, EA. s. SFoudon- 
gueiro, tripeiro; o que ven- 
de mondongo, tripas, etc. 
Botellarius, hoíidlarius. 
MoNDOKGUiL. udj. (füm.) Pcr- 
tencente ou relativo ao mon- 
dongo. BotaUarius, a, um. 
MoNEAK. n. (fam.) Macaciuear: 
fazer monarins; — r. (oulg. 
e prov.) mangar, caçoar, pe- 
tear, zombar. 
Moneda, f. Moeda; peça de oi- 
ro, prata ou qualquer outro 
metal, cunhada com effigie, 
armas ou outro lavor, cujo 
valor é determinado pelo 
chefe ou chefes do estado, 
Moncta, oi : — ifa"i.) di- 
nheiro. Nummi, pecunia: — 
(ant.) tributo em dinlieiro: 
— amonedada ; dinheiro, 
numerario effectivo : — cor- 
riente; moeda corrente; a 
legal e usual, JSÍonefa corn- 
munis: — cortada; moeda 
cortada; a que não tem cor- 



MON 

dào ou serrilha: — de cuen- 
ta. V. Moneda imaginaria: 

— de soplillo; moeda de co- 
bre de pouco valor que hou- 
ve cm Castella no tempo 
de Filippe IV. Nummus le- 
vissimus: — de vellón; moe- 
da de cobre. Aílrea moucia: 

— efectiva; moeda eüecti- 
va, moeda de que existem 
peças correntes no commer- 
cio: — falsa; moeda falsa; 
diminuta no peso ou no va- 
lor intrínseco : — forera 
(ant.); tributo que se paga- 
va ao rei de Hespanha, de 
sete em sete anuos: — ima- 
jinaria; moeda iniiiginaria; 
moeda que nunca existiu ou 
já nào existe na realidade, 
mas que foi inventada ou 
conservada para facilitar as 
contas, formando-a.s con.-ítan- 
temente sobre uma base cer- 
ta o invariável: — obsi- 
dional; moeda obsidional; 
entre os romanos era a moe- 
da que SC cunhava cm al- 
guma praça sitiada, c cor- 
ria somente durante o asse- 
dio. Moneta obsidionalis: — • 
sonante ó metcdica; metal 
sonante; dinheiro de conta- 
do: — suelta; miúdos, di- 
nheiro miúdo; varias moe- 
das inferiores e de valor es- 
Ciísso: — larga (com.); va- 
lor que se dá á mucda de 
tres por cento, á maneira 
do banco de Bolonha: — 
negra; moeda imaginaria 
que se usa em Ratisbona e 
Baviera para pagar os car- 
gos públicos; a corrente cha- 
ma-se branca. Alterar la mo- 
neóla (fr.); nuidar a moeda; 
altcrar-lheovalorintrinseco, 
augmentando a ligi ou sub- 
stituindo metal inferior. Rei 
monetarice a'stimationem ini- 
mutare. Batir moneda (fr.); 
bater, cunhar, fabricai- moe- 
da. Monetam cudere. Buena 
moneda; moeda corrente, di- 
nheiro em oiro ou prata. Cor- 
rer la moneda (fr.); currer 
a moeda; passar sem difi- 
culdade no conunercio. Mo- 
9/,etarn asitatani esne, usu re- 
ceptam esse: haver abun- 
dancia de dinheiro no publi- 
co. jMonetam^ ahandarc. La- 
brar moneda (fr.); lavrar, 
cunhar, bater moeda. No ha- 



MON 

eernos moneda falsa (fr.); 
nào fazemos moeda falsa; 
diz-se para manifestar a al- 
guém que nào ha inconve- 
niente em ouvir o que se 
e-ítá dizendo ou tratando. 
Nihil auditu iudignnm lo- 
quimur. pagar eu buena 
moneda (fr.); dar plena sa- 
fisfaçào cm qualquer mate- 
ria. Ad., cerpium solvere. Pa- 
gar en la misma moneda (fr. 
Jig.); pagar na mesma moe- 
da; retribuir igualmente, 
executar alguma acção em 
correspondencia ou vingan- 
ça de outra similhante. Par 
j)ari referre. Casa de la mo- 
neda; casa da moeda; edi- 
ficio onde se cunha a moe- 
da. Papel moneda; jmpel 
moeda. V. Papel. 
MoNEDAjE. m. rsloedagem ; di- 
reito (¡ue se paga pela fa- 
bricação da moeda: — tri- 
buto de doze dinheiros por 
libra, estabelecido por D. Pe- 
dro II de Hespanha sobre os 
bens moveis c de raiz. 
BIoNEDAii, Monede AR. a. V. /Imo- 

nedar. 
Monedera. /. (ant.) Matraca 

para chamar ás matinas. 
Monedería. /. Ofiicio de moa- 

dciro. 
Monedero, m. Moedeiro; o que 
traballia na fundição, cunho 
e lavor das moedas. Alonetoi 
cKSor, monetarias : — falso; 
moedeiro falso; o que faz 
moeda falsa. 
JIonedilla, ta. /. dim.. de Ãío- 
neda. Moedinha, moedasi- 
nha. 
MoNBMERON. 7». (phonn. ant.) 
Monemeron; nome dado a 
certos collyriop, aos quaes s3 
attribuia a propriedade de 
curar as doenças dos olhos 
no espaço de um dia. 
MoNEXTELO. m. (bof.) Monente- 
lo; genero de plantas da fa- 
milia das com¡)ostas. 
Monería. /. Macaquice; ges- 
tos, ademanes ou acção en- 
graçada das creajiças : — 
bugiaria, bagatella, cousa 
fui i i e de pouca importan- 
cia. Jies futilis : — brinco, 
bonito, dixe jnúmoroso, bem 
acabado. 
MoNERON. TO. (num. ant.) Mo- 
nerom ; antiga moeda fran- 
ceza de cobre. 



MON 

Monesco, ca. aclj. (fam.) Diz- 
se do que é próprio dos mo- 
nos ou macacos, ou pareci- 
do com as suas monarias. <S'í- 
mice proprius, vel simiam 
refereus. 

MuNESTERIAL. ttclj . (üllt.) V. Mo- 

nasterial. 

MoiíESTEiuo. í??. fanf.J Y. Mo- 
nasterio. 

Monetario, m. Monetario; col- 
lecçào de moedas e meda- 
lhas de diversos tempos e 
logares. Monetarium, ii: — 
monetario; estantes ou cai- 
xas ou quaesquer outros mo- 
veis em que estào collocadas 
por ordem moedas e ineda- 
Ihas. Monetarium, ii: — 
monetario ou gabinete nu- 
mismático. J}Jonetarium, ii : 
— casa onde se conservam 
devidamente colladas as se- 
ries das moedas e medalhas. 
Monetarium, ii: — adj. mo- 
netario; pertencente ou re- 
lativo á moeda. 

MoNFÍ. m. Nome que se appli- 
cou em Hespanha a certos 
mouros que viviam do rou- 
bo, da pilhagem. 

Monga./. (ant.J V. Monja. Ho- 
je é palavra pertencente ao 
dialecto gallego. 

Mongibel, Mongibelo. m. (ant.) 

V. Infierno. 

MoNGOjA. /. (prov. ant.) Nome 
que se deu em Catalunha á 
ordem militar de Monte Gáu- 
dio. 

Mongol, adj. V. Mogol. 

MoNGu. m. (zool.) Mongu ; sub- 
género de mammiferos qua- 
drnmanos do genero maki. 

MoNiA. /. (ant.) V. Monja. 

MoNiATo. VI. ílaiz comestível 
de que fazem em Cartagena 
da índia um pão incorruptí- 
vel e de muito alimento. 

Monicaco, m. (fam.) Manicaca ; 
nome que se dá por despre- 
zo aos rapazes e aos homens 
de pouca consideração. 

Monición. /. Admoestação, ad- 
vertencia, reprehensão que 
se dá a um clérigo para se 
emendar nos seus costumes ; 
publicação de uma monito- 
ria. Mnnitio, onis. 

Monico, ca, llo, ixa, to, ta. 

VI. dini. de Mono e Mona. 
jMoninlio, moninlia, monosi- 
nho, monasinha. 

Monicongo, vi. (fam.) Boneco, 
17 



MON 

chochinhas, homem peque- 
no. V. Muñeco, n'este sen- 
tido. 

Monicha. /. (a7it.) V. Monja. 

Monigote, vi. (vuly.J Frade 
leigo: — (vulg.) leigo; ho- 
mem ignorante no seu offi- 
cio. Illiteratus, indoctus : — 
boneco; figura ridicula, mal 
feita ou mal pintada: — ho- 
memzinho; diz-se por des- 
prezo dos rapazes que que- 
rem fazer de homens. 

jMonilífero, RA. adj. (hist. ant.) 
Munilifero; que tem algu- 
mas de suas partes dispos- 
tas a modo de rosario. 

MONILIFORME. ãdj. (llOt. 6 ZOOl.) 

Moniliforme; diz-se dos ór- 
gãos das plantas c dos ani- 
maos, que sào divididos em 
forma de rosario. 

MoNiLiNA. /. (bot.) Monilina; 
genero de plantas da fami- 
lia das conferveas. 

MoNiLioiDEO, DEA. adj. (hist. 
nat.) Moniloideo ; parecido 
com um collar ou rosario, ou 
com a extremidade dos fi- 
lamentos de certas plan- 
tas. 

Monillo, vi. Justilho de mu- 
lher, sem mangas. Thorax 
vixdichris sine vianicis. 

Mommento. m. (ant.) Monimeu- 
to. V. Monumento : — (ant. > 
mouimento. V. Sepxdcro. 

MoNiMiA. /. (bot.) Monimia; 
genero de plantas da fami- 
lia das monimiaceas. 

MONIMIÁCEAS, MONIMFEAS. /. p)l. 

(boi.) Monimiaceas ou moni- 
meas ; familia de plantas 
dicotyledoneas. 

MoNiwiENTo. VI, (ant.) Momen- 
to, instante. 

Monipodio, m. (fam.) Monipo- 
dio, corrilho, conventículo, 
ajuste de pessoas reunidas 
para algum mau fim. Moni- 
podium, ii: — (ant.) ma- 
chinaçào ; manejo, conducta 
secreta ou illicita. 

Monís. /. (p. Ar.) Especie de 
massa feita de ovos e assu- 
car. Tragemata suhtilia et 
dcllcatida : — bugiaria; ob- 
jecto laequeno, de pouco va- 
lor, mas bem acabado e bo- 
nito, lies prdiíula : — m.pl. 
(vulg.) moeda, dinheiro. Tie- 
ne monises? (f>'-); tem di- 
nheiro ? 

Mónita./. Mónita, astucia, li- 



MON 129 

souja aft'ectada. Versidia, 
cálliditas. 

Monitor, vi. Monitor. V. Ad- 
monitor : — monitor, decu- 
riào ; estudante mais prove- 
cto de uma classe, encarre- 
gado de ensinar os seus con- 
discípulos e de lhes tomar 
as lições: — monitor; titu- 
lo do certos periódicos : — 
(zool.) monitor; genero de 
reptis saurios. 

Monitoria./. Monitoria; carta 
ou despacho do juizo eccle- 
siastico, para obrigar a to- 
dos que souberem de um 
crime a irem depor, etc. 
Monitoria} l it terce : — mo- 
nitoria ; citação jurídica fei- 
ta debaixo de peua de ex- 
communhào. 

Monitorial. adj. Monitorial ; 
pertencente á monitoria, que 
pertence á monitoria. Letras 
monitoriales ; letras mouito- 
riaes, carta de excommu- 
nháo. 

Monitorio, ria. adj. Monitorio; 
que avisa, que serve de ad- 
moestar. Monitorius, a, um : 
— m. monitorio; carta , des- 
pacho ecclesiastico com ful- 
minação de censuras. 

Monja. /. Monja, freira; reli- 
giosa professa de alguma 
das ordens monachaes, de 
mosteiro. Monialis, le: — 
de coro; freira cantora; a 
que tem obrigação de can- 
tar no coro : — ■ lega ; freira 
leiga; a que professa im- 
pondo-se o dever de cousa- 
grar-se ao serviço da com- 
munidade. Trazem véu bran- 
co, differençando-se das de 
coro, que o trazem j)reto : — 
pi. faíscas ou pontos ígneos 
de um pap<3l que arde sem 
■ chamma. É palavra usada 
pelos rapazes. 

Monje, vi. ]\Ionje ou monge; 
religioso de ordem mona- 
chal ou de mosteiro, como 
os bentos, os bernardos, etc. 
Monaclms, i: — (ant.) soli- 
tario, anachoreta : — (zool.) 
V. Pavo carbonero. 

MoNJicico, llo, to. m. dim. de 
Monje. Mongesiulio, monge 
ainda novo. 

Monjía. /. Emolumento, direi- 
to, prebenda, beneficio mo- 
nachal, que o monge tem 
no seu mosteiro: — (ant.) 



130 



MON 



V. Monacato: — (ant.) V. 
Monasterio, Convento : — V. 
Monja. 
Monjil, m. Túnica ou habito 
de monja. Monialis vedis: 

— traje de là de que usa a 
mulher que está de luto. 
Feminai luctuosa vestis : — 
2)1. (ant.) inoiígil ; túnica ta- 
lar com mangas perdidas. 
Manicce ad terga decidentes: 

— adj. monástico, mona- 
chal; que respeita a mon- 
jes, a monjas. 

MoNJiLON. m. V. Monjil. Usa- 
se em sentido burlesco. 

Monjío, m. Monacato; estado 
de freira ou monja. Mona- 
cliatus, us: — acto de pro- 
fessar, de tomar habito. 

Mono, na. adj. (fam.) líonito, 
polido, engraçado, delicado ; 
diz-se das cousas. lies 2^ei-- 
polita: — m. bugio, macaco; 
homem que faz as cousas 
por pura imitação. Símius, 
Simulator : — boneco, boni- 
frate; homem mui aiiectado 
no vestir, no fallar, ou nos 
seus gestos e acções : — mo- 
no ; pessoa mui feia. Quedar- 
se hecho un mono (fr. jig.); 
licar corrido ou envergonha- 
do. Stupore ac pudor e cor- 
ripi: — (zooL.) macaco ; gran- 
de genero de mammiferos, 
da ordem dos quadrumanos, 
que contém especies muito 
variadas. 

MoNocARio. m. (hot.) Monoca- 
rio (um só nó) ; genero de 
plantas da familia das nlc- 
lanthaceas. 

MoNocARPO, PA. adj. (bot.) Mo- 
nocarpo; que tem só um 
fructo. 

MoNOCEFALiA. /. (physiol.) Mo- 
nocephalia; estado de um 
monstro que só tem uma ca- 
beça para dois corpos. 

MONOCEFALIOS. TO. pi. (pliysiol.) 

Monocephalios (cabeça úni- 
ca); familia de monstros du- 
plos da ordem dos autosita- 
rios, caracterisada em suas 
especies pela presença de 
uma só cabeça. 

MONOCÉFALO, LA. ttdj. (pkysíol.) 

Monocephalo; que tem só 
uma cabeça sustentada por 
dois corpos. 

MONOCENTRIDE. m. (zOOl.J Mo- 

nocentride. V. Lepisacanto. 
MoHOCERA. /. (bot.) Monocera; 



MON 

genero de plantas da fami- 
lia das tiliáceas. 

MONOCERONTE. TO. (zool.) MoUO- 

ceronte; animal tido geral- 
mente por fabuloso, mas 
ainda assim descripto por 
alguns naturalistas, entre os 
quaes figura Plínio. 

MONOCEUOTE. TO. (zOOl.) V. UuÍ- 

cornio. 

Monociclo, adj. Monocyclo ; 
que não contém ou não des- 
creve mais que um circulo. 

MoNocLEA. /. (bot.) Mouoclea; 
genero de plantas da fami- 
clas he^Daticas. 

MONOCLINO, NA. uãj. (bot.) ISIo- 

noclino. V. Hermafrodita. 
MoNOcoRDio. TO. (mus.) Trom- 
beta marinha. V. Trompa 
marina : — (anf.) monocor- 
dio ; instrumento musico de 
uma só corda, que era usa- 
do entre os gregos, aos quaes 
servia de diapasão, e tam- 
bém para marcar o compas- 
so e dar o tom. 

MONOCOTILAKIOS. TO. pi. (zool.) 

Monoeotylarios; familia de 
helminthos mysocephalios. 

MON0COTILEDÓNEO,NEA.ac(/.fe0¿.J 

Monocotyledoneo ou mono- 
cotyledone; diz-se das plan- 
tas cuja semente só tem um 
cotyledoue:— /. ^jZ. inonoco- 
tyledoneas ou monocotyle- 
dones; classe de vegetaes, 
cujo embrião só offereee um 
cotyledone. 

MONOCOTILEDONIA. /. (bot.) Mo- 

nocotyledonia; estado de uma 
planta monocotyledone. 

Monocromático, ca. adj. (pint.) 
Monochromatico; diz-se da 
pintura de uma só côr. 

Monocromo, m. Monocromo ou 
monochromo; objecto pinta- 
do de uma só côr : — adj. 
monochromo; de uma só côr. 

Monóculo, la. adj. Monóculo; 
que só tem um olho. Mono- 
culus, a, um: — m. (cir.) 
monóculo; ligadura, atadu- 
ra, facha ou venda para fis- 
tula lacrimal e outras doen- 
ças que só aífectam um olho: 
— (zool.) monóculo. V. Cí- 
clope: — TO. pi. monóculos; 
familia de crustáceos cope- 
podas. 

Monodáctilo, la. adj. (zool.) 
Monodactylo; que tem um 
só dedo. 

MoNODELFO, FA. adj. (zool.) Mo- 



MON 

nodelpho; que tem uma só 
matriz: — to. pi. monodel- 
phos; nome empregado em 
opposição ao de didelphos, 
para designar entre os mam- 
miferos ordinários aquelles 
em que o feto se desenvolve 
completamente dentro do 
útero. 

MoNOECiA. /. (bot.) Monoccia; 
vigésima primeira classe do 
systema sexual de Linneo. 

MoNOFisiSMO. m. (rei.) Mono- 
physismo; opinião, doutrina 
dos inonophysitas. 

MoNOPisiTAs. m. pi. (rei.) Mo- 
nophysitas; hereges que só 
reconheciam uma natureza 
em Jesus Christo, a natu- 
reza divina que encarnara. 

JÍONOFTALMO, MA. adj. MoilO- 

ph taimo; que só tem imi 
olho: — TO. pi. (zool.) mono- 
phtalmos. V. Dafnóideos. 

Monogamia./. Monogamia; um 
só matrimonio: — monoga- 
mia; estado, condição dos 
que foram casados uma vez 
só : — fòoí.Jmonogamía ; clas- 
se do systema sexual de Lin- 
neo, que comprehende todas 
as plantas cujas flores têem 
os estames reunidos pelas 
anthenas. 

Monogamista. m. Monogamis- 
ta; ¡Dartidario da monoga- 
mia. 

Monógamo, ma. adj., s. Monóga- 
mo; o que só tem uma mu- 
lher: — monógamo; o que 
casou uma só vez: — (bot.) 
monógamo; diz-se das plan- 
tas cujas flores são todas do 
mesmo sexo. 

Monografia. /. (h. nat.) Mono- 
graphia; descripção de um 
só genero ou de uma só es- 
pecie de animaes, de vege- 
taes, etc., e também se diz 
das descripções i^roprias de 
outras sciencias. 

Monográfico, ca. adj. Mono- 
graphico; que pertence ou 
respeita á monographia. 

MonÓgrafo. to. Monographo; 
auctor de monographia: — 
adj. monograjjho ; que trata 
só de um objecto. 

Monograma, to. Monogramma; 
caracter facticio composto 
das priucipaes e algumas 
vezes de todas as letras de 
um nome; cifra, abreviação 
do nome, que serve de si- 



MON 

gnal ou de armas. O P posto 
perpendicularmente sobre o 
meio da lettni X, como ve- 
mos em muitas medalhas do 
século de Constantino, é o 
monogramma de Jesus Chri- 
sto. Moiwfframmom : — mo- 
nogramma; figura ou cara- 
cter composto de muitas le- 
tras enlaçadas entre, si de 
maneira que formam um só 
objecto: — (bof.) monogram- 
ma; genero de fetos poly- 
podiaceos. Llave de un mo- 
iiograma; chave de um mo- 
nogramma; antigamente era 
a primeira letra que se apre- 
sentava á vista ou a que se 
percebia com mais facili- 
dade. 
MonogramÁtico, ca. adj. Mo- 
nogrammatico ; relativo ou 
pertencente ao monogram- 
- ma. 

MONOGRAMO, MA. ñd/j. MoUO- 

grammo; que consiste só em 
linhas, em contornos, como 
pintura monogramma, etc.: 

— (pJdlos.) monogrammo, 
incorpóreo, immaterial; que 
nào e concreto nem palpá- 
vel. 

MONOHÍDRICO, CA. «((/. (clÚm.) 

JNIonohydrico ; diz-se de um 
composto que contém uma 
só in-oporção de hydrogenio. 

MoNOHiLO, LA. adj. (zool.) Mo- 
nohylo; que tem o corpo 
formado de uma só massa 
homogénea. 

MoNoniPOJiNiA. /. (bot.) Mono- 
hypogynia; estado de uma 
planta monocotyledoiiea, cu- 
jos estames são hj'pogynos: 

— monohypogynia; classe 
de plantas no methodo <de 
Jussieu. 

MoxoHiPOJiKO, NA. adj. (bot.) 
Monohypogyno ; diz- se de 
uma planta monocotyledo- 
nea que tem estames hypo- 
gynos. 

MosomsTO, TA. adj. (anl.J Mo- 
nohisto; que é formado de 
um só tecido ou de um teci- 
do simples. 

Monoico, ca. adj. (bot.) Monoi- 
co; diz-se das plantas que 
têem as flores unisexuaes, 
mas reunidas era um só in- 
dividuo. 

MoNOJENiA. /. (h. nat.) Mono- 
genia; producção jjor meio 
de um corpo organisado, de 



MON 

uma parte que logo se se- 
])ara, e chega a ser, augmen- 
tando-se, um novo individuo 
similhante ao que lhe deu 
origem. 

MoNÓjENO, NA. adj, Monogeno; 
que é único em seu geuero. 

MoNOJiKiA./. (bot.) Monogynia ; 
ordem do systema sexual de 
Linneo, que comprehende to- 
das as plantas cuja flor só 
tem um pistillo. 

Monólogo, in. Monologo ; peça 
dramática em que represen- 
ta só um actor : — monolo- 
go; scena de uma peça dra- 
mática em (jue falia só um 
actor : — V. Soliloquio. 

MoNOLÓjico, CA. adj. Monolo- 
gico; o que se refere ao mo- 
nologo. 

Monomanía./. Monomanía; es- 
pecie de alienaçcào mental, 
na qual uma só idea parece 
absorver todas as faculda- 
des da intelligencia. 

Monomaniaco, ca. adj. Monoma- 
niaco; doente, affectado de 
monomanía. 

MonomaniÁtico, ca. adj. Mono- 
maniatico.V. Monomaniaco. 

Monómano, na. adj. V. Mono- 
maniaco. 

Monomaquía. /. Mouomachia, 
duello, combate singular. 
Duellum, certamen inter 
duos. 

MoNOMEROs. m. pi. (zool.) Mo- 
nomeros; secção de insectos 
coleópteros. 

MoNOMÉTRico, ca. adj. (lit.) Mo- 
nometrico; que se refere ao 
monometro. 

MoNÓMETRO. m. (lit.) Mono- 
metro; poema composto de 
um só metro ou especie ¡de 
verso. 

MoxoMiARios. m. pi. (zool.) Mo- 
nomiarios (musculo único); 
ordem de molluscos acepha- 
los. 

IMoNOMicETO. m. (zool.) Mono- 
miceto (corjvvielo único); ge- 
nero de polypeiros. 

Monómio, m. (matli.) Monomio 
ou monomo; grandeza que 
tem um só termo, e que não 
se liga pelos signaes mais ou 
menos, como AB, AAB, etç. 

MoNONFALiA. /. Moiiomphalia; 
estado dos monstros que têem 
um só umbigo para dois cor- 
pos. 

MononfÁlico, ca. adj. Monom- 



MON 



131 



phalico; que pertence á mo- 
nomphalia. 

MoNONFALios. m. pi. Monom- 
phalios; familia de monstros 
duplos da ordem dos auto- 
sitarios, caracterisados prin- 
cipalmente pela reunião de 
dois corpos quasi completos 
em um umbigo commum. 

MoNONico. m. (zool.) Mononico 
(unha única); genero de in- 
sectos coleópteros tetráme- 
ros, da familia dos curcu- 
liónidos. 

MoNOPASTOs. /. (mech.) Rolda- 
na simples. 

MoNOPEJiA. /. (med.) Monope- 
gia; dor de cabeça que se 
fixa em um só ponto, como 
succede com a dor de en- 
ch aqueça. 

MoNOPERijiNiA. /. (bot.) Mono- 
perigynia; estado de uma 
planta monocotyledonea, cu- 
jos estames são perigynos. 

MoNupERÍjiNO, NA. adj. (bot.) 
Monoperigyno; diz-se de uma 
planta monocotyledonea que 
tem estames perigynos. ' 

MoNOPETAi.iA. /. (bot.) Monope- 
talia; estado de uma planta 
cuja coroUa é monopetala. 

MONOPÉTALO, LA. ttdj. (bot.) Mo- 

nopetalo; que tem só uma 
pétala. 

MoNÓPiDE. m. (zool.) Monopide 
(olho único); genero de in- 
sectos coleópteros tetráme- 
ros da familiados xylophagos. 

MoNOPixiDE. m. (zool.) Monopi- 
xide; sub-genero de polype- 
ros do genero sertulio. 

MoNOPLEUROBRANQUIOS. m. pi. 

(zool.) Monopleurobranchios 
(branchia de um só lado); or- 
dem de molluscos malaco- 
zoarios paracephalophoros. 

MoNOPODiA. /. (physiol.) Mono- 
podia; monstruosidade que 
consiste em ter um só pé. 

Monopólio, m. Monopolio; tra- 
fico exclusivo, feito em vir- 
tude de privilegio, por um 
só individuo ou por uma só 
companhia. Monopolium, ii: 
— monopolio; trafico abusi- 
vo e odioso d'aquelle que se 
constituiu o único senhor de 
todas ou de parte das mer- 
cadorias de uma especie 
com o fim de obrigar os 
consumidores a comprar- 
Ih'as por um preço exorbi- 
tante a seu arbitrio. Mono- 



132 MON 

poliam, ii: — monopolio; 
convenção ¡niqua, estipula- 
da ás vezes entre os com- 
merciantcs, para encarece- 
rem as fazendas. Monopo- 
lium, ii: — privilegio; em 
sentido mais lato significa 
direito exclusivo, concedido 
a determinadas pessoas, pa- 
ra exercer certos cargos ou 
officios, e também se diz 
igualmente de certos direi- 
tos politices, possuidos ex- 
clusivamente por um limi- 
tado numero de cidadãos. 

MoNoroLisTA. m. Monopolista; 
o que faz monopolio. 

Monopolizador, ka. s. IMonopo- 
lista. 

MoNoroLizAií. a. (achn.) Privi- 
legiar; conceder a uma só 
pessoa o direito de traficar 
em uma mercadoria: — mo- 
nopolisar; fazer monopolio, 
abarcar um genero para o 
estancar e vender por preço 
subido. 

Monópside. m. (bot.) Monopsi- 
de; genero de plantas da fa- 
milia das libeliaceas. 

Monórquido, da. adj. (bot.) Mo- 
norcliido ; que tem um só tu- 
bérculo : — (phTjsiol.) nionor- 
chido; que nasceu com um 
só testículo. 

MoNOsÉPAT.o, la. adj. (bot.) Mo- 
nosepalo (sej)ala vnica); diz- 
se do cálice das plantas, 
quando c ou parece compos- 
to de uma só sépala. 

MoNÓsiDE. m. (bot.) Monoside; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

Monosilábico, ca. adj. (¡itf.JMo- 
nosyllabico; diz-se dos ver- 
sos cujas palavras são todas 
monosyllabas : — rnonosyl- 
labico; diz-se também dos 
versos de uma só syllnba. 

Monosílabo, ba. adj. Monosyl- 
labo; diz-se da palaA'ra for- 
mada de uma só syllaba. 
Usa-se também substanti- 
vado na terminação mascu- 
lina. JSÍonosyllabus, vs. 

Monospermo, ma. adj. (bot.) Mo- 
nospermo (semente íiuica); 
qualificação do fructo ou de 
suas divisões, quando con- 
têem uma só semente. 

MoNÓsTico, CA. adj. (litt.) Mo- 
nostico; que consta de um 
só verso : — (min.) monosti- 
co; diz-sc de um crystal 



MON 

prysmatico, cuja base é ro- 
deada de uma só fileira de 
facetas com differentes in- 
clinações: — m. monostico; 
e^jigramma de um só verso. 

MONOSTKOFA, MoNOSTROFK. /. 

(litt.) Monostropbe; compo- 
sição particular de uma só 
esíroplie ou estancia. Mo- 
nostrophe. 

MoNOT. m. Saco de rede qua- 
si ponteagudo nos dois ex- 
tremos, usado nas costas do 
Levante, do qual se forma 
por meio de circuios de va- 
ras uma especie de nassa. 
Em Castella chama-se-lhe 
Garlito. 

MoNOTÉico, CA. adj. Monotbci- 
co; pertencente ao mono- 
tlieismo. 

Monoteísmo, m. Monotheismo;, 
adoração de um só Deus. 

Monoteísta, s. Monotheista; o 
que adora um só Deus: — 
adj. monotheista; relativo ou 
concernente ao monotheis- 
mo. 

MoNOTELisMO. m. (rei.) Mono- 
thelismo; heresia dos mono- 
thelitas. 

MoNOTELiTA. adj. Monotlielita ; 
conforme a doutrina do mo- 
nothelismo : — m. pi. (rei.) 
monothelitas; heréticos as- 
sim chamados, porque sus- 
tentavam que havia uma só 
vontade em Jesus Christo. 

MoNOTELiTiSMO. vi.(rel.)Y. Mo- 
notelismo. 

MoNOTOMiTos. m.pl. (zool.) Mo- 
notomitos; grupo de insectos 
coleópteros tetrámeros, da 
familia dos xylophagos. 

Monótonamente, adv. m. Mo- 
notonamente, com monoto- 
nia. 

Monotonía. /. Monotonia; uni- 
formidade, igualdade fasti- 
diosa no discurso, ou na ex- 
pressão e tom da voz: — 
monotonia; diz-se também 
da musica vocal ou instru- 
mental: — (jig-) monotonia; 
defeito de variedade na ma- 
neira de escrever, uniformi- 
dade na linguagem, na con- 
strucção das phrases, no uso 
das figuras c também nos 
pensamentos: — (fi(J-) mo- 
notonia; maneira de A'iver 
igual, sem variedade; diz-sc 
I^or extensão. 

Monótono, na. adj. Monótono; 



MON 

que falia sempre pelo mes- 
mo tom, com monotonia. Mo- 
notonns, a, um : — monóto- 
no; enfadonho, aborrecido 
por uma demasiada unifor- 
midade, por não ter varie- 
dade. 

Monotremos. m. pi. (zool.) Mo- 
notremos; grupo de mammi- 
feros aplacentarlos da tribu 
dos marsupiaes. 

MoNOTRiGLiFO. TO. (arcJi.) Mo- 
notriglypho; espaço de um 
íriglyplio entre duas colu- 
mnas. 

Monseñor, m. Monsenhor; ti- 
tulo de honra que se dá em 
Italia aos prelados e digna- 
tarios, e em Portugal que se 
applicava ao prelado, certos 
diáconos, presby teros, mi- 
trados, etc., da jjatriarchal 
de Lisboa: — monsenhor; 
titulo que se deu em Fran- 
ça somente ao delphim, e 
mais extensamente aos gran- 
des do reino. 

Monserga. /. Algaravia; lin- 
guagem confusa e embru- 
lhada: — embrulhada; ne- 
gocio complicado: — V. Di- 
nero. 

MoNsiEüK. m. Monsieur; titulo 
com que o irmão segundo do 
rei de França era denomi- 
nado por excellencia. ■ 

IMoNSTRA. /, (ant.) V. Muestra. 

Monstro, m. (ant.) V. Mons- 
truo. 

Monstruo, m. (jlg.) Monstro; 
cousa extraordinaria, estu- 
penda, pasmosa, prodigio, 
portento, assombro. Mons- 
trnm, i^ortentnm: — (fig-) 
monstro; pessoa ou cousa 
horrenda, mui feia. Mons- 
trum, i: — (fiff-J monstro; 
¡lessoa feroz, cruel: — 
(pJiisiol.) monstro; ani- 
mal cuja conformação é 
contraria á natureza na to- 
talidade de suas partes ou 
somente em algumas d'ellas. 
JMonstrum, i: — monstro; 
em geral, parto, producção 
contra a ordem da natu- 
reza. 

Monstruosamente . adv . m . 
Monstruosamente; com mon- 
struosidade, com excessiva 
grandeza ou enorme feal- 
dade. Monstruos^e: — mon- 
struosamente; de maneira 
monstruosa. 



MON 

Monstruosidad. /. Monstruosi- 
dade; pi-oducção monstruo- 
sa, desconforme. Mo7istrnm, 
i: — monstruosidade; o ser 
monstruoso: — (fig-) mon- 
struosidade; summa, enor- 
me fealdade, enorme gran- 
deza. JSÍonstrum, i: — mon- 
struosidade; cousa inteira- 
mente opposta á boa ordem 
moral ou politica. 
Monstruoso, sa. adj. Monstruo- 
so; da natureza de monstro, 
que é contra a ordem da 
natureza. Diz-se também das 
cousas moraes. Monstruosiis, 
2)oricntosiis: — monstruoso; 
desconforme, enorme, ex- 
traordinario, excessivo no 
seu genero. Monstruosns, 
l^rte granáis: — (fig-) mon- 
struoso, extraordinario ; con- 
trario ao que regularmente 
succede: — (fig-) monstruo- 
so, horrendo; mui feio, de- 
forme no seu genero. 

MoNT. m. (ant.) V. Movte. 

Monta. /. Monta; somma, to- 
tal de uma conta. Diz-se 
também Monto. Summa, ce: 
— monta; valor, preço, im- 
portancia, qualidade, esti- 
mação intrinseca das cou- 
sas. Momentum, cestimafio: 
— V. Acaballadero : — (anf.) 
bota-sella; signal, toque de 
clarim para montar a ca- 
vallo. Signum ut milites in 
eqiios ascendant. 

Montada. /. (art.) Montada; 
elevação maior ou menor que 
se dá á caiba do bocado, 
para que o cavallo possa 
collocar e passar facilmente 
a língua por baixo d'elle. 

Montadero. ???. V. Montador. 

Montadgak, a. (ant.) V. Mon- 
tazgar. 

MoNTADGO. m. (ant.) V. Mon- 
tazgo. 

Montado, da. adj. Montado; 
dizia-se do soldado que o 
cavalleiro de ordem militar 
enviava a guerra para o sub- 
stituir. Svfiectus miles: — 
jaezado, apparelhado, prom- 
pto ¡lara o cavalleiro mon- 
tar; diz-se do cavallo. In- 
strndns eqnus: — montado; 
diz-se do soldado de caval- 
laria. Eques equo merens. 

Montador, m. Cavalleiro; ho- 
mem a cavallo, ou que mon- 
ta a cavallo. Qui equum as- 



MON 

cendit: — montadouro ou 
montadeiro; pedra ou de- 
grau que facilita o montar 
a cavallo. Fodium ad ascen- 
dendum in eqnum. 

Montadura. /. Arreios comple- 
tos do cavallo de um solda- 
do de cavallaria. V. Montu- 
ra, n'este sentido. Equita- 
tus, lis. 

Montaje, m. Acção e eíFeito de 
montar a artilheria: — pi. 
carretas, reparos das pecas 
de artilheria. 

Montanera. /. Moi^anheira, 
landeira, montado; bosque 
de arvores que dão bolota, 
onde pastam porcos para os 
engordar. Quercetum, i: — 
pasto, ceva de bolota que o 
gado suino tem nos monta- 
dos. Glandium pascua: — 
tempo que dura a ceva ou 
pasto do gado suino. Estar 
en montanera (fig.fam.); ter 
bom pasto; ter tido alguém 
boa alimentação por certo 
tempo, fazendo-o engordar 
muito. Pascuis pingnescere. 

Montanero, m. Montaraz; o 
guarda de matas e montes, 
ou montados. 

Montañismo, m. (rei.) Monta- 
ñismo; doutrina ensinada na 
Phrygia, no século ii, por 
Montano, que pretendia ser 
o consolador promettido por 
Jesus Christo. 

Montanista, adj. (rei.) Mon- 
tanista; conforme a doutri- 
pa de Montano : — m. mon- 
tanista ; partidario do mon- 
tañismo. 

Montano, na. adj. Montano, 
montanhesco, montanhez;de 
monte, de montanha. Mon- 
tanus, a, um. 

Montantada. /. Jactancia vã. 
Jactantia, ce : — monte, mul- 
tidão, copia, grande nu- 
mero. 

Montante, m. Montante, espa- 
dão; espada larga e pesada, 
que se empunha com ambas 
as mãos no jogo da esgrima. 
Pragranclis gladiais utraqne 
manu versatilis, rhompluea: 
— montante; espada de fo- 
go feita pelos fogueteiros, á 
imitação de montante. Ignis 
missilis informam pragran- 
dis gladii vel romphece: — 
(equit.) V. Carrilleras ó En- 
cajeras, na brida, bridão ou 



MON 133 

cabeção: — pinasio; pedaço 
de pau, que divide uma ja- 
nella em varias partes: — 
prumo; madeiro que separa 
a porta de uma casa ou quar- 
to, da janella praticada era 
cima. Meter el montante (jr. 
esgr.); metter o montante, 
separar com o montante ou 
espadão os accommettedo- 
res: (fig-) apaziguar, aquie- 
tar, fazer cessar o motim, a 
rixa ou pendencia. Pacem 
imponere, vel curare: — (b^'-J 
montante; crescente da lua 
com as pontas viradas para 
cima, e também se diz das 
abelhas, mariposas que voam 
para o alto, ou do falcão que 
alça ou eleva o voo acima 
da ave que quer apanhar. 

MoNT ANTEADOR. V. Moutantcro. 

Montantear, n. Jogar o mon- 
tante. Bliomphceam circum- 
dvcere, vibrare : — (fig-J 
fallar com jactancia, querer 
manejar os negocios ou de- 
pendencias alheias com su- 
¡jerioridadc, aftectar aucto- 
ridade e certo ar de impor- 
tancia. Superiorern agerevel 
moderatorem. 

Montantero. m. Jogador de 
montante, o que peleja ou 
combate com elle.ilf?7es j'Ziom- 
2)haut armatus. 

Montaña. /. Montanha ; monte 
de grandeza considerável. 
Mons, ontis : — desigualda- 
de de superficie, altibaixos 
nas cordilheiras de penhas- 
cos : — paiz ou terreno mon- 
tanhoso, montuoso, acciden- 
tado, desigual, cortado de 
montes ou outros accidentes: 
— • V. Monte: — absoluta- 
mente significa as monta- 
nhas de Burgos, c assim, 
quem diz em castelhano ser 
da montaña, entende-se por 
natural d'esta terra. Mon- 
tes burgueses : — rvsa ; mon- 
tanha russa ; diz-se de uma 
elevação verdadeira ou arti- 
ficial, em que ha um cami- 
nho unido e inclinado, re- 
cto ou tortuoso, para desli- 
sar-se a pessoa velozmente, 
dentro de um trilho ou car- 
ro, do alto até abaixo: — de 
la tabla (astron.) ; constel- 
lação meridional: — de pi- 
nos (germ.J; mancebia, lu- 
panar, casa de prostitui- 



134 



MON 



çâo. MontaJias de Melo; 
montanhas de gelo-, massas 
consideráveis de agua soli- 
dificada, que se encontram 
principalmente nos mares 
dos poios. Cadena de monta- 
ñas; cadeia de montanhas; 
serie de montanhas unidas 
pela base. Grupo de monta- 
ñas; grupo de montanhas; 
uniào de muitas cadeias de 
montanhas. Sistema de mon- 
tañas; sTstema de monta- 
nhas ; reunião de muitos gru- 
pos de montanhas. 
MoxTAKÉs, SA. adj. Montanhez; 
pertencente ou relativo á 
montanha. 2Io7itanvs, a,nm: 

— monteburgense; perten- 
cente ás montanhas de Bur- 
gos: — s. monteburguense; 
o natural das montanhas de 
Burgos. Burgensis, se. 

MoxtaSeta. /. dim. de Monta- 
ña. Montanheta. 

MoNTAíiicA, TA. /. divi. ÚQ Mon- 
taña. Montanhasinha. 

MoxtaSoso, sa. adj. Montanho- 
so, montuoso, accidentado; 
que tem muitos montes, ou 
outros accidentes. Monto- 
sus, a, um. 

MoxtaSuela. /. dim. de Mon- 
taña. Montanheta, monta- 
nhasinha. 

MoxTAR. a. Acoimar; multar 
por ter entrado na mata os 
gados, cavalgaduras, etc. : 

— n. montar, montar-se, su- 
bir, ir acima. Regularmen- 
te toma-se no sentido de ca- 
valgar ou pôr-se sobre ca- 
vai lo ou outra besta. Ascen- 
deré in equum : — montar, 
chegar, subir, importar, som- 
mar, deitar ao total, á som- 
ma; diz-se das contas. Surn- 
rnarn esse : — (fig.) montar, 
importar, ser de importan- 
cia, consideração ou entida- 
de. Be/erre tanti vel esse, 
momenti esse: — fart.J mon- 
tar, armar, preparar, dispor, 
coordenar ; pôr no seu lugar 
as peças de qualquer ma- 
china ou apparelho: — mon- 
tar; fazer com que o cabe- 
dal do calçado se amolde, 
esíirjndo-o com a torquez: 

— corto; montar curto; mon- 
tar com os estribos muito 
curtos : — en cerro. V. Mo7i- 
tar en pelo: — en manta; 
montar em manta; ir a ca- 



MON 

vallo levando somente pa- 
ra assento do cavalleiro uma 
manta dobrada : — en pelo ; 
montar em pello; montar 
sem sella nem an-eio algum: 

— largo; montar com os es- 
tribos compridos: — vna es- 
pada; dobrar uma espada 
unindo o punho ;í folha: — 
una iñedra preciosa; mon- 
tar uma pedra preciosa ; en- 
gasta-la: — un cabo (natd.); 
montar, dobrar, passar alem 
de um cabo: — (naut.) mon- 
tar; ter ou levar dispostos em 
baterias tantos ou quantos 
canhões; diz-se tratando de 
dar idéa do posto ou capa- 
cidade do navio avaliado pe- 
lo numero de sua artilheria: 

— la guardia; montar a 
guarda; entrar de guarda: 

— fnavt.) montar, montar- 
se; subir, crescer, encher a 
maré, etc. V. Crecer: — 
(ant.) V. Barloventear : — la 
artillería (mil.); montar a 
artilharia; collocar a peça 
sobre o reparo : — la brecha ; 
montar, subir á brecha; su- 
bir pela brecha em assalto: 

— la caballería; montar a 
cavallaria; dar-lhe cavallos, 
provê-la de cavalgaduras : 

— la guardia; montar a 
guarda; ir fazer guarda em 
algum logar, entrar de guar- 
da: — 7ina arma blanca; 
montar uma arn.a branca; 
prepara-la pondo-lhe a guar- 
nição e empunhadura: — un 
verso a otro (poet.) V. Verso. 

Montaraz, adj. Montaraz, mon- 
tez, montesino, bravio, feri- 
no, feroz; de monte, creado 
nos montes ou costumado a 
andar por elles. Montivagus, 
monticola, ferus , indomitus : 

— montesino, bravio, rusti- 
co, rude, agreste, ferino, sel- 
vagem ; diz-se do genio, das 
qualidades, etc. : — (ant.)\. 
Montano: — m. montaraz; 
guarda de matas, montes, 
herdades ou montados. 

MoNTAsix. m. (comm.) ÁXgoàsLO 
fiado, do Levante. 

MoNTÁTico. m. (ant.) Monta- 
dege, montádego, monta- 
digo; tributo ou foro que se 
pagava ao senhorio de mon- 
te ou montado por trazer 
n'elle gados a pastar. 

Montazgar, a. Cobrar o impos- 



MON 

to de passagem dos gados. 
Vectigal exigere pro gregum 
transmeatione. 
Montazgo, m.. Passagem; ira-" 
jiosto ou tributo que pagam 
os gados pela passagem de 
um terreno a outYo.Vectigal 
pro gregum transmeatione: 

— terra ou caminhos por 
onde passam os gados que 
vào de uma parte para ou- 
tra. Via gregum transmean- 
tium. 

Monte, m. Monte ; grande por- 
ção da superficie solida da 
terra que se eleva acima da 
superficie adjacente, com de- 
clive mais ou menos rápido, 
mas sempre bastante sensí- 
vel. Morís, onfis: — monte; 
terra alta com penhascos, 
pastos e arvoredo. Dumetvm, 
quercetum, sylva, nemus: — 
(ant.) monte. V. Montería : 
■ — (fig-) barreira ; obstáculo, 
impedimento, inconveniente 
grande, diflicil de vencer. 
Mons gravis vel summa dif- 
ficultas: — (fam.) lambaz; 
cabeça mui povoada de ca- 
bellos, desguedelhados, des- 
concertados. Hirsutum ca- 
put: — monte; cartas de jo- 
gar que ficam na mesa de- 
pois de repartidas as que 
cada um dos parceiros deve 
ter. Chartarum pictarum re- 
siduum: — monte; jogo de 
azar parecido com o da banca: 

— (germ.) mancebia, lujia- 
nar : — montes da mào : por- 
ções proeminentes da palma 
da mão, junto á raiz dos de- 
dos, cada uma das quaes tem 
o nome de um planeta, em 
chiromancia. Montes de oro 
(fr. fam.); montes de oiro; 
grandes cousas, grandes in- 
teresses ou recompensas. 
Usa-se de ordinario nos dois 
idiomas, com os verbos pro- 
meter Qofrecer. Andar amon- 
te (fr.); andar a monte, fu- 
gitivo, embrenhado. Extra 
urbem vagari, frequentiam 
fugere: (fig.) portar-se, con- 
duzir-se mal. Correr los 
montes 6 sierras (fr. fig-); 
correr os montes ou as ser- 
ras; prolongar-se, estender- 
se em certa direcção. Ex- 
tendí, p)^'*^^^'^^^^ • — <^^^ P^^' 
dad; monte de piedade; es- 
tabelecimento publico em 



MON 

que se empresta aos parti- 
culares dinheiro sobre pe- 
nhor, e a um juro módico, ou 
que o devera ser. Mons pie- 
tatis vulc/ü clictus: — pio; 
monte pio; estabelecimento 
destinado a dar pensões ás 
viuvas de um tinado, resul- 
tante de unía prestação com 
que cada socio contribue: — 
(agr.) monte, montado; ter- 
ra inculta, que nao é lavra- 
da em tempos certos, cober- 
ta de mato ou arvoredo: — 
alto; monte, mata, bosque, 
floresta, selva alta, povoada 
de arvores corpulentas : — 
hajo; mato baixo, coberto de 
arbustos, silvas e plantas 
rasteiras: — tallar; mata, 
florestn, de corte, que se de- 
cota de tempos a tempos, e 
cujas arvores nào excedem 
a quarenta annos: — blanco; 
mata commum ou pertencen- 
te a todos. Usa-se mais no 
plural: — hueco; monte, bos- 
que, mata rara, nào espessa, 
que não é ta23ada. Apertus 
mons. Batir, correr el monte 
(caç.J; bater, correr o monte, 
o mato, montear, caçar em 
monte, fazer monteria : — 
de leña (naut.J; barcaça; 
embarcação de grandes di- 
mensões mas de má con- 
strucção. 

Montea. /. (arcli.) Montea; 
descripçào ou planta de al- 
gum edificio, debuxando o 
corpo da obra com suas al- 
turas. Adumbratio frontis et 
laternm ahscendentium : — 
detalhe, talho das ¡medras 
para a formação dos arcos 
e abobadas : — peça da vol- 
ta do arco no seu semi-cir- 
culo pela parte convexa. ^4?-- 
ci(s con vexitas : — (caç.) mon- 
teria ou montaria; caçada no 
monte de animaes bravos : — 
(naut.) traça ou risco em 
grande e com as verdadei- 
ras dimensões das differen- 
tes figuras ou formas das 
peças de construcçào de um 
navio. 

Montear, n. (ant.) Andar, cor- 
rer, vagar pelo monte: — 
(caç.) montear; caçar no 
monte, fazer monteria. Ve- 
nari, feras inseqià: — a. 
(ardi.) traçar, delinear a 
montea, a planta de um edi- 



MCN 

ficio com as elevações. Opus 
scenoyraphice adumbrare : 
— (arch.J voltear ou formar 
arcos. 

MoNTECico, LLo, TO. w. dim. de 
Monte. Montinho. 

MoNTEFERRiNA. /. Certa dansa 
c mu.'íica italianas. 

Montenegrino, na. adj. Monte- 
negrino ; que pertence ao 
Montenegro : — s. montene- 
grino; o natural de Monte- 
negro. 

Montera./. Monteira, barrete; 
carapuça ordinariamente de 
panno, de diôereute feitio, 
segundo as provincias. Pi- 
lei species: — (ant.) montei^- 
ra; caçadora de monte. E 
desusado : — (naid.)\ èla. es- 
tae de joanete. Ponerse por 
montera el buqne (fr.J V. ^o- 
'¿obrar : — (mil.) especie de 
guarita, de forma triangu- 
lar, que se col loca nas pa- 
liçadas, para a seutinella 
avançada poder abrigar-se 
em tempo cie chuva. 

Monterería. /. Loja onde se 
fazem ou vendem monteiras 
ou barretes. Pileorum offi- 
cina. 

Monterero. m. Barreteiro, ca- 
rapuceiro ; o que faz ou ven- 
de monteiras, barretes. Pi- 
leorum sartor. 

MoNTEREv. m. Certo pastel em 
forma de barco. Artocreas 
sic dictus. 

Montería./. Monteria ou mon- 
taria, caça; arte de caçar ou 
de fazer a guerra aos ani- 
maes. Ars venatoria : — mon- 
teria ou montaria; encada 
de animaes bravos ou do 
monte, como juvalis, veados, 
etc. Venatus aprorum, da- 
marum et sirnilium: — mon- 
teria; tudo que diz respeito 
á arte de caça: — montaria; 
corpo, certo numero de mon- 
teiros ou caçadores do monte. 
MoNTERiLLA. /. (nuid .) V. Mou- 

icra. 
Montero, m. (caç.) Monteiro; 
caçador do monte. Venator, 
ferarum abactor: — de le- 
brel; monteiro encarregado 
dos Icbreus ou galgos que 
hão de servir nas paradas. 
Hibernormn canum custos, 
vel ductor: — de trailla; 
monteiro da trela; o que 
conduz a matilha dos sabu- 



MON 



135 



I jos atrelados. Canum, alli- 
gatorum ductor in venatio- 
ne: — mayor; monteiro mor ; 
dignidade da casa real, que 
tem a seu cargo a superin- 
tendencia geral das couta- 
das, e das caçadas reaes nos 
montes. Venator um regiorum 
prafectiis. Monteros de cá- 
mara ó monteros de espino- 
sa; ofiiciaes distinctos da 
casa real de Castella, cujo 
oflicio é velar de noite na 
cámara immediata aquella 
onde dormem o rei e a rai- 
nha. Também têem a seu car- 
go a guarda dos cadáveres 
das pessoas reaes, emquanto 
estão de corpo presente. Cus- 
todes regis cubantis et recens 
mortui vigiles. 

MoKTERON. m. aiigm. de Mon- 
tera. Monteira grande. 

Montes, adj. Montez ; serrano, 
montanhez, montesino, mon- 
tícola, bravio, ferino; que 
anda, está ou se cria no mon- 
te. Em castelhano também 
se usa ás vezes na termina- 
ção feminina, acabada em a. 
Silvestris, ferus, montanus. 

MoNTEscos. m. pl. Mónteseos; 
individuos de um antigo par- 
tido de Italia, contrarios a 
outro chamado dos capeletes 
ou capuletos. Haber móntes- 
eos y capeletes (fr. fam.); 
haver mosquitos por cordas; 
haver grande rixa ou pen- 
dencia. Pixari. 

Montesino, na. adj. Montesino. 
V. Montes : — (fig. ant.) mon- 
tesino, agreste, rustico, rude, 
áspero. Asper, a, xtm. 

MoNTiA. /. (bot.) Montia; ge- 
nero de plantas da familia 
das portulaceas. 

MoNTÍcuLA. adj. (h. nat.) Mon- 
. ticola; diz-se das plantas ou 
dos animaes que crescem ou 
vivem no monte. Em portu- 
guez usa-se também em es- 
tylo poético. 

MoNTiNiA. /. (bot.) Montinia; 
genero de plantas da fami- 
lia das enotereas. 

MoNTLNO, NA. adj. (aut.) V. Mon- 
tes. 

MoNTiÑA. /. (ant.) V. Montaña. 

MoNTisiA. /. (ant.) Montanha, 
deserto. 

MoNT-joiE. /. (br.) Titulo dado 
ao primeiro rei de armas de 
França. 



136 



MON 



MONTMARTRITA. /. (mili.) Mont- 

martrita; variedade de ges- 
so que se encontra em Mont- 
martre, perto de Paris. 
Monto. m. V. Monta, Importe: 

— (comm.J importancia total 
dos fretes. 

MoNTox. m. Montão, cumulo, 
acciunulaçào, cousas amon- 
toadas em forma de luii 
monte. Accrvus, cumulus, 
congeries: — (fig-) pessoa 
inútil, sem préstimo : — (fig-) 
porcalhão, porco, immuudo; 
pessoa enxovalhada, falta 
de aceio. Spurcitice acervus: 

— de fierra (loe. fam.); p(;s- 
soa decre23Íta, débil ou vale- 
tudinaria. Morbis seu sene-, 
ctute confectus, gravis. A 
montones (loe. adv.); amon- 
toes, aos montes, a rodo, 
abundantemente, coi^iosa- 
mente, em grande copia. 
Acervatim, cumulatim. De 
montón ó en montón (loe. 
adv.); em montão, amontoa- 
damente, juntamente, sem 
distincção. Acervatim. 

Montonera./, (p. A. Mer.) Pe- 
lotão de tropa irregular de 
cavallaria, composta exclu- 
sivamente dos semi-selva- 
gens que habitam as pam- 
pas de Montevideu, Buenos- 
Ayres e Chili. 

Montonero, m. (p. A. Mer.) 
Soldado da tropa irregular 
de cavallaria chamada mon- 
tonera: — (p. Mex. fam.) 
covarde, que só hita ou tem 
contenda com alguém, quan- 
do está acompanhado de 
seus amigos ou partidarios. 

Montoso, sa. adj. (aut.) V. Mon- 
tuoso. 

Montoya. /. V. Mariona, cer- 
ta dansa. 

Montuoso, sa. adj. Montuoso ; 
que tem muitos montes. Mon- 
tuosus, a, um. 

Montura./. Cavalgadura, bes- 
ta para transportes em via- 
gem. Mtdorum ad viam con- 
jiciendam delectio : — caval- 
gadura, besta de sella, cm 
que se monta acavallo: — ar- 
reios do cavallo pertencente 
a cada soldado de cavalla- 
ria. Também se usa signifi- 
cando a totalidade dos jae- 
zes de uma companhia ou 
esquadrão: — arnez; arma- 
dura completa de um homem 



MON 

de armas: — caixa de uma 
espingarda, de uma pistola: 
— armação de uma machi- 
na, acto de a montar, tra- 
balho de um olíieial por ar- 
mar todas as suas peças. 

Monuelo. m. Boneco, bonifra- 
te. V. Mono, na terceira ac- 
cepção : — V. Chuchumeco. 

Monumental, adj. Monumen- 
tal; ijroprio de monumen- 
tos. 

Monumento, m. IMonumento; 
edificio, estatua ou outra 
obra erigida em memoria de 
pessoa ou de successo notá- 
vel. Monumentum, i: — mo- 
numento; edificio publico ou 
particular, imponente ])ela 
sua grandeza ou antiguida- 
de. Monumentum, i: — se- 
¡íulchro; altar ou capella, ar- 
mada em forma de sepul- 
chro, onde se deposita o cor- 
po de Nosso Senhor na sex- 
ta feira santa. Monumentiim 
sepulchri Domini Nostri Jesu 
Christi: — monumento; qual- 
quer obra dos homens, que 
serve de testemunho de al- 
gum facto com que se enri- 
quece a historia, e também 
se diz de toda a producção 
do engenho ou da arte que 
passa á posteridade: — (ard.) 
monumento, moimento, se- 
pulchro, sejiultura. Hoje usa- 
se somente em estylo eleva- 
do : — 2^^- monumentos ; res- 
tos de producçoes ou obras 
artísticas e scientificas, que 
nos hão deixado os antigos, 
e que servem para illustrar 
a historia dos séculos passa- 
dos. Momimenta, orum. 

MoNUMiENTO. m. (ant.) V. Se- 
pulcro. 

Monye. m. (ant.) V. Monje. 

MoNzoN. m. (naut.) Monção; 
vento regular ou periódico 
que sopra em certos mares, 
particularmente no mar das 
índias. Verãus pro temj^ore 
firmus. 

Moña. /. Boneca; figura arti- 
ficial de mulher, que serve 
de modelo para os vestidos 
ou roupas. Forma mtdicris 
comta:: — laço de fitas de 
cores com que ás vezes se 
enfeitam os touros que vão 
á praça: — (fo-in.) enfado, 
molestia, desgosto, despra- 
zer, tristeza./SYomac/iiís, mees- 



MOQ 

titia : — (fam.) mona, bebe- 
deira, borracheira. Ehrie- 
tas, atis: — V. Muñeca. 

Moño. m. Monho ; topete pos- 
tiço de cabello atado e enro- 
lado para cima, usado pelas 
mulheres. Caliendrum, cornai 
suggestus : — laco de fitas 
com que as mulheres atam 
o cabello ou adornam a ca- 
beça: — poupa; tufo, molho 
de pennas que têem algu- 
mas aves sobre a cabeça. 
Crista plumea. Hacerse el 
moño (fr.) ; fazer o i^entea- 
do, pentear-se. 

Moñudo, da. adj. De poupa, 
que tem poupa; diz-se das 
gallinhas contras aves. Cris- 
tatus, a, um. 

MooNiA. /. (bot.) Moonia; gene- 
ro de plantas da familia das 
compostas. 

MoPAMOPA. /. V. Mocoa. E pa- 
lavra usada pelos indios. 

MoQUA. m. Moqua; furor faná- 
tico de alguns musulmanes 
quando voltam da romaria 
a Mecca. 

Moquear, n. Deitar moneo ou 
ranho. il/¿ícos effundere, emit- 
iere : — (Jam.) choramigar, 
lagrimijar. 

Moquero, m. (fam.) Lenço de 
assoar. Municium , ii. 

Moqueta. / (com.) Panno de 
la e algodão, que^e usa pa- 
ra cobrir moveis. 

Moquete, m. Soco, murro, pu- 
nhada, pancada com o pu- 
nho ou com a mão fechada 
no rosto, e especialmente nos 
narizes. Idus pugni. 

Moquetear, n. (fam.) Assoar- 
se frequentemente, estar de 
continuo a deitar ranho ou 
moucos. Mucos large effun- 
dere: — o. socar; dar so- 
cos, maltratar ás ijunhadas. 
Usa-se também como reci- 
l^roco. Aliquem pugnis in- 
cursare, p)^ignis contendere. 

Moquillo, to. m. dim. de Mo- 
co. Monquinho: — pituita, 
pingo; fluxão de humores 
pouco espessos, que correm 
das fossas nasaes por effeito 
de frio excessivo, etc.: — V. 
Gabarro, doença de certos 
animaes. Em medicina ve- 
terinaria portugueza, dá-se 
também o nome de moqui- 
Iho á esgana dos cães: — y 
codillo ; ganhar a polha de- 



MOR 

pois de ter dado codilho so- 
bre ella. 

MoQuiNGANA. /. (p. A. Mcr.) 
Favo de mol muito delica- 
do, que as abelhas fabri- 
cam pendente dos ramos 
das arvores, nos montes ou 
matas da provincia de 
Guyaquil. 

MoQuiNiA. /. (bot.) Moquinia; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

Moquita. /. V. Moquillo, na 
segunda accepçao. Pituita è 
nasa pendens. 

Mor (por), (loe. adv. fam.) Por 
amor de, por causa de. 

Mora. /. (for.) JNlora; tardan- 
ça em pagar ou restituir no 
termo devido. Mora, ce: — 
(anf. mil.) mora; corpo de 
infantería dos lacedemonios, 
composto de 300, 500, TOO e 
900 homens : — (bot.) mora 5 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas papilio- 
naceas: — mora, amora; fru- 
cto da amoreira branca ou 
negi'a. Lo que tihe la mora, 
otra verde lo descolora (rif.J; 
o que uma mora tinge outra 
distinge. 

M0RABETINADA./. (metrol.) Mo- 
rabitinada ou maravidiada; 
medida antiga de grãos. 

MoRABiTA. m. Morabita; segui- 
dor de uma seita fundada 
por um genro de Mafoma. 
Os mor abitas vivem no reti- 
ro. Morabitus, i: — mora- 
bita; dá-se este nome em ge- 
ral aos mahometanos que 
professam sciencia e santi- 
dade: — m. pl. V. Almorá- 
vides. 

MoRABiTiNO. m. Morabitino; 
certa moeda usada pelos 
mouros em Hespanha. 

Morabito, m. V. Morabita. 

MoRABTANO. m. (aut.) V. Ma- 
ravedí. 

MoRABUTO. m. (ant.) V. Alara- 
buto. 

Moracho, cha. adj. Morado ou 
amorado claro, pouco escu- 
ro. Subviolacevs, a, um. 

Morada. /. Morada; casa, lo- 
gar de habitação ordinaria. 
Domicilium, domus, sedes: — 
morada, habitação, estancia. 
La morada de los muertos ; 
a morada dos mortos, a ul- 
tima morada, o cemitério. 
La eterna morada; a morá- 
is 



MOR 

da, a mansão eterna, a ou- 
tra vida, a eternidade. 

Morado, da. adj. Morado ou 
amorado; de cor de amora, 
entre roxo e negro. Viola- 
ceus, a, um: — (p. Rep. Arg.) 
gallinha, cobarde, fracalhào, 
poltrão: — V. Nazareno, 
certa arvore. Usa-se em al- 
gumas partes da America 
hespanhola. 

Morador, ra. s. Morador, ha- 
bitante, vizinho; o que mora 
em alguma casa, que habi- 
ta em algum sitio ou logar. 
Habitator, Íncola. Nos au- 
ctores castelhanos acha-se 
a jialavra morador usada 
como commum de dois. 

Moraga. /. Manojo, molho, fei- 
xe que formam as respiga- 
deiras. Spicarum. manijni- 
lus. 

MoRAGUAR. o. (prov.) V. Ma- 
gostar. 

Moraí. m. Morai; logar con- 
sagrado ás sepulturas nas 
ilhas do mar do sul. 

MoRAÍs. m. (cliron.) Morais; 
mez dos árabes, que corres- 
ponde ao nosso agosto : — 
(metrol.) morais ; medida de 
capacidade usada em algu- 
mas partes das Indias orien- 
taes. 

Moral, adj. Moral ; que res- 
peita aos costumes e á re- 
gra de proceder. Moralis, 
le : — moral, que tem mo- 
ralidade ; diz-se das pessoas 
e de certas cousas: — mo- 
ral, que não pertence ao 
dominio dos sentidos mas 
sim da intelligencia, como: 
Tnundo moral, causas inóra- 
les, etc.; mundo moral, cau- 
sas moraes, etc. : — m. (ant.) 
V. Moralista : — /. moral ; 
o porte e costumes da pes- 
soa, e assim se diz : es suge- 
to de buena moral; é sujei- 
to de boa moral : — moral ; 
tratado de moral: — /.(pililos.) 
moral ; parte da philosophia 
que trata dos costumes e do 
modo de proceder para com 
o próximo, ou, por outras 
palavras, sciencia dos deve- 
res. Moralis facidt as, scien- 
cia : — cristiana; moral 
christã; a que consiste nos 
preceitos dados por Jesus 
Christo, e contidos no Evan- 
gelho e na tradição : — di- 



MOR 



137 



vina; moral divina; a sub- 
stancialmente contida no 
decálogo . Sentido moral ; 
sentido moral ; interpreta- 
ção que se dá á Escriptura, 
a fim de tirar d'ella alguma 
instrucçâo para os costu- 
mes. Virtudes morales ; vir- 
tudes moraes; as que téem 
as luzes da rasão por único 
principio. La moral del pe- 
cado ; a moral do peccado; 
opposição de uma acção á 
consciência, á lei. Teolojía 
moral; theologia moral; a 
que trata dos casos de con- 
sciência: — m. (bot.) amo- 
reira; genero de plantas da 
familia das urticáceas: — 
blanco. V. Morera : — mtd- 
ticanle. V. Morera mulfi- 
canle: — negro; amoreira 
negra ou preta ; arvore de 
tamanho regular, que se 
cultiva na Europa pelos seus 
fructos de cor escura quan- 
do maduros, e pelas suas fo- 
lhas, postoque de mui in- 
ferior qualidade, para ali- 
mento dos bichos de seda. 

Moraleja. /. V. Moralidad, na 
quarta accepçao. 

Moralidad./. Moralidade; in- 
strucçâo, doutrina, ensino 
moral. Documentum morale 
vel sententia: — moralida- 
de ; relação das acções hu- 
manas com os principios da 
moral. Moralitas, atis: — 
moralidade; caracter, prin- 
cipios, costumes de uma pes- 
soa, sua conducta regular e 
moral: — moralidade, má- 
xima; sentido moral de 
uma fabula, apólogo, alle- 
goria, etc.: — moralidade; 
objecto moral de uma obra 
litteraria ou dramática. 

Moralismo, m. (philos.) Mora- 
lismo ; todo o systema philo- 
sophico que deixa os estudos 
psycologicos e ontológicos, 
para dedicar-se exclusiva- 
mente á moral : — moralis- 
mo; crença religiosa das 
pessoas que põem de parte 
o dogma e até o culto, para 
occupar-se somente das boas 
obras. 

Moralista, m. Moralista; pro- 
fessor de moral ou o escri- 
ptor sobre doutrina moral. 
Sdentice moralis scriptor vel 
studiosus : — m. pl. (rei.) 



138 



MOR 



moralistas i nome dado em 
outro tempo em Flandres 
aos jansenistas, porque en- 
sinavam uma moral muito 
austera. 

MoRALisAciON./. (ncol.) Morali- 
sação ; acçào de moralisar, de 
inculcar principios moraes. 

MoRALisADOR, iiA. s. Moralisa- 
dor; o que raoralisa. Usa-se 
também como adjectivo. 

MoRALiSAR. a. Moralisar; re- 
formar os costumes, estir- 
par os vicios, corrigir os ho- 
mens: — moralisar; discor- 
rer doutrinando, com fim mo- 
ral. Usa-se também como 
neutro. Moraliter explicare; 
ad mores aliquid traducere : 
• — moralisar ; servir de li- 
ção de moral, v. g.: Todo 
buen ejemplo moralisa; todo 
o bom exemplo moralisa. 

Moralmente, adv. m. Moi'al- 
mente, ethicamente ; segun- 
do as regras da moral. Mo- 
raliter : — moralmente ; con- 
forme o commum entender, 
como ordinariamente se jul- 
ga, provavelmente. Ex com- 
muni hominum sensu; pro- 
habiliter : — moralmente ; 
com moralidade, virtude e 
honradez: — moralmente, 
verosimilmente; segundo as 
regras da evidencia moral, 
T. g. : es moralmente imposi- 
ble; é moralmente impossí- 
vel. 

Moranza. /. (ant.) V. Morada. 

Morar. n. Morar; habitar, re- 
sidir em um sitio, bairro, ci- 
dade, rua, etc. Habitare, in- 
colere. 

Morato. m. (chim.) Morato; 
sal produzido pela combina- 
ção do acido morico com 
uma base. 

Moratoria./. Moratoria, alva- 
rá de espera e de dilação; 
ordem ou carta regia que 
concedia ao devedor, alem 
do dia em que devia pagar, 
certo praso de espera, antes 
de findo o qual não podia 
ser demandado. Hoje não se 
conhece outra moratoria, se- 
não a espera que os credo- 
res concedem ús vezes ao 
devedor para n'este espaço 
poder pagar. Temporis pro- 
rogatio. 

MORAVEDÍ, MoRAVETIN, MorA- 

viDí. m. (ant.) V. Maravedí. 



MOR 

Moravo, va. s. Moravo; o na- 
tural da Moravia: — adj. 
moravo ; que pertence á Mo- 
ravia. 

Morbero. ???. (naut.) V. Cabo 
de sanidad. 

Morbidez. /. (pint. e esculpf.J 
Morbidade; o mimoso ou 
suavidade das carnes de 
uma figura. Teneritas, mol- 
litudo: — delicadeza, suavi- 
dade, qualidade do que é 
suave ao tacto. 

Mórbido, da. adj, (esculpt. e 
pint.) Mórbido, molle, deli- 
cado, mimoso; diz-se das car- 
nes representadas com sum- 
ma delicadeza e suavidade. 
Morbidum, dulce, tenerum, 
molle: — (med.J mórbido, 
morboso. V. Morboso. Mor- 
bidus, a, um. 

Morbífico, ca. adj. Morbifico; 
pertencente ás doenças, ou 
que as causa. Morbifieus, a, 
um. 

Morbo, m. Morbo, doença, en- 
fermidade. V. Enfermedad: 
— real (ant.) V. Lepra: — 
comicial. V. Epilepsia: — 
gálico. V. Buhas, Gálico : — 
rejio. V. Ictericia. 

Morboso, sa. adj. Morboso, mór- 
bido, achacoso, doentio, que 
causa doença. Morbosus, a, 
um. 

Morcajete. m. (p. Mex.) V. 
Molcajete. 

MoRCAJo. m. Trigo misturado 
com centeio. 

MoRCELLA. /. Faísca, fagulha 
que salta do morrão da can- 
deia, da vela, etc. Favilla, ce. 

Morcilla. /. Chouriço de san- 
gue, feito com o sangue de 
porco adubado. Botulus, i. 

Morcillero, ra. s. Salchicheí- 
ro, chouriceiro que faz ou 
vende chouriços de sangue. 

Morcillo, lla. adj. Mursello; 
diz-se do cavallo e da égua 
còr de amora preta. Niger 
equus: ■ — m. polpa, ou par- 
to carnuda do braço desde o 
hombro até ao cotovelo. 

Morcón, m. Murcclla; grande 
chouriço de sangue. Botulus 
major : — (fam.) pessoa mui 
gorda, baixa e molle. Botuli 
speciem referens. 

Mordacidad. /. V. Mordazi- 
dad. 

Mordante. m. (typ.) Mordente; 
peça de pau ou de ferro fen- 



MOR 

dida, com que o compositor 
typographico aponta a linha 
do exemplar que copia, se- 
guro sobre o divisorio. Con- 
nectens tabella typographica. 

MoRDATE. m. Mordate ; nome 
dado pelos turcos aos rene- 
gados que, depois de terem 
abjurado o christianismo pe- 
lo mahometismo, volvem á 
primeira crença, e abjuram 
depois pela segunda vez. 

Mordaz, adj. Mordaz, pungen- 
te, acre, corrosivo. Mordax, 
acis: — picante, acerbo, as- 
pero e desabrido ao gosto, 
ao paladar. Acerbus, a, um: 
— (fi9-) mordaz, picante, 
mordente, satyríco. Mordacc, 
malediciis. 

Mordaza. /. Mordaça; instru- 
mento que se mette na boca 
de alguém para lhe tolher 
que possa fallar. Incastra- 
tura língua}, vel frenum lin- 
gularíum. Poner a alguno 
una mordaza (fr. fig.J; pôr 
mordaça, tapar a boca, obri- 
gar a guardar silencio : — 
aziar; instrumento com que 
se apertam os beiços ás bes- 
tas para as ter quietas. 

Mordazidad. /. Mordacidade, 
corrosívidade; qualidade cor- 
rosiva de certos corpos. Mor- 
dacítas, atís : — acerbi- 
dade, acrimonia; aspereza, 
qualidade acre, acerba e pi- 
cante de certas fructas e ou- 
tras substancias. Acerbítas, 
acrimonia: — (jig-) morda- 
cidade, maledicencia, detrac- 
ção. Mordadlas, maledícen- 
tia: — (fig-J mordacidade; 
caracter mordaz, língua ou 
penna moi-daz, satyríca. 

Mordazilla./. Especie de mor- 
daça com que se castiga a 
falta de silencio dos noviços 
em algumas religiões. 

Mordazmente, adv. m. Mor- 
dazmente; com mordacida- 
de. Mordaciter, maledich, 
aculeate. 

MoRDECHiN. m. Mordexim ou 
morexim; especie de cólica 
mui perigosa e endémica das 
índias orientaes, parecida 
com o miserere. 

Mordedor, ra. s. Mordedor; o 
que morde. Antigamente ser- 
via a terminação masculina 
em castelhano, para ambos 
os géneros. Qui mordei : — 



MOR 

(fig.) mordaz, satyrisador, 
murmurador. 
Mordedura./. Mordedura , den- 
tadura; acçào de morder, e 
tambera a ferida, mossa ou 
signal que ella deixa. Mor- 

SUS, US. 

MoRDELA. /. (zool.) MordelLi; 
genero de insectos coleópte- 
ros heteromeros, da familia 
dos trachelidos. 

MoRDELiTos. m. pl. (zool.) Mor- 
dellitos; grupo de insectos 
coleópteros heteromeros, da 
tribu dos mordelloes. 

MORDELONES. m. pl. (zOoLJ^ÍOT- 

delloes; tribu de insectos co- 
leópteros tetrámeros, da fa- 
milia dos trachelidos. 

Morder, a. Morder-, apertar 
fortemente com os dentes, 
deixando-os assignalados, fe- 
rir Cura os dentes. Morderé: 
— morder, pungir, picar; diz- 
se dos humores e outras cou- 
sas que exasperam o tacto ou 
o gosto. Morderé, pungere: 
— tomar, apanhar uma cou- 
sa íi outra, prendendo-a ou 
sujeitando-a. Morderé, mor- 
sa apprehendere : — morder, 
roer; consumir, gastar in- 
sensivelmente ou pouco a 
pouco, como faz a lima aos 
metaes, etc. Morderé: — 
(fig.) morder, murmurar, sa- 
tyrisar. Morderé, detrectare: 
morder, roer, comer, gastar, 
consumir; diz-se de muitas 
cousas inanimadas: • — el 
2Jolvo (fr. fig.); morder a 
terra; succumbir em uma 
luta, cair morto em bata- 
lha. Morderse la lengua (fr. 
fig.); morder a lingua; re- 
frear-se, conter- se, não pro- 
ferir o motejo, a censura 
que se ia a lançar contra 
alguém. Esa te muerda(loc.); 
usa-se para desprezar o que 
alguém diz, ou para mostrar 
que se conhece a sua inten- 
ção dissimulada : — la fras- 
queta (fr. typ.); morder a 
frasqueta; diz-se quando a 
frasqueta sáe fora, não igua- 
la, cobre alguma parte do 
que deve apparecer impres- 
so: — una plancha; abrir, 
gravar á agua forte: — 
( naut. ) morder a ancora 
a areia; aferrar, prender 
n'ella. 

MoBDicAcioíí. /. Mojrdicaçâo, 



MOR 

prurido pungente; sensação 
(jue causam os humores acres 
no corpo, e outras cousas 
mordazes. Mordicatio, exas- 
jieratio. 
Mordicante, adj. Mordicante, 
acre, picante, pungente, cor- 
rosivo. Mordicans, pungens: 

— (med.) mordicante, acre; 
diz-se do calor cutâneo, que 
em algumas affecções pro- 
duz uma especie de picada 
no dedo que toca a pelle: 

— (zool.) mordente, morde- 
dor; diz-se dos insectos que 
chupam o sangue dos ani- 
maes, como certos mosqui- 
tos, etc. 

Mordicar, a. Mordicar, picar, 
pungir. Mordicare, exaspe- 
rare, ptmgere. 

MoRDiCATivo, VA. üdj. Mordi- 
cativo, mordicante; que mor- 
dica ou tem a virtude de 
mordicar. 

Mordida./. V. Mordedura. 

Mordido, da. adj. Dizimado, 
desfalcado; a que se roubou 
um pouco. Morsus, imminu- 
tus. 

Mordiente . m. Mordente ; ver- 
niz, cor grossa com colla, 
que 03 pintores assentam 
por baixo da douradura: — 
mordente; substancia com 
que se preparam os tecidos 
ou madeiras que se hão de 
tingir, para fixarem as tin- 
tas. Retinax, acis : — pl. 
(germ.) tesoura ou tesouras: 

— adj. (pint.) diz-se da pin- 
tura que está meia secca. 

Mordihuí, m. (zool.) V. Gor- 
gojo. 

Mordimiento, m. V. Morde- 
dura. 

Mordiscar, a. Mordiscar ; mor- 
der ligeiramente e reitera- 
das vezes sem fazer presa. 
Morsicatim apprehendere , 
scindere : — V. Morder. 

Mordisco, m. Mordedura, mor- 
didela. Morsus, morsiuncu- 
la : — bocado que se tira 
de alguma cousa, morden- 
do-a. Frustum morsu excis- 
sum: — del diablo (hot.). V. 
Escabiosa de los bosques. 

MoRDiscoN. m. V. Mordisco, 

More a. /. (bot.) Morea; genero 
de plantas da familia das 
irideas. 

MoREt. DE SAL. ???. (pi/lt.) Tiu- 

tí), carmesim escura, feita a, 



MOR 



139 



fogo , para a pintura a 
fresco. 

MoRELiA. /. (bot.) Morelia; ge- 
nero de plantas da familia 
das rubiáceas : — (zool.) ge- 
nero de reptis ophidios. 

Morena. /. Especie de fogaça 
ou pão escuro, como o de ra- 
la. Pañis subniger : — me- 
da ou montão de gavelas, de 
feixes: — inter j. (fam.) to- 
ma cuidado, vê lá o que fa- 
zes, olha que pagas, tu o 
pagarás, ex.: sino lo hicie- 
res morena; se o não fize- 
res, toma cuidado, olha que 
pagas. Sobre ello morena 
(fr.); succeda o que succe- 
der. Vel posnam subibis: — 
(zool.) V. Murena. 

MoRENEL. m. (art.) V. Carrie- 
go, Garlito. 

MoRENiA. /. (bot.) Morenia; ge- 
nero de plantas da familia 
das palmeiras. 

MORENICO, CA, LLO, LLA, TO, TA. 

adj. dim. de Moreno. More- 
ninho, trigueirinho. Subni- 
ger, era, erum. Usa-se as 
mais das vezes como de- 
monstração de ternura e ca- 
rinho. 

MoRENiLLO. m. Pó negro que 
os tosquiadorcs usam para 
applicar ás feridas que por 
acaso fazem na pelle do 
animal. Pulvis nigcr vete- 
rina. 

Moreno, na. adj. Moreno, tri- 
gueiro; de cor escura; diz- 
se das cousas. Subniger, fus- 
cus : — moreno, trigueiro; 
que tem a cor do rosto al- 
gum tanto escura, como a 
dos mouros, ^tiops, opis. 

MoREOTA. s. Moreota; o natu- 
ral de Morea : — adj. mo- 
reota; que pertence á pe- 
ninsula chamada Morea. 

MoRER. n. (ant.) V. Morir. 

Morera. /. (bot.) Amoreira 
branca; especie de arvores 
fructíferas do genero morus, 
de grande importancia agrí- 
cola, por ser princijDalmente 
cultivada para a creaçào do 
bicho de seda: — multicau- 
le; amoreira multicaule; va- 
riedade de amoreira que se 
propaga com muita facili- 
dade e produz muita folha, 
também para alimentação 
do bicho de seda. 

Moreral, m. MoreiraJ, amorei- 



140 



MOR 



ral ; camino plantado de amo- 
reiras. 

Morería. /. Mouraria*, bairro 
destinado para, habitação dos 
mouros, quando eram tole- 
rados em Portugal e Hes- 
panha. Também se diz da 
provincia ou terra que elles 
habitavam. Maurorum vicus 
vel provincia. 

MoRETiA. /. (bot.) Moretia ; ge- 
nero de plantas da familia 
das cruciferas. 

MoREZNO. m. (ant.) Mourosi- 
nho, menino filho de mouro. 

MoRFEA. /. (med.J Morphéa; 
especie de lepra. 

MÓKFico, CA. adj. (chim.) Mor- 
phico; diz-se dos saes cuja 
base é a morphina. 

MoRFiMETRÍA./. Morphimetria; 
medida da forma de um 
corpo. 

MoRFiMÉTRico, CA. üclj. Morphi- 
metrico; que respeita á mor- 
phimetria. 

Morfina. /. (chim.) Morphina ; 
alkali vegetal, solido e bran- 
do, que existe no opio. 

Morfio. m. (chim.) Morphio ; 
nome que dão os chimicos 
allemães á morphina. 

Morfo. Vi. (zool.) Morpho (bel- 
leza); genero de insectos le- 
pidópteros, da familia dos 
nymphalios. 

MoRFOiDE. m. (zool.) Morphoi- 
de (aspecto formoso) ; gene- 
ro de insectos coleópteros 
subpentameros, da familia 
dos clavipalpos. 

MoRFOLOjÍA. /. Morphologia; 
historia das formas que po- 
de tomar a materia. 

MoRFOLÓJico, CA. adj. Morpho- 
logico ; que se refere á mor- 
phologia. 

MoRFOzoARio. m. (zool.) Mor- 
phosoario; animal que tem 
uma forma bem determi- 
nada. 

MoRGA. /. V. Alpechim. 

Morganático, ca. adj. Morga- 
nático ; diz-se do matrimo- 
nio contrahido entre um 
principe e uma pessoa de 
condição inferior. Também 
se chama matrimonio de mão 
esquerda. 

Moribundo, da. adj. Moribun- 
do; diz-se do que está pró- 
ximo a morrer. Moribundus, 
animam agens : — moribun- 
do; próprio dos que estão 



MOR 

morrendo, como: voz mori- 
bunda; voz moribunda. 

Morica. /. (zool.) Morica (lou- 
co); genero de insectos co- 
leópteros heteromeros, da 
familia dos melasomos. 

MoRicANDiA. /. (bot.) Moricau- 
dia; genero de plantas da 
familia das cruciferas. 

MoRicHE. m. (bot.) Moriche; 
palmeira similhante á que 
dá as támaras, que abunda 
na provincia da Guyana. 

Moriego, ga. adj. (p. Ar.) Mou- 
risco; que pertence aos mou- 
ros. Ad mauros pertinens. 

MoRijERAciON. /. Morigeraçào , 
temperança, moderação nos 
costumes e modo de vida, o 
cuidado de morigerar. Mo- 
rigeratio, onis. 

MoRiJERADO, DA. adj. Morige- 
rado; bem creado, de bons 
costumes, que tem bom pro- 
cedimento. 

MoRiJERAR. a. Morigerar; tem- 
perar ou moderar os exces- 
sos dos affectos, e em senti- 
do mais lato diz-se dos cos- 
tumes ou de outras cousas. 
Morigerare: -. — morigerar; 
ensinar, inspirar bons cos- 
tumes: — r. morigerar-se ; 
proceder bem. 

Morillo, m. dim. de Moro. 
Aíourosinho, mouro ainda 
novo, Puer maurus: — cães ; 
ferros da chaminé, que sus- 
têem no ar a lenha. Lares, 
ium : — pi. V. Morrillo : — 
(art.) as duas primeiras va- 
ras de fita que se tecem, as 
quaes ficam para o tecedor. 

MoRiMo. m. (zool.) Morimo (fa- 
tal); genero de insectos co- 
leópteros, da familia dos lon- 
gi cornes. 

MoRiNA. /. (bot.) ^lorina; ge- 
nero de plantas da família 
das dipsáceas. 

MoKiNDA. /. (bot.) Morinda; ge- 
nero de plantas da familia 
das rubiáceas. 

MoRÍNDEAs. /. pi. (bot.) Morin- 
deas; sub-tribu de plantas, 
da familia das rubiáceas. 

MoEÍxEAs. /. pi. (bot.) Mori- 
neas; tribu de plantas da 
familia das dipsáceas. 

Moringa. /. (bot.) Moringa; 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

MoEiK. n. Morrer, espirar ; ces- 
sar de viver, acabar a vida, 



MOR 

extinguir-se todo o movi- 
mento vital, dar o ultimo 
alento. Mori : — (fig.) mor- 
rer, fenecer, extinguir-se, 
acabar de todo qualquer cou- 
sa, aindaque que não saja 
vivente. Finiré, finem attin- 
gere, imponer e: — morrer; 
padecer em excesso, tanto 
no physico como no moral, 
V. g.: morir de sed, morir 
de zelos, etc.; morrer de se- 
de, morrer de ciúmes, etc. 
Deperire: — morrer; aca- 
bar, extinguir-se pouco a 
pouco; diz-se da luz, do fo- 
go, etc., que se vae apagan- 
do. Usa-se também como re- 
ciproco. Extinguere: — mor- 
rer ; terminar, dissipar-se 
por uma imperceptível di- 
minuição, por um enfraque- 
cimento gradual ; diz-se dos 
sons, da luz e cores de uma 
pintura, etc.- — morrer; de- 
sejar, appetecer anciosameu- 
te. Diperere, desiderio fla- 
grare, disperire: — morrer, 
desaguar; lançar-se um rio 
em outro ou no mar : — mor- 
rer, acabar, seccar; diz-se 
das plantas : — morrer, aca- 
bar, extinguir-se, terminar- 
se; diz-se das instituições, 
das paixões, dos estados, das 
obras de arte, producções 
do engenho, etc. Finiré : — 
ficar fora do jogo ; diz-se no 
bilhar e em outros jogos: — 
diz-se «m alguns jogos, dos 
lances ou mãos que, por não 
se saber quem as ganha, se 
dão por perdidas. Irrilum 
haberi : — designar os pon- 
tos do dado a casinha em 
que está pintada a morte, 
no jogo do ganso. Mortem 
attingere, subiré : — morrer ; 
emprega-se algumas vezes 
para expressar as causas da 
morte, como: morir de muer- 
te natural; morrer de mor- 
te natural, etc. Morir o per- 
der la vida; morrer ou per- 
der a vida; estar próximo a 
morrer: — moi-rer; entorpe- 
cer-se, perder o movimento, 
a força, o vigor algum mem- 
bro do corpo, por paralysia, 
grande susto, debilidade, 
etc. Torpere, seusu j^nvari: 
— como un perro (fr.); mor- 
rer como um cão; abando- 
nado dos seus similhantes: 



MOR 

morrer como um cão, como 
um condemuado; sem que- 
rer manifestar o menor ar- 
rependimento de suas fal- 
tas: — de amor; morrer de 
amor; estar muito apaixo- 
nado por alí?uem : — o mo- 
rirse de hambre (fr.); mor- 
rer de fome; não ter meios 
de subsistencia: — o quedar- 
se sin decir Jesús (fr.) ; mor- 
rer sem dizer Jesus, mor- 
rer de repente: — para al- 
guno o para alguna cosa 
(fr.); morrer para alguém 
ou para alguma cousa; re- 
tirar-se, privar-se d'ella pa- 
ra sempre: — para el mun- 
do (fr.); morrer para o 
mundo ou ao mundo; aban- 
dona-lo, retirar-se da socie- 
dade, ir para o retiro. Mo- 
rirse por alguno (fr.); mor- 
rer por alguém; ama-lo em 
extremo. Aliquem deperire, 
valde amare, arderé : — ves- 
tido (fr.); morrer vestido, 
de morte violenta. Extra le- 
ctum mori. Bien morir (fr.); 
bem morrer, morrer chris- 
tãmeute : — civilmente (for.); 
morrer civilmente ; achar-se 
privado dos direitos civis 
por Ana de pena ; morrer 
civilmente; diz-se também 
dos religiosos que, n'csta 
qualidade, renunciaram pa- 
ra sempre a certos direitos, 
a certas vantagens sociaes. 
Civiliter mori. 

MoRiscADO, DA. adj. (ant.) V. 
Moruno. 

Morisco, ca. adj. Mourisco, 
mouro ; concernente a mou- 
ros. Maurus, a, um: — di- 
7,ia-se de cada um dos mou- 
ros que no tempo da restau- 
ração de Hespanha se tole- 
raram, dejiois de terem re- 
negado a sua fé e sido ba- 
ptisados. Filippe III os ex- 
pulsou depois em 1610. Mau- 
rus neopliylus. 

Morisma. /. Seita, religião dos 
mouros : — mourama ; mul- 
tidão de mouros. ilíaMro7-Mm 
imperium, vel mídtiiudo. 

Morisqueta./, (fam.) Astucia, 
ardil ou treta própria de 
mouros, e por traslação diz- 
se de qualquer maranha, 
embuste ou acção com que 
se pretende burlar, enganar 
ou illudir alguém. Techna, 



MOR 

subdola ars. Hacer moris- 
quetas (fr.); fazer velhaca- 
rias, tratantices, acções que 
oíFendam alguém. Versiitiis 
aliquem- prosequi, illudere. 

MoRjiTAS. m. pi. (rei.) Morgi- 
tas ; individuos de uma das 
seitas mais fanáticas dos 
mahometanos. 

Morlaco, ca. adj. Que se faz 
tolo, que aíFecta ignorancia. 
Mario, sannio. 

MoRLAN. m. (ant.) Y. Morlés. 

MoRLÉs. m. (comm.) Sorte de 
panno de qualidade entrefi- 
na. Tela linea suhtilior sic 
dieta: — de morlés; panno 
de linho mais fino que o 
precedente, porém da mes- 
ma especie. Tela linea suhti- 
lior sic dieta: (fr. fam.) 
uma cousa por outra, troca 
por troca, diíferençar-se pou- 
co ou nada uma cousa de ou- 
tra. Idem per idem. 

Morlón, na. adj. V. Morlaco. 

MoRMORÍo. m. (ant.) V. Mur- 
Tnuracion. 

Mormullar, a. V. Murmurar. 

Mormullo, m. V. Murmidlo. 

Mokmuracion. /. V. Murmura- 
ción. 

MoRMURADOR, KA. ttdj. V. Mur- 
murador. 

Mormurar, a. V. Murmurar. 

MoRNELL. m. (art.) V. Carrie- 
go, Garlito. 

Moro, ra. adj. Mouro; per- 
tencente á Mauritania ou 
aos mouros : — s. mouro ; o 
natural de Mourama. Mau- 
rus, i : — (fam.) mouro ; diz- 
se do vinho em que não se 
misturou agua, em contra- 
posição do que a tem, a que 
se chama vinho baptisado, 
e em hespanhol cristiano. 
Merum, i : — diz-se do ca- 
vallo negro azeviche, que 
tem uma estrella ou malha 
branca na testa, e que é cal- 
çado de uma ou de duas ex- 
tremidades : — (ant.) mouro, 
gentio, pagão : — de paz ; 
mouro de ¡laz; diz-se do 
mouro que na Africa pro- 
mette vassallagem ao rei, e 
por meio do qual se contra- 
tíim ou mantém relações com 
os demais da Africa. Paci- 
ficus, pacatus vel subditus 
maurus: (fig.) homem paca- 
to e pacifico. Moros van, 
moros vienen (fr. fig.); diz- 



MOR 



141 



se dos movimentos oscil-la- 
torios e vacillantes de um 
bêbado. Ferme ebrium esse. 
Moros y cristianos; festa 
publica que se executa em 
algumas provincias hespa- 
nholas, fingindo um comba- 
te entre mouros e christãos. 
Pompa celebris, tnaurorum 
et christianorum prcelium 
simidans. A moro muerto 
gran lanzada (rif.) ; a mou- 
ro morto, gran lançada. Ha- 
ber moros y cristianos (fr. 
fig.) ; haver grande baralha, 
rixa, discordia ou penden- 
cia. Dissidia vel p>rcelia 
innire. 

MoROCADA. f. Marrada de car- 
neiro. Arietatio, onis. 

Morocho, m. (p. A.) Varieda- 
de de maiz de grão volumo- 
so, amarello e solido. 

Morón, m. Moronço, mouroço 
ou morouço; montinho, pe- 
queno monte. Monticulus, i. 

Moroncho, cha. adj. V. Mo- 
rondo. 

Morondanga. /. Misturada de 
bugiarias, de cousas inúteis, 
de i)ouca entidade. Fárra- 
go, inis: — bagatella; cou- 
sa de pouca importancia, de 
nenhuma consideração. 

Morondo, da. adj. Pellado; 
sem cabello. Matilus, a, 
iim: — desfolhado, sem fo- 
lhas; diz se de uma arvore, 
etc. Mutilns, a, um. 

MoRONÍA. /. V. Alboronia. 

Morosamente, adv. m. Moro- 
samente; com morosidade. 
Moróse, tarde, lente. 

Morosidad. /. Morosidade, tar- 
dança; o ser moroso, dispo- 
sição vagarosa, tardonha. 
Mora, tarditas, cunctatio. 

Morosis. /. (med.) Morosis; di- 
minuição, enfraquecimento 
do animo. 

Moroso, sa. adj. Moroso, tar- 
dio, tardou ho, vagaroso, de- 
tençoso. Morosus, tardus. 

MoRoxiTA. /. (min.) V. Fosfo- 
rita. 

MoKQDERA. /. (j)rov. bot.) Es- 
pecie de tomilho. 

MoKRA. /. Alto da cabeça. Ca- 
pitis jxirs superior: — certo 
jogo vulgar, que consiste 
em dizer ao mesmo tempo, 
as duas pessoas que n'elle 
tomam parte, um numero que 
não passe de dez, assigna- 



142 



MOR 



lando outro numero arbitra- 
rio com os dedos. Ludus sic 
dictus digitis signatus : — • 
sussurro que fazem os ^atos 
cora a respiração quando es- 
tão satisfeitos, e que vulgar 
e erradamente se chama as- 
thma. Andar a la morra 
(fr.) V. Morro. 

Morrada. /. Cabeçada, marra- 
da; golpe com a cabeça, 
principalmente quando duas 
pessoas dào com a cabeça 
uma na outra, Capitis ictus. 

Morral, m. Embornal ou am- 
bornal; saco em que se dá 
a cevada ou ração ás bestas 
que vão caminhando, met- 
tendo-lh'o no focinho. Sacu- 
lus pro equis cibandis eo- 
rundem capiti appensiis : — 
bornal; saco em que os sol- 
dados e caçadores levam as 
suas provisões, e estes últi- 
mos guardam a caça: — 
(vulg.) homem cascudo, de 
grande casca, grosseiro, igno- 
rante. 

Morralla. /. Farragem ; mis- 
cellanea de cousas mal or- 
denadas e de pouca impor- 
tancia. Fárrago, inis: — 
frandulage; também se diz 
das pessoas: — metralha; 
moeda velha de cobre, etc. : 
—V. Boliche. 

Morrer, n. (ant.J V. Morir. 
Usa-se hoje somente no dia- 
lecto gallego. 

Morrillo, m. dim. de Morro. 
Morrosinho : — seixo, pedra 
arredondada ou qualquer 
outra cousa similhante. Bo- 
iundos res et parva : — gor- 
dura rija e saborosa do ca- 
chaço do carneiro. I71 occi- 
pite arietis pars rotunda et 
torosa. 

Morriña. /. Tristeza, melan- 
cholia, desalento. Mceror, 
tristitia : — fvet.J morrinha ; 
doença epizoótica e muito 
destructiva do gado. 

Morrión, m. fant.) V. Bobo : — 
(mil.) V. Chacó : — morriào ; 
capacete sem viseira que co- 
bria o casco, e de ordinario 
tinha tope, plumas ou outro 
adorno. Galea, cassis : — 
fveí.j especie de vertigem nos 
falcões. Capitis vértigo. 

Morro. m. Morro, cabeço; 
monte pequeno e arredonda- 
do. Também se diz, em cas- 



MOR 

telhano, de qualquer outra 
cousa com esta forma. lies 
rotunda: — beiço grosso e 
sa.\iente. Labrum prominens : 

— (iiaut.J morro; monte al- 
to, escarpado, isolado e re- 
dondo, que ou serve de mar- 
ca aos navegantes na costa, 
ou existe á entrada de al- 
guns portos com fortifica- 
ções; taes são os de Hava- 
na, Porto Rice, etc. Andar 
ai morro ó á la morra (fr. 
fig.); andar á murraça, aos 
murros, ao soco, á bulha. 
Ictibtis contendere. Jugar al 
morro con alguno (fr. fig.); 
andar a fazer jogo com al- 
guém, engana-lo, não cum- 
prir o que se lhe promette. 
Aliquem technis circumveni- 
re. Calar el morro (fr.fig.); 
abaixar a viseira; abaixar a 
cabeça em ar de qnfado, 
tristeza ou de quem está ta- 
citurno. Poner la bandera 
al morro; pôr a bandeira 
enrolada : — adj. diz-se do 
gato que faz certo susurro 
com a respiração quando o 
aôagam. Felis murmurans. 

Morrocoy, m. (naut.) Embar- 
cação grande e respeitável 
por sua força. 

Morrocotcdo, da. adj. (fam.) 
De ferro, forte, macisso, 
grosso: — difficultoso, espi- 
nhoso, arduo : — de quali- 
dade. 

Morrón, m. (mil.) I\Iorrâo ou 
murrào; pedaço de corda 
desfiado na ponta e molha- 
do em breu ou outra mate- 
ria inflammavel, com que se 
dá fogo ás peças : — (naut.) 
bandeira enrolada ou forra- 
da no alto do seu pau, de- 
pois de içada. V. Bandera. 

Morroncho, cha. adj. (p. Mure.) 
Tranquillo, socegado, quie- 
to. V. Manso: — m. gati- 
nho; gato pequeno. 

Morrudo, da. adj. Cabeçudo, 
rombo, arredondado, sem 
ponta. Botundus, tuberans: 

— beiçudo, focinhudo.- — V. 
Morro, Cotudo. 

Morsa./, (zool.) Morsa; gene- 
ro de mammiferos carnicei- 
ros. 

Mortadela. /. (comm.) Morta- 
dela; nome de um salpicâo 
que se faz em Italia, e par- 
ticularmente em Bolonha, 



MOR 

Mortaja. /. Mortalha; panno 
ou vestido em que vae en- 
volto o cadáver para ser in- 
humado. Cadaveris involu- 
crum vel amiculum: — (art.) 
V. Muesca: — (zool.) morta- 
ja; genero de molluscos ter- 
restres gasteropodas. 

Mortal, adj. Mortal; que cau- 
sa a morte, ou que parece 
causa-la. Lethalis, morlife- 
rus : — mortal ; sujeito á mor- 
te. Mortalís, le: — mortal, 
capital, extremo, excessivo, 
de morte, que dura até á 
morte; como: odio mortal; 
odio mortal, etc. Capitalis, 
lethalis: — enfadonho, fasti- 
dioso, compridissimo; diz-se 
de um caminho mui longo, 
etc.: — mortal; diz-se do que 
tem ou está com signaes ou 
apparencias de morte, e do 
que está moribundo. Morti 
próximas vel rtt mortuus: — 
certo, seguro, infallivel, co- 
mo: sehal mortal; signal 
certo : — m. pil. os mor taes ; 
os homens, a especie huma- 
na. Pecado mortal. V. Pe- 
cado. Ser enemigo mortal de 
alguno (fr.); ser inimigo 
mortal, capital, figadal de 
alguém; odia-lo profunda- 
mente, aborrece-lo de morte. 

Mortaldat. /. (ant.) V. Mor- 
tandad. 

Mortalidad./. Mortalidade; o 
ser mortal, condição, natu- 
reza das cousas mortaes. 
Mortalitas, atis. 

Mortalmente, adv. m. Mortal- 
mente ; de morte : — mortal- 
mente, excessivamente, de 
morte; como: odiar mortal- 
mente; odiar, aborrecer mor- 
talmente: — mortalmente, 
de morte; de modo a causar 
a morte. Lethaliter, morta- 
liter, mortifere. 

Mortandad. /. Mortandade ; 
grande numero de pessoas 
mortas em batalha ou por 
doença. Strages, exitium, 
inter necio. 

MoRTARio. m. (ant.) V. Mortero^. 

Morte. /. (ant.) V. Muerte. É 
usado no dialecto gallego. 

Mortecino, na. adj. Mortesi- 
nho; animal morto natural- 
mente, sem violencia, e tam- 
bém se diz da sua carne. 
Em portuguez é antiquado. 
Morticinus, exanimis: — 



MOR 

amortecido, languido, apa- 
gado, sem expressão nem 
vigor. Languidus, remissus: 

— amortecido ; mortificado, 
quasi extiucto, quasi apaga- 
do. Semianimis, exanguis. 
Hacer la mortecina (fr.); 
lingir-se morto. Mortem si- 
mulare. 

MoRTEK. m. (ant.) V. Mortero 
ó Argamasa. 

MoKTERADA. /. Adubo de alhos 
pisados no morteiro: — mor- 
teirada; tiro, descarga de 
morteiro. Mortarii bellici 
jactus. 

Morterete, m. (mil.) Mortei- 
rete; morteiro pequeno que 
se usava para dar salvas. 
Mortariolum hellicum : — 
buraco em forma de cone 
truncado, inverso e obliquo, 
que lêem os reparos das pe- 
ças : — (naut.) morterete ; j^e- 
ça pequena de artilheria, 
que os navios de pouco por- 
te levavam antigamente : — 
morteiro; peça pequena de 
ferro, atacada de pólvora, 
que se usa em certas festi- 
vidades para imitar as sal- 
vas de artilheria. Mortario- 
lum sulphureum: — vaso 
cheio de agua com um pe- 
daço de cera cora pavio ac- 
ceso no meio, para dar luz 
toda a noite. 

MoRTERico, LLo, TO. m. dím. de 
Mortero. Morteirete. 

MoRTERiLLO. m.V. Mortcruclo, 
na segunda accepçào. 

Mortero, m. Morteiro, gral. 
Mortarium, ii: — V. Arga- 
masa : — (fam.) tacão ; ho- 
mem acachapado, pessoa gor- 
da e baixa. Mortario simi- 
lis : — (br.) morteiro ; especie 
de gorra ou barrete de vel- 
ludo preto, agaloado de oi- 
ro, insignia de dignidade de 
supremos presidentes, chan- 
celleres e outi-os ministros : 

— (naut.) morteiro; caixa 
metalHca em que se colloca 
a agulha da marear ; — (mil.) 
morteiro; canhão curto e 
grosso para lançar bombas. 
Mortarium, catapultarium. 

MoRTERUELo. m. dtm. de Mor- 
tero. Morteirete: — brinco 
de rapazes em forma de mor- 
teiro : — especie de sarrabu- 
lho. Moretum hepatieum. 

Mortífero, ra. adj. Mortífero, 



MOR 

mortal ; que causa a morte. 
Mortiferus, a, um. 

MoRTiFicAciox./. Mortificação ; 
acção e efteito de mortifi- 
cai*. Mortificado, marcor: — 
mortificação da carne, ma- 
ceração; penitencia para 
amortecer os appetites .sen- 
suaes, macerando o corpo e 
reprimindo a vontade. Mor- 
tificatio, cupiditatum mode- 
ratio, castigatio corporis : — 
(fig.) mortificação, consumi- 
ção; afilicção, desgosto, des- 
prazer que se causa ou se 
sente. Perturbatio, afflictio : 
— mortificação; accidente 
triste, causa de dissabor, de 
desgosto. 

Mortificar, a. Mortificar, en- 
torpecer, amortecer; tirar 
ou diminuir a vitalidade, o 
vigor e a actividade natural 
de alguma parte do corpo. 
Mortificare: — mortificar; 
castigar com penitencias o 
corpo, a carne, os appetites. 
Usa-se também como reci- 
proco. Mortificare, cvpidita- 
tes domare, castigare: — mor- 
tificar, affligir, desgostar; 
causar desgosto, consumi- 
ção, desprazer. Mortificare, 
molestare: — mortificar, ma- 
cerar, amoUecer, abrandar 
a carne, fazer com que se 
ponha mais tenra. 

Mortuorio, m. Mortuorio, mor- 
torio, funeral, exequias, fu- 
neraes. Funus, inferice, ex- 
sequia}, justa: — mortuorio; 
renda de uma commenda 
pertencente á ordem de 
Malta, a favor da dita or- 
dem, desde o fallecimento 
do commendador até o pri- 
meiro dia de maio seguin- 
te. In ordine equcstri divi 
Joannis, reditus ctmortecom- 
mendatoris tisque ad kalen- 
das majas: — adj. mortuorio, 
fúnebre; que pertence ou se 
refere aos defuntos: — mor- 
tuorio, fúnebre; que perten- 
ce ao serviço, á pompa fú- 
nebre. Casa mortuoria; ca- 
sa em que vivia o defunto. 
Rejisfo mortuorio; registo, 
livro dos óbitos. 

Morueco, m. Carneiro de se- 
mente, ou carneiro pae; o 
que não é castrado, ou sor- 
ve para a propagação. Aries 
admisarivs. 



MOS 



143 



Mórula. /. (ant.) Mórula, de- 
tençãosinha, pequena espe- 
ra, vagarinho. 

Moruno, na. adj. Mourisco; 
pertencente aos mouros ou 
á Mourama. 

Morusa. /. (fam.) Chelpa, di- 
nheiro. 

MoRVEDÍ. m. (ant.) V. Mara- 
vedí. 

Mosa. /. Mosa; especie de cor- 
ça grande que se cria na 
America. 

Mosaico, ca. adj. Mosaico; 
concernente a Moysés : — m. 
mosaico ; embutido de pedri- 
nhas de varias cores e de 
pedacinhos de esmalte colo- 
rido, com que se imita a 
pintura. Opus tessellis dis- 
colorum lapidum vermiciila- 
tum. Es un mosaico (fr.); é 
um mosaico; diz-se de uma 
obra de engenho composta 
de partes separadas ou he- 
terogéneas : — (arch.) mosai- 
co; diz-se de uma ordem de 
architectura, cuja invenção 
se attribue aos judeus, e na 
qual as columnas têem a 
forma espiral: — mosaico; 
diz-se da columna torsa es- 
piral. Mosaicus, musivus : 
— arte de fazer mosaicos. 

MosAisMo. m. Mosaismo; lei de 
Moysés, systema moral d'es- 
ta lei. 

Mosaísta, m. Mosaísta; artista 
que trabalha em mosaico. 

MosASAURO. m. (zool.) Mosa- 
sauro; genero de reptis sau- 
rios, cuja especie única é um 
grande crocodilo encontra- 
do em estado fóssil nos ar- 
redores de Maestricht. 

Mosca./, (fam.) Pecunia, chel- 
pa, dinheiro. Pecunia, nu- 
mus: — (fig.) mosca; pes- 
•soa importuna, incommoda. 
Musca, ce: — (fig-) inquieta- 
ção, desgosto. Aculeus, mus- 
ca pungens: — mosca; pe- 
quena porção de cabello que 
se deixa crescer no labio in- 
ferior: — (fr. fam.) cliispas, 
fagulhas que saltam do lu- 
me. Scintillce, arum: — 
(interj.) apre, irra, oh! Usa- 
se para queixar-se ou estra- 
nhar alguma cousa que in- 
commoda ou enfada. Apage, 
vah: — e/i lech; diz-se da 
mulher morena que está ves- 
tida de branco. Fusca femi- 



144 



MOS 



na vestimentis alhis ornata: 
— muerta; mosca morta; 
pessoa que affecta mansidão 
e disfarça os seus intuitos 
até que tenha occasiào em 
que possa causar damno. 
Subdole paccatiis, vel mitis 
humilisque. Moscas Mancas; 
moscas de inverno', flocos do 
neve. Nivei flocci. Cazar 
moscas (fr. fig. fam.J; caçar, 
apanhar moscas; occupar-se 
em cousas vãs ou inúteis. 
Inania aucupari oleum et 
operam perderé. Las moscas 
se cazan con miel (fr.); com 
vinagre não se apanham 
moscas; mais se consegue 
pela brandura que pelo ri- 
gor e violencia. Papar mos- 
cas ó viento (fr. fig-); papar 
moscas: estar ocioso, sem 
fazer nada, de boca aberta. 
Muscas deglutiré. Picar la 
mosca (fig.); picar a mosca; 
estar alguém inquieto, vir- 
Ihe á memoria alguma cou- 
sa que causa desgosto ou 
afflicção. Pungi, aculéis lan- 
cinari. Sacudirse las mos- 
cas (fr. fig.) V. Mosquear- 
se. A quien se hace miel, mos- 
cas se le comeu (rif); quem 
se faz mel, as moscas o co- 
mem: — (astr.) mosca; cons- 
tellação do hemispherio aus- 
tral, que não é visivel nos 
nossos climas : — abelha ; pe- 
quena constellaçâo boreal, 
também chamada abeja, em 
castelhano : — (naut.) V. Es- 
campavía: — /. (zool.) mos- 
ca; genero de insectos dí- 
pteros, da familia dos athe- 
riceros, que contém uma in- 
finidade de especies, origina- 
rias de todas as regiões do 
globo. 

Moscada. /. Moscada-jV. Nuez 
moscada. 

Moscarda. /. (prov.) Ovos das 
abelhas mestras: — (zool.) 
especie de mosca, que se dis- 
tingue da commum por ter 
a extremidade do corpo ver- 
melha, e uma mancha dou- 
rada na parte anterior da 
cabeça; alimentase princi- 
palmente de carne morta. 

Moscardear, n. (prov.) Depo- 
sitar, pôr a abelha mestra ou 
mãe-rainha os ovos nos al- 
veolos. 

MoscARDiNo. m. (zool.) Moscar- 



MOS 

dlno; especie de mammiferos 
do genero lirón, cuja pelle é 
em geral de côr amarella. 

Moscardo, m. (ant.) V. Mos- 
cardón. 

Moscardón, m. (zool.) Moscar- 
do, moscão, atavão. V. Avis- 
Ijon: — (fig-) mosca; pessoa 
impertinente, molesta, que 
incommoda. Importunus tit 
musca. 

Moscareta. /. (zool.) Moscare- 
ta; genero de aves da or- 
dem dos pássaros, familia 
das miTscicapideas. 

Moscaria. /. (bot.) Moscaria; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

MoscATA. /. (zool.) jMoscata; 
genero depolypos actinarios. 

Moscatel, adj. Moscatel; diz- 
se do certa qualidade de 
uva, de bago redondo e mui 
liso, que tem cheiro suave 
e é mui doce. Diz-se tam- 
bém da cepa que o produz, 
6 do vinho fabricado com 
esta uva. Usa- se substanti- 
vado. Uvce, vitis, vini va- 
rietas: — m. homem enfa- 
donho, fastidioso jDela sua 
ignorancia. Fastidiosus. 

MoscATELiNA. /. (bot.) Moscatc- 
lina. V. Adoxa. 

MoscELLA. m. (ant.) V. Mor- 
cella. 

Moscón, m. (zool.) Moscão; diz- 
se de muitos insectos dipte- 
ros, dos maiores: — s. (fig-) 
mosca morta; pessoa astu- 
ciosa, que porfia e alcança 
oque deseja, afí"ectando igno- 
rancia. Subdolus, importu- 
nus. 

MoscosMA. /. (bot.) Moscostna 
(cheiro de almiscar) ; genero 
de plantas da familia das 
labiadas. 

Moscovita, s. Moscovita; o na- 
tural de Moscovia: — adj. 
moscovita; pertencente á 
Moscovia. 

Moscovítico, ca. adj. Moscovi- 
ta; pertencente á Moscovia 
ou aos moscovitas. 
MosEN. m. (ant.) Mossem; ti- 
tulo dos nobres de segunda 
ordem da coroa de Aragão. 
Hoje dá-se unicamente aos 
ecclesiasticos, e em especial 
se não são doutores ou pre- 
bendados. 
MosiLLO. m. (naut.) V. Broma, 
na primeira accepção. 



MOS 

MosiMAGON. m. (rei.) Mosima- 
gon; festa da purificação 
entre os indios, durante a 
qual vão todos purificar-se 
aos lagos e tanques sagra- 
dos. 

MosLAM. m. V. Moslem. 

MososAURo. m. (zool.) Mososau- 
ro. V. Mojasauro. 

Mosqueado, da. adj. Mosquea- 
do, salpicado; que tem pin- 
tas como moscas. Diz-se or- 
dinariamente do pello do ca- 
vallo. 

Mosqueador, m. Moscadeiro; 
abano de sacudir as moscas. 
Muscarium, ii: — (fam.) 
rabo, cauda das cavalgadu- 
ras ou do gado vaccum, por- 
que lhe serve de enxotar as 
moscRS.' Muscarium, ii. 

Mosquear, a. Enxotar, sacu- 
dir as moscas. Muscas abi- 
gere : — (fig.) tomar a mos- 
ca; responder, redarguir re- 
sentido, como quem está es- 
candalisado. Betorquere vel 
excutere in se conjecta ver- 
ba vel jacula: — r. desem- 
baraçar-se de um obstácu- 
lo, de um estorvo. Regicere, 
ab impedimentis se expediré: 
■ — r. picar-se, tomar a mos- 
ca; escandalisar-se sem pro- 
posito. 

Mosqueo, m. Enxotadura das 
moscas; acção de as enxo- 
tar. Muscarum abadio vel 
excussio. De mosqueo (loe. 
adv.); ao de leve, ligeira- 
mente. 

Mosquero, to. IMosqueiro; ra- 
mo ou molho de hervas, ou 
de tiras de papel, que se 
ata a um pau para enxotar 
as moscas, ou que se pendura 
no tecto a fim de as apa- 
nhar envolvendo-as. Musca- 
rium, ii. 

Mosqueruela. /. Pera mosca- 
tel. 

Mosqueta. /. Mosqueta; rosa 
branca almiscarada. Rosa 
semper virens. 

Mosquetazo, m. Mosquetaço ou 
mosquetada; tiro de mos- 
quete. Scloppeti majoris ex- 
plosio vel ictus: — ferida 
feita com mosquete : — gol- 
pe de mosquete. 

Mosquete, m. Mosquete; es- 
pingarda reforçada, que se 
disparava apoiada sobre for- 
quilha. Scloppetum majus. 



MOS 

Mosqueteado, da. adj. V. Go- 
teado. 

Mosquetear, n. (p. Peru e Bo- 
lívia) Assistir nas galerias, 
como espectador dos bailes. 

MosQüETEKÍA. /. Mosquctaria; 
tropa de mosqueteiros. Sclop- 
IKtariorum turma, 2)1ialanx: 
— mosquetaria; descarga 
simultanea de muitos mos- 
quetes: — (ant.) espectado- 
res que estão na platea. ^4s- 
tantes in atrio comcedo- 
rum : — (p. Peru e Bolívia.) 
reunião de pessoas que vão 
incógnitamente para as ga- 
lerías nos bailes públicos. 

MosQUETERiL. üdj. (ant.) Per- 
tencente á platea dos thea- 
tros. Astans scenicus. 

Mosquetero, m. Mosqueteiro; 
soldado de infantería arma- 
do de mosquete. Scloppeta- 
rius major: — (aiit.) espe- 
ctador da platea. Astans in 
atrio scenarum theatri: — 
(p. Peru e Bolivia) especta- 
dor que vae para a galeria 
nos bailes públicos. 

MosQUETON. m. Carabina de 
que usam os artilheiros. 

Mosquil, adj. De mosca, per- 
tencente á mosca. Masca} 
propius. 

Mosquii.on. m. Golpe dado de 
través na cabeça com a mão. 

Mosquitero, ra. adj. Mosqui- 
teiro ; armação, cortinado 
do leito, de estofo pouco 
tapado, destinado a resguar- 
dar dos mosquitos. Petieu- 
lum cnlicum accessus impe- 
diens: — rede com que se 
cobrem os cavallos de ve- 
rão por causa das moscas. 

Mosquito, m. (fam.) Esponja; 
homem que está quasi sem- 
pre na taberna ou que bebe 
muito. Tabernce vinarice fre- 
quentai or : — (zool.) mos- 
quito; genero de insectos 
dipteros, da familia dos he- 
moceros, cujas especies são 
conhecidas em todos os pai- 
zes pelo grande incommodo 
que causam, picando a pel- 
le dos animaes e chupando- 
Ihes o sangue. Abundam 
principalmente nas imme- 
diações dos depósitos aquá- 
ticos. 

Mostacilla. /. V. Mostazilla. 

MosTACHA. /. (art.) V. Cape- 
rol, nos barcos de pesca. 
19 



MOS 

Mostacho, m. V. Bigote: — 
gilvaz, cicatriz no rosto. 
Longior infacie macula: — 
(naut.) cabresto; cada um 
dos cabos grossos com que 
se segura o gurupés contra 
a roda de proa : — ■ V. Aman- 
tillo. 

Mostachón, m. Especie de mas- 
sap.ão ou massa composta 
de amêndoas, assucar e es- 
pecies, que de ordinario se 
vende em f(Srma de bolos. 
Mustaceum. 

Mostachoso, sa. adj. Que tem 
grandes bigodes. Mustaceis 
prccditus vel inslgnis. 

MosTAjo. m. IMostardeira ne- 
gra; planta de talo liso e 
ramoso, que cresce até á 
altara de tres pés. 

Mostaza, f. (bot.) Mostarda ou 
mostardeira; genero de plan- 
tas da familia das crucife- 
ras, que contém mais de 
quarenta especies, das quaes 
a mostarda negra c a mos- 
tarda branca sao muito em- 
pregadas em medicina: — 
mostarda; semente quasi pre- 
ta da mesma planta: — sil- 
vestre; especie de mostarda, 
mui commum nos campos, 
differente da mostarda bran- 
ca e da mostarda preta: — 
mostarda; molho picante, 
feito com a semente de mos- 
tarda moida e desfeita com 
vinagre, miolo de pão, e em 
algumas partes com mel ou 
assucar. Binapimnn salsa- 
mentum : — V. Mostazilla. 
Hacer la mostaza (fr.); fa- 
zer espirrar o sangue pelo 
nariz ; dizem os rapazes quan- 
do andam ao osco, ás punha- 
das, E naribuè sanguinem 
pugnis extraliere. Subirse la 
mostarda a las narizes (fr.); 
subir, chegar a mostarda ao 
nariz; irritar-se, impacien- 
tar-se. Irasci, excandescere. 
MosTAZERA. /. Mostardeira; 
vaso em que se serve a mos- 
tarda na mesa. 
MosTAziLLA . /. Escumilha; 
chumbo miiulo para atirar 
aos pássaros. 
Mostazo, m. (boi.) V. 2Iostaza: 
— mosto espesso, mui forte 
e pegajoso. Mustum valens, 
vividum.. 
Mostear, n. Deitar, correr o 
mosto; diz-se da uva. Mus- 



MOS 



145 



íum fundere, fluere: — lan- 
çar ou deitar o mosto nas 
cubas ou dornas. Mustum 
doliis infundere : — deitar 
ou misturar algum mosto no 
vinho velho. N'este sentido 
usa-se mais dizer em caste- 
lhano: remostar. Vinum no- 
vo musío immiscere: — r. 
comprimir-se a uva uma com 
a outra e rebentar, antes de 
ir para o lagar. 

Mostela. /. (prov.) Feixe de 
vidos. Sarmentorum fascis. 

MosTELERA. /. Meda de feixes 
de vides, ou o logar onde 
se fiizem ou guardam. Sar- 
mentornm strues. 

MosTEN, MosTEXSE. odj. (fam.) 
V. Premostratense. 

Mostillo, m. Massa feita com 
mosto e especies, de que se 
formam tortas ou bolos. Em 
algumas partes fíxz-se com 
farinha e varias fructas. Pa- 
ñis musteus vel massa: — 
molho feito de mosto e mos- 
tarda. Conditura ex musto 
sinap)i misto. 

Mosto. m. Mosto; sumo das 
uvas no acto de fermenta- 
ção, e antes de lourificado o 
liquido. Mustum, i: — agus- 
iiii; massa feita com mosto, 
farinha e especies finas, que 
depois de perfeitamente ba- 
tido e posto a coser, se re- 
duz a p.ista. Massa mtisio 
aromatibusque covfecta. 

Mostra. /. (ant.) Mostra. V. 
Príieba. 

Mostrarle, adj. Que se pode 
mostrar. Demonstrabilis, le. 

Mostrado, da. adj. AíFeito, ave- 
sado, acostumado, habitua- 
do a alguma cousa. Assue- 
factus, a, um. 

Mostrador, ra. s. Mostrador; 
■o que mostra. Demonstra- 
tor, oris: — mostrador, bal- 
cão; banco ou armação de 
madeira nas lojas, para mos- 
trar sobre cila os objectos 
que se vendem. Mensa in 
qua prostant vel exponuntiir 
mercês: — (art.) mostrador; 
disco de esmalte ou de ou- 
tra materia, sobre o qual o 
ponteiro marca as horas, 
minutos, etc. Horarum Ín- 
dex. 

MosTRANQUERO. m. (ant.) V. 
Pregonero. 

MosxBANZA. /. (ant.) Mostran- 



146 



MOS 



ça. V. Muestra : — mostran- 
ça. V. Prueba. 

Mostrar, a. Mostrar ; fazer ver, 
indicar, expor á vista. Os- 
tendere: — (fig.) mostrar; 
explicar, dar a conhecer al- 
guma cousa ou convencer 
de sua certeza. Demonstra- 
re, palam ostendere, evince- 
re: — mostrar; fazer ver 
pelo aspecto, como: mostrar 
tristeza, etc.; mostrar tris- 
teza, etc.: — mostrar; dar 
a entender ou conhecer ¡jor 
acções alguma qualidade do 
animo, como: mostrar va- 
lor; mostrar valor, etc. Os- 
tendere: — (ant.) V. Ense- 
ñar. Usa-se também como 
reciproco : — r. mostrar-se, 
portar-se,conduzir-seon pro- 
ceder de um modo determi- 
nado, como: mostrarse ami- 
go, etc.; mostrar-se amigo, 
etc. Se prcebere, prcestare, 
gerere. 

Mostrenco, ca. adj. Mostren- 
go, vadio, vagalDundo, sem 
casa nem proíissão. Incerti 
domicilii homo: — rude, 
bronco, boçal; diz-se do ho- 
mem ignorante, de entendi- 
mento acanhado. Hebes, tar- 
dtis, vastus, agrestis: — 
(prov.) tonel ; ¡ressoa muito 
gorda e pesada. FasíHs, obes- 
sus: — (adm.) herança ja- 
cente; fazenda ou bens que 
não têem dono conhecido, fi- 
cando por isso pertencendo 
á coroa. Incerti domini bona. 

MosTRENQUERO. m. (ant.) V. 
Pregonero. 

Mostro, m. (ant.) V. Monstruo. 

Mota./. Argueiro; nozinho do 
panno, que se lhe tira ou 
corta com uma pinça ou te- 
naz. Floccidiis, i: — cotão; 
felpa ou cousa simiihante, 
que se pega a alguma cou- 
sa, especialmente aos vesti- 
dos. Atomus, flocculus : — 
(fig.) pequena falta, ligeiro 
defeito. Leve vitium, macu- 
la : — mota ; aterro na ex- 
trema de uma terra, na bor- 
da de um rio, para proteger 
contra as inundações: — 
(ant.) V. Castillo, Fortaleza. 
Quitar motas (fr.) V. Adu- 
lar : — (naut.) dinheiro que 
entrega um marinheiro ao 
embarcar-se em navio mer- 
cante que navega de meias, 



MOT 

e que é destinado á compra 
de géneros para commercio, 
ou á manutenção dos asso- 
ciados, no caso de não en- 
contrar carregamento. 

MoTACEN. m. (p. Ar.) V. Almo- 
tacén. 

Motacila. /. (zoai.) Motacilla, 
arveola. V. Aguzanieve. 

Motacilinos. m. pi. (zool.) Mo- 
tacillinos; grupo de aves da 
ordem dos pássaros denti- 
rostros, cujo typo é a mota- 
cilla ou arveola. 

Motacismo. m. (germ.) V. Me- 
tacismo. 

Motar, a. (germ.) Furtar. 

Motazal, Motazaltta. to. (rei.) 
Motazalita; sectario maho- 
metano, que pretende que 
Deus não tem attributos se- 
parados da sua essência; que 
o Alcorão não é increado e 
eterno, e que a vontade do 
homem é livre. 

Mote. m. Mote; dito ou sen- 
tença bi-eve e enigmática, 
que necessita explicação. Tn- 
scriptio, lacónica sententia: 
— motea, Icunha. V. Apodo : 

— (p. Peru.) maiz cozido, 
que serve para alimento dos 
indios e da gente pobre de 
Quito: — (ant.) V. Palabra: 

— mote, dicterio, motejo, 
dito picante. 

Moteadura. /. Moteadura, en- 
feite que se faz ao panno, 
deixando-lhe de espaço a 
espaço pequenas elevações 
ou nozinhos. 

Motear, n. Motear; enfeitar o 
panno de nozinhos. Floccu- 
lis distinguere vel ornare : — 
mosquear; pintar um fundo 
de varias cores. 

Motejador, RA. s. Motejador; 
pessoa que moteja. Subsan- 
nator, dicax. 

Motejar, a. Motejar; dizer mo- 
tejos contra alguém, saty- 
risar. Scommata in aliquem 
jacere : — motejar, escar- 
necer, vituperar, mofar. 

Motete, m. (mus.) Motete; bre- 
ve composição musica com 
letra, que se canta nas igre- 
jas. Breve canticum: — (p. 
A. Mer.) especie de cesto 
alto com duas azas de cor- 
da para metter os braços, 
no qual se leva a corres- 
pondencia e outras cousas 
por caminhos ásperos, por 



MOT 

onde não podem transitar as 

cavalgaduras. 

Motezuma./. (bot.) Motezuma; 
genero de plantas da fami- 
lia das esterculiaceas. 

Motilar, a. Tosquiar ou rapar 
o pello. Tondere. 

Motilón, na. adj. V. Pelon : — 
m. f/aTO.j religioso leigo. Ton- 
sus monachus, laicus. 

Motín, m. Motim, tumulto, dis- 
turbio, sedição, desordem, 
revolta popular. <Sed¿¿¿o, tur- 
batio, tumultus : — motim ; 
tropa, gente da antiga mili- 
cia hespanhola, que desam- 
parp,ndo as suas companhias 
por se lhes não pagar o sol- 
do, amotinada e reunida em 
corpo, nomeava o seu conse- 
lho militar e um chefe com o 
íitulo deeleito,econcentran- 
(lo-se em um logar punha con- 
tribuição aos povos circum- 
vizinhos para manter-se. 

Motivar, a. Motivar, causar, 
occasionar; dar causa, mo- 
tivo. Ansam dare, pra^bere : 
— motivar, allegar; expli- 
car a rasão, dar, produzir 
os motivos das acções. Can- 
sas vel rotiones ajjerre, ex- 
ponere. 

Motivo, va. adj. Motivo, mo- 
vente ; que move, suscita ou 
tem efficacia para mover. 
Motivus, a, um : — m. mo- 
tivo; causa, rasão que move 
para alguma cousa. Causa, 
ratio : — (mus.) motivo ; 
phrase musical, idéa que do- 
mina em toda a composição. 
De su motivo (loc. adv.); de 
motu próprio, de sua livre 
vontade. Motu próprio. Con 
motivo de (loc. adv.); por 
causa ou por motivo de, em 
rasão ou em attenção a. De 
su propio motivo (loc. adv.); 
de próprio motu ou de motu 
próprio ; espontaneamente, 
por impulso próprio, de pró- 
pria vontade. 

Moto. m. (mus.) Moto; movi- 
mento; palavra italiana que 
se emprega algumas vezes 
na partitura. Con moto (fr.); 
com movimento. 

Motolita. /. (zool.) V. Aguza- 
nieve. 

Motolito, Motolótico, ca. adj. 
Simplório, bolonio, inexpe- 
riente, fácil de ser engana- 
do. Inexpertus, inscius. 



MOV 

Motón, m. (naut.) Moutão ; cai- 
xa de pau ou metal com uma 
roldana, por onde passa um 
cabo: — cadernal ; moldura 
ou encaixe onde estão e jo- 
gam roldanas. Trochlea náu- 
tica. 

Motonería./, (naut.) Poleame; 
o conjuueto de polés, rolda- 
nas, moutoes. Trochlearain 
navalium copia, apparatus. 

MoTONERO. m. (naut.) Polieiro; 
fabricante de moutôes, de po- 
lés, caderuaes, etc. 

Motor, ka. s. Motor ; pessoa ou 
cousa que pòe em movimen- 
to, que dá o impulso. Mo- 
tor, oris : — (mech.J motor, 
potencia, força motriz; o que 
imprime o movimento a uma 
machina, como o homem, o 
ar, o vapor, etc. 

Motril, m. (prov.) "V. Mochil. 

Motriz, aâj. Motriz; a poten- 
cia que move. Motrix, icis: 
— faculdade, potencia, in- 
telligencia motriz. Movendi 
vis, facultas, mens. 

MoTu PROPIO (de), (loc. adv. 
lat.) De motu próprio; es- 
pontaneamente, por sua li- 
vre vontade. Usa-se também 
fallando das bulias pontifi- 
cias e cédulas reaes expedi- 
das d'este modo. 

MoDDDRA. /. (ant.) V. Movi- 
miento. 

MouTA. /. (com.) Especie de 
seda crua de Bengala. 

Movedizo, za. adj. Movediço; 
fácil de mover ou de ser 
movido. Mobilis, le: — mo- 
vei ou móbil; que nâo está 
fixo: — (fig-) movediço, mo- 
vivel, volúvel, inconstante, 
mudável. 

MovEDOK, KA. s. Movcdor, mo- 
tor; o que move. Motor, 
07-is. 

Movedura. /. (ant.) Movimen- 
to; acção de mover. Motio, 
onis: — móvito, aborto; 
parto prematuro e intem- 
pestivo de mulher prenhe. 

Movente, adj. (ant.) Movente; 
que move, jíue em movi- 
mento. 

Mover. a. Mover; fazer mu- 
dar de logar, dar, commuui- 
car movimento, pôr em mo- 
vimento. Moveré: — mo- 
ver; mexer, menear ou agi- 
tar alguma cousa, ou algu- 
ma parte do corpo. Diz-se 



MOV 

em sentido mais lato. Move- 
ré, Tnotare: — (fig-) mover, 
dar motivo, persuadir, indu- 
zir, incitar para fazer algu- 
ma cousa. Moveré: — (fig-) 
mover, abalar, agitar, esti- 
mular; u'este sentido usa-se 
com a proposição a, como: 
mover a dor, a piedad; mo- 
ver á dor, á piedade. Move- 
ré : — mover, commover : — 
mover, intentar, dar princi- 
pio a alguma cousa, ou phy- 
sica ou moralmente, como: 
mover guerra, mover discor- 
dia; mover guerra, mover 
discordia, etc. Usa-se tam- 
bém como reciproco. Exci- 
tare, moveré: — mover, in- 
spirar, excitar. Moveré: — 
n. mover, mal-parir, abor- 
tar; ter móvito a mulher 
prenhe. V. Abortar : — ger- 
minar, rebentar; começar a 
brotar as plantas. Germina- 
re, erumpere: — (ant.) mo- 
ver o pé; andar, caminhar, 
parti}-, emprehender jorna- 
da. As vezes ainda hoje se 
usa n'este sentido, como 
quando se diz: mañana no 
moveremos hasta que haya 
salido el sol; amanhã não 
partiremos sem ter nascido 
o sol : — (arch.) levantar, 
principiar o arco ou a abo- 
bada, começar a formar a 
sua curvatura sobre a cor- 
nija ou imposta: — de cua- 
drado (arch.); assentar a 
primeira pedra do arco ou 
abobada sobre uma superfi- 
cie horisontal. 

Movible, adj. Movivel; susce- 
ptível de se mover ou de ser 
movido. Mobilis, le : — (ant. 
astr.) movivel, mudável; no- 
me com que os astrólogos 
designavam os quatro signos 
cardiaes, que são Aries, Cân- 
cer, Libra e Capricornio. 
Signa mobilia. 

Moviente, adj. Movente; que 
move. Movens, entis: — (br.) 
movente; diz-se de certas 
peças que parecem sair do 
centro, dos ângulos, da pon- 
ta do escudo. 

MÓVIL, adj. Movei ou móbil; 
que se move, que não está fi- 
xo. Mobilis, le: — movei, mo- 
tor; diz-se da causa motriz, 
causa primordial da execu- 
ção e consecução de algu- 



MOV 



147 



ma cousa. Primer móvil 
(astr.); primeiro movei ; um 
céu, que cerca e faz mover 
todos os demais céus, segun- 
do a opinião dos antigos as- 
trónomos. Primum mobile: 

— (fig-) pi'iiiieiro movei de 
um negocio, primeiro motor 
ou agente principal, seu au- 
ctor. Primum mobile, au- 
ctor. 

Movilidad. /. Mobilidade; dis- 
posição a mover-sc, a rece- 
ber o impulso do motor, fa- 
cilidade de se pôr em movi- 
mento. Mobilitas, atis: — 
(fig.) mobilidade, mutabili- 
dade, inconstancia. Levitas, 
inconstautia. 

Movilización. /. Mobilisaçâo; 
acção e eífeito de mobilisar. 

Movilizar, a. (mil.) Mobilisar ; 
pôr em campanha, fazer en- 
trar em operações um corpo 
ordinariamente sedentai'io. 

Movimiento, m. Movimento ; 
acção de mover ou mover- 
se. Motus, iis : — movimen- 
to; mudança de logar feita 
por força ou impulso intrín- 
seco, ou por força externa: — 
movimento; inquietação ou 
commoçâo do animo, altera- 
ção que se sente. Motus, us: 

— movimento; ímpeto de al- 
guma paixão ou affecto da 
alma que começa a manifes- 
tar-se. Motus, ímpetus : — 
movimento; agitação, revo- 
lução dos ânimos, alvoroço, 
motim : — movimento, ani- 
mação, alegria : — de tier- 
ras; movimento de terras ; 
transporte de terras vege- 
taes de um logar a outro. 
Primer movimiento ; primei- 
ro movimento; impulso de 
paixão, movimento repentino 
e involuntario : — (arch.) V. 
Arranque, nos arcos e abo- 
badas : — (art.) movimento 
ou movimentos ; total das pe- 
ças que fazem andar um re- 
lógio. Também se toma no 
sentido de mola de relógio: 
(astr.) movimento; revolu- 
ção, marcha real ou appa- 
rente dos corpos celestes : — 
de treiñdacion; movimento 
de trepidação; movimento 
dos astros de oriente para 
o poente, e do meio dia para 
o septentriâo. Motus trepi- 
dationis: — rectilíneo; mo- 



148 



MOY 



vimento rectilineo ; o que se 
executa em linha recta: — 
absoluto (mech.); movimento 
absoluto; movimento de um 
corpo considerado em si mes- 
mo : — curvilíneo; movimen- 
to curvilineo; o que se ctíe- 
ctua em linha curva : — iini- 
forme; movimento uniforme; 
aquelle cuja velocidade é 
invariável : — natural ; mo- 
vimento natural ; aquelle 
coin que os corpos pesados 
baixam para o centro da ter- 
ra. Molus nataralis, descen- 
sus corpormn gravium: — 
violento; movimento violen- 
to; aquelle com que os cor- 
pos graves são movidos por 
difi'erente linha da que vae 
ao centro da ifivvn.Violentus 
motus : — (mil.) movimento ; 
marcha, evoluções, mano- 
bras de tropas: — (mus.) 
movimento musico; caden- 
cia 6 maneira de notar a mu- 
sica : — (pint.) movimento ; 
expressão dos movimentos 
do corpo e das aft'eccoes d'es- 
te 6 das da alma. Diz-se que 
ha movimento n'um qua- 
dro para indicar que a sce- 
na que representa é anima- 
da, e que esta animação é 
fielmente reproduzida pela 
pintura: — (poet.) movimen- 
to ; relação do rhy thmo e da 
cadencia dos versos com o que 
se quer expressar. Partido 
del movimiento (polit.); par- 
tido progressista; diz-se de 
alguns anuos a esta parte, 
em Hespanha, da opinião 
publica que se pronuncia 
em favor das innovacoes, 
das reformas decisivas no 
sentido democrático. 
MoxA. /. (cir.) Moxa; especie 
de cauterisação que consis- 
te em applicar a alguma 
parte do corpo um pedaço de 
algodão ou de estopa, ao 
qual se deita fogo para ex- 
citar fortemente o systema 
nervoso, pi'oduzir uma deri- 
vação, etc. 
MoxMORüo, DA. adj. (ant.) Mui- 
to amigo de morder. 
MoxQuiLON, NA. uãj. (ant.) Ma- 
treiro, sagaz, destro, astuto. 
Moya. /. fp. Nov. Grau.) Va- 
silha sem ser vidrada, que 
leva duas arrobas, que ser- 
ve para cozer o sal. 



MOZ 

Moyana. /. Pão de rala, que 
se dá aos cães de gado. Pa- 
uis ex tota farina vel farfa- 
rosus: — (fy-) peta, menti- 
ra, ficção. Mendacium, fa- 
bula:— (mil.) especie de co- 
lubrina de pequeno calibre, 
já em desuso. 

MoYAK. a. (ant.) V. Mojar. 

MoYER. /. (ant.) V. Mujer. 

Moyo. m. Numero de telhas 
que contém 110 : — moio ; 
medida castelhana para so- 
lidos e liquidos. Hoje só se 
usa em Gralliza e outras par- 
tes, para liquidos. Para sec- 
eos corresponde ao almude. 

Moyuelo, m. Rolão; semea fi- 
na. Fúrfur jprimus. 

Moza./. Moça; creada de ser- 
vir, de todo o serviço. Ser- 
va, fámula: — pau com que 
as lavadeiras batem a rou- 
pa, principalmente a que é 
grossa, para se poder lavar 
melhor. Pala fustuaria : — 
jogo dos mestres; ultima 
mão de jogo. Nonnullis in 
Indis lusio piostrema : — de 
cámara; moça da camará. 
Cubicidaria fámula : — de 
cántaro; creada cuja prin- 
cipal obrigação é dar agua 
para a casa em que serve: 
— defortiina o moza del par- 
tido; moça da vida, mere- 
triz. V. Ramera: — en ca- 
ballo. V. Doncella. Buena 
moza, arrogante moza, etc., 
boa moça, boa mulher, mo- 
cetona. La moza que con 
viejo se case, trcitese como 
anciana (rif.) ; moça com 
velho casada, como velha se 
trate. 
MozABiTA. m. Mozabita; nome 
de uma raça intermedia en- 
tre os turcos e os mouros 
que habita o Mozabis na 
Barbería Meridional. 
MozALVETE, Mozalbete. TO. dim. 
de Mozo. Mocinho, moçozi- 
nho: — mancebo, moço, jo- 
ven de pouca idade, adoles- 
cente. 
Mozalbillo, ]\Íozalvjllo. m. 
(ant.) Novato, noviço; o que 
é novo em alguma faculda- 
de, profissão on officio. 
Mozallón, m. Moçalhão, rapa- 
gão, moço taludo, robusto; 
usa-se entre a gente rustica 
ou de trabalho. Juvenis to- 
rostts. 



MOZ 

Mozárabe, adj. V. Muzárabe. 
MozARABiA. /. (a7it.) üs moza- 

rabes, gente mozárabe. 
]\IozarÁbigo, ga. adj. Mozara- 
bico; pertencente aos mozá- 
rabes. Escritura mozarábi- 
ga.Y. Visogótica. 
]\IozcoRRA. /. (vulg.) Moca da 

vida. V. Ramera. 
MozEAR. n. Praticar acções 
próprias da gente moça. De 
ordinario significa entregar- 
se a diversões turbulentas, 
a extravagancias, a traves- 
suras deshonestas, e usa-se 
mais fallando de pessoas 
que jápassaram a juventude. 
MozEDAD. /. Mocidade, idade 
juvenil; periodo da vida do 
homem desde os quatorze 
anuos até á idade viril. Ado- 
lescentia, a': — mocidade; 
fogo, furor, verduras da ida- 
de, vida desregrada e tur- 
bulenta da gente moça. N'es- 
te sentido toma-se muitas 
vezes á má parte : — moci- 
dade; os moços, os mance- 
bos. En mis mozedades (fr.); 
uas minhas rapaziadas, na 
minha mocidade, quando eu 
era rapaz, no meu tempo, no 
tempo da minha juventude. 
MozERO. adj. Marafoneiro, li- 
bertino, amigo de moças; 
diz-se do homem dado á las- 
civia, ao trato desordenado 
das mulheres. 
jMozeton, na. m. Mocetão, mo- 
cetoua; moço ou moça cor- 
polentos, bem parecidos. 
Mozina. /. (bot.) Mozina; ge- 
nero de plantas da familia 
das euphorbiaceas. 
Moznado, na. adj. (br.) Desar- 
mado, desdentado; que não 
tem dentes, unhas, garras, 
lingua, bico; diz-se do leão 
e outros animaes. 
Mozo, zA. adj. Moço, joven; 
que está na idade juvenil.V. 
Jóven: — solteiro; que se 
conserva no celibato. Coelébs, 
bis: — (ant.) menino, rapaz: 
— m. moço, servo, creado 
de servir : — (fam.) bichano, 
gato : — (germ.) gancho, fa- 
teixa: — (ant.) V. Mosto: — 
de caballos; moço de mulas, 
moço de cavallariça; o que 
serve na estrebaria: — de 
campo y plaza; moço que 
serve para os trabalhos ru- 
raes e de moço de esporas; 



MU 

— de cordel; moço de fretes 
ou de esquina; mariola, ho- 
mem de ganhar, que de or- 
dinario frequenta os sitios 
mais públicos, de corda ao 
hombro, para levar fardos, 
etc. : — de digo y hago; mo- 
ço diligente, esforçado, re- 
soluto : — de espuela ; moço 
de espoi'as; o que levam os 
caminhantes que para cuide 
das bestas, e que ordinaria- 
mente vae a pé. Pediseqnns, 
i : — de esquina. V. Mozo de 
cordel: — de mulas; moço 
de mulas; o que trata d'estes 
animaes, destinados para a 
lavoura: — de escuadra; es- 
pecie de carabineiro; indi- 
viduo de uma força armada 
irregular que ha em Cata- 
lunha, destinada a policiar 
os caminhos, perseguir os 
ladroes, etc. Bue7i mozo; 
bonito moço, mocetão; ho- 
mem bem parecido e de boa 
"figura. Ser mozo de buen re- 
cado (fr.); ser bom moço de 
recados; diz-se ironicamente 
de quem desempenhou mal 
a sua commissâo ou encar- 
go. Mozo de quince años, 
tiene j^cpo, y no tiene ma- 
nos (rif.); moço de quinze 
anuos tem papo, e nao tem 
mãos. Al mozo amaiiado, la 
mujer al lado (rif.); do moço 
ataviado, mulher ao lado. 
Al mozo mal mandado, po- 
nerle la mesa y enviarle al 
recado (rif.); a moço mal 
mandado i)ôr-lhc a mesa e 
manda-lo a recado El mozo 
y el gallo un ano (rif.); o 
moço, e o gallo, um só au- 
no : — (naut.) moço ; mari- 
nheiro novo: — grumete; ma- 
rinheiro novo dos navios de 
guerra. 

Mozón, na. s. augm. de il/o~o. 
Mocetão, mocetoua. 

MozuELA. /. (vidg.) Moça da 
vida. V. Barriera. 

Mozuelo, la. s. dim. de Mozo. 
Mocinho, mocinha. 

Mu. /. (fam.) Hóhó, somno; é 
termo de que se usa para 
conciliar o somno ás crean- 
cas, e costuma dizer-se: va- 
mos a la mu; vamos fazer 
hóhó: — 777. mugido; voz do 
bol. V. Mujido. Mugilus, i: 
— (gram.) mu; nome da duo- 
décima letra do alphabeto 



MUC 

grego. Habló el buey y dijo 
mú (fr.); fallou o boi e disse 
mu; diz-sc da pessoa que, 
depois de ter estado muito 
tempo calada, se sáe com 
uma asneira. 

MuATTALÉ. ??7. frc^.J Muattalé; 
nome de uma das seis clas- 
ses em que se dividem as 
setenta e duas seitas musul- 
manas. 

Mucama. /. (p. A.) Mucama; 
creada, domestica ou escra- 
va. Na Bahia e em Pernam- 
buco chama-se munbanda. 

Mucamuca. /. (p. Peru) Muca- 
muca; especie de loureiro: 
— V. Zona mochilera. 

MucATO. m. (chim.) Mucato; 
sal produzido pela combina- 
ção do acido mucico com^uma 
base salificavel. 

MucEDÍNEo, NEA. adj . (òot.) Mu- 
cediueo; que se parece com 
o mofo : — 777. pl. mucedi- 
neos; certa familia de cogu- 
melos. 

MüCETA./. Mozeta; murça pre- 
laticia. Amiculum humera- 
rale: — murça de que usam 
os ecclesiasticos da coroa de 
Aragão e de outras partes 
no coro, de forma diversa 
da precedente : — murça de 
seda de licenciado; diz-se 
por ampliação: — (naut.) V. 
Muleta, na quarta accepção. 

MuciANO, NA. adj. Muciano; 
pertencente á celebre fami- 
lia ¡ilebeia de Roma, cha- 
mada Mucia ou Mucio. Cau- 
ción muciana (for.); nome 
porque se designava ás ve- 
zes a fiança. 

Múcico, CA. adj. (chim.) Muci- 
co; diz-se de um acido pro- 
duzido pela acção do acido 
nítrico sobre as gommas e 
no assucar de leite. 

MüciLAGiNoso, SA. adj. V. Mu- 
cilajinoso. 

MucÍLAGO. m. (chim.) Mucila- 
gem; substancia de nature- 
za viscosa e alimenticia, es- 
palhada em quasi todos os 
vegetaes, que se encontra 
cm maior quantidade nas 
raizes e sementes que nas 
outras partos. Tal é a parte 
viscosa da semente de linha- 
ça, de marmelos, etc. Muci- 
lago, inis: — mucilagem; 
liquido espesso e viscoso, 
formado pela dissolução de 



MUC 



149 



uma gomma na agua : — ani' 
mal; mucilagem animal. V- 
Mucus. 

MuciLAJiNoso, SA. adj. Mucila- 
ginoso; que contém mucila- 
gem : — (bot.) mucilaginoso ; 
que tem a natureza da mu- 
cilagem : — (pharta.) muci- 
laginoso; diz-se das bebidas 
que contêem grande quanti- 
dade de principio gomoso em 
dissolução. Glándulas muci- 
lajinosas (anat.); glândulas 
mucilaginosas; glândulas 
destinadas a filtrar os hu- 
mores viscosos. 

MuciNA. /. (eh im.) Mucina ; sub- 
stancia mucilaginosa que se 
encontra juntamente com o 
gluten dos vegetaes. 

MucípAKO, EA. adj. (anat.) Mu- 
ciparo; que produz muco. 

MuciTO. Í77. (chim.) Mucito; sal 
formado pela combinação do 
acido mucoso com differen- 
tes bases alcalinas, terreas 
ou metallicas. 

MucívoRO, RA. adj. (zool.) Mu- 
civoro; que vive ou se ali- 
menta de mucosidades. 

Muco. m. (bot.) Muco; arvore 
da familia das malvaceas, 
cujo fructo, coberto de uma 
casca grossa, contém uma 
polpa branca e boa para co- 
mer. 

MucoL. m. (pharm.) Mucol; 
mucilagem considerada co- 
mo excipiente. 

MucoLÍTico, CA. adj. (pharm.) 
Mucolitico; diz-se dos medi- 
camentos que têem por ex- 
cipiente uma mucilagem. 

MucoLiTO. 771. (pharm.) Muco- 
lito; mucilagem medicinal. 

MucoR. m. (bot.) Mucor, gene- 
ro de cogumelos, que forma 
o typo da familia dos muce- 
dinios. 

MucÓREO, REA. adj. (bot.) V. 
Mucedineo. 

Mucosa. /. (zool.) Mucosa; es- 
pecie de serpente do genero 
cobra. 

MucosiDAD. /. (physiol.) Muco- 
sidade; fluido viscoso segre- 
gado em maior ou menor 
quantidade pelas membra- 
nas mucosas. 

Mucoso, SA, adj. (anat.) Muco- 
so; que tem ou produz mu- 
cosidade: — mucoso; que 
produz uma materia análo- 
ga á mucosidade. Membra- 



150 



MUC 



nas mucosas ; membranas 
mucosas; certas membranas 
cheias de fulliculos, que pro- 
duzem habitualmente um hu- 
mor viscoso chamado muco. 
Fiebre mucosa (meã.); febre 
mucosa; a que tem por cau- 
sa a irritação das membra- 
nas mucosas, que segregam 
abundante quantidade de 
fluido viscoso. 

MucosTiTO. m. (pharm.) Mu- 
costito. V. Cataplasma. 

Mucosto-sinÁpico. m. (pharm.) 
V. Sinapismo. 

MucKON. m. (anat.) Mucron; a 
espinhela ou extremidade 
xyphoide do sterno. 

MucuNA. /. (bot.) Mucuna ; ge- 
nero de plantas da familia 
das papiliouaceas. 

Mucus. m. (physiol.) Muco; 
substancia análoga pelo as- 
pecto á mucilagem vegetal, 
da qual se diíferença essen- 
cialmente em produzir pela 
distillação muito carbonato 
de ammoniaco. Esta sub- 
stancia passa através da 
pelle, constitue em parte as 
diversas producções ejDider- 
micas, e existe também na 
superficie das membranas 
mucosas. 

Muchachada. /. Rapaziada, ra- 
pazia, puerilidade ; acção 
própria de rapazes, repre- 
hensivel nos homens. Pueri- 
litas, puerilis ineptia. 

Muchachear, n. Fazer rapa- 
ziadas. 

Muchachería. /. Muchacharia, 
rapazia; multidão de crean- 
ças, de rapazes. Puerorum 
caterva : — V. Muchachada. 

Muchachez. /. Puericia, infân- 
cia, idade pueril, idade, es- 
tado de rapaz. Puerilitas, 
atis. 

Muchacho, cha. s. Muchacho; 
em castelhano significa pro- 
priamente creança de mam- 
ma, e por ampliação rapaz. 
Em portuguez é mui pouco 
usado, e só n'este ultimo 
sentido. Puer, puella. 

MUCHADUMBRE. /. V. Muchc- 

dumbre. 
Muchedumbre. /. Multidão, co- 
pia, abundancia, grande nu- 
mero de alguma cousa. Mul- 
titudo, inis. La muchedum- 
bre; a multidão, o povo, o 
vulgo, a plebe. 



MUD 

Muchísimo, ma. adj. sup. de 
Míicho. Muitíssimo. Pluri- 
mus, a, um. 

Mucho, cha. adj. Muito, copio- 
so, abundante, em grande 
quantidade ou qualidade, 
em grande numero. Multus, 
a, um : — adv. m. muito, 
mui, excessivamente, em 
quantidade, numero, summo 
grau. Multuni : — menos; 
muito menos ; expressão com 
que se nega alguma cousa 
em comparação com outra. 
Imò, potius. Con o de mu- 
cho (loe. adv.); expressa a 
grande vantagem que leva 
uma cousa á outra, ou o 
muito que lhe falta para 
chegar ao seu termo ou fim. 
Eji mucho (loe. adv.); em 
muito, em bastante apreço 
e estimação ; também se em- 
prega nas phrases de com- 
paração. Muy mucho (loe. 
adv.); muito muito, mui- 
tíssimo: — que si (loc. adv.); 
é muito verdade; usa-se pa- 
ra dar força a uma af&rma- 
ção. Que mucho? (loc. adv.); 
que tem isso? que tem de 
estranho? Quien mucho abar- 
ca, poco aprieta (rif.); quem 
muito abarca pouco aperta, 
ou quem muito enfeixa pou- 
co ata. 

Muda. /. Muda, mudança; ac- 
ção de mudar alguma cou- 
sa. Mutatio, anis : — mu- 
da, mudança de fato, de rou- 
pa branca; a roupa que se 
muda de cada vez para ves- 
tir outra. Vestium mutanda- 
rum apparatus ; vestis lintea 
mutatoria : — especie de ar- 
rebique ou cor artificial com 
que as mulheres pintam o 
rosto. Fucatio, fucus offucia: 
— muda; mudança das pen- 
nas, de pello, de lã, de pelle, 
de chifres, por que ¡Dassam 
muitos animaes todos os an- 
nos ou em certas epochas 
da vida: — muda; o tempo 
em que as aves mudam as 
pennas, os animaes o pello, 
etc. Plumarum mutatio: — 
muda. V. Dormida, dos bi- 
chos de seda: — ninho dos 
falcões, das aves para a ca- 
ça. Nidus, i: — muda; gaio- 
la ou logar fechado, onde 
se põem as aves no tem- 
po da muda. Beceptaculum 



MUD 

avium: — mudança da voz 
dos individuos de ambos os 
sexos, quando passam da in- 
fância á puberdade, e que é 
quasi imperceptível nas mu- 
lheres. Voeis mutatio. Estar 
en muda (fr.); estar na mu- 
da; estar calado, como os 
pássaros com a muda. Ob- 
mutescere. 

Mudable, adj. Mudável; su- 
jeito a mudança. Mutabilis, 
le: — mudável, mudadiço, 
inconstante, volúvel. Muta- 
bilis, le. 

Mudada. /. (ant.) V. Emprés- 
tito : — (mil. ant.) V. Re- 
levo. 

Mudado, m. (ant.) V. Vestido. 

MuDADURA. /. V. Muda, na se- 
gunda accepção. 

Mudamente, oâv. m. Mudamen- 
te, silenciosamente; sem fal- 
lar, em silencio. Silenciter, 
taciie. 

Mudamiento, m. (ant.) Muda- 
mento. V. Mudanza. 

Mudanza. /. Mudança, muta- 
ção; alteração essencial ou 
transformação accidental de 
uma cousa em outra. Muta- 
tio, immutatio : — mudança; 
variação do estado das cou- 
sas, passando a outro difíe- 
rente, tanto physica como 
moralmente. Mutatio, vicis- 
situdo : — mudança, muda; 
o acto de passar de um lo- 
gar para outro, de mudar 
de sitio. Migratio, locorum 
commutatio : — mudança , 
inconstancia ou variedade 
dos aífectos, opiniões ou pa- 
receres. Mutatio, varietas, 
mutabilitas. Estar de mu- 
dança (fr.); estar de mudan- 
ça, de muda ; para se mudar 
de uma casa ou morada pa- 
ra outra. Hacer mudanza ó 
mudanzas (fr. fig-); fazer 
mudança, mudas ; portar- 
se com inconsequência, ser 
inconstante em amores: — 
(art.) mudança, passo; cer- 
to numero de movimentos 
regulados ao som da musi- 
ca, na dansa. Saltatoria mu- 
tatio, variatio. Hacer mu- 
danzas (fr.); fazer mudan- 
ças; variar os movimentos 
do passo e as figuras, na 
dansa. Tripudia varie ne- 
ctere, frequenter variare. 
Mudar, a. Mudar; alterar ou 



MUD 

transformar essencial ou ac- 
cidentalmente alguma cou- 
sa, dando-lhe outra nature- 
za, outro estado, figura, etc. 
Mutare: — mudar, substi- 
tuir; pôr uma cousa em lo- 



gar 



de outra. Commutare. 



— mudar ; remover ou apar- 
tar de algum sitio ou em- 
prego. Removeré: — mu- 
dar ; ter, soffrer mudança a 
voz das pessoas que passam 
da infancia á puberdade, en- 
grossando, fazeudo-se mais 
sonora. Vocera mutare: — 
mudar de pelle, de pello, de 
pennas, etc. o animal que 
anda na muda. Plumas mu- 
tare : — (fig-) mudar, va- 
riar; tomar novo parecer ou 
opinião; ex. : mudar de pa- 
recer; mudar de parecer, 
etc.; mas n'este caso e em 
todos os mais em que se 
lhe junta a ¡Droposição de, 
já nào é verbo activo mas 
sim neutro. Variare: — (ant.J 
V. Prestar : — r. mudar de 
vida, variar de costumes, de 
affectos. Mutare vitam. vel 
affectum : — mudar de fato, 
de roupa; substitui-la por 
outra. Vestem vel indusium, 
mutare: — mudar-se; sair 
da morada ordinaria e ir 
para outra casa, rua, ter- 
ra, etc. Domum commutare, 
migrar e: — (fdin.J mudar- 
se, passar-se, ir-se do logar 
ou sitio em que se estava, 
mudar de conversação. Abi- 
re : — (ant.) V. Moverse. 

MuDARRON, NA. s. (p. Ar.) E.a- 
paz ou rapariga próxima á 
puberdade, que está a in- 
formar, que começa a mu- 
dar de voz. 

Mude. /. (com.) Mude; espe- 
cie de tela que se fabrica na 
China com a casca de certa 
arvore. 

Mudejares, m. pi. Mudejares ; 
nome que se dá na costa de 
Africa aos mouros proceden- 
tes de Granada e Castella. 

Mudez./. Mudez; privação da 
falia, impedimento uo órgão 
da voz para fallar, estado 
da pessoa muda. Voeis pri- 
vatio vel imjjedimentum. 

Mudo, da. adj. Mudo; diz-se 
da pessoa que não falia por 
defeito natural. Mutus, a, 
um: — mudo; diz-se d'aquel- 



MUE 

las pessoas a quem o medo, 
a vergonha, a admiração ou 
outras causas moraes impe- 
dem momentaneamente de 
fallar: — mudo, mui cala- 
do, silencioso; diz-se por 
ampliação. Taciturnus, a, 
um: — mudo; diz-se das 
cousas iuanimadaü que têem 
uma certa expressão ou si- 
gnificação. Lenguaje mudo; 
linguagem muda; a que não 
emprega palavras. No ser 
mudo (fr.); não ser mudo; 
fallar com desembaraço, de- 
cididamente, fallar muito: 

— (astr.) diz-se dos signos 
de Câncer, Escorpião e Pis- 
eis. Signa muta: — (gram.) 
muda; diz-se da letra con- 
soante em cujo nome não 
entra vogal inicial; taes são: 
b, c, d, g, p, q, t, z. Littera 
muta : — m. jjZ. (liist.) mu- 
dos; individuos do serviço 
do sultão, que apesar de te- 
rem livre o uso da falia, só 
se exprimem por signaes. 
Testigos mudos (for.); teste- 
munhas mudas ; indicios , 
presumpções fortes contra 
um acensado. Escena muda; 
scena, representação muda ; 
a que é por gestos, mimica. 
Personaje muda; jiersona- 
gem muda; a que sem fal- 
lar representa um papel. 

Mué. adv. (ant.)Y. Muy: — 
(comm.) melania ; certo ge- 
nero de estofo que é de seda 
ondeada. Tela sérica ondú- 
lala. 

Muerda. /. (ant.) Movimento, 
impulso. 

MuEBLâjE.??i. Mobilia ; moveis, 
alfaias, trastes de casa. 

Mueble, to. Movei, alfaia; 
qualquer traste que serve 
de guarnecer e ornar uma 
casa: — traste; por amplia- 
ção diz-se de alguns utensi- 
lios portáteis, como uma na- 
valha, punha], pistola, etc.: 

— adj. (adm. e for.) movei ; 
diz-se dos bens ou das cou- 
sas que podem transportar- 
se sem soffrer deterioração. 
São reputados bens moveis 
os animaes domésticos em- 
pregados na lavoura, etc. 
Mobilis, le. 

Mueure. in. (ant.) Movei, tras- 
te, alfaia. 
Mueca. /. Esgares, gestos, tre- 



^ MÜE 151 

geitos, visagens, ademanes 
ridiculos. Gtstus, gesticula- 
tio. 

MuECHO, CHÁ. adj. (ant.) V. 
Mucho. 

MuEDA. f. (ant.) V. Maehda. 

Muedin. s. V. Almuédano. 

MuEDO. m. (ant. mus.) Modo, 
compasso, tom. 

Muela. /. Mó de moinho, pe- 
dra de moer. Mola, oe: — 
quantidade de agua neces- 
sária para fazer andar uma 
roda de moinbo. Aqua ad 
moíam necessária: — mó, 
rebolo; pedra de amolar in- 
strumentos cortantes. Cos, 
otis : — V. Cardume, Car- 
dumen, entre pescadores:— 
(fig.) roda ou circulo feito 
de qualquer cousa. Corona, 
circulus : ■ — ■ serro, cabeço, 
outeiro, collina, monte pe- 
queno. Collis, tumulus, mo- 
les: — dente molar. Mola- 
res dentes: — (ant.) mó, mul- 
tidão. V. Míichedumbre : — 
de dados ; nove pares de da- 
dos. Taxillorum novem pa- 
ria : — dei juicio. V. Cor- 
dal. Muelas de gallo ; diz- 
se da pessoa desdentada, 
que tem maus dentes ou os 
que tem são postiços. Eden- 
tulus, uncis dentibus nota- 
tus. Al que le duela la mue- 
la que se la saque (ri/.); 
quem lhe doe o dente vá ao 
dentista. Qui dolore p)remi- 
tur rcmeãium quoirat. Ha- 
ber salido la muela del jui- 
cio (fr.) ; ter o dente do si- 
zo; ser prudente e comme- 
dido, ter juizo: — (bot.)\. 
Tito. 

MuELDA. /. (ant.) Y. Escua- 
drón. 

Muellaje, m. Ancoragem ; tri- 
buto que pagam as embar- 
cações nos portos de mar, 
Ijela faculdade de ali entra- 
rem e lançarem ancora. 

Muelle, adj. Molle, delicado, 
suave, brando, flexivel. ilíoZ- 
lis, le: — molle, voluptuo- 
so, dado á mollicie. V. Vo- 
luptuoso : — 77?. molhe; es- 
pecie de dique ou lanço de 
muro junto á borda d'agua, 
para abrigar os navios dos 
ventos e correntes, e j^ara 
facilitar a carregação e a 
descarga. Angiportus, mo- 
les arte intra mare facía: 



152 



MUÉ 



— (ant.) adereço ou enfeite 
composto de diíFerentes reli- 
cários ou dixes, que as se- 
nhoras usavam pendente a 
um lado da cintura. Mulie- 
hre crepundium ad chietum 
pendens: — (arf.) mola; jie- 
ça de aço, ferro ou outro 
metal, elástica, que colloca- 
da artificiosamente em al- 
gum engenho ou machinis- 
mo, e n'elle violentada, ser- 
ve para lhe imprimir al- 
gum movimento. Automa- 
tvm, i: — mola; fio de aço 
temperado e enrolado em 
forma espiral que substituo 
a campainha em alguns re- 
lógios: — mola; peça curva 
de fundidor que aperta a 
matriz e a conserva no seu 
logar: — pi. mola; tenaz 
grande de que usam os ou- 
rives : — de bomba ; mola 
enrolada em forma de héli- 
ce: — real ou simplemente 
muelle; mola, lamina com- 
prida e estreita de aço tem- 
perado, enrolado em forma 
de espiral, e mettida dentro 
do tambor dos relógios : — 
mola; peça interior dos fe- 
chos da arma de fogo. Mue- 
lles de carruaje; molas de 
carruagem ;mechanismo des- 
tinado a diminuir os balan- 
ços que experimentam as 
carruagens pela desigual- 
dade dos caminhos. 

Muellemente, adv. m. Molle- 
mente, brandamente, delica- 
damente, suavemente. Mol- 
liter, blande : — mollemen- 
te, voluptuosamente. 

Mdengo, GA. adj. (p. Cub.JDiz- 
se do animal falto de uma 
orelha, e do que tem uma 
mais caída que a outra. 

Mot2Nt. m. (ant.) V. Monte. 

MuEO. m. (ant.) V. Medio, Me- 
dida. 

Muérdago, on. Agárico, bran- 
co ou bastardo; especie de 
plantas do genero visco. 

MuEiiMo. m. (vet.) Mormo ; doen- 
ça contagiosa das bestas, 
cujo principal symptoma é 
o corrimento nasal, glanda- 
gem e a ulceração da mem- 
brana pituitaria. Crassior 
equi pituita vel distillatio : 

— gurma; doença particu- 
lar ao cavallo e seus conge- 
neres, que consiste na in- 



MUE 

flammação da mucosa das 
primeiras vias respiratorias, 
com engorgitamento dos gan - 
glios daganacha. Ataca prin- 
cipalmente os potros e raras 
vezes na idade velha. E ao 
que os castelhanos chamam 
muermo común. 

MuERMOso, sA. adj. Mormoso; 
atacado de mormo. Pil^litâ 
morbosus: — affectado, doen- 
te de gurma; diz-sedas bes- 
tas. 

Muerte. /. Morte; fim, extinc- 
ção, cessação total da vi- 
da animal. Também se diz 
dos vegetaes, mas é figura- 
damente, porque as plantas 
são um aggregado de indi- 
viduos, e a morte n'ellas é 
sempre ¡íarcial, e mais ou 
menos lenta. Mors, ortis : 

— morte; cessação da vida 
do homem considerada re- 
lativamente ás circumstan- 
cias que a acompanham: — 
morte, homicidio; delicto ou 
crime de matar alguém. Ho- 
micidium, interfectio, ocoi- 
sio: — morte; affecto ou pai- 
xão excessiva, transporte 
violento: — imagem da mor- 
te, esqueleto humano, natu- 
ral ou pintado. Óssea liomi- 
nis Tnortui compages: — (fiff-) 
supplicio; trabalhos, cuida- 
dos, occupaçues penosas, 
acerbas, mui custosas: — 
desgostos de morte, dissa- 
bores mortaes, grandes sof- 
frimentos, excessivos, atro- 
zes; diz-se por exageração: 

— morte; causa de destrui- 
ção: — pena de morte ou ca- 
pital; a que consiste em ti- 
rar a vida ao criminoso: — 
pelada; careca; diz-se bur- 
lescamente de quem é calvo 
ou que tem o cabello mui 
rapado. Calvitie deformis ; 
depile caput. A muerte (loe. 
adv.); de morte, mortalmen- 
te; de modo a causar a mor- 
te. A muerte ó a vida (loe. 
adv.); de morte ou de vida: 
diz-se de um remedio appli- 
cado em momento desespe- 
rado, Ad vitce discrimen: 
(fiff.) morrer ou viver, suc- 
ceda o que succeder; diz-se 
para mostrar o risco ou j^e- 
rigo de uma cousa que se 
intenta ou quer executar, 
duvidando do seu bom re- 



MUE 

sultado. Ad ídtimum discri. 
men. Arrostrar la muerte 
(fr.); arrostar amorte, af- 
frontar os perigos. Combate 
a muerte; combate de mor- 
te; o que só deve terminar 
com a morte de um dos com- 
batentes. Estar entre la vj. 
da y la muerte (fr.); estar 
entre a vida e a morte, em 
¡jerigo de vida. Es una muer- 
te (fr-); é de morrer, é um 
supplicio, é um inferno; ser 
mui penosa, enfadonha ou 
insoffrivel alguma cousa. 
Haber visto la muerte de 
cerca (fr.); ter visto a mor- 
te de perto, acabar de sair 
de um perigo imminente. 
Hasta la muerte (loe. adv.}; 
até á morte, até morrer; 
com firme resolução, com 
proposito invariável, perma- 
necendo sempre constante. 
Ad aras usque, usque ad 
moi'tem.. Lucltar con la muer- 
te (fr.); lutar, labutar com 
a morte; estar muito tempo 
em agonia. In extremo diu 
agoneversari. Prender muer- 
te (fr.); receber a morte, ser 
morto. Sentir de muerte o á 
2oar de muerte (fr.); sentir 
profundamente, ter grande 
sentimento de alguma cou- 
sa. Máxime doleré. Siifrir 
muerte y pasión (fr.); sof- 
frer morte e paixão; estar 
contrariado, atormentado. 
Tomar la muerte a alguno 
(fr.); surprehender a morte 
a alguém; morrer de morte 
natural. Tomar.se la muerte 
o el mal por su mano (fr.) ; 
tomar, buscar a morte ou 
o mal por suas mãos; atten- 
tar alguém voluntariamente 
contra a vida, a saude ou o 
seu bem estar, desprezando 
os conselhos que se lhe dão 
em contrario. Mortem vel 
malum voluntarie, sponte sibi 
adsumere, fati diem 2)raioc- 
cupare: — civil (for.); mor- 
te civil; 2)erda dos bens, di- 
reitos e graduação social. 
Mors civilis: — accidental 
(med.); morte accidental; a 
que é produzida pela per- 
turbação do equilibrio das 
forças vitaes: — aparente 
(med.); morte apparente; es- 
tado de immobilidade e de 
insensibilidade absoluta, 



MUÉ 

que apparece depois de cer- 
tas doenças, e que frequen- 
temente se confunde com a 
morte real: — natural; mor- 
te natural ; a que é causada 
por accidente ou doença. 
Mors naturalis: — real; mor- 
te real; decomposição dos 
orgíiüs e cessação completa 
das fuucções vitaes : — re- 
pentina; morte repentina; 
a que succede de improviso 
e sem phenomeno precursor, 
as mais das vezes determi- 
nada por urna ajjoplexia ful- 
minante : — violenta; morte 
violenta; a que é eíFeito 
de urna violencia qualquer. 
Nex, ecis: — del alma (reí.); 
morte da alma; estado em 
que a alma cae pelo pecca- 
do: — eterna (reí.); morte 
eterna; a coudemnação dos 
peccadores ás penas do in- 
ferno. Buena muerte (reí.); 
boa morte; morte contricta 
e clarista. 
Muerto, ta. adj. Morto; pri- 
vado de vida. Extinctus, a, 
um : — morto, extincto ; diz- 
se das cousas que cessam 
de existir ou de estar em 
voga : — morto ; sem vigor, 
sem acção : — morto, podre, 
insensível; diz-se da carne 
de algumas chagas que se 
esphacela, ou perde inteira- 
mente as propriedades vi- 
taes : — (fig-) morto, extin- 
cto, apagado, pouco activo; 
diz-se das cores, tintas e 
dos genios. Languidus, di- 
lutus: — morto, estancado, 
estagnado, encharcado; diz- 
se das aguas ; — m. morto, 
defunto ; cadáver humano, 
ou o corpo separado da al- 
ma. Cadáver humanum : — 
morto, finado; diz-se dos 
fieis de que faz commemo- 
ração a Igreja. Bala muer- 
ta; bala morta; a que per- 
deu a força projéctil, e só 
cáe por seu peso. Caerse 
muerto (fr.); cair morto; 
com a proposição de e al- 
guns nomes, como miedo, 
susto, risa, etc. significa, 
em ambos os idiomas, de 
medo, susto, riso. 2Ietu, hor- 
rore aut alio ajfectu pcene. 
exanim,ari. Desenterrar los 
muertos (fr. fig. fam.); des- 
enterrar os mortos; dizer 
20 



MUE 

mal dos que já morreram, 
perturbar as suas cinzas. 
iV^e mortuis quideni parcere. 
Coatarle con los muertos (fr. 
fig.); esquecer inteiramente, 
desprezar, não fazer nenhum 
caso de alguém. In mortuos 
refcrre. Dinero muerto; di- 
nheiro morto; que não pro- 
duz juro ou lucro, nem se 
applica a pagar divida. Ha- 
cerse el muerto (fr.); fazer- 
se desentendido; fingir igno- 
rancia de alguma cousa ou 
evitar o responder quando 
lhe pedem explicações ou 
fazem perguntas. Quedarse 
muerto (fr. fig.); ficar mor- 
to, ficar estupefacto, sur- 
prehender-se de alguma no- 
ticia repentina, que causa 
Ijezar ou sentimento. Corri- 
pi, obstupere. Lenguas muer- 
tas (philol.); linguas mor- 
tas; as que se conservam só 
nos livros, mas que já fo- 
ram falladas por alguns po- 
vos que hoje não existem. 
Manos muertas (for.)Y. Ma- 
no. Obras muertas (naut.); 
obras mortas; a porção do 
costado do navio que está 
íóra da agua, e principal- 
mente o castello da popa. 
Naturaleza muerta (pint.) ; 
natureza morta ; animaes 
mortos, objectos inanima- 
dos, cuja imitação exclusi- 
va forma um genero parti- 
culaK. Juicio de los muertos 
(rei.); juizo dos mortos; diz- 
se do que sofírem as almas 
depois da morte, segundo a 
crença de quasi todos os po- 
vos. Obras muertas (rei.); 
obras mortas ; peccados, 
obras não meritorias peran- 
te Deus. 

MuERzo. m. (ant.) V. Bocado. 

Muesca. /. Encasamento, en- 
talho; corte, concavidade 
praticada em qualquer cou- 
sa, para n'ella introduzir 
outra. Crena, ce. 

MuEso, SA. adj. (ant.) Y .'Nues- 
tro. Cordero mueso. V. Cor- 
dero : — m. (ant.) V. Boca- 
do : — V. Bocado, do cavallo. 

Muestra. /. Mostra, amostra; 
pequena parte que se tira 
de alguma cousa, para se 
julgar a sua qualidade. Hei 
parvum exemplum, speci- 
men: — mostra, modelo, 



MUG 



153 



exemplar. Exemplar, aris : 

— (fig.) mostra, signal, pro- 
va, indicio, demonstração. 
Specimen, significatio, indi- 
cium, exemplum : ■ — • reló- 
gio de algibeira : — mostra- 
dor; disco sobre o qual o 
ponteiro marca as horas, 
minutos, etc. nos relógios. 
Circulus Jiorarius in horolo- 
giis: — taboleta de loja. Ha- 
cer muestra (r.); fazer mos- 
tra, fingir. La muestra del 
paño (fig.); a amostra do 
panno ; cousa que faz jul- 
gar das outras da sua espe- 
cie. Diz-se das pessoas e das 
suas acções : — (art.) ponta 
de amostra; parte extrema 
do panno aonde se põe o si- 
gnal do fabricante, e com le- 
tras se declara a qualidade 
da peça. Panni specimen: 

— (cae.) parada que o cao 
faz, agachando-se quando 
sente a caça, e diz-se perro 
de miiestra; cão de mostra, 
dextro n'esta operação. Au- 
cupii signum : — (mil. ant.) 
mostra; resenha, revista que 
se fazia da gente de guerra. 
Secensio copiarum. Pasar 
muestra (fr. mil.); passar 
mostra á tropa. Copias re- 
censere, militum syllabum 
percurrerc : (fig.) passar 
mostra ; revistar qualquer 
cousa para se reconhecer. 
Recognoscere, inspicere. 

MuESTRAR. a. (ant.) Mostrar, 
manifestar. 

MuEYO. m. (ant.) V. Mueo. 

Mufla. /. Mufla; tampa ou 
cobertura de barro, com al- 
guns furos, que serve para 
certas forjas e copellas. Foci 
opercalum testaceum. 

Muflir, a. (germ.) Comer. 

MuFTÍ. m. Mufti ou muphti; 
' summo pontífice da religião 
de Mahomet. É ÍMfenesmo 
tempo chefe suprH|l dos 
jurisconsultos e dos padres 
chamados ulemas. 

Muga. /. (prov.) Marco, termo, 
limite. 

Muggletonianos. m. pl. (reí.) 
Muggletonianos; os que per- 
tencem a uma seita fundada 
no seculo xvu em Inglater- 
ra, por Muggletou, que pre- 
tendia ijassar por propheta, 
negava o dogma da Trinda- 
de, e sustentava que Deus 



154 



MUJ 



tinha deixado o governo do 
céu a Elias, emquanto o 
mesmo Pae e não seu Filho, 
tomava na terra a forma 
humana. 

Mugido, m. V. Mujido. 

MÚGiL. m. (zool.) V. Mújol. 

Mugir. n. V. Mujir. 

Mugre, /. Immundicia, suji- 
dade, porcaria da roupa c 
de outras cousas, que de or- 
dinario provém do contacto 
de objectos gordorentos e 
enxovalhados. Soreles, pin- 
guedo. Quitar la mugre; ti- 
rar as nódoas, as manchas 
de gordura. 

Mugriento, ta. aãj. Engordu- 
rado, sujo, porco, enxova- 
lhado ; diz-se da rouj^a e de 
outras cousas que têem su- 
jidade. Sordidus, a, um. 

Mugrón, m. Mergulhão*, vara 
comprida, que nasce do pé 
da videira junto da terra, e 
que se mergulha deixando- 
se a ponta de fora, que se 
faz videira nova. Também 
tem logar para as vergon- 
teas de outros vegetaes. Pro- 
pago, tradux. 

Mugronar. a. V. Amugronar. 

Muharra. /. V. Moharra. 

MuHARREM. m. (chron.) V. Mo- 
harem. 

MuiN. m. (philol.) Muin; oita- 
va letra do alphabeto cél- 
tico. 

MuiÑEiRA. /. Certa dansa gal- 
lega, equivalente á chamada 
la Molinera. 

Muir. a. (p. Ar.) Mungir, or- 
denhar.V. Ordeñar. 

MuiscA. /. (zool.) Muisca; ge- 
nero de insectos coleópteros 
tetrámeros da familia dos 
malacodermes. 

Mujeotia. /. (bot.) Mugeotia; 
genero de plantas phyceas. 

Mujer. /. Mulher; femea do 
genero humano, creatura ra- 
cional do sexo feminino. Fe- 
mina, mulier : — mulher ; diz- 
se da casada com relação ao 
marido. Uxor, oris : — mu- 
lher, mulherengo ; homem 
moUe, eífeminado : — de huen 
fregado. V. Fregado : — de 
partido, mujer de mala vida 
ó de vida airada; mulher de 
partido, mulher do mundo 
ou de má vida, meretriz. V. 
Ramera : — de gobierno ; go- 
vernanta; a creada que tem 



MUJ 

a seu cargo o governo eco- 
nómico da casa. Femina ad- 
ministra, economa: — de 
2niñto; muilier de bem, re- 
catada e honesta : — de su 
casa; mulher de casa; màe 
de familia, bem regida, de 
bom governo. Mulier domi 
solicita: — errada; mulher 
errada, mulher perdida, 
prostituta : — fácil; mulher 
fácil; a que se deixa sedu- 
zir facilmente : — mundana 
ó perdida; mulher munda- 
na, do mundo, mulher per- 
dida , meretriz : — pública ; 
mulher publica, moça da 
vida, marafona, rameira. 
Gosar una mujer (fr.); go- 
sar, haver uma mulher; ter 
copula carnal com ella. Co- 
gnoscere feminam. ò'er mu- 
jer (fr.); ser mulher; ter at- 
tingido a idade de puberda- 
de, ter o fluxo menstrual. 
Viro matura. Tomar mvjer 
(fr.); tomar mulher, casar- 
se. Uxorem ducere. A la mu- 
jer brava, dalle la soga lar- 
ga (ri/.); a mulher brava, 
corda larga. A la mujer cas- 
ta. Dios le basta (rif); á 
mulher casta Deus lhe bas- 
ta. A la mujer y a la pica- 
za, lo que vieres en la plaza 
(rif); a mulher e a pega 
falia o que dizeis na praça. 
A la mujer y a la viña, el 
hombre las hace garridas 
(rif.); á mulher e á vinha o 
homem lhe dá alegria. Con 
la mujer y el dÍ7iero, no te 
burles compañero (rif.); com 
a mulher e dinheiro, não 
zombes companheiro. De tu 
mujer y de tu amigo esperto 
no creas sino lo que supieres 
de cierto (rif); de tua mu- 
lher e de teu amigo esperto 
nao creias senão o que sou- 
beres de certo. La mujer ca- 
sada, en el monte es alber- 
gada (rif.); a mulher casada 
no monte é alojada. La mu- 
jer que poco hila, siempre 
trae mala camisa (rif); a 
mulher que pouco fia, sem- 
l^re traz má camisa. La mu- 
jer y la camuesa por su 
mal se afeitan (rif.); a mu- 
lher e a cereja, por seu 
mal se enfeita. Ija mujer 
y la perra la que cala es 
buena (rif.); a mulher e a ca- 



MUL 

chorra a que mais cala é a 
mais boa. Lm mujer del es- 
cudero, grande bolsa y poco 
dinero (rif); a mulher de 
escudeiro, grande bolsa, 
pouco dinheiro. 

IMujeracha. /. (fam.) Mulheri- 
nha; mulher ordinaria des- 
prezível, da gentalha, da ín- 
fima plebe. 

Mujercilla. /. Mulherinha; 
mulher mundana. Mulier- 
cida, meretricula. 

Mujeriego, ga. adj. Mulheril, 
feminino ; pertencente ou re- 
lativo á mulher. Muliebris, 
bre : — azevieiro, frascario ; 
diz-se do homem amigo de 
mulheres. Mulierosus, a, 
um: — mulherio; muitas 
mulheres juntas, a totali- 
dade das mulheres. Mulie- 
res, ium. Ir ó montar á mu- 
jeriegas (fr.); ir montado 
como as mulheres, com os 
dois pés para um lado. 

Mujeril, adj. Mulheril, femi- 
nino; próprio de mulher. 
Muliebris, fcmineus. 

Mujerilmente, adv. m. Mulhe- 
rilmente; ao modo das mu- 
lheres, de maneira afemina- 
da. Muliebriter. 

Mujerío, m. Mulherio; muitas 
mulheres juntas em uma re- 
união ou a totalidade de mu- 
lheres de uma terra. 

Mujerzuela. /. V. Mujercilla. 

MujiDO. m. Mugido; a voz do 
touro, boi, vacca. Mugitus, 
us. 

Mujier. (ant.) V. Mujer. 

MújiL. m. (zool.) V. Mújol: — 
(ant. naut.) V. Mojel. 

MujiLÓiDEOs. m. pi. (zool.) Mu- 
giloideos; familia de peixes 
acanthopterygios. 

MujiR. n. Mugir, berrar; dar 
mugidos o touro, o boi. Mu- 
giré: — (fig.) mugir, bramir, 
roncar; produzir grande rui- 
do; diz-se do mar, do vento 
etc. 

MujOL. m. (zool.) Mugem; ge- 
nero de peixes acanthopte- 
rygios, da familia dos mu- 
giloideos. 

Mula. /. Mula; femea do mu- 
lo. Mula, ce: — de paso; mu- 
la de carga ou de sella. Gra- 
darius, mula clitellaria: — 
de carro ó coche; mula de 
tiro. Mula carruearia. Mozo 
de mulas; moço de mulas. 



MUL 

Desgiiarnecerlasmulas(fr.); 
desapparclhar, desarreiar as 
mulas. Stragula ddrahere, 
eqnum nudare. írsele a uno 
la mida (fr. fig.); escapar 
alguma expressão, proferir 
alguma palavra sem ter re- 
flexionado sobre o seu sen- 
tido. Quien quisiere la mula 
sin tacha, ándese ápié(rij.); 
quem quer cavallo sem ta- 
cha, sem elle se acha. Nemo 
sine crimine vivit, niliil est 
ah omiii parte beatum: — 
certa embarcação mourisca: 
— mulleo; calçado dos anti- 
gos romanos. Calceus mul- 
leus. V. Mídeo. 

Muladar, m. Muladar, montu- 
ro. Sterquilinium, ii (fig.); 
porcaria, sujidade; tudo o 
que enxovalha. Sordes, is. 

Mular, adj. Muar; da raça dos 
mús ou pertencente a elles. 
Mularis, re. 

Mulatero, m. Moço de mulas ; 
o que serve na estrebaria. 
Stabularius, ii. Cerril como 
U7i mulatero (fr.); bruto co- 
mo um arrieiro. 

Mulato, ta. adj. Mulato; filho 
ou filha de preto e branca, 
ou ás avessas. Usa-se tam- 
bém como substantivo. Hi- 
hridus, fuscus: — mulato, 
moreno, trigueiro. Aquilas, 
a, um: — negro, fusco, escu- 
ro. Fuscus, a, um: — m. 
(min. p. A. Mer.) mineral de 
prata de côr escura : — (zool.) 
V. Muleta. 

Muldera. /. (hot.) Muldera; 
genero de plantas da fami- 
lia das piperáceas. 

MULECO, MuLECON. ÍH. (p. Cub.) 

Negro boçal de onze a deze- 
sete annos. 

MuLEMBERjiA. /. (bot.) Mulcm- 
bergia; genero de plantas da 
familia das gramíneas. 

MuLEO, MuLÉOLo. 7W. Mulleo; 
calçado vermelho de que 
usaram primeiramente os 
reis de Alba Longa e depois 
os patricios romanos. Míd- 
leus calceus. 

MuLEQUE. m. (p. Cub.) Mole- 
que; negrinho de sete- a dez 
annos. 

Mulera. /. (bot.) V. Mullera. 

MuLERiA. /. (zool.)Y. Mulle- 
ria. 

Mulero, m. Moço de mulas, no 
campo. Mularum custos : — 



MUL 

adj. muleiro; diz-sc do ca- 
vallo affciçoado ás mulas. 

Muleta./. Muleta; bastão com 
braço concavo que sustém 
ao tolhido ou aleijado, por 
baixo dos braços, para se 
mover. Scipio, anis: — (fig-) 
muleta, emparo ; e n'este sen- 
tido se chama assim a pe- 
quena refeição que se toma 
antes dacomida regular. Ful- 
crum, i. Tener una cosa mu- 
letas (fr. fig. fam.); ter uma 
cousa muletas; ser já muito 
sabida por antiga e velha. 
Fulcris dotatam esse; jam 
senuisse: — muleta; pau com 
que o toureiro envolve a ca- 
pa com que chama o touro 
á soi'te para o matar : — 
(naut.) muleta; barco de pes- 
ca portuguez. Cymba brevis: 
— (zool.) muleta; genero de 
conchas bivalves, composto 
de tres especies. 

Muletada. /. Manada ou por- 
ção grande de gado muar 
para vender. Mídariim ca- 
terva, armentum. 

Muletero, m. V. Mulatero. 

Muletilla. /. Bordão, estribi- 
lho; palavra de que alguém 
usa no discurso inadverti- 
damente e a cada passo : — 
bordão, pau, vara : — V. 3Iu- 
leta, na accepção de pau ou 
bastão de toureiro. 

Muleto, ta. s. Mulinho, ma- 
chinho, mulinha. Mulus an- 
nicidus, bimus. Cerrado como 
pié de muleto (fr.); applica- 
se ao homem muito avaro ou 
dissimulado. 

Mulier. /. (ant.) V. Mujer. 

Mulilla. /. dim. de Mula, na 
accepção de calçado dos an- 
tigos 1'omanos. 

Mulino. m. (bot.) Mulino; ge- 
nero de plantas da familia 
das umbelliferas. 

MuLiNsiA. /. (bot.) Mulinsia; 
genero de plantas da fami- 
lia das sapindaceas. 

MuLio. m. (zool.) Mulio; gene- 
ro de insectos dípteros da fa- 
milia dos tanystomos. 

Mulo, la. s. (zool.) Mulo, mú; 
designam-se assim em ge- 
ral os mestiços, producto do 
cavallo e da burra, ou do 
burro e da égua; são infe- 
cundos. Mulus hinus: — 
mariro.Y. Salmonete: — ro- 
mo. V. Burdígano : — (fig.) 



MUL 



155 



cabeçudo, pertinaz, teimoso, 
obstinado. Mido cojo e hijo 
bobo, lo sufren todo (rif); 
as cousas menos apreciadas 
são as que se expõem a 
maior trabalho. 

Multa. /. Multa; pena pecu- 
niaria. Poena pecuniaria, 
muleta : — (bot.) multa ; es- 
23ecie de arvore fructífera 
silvestre, que tem uns 16 
pés de altura, muito abun- 
dante nas costas do norte da 
ilha de Porto Rico. 

Multangular . adj. (math.) 
Multangular; diz-se de uma 
figura ou de um corpo que 
consta de mais de quatro 
lados. 

Multar, a. Multar; impor 
multa. Multare vel muí- 
ctare. 

MuLTicAUDO, DA. adj. (zool.) 
Multicaudo ; que tem muitas 
prolongações em forma de 
cauda. 

MuLTicAULB. adj. (bot.) Multi- 
caule; que tem muitos cau- 
les. 

MuLTicoco, CA. adj. (bot.) Multi- 
coco; que tem muitas cas- 
cas. 

MuLTicoLORo. adj. Multicolor; 
composto de muitas cores. 

MuLTiFiDo, DA. adj. Multifido; 
que é dividido em muitas 
tiras estreitas. 

MuLTiFLORO, EA. adj. (bot.) 
Multifloro; que produz mui- 
tas flores. 

Multiforme, adj. Multiforme; 
que tem muitas ou varias 
figuras ou formas. Multifor- 
mis, e. 

Multilátero, ra. adj. (math.) 
Multilátero; diz-se da figu- 
ra que contém mais de qua- 
tro lados. Multilaterus, a, 
um. 

Multimamio, mía. adj. (zool.) 
Multimamio; que tem mais 
de duas mammas ou tetas. 

MuLTiNERViA./. (bot. auí.) Mul- 
tinervia; nome dado antiga- 
mente á tanchagem. 

MuLTiNOMio. m. (algeb.J Multi- 
nomio; toda a quantidade 
algébrica composta de mais 
de dois termos distinctos pe- 
los signaes -}- e — . Chama- 
se-lhe mais commummente 
polynomio. 

MuLTIPARIDAD./. (zOol.) Multí- 

paridade; qualidade dos ani- 



156 



MUL 



mães, cujas fêmeas geram a 
um tempo muitos filhos. 
MüLTiPARO, RA. adj. Multipa- 
ro; diz-se dos animaes cujas 
fêmeas goram muitos filhos 
ao mesmo tempo. 

MULTIPARTIDO, DA. aclj. (bot.) 

Multipartido; dividido em 
muitas tirinhas estreitas. 

MuLTÍPEDO, DA. üdj. (ZOOl.) IMul- 

tipedc ; que tem muitos pés. 

Mdltipétalo, la. adj. (hot.) 
Multipetalo ; diz-se das plan- 
tas cuja corola é composta 
de muitas pétalas. 

MÚLTiPLK. adj. (phys.) IMulti- 
plo; diz-se do echo que a um 
tempo repete duas ou mais 
vezes os mesmos sons : — 
(arith.) V. Múltiplo. 

Multiplicable, adj. Multipli- 
cável; que se pode multi- 
2)licar. Multiplicahilis, le. 

]\IULT1PLICACI0N. /. MultÍplÍCa- 

ção; acção e effeito de mul- 
tiplicar. MnUiplicatio, onis: 

— (arith.) multiplicaçào-, 
operação arithmetica, que 
consiste em determinar o 
producto de um numero to- 
mado tantas vezes, quantas 
são as unidades de outro. 
MuUijjlicatio, onis. 

Multiplicador, ra. s. Multipli- 
cador; o que multiplica. Mul- 
tiplicator, oris: — m. (arith.) 
multiplicador; numero que 
declara quantas vezes se 
ha de tomar o multiplican- 
do. Multiplicator , oris: — 
(phys.) multiplicador; vidro 
talhado em facetas, que re- 
presenta a um temi3o mui- 
tas imagens de um mesmo 
oljjecto: — multiplicador; 
chama-se assim o galvanó- 
metro de Schweigger, por- 
que com efteito multiplica a 
força electro-magnetica. 

Multiplicando, m. (arith.) IMul- 
tiplicando; numero que se 
ha de multiplicar por ou- 
tro. 

Multiplicar, a. Multiplicar; 
augmentar consideravel- 
mente em numero os indi- 
viduos de alguma especie. 
Usa-se muitas vezes como 
reciproco, especialmente fal- 
lando do que se augmenta 
por geração. Multiplicare: 

— (arith.) multiplicar; re- 
petir um numero tantas ve- 
zes, quantas são as unida- 



MUL 

des contidas no outro. Mul- 
tiplicare, numerum in alte- 
o'um ducere. 

Multíplice, adj. (arith.) Mul- 
típlice. V. Mídtiplo. Mtdti- 
plex, icis. 

Multiplicidad. /. Multiplici- 
dade; multidão, grande nu- 
mero. MulliiÂicitas , atis. 

Multiplicio. m. Multiplicação; 
efíeito de multiplicar ou 
acrescentar-se alguma cou- 
sa. Mtdtiplicatio, onis. 

MÚLTIPLO, PLA. adj. (arith.) 
Múltiplo; diz-se de um nu- 
mero que contém exacta- 
mente outro certo numero 
de vezes. J?ason mnltipla; 
rasão múltipla; a que se en- 
contra entre dois números 
múltiplos. 

]\IuLTiTUD. /. Multidão; gran- 
de numero de pessoas ou 
cousas juntas. Multitudo, 
inis: — multidão; o povo, o 
vulgo, as turbas, as massas. 

MULTIUNQULADO, DA. ttdj. (zOol.) 

Multiungulado ; diz-se do 
animal que tem mais de 
dois cascos em cada pé. 

Mulla. /. Excava; operação 
de cavar a vinha á roda 
das cepas. Vinearum levis 
excavatio. 

MuLLAii. m. Mullab; especie 
de doutor mahometano. 

MuLLER. /. (ant.) Y. Mujer. 

Mullera./, (bot.) Mullera; ge- 
nero de plantas da familia 
das leguminosas. 

Mullida./, (agr.) Leiva; por- 
ção de terra que fica entre 
dois regos quando se lavra. 
Gleba ligone fossa, aratro 
inversa. 

Mullido, m. Almofada provi- 
soria, que se colloca em al- 
guma parte. 

MuLLiDOR, RA. s. Amollcccdor; 
o que amollece. Qui mollit, 
mollitor: — V. Muñidor. 

Mullir, a. Amollecer, abran- 
dar, fazer molle, fofo. Mol- 
lire : — V. Munir : — (ngr.) 
excavar; cavar a terra em 
roda das cepas. Leviter ex- 
cavare: — (fig-) mollir, ma- 
cliinar; dispor as cousas in- 
dustriosamente, para conse- 
guir um fim. Mollire: — 
lana; bater a lã. Lana tun- 
dere. Haber quien se las mu- 
lla (fr.); haver quem saia 
ao seu encontro; conhecer 



MUN 

as ideas ou intentos de al- 
guém, e ter a habilidade de 
rechaça-los. Apprivne calle- 
re et obsistere. 

MuMiFORME. adj. (zool.) Mumi- 
forme; parecido com uma 
múmia. 

MuMMiENTO. m. (ant.) V. Mo- 
mento 

Mundanal, adj. (ant.) V. Mwi- 
dano. 

MuNDANALiDAD. /. (ant.) Mun- 
danalidade; qualidade do 
que é mundano. 

MuNDANALMENTE, Mundanamen- 
te, adv. m. Mundanamente; 
de um modo mundano, se- 
gundo o mundo. 

Mundano, na. adj. Mundano; 
do mundo, pertencente ao 
mundo. Mundamis, a, um : 
— mundano; diz-se da pes- 
soa aferrada ás cousas do 
mundo, ás suas pompas. 
Miondanus, a, um. Justicia 
mtmdana (ant.) ; juizes lei- 
gos. JSra mundana de los ju- 
dios (chron.) ; era mundana 
dos judeus; era da creação. 
Musica mu7idana (philos.); 
musica mundana; nome da- 
do por alguns jDhilosophos 
antigos á harmonia ou ac- 
cordo perfeito de todas as 
partes da natureza. Diz-se 
também harmonia celeste. 
Obra mundana (rei.); obra 
mundana, mercenaria, servil. 

MuNDENSE. adj. Mundense; per- 
tencente a Munda ou a seus 
habitantes. 

MuNDiA. /. (bot.) Mundia; ge- 
nero de plantas da familia 
das polygaleas. 

Mundial, adj. (ant.) V. Mun- 
dano. 

Mundificación. /. (med.) Mun- 
dificação; acção de mundi- 
ficar: — mundificação, pu- 
rificação. 

Mundificante, adj. Mundifi- 
cante ; que mundifica. Mun- 
dificans, aiitis. 

Mundificar . a . Mundificar, 
limpar, purificar, ¡lurgar. 
Mundificare, ^j>?í?-í/are. 

Mundificativo, VA. adj. (med.) 
Mundificativo, detersivo; que 
alimpa, que tem a virtude 
de mundificar. Mundificati- 
vus, a, um. 

Mundillo, m.. Enxugador; es- 
pecie de camilha redonda 
feita de circuios de madei- 



MÜN 

ra, que serve para enxugar 
ou aquecer a roupa, met- 
tendo-lhe brazas por baixo. 
Rotundum exsiccatoriiim : — 
especie de almofada para 
fazer renda. Mundidus, i. 

MüNDiNOvi. m. V. Mundoiiuevo. 

MuNDio. m. Mundio; protecção 
que entre os longobardos 
era dada ás mulheres, crean- 
cas e escravos, pelos paren- 
tes mais próximos cu pelo 
senhor: — mundio; preço 
estipulado para obter a tu- 
tela da mulher, que o mari- 
do dava ao mundualdo. 

Mundo, m. Mundo; o universo 
visível. Mimdus, i: — mun- 
do; a terra, o globo terrá- 
queo. Orbis terra sphcerce: 

— mundo; cada um dos dois 
grandes continentes do glo- 
bo : — mundo ; esphera ter- 
restre : — mundo ; cada um 
dos planetas considerados 
como tendo habitantes : — 
mundo; os homens, o genero 
humano: — -mundo; a maior 
parte da gente, e n'este sen- 
tido diz-se : todo el mundo 
lo sabe; todo o mundo o 
sabe : — mundo ; a vida se- 
cular, por opposiçâo á vida 
monástica : — mundo ; a vi- 
da humana sobre a terra, 
por opposiçâo á outra vida, 
como o expressa este dito 
de Jesus ; Mi reinado no es 
de este mundo; o meu rei- 
no nao é d'este mundo: — 
mundo; no sentido ascético 
e moral, propensão ou incli- 
nação a viver segundo as 
vaidades da sociedade; as- 
sim encarado o mundo, é um 
dos inimigos da alma. Mun- 
dtis, i : ■ — mundo ; globo 
com uma cruz em cima, que 
se representa nas mãos do 
menino Jesus ou aos pés do 
Salvador e da Virgem. Sphcs- 
rtda, ce : — (fam.) infinida- 
de, grande numero, grande 
quantidade, grande copia. 
Summas, quantitas : — (fig-) 
mundo; logar vasto e mui 
23ovoado : — mundo, esphe- 
ra ; conjuncto de cousas, de 
pbenomenos, de principios, 
como : el mundo de las idéas; 
o mundo, a esphera das idéas: 

— mundo; a viáa munda- 
na, usos, costumes da socie- 
dade culta. Mundus, i: — 



MUN 

(germ.) rosto, cara : — físi- 
co ; mundo physico ; o mun- 
do considerado no que tem 
de sensível : — ideal ; mun- 
do ideal ; mundo imagina- 
rio, melhor que aquelle em 
que existimos: — menor; o 
homem : — moral ó intele- 
ctual; mundo moral ou in- 
tellectual ; o mundo consi- 
derado sob o aspecto das 
relações que só pode perce- 
ber a intelligencía ou que 
pertencem á moral : — pri- 
mitivo ; mundo primitivo ; 
estado do genero humano na 
epocha mais longiqua a que 
SC pode remontar. Os geólo- 
gos também chamam mundo 
primitivo ao primeiro esta- 
do da terra, quer seja ímme- 
diatamente depois da ci-ea- 
ção, ou ao menos antes do 
diluvio : — subterrcineo ; 
mundo subteri-aneo; diz-se 
fallando de tudo que se oc- 
culta nas entranhas da ter- 
ra, e principalmente nas mi- 
nas. Andar ó estar el mundo 
ai travez (fr.); andar ou es- 
tar o mundo ás avessas ; es- 
tar as cousas ao contrario 
do que deve ser. Ciencia del 
mundo; sei encía do mun- 
do; arte de conduzir-se com 
os homens em proveito seu, 
segundo a moral. Conocer el 
mundo; conhecer o mundo, 
conhecer os homens. Dar el 
mundo un estallido (fr. fig.); 
dar o mimdo um estoiro; si- 
gnifica que andam as cou- 
sas tão desconcertadas, que 
parece estar breve a aca- 
bar-se o mundo. Res opertas 
tumescere. Dejar el mundo 
(fr.) ; deixar o mundo ; re- 
nunciar ao commercio dos 
homens. Desde que el mun- 
do es mundo (fr.) ; desde que 
o mundo é mundo; desde 
tempo immemorial. Ab orbe 
condito, post hominum me- 
moriam. Echar al mundo 
(fr.); deitar ao mundo; crear 
Deus a alguém. Creare, fa- 
ceré. Echar del mundo a al- 
guno (fr.); retirar do mun- 
do a alguém ; tira-lo do tra- 
to e communicação social. 
Ad garamantas, ultra sau- 
romatas mittere. Echarse al 
mundo (fr.) ; entregar-se ao 
mundo, seguir os maus cos- 



MUN 



157 



turnes, entregar-se aos pra- 
zeres mundanos. El gran 
mundo; o grande mundo, a 
alta sociedade. Este mimdo 
y el otro (loe.) ; este mundo 
e o outro ; modo de fallar do 
estylo vulgar com que se 
pondera a grande abundan- 
cia e copia de dinheiro, ri- 
quezas ou outra cousa simi- 
Ihante, como : fulano tiene 
este mundo y el otro; fula- 
no tem, possue este mundo 
e o outro. Máxima, summa. 
El fin ó el cabo del mundo; 
o fim, o cabo do mundo ; a 
parte da terra mais afasta- 
da d'aquclla que habitamos. 
Hombre del mundo; homem 
do mundo, que tem pratica 
do mundo, experimentado. 
Morir para el mundo (fr.); 
morrer para o mundo ; apar- 
tar-se d'elle renunciando a 
seus bens e prazeres. Mun- 
do omnino renuntiare, vale- 
dicere. No caber en este mun- 
do (fr. fig.); não caber n'es- 
te mundo; ser mui soberbo, 
arrogante e enfatuado, Su- 
perbia turgere. No ser de 
este mundo (fr.) ; não ser 
d'este mundo; estar total- 
mente abstrahido das cousas 
terrenas. Omnino à mundo 
abstractum esse. Remmciar 
al mundo, retirarse del mun- 
do (fr.); renunciar ao mun- 
do, retirar-se do mundo. V. 
Dejar el mundo. Rodar mun- 
do (fr.); correr mundo, cor- 
rer terras ; viajar muito sem 
se demorar em terra algu- 
ma, ou sem motivo determi- 
nado. Também se diz: ro- 
dar por el mundo. Peragra- 
re. Salir de este mundo, o 
salir de esta vida; sair d'es- 
te mundo ou d'esta vida, 
morrer. Vitâ excederé. Te- 
ner mundo, 6 tener mucho 
mundo (fr. fam.) ; ter mun- 
do ou muito mundo; saber 
do mundo, saber o necessá- 
rio por experiencia para se 
não deixar illudir pelas ex- 
terioridades ou primeiras 
impressões. Todo el mundo 
es uno, ó todo el mundo es 
país (loc); todo o mundo é 
um, em toda a parte ha bom 
e mau. Ubicumque idem. Ve- 
nir al mundo (fr.) ; vir ao 
mundo, nascer; diz-se das 



158 



MUN 



pessoas. Ver mundo (fr.); 
ver mundo; viajar por dif- 
ferentes terras e paízes. Va- 
gare per varias regiones: — 
(br.) inundo, esphera; globo 
terrestre que se vê sobre as 
tiaras dos papas ou sobre as 
coroas dos imperadores. j4ho 
dei mundo (chron,); anno do 
mundo, anno da creação. 
Alma dei mundo (philos.J; 
alma do mundo; especie de 
intermedio que a philoso- 
phia platónica suppòe entre 
Deus e a materia. Nuevo 
mundo (geol.) ; o novo mun- 
do, a America. 

MuNDONUEVO. m. Mundinovi ; 
caixa óptica, especie de cos- 
morama ou camará óptica. 

MuxDUALDO. 7??. (hist.) Mun- 
dualdo; nome que davam os 
lombardos ao tutor de uma 
mulher. 

Mdni. m. (hist.) Muni; nome 
que dão os indios a um ho- 
mem piedoso e sabio. Cha- 
mam assim frequentemente 
aos ricos e aos poetas, cujas 
obras passam por inspira- 
das. 

Munición. /. Munição ; chumbo 
miúdo para atirar aos pás- 
saros. Globuli plumbei mi- 
nutissimi. Ser de munición 
alguna cosa (fr. fam.); ser 
alguma cousa feita á pres- 
sa, e por isso mal acabada. 
Ruditer, festinanter res fa- 
da: — (mil.) munição; os 
aprestos militares. Belli in- 
strumentum et apparatvs: — 
de boca; munição de boca; 
mantimentos de um exerci- 
to. Commeatus, ns. Pan de 
munición; pão de munição; 
pão que se dá aos soldados. 
Panis castrensis vel milita- 
ris. 

Municionar, a. Municionar, mu- 
niciar; abastecer, prover de 
munições, de petrechos, vi- 
ctualhas. Oppidum, arcem 
munire. 

Municipal, od/. Municipal; per- 
tencente a municipio. Muni- 
cipalis, le : — m. vereador 
da camará municipal. Mu- 
nicips, is. 

Municipalidad. /. Municipali- 
dade, concelho; circumscri- 
pção de terreno pertencente 
a uma camará municipal. 

Munícipe, s. Munícipe; o que 



MUN 

gosa do direito de munici- 
pio. Municij)s: — (hist.) os 
romanos tomavam esta pa- 
lavra em sentido mais stri- 
cto, applicando-a unicamen- 
te áquelle que, sendo de ci- 
dade livre e amiga, era ad- 
mittido aos cargos públicos 
da sua, como se se dissera 
participe dos cargos, das pa- 
lavras latinas múnus e ca- 
pio. 

Município, m. Municipio; cida- 
de principal, que se gover- 
na por leis próprias. Muni- 
cipium, ii. Os romanos de- 
nominavam assim aquellas 
cidades que não pertenciam 
ás províncias subordinadas 
ao seu imperio, e cujos ha- 
bitantes podiam obter os pri- 
vilegios e gosar dos direitos 
da cidade de Eoma, sem que 
aquellas deixassem de per- 
manecer independentes. Dif- 
feriam das colonias, que vi- 
viam em uma estreita de- 
pendencia da metrópole. 

Munificencia. /. Munificencia, 
largueza, liberalidade. Mu- 
nificentia, ce. 

Munífico, ca. adj. Munífico, 
dadivoso, liberal. Munificus, 
a, um. 

MuNIFICENTÍSIMO, MA. adj. SUp. 

de Munífico. INIunificentissi- 
mo. 

Munitoria . /. Fortificação'; ar- 
te de fortificar as praças. 
Ars munitoria. 

MuSeca. /. Munheca, pulso; 
articulação da inão com o 
braço. Brachii et manus co- 
missura, carpus, brachiale: 
— boneca; saquinho atado, 
ou trapo, em que se embru- 
lhou alguma droga ou re- 
medio, que se faz ferver em 
algum liquido para lhe com- 
municar as suas proprieda- 
des. Ex Uno involucrum : — 
boneca ; en^'oltorio de trapos 
finos com que os estampa- 
dores limpam as chapas, a 
fim de que fique só a tinta 
nos traços gravados : — bo- 
neca; figurinha imitando 
mulher, com que brincam as 
meninas: — (fig.fam.) bo- 
neca; mulher pequena e 
muito enfeitada. Menear las 
muñecas (fr.); trabalhar os 
bonecos, mecher os pausi- 
nhos; trabalhar muito e 



MUR 

com actividade em alguma 
cousa. 

Muñeco, m. Boneco; pequena 
figura de homem feita de 
madeira, papelão, etc. Ho- 
muncidi efficatio : — (figO 
boneco, bonifrate; homem 
muito empertigado, enfeita- 
do. Jlomuncio, homunculus : 
— (bot.) especie de arvore 
silvestre da ilha de Porto 
Rico. 

Munequeak. a. (esgr.) Mover 
o pulso em terça e quarta. 
Carpum hac illac verteré. 

]MuNEQUERA. /. (ant.) V. Mani- 
lla, Pulsera. 

Muñequería. /. Luxo no ves- 
tuario, atavios, ornatos, en- 
feites excessivos. Luxus ves- 
tium: — rapazia, mucharia; 
reunião buliçosa ou turbu- 
lenta de creanças ou rapa- 
zes. 

Muñidor, m. Andador; o que 
nas irmandades anda avi- 
sando os irmãos. Pra;co fe- 
ralis, monitor. 

Muñir, a. Convocar, chamar, 
convidar para reuniões, jun- 
tas, etc. Monere, convocare, 
arcessere. 

Muñón, m. Grande musculo do 
braço. Brachii torus, vel in- 
gens musculus: — coto; tro- 
ço ou parte que resta de um 
membro amputado : — (mil.) 
munhão ; especie de eixo das 
peças de artilheria, que en- 
caixa na munhoneira. 

MuÑONERA./. (mil.) Munhonei- 
ra; mossa ou entalhe semi- 
circular nas carretas, onde 
encaixam os muuhoes das 
peças. 

Muquicion. /. (germ.) Comida. 

Muquir, a. (germ.) Comer. 

MuR. m. (ant.) V. Eaton. 

Mura. /. (naut.) V. Amura. 

Murada./. V. Amurada. 

MuHADAL. m. V. Muladar. 

MuRAjE. m. (ant.) Muragem; 
direito que se pagava para 
a reedificação, concerto e 
conservação das muralhas 
das cidades c dos monumen- 
tos jiublicos. Moinium tribu- 
tum. 

]\IuRAjES. m. (bot.) Morriâo; 
herva. 

Mural. adj. Mural ; pertencen- 
te a nAiro. Muralis, le: — 
(bot.) diz-se das plantas que 
crescem nos muros. Corona 



MUR 

mural (hist.); coroa mural; 
íi que se dava na antiga 
Konia ao soldado que pri- 
meiro subia á muralha. 

Muralla./. Muralha; muro ou 
parede de bastante espessu- 
ra e de certa elevaç.ào : — 
(mil.) muralha; muro de pra- 
ça fortificada, muro defen- 
sivo. Murus, mcenia: — 
(naut. ant.) V. Amurada. 

MuRAK. a. Murar; cercar de 
muro, de muralha. 2Icenibus 
cingere, muro sepire. 

Murceguillo, to. V. Murcié- 
lago. 

Murceo, to, (germ.) Toucinho. 

Murciano, na. s. Murciano ; o 
natural de Murcia : — adj. 
murciano ; pertencente a 
Murcia. 

Murciar, a. (germ.) Furtar. 

MuKciÉGALo. TO. V. Murcit- 
lago. 

Murciélago, to. (zool.) Morce- 
go; animal parecido com o 
rato no tamanho e na côr, 
com azas membranosas, e 
que sáe de noite 

MuRciGALLERO. TO. (germ.) Mor- 
cego; ladrão que rouba á 
boca da noite. 

MuBciGLERO. m. (germ.) Ladrão 
que furta aos que dormem. 

Murcio, to. (germ.) Ladrão. 

Murecillo, m. (anat.) V. Mús- 
culo. 

Murena. /. (zool.) Murena, mo- 
reia. V. Lamprea. 

Murera./. (ant.) Peleja, bata- 
lha: — murena; genero de 
plantas da America. 

Murga. /. V. Alpecliin: — no- 
me que se dá em Madrid a 
qualquer reunião de músi- 
cos que vão tocar ás portas 
das habitações, por boas fes- 
tas ou por outro motivo. 

MuRGANO. m. V. Musgaño. 

Muría. /. (p. Ast.) Crista de 
montanha: — (min. e chim.) 
muria; nome que Dioscóri- 
des dá ao sal marinho em 
dissolução. 

MuniÁTico. adj. (chim.) Muria- 
tico; dizia-se do acido hy- 
drochlorico, quando se sup- 
punha pertencer aos oxydos. 

Muriato, to. (chim.) Muriato; 
sal neutro, formado pela 
combinação do acido muria- 
tico com uma base alcalina, 
terrea ou metallica. 

MÓBicE. TO. (pões.) Purpura: — : 



MÜR 

(zool.) múrice ; caracol ma- 
rinho, que tem uma como 
veia esbranquiçada, cujo li- 
quido, applicado á lençaria, 
se faz verde e depois pur- 
pureo, e nuo se tira com a 
lavagem. 

MuRÍcEA. /. (zool.) Muricea; 
genero de polypeiros da or- 
dem dos gorgonios. 

MuRiciTo. m. (zool.) Muricito; 
especie de múrice fóssil. 

Murmujear, a. (fig.) V. Mur- 
murar, fallar baixo. 

Murmullo, to. Murmulho. V. 
Murmurio : — murmurio, 
ruido ou som indistincto de 
voz mal articulada, como de 
quem falia por entre dentes : 
— murmurinho, borborinho; 
sussurro de muitas pessoas 
juntas, e que faliam ao mes- 
mo temido sem que se perce- 
ba o que dizem. 

]\IuRMURAcioN. /. Murmuraçào ; 
o acto de murmurar: — 
murmuração, detracção, ma- 
ledicencia, calumnia. Detra- 
ctio, onis. 

Murmurador, ra. s. Murmura- 
dor, detractor; o que mur- 
mura. Detractor, oris: — 
murmui-ador ; diz-se mais 
geralmente do que tem o 
vicio de murmurar. 

Murmurante. 2^- «• de Murmu- 
rar. Miirmurans, antis. 

Murmurar, a. Murmurar; fal- 
lar por entre dentes. Mus- 
sare: — n. murmurar; dar- 
se á murmuração, censurar, 
dizer mal de alguém sem 
necessidade . Murmurare , 
detrahere absentibus : — 
murmurar, sussurrar; fazer 
murmurio, sussurro a cor- 
rente das aguas. Murmura- 
re, strepcre. 

MuRMÚREo. TO. V. Murmullo, 
na terceira accepção. 

Murmurio, to. Murmurio, sus- 
surro; som brando, indis- 
tincto e agradável da agua 
que corre, ou da viração 
branda que agita as folhas 
das arvores. Murmur, su- 
surrus: — V. Murmuración. 

Muro. to. Muro. V. Parede, 
'Tapia. Frequentemente si- 
gnifica muralha. Murus, 
paries: — (germ.) broquel. 
Intra ó extra muros (loc, 
adv.); intra ou extra mu- 
ros ; dentro ou fora das mu- 



MUS 



159 



ralhas, dentro ou fora da 
cidade. 

Murria./. Especie de tristeza 
e abatimento, acompanhado 
de peso de cabeça, que obri- 
ga a pessoa a andar cabis- 
baixa e melancólica. Fro- 
fundus mceror: — medica- 
mento composto de alho, vi- 
nagre e sal, que se usa para 
evitar a putrefacção das fe- 
ridas e chagas. Ex sale, 
aceto et aliis medica confe- 
clio. 

Murriña. /. (ant.) Bebida com- 
posta de vinho doce mistu- 
rado com alguns aromas, 
usada antigamente. Tam- 
bém se dava este nome a 
outra bebida muito amarga, 
por levar mirrha, que os ju- 
deus administravam aos cri- 
minosos condemnados á 
morte. 

Murrio, ria. adj. Triste, me- 
lancólico, descontente. Moes- 
tus valde. 

Murta./. V. Murtón: — (germ.) 
azeitona ; — (bot.) murta. V. 
Arrayan. 

Murtera. /. Murtal; mata de 
murtas. Myrtetum, i. 

Murtilla./. Murtilha; fructo de 
um arbusto da mesma deno- 
minação, que cresce na Ame- 
rica. 

Murtina. /. V. Murtilla. 

Murtón, to. Murtinho; baga 
da murta. 

Murucuca, Murucuyá. /. (bot.) 
Moracujá. V. Granadilla, 
Pasionaria. 

Murueco, to. V. Morueco: — 
(ant.) V. Ariete. 

MuRUMO. m. Murumo; palmei- 
ra da Africa oriental, da qual 
se exti-ahe um licor vinoso, 
e uma especie de assucar. 

MuRZA. TO. Murza; nome com 
que os povos de raça turca 
designam uma pessoa de 
elevado nascimento; v. g. : 
a um principe. E sem duvi- 
da a mesma voz qua o mir- 
za dos persas. 

Mus. TO. Certo jogo de cartas, 
usado em algumas provin- 
cias da Hespanha. 

Musa./. Musa; cada uma das 
fabulosas deidades da anti- 
guidade, que os poetas fa- 
zem habitadoras do monte 
Helicón ou Parnaso, presi- 
didas por Apollo, e lhes at- 



160 



MUS 



tribuera o influxo nas scien- 
cias e artes liberaes, espe- 
cialmente na poesia. Musce 
pierides : — musa ; o nume 
ou engenho poético. Musa. 
Entender la musa (fr. fig.) ; 
entender a musa; perceber 
a intenção ou malicia de al- 
guém. Caliere. Soplar la 
musa; soprar a fortuna ; ga- 
nhar ao jogo. In ludo luxirum 
faceré. 

MüSAK.n.faíií.J Esperar, aguar- 
dai-. 

MusARAÍíA. /. Musaranho ; rato 
venenoso, cujas especies se 
encontram em toda a parte 
do globo. Por extensão da- 
se este nome a qualquer in- 
secto ou animal pequeno : — 
figurilha; pessoa de má fi- 
gura, contrafeita e ridicula. 
Larva, ai : — especie de nu- 
vemzinha que se põe diante 
dos olhos. Volantes fili. Mi- 
rar a las musarañas (fr. 
fam.j; ver o mar estando 
na terra ; olhar a outra par- 
te differente d' aquella para 
que se deve, por estar dis- 
trahido. Pensar en las musa- 
rañas (fr. fig.); pensar na 
morte da bezerra ; estar ab- 
stracto, não prestar atten- 
ção ao que se diz ou faz. 
Alia agere, muscas captare: 
— (ant.) burla, chalaça. 

MüscAKDiNA. /. Muscardina'; 
doença dos bichos de seda, 
que destroe os casulos. 

MuscAEi. m. (bot.) Muscari ; ge- 
nero de plantas da familia 
das liliáceas. 

Muscívoro, ka. adj. fzooZ.^ Mus- 
cívoro; que se alimenta de 
moscas ou que as come. 

Musco. írt.V. Musgo, Almiscle, 
Almisclera: — adj. fusco, 
pardo escuro. 

MüscoLOJÍA. /. (bot.) Museolo- 
gia; parte da botánica, que 
trata dos musgos. 

MuscosiDAD. /. Muscosidade; 
especie de felpa que se acha 
no ventrículo dos animaes. 

Musculado, da. adj. (art.) Mus- 
culado; que tem músculos 
bem carnudos e pronuncia- 
dos; diz-se da figura ou es- 
tatua. 

MuscoLAK. adj. Muscular ; que 
pertence aos músculos. 

MuscuLATUEA. /. Musculatura ; 
conjuncto dos músculos do 



MUS 

corpo humano. Usa-se em 
bellas artes : — natural dis- 
posição dos músculos do ho- 
mem e dos animaes. 

MÚSCULO, m. (anat.) Musculo; 
orgào fibroso, carnudo e con- 
tráctil. Os músculos sao ór- 
gãos principaes do movimen- 
to dos animaes : — (zool.) 
musculo ; especie de cetáceo 
de uns , oitenta pés de com- 
prido. E vivíparo : — (mil.) 
musculo; machina de guer- 
ra de que se serviam os an- 
tigos para defender o corpo, 
quando iam tomar alguma 
praça. 

Musculoso, sa. adj. Musculoso ; 
provido de músculos. Mus- 
culosus, a, um: — musculo- 
so; bem provido de múscu- 
los, robusto, vigoroso. 

Muselina. /. (comm.) Musseli- 
na; tecido fino de algodão. 

MusEO. m. Museu; academia 
ou logar onde se estudam as 
letras, sciencias e bellas ar- 
tes. Museum, i: — museu; 
casa onde estão guardados 
os preciosos productos da 
natureza e da arte, livros, 
medalhas, etc. Museum: — 
V. Monetario: — museu; 
templo das musas: — 0iist. 
ant.) museu; escola celebre 
de granunatica e de philo- 
sophia : — adj. museu ; que 
é próprio das musas. 

MusEQUí. m. (ant.) Correia ou 
cousa análoga que serve pa- 
ra sujeitar ou prender. 

MusEKiN. m. Muserim; nome 
que entre si dão os turcos 
aos que professam o atheis- 
mo. 

MusEROLA. /. Focinheira; cor- 
reia da cabeçada do cavallo. 

Musgaño, m. V. Musaraña. 

MusGAR. n. Abaixar o cavallo 
as orelhas, intentar morder 
ou atirar couces. 

Musgo. m. (bot.) Musgo; clas- 
se de plantas acotyledoneas, 
annuaes ou vivazes : — mo- 
vimento de orelha e de fo- 
cinho, que faz um cavallo 
quando quer atii-ar couces. 

Musgoso, sa. adj. Musgoso ou 
muscoso; coberto de musgo. 
Muscosus, a, um. 

MusiAE. n. (ant.) Queixar-se, 
fazer queixumes. 

MÚSICA./. Musica; arte que en- 
sica o canto e o jogo de in- 



MUS 

strumentos harmoniosos. 
Musica, ce : — musica ; pro- 
ducçào d'esta arte, ou com- 
posição musical: — musica; 
arte de compor ou de execu- 
tar a musica : — musica ; 
execução da musica, com a 
voz ou com algum instru- 
mento : — musica ; compa- 
nhia de músicos de profis- 
são, que costumam tocar ou 
cantar juntos : — (fig-) musi- 
ca; certos sons agradáveis 
ou desagradáveis: — musi- 
ca, dissonancia, ruido mui 
desagradável ; diz-se por an- 
tiphrase. Dissonantia, a¡ : — 
musica; collecção de papeis, 
cadernos ou livros em que 
estão escriptas as composi- 
ções musicaes : — a concier- 
to. V. Concierto: -r- armó- 
nica.Y. Música vocal : — ce- 
lestial (fig.fam.); musica ce- 
lestial; diz-se das boas pa- 
lavras que não cre quem as 
diz nem quem as ouve : — 
coreada; musica composta 
para cantar em coro. Musi- 
ca choris apta: — instrumen- 
tal; musica instrumental; a 
que é composta só para in- 
strumentos : — llana.Y. Can- 
to llano : — mesurahle.Y . Can- 
to de órgano: — ratonera 
(fam.); musica ratona, mal 
executada, má e desentoada. 
Dissona musica : — rítmica ; 
musica de instrumentos de 
corda: — vocal; musica vo- 
cal; a que é composta para 
vozes, só ou acompanhada 
de instrumentos: — y acom- 
pañamiento (loe. fam.); diz- 
se da gente ordinaria, do 
povo miúdo, em alguma fes- 
ta ou concurso, por opposi- 
ção á gente graúda, fina ou 
elevada. Turba, ce. Con la 
música á otraparie (fr.fam.); 
vá pregar a outra parte; 
usa-se j)ara despedir ao que 
vem importunar ou eucom- 
modar. Lyram alio aducas. 
Dar música á un sordo (fr.); 
fallar a surdos, pregar no 
deserto; trabalhar em vão 
por ¡Dersuadir alguém. Sur- 
do canere. No entender la 
música (fr. fig. fam.); não 
entender a musica, fazer ou- 
vidos de mercador. Non au- 
dire, surdo canere. 
Musical, adj. Musical ; perten- 



MUT 

ceuíe ú musica. Jíiisicii3, a, 
um. 
MUSICALMENTE, udu. w. Musical- 
iiiente; de uma maneira mu- 
sical. 
Mv5sico, CA. adj. Musico, liar- 
mouioso; concernente á mu- 
sica. Musicus, o, tt,ii: — R. 
musico; cantor, tocador de 
instrumento. iSÍasicas, i : — 
musico; com]30sitor de mu- 
sica. Mastcus, i. 
Musicógrafo. -¡11. Musicogra- 
pho; instrumento para es- 
crever musica. 
MusicoMANÍA. /. (meã.) Musi- 
comauia; mania que consiste 
n'um gosto apaixonado peia 
musica. 
Musicómano, na. s. V. Meló- 
mano. 
MusiQUÍ. rii. (ant.) Adorno de 
mullier; pai'te da manga, 
talvez o punho. Usava-se 
mais no plural, Jfusiqvies. 
MüsiQuiLLA, TA./, dím. dc AIí' - 
sica. Musicasinha, musi- 
que ta. 
MusiQuiLLO, TO. i/í. dím. de Mú- 
sico. Musicosinlio, musiquim. 
Musitación. /. Mussitação, 
murmuração; acção de mus- 
sitar : — (meã.) mussitação; 
nome que se dá a certo mo- 
vimento dos labios, durante 
o qual parece que o enfermo 
falia em voz baixa, mas sem 
poder pronunciar claramen- 
te as palavras. 
MusiTADOK, KA. s. Mussitador; 
o que mussita ou falia em 
VOZ baixa ou entre dentes. 
]\íusiTAR. n. Mussitar, murmu- 
rar; fallar entre dentes, ou 
em voz baixa. Mussitare. 
MusLERA. /. Coxote; parte da 
armadura antiga que cobria 
as coxas. 
^íusLO. m. Coxa; parte do cor- 
po animal desde o quadril 
até á curva da perua. Fé- 
mur, femen: — ijl. calções; 
vestuario que cobre o homem 
desde a cintura até abaixo 
dos joelhos, onde aperta com 
íivella ou laço de fitas. Em 
castelhano é mais usado ho- 
je dizer calzones, e em por- 
tuguez antiquado também se 
dizia muslos. Femoralla. 
]\IusM0N. m. Animal bastardo, 
filho de cabra e de carneiro. 
Muso. m. (ant.) V. Hocico. 
MusocARPO. m. (bot.) Musocar- 

21 



MUT 

po (friicto da bananeira); 
genero de plantas fosseis. 

MusoLEPsiA./. Musolepsia ; ter- 
mo em^Dregado por alguns 
escriptores em logar de me- 
tromania, furor poético. 

MusOMANÍA./. V. Musicomania. 

jMusquerola. a/lj. Muscatel ; 
diz-se de certa qualidade de 
peras. 

3iíus3AF. m. (rei.) Mussaf ; ora- 
ção que fazem os judeus mo- 
dernos no primeiro dia de ca- 
da mez, aos sabbados e no 
primeiro do anuo. 

MuPSELiM. s. Musselim; oíncial 
turco, logar-tencnte de um 
baxá. 

MusTAco. í/l. Especie de torta 
de farinha amassada com 
mosto, manteiga c outras 
cousas. 

MusTECHAR. m. Mustecliar; ti- 
tulo de uma dignidade na 
Turquia. 

MusTELA. /. (ant.) V. Coma- 
dreja. 

MusTELixos. m. pi. (zool.) Mus- 
telinos; familia de mammi- 
feros, cujo typo é o genero 
doninha. 

MusTELO. m. (zool.) V. Men- 
dola. 

MusTÍ. m. V. Mvftí. 

Mustiamente, adv. m. Triste- 
mente, melancolicamente, 
languidamente; com tristeza 
e abatimento. Moiste, lan- 
guidc. 

Mustio, tia. adj. Murcho, lan- 
guido. Luridus, a, ura: — 
(jig.) murcho, desanimado, 
triste, melancólico. Langui- 
dus, a, um. 

Musulmán, m. Musulmano; no- 
me que se dá aos mahome- 
tanos, que entre elles signi- 
fica verdadeiro crente : — 
adj. musulmano; concer- 
nente aos musulmanos. 

MusuLMANisMo. m. V. Islai/tis- 
mo. 

MusuKJiA. /. (mus.) Musurjia; 
arte que ensina a empregar 
a tempo as consonancias e 
dissonancias. 

]\ÍUTA. /. Matilha de cães de 
caça. 

AÍUTABBA. f. (bot.) Mutabea; 
genero de plantas da fami- 
lia das ebenáceas. 

Mutabilidad. /. Mutabilidade ; 
qualidade de ser mudável. 
MutábilitaSj atis. 



MUT 



161 



Mutable, adj. (ant.) V. Muda- 
ble. 
Mutación. ./'. í»Iutaçào, mudan- 
ça. V. Mudanza : — mutação ; 
mudança de scena, variando 
a decoração. Scenicce muta- 
tioaes : — mutação ; mudan- 
ça de estação em certo tem- 
po do anno, que se nota em 
ipuitos paizes. Tcmporís mu- 
taliones. 
MuTANZA. /. V. Mudanza: — 
(mus.) mutança ; mudança de 
voz sem sair do signo. 
Mutila./, (zool.) Mutilla; ge- 
nero de insectos hj'menopte- 
ros. 
Mutilación. /. Mutilação; ac- 
ção e effeito de mutilar. Mu- 
tilatio, onis. 
Mutilar, a. Mutilar ; cortar al- 
gum membro. Mutilare : — 
mutilar; tirar ou cortar al- 
guma parte ou porção de 
outra qualquer cousa. Mu- 
tilare, imminuere : — muti- 
lar, castrar; diz-se por am- 
pliação. 
MÚTis. m. Palavra usada pelo 
ponto do theatro, para ex- 
pressar que uma ou mais 
personagens que estão na 
scena, devem sair d' ella. 
MuTisiA. /. (bot.) Mutisia ; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 
MuTisiÁCEo, CEA. adj. (bot.) Mu- 
tisiaceo : parecido com a mu- 
tisia: ^ — /. pi. mutisiaceas; 
tribu de plantas da familia 
das compostas. 
Mutismo. í/í. V. Mudez. 
MuTO. m. (zool.) Especie de 

gallinha do Brazil. 
Mutual, adj. (inus.) V. Mútuo. 
i\ÍUTUALiDAo. /. ]\Iutuação ; es- 
tado do que é mutuo: — 
mutuação, reciproca presta- 
. ção : — (coram.) systema de 
sociedades ou companhias 
de seguros mutuos. 
Mutualmente. adv.\. Míitua- 

mente. 
Mútuajiexte. adv. m. Mutua- 
mente; com reciprocidade, 
um ao outro. Mutuo. 
Mutuante, m. (for.) Mutuan- 
te; o que dá em mutuo. 
Mutuario, Mutuatario, kia. m. 
(for.) Mutuario; o que re- 
cebe ou pede emprestado. 
Mútulo. vi?, (arch.) Mutulo; 
modilhão quadrado na cor- 
nija da ordem dórica. 



162 



MUT 



Mt5tüo, tua. adj. Mutuo ; reci- 
proco entre duas ou muitas 
pessoas, entre duas ou mais 
cousas. Muluiis, a, um. En 
senanza mútua. V. Enseñan- 
za: — m. (for.) mutuo; em- 
préstimo cuja restituição 
deve ser feita no mesmo ge- 
nero da cousa emprestada 
para uso. Mutuum, i. 



MUZ 

MoY. adv. m. Mui ; junta-se 
sempre a algum nome posi- 
tivo, adverbio ou locuçào ad- 
vei'bial,edá-lhes grau super- 
lativo. Valdh, maxivie, longe: 
— muito, o mais possivel. 
Âdmodum, imjjense, lovgh. 

MuYEK. /. (ant.) V. Mujer. 

Muz. (nant.) Remate do talha- 
mar. 



MUZ 

MuzXeabe. adj. V. Mozíirahp.. 

MuzLEMiA. /. (ant.) Mouris- 
ma; mouros, gente de Mou- 
rama. 

MuzLEMO, MA. adj. Muzlemo, 
rustico, bárbaro. 

Muzo. m. Roxo; madeira com 
veios roxos e pretos, mui for- 
te e estimada para fazer 
moveis. 



NAB 

N. Decima sexta letra do al- 
phabeto hespanhol, e duodé- 
cima das consoantes: — N; 
substitueum nomedescouhe- 
cido. De N; de um tal: se- 
gundo o uso. Cosa de N; 
cousa vaga e applicavel a 
muitos. Gratificación, pedi- 
miento, carta de N ; grati- 
ficação, pedido, carta ordi- 
naria, de uso constante. 

Na. adj. V. La: — (ant.) na. 
V. En la. 

Naalianos. m. pi. (rei.) Naa- 
lianos; sectarios gnósticos, 
cujas opiniões eram quasi 
em tudo conformes ás dos 
valentinianos. 

Naba. /. (bot.) Nabo redondo; 
variedade de nabo, que se 
cultiva menos que a coni- 
mum. 

Nabab, m. Nababo; titulo que 
se dá na índia aos encarre- 
gados do governo de uma ci- 
dade, districto ou provincia, 
ou do commando do exerci- 
to. Depois da invasão de Na- 
dir Shab, no imperio Mogol, 
se declararam os nababos 
independentes, porém ao pre- 
sente estão todos submetti- 
dos aos inglezes. Muitas pes- 
soas se attribuem o titulo 
de nababos sem o menor di- 
reito. Diz-se tambera, por 
zombaria, dos inglezes que 
têem desempenhado cargos 
importantes, ou feito o com- 
mercio na índia, d'onde hão 
voltado com gi-andes rique- 
zas, e que vivem com esplen- 
dor oriental. 

Nababia. /. Nababia; dignida- 
de de nababo: — nababia; 
territorio submettido á ju- 
risdicçâo de um nababo. 



NAB 

Nabal, Nabar, adj. Pertencen- 
te aos nabos ou ao que se 
faz com elles. Naparivs, a, 
iim : — m. nabal ; terra plan- 
tada ou semeada de nabos. 
Napetum napina. 

Nabalo. m. (bot.) Nabalo; ge- 
nero de plantas, de flores 
compostas, que corresponde 
á tribu das lact uceas. 

Nabateo, tea. adj. Nabatheo; 
natural de Nabathea, região 
da Asia. Nabatheus, a, um. 

Nabato, m. (germ.) Espinhaço. 

Nabekía. /. Caldo de nabos. 
Jusctdum naporura : — lo- 
gar onde se vendem nabos. 

Nabero, ha. s. Vendedor de 
nabos. 

Nabicula. /. (zool.) Nabicula; 
genero de insectos hemipte- 
ros, da tribu dos reduvios. 

Naeide. m. (zool.) Nabide; ge- 
nero de insectos hemipte- 
ros, da tribu dos reduvios. 

Nabina. /. Semente de nabo. 
Brassicce napi semen. 

Nabirop. m. (zool.) Nabirop; 
especie de melro do cabo da 
Boa Esperança. 

Nabis. m. (zool.) V. Nabide. 

Nabit. m. (ant. pharm.) Assu- 
car candi reduzido a pó, de 
quô se usava para curar cer- 
tas doenças dos olhos. 

Nabiza. /. Nabiça, nabo pe- 
queno, de sequeiro, ou a fo- 
lha tenra do nabo quando 
começa a crescer. Usa-se 
mais no plural: — pi. cabe- 
ças de nabos tenras. 

Nabla. /. Nabla; especie de 
psalterio dos hebreus, em fi- 
gura de um escudo quadra- 
do, segundo o descreve S. 
Jeronymo . Nabium, orga- 
num laudatorimn. 



NAC 

Naelio. m. (mus. ant.) V. No,- 
bla. 

Nablonio. m. (bot.) Nablonio; 
genero de plantas da fami- 
lia das compósitas. 

Nabo. m. Nabo; raiz e planta 
comestível. Brassica napus: 

— nabo; raiz, cabeça de na- 
bo. Napus, rapa : — perna, 
pau onde assentam os de- 
graus da escada. Cylindrus, 
i: — tronco da cauda das 
cavalgaduras, Caudm trun- 
culus : — (germ.) embargo. 
Arráncate nabo; jogo de ra- 
pazes, em que um procura 
levantar a outro que está 
sentado no chão. 

Nabinasáeeo, rea. adj. (chron.) 
Nabonasaceo; que corres- 
ponde á era de Nabonassar. 

Naboría. /. (p. A.) Naboria; 
indio livro que se emprega- 
va no serviço domestico. 

Nabu. m. (chron.) Nabu; no- 
me que alguns calendarios 
dào ao primeiro mez dos 
árabes; corresponde appro- 
ximadamente ao nosso se- 
tembro. 

Naburüp. m. (zool.) Naburup ; 
ave que se encontra na Afri- 
ca, c tem o tamanho do mel- 
ro commum. 

Nacani. m. (bot.) Nacani; se- 
mente pequena e negra da 
índia, que tem o mesmo 
gosto do centeio, e de cuja 
farinha se faz pão. 

Nácar. m. Nácar; madrepéro- 
la trabalhada. Mytili mar- 
garitiferi testa elaborata: — 
nácar; cor de nácar. Quod 
margaritamm. calliim refert: 

— nácar; o que tem côr de 
nácar. Hoseus color. 

NlcARA. /. (ant.) Nácara; in- 



NAC 

strumento musico antigo, es- 
pecie de nabla. 

Nacarado, da. adj. Nacarado; 
da cor de nácar: — nacara- 
do-, eijfeitado de iiacai-. lío- 
seiís, a, um. 

Nacarino, adj. (poet.) V. Na- 
carado. 

Nacakux. m. (com.) Nacariío; 
nácar ordinario. 

Nackla. /. (ar eh.) Nacella, sco- 
cia; moldura de perfil cava- 
do que se põe nas bases das 
columnas. 

Nacencia. /. (ant.) Nacença, 
nascença, nascimento. V. Na- 
cimiento : — nascida, tumor, 
abcesso. 

Nacer, n. Nascer; sair o ani- 
mal do ventre materno. Nas- 
ci: — nascer, produzir, ger- 
minar. Nasci, germinare : — 
— nascer; vir o cabello ou as 
pennas ao animal. Pronasci, 
originem ducere: — nascer; 
descender de alguma fami- 
lia ou linhagem: — nascer, 
começar a apparecer; diz-se 
dos astros e planetas. Nas- 
ci, oriri: — (fiff-) nascer; 
trazer origem, principio. Ori- 
ginem ducere, oriri : — nas- 
cer, rebentar, brotar; diz-se 
das fontes ou rios. Frojlue- 
re, scaturire: — nascer; 
crear-se em costume: — nas- 
cer; principiar ou começar 
uma cousa de outra, como 
se d'ella saísse. Exsnrgerc, 
exoriri: — (fig-) nascer; in- 
ferir-se uma cousa de outra. 
Inferri, oriri: — (fig-) nas- 
cer, sair, apparecer. Appa- 
rere: — nascer; ser pró- 
prio para algum íim. Nasci 
ad: — nascer, sair, brotar 
da terra, germinar as se- 
mentes. Piãlulare, pullulas- 
cere. Ilabcr nacido farde; 
haver nascido tarde; ser in- 
experiente. Tarde in Incem 
editam esse, mundo advenis- 
se. No con quien naces sino 
con quien paces (rif.); nao 
com quem nasces senào cora 
quem pasces; a pratica do 
mundo vale mais que a edu- 
cação. No Ic pesa de haber 
'nacido (fig.); nao lhe pesa 
de haver nascido; tem bas- 
tante amor próprio. Suis 
quemque honis delectari . 
Quien antes nace antes jja- 
çe (rif.); quem primeiro an- 



NAC 

da primeiro gana. Yo nací 
jrrimero; eu sou mais ve- 
lho, mereço o primeiro lo- 
gar. Prior .mm atate. 

Naceudo. m. (zoai.) Naccrdo 
(nocivo); genero de insectos 
coleópteros hetoromeros, da 
familia dos stenelycros, 
composto de 29 especies. 

Nacianceno, na. adj. Nazian- 
zeno; natural de Nazianzo. 

Nacianzeno, na. adj. V. Na- 
cianceno. 

Nacibea. /. (bot.) Naciboa; ge- 
nero de plantas da familia 
das rubiáceas. 

Nacido, da. adj. Nascido, na- 
tural. Naturalis, le: — nas- 
cido; próprio para algum 
fim. Natus, aptus: —m. nas- 
cida, tumor, abcesso. Ábces- 
sus, apostema, tumor:— pi. 
homens, mortaes, genero hu- 
mano. Nati. Bien nacido; 
bem nascido, nobre. Claro 
sangnine natus, ortas. Mal 
nacido; mal nascido, plebeu. 
Viene como nacido; vem ao 
pintar, uào pode convir me- 
lhor. Aptus, a, um. 

Naciente, p. a. e adj. Nas- 
cente; que nasce. Nascens, 
oriens, pullulans , germi- 
nans. 

Nacimiento. 9??. Nascimento; 
acção e eíieito de nascer. 
Oi'tus, natalis: — nasci- 
mento; natividade de Jesus 
Christo. Natalis, nativitas 
Domini: — nascimento, ger- 
minação; acçíio de nascerem 
as sementes. Germinatio, 
onis : — logar natal, pa- 
tria. Locns natalis : — nas- 
cimento; principio, ou tem- 
po em que começa alguma 
cousa: — presepio; logar 
onde se representa o nasci- 
mento de Jesus Christo. Na- 
talis Domini reprcesentatio 
artificiosa: — nascimento, 
saída dos astros sobre o ho- 
risonte. Ortus, tis : — nas- 
cimento, origem, descenden- 
cia. Ortus, origo: — nasci- 
mento, causn, principio. Ori- 
go, principium, capnt, fons. 
De nacimiento (mod. ado.) ; 
de nascimento, de nascença. 
^1 nativitate. 

Nación./. Nascimento, nascen- 
ça. Nativitas, atis: — na- 
ção ; a gente de tim paiz ou 
região, que tem iingua, leis 



NAD 163 

e governo á parte. Natio, 
gens: — homem de nação, 
estrangeiro. Exteroe gentis 
homo. De nación (mod. adv.); 
dé nação, natural de: (ant.) 
V. Naturalmente. 

Nacional, adj. Nacional; pró- 
prio de uma nação, ou que 
])ertence á mesma. Gentüi^ 
tius, nationalis. 

Nacionalidad. /. Nacionalida- 
de; caracter nacional. Afe- 
cius pcUrius, nationis pro- 
prietas. 

Nacionalmente, adv. m. Na- 
cionalmente; com nacionali- 
dade. More patrio. 

Nacik. m. Nacir; tribunal da 
Pérsia, encarregado de re- 
ver as providencias dos ou- 
tros tribunaes, que julgam 
os interesses da fazenda pu- 
blica. 

Naclia. /. (::ool.) Naclia; ge- 
nero de insectos lepidópte- 
ros, da tribu dos lithosidos. 

Naco. m. (p. A.) Naco ou pe- 
daço de tabaco de rolo pa- 
ra mascar ou para cortar e 
fdzer cigarros. 

Nackita. /I (min.) Nacrita; si- 
licato de alumina e de po- 
tassa, de cor branca naca- 
rada, composto de peque- 
nas laminas reunidas ou se- 
paradas, e muito jtarecido 
com o talco. 

Nacu. m. Nach; decima quar- 
ta letra do alphabeto slavo 
e russo. 

Nacual. m. (cJiron.) Nachal; 
nome que os armenios dão 
íio quarto mez do seu anno; 
corresponde approximada- 
mente a janeiro. 

Nacho, cha. adj. (p. Asi.) V. 
BoiÑO, chato. 

Nada./. Nada; carencia abso- 
luta de qualquer cousa. Ni- 

• hil: — nada, cousa nenhu- 
ma. Nihil, nihilum: — na- 
da, pouco, muito pouco. Pa- 
riim, nihil: — adv. nada; de 
nenhuma maneira, de ne- 
nhum modo. Nihil, nullaia- 
7IC1IS : — entre dos platos 
ífam.); nada entre dois jDra- 
tos. Nihil rei: — menos; 
nada menos, ou menos que 
isso. Nihilminüs. Como quien 
■no dice nada (Jam.); como 
.se nada dissesse. Quasi si 
nihil dicerct. Mas vale algo 
que nada; mais víile pouco 



164 



NAD 



que nada. Saltem, aliquid 
cliçicndum. prce nihilo. JSÍo 
digo nada ; nao dign itaxln,, 
vá lú, permitto. Frcetermil- 
to, permuto. No es nada,- 
não é nada, é quasi nada. 
Quasi nihil esset. No ser na- 
da ; não ser nada, não valer 
de nada. Nihil reí esse. 

Nadadera./. Nadadeira; qual- 
quer das boias para apren- 
der a nadar. Instrumenta ad 
natandum : — barbatana. V. 
Aleta, na segunda accepção. 

Nadadero, m. Nadadouro; lo- 
gar próprio para nadar. Na- 
tatoria, natabula. 

Nadador, ka. adj. e s. Nada- 
dor; o que nada. Natator, 
urinator. El mejor nadador 
es del agua (rif.); o melhor 
nadador é da agua; os va- 
lentes são os que morrem 
mais depressa : — (zool.) 
nadador; epitlicto dado ao 
animal que vive na agua: 

— 2)1. nadadores; tribu de 
crustáceos decapodas bra- 
chy uros, que comprehende os 
que tèem os tarsos posterio- 
res em forma de barbata- 
nas: — nadador; ordem de 
mammiferos, que correspon- 
de aos cetáceos: — nada- 
dor; tribu de polipeiros cor- 
ticaes, que comprehende os 
que podem andar e correr 
por agua: — nadador; fa- 
milia de roedores, composta 
dos que têem os dedos das 
patas trazeiras reunidos por 
uma membrana: — f. i)l. na- 
dadoras; nome dado por al- 
guns naturalistas a uma 
ordem de aves, que compre- 

■ hende varios géneros aquá- 
ticos. 

Nadadura./, (ant.) Nadadura; 
acção de nadar. Natalio, 
urinatio. 

Nadal, m. (ant.) V. Navidad. 

Nadante, p. a. de Nadar, e 
adj. Nadante; que nada. 
Nans, natans. 

Nadar, n. Nadar; suster-se so- 
bre as aguas do mar ou rio, 
dando com os braços e pés. 
Natare: — nadar, boiar; 
andar vagando umu cousa 
sobre a agua. Supernatare : 

— nadar, estar sobre. Sií- 
pernatare: — (fiff-) nadar; 
abundar em alguma cousa. 
Superabundare : — (fisf-) 



NAF 

nadar; estar nluito largo ou 
folgado. Nimis laxnm esse. 

Nadelerz. m. (rain.) Nadelerz; 
triplo sulphuro de chumbo, 
de enxofre e de bismutho : 
— nadelerz; também se deu 
este nome aos mineraes de 
cobre pardo bismutifero. 

Nadelstein. m. (min.) Nadel- 
stein, rutilo. V. Enfilo. 

Nader. m. (hist.) Nader; chefe 
dos eunucos da corte do grão 
Mogol. 

Nadería. /. (ant.) Ninharia; 
bagatella, cousa de pouca 
importancia. 

Nadi. 2}ro7i. ind. (ant.) V. Na- 
die. 

Nadie, pron. ind. Ninguém; 
nenhuma pessoa. Nemo, nnl- 
liis. 

Nadir, m. frtsí ron.j Nadir; pon- 
to da esphera celeste, que 
estil debaixo de nossos pés, 
diametralmente opposto ao 
vertical ou zenith. Punctum 
cedi sub terra ex diámetro 
oppositum vertid capitis nos- 
tri : — del sol; nadir do 
sol; grau contrario ou dia- 
metralmente opposto ao que 
occupa ou em que está na 
eclíptica este astro, que va- 
ria segundo sea movimento 
natural. Gradas eclipticce ex 
diámetro soli oppositus. 

Nado. m. Nado; acção de na- 
dar. A nado ; a nado ; em ac- 
cíio de nadar. Natatio, trans- 
■natus : — p). irreg. (ant.)^ 
de nacer; nado, nascido. A 
nado (mod. adv. fig.); com 
difficuidado e grande tra- 
balho. EnaJ.ando evadere. 
Echarse a nado (fig.); dei- 
tar-se a nado, aventurar-se, 
arriscar-se a uma emprcza. 

Nafa. /. (p. Mure.) Agua de 
flor de laranja. V. Azahar. 

Nafaca. /. (ant.) Custo, gasto. 

Nafta. /. Naphta; especie de 
betume muito subtil que se 
encontra sobrenadando. Na- 
phta, tí?. 

Naftalasa , Naftalesa . /. 
(chim.) Naphtalasa ou na- 
phtalesa; producto obtido 
pela acção do chioro, bro- 
mo e iodo sobre a naphta- 
lina. 

Naftalina. /. (min.) Naphta- 
lina ; substancia branca , 
arnarellada ou esverdinha- 
da, que se apresenta em fór- 



NAI 

ma de graos crystallinos ou 
laminas rhomboedricas, friá- 
vel, de brilho um tanto na- 
carado, diaphano ou trans- 
parente, sem sabor nem 
cheiro, insolúvel na agua e 
solúvel no álcool. 

Nafteixa. /. (min.) Naphtoina ; 
betume amarello csverdi- 
nhado e ti-ansparente, que 
exposto ú luz converte-se 
em amarello arroxeado se- 
mi-diaphano. 

Naga-]\1usadio. m. (bot.) Naga- 
Musadio; arvore da India, 
da familia das rubiáceas. 

Nagato. m. Nagato; nome dos 
astrólogos ou augures de 
Ceylão. 

Nagbr. m. (chron.) Nager ; no- 
me do segundo mez dos an- 
tigos árabes, corresponden- 
te a abril. 

Naggeratia. /. (bot.) Nagge- 
ratia; genero de vegetaes 
fosseis que se encontra nas 
camadas anteriores á for- 
mação da creta. 

Nagor. m. (zool.) V. Nangnr. 

Nagual, m. (p. Mex.) Feiticei- 
ro, nigi'omantico; tem parti- 
cular uso entre os indios. 

Naguas. /. pl. V. Enaguas. 

Naguatafe. m. (p. Mex.) In- 
terprete. 

Nagüela. /. (ant.) Cabana, 
choça, choupana. Tngurium, 
casa. 

Nahhar. m. (chron.) Nahhar; 
entre os mahometanos o ul- 
timo dia do mez do anno, em 
que se faz o sacrificio cm 
Meca. 

Nahir. m. (chron.) Nahir; no- 
me dado em alguns calen- 
darios ao undécimo mez dos 
árabes; corresponde appro- 
ximadamente ao de julho. 

Naibe. m. Naibe; doutor da 
lei, que nas Maldivas tem a 
inspecção das leis e da re- 
ligião. 

Naide, pron. ind. (ant.) Y. Na- 
die. 

Naife. /. Diamante em bruto. 
Impolitus adamas. 

Nainereidos. m.pl. (zool.) Nai- 
nereidos; familia de anéli- 
dos chetopodas, creada para 
compreheuder o genero ne- 
ris que Ihc serve de typo. 

Naipe, m. Carta de jogar. 
Charla picta Insoria : — de 
mayor; carta collocada com 



NAK 

desigualdade para fazer tra- 
paça: — de tercio; carta 
que os fullieiros põem des- 
igual na terça parte do ba- 
ralho. Acudir el naipe a al- 
guno (fr.); acudir o jogo. 
Cortar el naipe; partir o 
baralho. Chartas Insorias di- 
videre. Dar bien ó mal el 
naipe ; ser favorável ou con- 
traria a sortc. F'a^lstaln aut 
infaustam sortem exp)criri. 
Dar el naipe; ser feliz ao 
jogo. Dar el naipe a alguno 
para alguna cosa: ter ha- 
bilidade c destreza para fa- 
zer alguma cousa. Estar co- 
mo el naipe; estar magro e 
secco, ou frouxo e brando. 
Nimis gracilem esse vel at- 
tritum. Florear el naipe: 
preparar o baralho para fa- 
zer trapaças. Chartas luso- 
rias dolóse ordinare, dispo- 
nere. Tener buen ó mal nai- 
l)e; ter bom ou mau jogo : 
— (hist.) juiz do paz entre 
os turcos. Os gregos moder- 
nos assim chamam ao sub- 
stituto do cadi. 

Nair. rn. (cliron.) V. Nahir. 

Nairanjia. /. Nairangia; espe- 
cie de adivinhação astroló- 
gica usada entre os árabes, 
6 fundada nos diversos phe- 
nomenos do sol e da lua. 

Nauie. 771. Naire*, o que cuida 
nos elephantes e os adestra. 
Elephantum magister. 

Nais. m. (zool.) Nais; genero 
de annelidos cbetopodas, ca- 
racterisados por «eu corpo 
comprido, filiforme, achata- 
do, provido de dois appendi- 
ces cetáceos e muito simi- 
Ihante ao das nereidas e 
lombrigas: — nais; genero 
de insectos nevropteros, da 
familia dos phryganidos. 

Najarse, r. (germ.) Escafeder- 
se, escapulir-se. 

Najelfluh. m. (min.) Nagel- 
phluh; nome dado ao gon- 
pbolito, que se encontra nos 
Alpes allemães. 

Najer. m. (zool.) V. Nangor. 

Naji. m. (bot.) Nagi; genero 
de plantas do Japão, esta- 
belecido para classificar uma 
arvore muito parecida, em 
seu aspecto e fructo, com a 
cerejeira. 

Nakaroxkir. m. (mit.) Naka- 
ronkir; espirito queMafoma 



NAM 

envia em sonhos aos culpa- 
dos, para induzi-los ao ar- 
rependimento. 

Nakcui-kustam. m. (areheol.) 
Nakchi-kustam; nome com 
que os archeologos designam 
os monumentos e inscripçoes 
das ruínas de Persépolis, 
que pertencem ao periodo 
sasánida. 

Nakul. /. (hist.) Nakhl ; nome 
de certas pyramides de vime, 
adornadas de grinaldas, de 
bandeirolas de papel doura- 
do, etc., que formam parte 
dos presentes da boda feitos 
a uma joven turca. Os na- 
khles poem-se no quarto nu- 
pcial, onde ficara durante a 
noite das bodas. 

Nakib. m. (hist.) Nakib-, cliefe 
ou cabeça dos emires ou pa- 
rentes de Mafoma, encarre- 
gados de levar o estandarte 
do propheta. Tem o direito 
de vida e de morte sobre to- 
dos que lhes estão sujeitos, 
porém nunca faz aos da sua 
linhagem a affronta de fa- 
ze-los morrer publicamente. 

Nalagu. m. (bot.) Nalagu; ge- 
nero de plantas para classi- 
ficar um arbusto do Mala- 
bar. 

Nalga./. Nalga, nadega;|par- 
te carnosa acima da coxa, 
sobre que nos assentámos. 
Clunis, nates. 

Nalgada. /. Nalgada : — pre- 
sunto*, a carne da anca do 
porco. V. Pemil. Petase, 
oji/s.- — nalgada; golpe da- 
do com a nádega. 

Nalgatorio, m. (fam.) Ambas 
as nádegas. Nates, chines. 

Nalgudo, da. adj. Nadegudo; 
com gordas e grandes nade- 
gas. Natilms erassus. 

Nalguear. ??.. Andar de cuadas, 
mexer muito as nádegas ao 
andar. Nat es mover e.\ . Ana- 
dear. 

Nalguiga, lla, ta. /. dim. de 
Nalga. Nalgasinha, nade- 
gasiuha; pequena nádega. 

Nalimé. m. (zool.) Nalimé; 
peixe da Sibéria, parecido, 
no gosto e na forma com o 
bacalhau. 

Ñama. /. (bot.) Naraa; genero 
de plantas da familia das 
hydroleaceas, cujas especies 
são hervas ou arbustos. 

Namaxda. m. Namanda ; oração 



NAN 165 

ou prece habitual de uma 
confraria de Amidas, que 
chama os transeuntes com 
uma campainha, a fim de 
que o espectáculo d'esta de- 
voção os anime a fazer algu- 
ma esmola. Os irmãos d'esta 
confraria recolhem ordina- 
riamente muitas esmolas, 
porque o objecto do naman- 
da é alliviar as almas do ou- 
tro mundo. 

Nama-neusadia. m. (bot.) Nama- 
neusadia; arv^ore das índias 
Orientaes, cuja cortiça e 
raizes se empregam para cu- 
rar a mordedura do naja ou 
vibora de óculos. 

Namaz, Najiazi. m. (hist.) Na- 
maz ou Namazi ; reza que os 
turcos têem obrigação de 
fazer cinco vezes nas vinte 
e quatro horas. 

Nambeo y Nambeti. m. (niylh.) 
Nambeo e Nambeti; especie 
de sacerdote, entre os uatu- 
raes do archipelago de Vi ti. 
Vivem debaixo da dependen- 
cia de um pontífice, que tem 
tres mulheres c possue gran- 
des riquezas. 

Nambuui. m. (hist.) Nambnrí; 
grande sacerdote do Mala- 
bar; membro da primeira 
ordem de sacerdotes. 

Namestkich. m. (Jiist.) Names- 
trich ; titulo dos antigos prin- 
cipes da Lithuania. 

Namiekstein. m. (min.) Na- 
mierstein; rocha composta 
de feldspatho, quartzo e mi- 
ca, na qual se encontram 
granates. 

Namurés, sa. s. Namurez; na- 
tural de Namur : — adj. na- 
murez; pertencente á cida- 
de de Namur ou a seus ha- 
bitantes. 

Nan. m. Nan; especie de mos- 
ca commum daLaponia, que 
serve de amuleto para per- 
servar de toda a sorte de 
doenças. 

Nana./, (ant.) Mulher casada 
e mãe (p. Mex.) V. Nodriza. 

Nanal. to. (bot.) Nanai; es- 
pecie de roseira, de cuja 
baste se servem os indios, 
como adorno, em forma de 
pluma. 

Nanántea. /. (bot.) Nanante 
(flor anã); genero de plan- 
tas da família dhs compósi- 
tas, cujas especies são her 



166 



NAN 



vas pequenas originarias de 
diversos mares. 

Nanceato. m. (chim.) Naucea- 
to; !?al produzido i^ela com- 
binação do acido uanceico 
com uma base salificavei. 
Designa-se mais commum- 
mente com o uoaie de lactato. 

Naíícéico, ca. adj. (chim.) Nan- 
ceico; diz-se de um acido 
que se forma durante a fer- 
mentação das materias vege- 
taes. 

NA^'DI. m. (lit. ilidia) Nandi; 
primeira parte de um dra- 
ma; consiste em uma suppíi- 
ca ou invocação. 

Nandina. /. (hot.) Nandina; 
genero de plantas da fami- 
lia das berberidcas, cujas 
especies sào arbustos lisos, 
de folhas alternas, ovaes, 
lanceoladas e de flores bran- 
cas. 

Naxdikóbeas. /. pi. (hot.) Nan- 
dirobeas; tribu de plantas 
da familia das cucurbitá- 
ceas. 

Nandsjokí:. m. (bot.) Nands- 
joke ; arbusto do Japào, mui- 
to notável pelo cbeiro que 
exhalain suas flores. 

Nandú, m. (zool.) Nandú; ge- 
nero de peixes acanthopte- 
rygios da fainilia dos per- 
coideos, composto de uma só 
especie: — iiandá; especie 
de aves peruaitas do gene- 
ro avestruz. Encontra-se no 
Bra^i!, Chili, Ferú c M:iga- 
ll¡aes. 

Nankkisjio. ;/í. (reí.) Nanekis- 
mo; culto instituido por Na- 
uek; é urna veuuiáo do brah- 
mismo e do islamismo, e ad- 
mitte ao mesmo tempo os 
Vedas e o Alcorão. 

Naíígok. m. (-¿ool.) Nangor; 
sub-genero de mammiferos 
ruminantes do genero antí- 
lope. 

Naxi. m. (JjoL) Nani; arvore 
notável pela natureza de sua 
madeira, cuja dureza (pian- 
do secca é tao grande, que 
resiste a toda a sorte de in- 
btruinento^, por cujo motivo 
se torna ncce.-sariomolha-la 
para a trabalhar. 

NANisco.m.fiOoZ.jNaniscof^jas- 
ícli/ihoj; genero de insectos 
coleópteros pentameros da 
familia dos lameliicornes, 
composto de urna só e?pecie. 



NAP 

Nanismo, vi. (plnjsiol.) Nanis- 
mo; anomalía ou monstruo- 
sidade que caracterisa os 
anões. 

Naxna. /. (lj(jt.) Nanna; plan- 
ta da America, cujo frueto 
tem a polpa siníílhante á al- 
cachofra e o gosto muito pa- 
recido com o da pera. 

Nano, na. (aiit.) V. Enano. 

Nanüdea. /. (bot.) Nanodea; 
genero de plantas da fami- 
lia das santaláceas, cujas 
especies sào hervas oriundas 
do Brazil. 

Nanofia. /. (zool.) l'Nanofia 
(anào); genero de insectos 
uevropteros da familia dos 
libelulios, composto de urna 
só especie: — genero de in- 
sectos coleópteros tetráme- 
ros, da familia dos curculió- 
nidos. 

Nansa./. Tanque pequeno pa- 
ra ter peixes. 

Nantar. a. (ant. p. Ast.) Au- 
gmentar, acrescentar. Au- 
"gere. 

Nantilda./. (zool.) Nanthilda; 
genero de insectos lepidó- 
pteros nocturnus da tribvi 
dos pyralidos. 

Nao./. Nau.V. Nave. 

Naocheko. m. (ant.) Piloto da 
nau. V. Nauclevo. 

Napa./, (cjerm.) V. Nalga. 

Napea. /. (mit.) Napea; qual- 
quer das nymphas que reii- 
diam nos bosques. 

Napelo. ??í. (hot.) Napello; es- 
pecie de plantas da fami- 
lia das elaboraceas, que 
forma o typo do genero acó- 
nito. 

Napiforme. adJ. Napiforme ; 
em forma de nabo. 

Napista. m. (hist.) Napista; 
nome dos gregos partidarios 
da E.ussia. 

NiPOFrro. m. (bot.) Napophito 
(planta anã); genero de 
plantas da familia das che- 
nopodeas, cujas especies sào 
íirburitos. 

Napoleón, m. Napoleão; moe- 
da francez'a, com a etngie de 
Napoleão Bonaparte, do va- 
lor de víute a quarenta fran- 
cos: — napoleáo; moeda de 
cobre marcada com a lettra 
N que ^■ale dez céntimos. 
Em llcspanha chainí¡m-se 
napoleoes ás moedas france- 
zas de prata, de cinco fran- 



NAR 

eos, que ali valem dezeuove 
reales. 

Napoleonismo. m. Napoleonis- 
mo; systema poHtico de Na- 
poleão: — napoleonismo; ad- 
hesào aos principios ou á 
pessoa de Napoleáo. 

Napoleonista. m. Napoleonis- 
ta; partidario de Napoleáo 
ou de sua politica. 
j Napolitano, na. adj. Napolita- 
I no; natural de Nápoles: — 
/. reunião do ás, dois e tres 
do mesmo naipe no jogo dos 
tres settes: — (fam.) enfer- 
midade venérea de má qua- 
lidade; e u'este sentido diz- 
se : ese tiene la napolitana 
completa. 

Napon. m. (art.) Cordel com 
algumas bóias que atraves- 
sa de um lado ao outro da 
almadrava, e em que se 
amarram os barcos que têem 
de trabalhar na mesma. 

Naque, m. Companhia antiga 
de cómicos ambulantes. 

Naqueracuza. /'. Caução popu- 
lar. 

Naranja./. Laranja; frueto da 
laranjeira. Aarantium, ii : — 
laranja; bala do tamanho 
de uma laranja. Globulus 
tormentarius ia mali aurei 
similitudinem vel liropor- 
tionem: — agria; laranja 
azeda. Âuraiitimn, ii: — ca- 
jel; V. Naranja zajarí: — 
china; laranja da China. 
Aurauiium, vi: — dulce; la- 
ranja doce. Aurantium, ii: 
— zajarí; laranja enxerta- 
da. Aurantiwn, ii. Media 
naranja; meia laranja, cu- 
pula. V. Cíipula. No estru- 
jar tanto la naranja que 
amargue (rif.); não espre- 
mer tanto a laranja que 
amargue; quem pede imo 
deve ser importuno. No se 
ha de exprimir tanto la na- 
ranja que amargue cl zumo; 
deve-se ser prudente, e não 
apertar uuiito com as cou- 
sas. 

Naranjada. /. I^aranjada; be- 
bida doce ftíita de sumo de 
laranja. Poma aurantia sac- 
charo condita.: — laranjada; 
agua de laranja: — grosse- 
ria, dito grosseiro. 

Naranjado, pa. adj. Laranja- 
do; côr de laranja. Áureas, 
anrantiiis. 



NAR 

Naranjal, m. Laranjal; pomar 
de larangeiras. Locus auran- 
tiis consitus. 

Naranjero, ra. s. Larangeiro; 
o que vende laranjas. Po- 
morum aurantiorvin vendi- 
tor: — adj. larangeiro; diz- 
se do canhào que leva a ba- 
la do calibre chamado la- 
ranja e do bacamarte de bo- 
ca de sino. IScloppetum bre- 
vius et amplius: — /. (prov.J 
larangeira; arvore que dá 
laranjas. 

Nabanjica, lla, ta. /. dim. de 
naranja. Laranjinha, laran- 
ja pequena. ilf¿?i2í¿í¿???pomií»?z 
aurantium. 

Narakjico, llo, to. m. dim. de 
Naranjo. 

Naranjo, m. Larangeira; ar- 
vore que produz: laranjas. 
Citrus auranteus : — homem 
estúpido e ignorante. 

Naravelia./. (hot.J Naravelia; 
genero de plantas da fami- 
lia das ranunculáceas, cujas 
especies sao sub-arbustos 
trepadores. 

Narbonense. adj. Narbonense; 
pertencente á cidade de Nar- 
bona. Nurbonicus, a, um. 

Narbonés, sa. adj. Narbonez; 
natural de Narbona. Nar- 
honensU, e. 

Narcafto. m. (j)liarm.) Nar- 
caphto; casca da arvore que 
dá incenso, e que se empre- 
ga como perfume nas mo- 
lestias pulm.onares. 

Narceina. /. (chim.) Narceina; 
substancia particular que 
existe no opio. 

Nabcíseas. /. pi. (bot.) Narci- 
seas; ti-ibu de plantas mo- 
nocotyledoneas, da familia 
das amaryllideas, cujas es- 
pecies são herbáceas. 

Narcisita. /. (min.) Y. JVaj-- 
ciso. 

Narciso, m. Narciso; o que 
cuida demasiado do seu ador- 
no e compostura, que presu- 
me de formoso, como ena- 
morado de si mesmo : — nar- 
ciso; flor da planta d' este 
nome, é branca e tem seis 
pétalas, açafroada por den- 
tro: — (bot.) narciso; gene- 
ro de plantas da familia das 
amarilideas, tribu das nar- 
ciseas, composto de trinta 
especies herbáceas, de flo- 
res foi-mosas e de cheiro de- 



NAR 

licado, que crescem na Eu- 
ropa, excepto duas indíge- 
nas da Africa. (Ailtivam-se 
nos jardins como plautas de 
adorno, e gosam de pro- 
priedades medicinaes mui 
enérgicas. Suas principaes 
especies sao: o narciso dos 
poetas; que cresce natural- 
mente nos prados e nos cam- 
pos: cultiva-se como planta 
de adorno e possue proprie- 
dades medicinaes: o narciso 
junquilho; mui commum uos 
jardins por sua belleza e 
elegancia, cresce nos loga- 
res incultos, e suas flores 
têem um cheiro grato e ¡-ua- 
ve que se usa muito em per- 
fumarias: o narciso cheiro- 
so; cresce esponíiTucameute 
em Fiança, cultiva-sc nos 
jardins, e exige bastante cui- 
dado para pre.ser\a-lo do 
frio: — (min.) narciso; pe- 
dra preciosa que se ar-simi- 
Iha á flor do mesmo nome, 
por seus veios, seu cheiro 
e sua transparencia. 

Narcótico, ca. adj. (meã. ) Nar- 
cótico; diz-sc áo que tem 
virtude de adormecer ou en- 
torpecer. Usa-£e também co- 
mo adjectivo substantivado. 
Narcótico acre; narcótico 
acre; diz-se dos venenos que 
irritam os tecidos c ás ve- 
zes os destroem, ao mesmo 
tempo que exercem acção 
no cerebro : — (chim.) nar- 
cótico; diz-se dos saes cuja 
base é a narcoíina: — (fig-) 
narcótico; que cnusa somno, 
enfado e fastio; diz-se de um 
mau discurso, estylo de al- 
gum auctor, etc. 

Narcotina. /. (chim.) Nareoti- 
na; principio C3ystallisavel 
que se extrahe do ópio. Es- 
te alcaloide é inodoro e in- 
sipido, e apresenta-se em 
2)rismas romboidaos. 

Narcotismo, m. (med.) Narco- 
tismo; conjuncto dos effeitos 
causados pela acçào das sub- 
stancias narcóticas. 

Nakdíneas. /. pi. (bot.) Nardi- 
neas; familia de plantas gra- 
mineas, cujo typo é o gene- 
ro nardo, 

Nardino, na. adj. Nardino; que 
é composto de nardo, ou que 
participa de sua qualidade. 
Nardinus, a, um. 



NAR 167 

Narbo. m. Nardo; confeição 
aromática feita das folhas 
da planta do seu nome: — 
(bot.) nardo ; genero de plan- 
tas da familia das grami- 
neas: — indio (pharm.) ; 
nardo indio; substancia ve- 
getal que procede de Ceylào, 
e tem sido empregada como 
medicamento: — (hist.) nar- 
do; perfume que os antigos 
extrahiam de certas plantas 
odoríferas. Com o nardo se 
perfumava a esposa no can- 
tico de Salomão. Os roma- 
nos ricos perfumavam a ca- 
ra e as màos com o nardo, 
em seus festins. Finalmente 
com elle ungiu Santa Maria 
Magdalena os pés de Jesus 
Chrisío em casa de Simào o 
Lejyroso. 

Nardoa. /. (zool.) Nardoa; ge- 
nero de reptis ophidio?, da 
familia dos pitónidos, com- 
posto de duas especies. 

Nardosmia. /. (bot.) Nardos- 
mia (cheiro de nardo); ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas, cujas espe- 
cies sào hervas vivazes. 

Nardostáquide. /. (bot.) Nar- 
dostachyde (espiga de nar- 
do); genero de plantas da 
familia das valerianas, cu- 
jas especies sao hervas. 

Nareqamia. /. (bot.) Narega- 
mia; genero de plantas da 
familia das meliaceas, cu- 
jas especies são arbustos. 

Nares./. j;í. (germ.) Ventas. 

Nakicica, lla, ta. /. dim. de 
Nariz. Narisinho; nariz pe- 
queno. 

Naricio. m. (zool.) Naricio ; ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
iamellicornes. 

Narigón, m. aug. de Nariz. 
Narigão; grande nariz: — 
adj. narigudo, narigueta; 
que tem grande nariz. Na- 
sica, naso. 

Narigudo, da. adj. Narigudo; 
que tem grande nariz. Na- 
sntus, a, vm: — que tem 
forma ou figura de nariz. 

Nariguera. /'. (p. A.) Nari- 
gueira; piujente que os in- 
dios costumam trazer na car- 
tilagem do nariz. 

Narigueta. /. dim. de Nariz. 

Nariguilla. /. dim. de Nariz. 
V. Naricica. 



168 



NAR 



Nariz./. Nariz; parte proemi- 
nente do rosto, órgão do ol- 
fato. Nasus, lis: — nariz-, 
o sentido do olfato. Nasus, 
us: — venta do nariz. Na- 
res, ium: — golpe de tran- 
queta; ferro onde encaixa a 
tranqueta da porta: — An- 
gulo agudo. Angulus acu- 
tus: — gargalo do alambi- 
que. Fistula stillatoria, tu- 
bas, rostrum. Narizes rema- 
chadas ; narizes chatos. Na- 
res obtusce, simes. Hablar 
por las narizes; fallar pelo 
nariz; fallar de modo que 
parece saír a voz pelo nariz. 
iiannire. Hacerse las nari- 
zes (fr.); esmurrar as ven- 
tas; bater com o nai'iz. JVirí- 
res offensare : — quebrar o 
nariz, dar com as ventas em 
iim sedeiro; saír urna cousa 
ao contrario do que se pen- 
eava. Nimis infeste aliquid 
accidere. Dar a alguno en 
las narizes alguna cosa; dar 
pelos narizes; sentir o chei- 
ro de alguma cousa. Dar en 
la nariz (fr.); dar o cheiro; 
suspeitar o que outrem quer 
fazer. Hedolere. Dejar a al- 
guno con tantas narizes ó 
fion tm palmo de narizes 
(fr.); deixar a alguém com 
cura de tolo. Spe fraudare, 
distentis naribus hcerentem 
reddere. En derecho de las 
narizes ó de sus narizes (fr.); 
ser senhor do seu nariz; 
examinar, julgar ou obrar 
segundo o seu desejo ou ca- 
pricho. Hincharse las nari- 
zes (fr.); enfunar as ventas; 
enfadar-se muito ou em de- 
masia. Valdh irasci: — em- 
bravecer-se o mar. estila- 
re. Tener a alguno agarrado 
por las narizes (fr.); ter al- 
guém preso pelo beiço; do- 
mina-lo, tê-lo sujeito á sua 
vontade. Tener largas nari- 
!:cs ó narizes de 2Jerro per- 
diguero; alem do sentido 
próprio de ter um olfato 
apurado, no figurado signi- 
fica este rifão o presentir 
alguma cousa que está pa- 
ra succeder, ou prever e con- 
jecturar muito ao longe, e 
n'esta intelligencia dizemos: 
arder no faro. Longh redo- 
leré, prcevidere. Torcer las 
narizes (fig.J; torcer o nariz; 



NAR 

repugnar ou não admittir o 
que se diz. Renuere nari- 
bus. 

Nakua. /. (bot.) Narra; arvore 
das Philippinas, cuja ma- 
deira resiste á acção da 
agua e do fogo, tinge de 
azul e exhala um cheiro 
agradável. 

Narrable. adj. Narravel; que 
pode ser narrado ou con- 
tado. 

Narración. /. Narração, rela- 
ção de alguma cousa. Nar- 
ratio, onis: — (rhet.) nar- 
ração; parte do discurso que 
contém a exposição dos fa- 
ctos, e precede ordinaria- 
mente a confirmação. Nar- 
ratio, onis. 

Narrador, ka. s. Narrador; o 
que narra, conta ou relata. 
Narrator, oris. 

Narrar, a. Narrar, contar ou 
referir um facto. Narrare. 

Narrativa. /'. Narrativa, nar- 
ração. V. Narración: — nar- 
rativa; arte ou habilidade 
de narrar. Narrandi facul- 
tas, dexteritas. 

Narrativo, Narratorio, kia. 
adj. Narrativo, narratorio; 
pertencente ánarraçao. Nar- 
rabilis, narrativus. 

Narria. /. Trilho ou corça; es- 
pecie de carro sem rodas, em 
que se transportam merca- 
dorias e outras cousas. Tra- 
ha, re. V. Mierra: — (fig. 
fam.) balseiro; mulher gor- 
da e pesada. Mulier nbessa 
et tarda : — (fig. fam.) ba- 
sílica ; mulher que traz mui- 
tas saias. 

Nartecia. /. (bot.) Nartecia 
(caixa); genero de plantas 
da familia das juncáceas, 
cujas especies são hervas 
vivazes. 

Narvaja, f. (zool.) V. Abadejo. 

Narval. /. (zool.) Narval; ge- 
nero de cetáceos, da familia 
dos delfins, cuja única es- 
pecie está caracterisada pe- 
la falta de dentes propria- 
mente ditos, e por ter um 
ou dois cornos que lhe nas- 
cem da mandíbula superior, 
os quaes têem de compri- 
mento a terça parte do cor- 
po d'este cetáceo, que ordi- 
nariamente é de vinte a 
vinte e dois pés de com- 
prido. Dizem que persegue 



NAS 

as baleias e as mata, porém 
esta opinião não está justi- 
ficada . Encontram-se nos 
mares do norte: os islande- 
zes não lhes comem a carne 
por superstição, e porque 
crêem que se alimentam de 
cadáveres; porém os groe- 
landezes e outros habitantes 
d'aquellas regiões a repu- 
tam como um manjar ex- 
cellente, e preferem seu 
azeite ao da baleia. 

Narvalina. /. (bot.) Narvali- 
na; genero de plantas da fa- 
milia das compósitas, cujas 
especies são arbustos. 

Nas. co)it. de cn e las. Nas; 
usa-se no dialecto gallego. 

Nasa. /. (ant.) Nassa; vaso do 
junco ou vime, para pescar. 
Nassa, 02: — cesto em que 
os pescadores guardam o 
que pescam: — (ant.) cesto 
grande para guardar provi- 
sões. Piscina frumentaria: 
— (zool.) nassa; genero de 
moUuscos gasteropodas. 

Nasal. adj. Nasal; pertencen- 
te ao nariz. 

NasÁlidos. m. pi. (zool.) Nasa- 
lidos (nariz); nome que al- 
guns naturalistas dão a um 
grupo de monos catarrhi- 
nos, que têem por typo o 
genero nasique. 

Nasalmente, adv. m. Nasal- 
mente; em som nasal: — 
V. Gangosamente. 

Nasamonita./. (min.) Nasamo- 
nita; pedra de cor roxa san- 
guínea, raiada de veios ne- 
gros. 

Nasara./. Nasara; moeda qua- 
drada, de prata, que se cu- 
nha em Tunis. 

Nasardo. m. Nasardo; registo 
do órgão, assim chamado 
porque imita a voz de um 
homem que canta do nariz. 

Nasavia. /. (bot.) Nasavia; ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas, cujas espe- 
cies são hervas vivazes e ra- 
mosas. 

NasaviÁceas. /. pi. (zool.) Na- 
saviaceas; tribu de plantas 
da familia das compostas, 
subdividida em muitas sec- 
ções. 

Nascafto. m. (com.) Nascafto; 
casca odorífera que vem da 
índia. 

Nascencia. /. (ant.) Nasceu- 



NAS 

ça, nascimento. V. Naci- 
miento. 
Nascer, n. (ant.) Nascer. V. 
Nacer: — nascer, princi- 
piar, começar. 
Nascio. m. (zool.) Nascio; ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
sternoso?. 
Nasi. m. Nasi; presidente do 

Sanedrim, entre os judeus. 
NisicA. /. (zool.) Nasica; ge- 
nero de mammiferos qua- 
drumanoSjCaracterisados por 
terem o íbciniio curto, mui- 
to saliente, o angulo facial 
de cincoenta graus, o nariz 
saliente e muitíssimo com- 
prido, e as orelhas peque- 
nas e redondas. 
Nasicornios. m. pi. (zool.) Na- 
sicornios ou nasicornes-, fa- 
milia de pachydermes, que 
compreheiíde os géneros an- 
tílopes, cabra e boi. 
Nasiterna. /. (ant.) Vaso de 

tres bicos. 
Naso. m.(fam.) V. Nariz: — adj. 
(anat.) naso-, que pertence 
ao nariz: — lohar; naso lo- 
bar; que pertence ás carti- 
lagens do nariz: — ocular; 
naso ocular; que pertence 
ao nariz e ao olho: — pala- 
tino; naso palatino; que per- 
tence ao nariz e ao paladar: 
— paljiebral; naso palpe- 
bral ; que pertence ao nariz 
e á pálpebra : — superci- 
liar; naso superciliar; per- 
tencente ao nariz e á so- 
brancelha: — (zool.) nasu; 
genero de peises acantho- 
pterj'gios, da familia dos 
teuthyos. 
Nason. m. aufj. de Naso. 
Nasari. m. (rei.) Nassari; in- 
dividuo de uma seita pouco 
conhecida, cujas opiniões 
participam das dos maho- 
metanos, dos guebros c dos 
christãos. 
Nasadvia. /. (bot.) V. Nasa- 

via. 
Nasauviáceo, cea. adj. Nas- 
sauviaceo; parecido com a 
naussavia: — /. 2^1. naussa- 
viaceas; tribu de plantas da 
familia das compostas, cnjo 
typo é o genero naussavia. 
Nasendeche. m. (hist.) Nas- 
sendeche; nomo dos sacer- 
dotes de primeira ordem, no 
reino de Camboga. 
22 



NAT 

Naserí. m. (nwnism.) Nasse- 
ri ; moeda cunhada na Sy- 
ria e Egypto, reinando Sa- 
ladino. 

Nasib. m. Nassib; nome que 
os turcos dão ao destino que, 
segundo elles, se encontra 
em um livro escripto no céu, 
que contem a boa e a má 
fortuna de todos os honn ns. 

Nasto. m. (bot.) Nasto; genero 
de plantas da familia das 
gramíneas: — fzooZ.J genero 
de insectos coleópteros te- 
trámeros, da familia dos cur- 
culiónidos, composto de duas 
especies. 

Nastos. III. (bot.) Nastos; no- 
me de urna especie de can- 
na inodora, das cinco que 
menciona Dioscorides; ser- 
via para fazer frechas. 

Nasturcio. vi. (bot.) Nastursio; 
genero de plantas da fami- 
lia das cruciferas, cujas es- 
pecies são herbáceas, au- 
nuaes, biennaes ou vivazes, 
crescem nas aguas doces. 

Nasturciolo. m. (bot.) V. Hut- 
quinia. 

Nasüa. /. (zool.) Y. Coati. 

Nata./. Flor: especie de nata 
fina, substancia espessa que 
sobrenada em alguns lico- 
res : — nata ; substancia 
manteiguenta, que nada na 
superficie do leite batido: — 
(fiff.) nata, flor; o que é me- 
lhor e mais estimado; v. g. : 
es a nata de los caballeros; 
é a nata, a flor dos cavallei- 
ro?. Flos, oris: — pl.Y. Na- 
tillas. 

Natación./. Natação; arte de 
nadar: — natação; exercício 
de nadar : — natação ; gene- 
ro de locomoção própria dos 
animaes que vivem na agua. 

Natal, adj. Natal; pertencen- 
te ao nascimento. Na/ale, 
e: — m.V. Nacimiento. Na- 
tale, is: — (ant.) V. Novi- 
dad: — (hist.) natal; appli- 
cava-se aos jogos celebrados 
annualmente em Roma em 
memoria do nascimento de 
algum imperador. 
Natalicio, cía. adj. Natalicio; 
que pertence ao dia do nas- 
cimento. Natalititis, a, nm. 

NatÁlide. m. (zool.) Natalide; 
genero de insectos coleópte- 
ros tetrámeros da familia 
dos malacodermos : — ge- 



NAT 



169 



ñero de insectos lepidópte- 
ros. 

Natátil, adj. Natátil ; que na- 
da, que se sustém ou anda 
pelas aguas. Natatilis, e. V. 
Acu¿dico. 

Natatorio, m. Natatorio; lo- 
gar destinado para nadar 
ou banhar-se: — adj. nata- 
torio; que serve para a na- 
tação ou que lhe respeita. 

Natequia. /. (bot.) Natechia; 
especie de arandos ou cicu- 
ta da America. 

Naterón. m.V. Requesón. 

Nathil. m. (chron.) V. Natil. 

Na tica. /. (zool.) Natica; ge- 
nero de molluscos gastero- 
podas da familia dos nati- 
coideos, caracterisados por 
não ter siphão no manto 
nem chanfradura na base 
da abertura; mas são pro- 
vidos de uma tromba e ali- 
meníam-se de animaes vi- 
vos. 

Naticóideos. m. pl. (zool.) Na- 
ticoideos; familia de mollus- 
cos gasteropodas pectini- 
brauchios, que comprehende 
dois géneros e tem por typo 
o genero natica. 

Natil. m. (chron.) Nathil; no- 
me do decimo nono mez do 
anno dos antigos árabes; 
corresponde approximada- 
meute ao de novembro. 

Natilla./. dim. de nata: — pl. 
leite creme; doce composto 
de farinha, leite, ovos e as- 
sucar. Ferculum lacte.um, 
saccharo ovisque conditum. 

Natío, m. Nascimento, natu- 
reza. Usa-se em algumas 
partes fallando das plantas 
e sementes: — adj. (ant.) Y. 
Hermoso. De su natío; por 
sua natureza, naturalmente. 

Natividad./. Natividade; nas- 
cimento. V. Nacimiento. Na- 
tivitas, atis : — natividade ; 
tempo em que se celebra o 
nascimento de Christo. 

Nativitarios. m. pl. (reí.) Na- 
ti vitarlos; individuos de urna 
seita arriana que julgavam 
que o verbo tinha tido prin- 
cipio e que não era eterno. 

Nativitate. m. Natividade, 
nascimento. 

Nativo, va. adj. Nativo; que 
nasee naturalmente : — na- 
tivo; pertencente ao nasci- 
mento. Natívvs, a, um : — 



170 



NAT 



nativo, natural, próprio. Na- 
tivus, a, um. 

Nato. adj. Nato; applica-se 
ao titulo honorifico ou en- 
cargo que está aunexo ou é 
inherente a algum emprego 
ou condição. 

Natriüm. m. (chim.) Natrium. 
V. Sodio. 

Natrocalcita./. (chim.) V. Da- 
tolita. 

Natrolita. /. (min.) Natrolita ; 
variedade de mesotypo. 

Natrón, m. (chim.) Natrón; 
carbonato de soda. V. Ana- 
tron. 

Natronalumbre. m. (min.) Na- 
tronalumen ; alúmen nativo 
de base de soda ou compos- 
to dos sulphatos de soda e de 
ulumiua, que se julga provir 
da decomposição das rochas 
vulcânicas em que ha abun- 
dancia de albita. 

Natsiato. m. (bot.) Natsiato; 
genero de plantas da fami- 
lia das i)hytocréneas, cujas 
especies são arbustos. 

Natura. /. Natura, natureza. 
V. Naturalesd : — natura; as 
partes genitaes : — natuiva, 
natureza, especie, linhagem, 
parentesco: — (mus.) natu- 
ra; escala natural do modo 
maior. Natura, cp. A natura 
(mod. adv. ant.); de natura, 
naturalmente. De natura 
(mod. adv. ant.); de natura, 
por natureza, naturalmente. 

Natural, adj. Nntural; que 
pertence á natureza, confor- 
me á sua ordem e curso or- 
dinario. Naturalis, lo : — na- 
tural, nascido. Naturalis, 
le : — natural ; que não é ar- 
tificial. Naturalis, le: — na- 
tural, ingenuo, simples, hi- 
genuus, naturalis : — natu- 
ral; que imita a natureza. 
Naturalis, le : — natural, 
costumado, regular. Natu- 
ralis, le :— natural; que não 
é sobrenatural nem mila- 
groso. Naíuralis, le: — na- 
tural; por direito de lei : — 
m. natural; genio, índole, 
temperamento, compleição, 
ou inclinação jjropria de ca- 
da um. índoles, natura, in- 
í/enium : — natural ; paiz na- 
tal : — (pint. e esc.) natural; 
diz-se do modelo tirado da 
natureza. Natural y figura 
hasta la sepuUwa (rif.); o 



NAT 

que o berço dá a cova o ti- 
ra; não é fácil mudar de ge- 
nio. Al natural (mod. adv.); 
ao natural, sem arte. Natu- 
raliter, secundum naturam. 
Naturaleza. /. Natureza; es- 
sência e propriedade princi- 
pal de cada cousa. Natura, 
ce: — natureza; o conjuncto, 
ordem e disposição de todas 
as entidades que compõem o 
universo. Natura, «?; — na- 
tureza; principio universal 
de todas as operações natu- 
raes e independentes de ar- 
tificio. Natura, a¡ : — natu- 
reza; virtude, qualidade ou 
propriedade das cousas, ^^a- 
tnra rcrum vcl vis : — natu- 
reza; qualidade, ordem e 
disposição dos negocios e 
dependencias. Conditio, na- 
tura : — natureza ; instiucto, 
propensão ou inclinação das 
cousas com que pretendem 
sua conservação e augmen- 
to. Natura, ce: — natureza; 
força ou actividade natural, 
como contraposta á sobre- 
natural e milagrosa. Nat{(- 
ra, (b: — natureza; partes 
sexuaes. Natura,, oi : — - na- 
tureza, naturalidade ; origem 
que alguém tem do logar 
em que nasceu. Natura, ce: 

— natureza ; ordem e arran- 
jo de todas as cousas crea- 
das, segundo o qual tudo tem 
principio, progresso e fim : 

— natureza, natural. Índo- 
le : — natureza ; naturalida- 
de com feiro civil : — natu- 
reza, naturalidade de um es- 
trangeiro, concedida pelo 
rei. Civitate donare: — na- 
tureza, especie, classe : — 
natureza, compleição, tem- 
peramento. Natnra, ce : — 
(ant.) naturaleza; direito 
de ser natural de algum 
mosteiro: — (ant.) nature- 
za; parentesco, linhagem: 
— (meã.) natureza; principio 
intrínseco que rege, governa 
e causa todos os movimentos 
e acções naturaes e funcçoes 
do corpo. Natura, o?: — 
(pint. e c,<íc.) natureza, na- 
tural; modelo tirado da na- 
tureza : — humana; nature- 
za humana; conjuncto de 
todos os homens. Hominum 
genus. Ser desfavorecido de 
la natttraleza ó de la fortu- 



NAU 

na; ser desfavorecido da na- 
tureza ou da fortuna, não 
ter graças e dotes naturaes, 
ser infeliz e desgraçado. 
Nullis donis à natura prce- 
ditum vel comparatum esse; 
adversa fortuna affici. 
Naturalibus. (In) (loc. adv. 
fam.) Ao natural, no estado 
da natureza. 
Naturalidad. /. (ant.) Natu- 
ralidade; origem que algu- 
ma pessoa tem d'alguma ci- 
dade ou reino, e regularmen- 
te se toma pelo direito que 
por ella se adquire de gosar 
dos privilegios próprios dos 
naturaes. Jus civitatis: — 
naturalidade; conformidade 
das cousas com as leis ordi- 
narias e commuus: — natura- 
lidade, ingenuidade, simpli- 
cidade. Ingenaitas, candor. 
Natural í SIMO, ma. adj. sup. de 
natural. Muito natural. Fa/- 
dh naturalis. 
Naturalismo, m. (philos.) Na- 
turalismo; doutrina d'aquel- 
les que tudo attribuem á na- 
tureza. 
Naturalista, m. Naturalista; 
o que conhece, descreve e 
examina as propriedades e 
analogias dos tres reinos da 
natureza. Historice natura- 
lis doctus, investigator. 
Naturalización. /. Natural i- 
sação; acção e efifeito de na- 
turalisar. Jus civitatis. 
Naturalizar, a. Naturalisar; 
dar ao estrangeiro o direito 
de ser considerado como ci- 
dadão de um paiz. Munici- 
pem faceré : — naturalisar ; 
dar o direito de nacional a 
um estrangeiro. Jus civita- 
tis donare: — r. acostumar- 
se, habituai'-se a uma cousa. 
Assuefieri, mores vel nsus 
sequi. 
Naturalmente, adv. m. Natu- 
ralmente ; por natureza. Na- 
turaliter : — naturalmente ; 
com naturalidade: — natu- 
ralmente; de um modo na- 
tural que não excede as 
forças da natureza. 
Naturar. a. (ant.) V. Natura- 
lizar. 
Nauclea. /. (hot.) Nauclea; 
genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 
Nauclero. m. (ant.) Piloto da 
nau. Nauclerus, i. 



NAU 

Naucóeide. m. (zool.) Nauco- 
ridc (percevejo de barco); 
genero de insectos hemipte- 
ros da familia dos hydroco- 
risos. 
Naucoridos. m. pi. (zool.) Nau- 
coridos ; genero de insectos 
hemip teros heterop teros, ca- 
racterisados por terem as 
antennas de quatro articu- 
lações e o corpo comprido e 
oval. 
Naüchel, Nauchek. m. (ant.) 
V. Nauclero. 

Naufragante. 2». «• e aãj. Nau- 
fragante ; que naufraga. 
Naufragans, antis. 

Naufragar, n. Naufragar •, ir 
a pique e perder-se a em- 
barcação. Naufragium fa- 
ceré, pati: — (fig-) naufra- 
gar; perder-se ou sair mal 
de um intento ou negocio. 
Naufragare, res suas in des- 
peratis et profligatis habere. 

Naufragio, j/i. V. Naufrajio. 

NÁUFRAGO, GA. uãj. Naufrago ; 
que padeceu naufragio ou 
tormenta. Naufragas, a, 
um: — 7/i. tubarão, orca. 

Naufrajio. m. Naufragio ; per- 
da do navio, por tormenta, 
combate, ou por embate em 
escolhos, bancos, rocha ou 
lançado contra as costas. 
Naufragium, ii : — (f^g-) 
naufragio, ruina, desgraça. 
Naufragium, calamitas. 

Naumaquia. /. Naumachia ; si- 
mulacro de combate naval, 
executado em um lago ou 
mar artificial. Estava muito 
em voga na antiguidade : — 
naumachia; logar destina- 
do para os simulacros de 
combates navaes, tal como 
havia na Hespanha nas cida- 
des de Merida e Toledo. 

Naumburjia. /. (bot.) Naum- 
burgia; genero de plantas 
da familia das primuláceas, 
cujas especies são hervas. 

Naupacto. m. (zool.) Naupa- 
cto; genero de insectos co- 
leópteros tetrámeros da fa- 
milia dos curculiónidos. 

NAUPETA./.fzooí.^NaupetafçMe 
frequenta os navios); genero 
de insectos orthopteros da 
familia dos blattarios. 

Naupridia. /. (zool.) Naupri- 
dia; genero de insectos le- 
modipodas da familia dos ca- 
prelios. 



NAU 

Nauros. m. Nauros; festa do 
primeiro dia do anno entre 
os indios. 
Naurüz. ni. (chron.) Nauruz 
ou Nauro ; primeiro dia do 
antigo anno solar que os 
persas não mahometanos ce- 
lebram com grande solemni- 
dade; corresponde ao pri- 
meiro do equinosio da pri- 
mavera. 
Nauscopia. /. (iiaut.) Nausco- 
pia; arte de descobrir os 
navios no mar a urna gran- 
de distancia. 

Nauscópico, ca. adj. (aaut.) 
Nauscopico : que pertence 
ú nauscopia ou nauscopio. 

NauscÓpio. m. (naut.J Nausco- 
pio ; instrumento com o qual 
se podem distinguir os na- 
vios a grande distancia. 

Náusea. /. Nausea, vontade 
de vomitar. Nausea, ce : — 
(fig.) nausea; tedio, desgos- 
to, fastio que causa alguma 
cousa. 

Nauseabundo, da. adj. Nausea- 
bundo ; que causa ou produz 
nauseas. Nauseabundus , a, 
um: — nauseado; que está 
propenso a vomitar. 

Nausear, n. Nausear ; ter nau- 
seas. Nauseare. 

Nauseativo, va. adj. Nausea- 
tivo. V. Nauseabundo. 

Nauseoso, sa. adj. Nauseado. 
V. Nauseabundo. 

Naüsiosis. /. (med.) Nausiosis. 
V. Náusea : — nausiosis ; 
phenomeno que se verifica 
em algumas hemorrhagias 
venosas, quando o sangue 
sáe dando sacudiduras. 

Nauta, m. Nauta, marinheiro 
ou navegante. Nauta, ce. 

Naütel. m. (ant.) V. Nauclero. 

Náutica. /. Náutica ; sciencia 
ou arte de navegar. Ars 
náutica : — náutica ; profis- 
são do náutico. 

NÁUTICAMENTE, ttdv. wi. Náuti- 
camente ; de um modo náu- 
tico. 

NÁUTICO, CA. adj. Náutico; per- 
tencente á navegação. Nau- 
ticus, a, um: — m. náutico; o 
que se exercita em náutica. 

NautilÁceos. m. pl. (zool.) Nau- 
tilaceos; familia de mollus- 
cos cephalopodas, que com- 
prehende aquellas especies, 
cuja concha discoidea e de 
espiral central, é dividida 



NAV 



171 



em i^equenas cellulas que 
não se estendem do centro 
á circumferencia. 
Nautilo. //í. Nautilo ; concha 
univalvo do mar e da agua 
doce. 
Nautilocoristo. m. (zool.) Nau- 
tilocorysto; genero de crus- 
táceos decaijodas da familia 
dos osystomos. 

Nactilograpso. m. (zool.) Nau- 
tilograpso; genero de crus- 
táceos decapodas brachyu- 
ros da familia dos catomé- 
topos. 

Nava. f. Nava, planicie, cam- 
po plano. Camjñ planicies. 

Navacero. hí. V. Navazero. 

Navaja./. Navalha; faca jjor- 
tatil: — navalha; especie de 
marisco : — navalha ; dente 
do javali. Apri dens, quid 
incisorium: — navalha ; agui- 
Ihão cortante de alguns in- 
sectos : — (jig-) navalha ; a 
lingua do calumniador. Na- 
vacida, (p, : — ferros da bes- 
ta. Ballista ferrum premens. 

Navajada. /. Navalhada; gol- 
pe do navalha. Navaculce 
idus, incisio. 

Navajazo, m. V. Navajada. 

Navajero, m. Estojo de nava- 
lhas de barba. Capsa tonso- 
ria: — panno para limpar 
as navalhas da barba. Paii- 
nus tonsurius. 

Navajica, lla, ta ou Navajue- 
LA. /. dim. de Navaja. Na- 
valhinha; pequena navalha. 

Navajo, m. Y. Navazo. 

Navajon. m. augm. de Navaja. 
Navalhão ; grande navalha. 

Navajonazo. m. Y. Navajazo. 

Naval, adj. Naval; que per- 
tence ás naus e á navega- 
ção. Navalis, le. 

Navarca. adj., s. (hist.) Na- 

• varcba; titulo do primeiro 
chefe de uma esquadra gre- 
ga : — navarcba; nome que 
os romanos davam ao com- 
mandante de cada navio li- 
burniano. Navarchus, i. 

Navarquía. /. (hist.) Navar- 
chia; titulo, cargo de na- 
varcba. Navarchia, ce. 

NavÁrqüico. adj. (hist.) Na- 
varchico; que se refere ao 
navarcha ou á navarchia. 
Navarchicus, a, um. 

Navarro, kra. adj. Navarro; 
natural da Navarra: —m. 
(germ.) ganso, pato. 



172 



NA\^ 



Navasardi. VI. (cliron.) Nava- 
sardi; nome do primeiro 
mez do anno entro os ar- 
menios; correspondo appro- 
ximadamente a outubro. 

Navato. m. (r/errn.) Espinhaço. 

Navazero, EA. s. O que furma 
ou cultiva horta • jios areaes 
immediatos ás praias. 

Navazo, m. Horta formada so- 
bre os areaes immediatos ás 
praias. Usa-se era Sanlncar 
de Barrameda. 

Nave. /. Nave, barco, navio. 
Navis, is : — nave ; nos edi- 
ficios é o espaço cojnpi-ehen- 
dido entre duas fileiras de 
columnas ou pilares que 
sustêem uma abobada. Diz- 
se particularmente fallando 
das igrejas. Irse la iiave a 
2}iqne (fi\); ir o navio a pi- 
que; submergir-se. Navem 
mergi. 

Naveadok. m. (anf.) V. Mari- 
nero. 

Navear. n. (ant.) V. Navegar. 

Navecica, lla, ta. /. dim. de 
Nave. Naviosinho, naveta, 
navio pequeno. Narieula, 
navicella. 

Navecilla. /. V. Naveta. 

Navegable, adj. Navegável ; 
que pode ser naveg.ado, Na- 
vegabilis, ¡e. 

Navegaciox./'. Nave.saçâo ; ac- 
ção de navegar. Navigaiio, 
onis: — navegação; tempo 
de uma viagem por mar. 
Navigaiionis tempus : — na- 
vegação, náutica; arte de 
navegar. 

Navegadok. m. Navegador. V. 
Navegante. 

Navegante, p. a. c adj. Nave- 
gante; que navega. Usa-í^e 
também como substantivo. 
Navigans, navigafor. 

Navegar, n. Navegar; fazer 
viagem em navio ou em ou- 
tra embarcação. Usa-se al- 
gumas vezes como activo. 
Narigare : — (fig-) na vegar ; 
andar de uma para outra 
parte commerciando e tra- 
tando de negocios. Undtque 
vel quoqutvcrsus ire: — (fig-J 
V. Transitar: — a. navegar; 
transportar mercadorias por 
meio da navegação. 

Naveta. /. Naveta ; vaso em 
que nas igi*ejas se serve 
o incenso para os thuribu- 
los. Acefra,(e: — Y. Gaveto: 



NAV 

— (ant.) naveta; navio pe- 
queno. Navícula, a. 

Navicela. /. (ardi.) Navicela; 
bacia de uma fonte antiga, 
encontrada em Iloma, que 
tem a forma de uma barca 
pequena. 

Navícula./, (zool.) Navícula; 
géneros de infusorios mi- 
croscópicos, que i-e encon- 
tram nas aguas doces e sal- 
gadas, dotados de movimen- 
tos espontâneos: alguns na- 
turalistas os collocam entre 
os vegctaes inferiores. 

Navicular, adj. Navicular; 
diz-se do osso do pé, o qual 
se une com o calcanhar. 

Naviculario. adj. (hisf. ant.) 
Naviculario; diz-se do ar- 
mador ou capitão de um na- 
vio mercante entre os roma- 
nos. Navicvlarius, a, um. 
Usa-se também como sub- 
stantivo. 

Naviciicelo. rii. (ant.) dim. de 
Navio. Naviosinho. 

Navidad. /. V. Natividad : — 
natividade; nascimento de 
Christo, Nossa Senhora, S. 
João, etc.: — tempo do na- 
ta!. Usa-se no pi. c diz-se: 
se luirán los pagos por las 
navidades v pior San Juan ; 
se farão os ]:)agamento3 pelo 
natal e pelo S. João. Tam- 
bém se usa no j}l. para ex- 
primir que qualquer pessoa 
tem muitos annos, e diz se: 
que cuenta o tiene muchas 
navidades. No alabes ni de- 
salabes hasta siete navida- 
des (r/f.J; não se julgue de 
u\na pessoa ¡^elas apparen- 
cias, fi scíu viver cora ella 
ou experimenta-la. 

NavideSo, Sa. adj. Próprio do 
tenipo do natal. Ad nafivi- 
tafis tempus ptertinens. Diz- 
se de algumas fructas, que 
se conservam e guardam 
])ara o natal, como são uvas, 
melões, etc. 

Naviero, m. Naviculario ; dono 
de navio. Navicidarius, ii. 

Navigaciox. /. (ant.) Y. Nave- 
gación. 

Navigar. a. (ant.) Y. Nave- 
gar. 

Navio, m. Navio, nau; barco 
de guerra. A^avis, is: — 
(germ.) corpo: — de alto 
bordo; navio de alto bordo ; 
navio de grande port«, como 



NAY 

naus, fragatas ou grandes 
navios mercantes : — de avi- 
so; navio correio; embarca- 
ção ligeira: — de carga; na- 
vio de carga ou de transpor- 
te: — de guerra; vaso de 
guerra; navio armado em 
guerra, o que é destinado 
para o serviço militar na- 
val : — de línea; navio de 
linha; o que por sua forta- 
leza e armamento pode com- 
bater em batalha ordenada 
ou entrar cm esquadra com 
outros navios. Navis inignce 
idónea: — de transporte; na- 
vio de transporte; o que só 
serve para conduzir merca- 
dorias, tropas, munições ou 
viveres. Navis vectorial ope- 
raria: — de tres puentos ; 
nau de tres pontos: — mer- 
cante ou mercantil; navio 
mercante; o que serve para 
conduzir mercadorias : — 
particular; navio particu- 
lar ou mercante. Armar 
navio ou hojel; armar em 
guerra um navio. Navim 
insíruere, parare. Montar 
un navio; commandar um 
navio. Quien no tuviere qu.e 
hacer, arme navio ó tome 
mujer (rif.J; quem não ti- 
ver que fazer, arme navio 
ou tome mvdlier. 

Navita. m. (naut.) V. Mari- 
nero. 

Naxía. /. (zool.) Nasia; gene- 
ro de crustáceos decapodas 
brachyuros da familia dos 
oxyrrhincos. 

Naxio. m. (min.) Naxio; pedra 
que se tirava de Naxos e da 
Armenia, e de que os anti- 
gos se serviam para pulir 
as ¡Dcdras finas. 

Naya. /. (zool.) Naja; genero 
de reptis ophidios caracteri- 
sados por terem umas pe- 
quenas bexigas cheias de 
veneno collocadas nos den- 
tes maxilares superiores, 
tapadas durante o somno 
por uma i)rega da gengiva; 
as mandíbulas muito dila- 
tadas, a lingua extensível e 
a cabeça prolongada para 
trás e coberta de escamas. 

Náyadeas. /. pi. (hot.) Naya- 
deas; família de plantas 
monocotyledoneas, cujas es- 
pecies são todas aquáticas, 
submergidas, que saem a 



NAZ 

florecer iia superficie das 
aguas. 
Nazareno, adj. Nazareno; que 
perteuce á cidade de Naza- 
reth cu aos seus habitantes: 
— s. nazareno; natural de 
Nazareth: — m. nazareno; 
nome que tiveram os chris- 
tíios até á fundação da ca- 
deira patriarchal de Antio- 
chia por S. Pedro: — (prov.) 
nazareno; o que acompanha 
ns procissões da Semana 
kíanta vestido de capa oii 
túnica rouxaou preta. Cuan- 
do vengan los nazarenos 
(fam.); quando as gallinhas 
tiverem dentes; expressão 
com que se dá a entender 
a impossibilidade de que 
Eucceda alguma cousa: — 
(rei.) nazareno; epitheto da- 
do a Jeáus Christo: — naza- 
reno; o que entre os hebreus 
se consagrava ao culto de 
Deus. Os nazarenos se abs- 
tinham de toda a bebida 
que podesse embriagar, não 
cortavam a barba nem o ca- 
bello e nao tocavam nos ca- 
dáveres: — nazareno; o que 
pertencia a uma seita. dos 
primeiros cliristãos de Jeru- 
salém e que observava a lei 
de Bíoysés, sem deixar por 
isso de admittir o Evange- 
lho hebreu de S. Matheus: 
— nazareno ; sectario judeu 
que venerava a Jesús Chris- 
to como um homem justo e 
santo: — (hot.) nazareno; 
arvore da Nova Granada, c 
de outras partes da Ameri- 
ca meridional, cuja madeira 
esquisita serve, por sua for- 
mosa cor rouxa, jaspeada de 
veios claros e escuros, para 
moveis preciosos. 

Nazareo, m. V. Nazareno na 
sexta accepção. 

Nazariano. m. (reí.) Nazaria- 
no: que pertecce a uma das 
seitas mahometanas forma- 
da pelo schisma de Alí. Es- 
tes individuos crêem que 
a divindade se ha imido 
corporalmente com muitos 
dos seus santos e entre ou- 
tros com Alí. 

Nazir. m. Nazir; inspector de 
urna mesquita entre os orieji- 
taes: — nazir; tribunal su- 
premo na Pérsia. 

Naztrita. m. Nazirita: urna 



NEB 

das mais poderosas ti-ibus 
ju'iaicas da Arabia, na epo- 
cha em que Mafoma con- 
quistou este paiz. 

NÁzouA. /. (ant.) V. Naia. 

Nazula, NÁzuka. /. (prov.) V. 
Requesón. ' 

Ne. conj. (an!.) V. Ki. 

Neaesch. m. Neaesch; urna 
das preces do Zendavesta, 
na religião dos parsos. 

Néai.inq. m. Nealing; nome 
dado pelos viajantes ingle- 
zes a urna especie de pudim 
de farinha de trigo que fa- 
zem os uaturaes da ilha de 
Gambia. 

Neaxto. in. (hot.) Neantho : 
genero de plantas da fami- 
lia das leguminosas. 

Neapulita. /. (phann. ant.) 
Neapolita; nome de um tó- 
pico que se administrava 
contra a gota e a nevralgia 
sciatica. 

Neapolitano, na. adj. (ant.) 
V. Napolila.no. 

Nearca. adj. m. Nearelia; al- 
mirante entre os gregos. 

Nebadelia. /. (hot.) V. Néheda. 

Nebalia. /. (zool.) Nebalia; 
genero de crustáceos phyl- 
lopoda?, composto de urna 
só especie, caracterisada por 
nao ter branchias propria- 
mente ditMs e respirar por 
membros thoracieos mem- 
branosos e foliáceos. 

Nep.a LIADOS, m. 2Ú. (zool.) Ne- 
baliados; familia de crustá- 
ceos phylopodas, cujo typo 
é o genero nebalia. 

Nébeda. /. (hot.) V. Cataria. 

Nebel. m. (ant.) Nebel; medi- 
da de capacidade usada pe- 
los hebreus: — (mus. ant.) 
V. NaUa. 

Nebladura./. Mangra; daiano • 
so orvalho da nevoa, que 
não deixa medrar as searas. 
Sideral io, onis : — podridã.o ; 
enfermidade que ataca os 
carneiros. Siderafio, onie. 

Neblí, m. (zool.) Nebíi ou no- 
bri; especie de falcão do 
norte. 

Neblina./, Neblina; cerração, 
nevoeiro espesso e pouco 
elevado. Nehnla densior. 

Nebria. /. (zool.) V. Alpc.a. 

Nébkida. /. (zool.) Nebrida 
(pelle de cachorro); genero 
de peixes acanthopterygios, 
da familia dos seienoideos. 



NEC 173 

Nebrina, /. Baga de zimbro. 

Nebrio. in. (ant.) V. Miembro. 

Nebrita. /. (min.) Nebrita; es- 
pecie de pedra preciosa. 
i Nebf.itos. vi. pl. (zool.) Nebri- 
tos; grupo de insectos co- 
leópteros pentameros, da fa- 
milia dos carabicos. 

Nebro, m. (ant.) V. Enebro. 

Nebulado, da. adj. (hr.) Nebu- 
lado, nebuloso; que tera a 
forma ou os contornos de 
uma nuvem. 

Nebuloso, sa. adj. Nebuloso; 
coberto de nuvens. Nubilns, 
a., inn: — adj., f. (astron.) 
nebuloso; diz-se das estrel- 
las cuja luz é tibia e amor- 
tecida. StcUce nebulosa;. A 
via láctea é a nebulosa que 
mais perto se acha de nós. 

Nhcanea. f. (coram.) Riscado 
azul e branco, que se fabri- 
ca nas Indias orientaes. 

Necear. >í. Necear; dizer ne- 
cedades ou tolices. Ineptire. 

Necedad. /. Necedade; igno- 
rancia crassa. Ignorantia, 
fatuilas : — necedade, toli- 
ce, loucura. Tneptia, oí: — 
necedade, imprudencia, te- 
meridade, Imprndciitia, te- 
meritas. 

Necesaria. /. Necessária, la- 
trina. V. Letrina. 

Necesariamente, adv. m. Ne- 
cessariamente; com necessi- 
dade ou precisão. Necesse, 
nccessarie. 

Necesarienses. ?)?. pl. (rd.) Ne- 
cessarienses; individuos de 
uma seita christã, segundo 
cujos principios os seres mo- 
raes obram obrigados por 
uma necessidade physica ou 
moral. 

Necesario, ria. adj. Necessá- 
rio; que não pode deixar 
de ser, o que não pode ser 
de outro modo: oppoe-se a 
contingente. Necessarius, a, 
nm: — necessário; o que é 
indispensável. Necessarius, 
requisitus. Es vn mal nece- 
sario; é um mal necessário; 
diz- SC de certas cousas que 
téem grandes inconvenien- 
tes, porém que são indis- 
pensáveis ¿u inevitáveis . 
Persona necesaria; pessoa 
necessária; acuella sem cu- 
ja cooperação é difficil ou 
arriscado passar: — (philos.) 
necessário; nào voluntario ou 



174 NEC 

espontaneo. Também se diz 
das cousas que obram sem 
liberdade e por determina- 
ção de sua natureza. Diz-se 
particularmente em philo- 
sophia peripatética do que 
não pode deixar de ser, uem 
ser de maneira diversa do 
que é. Efecto necesario; ef- 
feito necessário; o que se se- 
gue infallivelmente á causa 
destinada a produzi-lo. El 
ser necesario; o ser necessá- 
rio; Deus, que existe por sua 
omnipotencia. Leyes necesa- 
rias; leis necessárias; aquel- 
las sem as quaes não pode- 
ria existir o universo. Ver- 
dades necesarias y éter i tas; 
verdades necessárias e eter- 
nas; as que não podem dei- 
xar de sè-lo, porque depen- 
dem de qualidades cssen- 
ciaes : — (jur. ant.) neces- 
sário; dizia-se do herdeiro 
instituido quando era servo 
do testador. Poligamia ne- 
cesaria (bot.); polj'gamia ne- 
cessária; diz-se das plantas 
synanthereas, cujas calathi- 
das oíferecem flores mascu- 
linas no disco, e femininas 
na circumferencia. 

Necesarísimo, ma. adj. sup. de 
Necesario. Necessarissimo; 
muito necessário. Valde vel 
max im e, necessa rius. 

Neceser, m. Caixa ou estojo, 
contendo utensilios necessá- 
rios e commodos. 

Necesidad./. Necessidade ; for- 
ça natural das cousas, que 
as obriga a obrar determi- 
nada e inevitavelmente, ^e- 
cessitas, atis: — necessida- 
de, coacção, constrangimen- 
to, obrigação a que não se 
pode nem deve faltar: — 
necessidade; falta que faz 
alguma cousa para execu- 
tar ou conseguir o que se 
deseja. Egestas, indigentia, 
necessitas: — necessidade; 
falta das cousas que sao ne- 
cessárias para a conserva- 
ção da vida. Inopia, eges- 
tas: — necessidade; conti- 
nua falta de alimento, que 
faz enfraquecer. Victiís ino- 
pia summa vel indigentia, 
/ames: — necessidade, ris- 
co, perigo. Discrimen, peri- 
culum: — necessidade; qual- 
quer das evacuações corpo- 



NEC 

raes. Requisita naturcc: — 
Hacer de la -necesidad vir- 
tud; fazer da necessidade 
virtude; fazer de boa von- 
tade o que não se pode evi- 
tar, Libenti animo exequi 
quod vitari non potest. La 
necesidad carece de ley; a 
necessidade não tem lei; 
quem precisa julga-se dis- 
pensado das leis. Necessitas 
caret lege. La necesidad hace 
a la viega trotar (rif.j; a 
necessidade mette a velha a 
caminho. Necessitas Jiomi- 
iiem acuit. La necesidad hace 
maestro (rif.) ; a necessidade 
é mestra. Quivis sapit neces- 
sitate magistre. La necesi- 
dad tiene cara de hereje; a 
necessidade tem cara de he- 
rege; denota que de ordina- 
rio se foge do necessitado, e 
também que a necessidade 
obriga a qualquer trabalho 
com o fim de evita-la. De- 
formem faciem paupertas 
ómnibus offert: — física 
(philos.); necessidade phy- 
sica; a que resulta da exis- 
tencia actual de uma cousa, 
como a necessidade de que 
o sol alumie: — metafísica; 
necessidade metaphj'sica; a 
que faz com que uma cousa 
seja de tal sorte, que a con- 
traria seja impossível, como 
a necessidade de que dois e 
dois façam quatro: — mo- 
ral; necessidade moral; a 
que faz que uma cousa não 
possa moralmente ser de ou- 
tra maneira, como a neces- 
sidade de que uma mãe ame 
seus filhos: — relativa; ne- 
cessidade relativa; a que 
colloca em verdadeira im- 
possibilidade de obrar, ou de 
não obrar nas circumstan- 
cias e na situação actual, 
aindaque em outras circum- 
stancias e estado se possa 
obrar ou deixar de obrar se- 
gundo se queira : — simple 
y absoluta; necessidade sim- 
ples e absoluta ; a que não 
depende de nenhum estado 
ou conjectura, de nenhuma 
situação particular; porém 
que se encontra em algumas 
circumstancias que se sup- 
põe o agente. Tal é em um 
homem que perdeu a vista, 
a necessidade em que se acha 



NEC 

de não distinguir as cores; 
em um homem que não pos- 
sue a graça, a necessidade 
de exercer acções meritorias 
da recompensa : — (theol.) 
necessidade; acção de uma 
causa estranha sobre a von- 
tade, a que não é possível 
resistir: — de meclio; ne- 
cessidade de meio; precisão 
absoluta de uma cousa, sem 
a qua.1 não se pode conse- 
guir a salvação. Medii ne- 
cessitas : — de precepto; ne- 
cessidade de preceito; obri- 
gação, que em virtude do 
mesmo, se induz alguma 
cousa conducente á salva- 
ção. Necessitas prwcepti: — 
estrema; necessidade extre- 
ma; estado em que alguém 
por certo perderá a vida se 
não é soccorrido ou sae d'es- 
se perigo. Extrema vel sum- 
iiia necessitas: — grave; ne- 
cessidade grave; estado em 
que alguém está exposto a 
perigo de perder a vida tem- 
I)oral ou eterna. Esta ultima 
se chama necessidade grave 
espiritual. Gravis necessitas. 

Necesitadísimo, ma. adj. sup. 
de Necesitado. Necessitadis- 
simo ; muito necessitado . 
Stimmh indigens, egenus. 

Necesitado, da. adj. Necessi- 
tado, pobre; o que carece 
do necessário. Egens, entis. 

Necesitar, a. Necessitar, obri- 
gar, urgir. Cogeré, impelie- 
re: — n. necessitar; ter ne- 
cessidade. Indigerc: — r. 
(ant.) ver-se obrigado a fa- 
zer alguma cousa. 

Neciamente, adv. m. Necia ou 
néscia, ignoran te,tola, par- 
vamente. Inepte, ignoranter, 
absurdo. 

Necidálide. m. (zool.) Necyda- 
lide; genero de insectos co- 
leópteros subpentameros, da 
familia dos longicornes. 

NecidÁlidos. m. pi. (zool.) Ne- 
cydalidos; tribu de insectos 
coleópteros subpentameros, 
da familia dos longicornes. 

Neciedad./. (ant.)Y. Necedad. 

Necio, cia. adj. Necio, néscio, 
ignorante, imperito. Igno- 
rans, indoclus: — necio, 
imprudente, teimoso. ImprM- 
dens, temerarius: — necio; 
feito com ignorancia ou im- 
prudencia. Ineptns, stuUus. 



NEC 

iÇecios y porfiados hacen ri- 
cos a letrados (rif.); néscios 
e porfiados enriquecem os 
lettrados. Al necio del dies- 
tro, al loco del cabestro; ao 
néscio basta guiar, mas o 
loco é preciso levar. Cuando 
el necio es acordado, el mer- 
cado es ya pasado; quando 
o néscio acordou já o mer- 
cado passou; é muito conve- 
niente fazer as cousas em 
tempo opportuno. El necio 
hace al fin lo que el discreto 
al principio; o néscio faz 
no tim o que o discieto faz 
ao principio. Mas sabe el 
necio en su casa que el cuer- 
do en la ajena; mais sabe o 
tolo no seu que o avisado no 
alheio. iljTas vale ser necio 
que porfiado ; mais vale nés- 
cio que porfiado. Potius est 
nescium censeri quàm temeré 
ienacem. 

Neciomancia. /. V. Necroman- 
cia: — neciomancia; pre- 
tendida arte de adivinhar 
pelo exame dos ossos e dos 
tendões das pessoas que fo- 
ram mortas violentamente, 
e pelas cordas que servi- 
ram ao supplicio dos execu- 
tados. 

Necisiano. adj. e s. (hist.) Ne- 
cisiano; nome que se dava 
aos que figuravam nas ne- 
cissias. 

Necisias. adj. e /. (hist.) Ne- 
cissias; festas solemnes em 
honra dos mortos. As necis- 
sias celebravam-se em mui- 
tas cidades da Grecia, no 
mez do anthisterion, isto é, 
em abril. Os romanos, como 
os gregos, acreditavam que 
as sombras saíam dos infer- 
nos para assistir aquella 
solcmnidade, e que as por- 
tas d'estes ficavam abertas 
emquanto duravam as fes- 
tas. 

NEcísmo, MA. adj. sup. de Ne- 
cio. Muito necio. Ineptissi- 
mus, ignorantissimus. 

Nec plus ultra, expr. latina 
V. Non p)lus tdtra. 

Necracademia. /. (philol.) Ne- 
cracademia; nome que dá 
Luciano ao jardim de Só- 
crates na ilha phantastica 
dos bemaventurados. 

Nechobia. /. (zool.) Necrobia; 
genero de insectos coleopte- 



NEC 

ros pentameros da familia 
dos malacodermes 
Necrodeo. m. (zool.) Necrodeo 
(morto); genero de insectos 
coleópteros pentameros, da 
familia dos clavicornes. 
Necrodulía./. Necrodulia; cul- 
to dos mortos : — necrodu- 
lia; culto que os chinezes 
tributam ás almas de seus 
antepassados. 

Necrófagos, m. pl. (zool.) Ne- 
crojDhagos; familia de inse- 
ctos coleópteros pentameros, 
caracterisados por suas man- 
díbulas compridas, estreitas, 
arqueadas e curvas na ex- 
tremidade. 

Necrófilo. m. (zool.) Necro- 
philo (amante da morte); ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
clavicornes. 

Necrofleófago. m. (zool.) Ne- 
crofleophago (qiie come a 
pelle dos cadáveres) ; gene- 
ro de insectos myriapodas, 
da familia dos geophilideos. 

Necrofobia. m. Ñecrophobia; 
temor exagerado da morte 
ou dos mortos; symptoma 
ordinario da hypochondria. 

Necuofóeico, ca. adj. Necro- 
phobico; que pertence á ñe- 
crophobia. 

Necrófobo, ba. adj. Necropho- 
bo; que tem medo da morte 
ou dos mortos. 

Necróforo. m. (zool.) Necro- 
phoro (que leva a mortr); ge- 
nero de insectos coleópteros 
pentameros, da familia dos 
clavicornes. 

Necrografía./. Necrographia ; 
estudo, descripçâo dos cada- 
veres: — necrographia; tra- 
tado sobre os cadáveres. 

Necrográfico, ca. adj. Necro- 
graphico; que pertence á 
necrographia. 

Necrografismo. m. Necrogra- 
phismo; abuso que um me- 
dico faz do estudo dos cada- 
veres, substituindo-o ao es- 
tudo dos seres vivos. 

Necrógrafo. on. Neo'ographo ; 
o que estuda ou descreve os 
cadáveres. 

Necrójeno, na. adj. (bot.) Ne- 
crogeno; diz-se dos parasi- 
tas que se desenvolvem no 
exterior dos vegetaes mortos 
ou quasi mortos. 

Necrolatba. m. Necrolatra; o 



NEC 



175 



que tributa um culto exage- 
rado á memoria dos mortos: 
— necrolatra; o que cho- 
ra excessivamente por um 
morto. 

Necrolatría. /. Necrolatria; 
culto aos mortos. 

NecrolÁtrico, ca. adj. Neci'O- 
latrico ; que pertence á ne- 
crolatria. 

Necrolita. /. (min.) Necrolita. 
V. Traquito. 

Necrología. /. V. Necrolojia. 

Necrológico, ca. adj. V. Ne- 
crolójico. 

Necrólogo, ga. s. Necrólogo; 
auctor de necrologias. 

Necrolojía. /. Necrologia; re- 
lação ou noticia dos mortos. 
Necrologia, ce: — necrolo- 
gia; escripto dedicado a re- 
cordar os feitos das pessoas 
notáveis fallecidas. 

Necrolójico, ca. adj. Necroló- 
gico; que pertence á necro- 
logia ou que inclue ou com- 
prehende a relação de falle- 
cidos. 

Necrolojio. m. Necrológio; li- 
vro ou assento dos óbitos. V. 
Martirolojio. 

Necromancia. /. Necromancia, 
nicromancia. V. Nigroman- 
cia. 

NecromÁntico, ca. adj. V. Ni- 
gro?n¿mtico. 

Necronita. /. (min.) Necronite ; 
substancia esbranquiçada ou 
azulada, de brilho um tanto 
sedoso, que se encontra acer- 
ta distancia de Baltimore em 
pequenas massas crystalli- 
nas ou em crystaes exágonos 
disseminados em um carbo- 
nato de cal laminoso; risca o 
vidro, funde-se com diflScul- 
dade e exhala um cheiro fé- 
tido. 

Necrópolis, m. (hist.) Necró- 
polis; parte das cidades des- 
tinadas ás sepulturas : — 
necrópolis; grande subter- 
ráneo destinado ao mesmo 
fim. Todas as cidades do 
Egypto tinham seu necró- 
polis. Dizia-se particular- 
mente de um arrabalde de 
Alexandria. 
Necropsia./, (med.) Necropsia; 
acção de abrir um cadáver. 
Necrópsico, ca. adj. (med.) Ne- 
cropsico; que pertence ou é 
relativo á necropsia. 
NECBOscLâ.. /• (zool.) Necroscia 



176 



NEC 



(sombra de morto); genero 
de insectos oríliojjteros da 
tribu dos espectros. 

Necroscopia. /. (anat.) Necros- 
copia; exame dus cadáveres, 
dissecção de lun cadáver. Al- 
guns querem substituir esta 
palavra á de autopsia, que 
nao tem sen tido determinado. 

Necroscópico, ca. adj. (anat.) 
Necroscopico; que é perten- 
cente á necroscopia. 

Necrosis. /. (agr.) Necrose; 
enfermidade das samentes, 
que padecem varias especies 
cíe plantas cryptogamas: — 
(med.) necrose; estado de 
um osso ou parte d'elle, pri- 
vado de vida pela impres- 
são do ar, pela fractura, pe- 
los dififereníes virus ou por 
qualquer outra causa. 

Necrotomía. _/'. (anat.) Necro- 
tomia; dissecção de um ca- 
dáver. 

NecrotÓxMico, ca. adj. (anat.) 
Necrotomico; que pertence 
á necrotomía. 

Necrovora. /. (zool.) Neci-ovo- 
ra (devoradora de cadáve- 
res); geueru de insecto:-, co- 
leópteros pent:mieros da fa- 
milia dos clavicornes. 

Nectandreas. /. pl. (bot.) Ne- 
etandreas; tribu de plantas 
dicotyledoneas apétalas da 
familia das lauríneas, cara- 
eterisadas por suas flores 
hermaphroditas, que têem o 
limbo do cálice coin diviaões 
largas e frágeis, as glándu- 
las dentiformes e os botões 
completos. 

Nectanero. m. (zool.) Neeta- 
uebo; genero de insectos hy- 
menopteros da familia dos 
crabronios. 

Néctar, m. Néctar; qualquer 
licor delicioso, suave o gos- 
toso. Ní'cíar, aris. Dizse tam- 
bém de outras cousas appe- 
tecidas e appeteciveis: — 
(hist.) néctar; vinlio qiie se 
fazia na Lydia, perto do 
monte Olympo, misturando 
mel e flores com vinho que 
ali se recolhia: — (mytJi.) 
néctar; bebida dos clouses: 
— (bot.) néctar; o liquido 
assucarado e melloso que 
contém as flores do muitas 
plantas e que os insectos, 
as abelhas em particular, 
buscam com avidez. 



NEC 

Nectaradena. /. (bot.) Necta- 
radena; glándula que se- 
grega o sueco mellifluo das 
flores. 

Nectareo, rea. adj. Nectareo ; 
parecido com o néctar: — 
nectareo; que produz néctar, 
de néctar. 

Nectarífeeo, ea. (bot) Necta- 
rifero; que contém ou segre- 
ga um licor assucarado. 

Nectariliüo. m. (bot.) Necta- 
rilimo; orgao que serve para 
Cobrir e proteger o nectario 
das flores, como os grupos 
de pellos no geranio. 

Nectarina. /. (zool.) Nectari- 
na. V. A::ur:arero. 

Nectauinádeo, dea. adj. (zool.) 
Nectarinadeo : — f-pl. necta- 
riuadeas; tribu de pássaros 
da familia dos tenuirostros, 
cujo íypo é o genero necta- 
rina. 

Nectauiko, na. adj. (poet.) Ne- 
ctareo; similhante ao néctar. 

Nectario, m. (bot.) Nectario; 
parte de certas flores que 
coütém o sueco, de que as 
abelhas fazem mel: — ne- 
ctario; toda a parte de urna 
flor que não é nein cálice 
ou coroHa, ncm estamc ou 
pistilo, embora distille ou 
não um licor assuca¡-ado. 

Nectakita. /. Vinho novo. 

Nectaroscordo. m. (bot.) Ne- 
ctaroícordo; genero de plan- 
tas da familia das liliáceas, 
cujas especies sao hervas. 

Nectauoteca. /. (bot.) Nccta- 
roteca; qualquer parte de 
urna flor que cobre o necta- 
i'io. 

Nectarostigma. m. (bot.) Ne- 
ctarostigma; mancha encar- 
nada que se Tinroce com o 
nectario dfi urna flor. 

Néctico. adj. (min.) Nectico; 
diz se de um mineral que 
tem a prupriedade de flu- 
ctuar durante algum tempo. 

Nectópodo. adj. (zool.) Nectó- 
podo; que tem os pés acha- 
tados e membranosos, pró- 
prios para nadar: — m. jjl, 
nectópodos; familia de mol- 
luscos neueleobranchios, 
creada por varios naturalis- 
tas para comprehender al- 
guns géneros (¡ug oíFerccem 
o caracter especial de ter 
uma só barbatana no abdo- 
men: — familia de insectos 



NEF 

coleópteros pentaraeros, que 
comprchende os que têem os 
pés achatados: — sub-classe 
de mammiferos, de pés mem- 
branosos, que comprehende 
os amiahibios e os cetáceos : 
— ordem de pássaros de pés 
membranosos. 

NecuÁcuan. adü. m. (fam. de 
origem latina). De nenhum 
modo ou maneira. 

Nechem, m. (chron.) Nechem; 
nome do oitavo de entre os 
dez mezes e trinta e seis días 
cada um, que compõem o 
anno dos povos da ílha For- 
mosa. 

Neea. /. (bot.) Neea; genero 
de plantas da familia das 
nictagincas, cujas especies 
sao arvores ou arbustos. 

Neebong. rn. (bot.) Neebong; 
especio de palmeira muito 
commum em Sumatra, cujas 
extremidades tão comestí- 
veis. 

Needhamia. /. (bot.) Needha- 
mía; genero de plantas da 
familia das epacrídeas, que 
tào arbustos: — genero de 
plantas da familia das he- 
iiantliaceas, composto de 
uma só especie. 

Neerlandés, sa. adj. V. Ho- 
landés. 

Neesia. /. (bot.) Neesia; gene- 
ro de plantas da familia das 
esterculiaceas, cujas espe- 
cies sao arbustos. 

Nefalio. m. (zool.) Nephalio; 
genero de insectos coleópte- 
ros subpentaraeros, da fami- 
lia dos longícornes. 

Nefandamente, adv, m. Ne- 
fanda, torpe, abominavel- 
mente. Nefaria, nefande. 

Nefandísimo, ma. adj. svp. de 
nefando. Nefandíssimo ; mui- 
to nefando. Siimme vel val- 
de nefandus. 

Nefando, da. adj. Nefando, 
indigno, torpe. Nefandus, a, 
7im. 

Nefario, adj. Nefario ; summa- 
mente malvado, impío, indi- 
gno do trato humano. Ne- 
farias, nefastus. 

Nefas, adj. Nefas; palavra la- 
tina de que se usa na ex- 
pressão 2^0 r fas ó por nefas; 
por faz ou por nefas; e cor- 
responde por justa ou injus- 
tamente, com rasão ou sem 
ella, de um modo ou outro, 



NEF 

a torto e a direito. Per fas 
et nefas. 

Nefasto, adj. Nefasto; appli- 
cava-se entre os romanos aos 
dias em que se não permit- 
tia o tratar dos negocios pú- 
blicos, e em que se encerra- 
vam os íribnnaes. Por ex- 
tensão su diz das cousas illi- 
citas e funestas. 

Nefelemakcta. /. Nefelcm.'ín- 
cia; arte de predizer o futuro 
pela inspecção das nuvens. 

Nefklide, m. (zool.) Nepheli- 
de; genero de annelidos da 
familia das hirudineas. 

Nefelim. m. Nephelim; nome 
que os antigos livros sagra- 
dos dão ás creaturas que 
jorocedem do commcrcio dos 
anjos com as filhas dos ho- 
mens. 

Nefelina./, (mia.) Nej^helina; 
substancia fusivel ao maça- 
rico, formando luii vidro bor- 
bulhoso; compõc-se de síli- 
ca, alumina e soda, ajun- 
tando-se algumas vezes apo- 
tassa, o oxydo de ferro, o 
manganesio e agua. 

Nefelinico, ca. adj. (miv.J^e- 
phelinico; que contém nc- 
phelina. 

Nefelión. 7H. ftííiaí.) Nepholion; 
mancha esbranquiçada na 
cornea transparente do olho, 
que deixa passar os raios lu- 
minosos como através de 
uma nuvem. 

Nefelocentauro. m. Ncjdielo- 
ceutauro; individuo de um 
povo imaginario que o poeta 
Luciano coUoca na lua. 

Nefeloide. adj. Nepheloide; 
que apresenta o aspecto de 
uma nuvem : — (hied.) ne- 
pheloide; diz-se da urina 
que contém névoas esbran- 
quiçadas. 

Nefodf.o. VI. (zool.) Nephodo 
(sombra),' genero de insectos 
Coleópteros heteromeros da 
familia dos stenclytros. 

Nefraljia. /. (med.J Nephral- 
gia; dor de rins, acompanha- 
da de tremura, frio na pelle, 
urina abundante e clara e 
ulgumas vezes vómitos con- 
tiguos. 

NefeÁljico, ca. adj. (meã.) Ne- 
phralgico; que procede da 
nephralgia: — nophralgico; 
enfermo atacado de nephral- 
gia. 

23 



NEF 

Nefrelita. /. (min.) Nephreli- 
ta; especie de serpentina. 

Nefrelmíntico, ca. adj. (med.) 
Nephrelminthico; que tem a 
presença de vermes nos rins. 

Nefrendo, da. adj. (anat.) Ne- 
frendo; diz-se da pessoa sem 
dentes, como os meninos que 
ainda os não téem e os ve- 
lhos que já os perderam. 

Nefrenfeaxis. /. (med.) Ne- 
phrenphraxis ; obstrucção, 
inchação dos rins. 

Nefrética. /. (med.) Nephré- 
tica*, especie de cólica, oc- 
casionada pela pedra que 
cáe dos rins, e causa dores 
acerbas ao passar pela ure- 
tra. 

Nefketita. /. (min.) Nephreti- 
ta; nome que se dava á gor- 
dura que rodeia os rins. 

Nefrina. /. (chim.) Nephrina*, 
um dos nomes com que se 
designou a urea. 

Nefrita. /. (min.) Nephrita.V. 
Jade. 

Nefrítico, ca. adj. (med.) Ne- 
jjhritica; diz-se da dor cau- 
sada pela pedra ou areias 
nos rins: — m. pedra nephri- 
tica; fóssil. Leño nefrítico; 
pau nephritico; madeira de 
uma arvore da America e da 
Asia, usada em iDharmacia. 

Nefritis. /. (med.) Nephritis, 
nephrite; inílammação dos 
rins. 

Nefrocatolicon. m. (liharm.) 
Nephroeatolicon; remedio 
para o mal dos rins. 

Nefrocele. /. (med.) Nephro- 
celc; hernia dos rins. 

Nefrodio. ??í. (hot.) Nephrodio 
(lombar); genero de fetos. 

Nefroflegmasia. /. (med.) Ne- 
i:)hroplilegmasia ; inflamma- 
ção dos rins. 

NefkoflegmÁtico, ca. adj. 
(med.) Nephroplilegmatico ; 
que procede das mucosida- 
des que se soltam dos rins. 

NEFuocniAFÍA. /. Nephrogra- 
pliia; descripção dos rins. 

NefrogrÁfico, ca. adj. Ne- 
phrographico; pertencente á 
nephrographia. 

Nefrógrafo. to. (med.) Nephro- 
grapho ; o que escreve acer- 
ca da estructura, funcções e 
doenças dos rins. 

Nefroiue. adj. V. Reniforme. 

Nefroje. to. (bot.) Nephroge; 
genero de arbustos trepado- 



NEF 177 

res, da familia das menos- 
permeas. 

Nefrolita. to. (meã.) Nephro- 
litha; calculo dos rins. 

Nefrolitiasis. /. (med.) Ne- 
phrolithiasis; doença causa- 
da pelos cálculos que se for- 
mam nos rins. 

Nefrolítico, ca. adj. Nephro- 
lithico-, que é devido á for- 
mação dos cálculos nos rins. 

Nefrolitotomía. /. (cir.) Ne- 
phiolithotomia-, operação que 
consiste era abrir o rim pa- 
ra extrahir o calculo ou pe- 
dra. 

Nefrolitotómico, ca. adj. Ne- 
phrolithotomico; relativo á 
uejjhrolithotomia. 

Nefrólogo, m. Nephrologo; 
auctor de um tratado acer- 
ca dos rins. 

Nefrolojía, /. Neijhrologia; 
tratado dos rins. 

Nefrolójico, ca. adj. Nephro- 
logico ; relativo á nephrolo- 
gia. 

Nefrolojista. to. Nephrolo- 
gista; o que se occupa par- 
ticularmente em estudar as 
enfermidades dos rins. 

Nefrope. to. (zool.) Nephrope 
(olho en forma de rim); ge- 
nero de crustáceos dec apo- 
das, da familia dos astacios. 

Nefroplejía. /. Nephroplegia; 
atonia ou paralysia dos rins. 

Nefroplkjico, ca. adj. (med.) 
Nephroplegico; que depende 
da paralj'sia dos rins. 

Nefroplétora. /. (med.) Ne- 
phroplethora; plethora dos 
rins. 

Nefropletórico, ca. adj. (med.) 
Nephroplethorico; que pro- 
cede da plethora dos rins. 

Nefropiico, ca. adj. (med.) Ne- 
l)hropiico; que depende da 
suppuração dos rins, ou pro- 
venha o pus da inflamma- 
ção d'estes órgãos, ou re- 
sulte de uma metastase pu- 
rulenta. 

Nefropiosis. /. Nephropiosis; 
suppuração dos rins. 

Nefrora JÍA. /. Nephrorrhagia ; 
derramamento do sangue 
que provém .dos rins. 

Nefrorájico, ca. adj. Nephror- 
rhagico; relativo á nephror- 
rhagia. 

NefrospÁstico, ca. adj. Ne- 
phrospasthico ; que é devido 
ao espasmo dos rins. 



178 



NEO 



NepeÓtoma. /. (zool.) Nephro- 
toma (cortadura eui forma 
de rim); genero de insectos 
dipteros, da familia dos ti- 
pulicios. 

Nefrotomía. /. (cir.) Nephro- 
tomia; operação pela qual 
se extrahe a pedra ou cal- 
culos dos rius, ou se dá saí- 
da a um deposito purulento. 

Neií'ROtómico, ca. adj. (med.) 
Nephrotomico ; relativo á ue- 
phrotomia. 

Neftalita. s. Nephthalita; is- 
raelita da tribu de Nephta- 
li: — ])l. uephtalitas; diz-se 
de uma horda de hunos, 
chamados também hunos 
brancos. 

Neftea./. (zool.) Nephtea; ge- 
nero de polypos da familia 
dos alcyonios. 

Neftis. m. (zool.) Nephtys; 
genero de anuelidos da or- 
dem das nereides. 

Negable, adj. Negavel; que 
se pode negar. 

Negación. /. Negação; acção 
de negar. Negatio, onis: — 
V. Privación: — carencia, 
falta total de alguma cou- 
sa. Negatio, onis: — nega- 
ção; partícula negativa.Paj-- 
ticula negativa: — negação; 
ausencia, falta de uma qua- 
lidade em um sujeito: — 
negação, inaptidão, incapa- 
cidade. 

Negadez. /. Negação, rudeza, 
estupidez, falta de entendi- 
mento. 

Negado, ba. adj. Incapaz ou 
totalmente inepto para al- 
guma cousa. Incapax, omni- 
no ineptus. 

Negadou, RA. s. Negador; o 
que nega. Inficiator, 07'is. 

Negamiento, m. (ant.) Nega- 
mento. V. Negación. 

Neganopó. m. (com.) Negano- 
pó; especie de tela de algo- 
dão que se fabrica na índia. 

Negar. a. Negar; não assen- 
tir, pôr em duvida, dar por 
falso o que outrem diz. Ne- 
gare: — negar, denegar; 
não conceder, recusar, dizer 
que não. Denegare, negare : 
— negar, vedar, prohibir, 
impedir. Denegare, rennere, 
vetare: — negar; olvidar, 
esquecer o que d' antes se 
estimava, prezava ou tinha 
em apreço. Infidas ire, ohli- 



NEG 

visei, liromissis non stare: — 
negar; não confessar o de- 
licto; diz-se dos réus. Fer- 
negare, negare: — negar; 
não reconhecer alguma cou- 
sa como própria, sustentar 
a falta de relação de uma 
cousa com outra. Negare, 
despicere: — occultar, dis- 
simular. Negare, dissimida- 
re: — faltar a um dever, ao 
reconhecimento, etc. Nega- 
re, despicere: — r. negar- 
se ; recusar-se, escusar-se de 
fazer alguma cousa. Becu- 
sare, reniiere: — negar-se; 
dar-se por ausente estando 
em casa, para não receber 
visitas. Se negare domi. Ne- 
garse a si mismo (fr.); ne- 
gar-se a si mesmo, renun- 
ciar á própria vontade. Se- 
metipsum abnegare. 

Negativa. /. Negativa, nega- 
ção, repulsa; recusa do que 
se pede. Negatio, repulsa. 

Negativamente, adv. m. Ne- 
gativamente; de modo ne- 
gativo. Negative. 

Negatividad. /. (phys.) Nega- 
tividade; estado de um cor- 
po que manifesta os pheuo- 
menos da electricidade ne- 
gativa. 

Negativo, va. adj. Negativo; 
que encerra negação, que 
nega, recusa. Negativus, a, 
um: — (for.) negativo; diz- 
se do réu que perguntado 
judicialmente não confessa 
o delicto de que é accusado. 
Negativus, a, um: — (gram.) 
negativo; que nega, serve 
para negar ou denota ne- 
gação. Negativus, a, um. 
Elementos negativos (phys.); 
elementos negativos; os dis- 
cos de cobre da pilha gal- 
vânica. Fluido negativo ó 
resinoso (phys.); fluido ne- 
gativo ou resinoso; diz-se de 
um dos fluidos que compõem, 
segundo alguns physicos, o 
fluido natural. Folo negati- 
vo; polo negativo; extremi- 
dade que termina em um 
disco de cobre, na pilha gal- 
vânica. Cantidades negati- 
vas (math.); quantidades ne- 
gativas ; as que teem antes 
de si o signal de subtracção. 
Fenas negativas (rei.); pe- 
nas negativas; leis que ex- 
cluem a certas pessoas das 



NEG 

honras e dignidades, sem im- 
por castigo algum directo e 
positivo. 

Neginoth. m. (mus. ant.) Negi- 
noíh ; nome genérico dos in- 
strumentos de corda entre 
os hebreus. 

Neglesencia. /. (aid.) V. Ne- 
glijencia. 

Negligiíncia. /. V. Neglijen- 
cia. 

Negligente, adj. V. Negli- 
jente. 

Negligentemente, adv, m. V. 
Neglijentemente. 

Negligentísimo, ma. adj. V. 
Neglijentisim o . 

Neglijencia. /. Negligencia, 
desleixo, descuido; falta de 
diligencia, de cuidado e ap- 
plicação. Negligr.ntia, a'. 

Neglijente. adj. Negligente, 
descuidado , desapplicado . 
Negligens, entis. 

Neglijentemente. adv. m. Ne- 
gligentemente; com negli- 
gencia. Negligenter, osci- 
tanter. 

Neglijentísimo, ma. adj. sup. 
de Neglijente. Negligentís- 
simo, muito negligente. 

Neglisencia. /. (ant.) V. Ne- 
glijencia. 

Nego. to. Nego; palavra lati- 
na que quer dizer eu nego. 
Usa-sft ás vezes em estylo 
familiar. 

Negociabilidad. /. (neol.) Ne- 
goeiabilidade; qualidade do 
que é negociável; diz-se par- 
ticularmente dos bilhetes e 
lettras de cambio. 

Negociable, adj. Negociável; 
que se pôde negociar. Nego- 
tiahilis, le. 

Negociación. /. Negociação; 
negocio mercantil, acção de 
negociar. Negotiatio, onis: 
— negociação; o negocio que 
se trata, o assumpto sobre 
que se negoceia: — nego- 
ciação; manejo dos negocios 
políticos, tratados por em- 
baixadores, enviados, minis- 
tros diplomáticos. Negotio- 
rum gestio, admini st ratio, 
X>roeuratio : — (ant.) V. Ne- 
gocio. 

Negociado, m. V. Negocio- — 
adj. (ant.) negociado; occu- 
pado em negocios oa nego- 
ciação : — negocio especial 
com'mettido a um ou mais 
empregados de uma repar- 



NEG 

tição. Negotiorum privato- 
rum rmmus. 

Negociador, ni. Negociador; o 
que trata de negociação ¡do- 
litica. Negotiator, oris: — 
negociador, procurador; diz- 
se ás vezes da pessoa que 
trata de negocios particu- 
lares. 

Negociante, m. Negociante, 
commerciante; homem de 
negocio, o que trafica em 
grosso. Negolians, negotia- 
tor, negotiorum gestor, cu- 
rator. 

Negociar, n. Negociar, com- 
merciar, traficar; fazer, di- 
ligenciar negocio. Negotiari: 
— negociar; tratar negocios 
políticos, ou certas dependen- 
cias e pretensões: n'e;-te ca- 
so é também activo, e assim 
se diz: negociar la paz, un 
buen casamiento; negociar a 
paz, um bom casamento, etc. 
Negotia gerere, curare : — 
negociar, subornar, prosti- 
tuir, peitar, corromper. Mii- 
neribus vel do7iis corrumpe- 
re: — (com.) negociar, com- 
mutar, ceder, a troco de di- 
nheiro, lettras de cambio, 
acções do bnnco, fundos pú- 
blicos, etc. Negotiiim faceré. 
N'esta accepção u?a-se mui- 
tas vezes como activo. 

Negocio, m. Negocio; termo 
genérico com que se signi- 
fica qualquer genero de cou- 
sas. 8ubstitue-se frequente- 
mente pelos termos próprios 
e particulares de cada cou- 
sa. Negotiiim, res: — nego- 
cio, pretensão, requerimen- 
to, agencia, dependencia, 
tratado, cousa de interesse. 
Negotiiim, i: — negocio, ne- 
gociação. V. Negociación: — 
negocio; interesse, ganho, 
lucro que se tira do que se 
trata, negoceia ou pretende. 
Lucrnm, i: — de mala di- 
jestion; negocio de má di- 
gestão, difiicultoso, arduo, 
mau de tratar, diflicil de 
concluir ou concertar, lies 
difflcilis, ardnnm opiis. Ba- 
rajar ?ííi negocio (fr.); ba- 
ralhar, enredar um negocio; 
confundi-lo , atrapalha-lo , 
desordena-lo de maneira que 
não se possa averiguar a 
verdade. Confundiré, impli- 
care, involvere. Correr los 



NEG 

negocios (fr.); correr, conti- 
nuar os negocios; dar-lhes 
curso, andamento, faze-los 
progredir sem delonga. J.c/a, 
negotia expediré. Desempa- 
tar un negocio (fr. fig-); 
desempatar um negocio; des- 
impedi-lo , po-lo corrente , 
aclarando as duvidas e dif- 
ficuldades que tinha. Nego- 
tium exsolvere, explicare, ex- 
2)edire. Dormir sobre algun 
negocio (fr. fig ); dormir so- 
bre um negocio; applicar-se 
seriamente a elle, reflectin- 
do, fazendo uma longa con- 
sideração. Negotium perpen- 
dendnm differre. Dormir un 
negocio (fr.); dormir um ne- 
gocio, estar suspenso. Dor- 
miré, cessare, quiescere. Es- 
tar rodeado de negocios (fr.); 
estar rodeado de negocios, 
andar mettido em muitos ne- 
gocios; não ter um instante 
livre , achar-se excessiva- 
mente embaraçado com el- 
les. Negotiis circumquaqiie 
teneri. Hacer su negocio (fr.); 
fazer o seu negocio; dispor 
e dirigir alguma cousa de 
sorte que resulte em sua 
própria utilidade e provei- 
to. Suum sibi negotium pa- 
rare ; qvce sua sivnt qnxerere. 
Poner algun negocio e.n ma- 
nos de alguno (fr.); pôr um 
negocio nas mãos de alguém ; 
confia-lo ao seu cuidado e 
diligencia. 

Negocioso, sa. adj. Negocioso; 
próprio para negociar. Xe- 
gofiosus, a, 2im. 

Negozuelo. m, dim. de Nego- 
cio. Negociosinlio. 

Negra. /. V, Negro: — (germ.) 
caldeira. 

Negrada. /. (p. Cub.) Negra- 
ria; multidão de negros. 

Negkado, da. adj. V. Negro. 

Negral, adj. Negral; tirante 
a negro : — (ant.) V. Ne- 
gro. 

Negrear, n. Negrejar; pare- 
cer negro, tornar-se, mos- 
trar-se negro. Nigrescere, 
nigrare. 

Negrecer, a. e n. V. Enne- 
grecer. 

Negrecía. /. (bot.) Negrecía; 
genero de ¡ílantas da fami- 
lia das leguminosas. 

Negregoso, sa. adj. (ant.) Y. 
Negro, Obscuro. 



NEG 179 

Negreguear, n. (ant.) Y. Ne- 
grecer. 

Negregura. /. (ant.) Negi*egu- 
ra. V. Negrura. 

Negrero, adj. Negreiro; diz-ae 
do navio que se emprega no 
trafico e transporte de es- 
cravos negros. Usa-se tam- 
bera como substantivo : — 
(p. Cub.) diz-se do homem 
branco que gosta das negras. 

Negrestino, na. adj. (ant.) Y. 
Negruzco. 

Negreta. /. Especie de ave 

de cor denegrida. 
'Negrilla./, (zool.) Y. Congrio. 

Negrillera. /. Olmedal, ala- 
meda ou bosque de alamos, 
olmos ou choupos. 

Negrillo, m. dim. de Negro. 
Negrilho, negrinho : — (bot.) 
Y. Olmo. Na provincia de 
Traz os Montes também lhe 
chamam negrilho : — (min.) 
prata nativa de côr 23reta. 
Argentum nativum nigrum. 

Negrísimo, ma. adj. sup. de 
Negro. Negríssimo; muito 
negro. Nigerrimus, a, um. 

Negrito, m. (p. Mex.) Lindi- 
nho; expressão de carinho. 

Negro, gra. adj. Negro, preto; . 
diz-se de qualquer corpo de 
côr totalmente escura. Usa- 
se frequentes vezes substan- 
tivado na terminação mas- 
culina. Niger, gra, grum: 
— negro, preto; emprega-se 
muitas vezes para designar 
animaes ou plantas de côr 
mais ou menos escura:- — 
negro, trigueiro, escuro; diz- 
se do pão e outras cousas 
(}ue não têem a brancura 
que lhes é própria. Niger, 
subniger, fitscus : ■ — ■ negro ; 
lívido, maguado, como: tiene 
el cuerpo negro de golpes; 
tem o corpo negro de pan- 
cadas: — negro, escuro, es- 
curecido ; diz-se das nuvens, 
do céu, etc., que está car- 
regado, cerrado. Nigricans, 
fuscvs : — negro, porco, su- 
jo, immundo, enxovalhado; 
diz-se principalmente da rou- 
pa branca c das mãos : — • 
(fig.) negro, infeliz, infausto, 
triste, lutuoso; que afflige, 
que entristece. Niger, gra, 
grum : — (fig-) negro, horrí- 
vel, hediondo, medonho:- — 
(fig.) negro, odioso, indigno; 
diz-se de certas acções más, 



180 NEG 

de alguns delictos, como: 
negra ingratitud, negra ca- 
lumnia; negra ingratidão, 
negra calumnia : — (fam.) 
negro, afflicto, entalado, em 
aiDCrto; V. g., me lie visto ne- 
gro para salir del lanze; te- 
nho-me visto negro para sair 
do aperto, da difficuldade: 
— s. negro, preto; homem 
negro, individuo da raça ne- 
gra: — negro, preto; escra- 
vo empregado nos trabalhos 
das colonias: — (p. A.) lin- 
do; expressão de caricia com 
que se trata a pessoa que 
se ama aífectuosamente : — 
(germ.J manhoso, astuto, fi- 
no, sagaz: — cimarrón; ne- 
gro cimarrão, negro fagiào, 
calhambola; escravo, negro 
fugitivo. V. Cimarrón:— de 
humo; negro de fumo, pós 
de sapato; certa tinta preta: 
■ — de la uña; porcaria, su- 
gidade das unhas quando se 
não lavam as mãos. Unguis 
apiculusniger : — (fig.)x\?iài\-^ 
porção tenuissima, o ininimo 
de qualquer cousa. Nihilum, 
i. Carnes negras; carnes ne- 
gras; as que tiram um pou- 
co para escuro, como a car- 
ne de lebre: — carne negra 
ou animaes de carne negra; 
diz-se da lebre e de outros 
animaes que têem a carne es- 
cura, e em castelhano cos- 
tuma dizer-se: es carne ne- 
gra. No somos negros (loc. 
fam.); não somos escravos; 
usa-se para responder a al- 
guém^ que quer arrogar-se 
superioridade ou dar maus 
tratos. Kon ut mancipia ha- 
bendi sumus. Trabajar como 
un negro (fr.); trabalhar 
como um negro, como um 
mouro; trabalhar muito, sem 
descanso, fazer trabalhos 
penosos. Tratar a uno como 
a un negro (fr. fig.); tratar 
alguém como a um negro; 
trata-lo asperamente, com 
dureza e desprezo. 
Negrófago. m. Ncgrophago; 
partidario da escravatura 
dos negros. 
Negrofajía. /. Negrophagia; 
systema dos partidarios da 
escravatura preta. 
Neguon. m. (ant.) V. Negrura. 
Negrok. m. (ant.) Negregura. 
V. Negmra. 



NEL 

Negrota. /. (germ.) V. Negra. 
Negrura. /. Negrura, negri- 
dão; a côr negra. Nigror, 
oris. 
Negruzco, ca. adj. Negrusco, 
denegrido, moreno; tirante 
a negro. Nigellus, fuscus. 
Neguijón, m. (mcd.) Doença 
dos dentes que os faz ne- 
gros. 
Neguilla. /. Denegação con- 
stante, obstinada, porfia em 
negar o delicto que se im- 
puta. Costuma' dizer-se em 
castelhano: mas vale cele- 
mín de neguilla que fanega 
de trigo. Fertinax negatio : 
— (bot.) nigella; planta do 
genero agrostcma, que nas- 
ce muito entre os trigos: — 
(vet.) mancha negra que se 
apresenta na cavidade dos 
dentes dos cavallos. 
Neguillon. m. (bot.) V. Colleja. 
Negundo. m. (bot.) Negundo; 
genero de plantas da fami- 
lia das aurinias. 
Nei. m. Nei; especie de flauta 
feita de canua, de que se 
servem os turcos. 
Neide. m. (zool.) Neide; gene- 
ro de insectos hemipteros 
heteroptcros, da tribu dos 
geocorisos. 
Neilia. /. (bot.) Neilia; genero 
de plantas da familia das 
saxifragaceas. 
Neinei. m. (zool.) V. Benteveo. 
Neis. m. (zool.) Neis; genero 
de acalephos beroideos, com- 
posto de uma só especie. 
Neja./, (bot.) Neja; genero de 
plantas da familia das com- 
postas. 
Nele. /, Nele; moeda antiga 
franceza que valia quinze 
dinheiros. 
Nelensia. /. (bot.) Nelensia; 
genero de plantas da fami- 
lia das acanthaceas. 
Neli. m. fioí.JNélle; nome que 
se dá na Asia ao arroz com 
casca. I 

Nelita. /. (bot.) Nelita; gene- 
ro de plantas leguminosas. 
Nelítride. m. (botj Nelitride 
ou nelitris; genero de plan- 
tas da familia das myrta- 
ceas. 
Nelma. m. (zool.) Nelma; sal- 
mão da Sibéria, que chega 
a pesar sessenta arráteis. 
NelombiÁceas. /. pi. (bot.) V. 
Nelumbóneas. 



NEM 

Nelombo. m. (bot.) V. Nelumbo. 

Nelómide. m. (zool.) Nelomyde 
ou nelorays (rata cruel); ge- 
nero de mammiferos roedo- 
res da secção dos ratos. 

Nelsonia. /. (bot.) Nelsonia; 
genero de plantas da fami- 
lia das acanthaceas. 

Nelumbo. m. (bot.) Nelumbo; 
genero de ¡plantas da fami- 
lia das nelumbóneas. 

Nelumbóneas. /. j^l- (bot.) Ne- 
lumbóneas; familia de plan- 
tas monocotyledoneas, esta- 
belecida para comprchender 
o genero nelumbo. 

Nelúmula. m. (bot.) Nelumula; 
especie de arbusto do Mala- 
bar da familia das jasmi- 
neas. 

Nema. /. Sinete, sello de car- 
tas. 

Nema PALPO. m. (zool.) Nema- 
palpo (2)alpo filiforme); ge- 
nero de insectos dípteros da 
familia dos tipulicios. 

Nematanto. m. (bot.) Nema- 
tantho; genero de plantas 
da familia das gesneraceas. 

Nematelia./. (bot.) Nematelia; 
genero de cogumelos hymc- 
nomj'cetos. 

Nemato. m.f^ooZ.JNemato(7^"oj,• 
geuero de insectos hymeno- 
pteros da tribu dos tenthre- 
dinos. 

Nematócero, RA. adj. (zool.) 
Nematocero; que tem as an- 
tennas filiformes: — m. ^d. 
nematoceros. V. Filicornios. 

Nematodo. m. (zool.) Nemato- 
do (filamentoso); genero de 
insectos coleópteros penta- 
meros da familia dos ster- 
noxos. 

Nematófora. /. fzooZ.J Nem ato - 
phora (que tem fio); genero 
de insectos coleópteros i^en- 
tameros da familia dos ma- 
lacodernies. 

Nematógono. m. (zool.) Nema- 
togono. V. Esporotrico. 

Nematoídeos. jj¿. (zool.) Nema- 
toideos; ordem dos helmin- 
thidos intestinaes que com- 
prehende as ascárides, os 
stronglos, os filarlos e todos 
aciuelles que têem o coriDo 
filiforme ou fusiforme e com- 
prido. 
Nematomices. m. pi. (bot.) Ne- 
matomyces; tribu de cogu- 
melos que ajjresentam uma 
forma filamentosa. 



NEM 

Nematopata. /. (zool.) V. Fra- 
jilaria. 

NEMAToro. m. (zool.) Ncraato- 
po (pé filiforme); genero de 
insectos hemipteros hetero- 
pteros, da familia dos ly- 
geos. 

NematÓpodos. m. pi. (zool.) Ne- 
matopodas.V. Cirrípodos. 

Nematópteka. /. (zool.) Nema- 
toptera. V. Xemóptera. 

Nematora. /. (bot.) V. Estri- 
gula. 

Nematospermo. m. (bot.) Ne- 
matospermo. V. Lacistema. 

Nematostigma. /. (bot.) Nema- 
tostygma. V. Libertia. 

Nematrixide. m. (bot.) Nema- 
trixide. V. Mixonema. 

Nemaüquexa. /, (bot.) Nemaii- 
chena; genero de jilautas 
da familia das compostas. 

Nemazoakios. m, pi. (zool.) Ne- 
mazoarios (animal filifor- 
me); classe de seres ambi- 
guos, comprehendidos por 
alguns naturalistas entre os 
infusorios, e j^or outros en- 
tre as algas. 

Nemukar. a. (ant.) Xembrar, 
lembrar. V. Acordar: — r. 
(ajit.) V. Acordarse. 

Nembro. m. (ant.) Nembro. V. 
Miembro. 

Nemedra. /. (hot.) Nemedra; 
genero de plantas da fami- 
lia das melliaceas. 

Nemeo, mea. adj. Nemeo; de 
Nemea, cidade da antiga 
Grécia. Xemceus, o, u)n: — 
m. pi. ñemeos; jogos famo- 
sos que se celebravam na 
Grécia. 

Nemeobio. m. (zool.) Nemeo- 
bio (que vive na madeira); 
genero de insectos lepidó- 
pteros, da tribu dos eryci- 
nidos. 

Nemeófila. /. (zool.) Nemeo- 
phila (amiga da madeira); 
genero de insectos lepidó- 
pteros, da tribu dos chelo- 
nidos. 

Nemerte. m. (zool.) Nemerte; 
genero de helminthidos ma- 
rinhos. 

Nemesia./, (bot.) Nemesia; ge- 
nero de plantas da familia 
das escrofularinnas. 

Nemesis./. (zool.) Nemesis; ge- 
nero de crustáceos siphonos- 
tomos. 

Nemestbina. /. (zool.) Nemes- 
trina; genero de insectos di- 



NEM 

ptcros, da familia dos an- 
thracios. 

Nemestrínidos. m. ^;Z (zool.) 
Neraestrinidos; tribu de in- 
sectos dípteros, da familia 
dos anthracios. 

Nemicelo. m. (zool.) Nemicelo 
(que fura a madeira); ge- 
nero de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
xylophagos. 

Nemi JA. /. (ant.) Maldade, ini- 
quidade, delicto enorme: — 
V. Pecado: — damuo, des- 
troço: — inimisade. 

Nemigaja. /. (ant.) Nemiga- 
Iha, nem migalha, nada. 

Némine discrepante. Nemine 
discrepante; expressão lati- 
na que vale o mesmo que 
sem contradicção ou oppo- 
sição de alguém, ou por 
unanimidade do votos. 

Nemobia. /. (zool.) Nemobia 
(que vive na madeira); ge- 
nero de insectos orthopte- 
ros, da familia dos grylli- 
deos. 

Nemocéfalo. m. (zool.) Nemo- 
cephalo (cabeça dividida); 
genero de insectos coleópte- 
ros pentameros, da familia 
dos curculiónidos. 

Nemócero, BA. adj. (zool.) Ne- 
mocero; que tem antennas 
filiformes: — m. pi. neino- 
ceros; grande familia de in- 
sectos dípteros, que com- 
prehende particularmente os 
dois grandes géneros culcx 
e tipula de Linneo. 

Nemofante. m. (bot.) Nemo- 
phante; genero de plantas 
da familia das iliciueas. 

Nejiófila. /. (bot.) Nemophila 
(amante da madeira); ge- 
nero de plantas da familia 
das hydrophylleas. 

Nemófora. /. (zool.) Xemopho- 
ra (que tem fio); genero de 
insectos lepidópteros, da tri- 
bu dos tineidos. 

Nemognata. /. (zool.) Nemo- 
gnatha (mandíbula dividi- 
da); genero de insectos co- 
leópteros hetcromeros, da fa- 
milia dos trachelidos. 

Nkmon. m. (ant.) V. Gnomon. 

Nemónica. /. V. Mnemónica. 

Nemopanto. m. (zool.) Nemo- 
pantlio; genero de plantas 
da familia das ramneas. 

Nemópoda. /. (zool.) Nemopo- 
da (pé em forma de filamen- 



NEN 181 

to); genero de insectos dí- 
pteros brachoceros. 

Nemóptera. /. (zool.) Ncmo- 
ptera (aza filiforme); ge- 
nero de insectos nevropte- 
ros, da familia das plani- 
penneas. 

Nemoral, adj. (hist. nat.) Ne- 
moral; que vive ou cresce 
nos bosques. 

Nemorea. /. (zool.) Nemorea; 
genero de insectos dípteros 
brachoceros, da familia dos 
muscidos. 

Nemoroso, sa. adj. Nemoroso; 
relativo ou pertencente a 
bosques, a arvoredos. Ne- 
morosus, a, um. 

Nemósoma. /. (zool.) Nemoso- 
ma (corpo dividido); gene- 
ro de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
xylophagos. 

Nemotelo. m. (zool.) Nemote- 
lo (que acaba em fio); gene- 
ro de insectos dípteros bra- 
choceros, da familia dos no- 
tacanthos. 

Nemotrico. m. (zool.) Nemo- 
tricho (cabelleira dividida); 
genero de insectos coleópte- 
ros snbpentameros, da fa- 
milia dos curculiónidos. 

Nen. C071J. (ant.) V. Ni. 

Nenax./. (bot.) Nenax. V. Am- 
braria. 

Nene. m. (fam.) Nene; crean- 
cinha, menino pequeno. In- 
fantulus, i. Usa-se tambcm 
em estylo irónico, em caste- 
lhano, applicando-o a pes- 
soas de maioridade, em cujo 
sentido equivale em portu- 
guez a menino. 

Nengun, Nenguno, na. adj. 
(ant.) Nengun. V. Ningún, 
Ninguno. 

Nenias. /. j^^. (hist.) Nenias; 
cantos fúnebres que se usa- 
vam na antiga Roma. Pos- 
teriormente applicou-se a 
toda a especie de cantos des- 
agradáveis, e até aos maus 
discursos. Também se dava 
este nome cm Hesj^anha a 
uma especie de cantilena 
com que as amas acalenta- 
vam as crcanças. Em por- 
tuguez chama- se boje nenia 
a um canto fúnebre sobre 
a sepultura do morto. 

Nenúfar, m. (bot.) Golfão ou 
nymi)hea; genero de plantas 
da familia das nymphaceas, 



182 NEO 

cujas especies são herbáceas 
6 aquáticas. 

Neo. adj. Neo; palavra que 
quer dizer novo, e que se 
antepõe a militas outras pa- 
ra modificar o seu sentido. 

Neobekixgo. m. Neoberingo*, 
especie de luta que os ne- 
gros executam ao som de 
alguns instrumentos. 

Neocíclico, ca. adj. (chron.) 
Neocyclico; que se verifica 
no princijjio de certo perio- 
do de tempo. Fiesta rieocí- 
clica; festa neocyclica; fes- 
ta que abre um novo cyclo. 

Neo-cristianismo . m . Neo- 
christianismo; especie de 
philosophia christa que al- 
guns escriptores modernos 
têem querido substituir ás 
crenças catholicas. 

Neófito, m. Neophyto; novo 
converso á religião christa. 
Neopliytus, i: — dava.-se an- 
tigamente este nome aos re- 
cem-convertidos ao estado 
ecclesiastico. Hoje chama-se 
neophyto ao recem-admitti- 
do em qualquer corpora- 
ção. 

Neogamia. /. Neogamia; ma- 
trimonio recentemente cele- 
brado. 

Neogamo, uA.adj., s.Neogamo; 
noivo recem-casado. 

Neogaya. /. (bof.) Neogaya; 
genero de plantas da fami- 
lia das umbelliferas. 

Neoguafía. /. Neographia; 
obra, tratado sobre um no- 
vo systema de orthographia, 
cu segundo este novo sys- 
tema. 

NeogrÁfico, ca. adj. Neogra- 
phico; concernente á neo- 
graphia. 

Neogeafisjio. m. Neographis- 
mo; emprego de uma ortho- 
graphia que não está em 
uso. 

Neografista , Nkógrafo . m . 
Neographista ou neographo; 
o que quer introduzir, ou o 
que adroitte urna orthogra- 
phia, nova e contraria^ ao 
uso recebido. 

NeÓl. m. Neol; abreviatura 
da palavra neologismo. 

NeO'Latiko, na. adj. (philol.) 
Neo-latino-, diz-se de todas 
as linguas modernas deri- 
vadas do latim: — neo-la- 
tina; diz-se da litteratura 



NEO 

formada á imitação da la- 
tina. 

Neólogo, m. Neólogo; o que 
usa com frequência de ter- 
mos novos, o que aíFecta 
uma linguagem nova. 

Neolojía. /. Neologia; inven- 
ção ou introducção de ter- 
mos ou locuções novas em 
um idioma. 

Neolójico, ca. adj. Neologico; 
que pertence á neologia ou 
ao neologismo. 

Neolojismo. m. Neologismo; 
innovação de palavras e 
phrases. 

Neomenia. /. (astr. ant.) Neo- 
menia; lua nova ou primei- 
ro dia da lua. Novihminm, 
ii: — /. pi. (hisl.J neome- 
nias; festas que os romanos 
celebravam em as luas no- 
vas. 

Neoméride. m. (hist. nat.) Neo- 
meride; genero de prodiic- 
ções marinhas, collocado por 
alguns naturalistas entre os 
polypos, e i^or outros entre 
as algas. 

Neomida. /. fzool.) Neomida; 
genero de insectos coleópte- 
ros heteromeros, da familia 
dos taxicornes. 

Neoní. adj. Neoni; diz-se de 
certos sacerdotes do Congo, 
que se encarregam especial- 
mente de exercer a medi- 
cina. 

Neonomio, mia. s. Neonomio; 
seguidor de uma seita chris- 
ta que não admittia o Velho 
Testamento e só reconhecia 
o Evangelho. 

Neope. m. (zool.) NeopeY«spp- 
cio novo). V. Sitina. 

Neo-platónico, ca, adj. Neo- 
platonico; philosopho da sei- 
ta philosophica chamada 
neo-platonismo, que se for- 
mou em Alexandria, e que 
tinha por fim reimir com a 
philosophia de Platão as 
doutrinas mysticas origina- 
rias do Oriente. 

Neorama, m. Neorama; espe- 
cie de panorama traçado em 
uma superficie cylindrica, 
e que representa o interior 
de um templo ou de um j 
grande edificio illuminado \ 
e animado por grupos de 
pessoas, no meio das quaes 
se acha collocado o especta- 
dor. 



NEP 

Neotermas. /. pi. Neothermas ; 
banhos quentes, estabeleci- 
dos segundo um modelo ou 
systema novo. 

Neotrago. m. fzooZ.J Neotrago; 
sub-divisão de mammiferos 
do genero antilope. 

Nepa. /. (zool.) Nepa; genero 
de insectos hymenopteros,da 
familia dos hydrocorisos. 

Nepente. m. (bot.) Nepeuthes; 
genero de plantas dicotyle- 
doneas, da familia das ne- 
pentheas. 

Nepénteas. /. jil. (bot.) Nepen- 
theas; familia de plantas di- 
cotyledoneas, formada para 
coraprehender o genero ne- 
penthes. 

Népidos. m. pi. (zool.) Nepi- 
dos; tribu de insectos hemi- 
pteros heteropteros, da fa- 
milia dos hydrocorisos. 

Nepote, m. Nepote; palavra 
tirada do italiano, que signi- 
fica sobrinho, e que se ap- 
plica especialmente ao que 
é sobrinho do papa, e de or- 
dinario seu valido. 

Nepotismo, m. Nepotismo; va- 
limento excessivo dos sobri- 
nhos ou parentes dos papas; 
abuso da auctoridade de 
muitos ¡lapas a favor d'elles. 

Neptunia. /. (boi.) Neptunia; 
genero de plantas legumi- 
nosas aquáticas. 

Neptuniano, na. adj. (geol.) 
Neptuniano; diz-se dos ter- 
renos que devem sua origem 
á dissolução aquea e não á 
fusão Ígnea. 

Neptunismo. m. (geol.) Neptu- 
nismo; hypothese que attri- 
bue á acção da agua a for- 
mação das rochas que con- 
stituem a superficie do glo- 
bo, quando não apresentam, 
evidentes signaes de fusão. 

Neptunista. m. (geol.) Neptu- 
nista ou neptuniano; parti- 
dario da hypothese do ne- 
ptunismo. 

Neptuno, m. (nnnt.) Neptuno; 
atlas marítimo que contém 
mappas reduzidos : — (poel.) 
neptuno, o mar: — (zool.) 
neptuno. V. Fortuno: — 
(astr.) Neptuno; nome com 
que se designou durante al- 
gum tempo o planeta Urano. 

Nepucio. VI. (zool.) Nejiucio 
(pequeno); genero de inse- 
ctos coleópteros pentame- 



NER 

ros, da familia dos lamelli- 
cornes. 
Nebe. m. fchron.) Nere; perio- 
do de 600 annos, que estava 
em uso cutre os chai deus. 
Nereida. /. (zool.J Nereida; 
genero de anueiidos mari- 
nhos : — ^¿.(^oeí.^ nereidas; 
divindades inferiores domar. 
Homero diz que eram ciu- 
coeuta. 
Nekeideas./. jj¿. (zool.) Nerei- 

deas; ordem de annelidos. 
Nekeidianos. to. pl. (zool.) Ne- 
reidianos ; familia de anneli- 
dos setigeros errantes. 
Nekeidontes. ni. pl. (zool.J Ne- 
reidontes (dente de nereida); 
grupo de annelidos compos- 
to de muitas especies. 
Neueifilos. m. pl. (zool.) Ne- 
rciphyllos; grupo de anne- 
lidos, que comprehende va- 
rios géneros. 
Nereilepa. /. (zool.) Nereiie- 
pa ; sub-genero de annelidos 
do genei'o nereida. 
Nereng. m. Nereng; livro de 

oração dos persas. 
Neria. /. (zool.) Nerias; gene- 
ro de insectos lepidópteros 
da familia dos nymphalios. 
Nerinda. /. (comm.J Nerinda; 
tela branca de algodão fa- 
bricada ua India. 
Nerínea. /. (zool.) Nerinea; 
genero de moUuscos gaste- 
ropodas. 
Nerio. m. (zool.) Nerio; gene- 
ro de insectos dipterus bra- 
choceros, da familia dosmus- 
cidos. 
Nerion. m. (bot.) Nerion; ge- 
nero de plantas da familia 
das apocyneas. 
Nerita. /. (zool.) Nerita; ge- 
nero de moiluscos gastero- 
podas. 
Neritáceos. ni. p>l- (zool.) Ne- 
ritaceos: familia de moilus- 
cos gasteropodas pectini- 
branchios. 
Nerócila. /. (zool.) Nerocila; 
genei'o de crustáceos isopo- 
das da familia dos cymo- 
thoadianos. 
Neetera. /. (bot.) Nertera ; ge- 
nero de plantas da familia 
das rubiáceas. 
Nerto. /. (zool.) Nerto ; gene- 
ro de insectos coleópteros 
tetrámeros, da familia dos 
curculiónidos. 
Nertope. /. (zool.) Nerthope ; 



NER 

genero de insectos coleópte- 
ros tetrámeros, da familia 
dos curculiónidos. 

Nervado, da. adj. (br.) Nerva- 
do, fibroso; diz-se das folhas 
das plantas cujas libras ou 
nervos sao de diíierente es- 
malte : — (bot.) nervoso; diz- 
se de todas as partes da 
planta providas de nervu- 
ras. 

Nervadura, /. (bot.) Nervura ; 
nome dado á reunião de fi- 
bras nutritivas que atraves- 
sam interiormente o limbo 
da folha e que lhe formam 
o esqueleto. 

Nerval, adj. (anat.) Nerval; 
que se refere aos nervos. 

Nervezüelo. m. dim. de Ner- 
vio. Nervosinho. 

Nerviar. a. (ant.) Ennervar; 
ligar, forrar com nervos. 
Nervare. 

Nervifoliado, da. adj. (bot.) 
Nervifoliado; que tem as 
folhas guarnecidas de ner- 
vuras em extremo sensíveis. 

Nervimocion. /. (phys.J Nervi- 
mocáo; pheuomeuo do movi- 
mento que os agentes este- 
riores produzem nos senti- 
dos, e que os nervos trans- 
mittem aos músculos. 

Nervimotor. adj. (phys.J Ner- 
vimotor; diz-se dos agentes 
capazes de produzir a nervi- 
mocao. 

Nervino, adj. (pharm.) Nervi- 
no; diz-se do unguento útil 
para mitigar a irritação e as 
dores. Nervinus, a, um: — • 
nervino; diz-se do remedio 
próprio para corroborar os 
nervos. 

Nervio, m. (fig.J Nervo, força, 
eneigia, fortaleza, motor 
principal. Nervus, i: — ner- 
vo; a efiicacia ou vigor da 
rasáo. Nervus, i: — (anat.) 
nervo; parte orgánica do 
corpo animal, composta de 
fibras brancas muito unidas. 
Os nervos sao os agentes da 
sensibilidade e servem para 
trausmittir as impressões 
que recebem dos objectos. 
Nervus, i: — (art.J corda a 
que se prendem as redes de 
pesca pela sua margem: — j 
nervo; corda de instrumen- 
to musico. Nervus, i: — (bot.) 
nervo; fibra que corre ao 
comprido das folhas das 



NES 



183 



plantas pelo seu envez, e 
que é de ordinario mais ele- 
vada que a superficie d'el- 
las. Nervus folii: — (hist.J 
especie de prisão ou cepo 
onde se atava o réu pelos 
¡jés e pelo pescoço com uma 
cadeia. Nervus, i : — (min.) 
nervo; diz-se dos filamentos 
prolongados que determi- 
nam e auuunciam a tenaci- 
uade e a malleabilidade de 
um metal: — (pint.) nervo; 
firmeza, energia, força na 
execução de uma obra: — 
(naut.J cabo fixo; em que 
se envergam e por onde cor- 
rem as velas de estae, quan- 
do se içam ou arriam: — ca- 
bo por onde correm os tol- 
dos. 

Nerviosamente. adv.Y. Nervo- 
samente. 

Nerviosidad. j.Y. Nervosidad. 

Nervioso, sa. adj.Y. Nervoso: 
— (fiff-J nervoso, vigoroso, 
vehemente, enérgico; cheio 
de força, de energia; diz-se 
do discurso, do estylo, das 
palavras, das rasões, etc. 
Nervosus, vehemens: — (bot.) 
nervoso; diz-se das folhas 
das plantas que têem ner- 
vuras ou umas riscas que se 
dirigem de cima abaixo, sem 
se dividirem ou ramificarem. 

Nervosamente, adv. m. Nervo- 
samente, energicamente, vi- 
gorosamente; com força e 
vigor. Nervose. 

Nervosidad. /. Nervosidade; 
força, energia nervosa. Ner- 
vositas, atis: — (fig.J nervo- 
sidade; vigor, força, vehe- 
mencia, eflicacia das rasões, 
dos argumentos. Nervositas, 
atis : — flexibilidade, ducti- 
lidade dos metaes. Flexibi- 
litas, atis : — (bot.J V. Ner- 
vadura. 

Nervoso, sa. adj. Nervoso; 
que tem nervos. Nervosus, 
a, um: — nervoso, forte, so- 
lido, vigoroso, enérgico, tan- 
to no physico como no mo- 
ral. Nervosus, a, um. 

Nervudo, da. adj. Nervudo; 
que tem fortes tendões, ner- 
vos e músculos. Nervosus, 
a, um. 
Nescidat, Nescieda-t. /. (ant.J 
Nescedade,nescidade.V.^e- 
cedad : — V. Ignorancia. 
Nescidia. /. (bot.J Nescidiaj 



184 NES 

genero de plantas da fami- 
lia das rubiáceas. 

Nesciencta./. Inscieiicia, igno- 
rancia, falta de sciencia cu 
de conhecimento. Inscitia, ce. 

Xescientk. adj. Insciente, igno- 
rante. Ncsciens, entis. 

Nescientemente, adv. m. (ant.) 
Inscientemente. Y. If/noran- 
íemente. 

Néscio, cia. adj. (ant.) V. Ne- 
cio. 

Nesea. /. (bot.) Ncsea; genero 
de jDlantas da familia das 
ly thrarias : — (zool.) nesea ; 
genero de crustáceos isopo- 
dos da familia dos sphero- 
mios. 

Nesga. /. Nesga; peça trian- 
gular de panno, que se coze 
entre duas folhas das rou- 
pas uu vestidos, para lhes 
dar mais roda. Angidosum 
vcst Is additamenium: — qual- 
c}uer peça triangular, unida 
com outras, á maneira de 
n esga. Triangulare fragmen- 
tum. 

Nesia. /. (zool.) Nessia; gene- 
ro de reptis saurios da fa- 
milia dos scincos. 

Neskari. m. (zool.) Neskari ; 
peixe do genero salmão, que 
se encontra nos lagos da 
Sibéria. 

Neslia. /. (hot.) Neslia; gene- 
ro de plantas da familia das 
cruciferas. 

Nesorino. vi. (zool.) Nesorrhi- 
no (nariz de adem); genero 
de insectos hemipteros da 
familia dos hoplophoridos. 

Néspera. /. V. Níspero. 

Nesa./, (chron.) Nessa; nome 
que os antigos árabes, an- 
tes de sua conversão ao ma- 
hometismo, davam a um mez 
que intercalavam de tres eni 
tres aiinos, para que o anno 
lunar correspondesse ao so- 
lar. 

Nestioe. m. (zool.) Nestide ou 
nestis; genero de peixes 
acanthopterygios da fami- 
lia dos mugiloideos. 

Nestlera. /. (bot.) Nestlera; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

Nestoriano. m. (reí.) Nesto- 
riano; partidario da doutri- 
na de Nestorio. 

Nestorianismo. m. (rcl.) Nes- 
torianismo; doutrina dos se- 
ctarios de Nestorio, celebre 



NEU 

heresiarcha, nascido na Sy- 
ria. 

Netamente, adv. m. Netamen- 
te, limpamente, puramente, 
polidamente; de um modo 
limpo. 

Netezuelo, la. s. dím. de Nieto, 
Netinho. 

Neto, ta. adj. Neto, limpo; sem 
defeito, sem mancha, puro. 
PtiTíiSjindus: — liquido; diz- 
se do resultado de uma con- 
ta: — liquido; diz-se igual- 
mente do peso de uma cou- 
sa, feita a deducção da ta- 
ra: — (p. Gal.) próprio, ade- 
quado, accommodado : — m. 
um quartilho de vinho. En 
neto (loc. adv.) V. En limpio, 
liquidamente: — m. (arcli.) 
dado; pedestal da columna 
considerado sem a base e a 
cornija. Stylobatis nudus. 

Netorinco. m. (zool.) Netto- 
rhyncho (bico de adem); ge- 
nero de helminthes intesti- 
naes, classificado ainda du- 
vidosamente. 

Neuba. /. (ant.) V. Niebla. 

Neuma. s. (rhet.) Neuma ; ges- 
to oratorio, inclinação de ca- 
beça, annuindo ou recusan- 
do. Neuma, (c. 

Neumática./, (phys.) Pneumá- 
tica; sciencia que explica 
as propriedades physicas do 
ar. Mítquina 7ieum¿dica. V. 
Múqidna. 

Neumático, (;a. adj. Pneumáti- 
co; concernente ao ar ou 
vento. Pneumaticus, a, um. 

Neumobranquios. m. 2)1- (zool.) 
Pneumobrauchios ; familia 
de reptis batrachios. 

Neumodermo. m.. (zool.) Pneu- 
modermo (pelle inchada); 
genero de moUuscos gaste- 
ropodas. 

Neuracanto. ra. (hot.) Neura- 
canthó ; genero de plantas 
da familia das acanthaceas. 

Neuracne. /. (bot.) Neurachne 
(cahcUtira nervosa); genero 
de plantas da familia das 
graraincas, cujas especies 
são vivazes. 

NeurÁctide. m. (bot.) Neura- 
ctide ou neuractis; genero 
de plantas da familia das 
compostas. 

Neurada. /. (bot.) Neurada 
(glandida nervosa); genero 
de plantas da familia das 
rosáceas. 



NEU 

Neuraljia. /. (med.) Nevral- 
gia; dor dos nervos. Nome 
genérico de certo numero de 
enfermidades, cujo sympto- 
ma principal consiste n'uma 
dor viva que segue o traje- 
cto de uni ramo nervoso e 
de suas ramificações, sem 
rubicundez, calor, tensão 
nem inchação. 

NeurÁljico, ca. adj. (med.) Ne- 
vrálgico; que respeita á ne- 
vralgia. 

Neuria. /. (zool.) Neuria (ner- 
vura); genero de insectos 
lepidópteros nocturnos. 

Neurilema. /. (anat.) Nevrile- 
nia; membrana que rodeia 
03 nervos cerebraes e forma 
um verdadeiro canal, em 
que se acha contida uma ma- 
teria branca e meduUar. 

Neurilemita , Neubilita . /. 
(med.) Nevrilemita; inflain- 
mação da nevrilcma. 

Neurisma./. V. Aneurisma. 

Neurítico, ca. adj. (p)harm.) 
Ncvritico ou nevrino; diz- 
se dos medicamentos pró- 
prios para as enfermidades 
dos nervos. 

Neuritis. /. (med.) Nevritis ou 
ucvrite; inflammaçào dos 
nervos. 

Neurobalistica. /. (mil.) Ne- 
vrobalistica; nome com que 
se designa toda a machina 
antiga de guerra, do tempo 
em que, não sendo ainda co- 
nhecida a pólvora, se trans- 
mittiam as forças por meio 
de cordas ou de nervos. 

Neuróbata. m. (Jíist.) Nevro- 
bata, acrobata; cíansarino 
de corda entre os romanos. 

NeurobÁtica. /. Nevrobatica; 
arte de dansar na corda. 

NeurobÁtico, ca. adj. Nevi'oba- 
tico, acrobático ; concernente 
aos acrobatas ou volatins. 

NeurocÁliz. m. (bot.) Nevro- 
calyx; genero de plantas da 
familia das rubiáceas. 

Neurocarpo. m. (bot.) Ncvro- 
carpo (fructo nervoso); ge- 
nero de ])lanta3 legumino- 
sas, da familia das phaseo- 
laceas. 

Neuroflogosis, m. (med.) Ne- 
vrophlogosis ou ncvrophlo- 
gose; inflammaçào dos ner- 
vos. 

Neurogamia. / (med.) Nevro- 
gamia; magnetismo animal. 



NEU 

Neübogámico, ca. adj. (med.) 
Nevrogamico ; concernente á 
nevrogamia. 

Neurogkafia./. Nevrographia; 
descripçáo dos nervos: — 
nevrographia-, tratado sobre 
as doenças nervosas. 

NeurogrÁfico, ca. adj. Nevro- 
graphieo; concernente á ne- 
vrographia. 

Neurógrafo. to. Nevrographo ; 
o que trata de nevrogra- 
phia. 

Neorójeno. m. (physiol.) Ne- 
vrogeno*, materia nutritiva 
do tecido nervoso. 

Neurolena. _/'. (hot.) Neurole- 
na (involucro nervoso); ge- 
nero de plantas da familia 
das compostas. 

Neurólogo, to. Nevrologo; o 
que estuda especialmente a 
anatomia dos nervos. 

Neurolojía. /. (med.J Nevro- 
logia; parte da anatomia 
que trata dos nervos. 

Neurolójicu, ca. adj. Nevro- 
lúgico; que respeita á ne- 
vi'ologia. 

ÍSEUROLOMO. TO. fbot.) Neurolo- 
mo; genero de plantas cru- 
ciferas. 

Neuroma. to. (med.) Nevroaia; 
nome dado a uns tumores 
mais ou menos volumosos, 
subcutaneosjcircumscriptos, 
muito dolorosos, que se des- 
envolvem no tecido dos ner- 
vos: — nevroma; inchação 
que ordinariamente não ex- 
cede o tamanho de uma er- 
vilha, que se desenvolve ás 
vezes no trajecto dos ner- 
vos e que pai-ece formada 
por uma especie de vegeta- 
ção interior da membrana 
nevrilema. 

Nedromielita. /. (med.) Ne- 
vromyelite, rochyalite ou 
myelite; inflammaçào da me- 
duUa espinhal. 

Neuromo. to. (zool.) Nevromo 
(espádua nervosa): genero 
de insectos nevropteros, da 
familia dos seiíiblidos. 

Xeukopakalisis. /. (med.) Ne- 
vroparalysia; paralysia dos 
nei'vos ou do sentimento. 

Neuropaealítico, cA.afZ/.f/neá.J 
Nevroparalytico; que tem 
os caracteres da nevropara- 
lysia: — nevroparalytico-, 
que depende da nevropara- 
lysia. 

24 



NEU 

Neuropatía. /. (med.) Nevro- 
pathia; aíFecção nervosa. 

Neuropatolojía. /. (med.) Ne- 
vropathologia-, tratado das 
doenças nervosas. 

Neukopatolójico, aA.adj.(med.) 
Nevropathologico; concer- 
nente á nevropathologia. 

Neuropeltide. to. (bot.) Neu- 
ropeltide ou neuropeltis (es- 
cudo nervoso); genero de 
plantas da familia das con- 
volvuláceas. 

Neuropiea. /. (med.) Nevropy- 
ra; febre nervosa. 

Neuropírico, ca. adj. (med.) 
Nevropyrico; concernente á 
febre nervosa: — nevropy- 
rico; que apresenta os ca- 
racteres da febre nervosa. 

Neukofrosopaljia. /. (med.) 
Nevroprosopalgia; enfermi- 
dade dolorosa, que consiste 
na contracção dos músculos 
das faces. 

Neuroptéride. to. (bot.) Neu- 
ropteride ou nevropteride 
(feto nervoso); genero de 
fetos fosseis. 

Neuroptero, RA. adj. (zool.) 
Nevroptero; que tem as azas 
transparentes e sulcadas de 
muitas veias ou fibras, que 
formam uma especie de re- 
de: — w. 2)1. insectos que 
se parecem muito com os 
orthopteros. 

Nedropterolojía. /. (zool.) Ne- 
vropterologia ; descripção 
dos insectos nevropteros. 

Neuropterolójico, ca. adj. Ne- 
vropterologico; concernente 
á nevropterologia. . 

Neurósico, ca. adj. (med.) Ne- 
vrosico; que apresenta os 
caracteres da nevrose. 

Neurosis./, (med.) Nevrosis ou 
nevrose; aSecção nervosa, 
enfermidade dos nervos cm 
geral. 

Neurosperma. /. (bot.) Nevro- 
sperma. V. Momórdica. 

NeuplOsqueleto. to. (aiiut.)^Q- 
vrosqueleto; reunião ou cou- 
juncto ordenado de ossos, 
tjue envolvem as partes 
centraes do systema ner- 

A'OSO. 

Neurostenia. /. (med.) Ncvro- 
stenia; excesso de irritação 
ou inflammaçào nervosa. 

Neurotelo, la. adj. (anat.) Ne- 
vrotelo; que tem mammil- 
los nervosos. 



NEU 185 

Neurótico, ca. adj. (pharm.) 
Nevritico ou nervino. 

Neurotomía. /. (anat.) Nevro- 
tomia ; dissecção dos nervos: 
— (cir.) nevrotomia; opera- 
ção que consiste em cortar 
um nervo. 

Neurotómico, ca. adj. (med.) 
Nevrotomico; concernente á 
nevrotomia. 

Neurótomo. to. (med.) Nevro- 
tomo; escalpello para fazer 
a dissecção dos nervos: — 
nevrotomo; o que faz a dis- 
secção dos nervos. 

Neüsticuro. to. (zool.) Neusti- 
curo; genero de reptis sau- 
rios, da familia dos lagar- 
tos. 

Neostosaueo. m. (zool.) Neus- 
tosauro (lagarto nadador); 
genero de reptis fosseis. 

Neutonianismo. «i. Newtonia- 
nismoi; theoria do mechanis- 
mo do universo, e particu- 
larmente dos movimentos 
dos corpos celestes, de suas 
leis e de suas propriedades, 
segundo a opinião de New- 
ton. 

Neutoniano, na. adj. Newto- 
niano; concernente ou rela- 
tivo á doutrina de Newton. 

Neutral, adj. Neutral, neu- 
tro, indiíferente, imparcial; 
que não segue o partido de 
nenhum dos belligerantes 
ou contendores, etc. Neuter, 
tra, trum. 

Neutralidad./. Neutralidade, 
indifferença, imparcialida- 
de; estado neutral. Neuter 
animus. 

Neutralizar, a. Neutralisar; 
tornar, fazer neutro: — neu- 
tralisar: temperar, mitigar, 
attenuar as propriedades de 
alguma substancia pela mis- 
.tura de outra: — una sal 
(chim.); neutralisar um sal; 
íaze-lo neutro : — (fie/-) neu- 
tralisar, annullar; destruir, 
enfraquecer o eífeito de al- 
guma cousa pela concorren- 
cia do outra differeutc ou 
opposta. Também se empre- 
ga como reciproco. 

Neutralmente, adv. m. Neu- 
tralmente, impnTcialmente . 

Neutro, tra. adj. Neutro, neu- 
tral. V. Neutral: — (gram.) 
neutro; diz-se do genero que 
não é nem masculino nem fe- 
minino. Neuter, tra, trum: 



186 



NEW 



— neutro ; diz-se dos verbos 
que não podem ter regimen 
directo, isto é, dos que não 
são activos nem passivos. 
Neutrum verbum: — pl.(zool.) 
neutros; individuos a que 
não se attribue sexo algum, 
como succede entre as abe- 
lhas, etc. Flores neutras 
(bot.J; flores neutras; diz-se 
das flores privadas dos ór- 
gãos sexuaes. 

Neuviedia./. (bot.) Neuviedia; 
genero de plantas da fami- 
lia das apostasieas. 

Nevada. /. Nevada ; quantida- 
de de neve que cáe de uma 
vez. Nivis copia. 

Nevadilla. /. (bot.) Corrisola, 
sanguinha, sanguinaria; es- 
pecie de plantas do genero 
paronychia. 

Nevado, da. adj. Nevado, ne- 
voso, niveo; alvo como a ne- 
ve: — nevado; coberto de 
neve. 

Nevar, n. Nevar, caír neve. 
Ningcre: — a. (fig.) nevar; 
fazer branco, fazer alvo, 
dar cor branca. Dealbare, 
spargere res alba. 

Nevasca. /. V. Nevada: — 
temporal de muita neve, es- 
pecialmente com vento. Co- 
piosa nix. 

Nevasco. m. V. Nevasca. 

Nevatilla. /. (zool.) V. Águ- 
zanieve. 

Nevazo, m. (prov.) V. Nevada. 

Nevera. /. Neveira ; casa sub- 
terránea onde se guarda o 
gêlo. Celia nivallis: — (fig-) 
neveira, casa fria de neve; 
logar ou habitação excessi- 
vamente fria. Celia nimis 
frigida. 

Nevereta. /. (zool.) V. Aguza- 
nieve. 

Nevería. /. Loja onde se ven- 
de neve. Taberna nivalis. 

NeverOjRa. s. Neveiro ; vende- 
dor de neve. Nivis venditor. 

Nevisca. /. V. Nevasca. 

Neviscar, n. Neviscar; nevar 
ligeiramente ou em pequena 
quantidade. 

Nevoso, sa. adj. Nevoso; abun- 
dante em neve. Nivosus, ni- 
valis: — nevoso; tempo dis- 
posto a nevar. 

Newtonianismo. m. V. Neido- 
nianismo. 

Newtoniano, na. adj. V. Ncu- 
toniano. 



NIC 

Nexo. m. Nexo, vinculo, con- 
nexão, ligação. Nexus, us: 

— signal ou abreviatura que 
expressa duaTs ou mais le- 
tras: — (germ.) nexo, nó. 

Ngombo. m. Ngombo; segundo 
chefe dos gangas, sacerdo- 
tes de Africa. 

Ngosei. ih. Ngosei; terceiro 
chefe dos gangas. 

Ni. Nem; partícula com que 
se negam os extremos de 
uma proposição: — nem; 
conjuucção com que se ne- 
ga absolutamente alguma 
cousa. Nec, nequidem. 

Niabel. m. (bot.) Niabel; ar- 
vore de considerável altura, 
própria do Malabar. 

Nialelia. /. (bot.) V. Milnea. 

Niara. /. Monte de palha, co- 
berto de giesta ou outra 
Ijlanta que resguarde da 
agua, que se forma no cam- 
po j)ara metter e conservar 
o grão. Palearium rímale. 

NiBORA. /. (bot.) Nibora; gene- 
ro de plantas aquáticas da 
familia das acanthaceas. 

NicANDRA. /. (bot.) Nicandra; 
genero de plantas da fami- 
lia das solanáceas. 

NicANÉ. m. (com.) Nicané; te- 
cido de algodão que se fa- 
brica em Florença, e se ex- 
porta para a Africa. 

Niceno, na. s. Niceno; o natu- 
ral de Nicéa. Niccenus, i: 

— adj. niceno; concernente 
á Nicéa. Niccenus, a, um. 

NiCEROBiNO. adj. Nicerobino; 
diz-se do unguento mui pre- 
cioso e odorífero, muito em 
voga entre os antigos para se 
ungirem. Nicerobinus, a, um. 

Nicle, m. V. Prasma. 

Nicociana. /. (bot.) Nicociana ; 
nome botânico dado ao ta- 
baco. V. Tabaco. O nome de 
nicociana vem de Nicot, em- 
baixador de França em Por- 
tugal em 1560, que deu a 
importação do tabaco na Eu- 
ropa. 

NicociÁNEO, NEA. adj. (bot.) Ni- 
cocianeo; parecido com o ta- 
baco: — /. pi. uicocianeas; 
tribu de plantas da familia 
das solanáceas. 

Nicocianina. /. (chim.) Nico- 
cianina; substancia solida e 
volátil, descoberta no taba- 
co, e á qual elle deve o seu 
cheiro característico. 



NIC 

Nicolato. m. (chim.) Nicolato; 
sal produzido pela combina- 
ção do acido nicolico com 
uma base. 

Nicoletia. /. (zool.) Nicoletia; 
genero de insectos thysanu- 
ros. 

Nicolico, ca. adj. (chim.) Ni- 
colico; diz-se de um dos 
ácidos do nickel, e também 
dos saes em que entra este 
acido. 

NicoLoso, SA. adj. (chim.) Ni- 
coloso; diz-se de um dos 
oxydos do nickel. 

NicoLSONiA. /. (bot.) Nicolso- 
nia; genero de plantas le- 
guminosas papilionaceas. 

NicoMEDiENSE. s. Nicomedieu- 
se; o natural de Nicomedia. 
Nicomediensis, se: — adj. 
nicomediense ; pertencente a 
Nicomedia. 

Nicopolitano, na. adj. Nicopo- 
litano; pertencente a Nico- 
polis : — s. nicopolitano ; 
natural de Nicópolis. 

Nicótico, ca. adj. (chim.) Ni- 
cótico; diz-se dos saes cuja 
base é a nicotina. 

Nicotina. /. (chim.) Nicotina; 
alcali vegetal que existe no 
tabaco, e foi descoberto em 
1829. 

NicoTOE. /. (zool.) Nicothoe; 
genero de crustáceos sipho- 
nostomos, da familia dos pa- 
chycephalos. 

NicTAcioN. /. (med.) Nictação, 
pestanejo , piscadura dos 
olhos; movimento frequen- 
te das pálpebras, que pro- 
vera de uma especie de con- 
vulsão causada pela impres- 
são de uma luz intensa ou 
excessiva. 

NicTAGo. m. (bot.) Nyctago; 
genero de plantas, typo da 
familia das nyctagineas. V. 
Maravilla: — (rei.) nycta- 
go; nome que se dava no 
século V aos que sustenta- 
vam que era peccado levan- 
tar-se de noite para orar. 

NicTAjÍNEAS. /. 2^1'- (1'ot.) Ny- 
ctagineas; familia de ¡Dlan- 
tas dicotyledoneas apéta- 
las, cujas especies são her- 
báceas ou lenhosas. 

Nictalemo. m. (zool.) Nycta- 
lemo; genero de insectos le- 
pidópteros diurnos. 

Nictalo. m. (zool.) Nyctalo 
(nocturno); sub-genero de 



NIC 

mammiferos, que compre- 
hende quatro especies. 

NicTALOPiA. /. (med.) Nyctalo- 
pia; doença dos olhos, que 
consiste em ver mais de noi- 
te que de dia. 

Nictalópico. m. (hot.) Nycta- 
lopico; especie de agárico, 
que se encontra nos arredo- 
res de París : — adj. (med.) 
nyctalopico; concernente á 
nyctalopia. 

NicTALOPo, PA. s. Nyctalope ; o 
que vê melhor de noite que 
de dia. 

NicTANTo. m, (bot.J Nyctantho; 
genero de plantas da fami- 
lia das jasminaceas. 

NiCTELiA. /. (zool.J Nyctelia 
(amigo da obscuridade); ge- 
nero de insectos coleópte- 
ros heteromeros, da familia 
dos mel asomos. 

NicTELiTos. m. pl. (zool.) Ny- 
ctelitos; tribu de insectos 
coleópteros heteromeros, da 
familia dos collapteridos. 

NicTEMEuo. m. (astron.) Nicte- 
mero ou nictemeros; espaço 
de tempo que abrange um 
dia e uma noite, ou vinte e 
quatro horas : — aãj. (bot.) 
nictemero; que tem existen- 
cia ephemera. 

NicTERiBiA. f. (zool.) Nycteri- 
bia (que vive de noite); ge- 
nero de insectos dípteros, da 
família dos pupíparos. 

XicTERiNO. m. (zool.) Xycteri- 
no; genero de insectos co- 
leojDteros heteromeros, da 
família dos melasomos. 

NicTEROPO. m. (zool.) Nyctero- 
po (nocturno); genero de in- 
sectos coleópteros heterome- 
ros, da família dos stenely- 
tros. 

NicTicEBO. m. (zool.) Nyctice- 
bo (mono nocturno); genero 
de mammiferos quadruma- 
nos, da familia dos lemu- 
rios. 

NicTÍcEo. m. (zool.) Nycticeo; 
genero de mammiferos chei- 
ropteros, da família dos ves- 
pertiliónidos, 

NicTicoRAx. m. Nycticorax; 
ave nocturna, em estylo bí- 
blico. 

NicTiMÉRico, CA. adj. (astron.) 
Nictimerico; diz-se de um 
periodo que dura uma par- 
te da noite e a metade do 
dia. 



NIC 

NiCTiMERO. m. (astron.) Nicti- 
mero; revolução diurna e 
apparente do sol á roda da 
terra, ou espaço de vinte e 
quatro horas que compre- 
hendc o dia e a noite. 

NiCTiNOMO. m. (zool.) Nyctíno- 
mo (habitação nocturna); ge- 
nero de mammiferos cheiro- 
pteros, da família dos ves- 
pertiliónidos. 

NicTOBACAsts. /. (med.) Nycto- 
bacasis. V. Somnambulismo. 

NicTOBAso, SA. s. (med.) Nj^cto- 
baso. V. Somnámbulo. 

Nictóbata. /. (zool.) Nyctoba- 
ta (que anda de noite); ge- 
nero de insectos coleópteros 
heteromeros da família dos 
melasomos. 

NicTOcÁRiDE. m. (zool.) Nycto- 
charide ou nyctocharís (que 
se alegra de noite); genero 
de insectos coleópteros he- 
teromeros da família dos 
melasomos. 

NiCTOCLEPTO. m. (zool.) Nj^cto- 
clepto (dissimtdado de noi- 
te); genero de mammiferos 
roedores. 

NicTÓFiLO. m. (zool.) Nycto- 
phílo [que gosta da noite); 
genero de mammiferos cheí- 
ropteros. 

Nictografía./. Nyctographia-, 
arte de escrever sem luz ou 
sem ver os caracteres que 
se formam. 

NictogrÁfico, ca. adj. Nycto- 
graphíco ; pertencente á ny- 
ctographia. 

NicTÓGRAFo, FA. s. Nyctogra- 
pho; o que sabe ou pratica 
a nyctographia: — (phys.) 
nyctographo; appai'elho com 
auxilio do qual se pode es- 
crever sem ver os caracte- 
res que se formam. 

NicTOPETO. m. (zool.) Nyctope- 
to (que divaga de noite); 
genero de insectos coleópte- 
ros heteromeros da família 
dos melasomos. 

NicTozoiLo. m. (zool.) Nycto- 
zoílo (de noite); genero de 
insectos coleópteros hetero- 
meros, da família dos me- 
lasomos. 

Nicho. m. Nicho; concavida- 
de, abertura em parede on- 
de se collocam estatuas, jar- 
ras, etc. Loculus cavus in 
pariete : — nicho *, concavi- 
dade formada nos jazigos 



NID 



187 



ou carneiros, onde se depo- 
sitam os mortos encerrados 
cm caixões. Loculamentum , 
i: — (fig-) nicho, cochícholo ; 
logar ou casa mui pequena 
e estreita : — - (fig.) nicho ; 
emprego , logar distincto 
em que se julga dever al- 
guém ser collocado pelo seu 
mérito. Locus, sedes. 

Nidada. /. Ninhada ; todos os 
ovos depostos no ninho, ou 
as avesinhas que nascem 
d'elles. Pidlities, ovorum 
cubatio. 

Nidal. íh. Ninho; logar onde 
a gallínha ou outra ave vae 
pôr os ovos. Nidus, nida- 
mentum: — endez; ovo que 
se põe em um logar para 
que a gallínha venha ali 
pôr os outros. Jtequietum 
ovum in nido : — (fig-) base, 
principio, fundamento. Fun- 
damentum, i: — (fig.) ninho, 
morada : — (fig-) ninho, re- 
tiro, guarida ; logar seguro 
onde alguém se esconde. 
Nidus, nidamentum : — (fig.) 
ninho, esconderijo, recanto, 
escaninho, escondedouro; lo- 
gar reservado onde se guar- 
da e esconde alguma cousa. 
Nidus, nidamentum. 

NiDALiA. /. (zool.) Nidalía (ni- 
nho) ; genero de polypos da 
ordem dos alcyonios. 

NiDDUL. m. (rei.) Niddul; ex- 
communhão menor dos ju- 
deus, que durava trinta dias 
c privava o excommungado 
do uso das cousas santas. 

NiDiFicAcioN. /. Nidificação ; 
acção de nidificar, construc- 
ção do ninho pelas aves. 

Nidificar, a. Nidificar; fazer 
o ninho. Nidificare. 

NiDico, LLO, TO. TO. dim. dc A'¿- 
do. Ninhosínho, ninho pe- 
queno. 

NiDO. m. Ninho; receptáculo 
construído pelas aves e ou- 
tros anímaes, em que depo- 
sitam os ovos ou filhinhos 
recemnascidos. Nidus, cavi- 
las : — ninho. V. Nidal, na 
primeira accepção e nas fi- 
guradas. Nidamentum, i : 
— (fig.) ninho ; a patria, ber- 
ço, morada. Nidus, habifa- 
culum : — (fig.) covil, toca 
de ladrões, de malfeitores, 
de gente perdida; logar on- 
de elles se abrigam ou re- 



188 



NIE 



unem. Scelaratorum ciúñlc: 

— (min.) cama; pequena 
porção ou massa pouco con- 
siderável de substancias 
metallicas que se encon- 
tram separadas ou isoladas 
dos filues: — (chim., ant.) 
ninho ; ovo philosophal. 

NiDORELA. /. (hot.) Nidorella; 
genero de plantas da fami- 
lia das compostas. 

NiDULARiA. /. (bot.) Nidularia; 
genero de cogumelos gaste- 
romycetos. 

Niebla,/. Névoa; vapor aquo- 
so, denso, que obscurece a 
atmosphera. Nébula, cp : — 
(fig-) névoa, nevoeiro, escu- 
ridade, obscuridade; tudo 
que obscurece, que não dei- 
xa perceber. Obsciiritas, ne- 
bula : — (germ..) madruga- 
da : — (cLgr.) alfoiTa ou fer- 
rugem; humidade que cae 
nas searas, e as enegrece. 
Rubigo, inis : — (med.) né- 
voa; perda da transparen- 
cia do olho, que escurece e 
impede a vista. Nébula, ce: 

— névoa; substancia que 
tolda a urina, condensándo- 
se na superficie ou ficando 
suspensa no fluido. Nébula 
supernatans urince. 

NiEBURiA. /. (bot.) Nieburia; 
genero de plantas da fami- 
lia das caparideas. 

NiEF. /. (ant.) V. Nieve. 

Niego, adj. Ninhego; diz-se 
do falcão tomado do ninho 
e feito á mão. Oppõe-se a 
sáfaro ou bravo. 

Niel. on. (art.) Gravura, lavor 
feito ao buril ou cinzel so- 
bre o oiro, a prata e ou- 
tros metaes. Ccelatura, tor- 
cuma. 

Nielar, a. Gravar, cinzelar, 
lavrar ao buril ou cinzel so- 
bre metal, esmaltando ao 
mesmo tempo ou enchendo 
os espaços de cores. Cfela- 
re, ccelaturis ornare : — cin- 
zelar, esculpir. 

NiEMBRO. m. (ant.) V. Miem- 
bro. 

NiENT. m. (ant.) V. Nada. 

NiEREMBERjiA./. (bot.) Niercm- 
bergia; genero de plantas 
da familia das solanáceas. 

NiERVECICO, LLO, TO. TH. dim. 

de Niervo. Nervosinho. 
Niervo, m. (ant.)Y. Nervio. 
Niéspera./. (bof.)Y. Nisjyero. 



Nia 

Niéspola. /. [(p. Ar.) V. Nís- 
pola. 

NiETECICO, ca, LLO, LLA, TO, TA. 

s. dim. de Nieto. Netinho, 
netinha. 

NiETO, TA. s. Neto, neta; o fi- 
lho ou filha do filho ou da 
filha, relativamente ao avô 
ou ?i\ò. Nepos, nepotis: — 
neto; diz-se em sentido la- 
to do descendente de uma 
linha nas terceiras, quartas 
e mais gerações. Usa-se com 
os adjectivos, segundo, ter- 
ceiro, etc. Nepos, otis. 

NiETRO. 771. (p. Ar.) Medida de 
dezeseis cantaros de vinho. 
Mensura vini sexdecim am- 
phoris. 

Nieve. /. Neve ; vapor conge- 
lado em flocos na atmosphe- 
ra e d'ella precipitada sobre 
a terra, e que cobre os al- 
tos picos das montanhas mais 
elevadas todo o anno. Nix, 
icis : — (ant.) V. Nevada : — 
neves; tempo em que neva 
muito. Usa-se mais no plu- 
ral, como : en tiempo de nie- 
ves; era tempo de neves. 
Nix vel nives : — (fig-) neve, 
alvura, brancura excessiva. 
Usa-se muito em poesia. 
Nix, summa albedo. 

NiFAL. adj. (philol.) Nifal; diz- 
se da segunda forma do 
verbo hebraico. A forma ni- 
fal tem ordinariamente um 
sentido passivo e algumas 
vezes reflexivo ou neutro. 

NiFOBOLO. m. (bot.) Niphobolo; 
genero de fetos da tribu 
das polypodiaceas. 

NiFON. m.. (zool.) Nipbon; ge- 
nero de peixes acanthopte- 
rygios. 

NiGRiNA. /. (Iwt.) Nigrina; 
planta da China, do genero 
melasma: — (min.) nigrina; 
variedade de titanato de 
ferro amorpho. 

Nigrípedo. m. (zool.) Nigripe- 
do; especie de mammiferos 
do genero gato, cujo tama- 
nho é pouco mais ou menos 
como o do gato commum. 

NiGRiTELA. /. (bot.) Nigritel- 
la; genero de plantas da 
familia das orchideas. 

Nigromancia. /. Nigromancia, 
nicromancia ou necroman- 
cia; pretendida adivinha- 
ção feita pela evocação dos 
mortos. Necromantia, ce: — 



NIL 

nigromancia, necromancia 

ou obra magica; diz-se vul- 
garmente de todo o genero 
de feitiços ou encantamen- 
tos. 

Nigromante, m. Nigromante 
ou necromante; o que evoca 
os mortos para predizer o 
futuro. Necromanticus, i. 

Nigromántico, ca. adj. Nigro- 
mántico ou necromantico; 
concernente ou relativo á 
necromancia: — m. nigro- 
mántico. V. Nigromante. 

Nigua. /. (zool.) Nigoa; peque- 
no insecto americano do 
genero pulga que se intro- 
duz nos i^és das pessoas, 
onde deposita os ovos que 
dando nascimento aos no- 
vos individuos immediata- 
mente, causam dores agu- 
díssimas e ás vezes a mor- 
te. No Brazil lhe chamam 
zanga. 

NiJELA. /. (bot.) Nigella; ge- 
nero de plantas da familia 
das rainunculaceas, 

NiKA. / (zool.) Nika; genero 
de crustáceos decapodas 
macrouros. 

NiKEL. TO. (min.) V. Niquel. 

NiLAs. TO. (comm.) Nillas; es- 
tofo tecido de casca de ar- 
vores e seda, que vem das 
Índias. 

NiLEo. TO. (zool.) Nileo; genero 
de crustáceos da familia 
dos isotelios. 

NiLiAco, CA. adj. Nilico, nilo- 
tico; do Nilo. 

NiLio. TO. (zool.) Nilio; genero 
de insectos coleópteros he- 
teromeros da familia dos 
taxicoi'nes. 

NiLÓMETRO. TO. Nilometro; co- 
lumna com escala graduada 
para medir a elevação das 
cheias periódicas e fertili- 
santes do Nilo. 

NiLsoNiA. /. (bot.) Nilsonia; 
genero de plantas da fami- 
lia das cycadeas fosseis. 

NiLLA./. (br.) Cruz florida; es- 
pecie de cruzinha com as 
pontas do feitio das unhas 
de ancora, e mais estreita 
que as ordinarias. 

NiM. TO. (comm.) Nim; especie 
de panno que se fabricava 
no Languedoc. 

NiMBLA. contr. ant. de Ni me 
la. Nem m'a. 

NiMBRAR. a. V. Nombrar. 



NIN 

Nimiamente, adv. m. Nimia- 
mente, sobejamente; em de- 
masia, de mais, cora exces- 
so. Nimis, nimiè. 

Nimiedad. /. Niraiedade, ex- 
cesso, demasia, demais, so- 
bejidào. Nimietas, atis: — 
(fam.) pouquidade, modici- 
dade; está assim auctorisa- 
do, pelo uso, n'este sentido, 
em castelhano, aindaque, 
segundo a sua origem, este 
vocábulo significa totalmen- 
te o contrario. 

Nimio, uix. adj. Nimio, dema- 
siado, excessivo, sobejo, pro- 
lixo. Nimius, a, -um. 

NiMOTA. /. (bot.) Nimmoia; ge- 
nero de plantas da familia 
das saxífraga ceas. 

NiMüLA. /. (zool.) Nimula; ge- 
nero de insectos lepidópte- 
ros da familia dos longicor- 
nes. 

NiN. conj. copnlat. (ant.) V. 
Ni. 

Ninfa. /. (fig.) Nympha; mu- 
lher moça. Nympha, ce: — 
(anat.) nympha; cada uma 
das duas prolongações mem- 
branosas das partes geni- 
taes da mulher, e que con- 
stituem os pequenos labios 
da vulva : — (poes.) nym- 
pha; donzella, menina for- 
mosa, gentil e encantado- 
ra : — (zool.) nympha, pupa 
ou chrysalida; segundo es- 
tado da metamorphose dos 
insectos, em que o animal 
se encerra dentro de uma 
membrana mais ou menos 
delgada. Assim vive sem 
movimento até se transfor- 
mar em borboleta ou inse- 
cto perfeito. Nympha, pupa: 
— 2Jl. nymphas; deusas da 
antiguidade pagã, inferiores 
ás divindades do Olyrapo. 

NinfXceas. /. j^í- (zool.) Nym- 
phaceas; familia de mollus- 
cos conchíferos dimiarios, 
admittida por alguns natu- 
ralistas. 

NiNFAGOGO. m. (hist.) Nym- 
phagogo; joven gi-ego que 
conduzia a desposada da 
casa paterna á morada do 
esposo. 

NiNFALiDE. m. (zool.) Nympha- 
lide; genero de insectos le- 
pidópteros diurnos, da tribu 
dos nymphalidos. 

Ninfílidos. m. pl. (zool.) Nym- 



NIN 

phalidos; tribu de insectos 
lepidópteros diurnos. 

Ninfanto. m. (bot.) Nymphan- 
tho. V. Filanto. 

Ninfea. /. (bot. ) Nymphea. V. 
Nenúfar: — (arch^) nym- 
pheo; logar ou edificio com 
grutas e fontes. Quasi todas 
as casas de recreio dos an- 
tigos tinham nympheos, que 
serviam oi'dinariamente de 
banhos. 

Ninfeíceas. /. pl. (bot.) Nym- 
pheaceas; familia de plan- 
tas dicotyledoneas polype- 
talas, cujas especie sao aquá- 
ticas. 

NiNPEO, FEA. adj. (min.) Nym- 
pheo; diz-se dos terrenos^ e 
das rochas cuja formação 
se deve ás aguas doces, e 
nos quaes se encontram res- 
tos de animaes, análogos 
aos que se criam na agua 
dos rios. 

Ninfidio. m. (zool.) Nymphi- 
dio; genero de insectos le- 
pidópteros diurnos da tribu 
das erycinidos. 

NiNFioN. m. (bot.) Nymphião; 
especie de nectario que se 
encontra em certas plantas. 

Ninfo, m. Adonis, narciso; 
mancebo que se enfeita 
muito para galantear, ho- 
mem adamado e afeminado. 
Effeminatus homo vel ju- 
venis. 

NiNFOLEPsiA. /. (med.) Nym- 
pholepsia; especie de me- 
iancholia, durante a qual se 
deseja e busca a solidão dos 
bosques : — (hist.) nympho- 
lepsia; certo delirio que, se- 
gundo os antigos, se apode- 
rava do homem que tinha 
visto uma nympha. 

NiNFOMANA. adj. (med.) Nym- 
phomana ; diz-se da mulher 
que tem furor uterino. 

Ninfomanía. /. (med.) Nym- 
phomania. V. Fttror uterino. 

NiNfOMANÍACo, CA. üdj. Nym- 
phomaniaco; pertencente á 
nymphomania: — /• V. Nin- 
fomatia. 

NiNFON. m. (zool.) Nymphon; 
genero de crustáceos ara- 
chneiformes. 

NiNFosANTo. m. (zool.) Nym- 
phosanto. V. Nufar. 

NiNFOTOMÍA. /. (cir.) Nympho- 
tomia; excisa